quarta-feira, dezembro 28, 2011

A sexta maior do mundo!

Rodrigo Constantino

A notícia levou os nacionalistas ao delírio: a economia brasileira, medida pelo imperfeito PIB, ultrapassou a do Reino Unido e assumiu a sexta posição no ranking mundial. Não é fantástico? Somos mais ricos que os ingleses! Ou será que não é bem assim?

Na verdade, não é nada assim. E por vários motivos. Em primeiro lugar, o “detalhe” mais óbvio, que até uma pequena criança é capaz de compreender: o Reino Unido produz aquele valor de bens e serviços com pouco mais de 60 milhões de habitantes, enquanto o Brasil produz seu PIB com cerca de 200 milhões. Em outras palavras, a produção per capita dos brasileiros ainda é bem menor do que a dos ingleses, e isso é muito mais relevante que o valor absoluto. Afinal, já passamos o PIB da Suíça, com seus 7,6 milhões de habitantes, faz tempo, e não creio que devemos soltar fogos de artifício por conta disso.

Mas não é apenas isso. O PIB mede um fluxo de produção a valor corrente, e isso depende de muitos fatores, tais como a taxa de câmbio e o preço das commodities, quando se trata de um país com relevante exportação de bens básicos como o Brasil. A Inglaterra está passando por uma dolorosa fase de ajustes, com retração econômica e desvalorização de sua moeda. Os países emergentes, especialmente aqueles com fartos recursos naturais como o Brasil, estão com outra dinâmica, crescendo mais e vendo suas moedas se valorizarem.

O governo Dilma não tem mérito pelo que se passa no Chile ou na Austrália, evidentemente. O Brasil, para falar a verdade, cresce aquém de seus pares. E não deixa de ser curioso que o governo tente jogar a culpa da queda do crescimento brasileiro na crise mundial, ao passo que evita reconhecer o crédito da pujança global, particularmente a chinesa, pela fase de maior crescimento econômico aqui. Dois pesos, duas medidas.

Fora isso, outros indicadores devem ser levados em conta para se medir (ou tentar medir) o sucesso de uma sociedade. O IDH é um deles, ainda que também bastante imperfeito. Mas não é preciso ir tão longe. Basta olhar ao redor do país e ver a quantidade de miséria, de favelas, a criminalidade, a infraestrutura caótica, a concentração ilegítima de renda graças aos privilégios do governo, a corrupção, a impunidade, para notar que apenas nacionalistas muito bobocas celebram um dado tão insignificante como este.

Sim, somos o sexto PIB do mundo. Sim, passamos o PIB do Reino Unido. E daí? Com tantos problemas que nos saltam aos olhos diariamente, é o caso de perguntar: Who cares?! Alguém aí melhorou de vida após saber desta notícia? Então que tal voltarmos nossa atenção para a imensa quantidade de problemas que temos de resolver para tornar o Brasil um país melhor, mais próspero, livre e justo? Podemos começar com a questão da impunidade, crucial para nosso futuro. Alguém viu Fernando Pimentel por aí? A propaganda estatal sobre o PIB acima do inglês é apenas “para inglês ver” – ou, no caso, para nacionalistas ingênuos acreditarem que isso muda muita coisa.

22 comentários:

Rafael Pinto disse...

Ditto.

Rafael Gargalhão disse...

Só a valorização do real, nos últimos anos, explica 90% do crescimento do PIB brasileiro em dólares. E o custo de vida no Brasil vem subindo, junto com o PIB. Em suma, ganhamos muito menos que os ingleses e gastamos muito mais para sobreviver.

André disse...

Perfeito, Rodrigo!

Esse estardalhaço todo, como se abrissemos a janela e vissemos um Brasil escandinavo (embora seja isso que a propaganda do governo alardeie).

Tomei a liberdade de postar no meu blog e compartilhar no Facebook.

Anônimo disse...

Ah! Mas o incomPTente do Mantega já abriu a caixinha de bravatas e começou a dourar a previsões para 2012!
Alias, de tudo o que ele previu, tudo se confirmou: exatamente o contrário!
Para quem só sabe voar em "céu de brigadeiro", quero ver o que ele vai inventar como desculpa, quando em 2012, precisar voar por instrumentos...

Eduardo Leite disse...

Parabéns pelo seu artigo.Pura propaganda da irreal situação brasileira onde mais de 80% da população depende de um caótico e corrupto SUS e de uma educação pública de péssima qualidade.Somos,na realidade,um sexto que não representa um quinquagéssimo.

Eduardo Leite
www.politicaecorrupcaonasaude.blogspot.com

Julio disse...

Rafael Gargalhão, já ouviste falar em PPP (paridade do poder de compra)? Isso dobra o PIB da China calculado sem contar com o efeito de seu câmbio desvalorizado. Esse PIB calculado pelo instituto inglês é por PPP. Mas o Brasil vai bem nos dois cálculos. Então não venha falar que o Brasil é a sexta economia por causa de câmbio valorizado.

