sexta-feira, agosto 03, 2007

A Descoberta da Liberdade



Rodrigo Constantino

“Enfraquecer o Governo, limitando seu uso de força nas relações humanas, é a única forma de permitir que os indivíduos usem sua liberdade natural.” (Rose Wilder Lane)

Rose Wilder Lane foi, ao lado de Ayn Rand, uma das criadoras do movimento libertário americano. Seu livro The Discovery of Freedom, escrito em 1943, representa um trabalho revolucionário para todos aqueles que lutam pela liberdade individual. Nele, Rose defende que a vida é energia em movimento, e que o desejo imperativo de toda criatura viva é continuar a viver, sendo que isso não é uma tarefa fácil. Os homens estão vivos apenas porque atacam os inimigos da vida humana, lutando com suas energias criativas em uma natureza muitas vezes hostil. Os recursos naturais sempre estiveram presentes e disponíveis, mas seus usos variaram muito com o tempo. A energia humana é a responsável pelo avanço desses usos, criando um mundo novo mais rico em conforto.

Surge então a fundamental questão: quem controla essa energia? Para Rose, não resta a menor dúvida de que somente cada indivíduo pode controlar sua própria energia. Nenhuma forma exógena pode compelir alguém a usar esta energia de forma criativa. Cada um é responsável por todos os atos praticados. No entanto, a história da humanidade é uma história de “crenças pagãs”, como diz Rose, de que essa energia é controlada por algo de fora, por alguma autoridade qualquer a qual os indivíduos estariam submetidos. Seja o Sol, a Igreja, o Governo, o Povo, o Estado, a História, não importa, pois era sempre algo fora do indivíduo que controlava sua energia, segundo as crenças do mundo antigo. Algumas tentativas de mostrar aos homens que é cada um quem detém o controle da própria vida e energia ocorreram, e foram justamente épocas de grande prosperidade. A mais recente – e também mais sensacional – foi a Revolução Americana.

No mundo humano não existe nenhuma outra entidade concreta além do próprio indivíduo. Uma “sociedade” nada mais é do que o somatório de indivíduos, e são esses que possuem o controle das próprias vidas. Cada ser humano é, pela sua própria natureza, livre. Mas a crença de que alguma autoridade o controla anula as chances de sua energia funcionar corretamente, pois se trata de uma crença falsa. Mas muitos nem mesmo questionam tal crença, preferindo culpar alguma autoridade qualquer pela falta de comida, pelos males da natureza. Revoluções antigas eram apenas mudanças em torno do mesmo centro, sem jamais quebrar o círculo, já que o foco central era invariavelmente a crença na autoridade. A economia era sempre “planejada”, ou seja, controlada por tal autoridade. Este controle externo irá sempre prejudicar o progresso, pois somente o uso da energia produtiva dos homens pode levar ao progresso.

Somente indivíduos que agem contra a opinião da maioria do seu tempo tentarão algo novo, uma mudança que gera progresso. Com uma autoridade controlando e “planejando” da economia, estes indivíduos não terão a chance de usar corretamente suas energias criativas. Alexander Graham Bell insistia que o fio poderia transportar a voz humana, e isso era considerado impossível até então. Muitos acreditavam que navios não poderiam ser feitos com ferro, pois ferro não flutua. A história do progresso é a história do uso individual de energia criativa contra o consenso. A economia planejada, portanto, é o uso da força, através do governo, para prevenir o uso natural da energia humana. É o declínio da civilização.

Qualquer um que assume a segurança econômica como certa e um “direito humano” age feito criança mimada. Ele ignora que outros homens estão arriscando suas vidas para protegê-lo, lutando contra o mar, a terra, as doenças, as catástrofes naturais, enfim, contra a natureza em si para possibilitar esse conforto material, inexistente no passado. Mas sem a compreensão adequada desta realidade, muitos citam seus deuses – a Sociedade, o Governo, o Estado, a Nação – e exigem os bens como direitos naturais. Seria preciso somente poucos minutos sozinho no mundo para que ele acordasse para a realidade e entendesse como o conforto material existe de fato. Mas a mentalidade econômica predominante no mundo antigo assume que a riqueza não pode ser criada e aumentada, devendo apenas ser dividida. Esta visão absurda parte da premissa de que, para ter prosperidade, faz-se necessário tirá-la de alguém. É a mentalidade das guerras, invasões, pilhagens, impostos progressivos. Enquanto a crença predominante for a superstição de que alguma autoridade é responsável pelo bem-estar dos indivíduos, o resultado será pobreza e guerra.

