segunda-feira, junho 18, 2007

As Falhas Intrínsecas do Comunismo



Rodrigo Constantino

“O comunismo não foi uma boa idéia que deu errado; foi uma má idéia.” (Richard Pipes)

Nenhuma ideologia trouxe tanta desgraça ao mundo como o comunismo, influenciado pelas teorias marxistas. Não obstante este fato, muitos ainda defendem, em diferentes graus, idéias que remetem ao comunismo. Alegam que o comunismo “verdadeiro” jamais existiu, e que houve “apenas” um problema de implantação do regime. Os homens falharam, em suma, e não a própria ideologia. O historiador especialista em Rússia, Richard Pipes, demonstra o contrário em seu livro O Comunismo, onde discorre de forma simplificada pela trajetória comunista no século XX.

O cerne da teoria comunista, conforme resumida por Marx e Engels no Manifesto Comunista, é a abolição da propriedade privada. A tentativa de adotar esta idéia leva, inexoravelmente, ao terror, miséria e escravidão. O ideal de uma Idade de Ouro sem propriedades é um mito. Como explica Pipes, “todas as criaturas vivas, das mais primitivas às mais avançadas, para sobreviver, devem ter o acesso ao alimento garantido e, para assegurar esse acesso, reivindicam a posse do território”. Mao escreveu: “Em uma folha de papel em branco, sem nenhuma marca, as letras mais frescas e belas podem ser escritas, os quadros mais belos e frescos podem ser pintados”. Ao tratar o homem como uma “tabula rasa” e tentar criar um “novo homem”, os comunistas conseguem apenas tingir essa folha de vermelho, do sangue que escorre das suas vítimas. Os herdeiros do comunismo ignoram toda a experiência comunista, afirmando que os fins utópicos ainda são válidos e ignorando que os meios para tanto não podem levar a outro lugar que não aquele experimentado pelos soviéticos, chineses, norte-coreanos, cubanos etc.

O principal caso apresentado por Pipes é, naturalmente, o soviético. Ele afirma que o “totalitarismo soviético desenvolveu-se a partir das sementes marxistas plantadas no solo do patrimonialismo czarista”. Lênin teve um papel fundamental na revolução que instalou a ditadura comunista. Filho de um alto funcionário na hierarquia russa, Lênin devia nutrir um sentimento de culpa em relação aos privilégios que gozava, algo comum na época. Seu irmão, um radical acusado de estar envolvido num atentado contra o czar, foi assassinado pelo regime czarista. Lênin pagou um alto preço por isso, sendo punido com a expulsão da universidade por uma infração insignificante, por ser identificado como o irmão de um terrorista. Foi forçado à inatividade por três anos, e desenvolveu forte ressentimento em relação tanto ao czarismo como à burguesia. Tornou-se um revolucionário fanático disposto a destruir a ordem social vigente. Foi motivado por um anseio de vingança, e Struve, um antigo colaborador seu, escreveu anos depois que a principal característica da personalidade de Lênin era o ódio.

Muitos são os que condenam a crueldade de Stalin, mas esquecem de Lênin, considerado por Molotov, funcionário de confiança que serviu a ambos, o mais severo dos dois. Lênin demonstrou uma frieza monstruosa quando se opôs à ajuda humanitária aos camponeses famintos em 1891 no Volga, argumentando que a fome servia para a causa comunista. Quando tomou o poder, fez de tudo para transformar a guerra em guerra civil, útil para seus planos revolucionários. Pipes reconhece que os “bolcheviques tomaram o poder na Rússia para fazerem a guerra civil”. Lênin defendeu a morte de todos os “especuladores” e ordenou o enforcamento de centenas de kulaks, pequenos proprietários de terra, de forma que todos pudessem ver. O comunismo sob o comando de Lênin conseguiu em poucos meses matar mais gente do que o regime czarista em décadas!

