quinta-feira, junho 28, 2007

Impunidade


Rodrigo Constantino

"A complacência de hoje é paga com a angústia de amanhã; e se ela persiste, com o sangue de depois de amanhã." (Suzanne Labin)

O caso dos delinqüentes de classe média que agrediram uma empregada doméstica na madrugada carioca gerou, com toda razão, muita revolta na população. As absurdas declarações, tanto dos agressores como do pai de um deles foram chocantes. Pensaram que se tratava de uma prostituta, e por isso espancaram a coitada, como se bater em prostituta fosse algo normal e aceitável. E o pai alegou que "crianças" que estudam e trabalham não deveriam ir para a cadeia. A sensação de que o crime ficará impune é angustiante, como sempre. Nos remete ao lamentável caso do índio queimado enquanto dormia por assassinos que logo estavam soltos, de volta à sociedade. A impunidade é, sem dúvida alguma, um dos principais problemas do país, se não o principal.

Muitos automaticamente afirmam que os ricos não são presos no Brasil. É verdade, mas os pobres também não são! Falar que há muito mais pobre que rico nas cadeias é confundir correlação com causalidade. Ora, há mais pobre que rico no país! O fato triste é que existe uma enorme impunidade, tanto para ricos como para pobres. Por acaso os invasores de propriedade privada do MST estão na cadeia? Os pobres que assaltam nos locais já conhecidos por todos no Rio de Janeiro estão presos? Os corruptos do "mensalão" estão presos? Quem dos 40 membros da quadrilha montada pelo PT está na cadeia? Seja rico ou seja pobre, o fato é que tem muito criminoso solto no Brasil, pois o império da lei simplesmente não existe.

O caso do espancamento da doméstica deveria servir para a reflexão de muitos "intelectuais" e políticos que, imbuídos do ranço marxista, definem como critério de criminalidade a conta bancária das pessoas, chamando todo pobre de potencial assassino. Colocando como principal causa da criminalidade a miséria, e não a impunidade, estão tratando todo favelado como potencial bandido, ignorando que a ampla maioria das favelas é feita por gente honesta. A lição que a doméstica espancada tem para dar a esses "intelectuais", como os membros da ONG Viva Rio, é muito valiosa. Uma mulher humilde, mas que nem por isso ignora os valores corretos da vida. O caráter das pessoas não é medido pelo saldo no banco, e esses ricos "intelectuais" saberiam disso se olhassem com sinceridade para um espelho!

Aqueles que culpam a pobreza pela criminalidade ignoram que vários criminosos são de classe média ou mesmo alta. Em Brasília, por exemplo, existe talvez a maior concentração de ladrões por metro quadrado no país, especialmente mais perto do Planalto. São pessoas ricas, que gastam fortunas para serem eleitas, mas que roubam como ninguém. O próprio Marcola, líder do PCC, não era um miserável. Os indivíduos reagem a incentivos, sem falar que certas figuras são "frutos podres" mesmo, algo que infelizmente sempre irá existir, por inúmeras causas diferentes. Para lidar com bandidos é preciso a lei, a punição. Passar a mão na cabeça de marmanjos delinqüentes não é a solução. Isso vale para esses garotos de classe média, assim como vale para os mais pobres. A esquerda parece desejar a punição somente para os primeiros, sendo inexplicavelmente complacente com os últimos. Se alguém de classe média ou alta pratica um ato criminoso, os esquerdistas querem punição severa, com razão. Mas são os primeiros a inocentar todos os bandidos mais pobres, como se a pobreza justificasse a criminalidade.

O liberalismo defende o império da lei, o que significa isonomia de tratamento, igualdade perante as leis. Não importa se o criminoso é alto ou baixo, gordo ou magro, negro ou branco, crente ou ateu, homem ou mulher, rico ou pobre, ele deverá ser punido pelo ato criminoso em si, como qualquer outro seria. Quem enxerga o mundo pelas lentes da parcialidade e preconceito são os esquerdistas, que disseminam o ódio de classes, raças, sexo etc. Defendem cotas raciais, afirmam que ricos exploram pobres, enfim, vivem de colocar uns contra os outros em falsas dicotomias, ignorando justamente a igualdade perante a lei, um dos mais importantes valores da sociedade.

Se o Brasil pretende ser um país civilizado e avançado, precisa entender a relevância do império da lei. A impunidade é o maior convite ao crime. Privilégio vem de privi leges, ou leis privadas, feitas para beneficiar algum grupo sempre em detrimento de outro. Isso é o oposto do conceito objetivo de justiça, presente no liberalismo, que defende o fim de todos os privilégios. A justiça é cega, ou seja, ela não deve enxergar a cor, a "raça", o sexo e, sim!, também a renda. Não deveria importar o saldo da conta bancária, apenas o ato cometido. A revolta contra a impunidade dos "filhinhos de papai" é absolutamente justificável e correta. O que não dá para entender é a complacência com os crimes dos políticos de esquerda e do MST, por exemplo. O uso de dois pesos e duas medidas é contraditório ao conceito de justiça. O próprio termo "justiça social" é contrário ao conceito de justiça. Vamos dar um basta à impunidade!