A autoridade que concede uma “liberdade” pode sempre retirar a concessão. A liberdade não pode ser concedida por ninguém, ela é um fato da natureza. A liberdade é o controle individual da vida e energia humanas. O autocontrole de cada um, assumindo a responsabilidade pelos seus atos, isso é liberdade para Rose. Esta liberdade é inalienável, não pode ser transferida. Este fato não é reconhecido quando os indivíduos se submetem a uma autoridade que lhes garante “liberdades”. A analogia que Rose faz é com uma mãe que cede a “liberdade” para que seu filho vá brincar com os amigos. Isso não pode ser liberdade verdadeira, pois a mãe tem o poder de retirá-la a qualquer momento com sua autoridade. Seres humanos que acreditam que suas liberdades são concedidas por alguma autoridade agem como crianças imaturas, sem assumir a responsabilidade dos atos.

Com isso em mente, fica mais fácil entender porque Rose encarava a Revolução Americana como uma importante quebra de paradigma. Inúmeros indivíduos lutaram voluntariamente para preservar suas liberdades naturais. A Revolução foi uma revolta contínua contra a autoridade que pretendia controlar e planejar suas vidas e economia. Os “pais fundadores” e demais americanos não acreditavam nesta autoridade, ou mesmo em qualquer outra entre as “crenças pagãs”. Até a democracia era vista com muita desconfiança por eles. O “governo do Povo” é uma fantasia, pois o Povo não existe concretamente, apenas indivíduos. Logo, na prática a democracia pura é uma tentativa de a maioria agir como controladora do grupo. E não era o governo da maioria que interessava aos americanos, mas sim a preservação de suas liberdades individuais contra qualquer autoridade. Inclusive a maioria.

A Declaração de Independência foi um atestado de que os homens são naturalmente livres, e que, portanto, essa liberdade não precisa ser concedida por ninguém, por governo algum. Para isso foi criado o Bill of Rights, que na verdade era uma lista de coisas que os cidadãos livres americanos não permitiam que o governo fizesse. Esse princípio foi revolucionário, e ainda hoje o é. O aumento de proibições do que o governo pode fazer é diretamente proporcional à liberdade dos indivíduos, e é o uso criativo dessa liberdade que leva a um mundo mais próspero. O governo americano criado ali era único em dois sentidos: não era superior aos indivíduos, podendo existir somente pelo consentimento deles; e era um governo de leis, e não de alguma autoridade super-humana qualquer. O fantástico progresso gerado pelos americanos, fazendo mais em dois séculos do que a humanidade em milênios, não se deu por acaso. Foi conseqüência justamente dessa redução e restrição da autoridade central, do controle e planejamento do governo.

Rose Wilder Lane acreditava totalmente na capacidade criativa da energia humana livre. O feito americano é uma prova de que ela estava certa. Para que o progresso da humanidade tenha continuidade, aumentando sempre o conforto material dos seres humanos na natureza, é fundamental que o valor da liberdade individual seja corretamente entendido e apreciado. O progresso não é uma necessidade cronológica. Se seus pilares forem derrubados, ele também será. O retrocesso poderia ser quase imediato. Afinal, o que garante a geração crescente de riqueza é a energia individual. Se esta for suprimida por alguma autoridade qualquer, a miséria retorna ao mundo. Eis a principal mensagem que Rose tentou passar em sua descoberta da liberdade.

27 comentários:

Anônimo disse...

1) Libertária de gola fechada? Dá para desconfiar bastante, a não ser que a temperatura estivesse abaixo de zero.

"Seja o Sol, a Igreja, o Governo, o Povo, o Estado, a História, não importa, pois era sempre algo fora do indivíduo que controlava sua energia, segundo as crenças do mundo antigo".

2)Uma nova e genial historiografia, que estabelece como "mundo antigo" todas as formas de organização política e econômica que antecederam o capitalismo industrial.

"Uma “sociedade” nada mais é do que o somatório de indivíduos, e são esses que possuem o controle das próprias vidas".

3)Onde os tais indivíduos formam suas personalidades, opiniões, interagem economicamente, senão em sociedade? Os liberais utópicos são engraçadíssimos.

"Cada ser humano é, pela sua própria natureza, livre".