Com a morte de Lênin, Stalin assumiu o poder, instalando em seguida o Grande Terror, que chegou a executar cerca de mil pessoas por dia, mandando outros milhões para os campos de concentração, já introduzidos por Lênin. O slogan da luta de classes foi abandonado por Stalin, que lançou a Rússia em um nacionalismo semelhante ao de Hitler. Stalin considerava que conflitos e guerras eram os maiores aliados do comunismo soviético e, seguindo este raciocínio, de 1920 a 1933 a União Soviética envolveu-se em colaboração secreta com os militares alemães para que pudessem evitar as provisões do Tratado de Versalhes. Em 1932, Stalin ajudou Hitler a chegar ao poder, proibindo comunistas alemães de se aliarem aos social-democratas contra os nazistas nas eleições parlamentares. Assinou ainda um tratado de não-agressão com Berlim em 1939, que incluía um protocolo secreto dividindo a Polônia entre a Rússia e a Alemanha. Molotov, o confidente mais próximo de Stalin, chegou a declarar que aceitar ou rejeitar o hitlerismo é uma “questão de opinião política”. Em 1940, quando Hitler esmagou os exércitos aliados na França, Stalin fez aliança com a Alemanha nazista, fornecendo alimentos, metais e outros materiais escassos.

Tanto o nazismo como o comunismo tinham um inimigo comum – a democracia liberal com seus direitos civis e propriedade privada de fato. Além disso, ambos consideravam os seres humanos meios descartáveis para a construção de uma nova ordem e um “novo homem”. Curiosamente, muitos ainda acreditam que Stalin e Hitler, ou o comunismo e o nazismo, eram diametralmente opostos desde sempre.

Os soviéticos defendiam a “globalização”, mas não a democrática de livre mercado como conhecemos hoje, e sim a exportação do regime revolucionário comunista. Em 1919 fundaram a Terceira Internacional, ou Comintern, com a missão de infiltrar-se e assumir o controle de todas as organizações de massa nos diferentes países. Lênin deixara claro que, em caso de necessidade, era para “recorrer a todo tipo de ardil, astúcia, expediente ilegal, dissimulação, supressão da verdade”. Os comunistas de Moscou, de fato, exportaram o regime para inúmeros países em vários continentes. A Guerra Fria foi fruto dessa estratégia comunista. Em todos os casos onde os americanos não interromperam a escalada comunista, sem uma única exceção, o resultado foi a miséria, a escravidão e muitas mortes desnecessárias. Um dos casos de maior atrocidade foi o de Camboja, onde os líderes do Khmer Vermelho, que aprenderam sobre o marxismo em Paris, instalaram um regime que trucidou sem piedade quase um terço da população, tudo em busca da igualdade marxista.

Apesar da propaganda comunista, que chamava de “fascista” tudo que não era comunista, inclusive os social-democratas europeus, o próprio fascismo teve influência comunista. Benito Mussolini, o ditador italiano, bebeu da fonte leninista, e em um discurso de 1921, afirmou que existia uma afinidade intelectual entre fascistas e comunistas. A grande diferença estaria no fato de os comunistas pregarem o Estado centralizado por meio do conceito de classe, enquanto os fascistas o faziam pelo conceito de nação. O próprio Hitler declarou ter tido forte influência de Marx.

O filósofo Nietzsche descreveu bem o socialismo em vista de seus meios: “O socialismo é o visionário irmão mais novo do quase extinto despotismo, do qual quer ser herdeiro; seus esforços, portanto, são reacionários no sentido mais profundo. Pois ele deseja uma plenitude de poder estatal como até hoje somente o despotismo teve, e até mesmo supera o que houve no passado, por aspirar ao aniquilamento formal do indivíduo: o qual ele vê como um luxo injustificado da natureza, que deve aprimorar e transformar num pertinente órgão da comunidade”. E continua: “Por isso ele se prepara secretamente para governos de terror, e empurra a palavra ‘justiça’ como um prego na cabeça das massas semicultas, para despojá-las totalmente de sua compreensão”.

Para Richard Pipes, a idéia básica do marxismo, de que a propriedade privada é um fenômeno histórico transitório, é completamente falsa. A propriedade privada, na verdade, é “uma característica permanente da vida social e, como tal, indestrutível”. A noção marxista de que a natureza humana é infinitamente maleável é igualmente falha. Essa realidade faz com que o regime comunista tenha sempre que apelar para a violência como meio rotineiro de governar. Os comunistas esquecem que a abstração chamada “Estado” é composta por indivíduos que também seguem seus interesses particulares. O comunismo sempre evolui, portanto, para a criação de uma nomenklatura poderosa, uma casta privilegiada que coloca fim ao ideal de igualdade presente no comunismo. Como Pipes explica, “a contradição entre fins e meios está inserida no comunismo e em todo país em que o Estado é o dono dos bens de produção”.