João Melo disse...

Rodrigo,

Também estou com os poucos que não se ufanam pelo fato do Brasil ser a 6ª economia mundial. Quem viaja pelos dois países conhece a distância que é viver em um deles. Além da nossa sofrida educação...

Grande abraço e Feliz 2012.

gustavosauer disse...

Pra usar o IDH, precisa de muito sal. É outra medida extremamente complicada de engolir. Sò olhar que Cuba tem um dos melhores IDH da América Latina. Retiraram Cuba dos relatórios afirmando que o governo estava manipulando os dados mas acho que um dos motivos que tiraram era que ver Cuba com um IDH tão alto causava um verdadeiro embaraço pros seus idealizadores e pras instituições de pesquisa.

Há outros indicadores que podemos usar. Gosto dos indicadores que medem o grau de liberdade dos países. Liberdade de imprensa, comercial, política etc. Nesses índices, o brasil só passa vergonha.

alvaro disse...

Há um outro detalhe que acredito ser importante: o governo sempre fala do surgimento de uma "nova classe média" ou algo do tipo, mas não entendo o que seja isso.
Em primeiro lugar, o Ipea considera que uma família que ganha R$18.000,00 por ano pertence a classe média, o que é ridículo, uma vergonha.
Em segundo lugar, o Brasil deve ser um país paradoxal. Aumenta a renda das pessoas e também aumenta a criminalidade, sobretudo nos estados administrados pelo PT.
É tudo marketing dos petistas e de suas gestões ruinosas.

Anônimo disse...

Gostei, Rdorigo. E o Rafael emendou bem!

samuel disse...

O crescimento do PIB atual se deve quase que inteiramente a um aumento nos gastos do governo, o que representa simplesmente um consumo de capital, e não um progresso genuíno.
Vejam http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=203
UMA PERGUNTA AO PROF CONSTANTINO: O PIB INGLÊS É CALCULADO DA MESMA FORMA QUE O BRASILEIRO?

Lilian disse...

Você está absolutamente certo, Rodrigo. Parece que estamos vivendo uma era de cegueira coletiva que só piora. É incrível o ufanismo bobo de alguns de nossos melhores economistas.

Steve Hunter disse...

copy/past:

"...estamos vivendo uma era de cegueira coletiva que só piora."

Sim, somos a Sexta economia do mundo.

A Sexta, mas, do ARROZ com FEIJÃO.

Diogo Mainard said em 2010.

Anônimo disse...

ai,ai...alô oposição! cadê você?Será que vai continuar permitindo que esse desgoverno deite e role em cima de tantas falácias?
Jesus Cristo!

Marcia.

Victor VC disse...

Este não é um circo normal. A lona que o cobre, não o faz por completo. O mágico mesmo usando todas as frases mágicas do mundo, desde abracadaba a Wingardium Leviosa, não consegue fazer um truco. Os palhaços que estão mal pintados e desfarrapados, conservando somente o nariz que os distingue, não caem e não brincam, roubam! Os trapezistas têm medo às alturas e os malabaristas não têm coordenação. O domador não pode com um hamster e o Elefante no meio do cenário está dormido.
Mas entre as luzes, as sombras y as dantescas cenas, as risadas do respeitável retumbam e contagiam.
O público de este circo é maravilhoso, ri dos seus pobres palhaços, se alegram de seus miseráveis malabaristas, são hipnotizados por seu carente mágico, sentem medo empático por seus ridículos trapezistas e esperam no silencio a que o gigantesco elefante se desperte. E pagam, mesmo sem estar cobertos totalmente.
E coitado daquele que diga os palhaços fazem chorar, que o mágico é o tédio, que os trapezistas fazem seus números a duas giletes de altura e que o elefante não dorme, pois é uma pobre pedra no meio do cenário.
O público é feliz assim. Já são o sexto maior circo do mundo.

Anônimo disse...

Rodrigo
Vale a pena ver o que fala este político Britânico:
http://www.youtube.com/watch?v=vpJZibGXN1A&feature=email

Imagine o que poderia se falar aqui!

Feliz ano novo.

OJ

Anônimo disse...

Realmente R$18.000,00/ano ser classe média é fogo.
E o Brasil continua sendo um dos lugares mais caros do mundo para se viver.
Jantei recentemente em Paris,(2 pessoas) em um Bistrô próximo a torre Eiffel por R$ 116,00 incluindo vinho. No Leblon não sai por menos do que o dobro para o mesmo prato.

Anônimo disse...

Após saborear o vídeo postado acima - http://www.youtube.com/watch?v=vpJZibGXN1A&feature=email -
fui dar uma pesquisada a respeito do senhor Godfrey Bloom e do UKIP (UK Independence Party). E o que encontrei?