4)Digam isso ao Stephen Hawkins. Ele até vai se convencer de que pode surrar algum pugilista cubano.

"Mas muitos nem mesmo questionam tal crença, preferindo culpar alguma autoridade qualquer pela falta de comida, pelos males da natureza".

5)Suponhamos um carioca nascido no Complexo do ALemão, de pai desconhecido e mãe desempregada. Não estudou porque a escola era alvejada, dia sim, dia também, pelo tráfico ou pela polícia. Não consegue trabalhar na economia formal porque é semi-analfabeto e ainda declara endereço no morro. Vai culpar a quem pelo "fracasso"? A si mesmo? Rolo de rir com a filosofia meritocrática de botequim.

Anônimo disse...

"Somente indivíduos que agem contra a opinião da maioria do seu tempo tentarão algo novo, uma mudança que gera progresso".

6)Um excelente argumento contra o neoliberalismo, já que durante mais de uma década toda a população foi doutrinada pela mídia para acreditar que a sociedade poderia funcionar sem Estado.

"A história do progresso é a história do uso individual de energia criativa contra o consenso".

7)Citam-se exceções. Na maioria das vezes, os que acreditam sozinhos em alguma coisa estão mais para o hospício.

"A economia planejada, portanto, é o uso da força, através do governo, para prevenir o uso natural da energia humana".

8)Já que tudo é exercício utópico, tentem imaginar o que seria dos EUA sem o New Deal.

"Qualquer um que assume a segurança econômica como certa e um “direito humano” age feito criança mimada".

9)Mais uma pérola da utopia liberalóide. O PIB global permitiria, sem sombra de dúvida, que toda a população da Terra vivesse no padrão que conhecemos como "classe média". Porém, os "meritocratas" acham ótimo que bilhões de pessoas vivam em estresse permanente, precisando matar um leão por dia, pela glória do deus Mercado.

"Ele ignora que outros homens estão arriscando suas vidas para protegê-lo, lutando contra o mar, a terra, as doenças, as catástrofes naturais"

10)Besteirol sem sentido. NUm sistema coletivista os holandeses deixariam de construir diques, ou os japoneses de levantar prédios anti-terremoto?

Rodrigo Constantino disse...

É tanta estupidez que dá preguiça de responder... Entendemos na hora porque do anonimato!

Mas esse trecho aqui é especial:

"Já que tudo é exercício utópico, tentem imaginar o que seria dos EUA sem o New Deal."

Rolei de rir. Seria MUITO MELHOR do que hoje. Mas vai explicar isso para um comuna...

Rodrigo

Anônimo disse...

"Entendemos na hora porque do anonimato"!

O anonimato foi porque o blog rejeita automaticamente o meu nome. Tudo bem: Gustavo. Não me leve a mal, seus artigos são um show de humor.

Rodrigo Constantino disse...

Gustavo,

Eu não levo a mal. Pelos seus "argumentos", me agrada MUITO saber que vc considera meus artigos um "show de humor". Preocupado e chateado eu estaria se vc tivesse gostado!

Abraços,

Rodrigo

Anônimo disse...

Meu terceiro comentário sumiu. O blog do Constantino sofre do Mal de Alzheimer.

"Mas sem a compreensão adequada desta realidade, muitos citam seus deuses – a Sociedade, o Governo, o Estado, a Nação – e exigem os bens como direitos naturais".

11)Os liberais são os maiores fetichistas, já que acreditam no deus Mercado, que em seu egoísmo só faz o bem. Inclusive tem uma mão invisível!

"Esta visão absurda parte da premissa de que, para ter prosperidade, faz-se necessário tirá-la de alguém".

12)No capitalismo a riqueza é permanentemente tirada de muitos alguéns. A não ser que se acredite que um dono de padaria deva ter uma retirada quinze ou vinte vezes maior do que a dos empregados, apenas porque herdou um prédio.

"É a mentalidade das guerras, invasões, pilhagens, impostos progressivos".

13)Melhor do que isso só Bush mandar demolir o Iraque inteiro a bomba, para que empreiteiros americanos pudessem "reconstruir" o país, sendo pagos com petróleo subfaturado.

Anônimo disse...

"Preocupado e chateado eu estaria se vc tivesse gostado"!

Não se subestime! Ao contrário do que diz, por exemplo, seu agora desafeto Conde, nós esquerdistas temos bastante senso de humor. O que eu estaria fazendo aqui se odiasse você?