9 comentários:

Efe Celeti disse...

Corretissimo... No brasil aceita-se alguns crimes e outros não...

Tá na hora de repensar discursos falho como o de Direitos Humanos que a esquerda adora pregar quando se prende fora da lei pobre, mas não comenta nada quando se prende fora da lei rico.

É muita hipocrisia mesmo...

GUIMARÃES BARROS disse...

PARABÉNS POR DEFENDER UM POSICIONAMENTO CORRETO E OBJETIVO, O QUAL DEVERIA SER SEGUIDO PELOS JURISTAS, A IMPRENSA E SOBRETUDO A SOCIEDADE, NO TOCANTE À VIOLÊNCIA NO PAÍS.

P.S: CARO RODRIGO, GOSTARIA DE SABER COMO OBTER LIVROS A RESPEITO DO LIBERALISMO? MORO EM SALVADOR-BA E É MUITO DIFÍCIL ENCONTRAR NAS LIVRARIAS BIBLIOGRAFIAS RELACIONADAS AO PENSAMENTO LIBERAL. SOU ESTUDANTE DE FILOSOFIA DA UCSAL E JÁ DEU PRA PERCEBER QUE O PENSAMENTO MARXISTA É HEGEMÔNICO NAS UNIVERSIDADES NÃO SÓ DA BAHIA, E SIM DO BRASIL. NÃO HÁ LIVROS ABORDANDO O PENSAMENTO LIBERAL EM NENHUMA UNIVERSIDADE AQUI, TALVEZ POR NÃO INTERESSAR AOS POLÍTICOS CORRUPTOS.
BEM, CÔNSCIO DE SUA COLABORAÇÃO, AGRADEÇO DESDE JÁ!

C. Mouro disse...

Essa conversa de que só os pobres vão presos, fazendo a intriga de que estes são discriminados, apontando para justifiocar tal idiotice o fato de ser a grande maioria dos presidiarios pobres, considerando-se que mesmo o bandido rico é pobre, é uma estupidez. Pois por essa mesma "lógica" sob medida para imbecis, deveriamos dizer que os homens são discriminados, e que só homens vão presos (seriam os homens também coitadinhos?), afinal, a esmagadora maioria dos presidiarios é homem ..aliás, o termo politicamente correto é "APENADO".

Ou seja, dizem safadamente que a causa da criminalidade é a pobreza e a falta de escola - estes tipos esquerdinhas são uns desavergonhados - e apontam como melhor prova disso o fato de ser de pobres a maioria dos presidiarios, e também de indivíduos de pouca escolaridade....

Ou seja, por essa mesma "lógica" sob medida para imbecis se deveria crer que ser do sexo masculino também é causa da criminalidade.

Esses salafrários esquecem que há uma maioria de pobres com pouca escolaridade mas que não praticam crimes;como também há criminosos de classe média e até alta, e com muito estudo, até pós graduados. Também há que se saber que muitos dos abastados indivíduos não praticam diretamente os crimes, pois mandam realiza-los.

Ou seja, os abastados tendem a cometer menos crimes ou de outros tipos, se é que proporcionalmente os cometem menos, apenas pelo fato das penas lhes serem mais dolorosas. Ou seja, habituados a certo conforto, temem mais a prisão. Assim, o que inibe o crime é a pena, é o justo castigo que revida a agressão. Não é escola nem faculdade, é a pena; não é o nível de renda, é a pena.

Assim sendo, a pena cumpre seu primeiro papel: a justiça, ou retribuição; também cumpre seu segundo: a dissuasão, que salva muitos inocentes; e por fim o afastamento do convívio, que previne a reincidência do meliante ou facínora profissional que não se intimida.

Essa conversa de pena educativa é uma FRAUDE!
...pena não educa e nem deve ser esta a sua causa. A justiça não é para reeducar facinoras, como se estes tivessem algum mérito ou crédito contra a sociedade pagadora de impostos.
A função da justiça não é reeducar bandidos irrecuperáveis, mas sim retribuir-lhes, dissuadi-los e afasta-los do convívio com vítimas em potencial. Ou seja, a reincidência deveria determinar maior rigor e mesmo a eliminação definitiva da possibilidade de convivio com vitimas em potencial. Seja pela pena de morte ou por isolamento definitivo e trabalho para custear a estadia até o fim.

Abraços
C. Mouro

C. Mouro disse...

...

1 - RETRIBUIR
2 - INTIMIDAR / DISSUADIR
3 - ISOLAR

Abs
C. Mouro

Zeus disse...

Uma contribuição a relação da enorme Impunidade:
. Os fraudadores e grileiros de terras estão na cadeia?
. Os crimes de colarinho branco são punidos?
. A privataria da era FHC foi punida?
. A compra de votos da reeleição foi punida?