Logo, tanto a liberdade como a igualdade, fins presentes na ideologia comunista, são totalmente inatingíveis através dos meios adotados pelo regime. O comunismo não passa de uma pseudo-religião, dogmático e rígido, e sua meta – a abolição da propriedade privada – leva inevitavelmente à abolição da liberdade. Tal utopia já sacrificou algo como cem milhões de vidas inocentes. Seria loucura adotar os mesmos meios e esperar um fim diferente. O defeito do comunismo não se encontra apenas nos comunistas revolucionários, mas nas próprias premissas do comunismo. São essas que devem ser veementemente abandonadas, tal como foram no caso do nazismo.

20 comentários:

Marcos disse...

Pode parecer algo besta, mas ao ver comunidades de Comunismo/Socialismo no Orkut eu fico extremamente triste e ao mesmo tempo preocupado com a ignorância do brasileiro.Comunidades que possuem pra mais de 70.000 pesoas, enquanto isso comunidades de capitalismo, liberalismo possue no máximo 5.000 pessoas.Através dessas porporções vejo como o brasileiro aprecia as piores coisas do mundo, isso certamente é reflexo do péssimo nível educacional adquirido nas escolas.Não é por menos o que não falta nas escolas são professores gramscistas.
É, parece que a receita dos tentáculos acadêmicos está dando certo.
Viva a ignorância e o atraso!

Abraços.

augusto disse...

Fica a pergunta:

Será q os socialistas/comunistas do Brasil tem idéia do q foi este regime na prática?

Garanto q não.

Aliás quando falam q o socialismo/comunismo como Marx preconozou nunca existiu é só falar pra eles q o capitalismo tb nunca existiu

Adriana disse...

Seu blog é colossal. O Brasil precisa de mentes como a sua se fazendo ouvir pela multidão. Democracia só existe se vier depois da Educação. Afinal, se não há conhecimento das opções e, portanto, da História e da atual conjuntura, não há livre escolha, pois não há sequer opções.
Em um primeiro momento, o bom argumento causa no contrariado reação emocional, agressiva, um reflexo do desespero de não se encontrar forma de rebatê-lo. Entretanto, a médio prazo, como idéias não são "coisas" fáceis de se tirar do pensamento, o contrariado vê progressivamente as novas portas que se definem em seu horizonte ideológico. O que é necessário para que isso aconteça? Ou, melhor: o que é necessário para que se possa tentar salvar o Brasil de suas próprias garras? O Brasil precisa de pessoas que falam com mais razão do que emoção, que não preencham os buracos do seu discurso com "bravatas" e demais clichés distorcidos e preconceituosos.

renato laguna disse...

clap clap clap

Blogildo disse...

O chato é que tais ideais acabam sendo sempre reciclados. O tal do gramscimo acaba revitalizando os ideais comunistas e socialistas e transformando a revolução numa espécie de Fênix. Por mais que seja desmoralizada acaba se reinventando.

Costumo ler as colunas traduzidas do Daniel Pipes no MSM.

C. Mouro disse...

Perfeito, Augusto.
Apenas vou fazer a observação de que aquilo que *existe sim* o que K. Marx se preocupou em descrever como o mundo de horrores "capitalista", sem se preocupar em definir seus principios e meios, preferindo atacar politiqueiramente as alegadas consequências (fins) do tal "capitalismo" em vez de contestar filosoficamente os seus principios - ele, KM, não julgava o que seriam os principios e meios do tal "capitalismo" que ele mesmo inventou, mas sim os supostos resultados a que o tal "capitalismo" levaria. E É AÍ QUE EU FAÇO MINHA OBSERVAÇÃO:

Aquilo que K. Marx afirmava ser o capitalismo - ele usou essa palavra com a conotação da "acumulação de capital" para valer-se da condenação religiosa ao "acúmulo de tesouros na terra" -, *fazendo *presumir uma classe burguesa organizada ideologicamente para a exploração dos assalariados, se realiza exatamente como a descrição de K. Marx, NO SOCIALISMO.
É no socialismo que a propriedade dos meios de produção pertence unicamente a uma classe organizada a ponto de ser hierarquizada. Sendo hegemônica em força (Poder coercitivo, dissuasivo, destrutivo e usurpativo), chegando ao cúmulo de PROÍBIR o DIREITO à PROPRIEDADE a todas as demais possiveis classes. Ou seja, é a CLASSE ESTATAL ORGANIZADA e HIERARQUIZADA que detem o monopólio da FORÇA e do CAPITAL, amparada numa ideologia pretensamente salvadora - Curiosamente, exatamente aquilo que KM acusava ser o tal "capitalismo", afirmando-o ser o status quo. Porém, em verdade, o status quo não se verificava com a fantasia marxista: o transito de classe era razoavelmente aberto, e mesmo a burguesia não se comportava como uma classe corporativa contra outras, pois que o burguês tentava destruir burguês e limitar a liberdade do outro burguês "competindo" para atender o consumidor indistintamente através das trocas espontaneas.
A burguesia não tinha "cabeças no comando", não atendia a qualquer tipo de hierarquia. Um proletário já podia tornar-se um empreendedor ("burguês") independente da anuência dos demais burgueses (atenção para as corporações ou guildas que se opunham à liberdade econômica, em favorecimento dos já estabelecidos).
Ou seja, as idéias então ditas LIBERAIS prosperavam opondo-se ao controle do governo sobre a população para beneficiar os governantes e seus agregados, e não à "classe burguesa"; os favorecimentos eram individuais e não para "a classe". Contrário a isso, no caso do Estado/governo, o beneficio dos integrantes hierarquizados do Estado/governo advém do prejuizo das demais possíveis "classes", pois que o governo?Estado NÃO REALIZA TROCAS COM A POPULÇAÕA, ele efetivamente EXPROPRIA SOB AMEAÇA DE FORÇA, extraindo riqueza da sociedade produtiva para distribuir dentre as hierarquias estatais e os agregados parasitários, que não são buergueses, mas apenas NEOCORTESÃOS.

Enfim, podemos perceber que as idéias ditas liberais visavam a defesa da liberdade, opondo-se às guildas, corporações, monopólios, oligopólios e demais canalhices somente possíveis pelo uso do PODER ESTATAL de coagir, oprimir, destruir e tributar/fiscalizar convenientemente para favorecer os cortesãos e mesmo ao NEOCLERO, corrupto, e a NEONOBREZA igualmente corrupta.

Assim, o que estava sendo ameaçado pelas idéias de liberdade era o Poder do Estado/governo, que seria drasticamente reduzido. Desta forma, a idéia do socialismo - já antes de Marx - visava justificar o Poder da hierarquia governante, para que arbitrasse sobre a população e a explorasse literalmente. Com isso resurge a IDÉIA DA PROIBIÇÃO AO DIREITO DE PROPRIEDADE, em moldes bastantes parecidos com o próprio FEUDALISMO em seus primórdios, onde o governo e seus agregados, ou clero e nobreza, detinham o monopólio da propriedade, sendo os demais da população alijados para tornarem-se SERVOS ou marginais (sentido estrito, não pejorativo).

Ou seja, é nos países socialistas que podemos perceber EXATAMENTE aquilo que K. Marx descreveu fanatasiosamente como o tal "capitalismo" que ele mesmo inventou independente da realidade percebida na época. É no socialismo que a propriedade dos meios de produção (e qualquer outra na prática) é monopólio dos que possuem o Poder - os donos do Poder - que proibem os demais, com ameaça de força, de terem acesso à propriedade.
Essa conversa de "propriedade pública" é uma idiotice; as estatais´pertencem ao governo, são os governantes que arbitram sobre elas e as usam como fonte de propinas e politicagem, pendurando nelas os agregados e militantes.
.
A URSS não era comunista e si socialista. O tal comunismo é uma fantasia impossivel e indesejada, servido apenas como pretexto para todfa sorte de canalhices:
o tal comunismo só se poderia estabelecer DEPOIS que os "comunistas" criassem um "novo homem", solidário, sem ambições, altruísta e lá mais o raio! ou seja os que comandariam a Ditadura do Proletariado criariam o "homem santo", ascético, um verdadeiro S. Francisco. Pois só assim diziam ser possivel estabelecer-se o comunismo: apenas depois de transformar o homem num "novo homem".