Anônimo disse...

Mas é muita burrice...

"Um excelente argumento contra o neoliberalismo, já que durante mais de uma década toda a população foi doutrinada pela mídia para acreditar que a sociedade poderia funcionar sem Estado."

Pra começar falou "neoliberalismo", uma coisa que só existe no mundo dos comunistas. Depois disse que a mídia blablabalabla...

Para meu! volta pra quarta série e vai ver o que o teu comedor Gramsci fez com a educação brasileira...

Anônimo disse...

Constantino...

Em repeito aos teus leitores, tira essas bobagens. Critica é uma coisa. Mas isso ali é lixo comunista. O cara é muito burro!

Eu sempre leio os comentários, mas se acumula essas idiotices fica chato...

Anônimo disse...

"Seres humanos que acreditam que suas liberdades são concedidas por alguma autoridade agem como crianças imaturas"

14)Que tal dizer isto aos trabalhadores escravizados de alguma carvoaria amazônica, quando a Polícia Federal estoura seu cativeiro?

"A Revolução foi uma revolta contínua contra a autoridade que pretendia controlar e planejar suas vidas e economia".

15)Reducionismo vulgar. Até poucos anos antes, todos eram leais súditos britânicos.

"Até a democracia era vista com muita desconfiança por eles".

16)Não há como discordar. O que acaba sendo estranho é o PFL virar DEM.

"O “governo do Povo” é uma fantasia, pois o Povo não existe concretamente, apenas indivíduos. (...)E não era o governo da maioria que interessava aos americanos,

17)Uma contradição brutal: uma hora, o povo não existe; noutra, "os americanos" (um povo)queriam ou não queriam algo. Você até tem razão, entendendo como "os americanos" as classes proprietárias. Por isso, até hoje defendem com dinheiro e bombas os interesses elitistas no mundo inteiro.

18)Infelizmente, como comuna-proleta, sou obrigado a interromper minha diversão para tratar de coisas mais concretas. Depois volto para rir um pouco mais, com a análise das constantinetes (veja, Rodrigo, quanto reconhecimento).

Anônimo disse...

meu caro anônimo, se tu tivesse a capacidade, ao menos por 1 minuto de perceber toda a sua burrice, ficaria estremamente decepcionado...

Mas como o cara pode perceber a própria burrice? Muito dificil...

Isso acontece poucas vezes na vida, e é nesses momentos que o cra lembra daquela frase "só sei que nada sei".

A sua estrutura de pensamento só leva ao fracasso. Então...

Se fode!

Anônimo disse...

*extremamente

Morgana disse...

Este anônimo é etológicamente incorreto...acomodado,precisa do guarda chuva da autoridade,do Estado,do Partido,do...qualquer coisa autoritária que lhe dispense das funções de pensar e evoluir!

Gustavo disse...

Anônimo 1:

"Pra começar falou "neoliberalismo", uma coisa que só existe no mundo dos comunistas".

Como quiser, me empolguei depois que uma constantinete, em outro artigo, falou na urgência de algum partido defender o neoliberalismo.

"Depois disse que a mídia blablabalabla"

Certo,não existe mídia! Apenas indíviduos que exprimem livremente suas opiniões, e, como diria você, blablablabla.

"Para meu! volta pra quarta série e vai ver o que o teu comedor Gramsci fez com a educação brasileira"

??? Gramsci nunca esteve no Brasil e, aliás, se não me engano no caderno 32, disse que pouco sabia sobre a América Latina. O chato é que a direita, quando tem a educação em mãos, NÃO FAZ: é congelamento salarial, falta de investimentos básicos, e uso de argumentos pedagógicos progressistas para fins reacionários.

Gustavo disse...

Anônimo malcriado

"A sua estrutura de pensamento só leva ao fracasso. Então...
Se fode"!

Pelo contrário, tenho quatro postos de trabalho. Agora, um sujeito que só tem argumentos ad hominem, realmente deve se foder.

Gustavo disse...

Morgana:

"Este anônimo é etológicamente incorreto...acomodado,precisa do guarda chuva da autoridade,do Estado,do Partido,do...qualquer coisa autoritária que lhe dispense das funções de pensar e evoluir"!