"WHAT WE BELIEVE IN

We believe in the right of the people of the UK to govern ourselves, rather than be governed by unelected bureaucrats in Brussels (and, increasingly, in London and even your local town hall).

We believe in the minimum necessary government which defends individual freedom, supports those in real need, takes as little of our money as possible and doesn’t interfere in our lives.

We believe in democracy devolved to the people, through national and local referendums on key issues, so that laws are made by the people’s will, not the fads of the political class."

http://www.ukip.org/page/ukip-history

Que inveja... quando teremos um partido liberal aqui??

Continue com o bom trabalho, Rodrigo.

Anônimo disse...

O interessante é que o Reino Unido acordou como Reino Unido. O Brasil como Brasil. A única diferença foi que o ministro brasileiro apareceu dando entrevistas. Acólitos correram a tecer loas e odes. A rainha não acorreu ao balcão anunciar a perda de posições. Nenhum banco do UK fechou as portas por causa disso. A presidente do Brasil já alardeou as novas responsabilidades do protagonismo. Só que ninguém lembra quais são ou quais foram. Tudo igual. E pior.

Anônimo disse...

Rodrigo, concordo em muitos pontos o que você descreveu aqui, porém não da pra negar que a qualidade de vida do brasileiro melhorou em muito com o governo LULA e Dilma (antes que me critiquem não sou nenhum pouco petista ok) falo isso pq eu e várias pessoas que conheço usufrui dos programas de incentivo que este governo proporcionou a nós população da classe C, hj sabemos que o poder de compra do brasileiro cresceu e muito, eu fui o primeiro da minha familia a participar do programa de extensão de educação de nivel superior no governo lula foram inauguradas várias universidade federais eu por exemplo estudei da UFABC no abc paulista e acredito que todo mundo deveria ver a mega infra-estrutura que foi construida, com laboratorios equipados e qualidade de primeiro mundo, ainda cito os programas como FIES e PROUNI que proporcionou a muita gente de baixa renda estudar. as instituições de nivel superior federais hoje subsidiam e muito os alunos para estudar, a 9 anos atras era impossivel um aluno de classe c estudar em instituição de nivel superior publico pq não tinha condições de pagar aluguel, transporte alimentação etc, hj há bolsas como auxilio moradia, alimentação e transporte, ou seja, todos tem a oportunidade de ter uma formação de qualidade, e defendo e acredito que o governo atual tem sim como cargo chefe a educação. Concordo sim que a educação do ciclo básico ta um lixo, mas vale ressaltar que os responsáveis por isso são os governos estatais e municipais, o estado de são paulo q é o mais rico do Brasil tem um sistema de educação muito infuncional, os alunos não repetem e chegam ao ensino médio sem saber ler e escrever.... bom essa é aa minha opinião

Rafa disse...

Poderiam, por favor, levantar o fato de que o Reino Unido é uma coisa e a Inglaterra é outra?

Meus amigos, Reino Unido não é país. Entrou nessa comparação um grupo que inclui países mínimos com PIB baixo como Irlanda. Seria mais justo então juntar o Brasil com as Guianas nesta comparação.

Nunca ultrapassamos a Inglaterra. Não somos a sexta economia mundial. Como as pessoas lêem as matérias sem pensar nem um segundo??

Anônimo disse...

Concordo com o Blogueiro apenas num ponto: nosso IDH ainda é muito baixo, refletindo nossa qualidade vida (da população como um todo) bem aquém do chamado Primeiro Mundo.

Mas está melhorando, sim, haja vista os milhões de brasileiros que ascenderam a um maior conforto e poder aquisitivo, nos últimos anos. Veja-se, por exemplo, os aeroportos, aos quais raramente frequento, pois viajo, quase sempre, de carro (mas cuja situação já testemunhei com os próprios olhos): se tornaram verdadeiras "rodoviárias"; as pessoas, as "mais simples", estão viajando de avião. Não deixa de ser, sim, um indicativo. As milhões de viagens ao exterior apenas prá fazer compras, como aos EUA, por exemplo. Não perceber isso é ridícula panfletagem política, a qual detesto, pois sou APOLÍTICO.

Ademais, a ainda absurda concentração de renda nacional existe, sim. Agora dizer que toda ela é ilícita, não concordo, pois, pela classificação do IBGE, sou considerado da Classe A, e não considero meu patrimônio ilícito, não! Estudei, me preparei, prestei concurso público e fui aprovado para um cargo de salário decente, tendo construído, com juízo, meu pequeno patrimônio e minha aposentadoria decente.

Penso eu que o ideal numa discussão como esta, que se pretende seja construtiva, é abandonar o discurso panfletário, engajado em partido político, e expor as idéias visando ao bom debate, que traga frutos ao interesse comum.

Desculpe, mas é desanimador, quando se lê comentários que, no fundo, não tem qualquer interesse em contribuir para a melhoria do estado deste lindo e rico País e de seu povo.

Detesto tendenciosidade política, seja ela de que partido for!