...verdadeira idiotice para engabelar imbecis e recalcados ansiosos por uma descupa para o próprio obscurantismo.

Quando falam em comunismo e Cuba, na URSS e etc., na verdade se está ajudando o socialismo.
...quando "comunistas" bvierem com esse papo safado, que então emplantem o tal comunismo, sem Estado/governo e sem qualquer tipo de propriedade privada ...HAHAHAHAH!
...NENHUM DESSES SAFADOS QUEREM ISSO, ELES QUEREM O QUE FOI FEITO NA URSS, CUBA, CHINA, LESTE EUROPEU, CORÉIA DO NORTE E ETC.:
ou seja, os governates e seus agregados fazendo-se senhores absolutos sobre uma população literalmente ESCRAVIZADA! ...são safados! recalcados! invejosos! obscurantistas!
.
Nietzsche na sequência tambem disee que o socialismo só seria possivel através do terror, sobrevivendo por curtos periodos, dada sa sua natureza perversa.

Abraços
C. Mouro

C. Mouro disse...

esqueci o "que":

"...fazendo presumir uma classe burguesa organizada ideologicamente para a exploração dos assalariados, *QUE* se realiza exatamente como a descrição de K. Marx, NO SOCIALISMO."

É no socialismo que a propriedade é um direito restrito aos donos do Poder, que o proíbem às demais possiveis classes ou indivíduos.
É no socialismo que somente os governantes e seus agregados exercem o Poder de propriedade, não o direito, excluindo todos os demais de tal exercicio.

Talvez seja esta a verdade dialética do "bem nascido" e "burguesmente casado" K. Marx, ou do rico industrial F. Engels: a dinamica entre socialismo-capitalismo numa síntese totalitária, perpetuanndo o Poder absoluto de uma classe sobre a população por ela explorada indefinidamente.

Até os impostos sobem indefinidamente enquanto os salarios tendem a subir no livre mercado - lastreados pelo aumento da produção.
Curiosamente K. Marx profetizava que a "exploração" iria cada vez mais oprimir os assalariados até o "apocalipse socialista" - que ele pretendia adiantar. Mas o que vemos´são os impostos que os governos expropriam da populaçaõ aumentarem indefinidamente ....mas infelizmente não haverá um "apocalise lebertário".

O estado faz sua guerra à moda Sun Tzu: os politicos semeiam a disc´´rdia, a cizânia, dentre os inimigos, fazendo com que lutem entre si para que o Estado/governo vença sempre:

É pobre X rico
empregado X patrão
preto X branco
consumidor X comerciante
mulher X homem (até essa intriga fazem!)
natuaral X estrangeiro
e etc.

Sempre escolhem um beneficiario para receber um mesquinho privilégio contra outros...
...COM ISSXO ELES CONSEGUEM DIVIDIR A POPULAÇÃO, JOGAR UNS CONTRA OS OUTROS, de modo que sempre os cretinos privilegiados defenderão o Poder estatal por dele imaginarem se beneficiar.
...E ASSIM, O ESTADO SEMEIA A DISCÓRDIA, O RANCOR, O ÓDIO ENTRE UMA POPULAÇÃO DIVIDIDA ...QUE JAMAIS SE UNIRÁ PARA COMBATER OS VERDADEIROS EXPLORADORES.

...os canalhas não vivem sem os imbecis!
...eles são fáceis de serem manipulados pela propaganda estatal
....ora, os artistas (a "cultura" ...hoho!) são gravemente privilegiados, e demais formadores de opinião também tem suas vantagens... ...daí que jamais se opõem ao Poder estatal que os privilegia, mas apenas a um ou outro ociupante do Poder ...MAS JAMAIS SE OPORÃO AO PODER!

Abraços
C. Mouro

emerson disse...

O Marcos!
Esses caras que põem no orkut que são comunistas são porcaria nenhuma! Só colocam por que acham bonito, duvido que eles encarariam a merda que foi o comunismo!!Isso é coisa de rebelde sem causa, tipo os estudantes "revoltados" da USP!