O problema desse Blog é que ele tem como mote a difusão do liberalismo.
É travestido de um humanismo liberal que é puro verniz.
Os patrocinadores desse Blog, não deixam de transparecer que atingir o governo Lula é a meta.
Os ataques ao comunismo e ao socialismo são pano de fundo para arrebanhar seguidores. Já que o liberalismo é um retumbante fracasso; resta fuçar no cadáver do
comunismo. Esse blogue é uma farsa!!!
Esse Constantino não escreve aqui.

Felippe e Allan disse...

De dois simples e ignorantes graduandos à um Economista formado pela PUC-RJ, com MBA de Finanças no IBMEC, que trabalha no mercado financeiro desde 1997, como analista de empresas e depois gestor de recursos.
Em primeito lugar, somos solidários ao que "zeus" disse, pois assim percebemos que nem todos os visitantes desse blog são hipócritas (no real sentido da palavra).
Conseguinte, tomamos a liberdade, com todo o respeito, de selecionar trechos de seu artigo para descontruí-los criticamente.


"Ora, há mais pobre que rico no país! O fato triste é que existe uma enorme impunidade, tanto para ricos como para pobres. Por acaso os invasores de propriedade privada do MST estão na cadeia?"

Primeiramente, o que essa frase quer dizer? "Por acaso os invasores de propriedade privada do MST estão na cadeia?" Há um caso de ambigüidade nesta frase: A propriedade privada do MST? Se fosse assim, seria Movimento dos Latifundiários, o a UDR (União dos Democratas Ruralistas)!
Em segundo lugar, já que a impunidade é isônoma para ricos e pobres, me explique porque pobres que roubam para se alimentar (não que eles precisem roubar, porque, segundo seus argumentos, os patrões os pagam muito bem) são presos sem julgamento, sofrem humilhações, não podem pagar bons advogados, enquanto políticos e, principalmente, os empresários que não são mencionados em hipótese alguma, desviam, na íntegra. o dinheiro que deveria estar sendo investido nas políticas públicas, salvando ou melhorando a qualidade de vida de milhões de pessoas.

"Passar a mão na cabeça de marmanjos delinqüentes não é a solução. Isso vale para esses garotos de classe média, assim como vale para os mais pobres."

Concordamos que a justiça tem que ser igual para todos, mas isso no Brasil não ocorre, de jeito nenhum! Passar a mão na cabeça de pobres? Só se for para dar um tapa!

"Defendem cotas raciais, afirmam que ricos exploram pobres enfim, vivem de colocar uns contra os outros em falsas dicotomias, ignorando justamente a igualdade perante a lei, um dos mais importantes valores da sociedade."

Dê-me pelo menos um exemplo de uma sociedade que tenha adotado o seu idolatrado liberalismo e com isso contruído uma justiça igual para todos. Apenas um.

"Falsas dicotomias"?
Em que mundo você vive?

"Colocar uns contra os outros"?
Você é um daqueles camaradas que dizem que comunista come criancinha? Típico da ditadura financiada pelo capitalismo.

"O que não dá para entender é a complacência com os crimes dos políticos de esquerda e do MST, por exemplo."

Realmente os militantes do Movimento dos Sem Terra são criminosos, afinal, eles invadem as "poucas terras" dos latifundiários, que são maiores que alguns países da Europa. Leia e veja a suposta complacência: http://pt.wikipedia.org/wiki/Massacre_de_Eldorado_dos_Caraj%C3%A1s


A justiça do seu liberlismo igualitário, fraternal e libertador (conhece esses ideais?) não considera a gravidade dos crimes e sim o quanto você pode pagar por um advogado.
Veja a impunidade que você diz existir nesse vídeo
http://br.youtube.com/watch?v=hzScJ1gn724

Rodrigo Constantino disse...

Quanta estupidez!

Não dá nem vontade de responder...

Gente que defende INVASÃO de propriedade privada é dose! Gente que ainda consegue defender os criminosos do MST, vixe!

I rest my case.

Felippe e Allan disse...

Gente que defende a exploração do Primeiro Mundo frente aos países periféricos, acha que os EUA é um país democrático e acha que pobre é invejoso também é dose! Você acha que não li seu livro? Lá que tem muita estupidez. Mas pelo menos a capa é bonita! Como estava plastificado e na promoção a 10 reais, acabei julgando o livro pela capa. Depois a gente conversa sobre a suas outras pérolas, entre elas a de chamar Hilter de comunista...Ora, faça-me o favor!
Ah, outra coisa, propriedade privada comprada ou apropriada através de grilagens?

P.s.:Viu os links?

Morgana disse...

Realmente,este pessoal que ataca o liberalismo igualitário,fraternal e libertador,deve ser muito acomodado.É claro,deve ser muito bom viver à sombra de um Estado,sem desfios pessoais,sem ambições próprias.
Sinceramente,não entendo estes descansados.Ou eles participam do Estado,fazem parte da "nomenklatura",ou eles não conseguem entender o que é liberdade de ação,pensamento e fé!!!E também,desconhecem a palavrinha "isonomia"...E,por fim,eles não devem é ter coragem para encarar desafios individuais.
Serão vítimas da evolução global.
Parabéns pelo artigo,um abraço,
Wanly