A constantinete é tão "acomodada" que nem aprendeu que não existe acentuação na quinta sílaba. "Etológicamente" é dose. A crítica, em si, também é patética, como se um empresário, lidando diretamente com seus subordinados e podendo ditar padrões de comportamente, não tivesse um potencial muito mais autoritário do que o Estado, o partido, ou o que mais quiser.

Lucas disse...

Quatro postos de trabalho!? Qtos deles se incluem nas "categorias" sindicalista/líder estudantil/ongueiro/pseudo-professor de qq bobagem das ciências humanas? Pq qq pessoa que tenha um trabalho minimamente sério (i.e. PRODUZA alguma coisa palpável) terá 1, quem sabe 2 "postos de trabalho"... Mas "trabalhar" pra compañerada eh mais fácil, nao tem o stress de produzir algo que alguém queira. A tua existência torna o mundo mais burro, e o pior é q vc é feliz assim Gustavo, pensando ser um dos bons e iluminados contra os maus. Nunca comentei em blog nenhum mas vc conseguiu me torrar a paciência. Parabéns.

Lucas disse...

Alguém me explica pq todo burro-que-não-sabe-que-é-burro é proselitista? Eu nunca, em hipótese alguma perderia meu tempo comentando em um blog de esquerda/religioso/outra-bogagem-qq, simplesmente por ter mais o que fazer do que ficar lendo bobagens que se enquadram em duas categorias: burrice e/ou mau-caratismo. O que que vc pensa estar fazendo aqui Gustavo, além de provocar pena em todos os leitores do blog?

Raul Bender disse...

Para o Gustavo pensar...

Você vem falar de direita brasileira??? Vai a merda! Eu boto mais defeitos nela do que qualquer comuna, e sem mentir! Se oligarquia latifundiária é direita, eu me demito!


Os liberais são tão ou mais incorfomados com o Brasil que os comunas...

Os liberais querem melhorar o Brasil acabando com o PODER CENTRALIZADO.

Os comunas querem melhorar o Brasil tomando o PODER CENTRALIZADO e aumentando ele...

Experimenta perguntar para uma pessoa mais velha, que não foi intoxicada de esquerdismo nem de liberalismo, qual é o problema do Brasil, e elas vão te responder: É O GOVERNO!

Então a solução da tua gente é TOMAR O GOVERNO E AUMENTAR ELE???

É por isso que só existem dois tipos de esquerdista: OS BURROS e os MAU-CARATISTAS.

Rodrigo Constantino disse...

Gente,

O livro de Rose Wilder Lane é tão bom e dá margem a tanto debate interessante, que sugiro simplesmente ignorarem esse pobre coitado do Gustavo. Papagaio de chavões não tem como acrescentar valor num debate de idéias. Não pensa, afinal.

Vamos focar em Rose, que é MUITO mais produtivo...

Rodrigo

Gustavo disse...

A comédia só aumenta:
Lucas:
"Quatro postos de trabalho!? Qtos deles se incluem nas "categorias" sindicalista/líder estudantil/ongueiro/pseudo-professor de qq bobagem das ciências humanas"?

O tosco discurso da desvalorização das ciências humanas, possivelmente em prol das ciências exatas. Deve ter delirado, se tinha idade, com a fala do Collor de que "a universidade brasileira não produz riqueza".

"Pq qq pessoa que tenha um trabalho minimamente sério (i.e. PRODUZA alguma coisa palpável) terá 1, quem sabe 2 "postos de trabalho"

Demonstra total ignorância das condições de trabalho de quem lida com ensino e pesquisa no país.

"Mas "trabalhar" pra compañerada eh mais fácil, nao tem o stress de produzir algo que alguém queira".

??? Puro chutômetro. Não sou filiado ao PT e nem tenho cargos por indicação de políticos.

"A tua existência torna o mundo mais burro"

Vixe, que argumento inteligente!

"e o pior é q vc é feliz assim Gustavo, pensando ser um dos bons e iluminados contra os maus. Nunca comentei em blog nenhum mas vc conseguiu me torrar a paciência. Parabéns".

Assim vou ficar mascarado.

Gustavo disse...

"Alguém me explica pq todo burro-que-não-sabe-que-é-burro é proselitista"?

O Lucas é analfabeto funcional. Que proselitismo eu fiz, se apenas critiquei o individualismo ingênuo do blog?

"Eu nunca, em hipótese alguma perderia meu tempo comentando em um blog de esquerda/religioso/outra-bogagem-qq"

Até pela baixa capacidade de argumentação.