C. MOuro disse...

Ah! esqueci de falar que para estabelecer o comunismo teria que haver a abundancia plena ...hehehe!

Enfim, comunismo é apenas uma fantasia impossível, injusta (nele o homem que não produz se apropria da produção alheia, independente de mérito) e indesejado. MERO PRETEXTO, mero "fim supremo" para justificar os meios de atingi-lo. Pois o que os "comunistas" desejam mesmo é o Poder, é o socialismo. Alardeiam supostos fins apenas para fazer aceitáveis os meios.

Um exemplo prático:
O IPMF (depois CPMF) foi criado com objetivo de ser por prazo indefinido, permanente mesmo; então alegaram ser com a finalidade de ser aplicado na melhoria da saúde - hospitais, postos e etc.. Ou seja, apenas alardearam um falso fim para constranger críticos: quem o criticasse seria acusado de ser contra a melhoria da saúde (falsidade, falácia). Assim, foi aceito, a povança estúpida acostumou-se e ele tende a ser permanente e NADA, absolutamente nada foi investido a mais em saúde: o que do CPMF é posto na saúde (artificio contabil) é retirado da verba anteriormente a ela dedicada. NADA MUDOU e todos engoliram bovinamente.

Abraços
C. MOuro

Anônimo disse...

O comunismo acabou, a gerra fria acabou, e a reaçada esta com a cabeça nos anos 50 ainda...chamem o Eduargo Gomes!

rodrigo disse...

Fui eu que fiz o último comentário.

augusto disse...

Vc do post acima:
Avise então os esquerdistas, anti-capitalistas e socialistas envergonhados do Brasil que o Muro de Berlim caiu.

Rodrigo Constantino disse...

Para falar que o socialismo acabou é preciso combinar com os milhões de socialistas que ainda sonham com esta ideologia da inveja...

Thiago disse...

De fato tem uns imbecis que ainda acreditam nesse lixo de comunismo.

Já nem perco mais tempo com essa palhaçada.


O que mais me preocupa no momento é que na academia há um movimento keynesiano-esquerdista muito forte, que pregam um poder estatal forte, um estado muito mais ativo entre outras coisas.

Esses sim são um front de batalha sério, porque eles tem envergadura intelectual, são sérios porque não são utópicos e idiotas como comunistas adolescentes de boutique

José Antonio disse...

"O próprio Hitler declarou ter tido forte influência de Marx."

Constantino, talvez .você tenha dito isso como forma de aproximar Hitler do socialismo/marxismo, porém, Hitler repudiava as idéias dos marxistas, que ele associava a judeus imbecis.

Podemos constatar isso por diversas vezes em Mein Kampf, no cap. 2, p. ex., temos:

"...na segunda hipótese, os criadores dessa epidemia coletiva deveriam ter sido espíritos verdadeiramente diabólicos, pois só um cérebro de monstro - e não o de um homem - poderia aceitar o plano de uma organização de tal porte, cujo objetivo final conduzirá à destruição da cultura humana e à ruína do mundo."

Indelectus disse...

Chega a ser patético:

Os papagaios do Reinaldo Azevedo deram agora de repetir as neuras do cidadão."O tal do gramscimo" só está revitalizando a venda de livros do finado autor. Quanta falta de originalidade;
o cara cita que lê "as colunas traduzidas do Daniel Pipes no MSM". Ler o que confirma as próprias crenças é atestado de bur....Deixa prá lá!. Existem milhares de publicações que demonstram que o liberalismo, ou melhor: o retumbante fracasso do Neoliberalismo esta "revitalizando"
o socialismo. Lê direito!Não confunda causa com efeito. É básico.
Olha o outro:
"o homem que não produz se apropria da produção alheia, independente de mérito"
Tem certeza que é do comunismo mesmo de que você está falando?
Eu sempre vi isso aqui. Ou somos comunistas ou seu exemplo é muito fraco.

Alvaro Augusto disse...

Não só o Brasil ignorante continua vivendo o sonho do socialismo utópico. Nesse momento, os norte-americanos correm o sério risco de eleger Hillary Clinton para presidente. E quem é a Sra. Clinton senão uma rematada socialista? Ainda assim, os norte-americanos estão mais interessados em saber quem será o próximo American Idol...

