quarta-feira, julho 08, 2009

PAC: Programa de Aumento do Currículo



O mais novo escândalo no governo é o crime de "falsificação ideológica" da ministra Dilma, candidata a presidente em 2010, que teria adulterado seu currículo na Plataforma Lattes, do CNPq. A ministra teria apelado para o PAC, Programa de Aumento do Currículo, acrescentendo um mestrado inexistente, assim como um "doutorando" na Unicamp que não passa de lorota. Muitos brasileiros ficaram chocados. Afinal, trata-se de uma pessoa que quer assumir a Presidência da República, e começa mentindo sobre suas qualificações.

A ministra nega, seguindo a moda de Brasília, que tem no próprio presidente Lula seu maior ícone, já que "o cara" nunca sabe de nada. O problema é que uma senha, assim como o CPF, são necessários para mudar os dados em questão. Se não foi a ministra que mexeu nas informações, então ela é igualmente incapaz de assumir o governo, pois não consegue nem controlar seus dados pessoais.

Mas o que eu queria comentar mesmo é que a revolta de alguns brasileiros não passa de uma "afetação moralista burguesa". Afinal, para essa corja no poder, os fins sempre justificaram quaisquer meios. Ora, a ministra Dilma tem uma ficha criminal tão extensa, que uma simples "falsidade ideológica" não será o maior problema. A guerrilheira Estela, codinome da ministra nos tempos em que ela lutava para implantar no país uma ditadura como a cubana, fez coisas muito pior, inclusive planejar assaltos. E ela jamais se arrependeu publicamente de seu passado, seu verdadeiro currículo. Pelo contrário: ela tem orgulho dele!

Portanto, vamos deixar essa coisa de revolta contra mentiras tolas para os "moralistas", pois os petistas não têm a mais vaga noção do que isso significa. Para os petistas, existe somente uma meta, e qualquer coisa que os ajude a alcançá-la está valendo. Essa meta é o poder!

7 comentários:

fejuncor disse...

Rsrsr olhem o último post de Malu Gaspar em seu blog no site da Exame, que coisa de gente desonesta. Estória para inglês ver... ou melhor pra brasileiro ver.

“Traído pela ambição”

‘Depois do post sobre a pós-graduação que o neto de José Sarney diz ter feito, mas não fez, recebi várias dicas de personagens que também ostentam títulos que não têm. Um deles é o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Seu currículo na página do Itamaraty na internet diz que o chanceler tem doutorado em ciência política pela London School of Economics (LSE). Em artigos para a imprensa, o ministro também usa o título "doutor em ciência política pela LSE". Mas a informação que obtive da própria escola, por email, é que Amorim nunca concluiu seu doutorado. Em resposta ao meu pedido de informações, a LSE enviou um link para a transcrição de uma palestra feita por Amorim em 2006 na universidade. Em Londres, ele passou boa parte de sua fala se justificando: "nunca terminei meu doutorado, provavelmente por causa do meu excesso de ambição à época. O tempo da academia e da burocracia não coincidiram, então fui transferido para Londres antes que pudesse terminá-lo. Estranho, né? Por que será que Amorim diz aos brazucas que é doutor se a história, como ele contou para os ingleses, é bem diferente?"


É pra melhor usar o:

Sabe com quem voce está falando?

Jurema Cappelletti disse...

Quanto mais surgem as mentiras, a desonestidade, a falta de escrúpulos dessa gente, mais à vontade eles se sentem, porque vai tudo se tornando tão banal que, daqui a mais um pouco, poucos ainda ficarão furiosos ou chocados.

Segundo os psicólogos, o caráter se forma até os sete aos de idade. Sendo assim, não podemos nem dizer que 'eles' tenham se contaminado com a patifaria de seus colegas. É é falta de caráter, mesmo.

Hess disse...

ó Constantino,
eu sugiro q vc, como jornalista, faça uma pesquisa nos discursos q D Dilma vem proferindo nesses últimos anos e verifique uma característica q eu suspeito nela - a de uma enroladeira de primeira!!!
Tive o desprazer de assistir pessoalmente a um deles e, na época, nem dei muita importância, mas hoje parece q vale a pena investigar e divulgar.
Me avise!!...

fejuncor disse...

Lançaram até moda agora:

"o CURRICULÊITOR INSUFLÊITOR tabajara"

KKKKKKKKKKK

Não perca tempo!!! Faça logo seu pedido na Casa Civil o no Ministério das Relações Exteriores!

shuashusauah

rsrsrs

blog do reginaldo leitao disse...

...não concordamos com esse tipo de informação imprecisa, ou qualquer procedimento, ato ou fato que não coincidam com a verdade....contudo vejo a nestas postagens a forte necessidade de generalizar de forma preconceituosa o externamento de posições e ponto de vista pessoal, indiscriminados, que nada contribuem para um debate equilibrado para evolução dos processos....o equívoco, hoje, está presente naqueles que se posicionam ou à direita ou à esquerda, sob o prisma do blogueiro....não esqueçam que pessoas podem ser petistas ou democráticas, mas continuam seres que merecem o respeito.....

Everardo disse...

Seria grave se o Celso Amorim declarasse que tem um título de doutorado sem o ter. Se ele tem nível de doutorado (doutorando) é outra coisa. De todo modo, isso é irrelevante em relaçao ao seu trabalho. O Presidente não tem nem o segundo grau mas deverá começar a colecionar títulos honoríficos em grau de doutor em importantes universidades, em breve, logo que deixe o governo.

Fusca disse...

Corajosa e pertinente análise, Rodrigo! Parabéns!