"simplesmente por ter mais o que fazer do que ficar lendo bobagens que se enquadram em duas categorias: burrice e/ou mau-caratismo".

O chavão de Olavo de Carvalho está cada vez mais surrado. Não sei se é engraçado ou preocupante vê-lo fazer tantos adeptos.

"O que que vc pensa estar fazendo aqui Gustavo, além de provocar pena em todos os leitores do blog"?

Aqui você cai em séria contradição, já que confessou no início da fala que estava com raivinhas.

Gustavo disse...

Raul, mais um "visionário":

"Você vem falar de direita brasileira??? Vai a merda! Eu boto mais defeitos nela do que qualquer comuna, e sem mentir! Se oligarquia latifundiária é direita, eu me demito"!

Não sei no que você trabalha, mas então pode se demitir. A direita real é aquela que tem capital e votos, fez 64, elegeu Collor e FHC, e não um punhado de intelectuais que vive sonhando com o liberalismo ideal.

"Os liberais são tão ou mais incorfomados com o Brasil que os comunas"

Começaram a ficar inconformados (e só alguns) quando o Lula foi eleito presidente. Muitos até se adaptaram bem.

"Os liberais querem melhorar o Brasil acabando com o PODER CENTRALIZADO".

Sim, para melhor promover o "poder atomizado" dos empresários, que aliás adoram individualismo no andar de baixo, mas na prática cartelizam tudo.

"Experimenta perguntar para uma pessoa mais velha, que não foi intoxicada de esquerdismo nem de liberalismo, qual é o problema do Brasil, e elas vão te responder: É O GOVERNO"!

Juro que não entendi: o liberalismo intoxica? Pareceu, a princípio, que você o defendia.

"Então a solução da tua gente é TOMAR O GOVERNO E AUMENTAR ELE"???

É colocar o governo a serviço das maiorias, e promover o igualitarismo.

"É por isso que só existem dois tipos de esquerdista: OS BURROS e os MAU-CARATISTAS".

Bem que eu falei: o chavão cada vez se alastra mais.

Gustavo disse...

"Gente,
O livro de Rose Wilder Lane é tão bom e dá margem a tanto debate interessante"

Você parte do princípio de que os seus leitores conhecem a autora. Julgando pelos argumentos deles, eu duvido muito.

"que sugiro simplesmente ignorarem esse pobre coitado do Gustavo. Papagaio de chavões não tem como acrescentar valor num debate de idéias".

Quer maior chavão do que a velha história de que a soma das ações individuais produz o melhor resultado?

"Não pensa, afinal".

Recorre ao ad hominem para disfarçar a total falta de recursos. Daqui a pouco vai censurar o blog, igualzinho ao Leonardo/Rachel.

Raul Bender disse...

"Não sei no que você trabalha, mas então pode se demitir. A direita real é aquela que tem capital e votos, fez 64, elegeu Collor e FHC, e não um punhado de intelectuais que vive sonhando com o liberalismo ideal."

No seu conceito pode ser... Vc não deixa de estar certo. Mas no meu conceito eles são centro e os liberais que sonham com o liberalismo ideal direita.

O liberalismo ideal que a gente sonha para o Brasil já é real em vários países em desenvolvimento. Você poderia citar um caso de socialismo real que julgue bom para a sociedade?

"Sim, para melhor promover o "poder atomizado" dos empresários, que aliás adoram individualismo no andar de baixo, mas na prática cartelizam tudo.
"

Vc tem uma ideia melhor de como produzir produtos bons e baratos?
Se você tiver, eu viro comunista!

O liberalismo econômico nasceu da observação da produção/distribuição, em cima da realidade foi posta no papel as melhores formas de produzir bem e barato. É simples assim...

"É colocar o governo a serviço das maiorias, e promover o igualitarismo.
"

Eu tenho ótimas sugestões para fazer isso. Para garantir a vontade da maioria, em primeiro lugar, eu defendo o voto distrital/majoritário. O que você acha?

"Bem que eu falei: o chavão cada vez se alastra mais.
"

huahuahua, isso não é chavão meu amigo, é uma constatação!

Anônimo disse...

Essa mulher é fantástica!

Anônimo disse...

Somente o Gustavo, que não conhece absolutamente da tradição liberal, e muitos liberais tambem não a conhecem, podem não saber que foi Rose Wilder Lane