[ ]s

Alvaro Augusto
http://alvaroaugusto.blogspot.com

Zeus disse...

Ô
Alvaro:
Falá sério!!!

Hillary Clinton socialista?

Que é isso! Bateu a fobia do anti-comunismo de novo. Pelo menos
achem os comunistas de verdade.
Arre!! estamos voltando à guerra fria de novo.

Anônimo disse...

"Nenhuma ideologia trouxe tanta desgraça ao mundo como o comunismo, influenciado pelas teorias marxistas."
Pela sua formação esperava algo mais concreto...o comunismo nem existiu em prática e você diz que ele trouxe desgraça a este ponto?faça me um favor...
Agora se for para falar de desgraça, é bem legal ser um mero conservador e dizer que o capitalismo tem solução ou até mesmo funciona, mas na prática, o poder corrompe as pessoas(estou me referindo ao governo), você acredita mesmo que um sistema onde o sucesso de um depende da exploração de outros?
Deve ser porque você é um mero economista e tem sua vida garantida...aliás, comece pensando nos milhões de pessoas que sobrevivem com 1 dólar por dia, triste realidade não?viva ao capitalismo!! :)

Simon! disse...

Reforco o que disse o comentario imediatamente acima do meu. Como se pode aprovar um sistema socio-economico em que 1/5 da populacao mundial vive com menos de 1 dollar por dia? Eh facil falar aqui, nos que temos computadores, longe da desgraca e da miseria alheia.

Eu nao sou comunista, mas muito menos capitalista (passa do ponto do ridiculo defender que esta certo condenar tamanha parcela da humanidade a desgraca e ainda falar que sou a favor da democracia), mas o seu texto, minhas desculpas, foi absolutamente decepcionante. Nada vi ali escrito sobre comunismo, nem sobre as ideias marxistas a nao ser termos jogados no meio de um enxame de palavras claramente parciais e pejorativas.

Pra quem veio aqui ler o texto para conseguir afinal uma discussao, uma proposta de debate com pessoas sensatas que tem consciencia de que os milhares de estudos de Marx sao sim documentos de valor, ler esse texto foi inutil. Nao vi nenhuma discussao real sobre a ideologia comunista, foi tudo "Stalin, Lenin, Stalin". E entao me vem com uma citacao de nietzche no final... voce afinal JA LEU nietzche? Serio mesmo, sem brincadeira, voce ja viu o que Nietzche diz sobre liberdade, forca, democracia? Que a democracia eh coisa dos fracos para controlar os mais fortes? Tome cuidado..., citar um cara (nada contra Nietzche, mas aqui esta contraditorio) que diz que a democracia eh um mecanismo dos fracos e que a liberdade consiste no poder de realizar sua propria vontade em detrimento do direito alheio NAO EH UMA BOA IDEIA pra falar mal de totalitarismo. deixo claro que nao estou discordadndo que totalitarismo eh uma forma de governo repugnante e que deve ser banida. critico puramente o seu texto. citar um grande filosofo descontextualizando o a sua filosofia com alguns excertos eh uma pessima tecnica pra um livre pensador.

Gostei bastante do posicionamento do C. Mouro, pois tratou de discutir de fato a questao filosofica, social e economica. Entretanto, eu peco uma discussao e nao uma cruzada ideologica contra o comunismo.

Em suma,
aos que apoiam um sistema economico que deixa na miseria 1/5 da humanidade: repensem e aceitem discutir ideias. e aos que apoiam um comunismo utopico em que todos sao bonzinhos e solidarios uns com os outros: se todos fossem assim, o proprio capitalismo bastaria, ja que seriamos todos santos.

O meu voto eh por uma discussao de livres pensadores, como diz a descricao do blog aqui (infelizmente nao tive a oportunidade de ler nada de fato livre).

E aos que nao se disponham a discutir, tudo bem. Continuem na sua saga cega e, sem ofensas, absolutamente estupida em defesa de um ideal inutil enquanto milhoes morrem de fome e sao mortos pela guerra etnica. E se conseguem dizer que nao sao culpados por isso, que nos nao somos culpados por estas desgracas, meus parabens, sao uns imbecis (com toda a ofensa que cabe a palavra), acabaram de cobrir-se com o manto genocida da indiferenca.