terça-feira, dezembro 11, 2012

O humanista que amava Stalin


25 comentários:

Pedro Júnior disse...

Rodrigo Constantino, olha só a carta aberta da ANL - Associação Nacional de Livrarias sobre os livros digitais. Veja o absurdo:

CARTA ABERTA DA ANL SOBRE O LIVRO DIGITAL NO BRASIL
Diante de novos desafios, assim como diante da chegada iminente do
maior varejista mundial do comércio eletrônico, bem como da paulatina
porém inexorável difusão da leitura sobre suportes digitais, a ANL –
Associação Nacional de Livrarias apresenta sua posição, acompanhada de sugestões para todos os integrantes da cadeia produtiva do livro.
Diferentemente do que ocorre no campo dos meios de comunicação, em
que existem leis que disciplinam o mercado, regulando e limitando a
participação de empresas multinacionais, no mercado livreiro e editorial
brasileiro predomina quase que exclusivamente a livre iniciativa, com um
claro déficit de proteção para a produção nacional. Quem tem poder
maior de compra dita as regras, sem levar em conta a necessidade de
preservação da bibliodiversidade, nem a importância de manter o vigor
dos distintos canais de comercialização. Enquanto se mantém há várias
décadas a praxe de se cobrar o mesmo preço para jornais e revistas numa
mesma região geográfica, independente do tipo de ponto de venda, o que
torna viável a existência de uma vasta rede de distribuição para estes
produtos, até hoje não se chegou a um acordo semelhante para a
comercialização de livros.
Sofremos hoje com baixíssimos índices de leitura e pequena presença de
livrarias espalhadas pelo país. Segundo dados do IBGE, menos de um
terço dos municípios brasileiros possui ao menos uma livraria. Este
número, que por si é preocupante, vem diminuindo ao longo dos anos,
tendo havido aumento da concentração nas regiões Sul e Sudeste e maior
peso de grandes empresas varejistas.
Preocupada com essas questões, e mirando-se na experiência acumulada
pela indústria cinematográfica que soube preservar, apesar de todas as
turbulências e transformações recentes, sua cadeia de distribuição, a ANL,
principal entidade em defesa dos livreiros brasileiros, através de sua
diretoria, se manifesta e compartilha as seguintes orientações: • Recomendamos estabelecer um intervalo de 120 dias entre o
lançamento dos livros impressos no formato de papel no mercado
brasileiro e sua liberação nas plataformas digitais.
• Solicitamos que o desconto para revenda do livro digital para todas
as livrarias e para as demais plataformas seja uniforme,
possibilitando igualdade de condições para todos os canais de
comercialização nesse novo suporte de leitura.
• Sugerimos que a diferença de preço a menor do livro digital para o
formato impresso seja no máximo igual a 30%.
• Na hipótese de a editora ou distribuidora vender diretamente ao
consumidor final, o desconto nos livros digitais não deverá exceder
5%.
Portanto, com a preocupação da difusão da cultura e do livro, a ANL
almeja o crescimento e fortalecimento da estrutura do mercado que
refletirá diretamente no avanço da cultura e da educação no país.
Ednilson Xavier
Presidente

Fonte: http://anl.org.br/web/pdf/carta_aberta_ANL_sobre_o_livro_digital.pdf

André disse...

É incrível como dizer o óbvio nesse país atiça virulência.Tenho amigos arquitetos que não gostam da obra de Niemeyer.Mas não discuto isso porque pouco entendo(com embasamento também se pode criticar TUDO nesse mundo pode ser criticado).Mas ele morreu defendendo Stalin( um dos maiores genocidas da história humana) e defendia regimes miseráveis enquanto vivia no luxo capitalista e era tido como um defensor da justiça social.Só quero que alguém apareça dizendo que isso é moral ou intelectualmente justificado.Só isso.

Marcelo A. Soares disse...

Parabéns e obrigado.

Rogério Araujo disse...

Concordo integralmente. Também percebo a reação raivosa dos esquerdopatas, a exemplo dos comentários no blog de Leonardo Boff, que em recente artigo em resposta ao Reinaldo Azevedo afirmou que o comunismo de Niemeyer era doce, jocoso e leve. Impressiona como existem na America Latina e em especial, no Brasil defensores da utopia socialista. Lamentável.

André Rama disse...

Neste post, o Luciano Ayan diz que Niemeyer era um ícone do humanismo, e ataca o humanismo de forma frontal

http://lucianoayan.com/2012/12/12/por-que-niemeyer-era-um-icone-do-humanismo-ao-contrario-do-que-diz-constantino/

Anônimo disse...

Excelente vídeo. Saiba que centenas de milhares tb pensam isso.

Leo SKHM disse...

"Por fim, espero que Niemeyer chame logo seu camarada Fidel Castro para um bate-papo onde ele estiver, e que lá seja tão “paradisíaco” como Cuba é para os cubanos comuns. Talvez isso o faça finalmente mudar de ideologia..."

Quem defende o comunismo deveria enfrentar em vida pelo menos um pouco do sofrimento que enfrentam os cubanos comuns e tantas outras vítimas do comunismo enfrentaram em outras partes do mundo. Talvez assim a hipocrisia do CHEC acabasse. Eu digo talvez porque alguns casos de desonestidade intelectual parecem que não têm jeito.

Rodrigo, Parabéns e obrigado.

Euclides de Almeida Silva Filho disse...

Em meio a esse debate, eu só queria dizer que não é todo comunista que defende Stálin. Muito pelo contrário, há muito socialista/comunista que condena fortemente a atitude desses ditadores, ou melhor, são contra a ditadura.

Por mais que se argumente que a organização social comunista leve à ditadura dos moldes stalinistas, não é correto identificar como defensor de Stálin e Fidel Castro qualquer um que se declare comunista.

razumikhin disse...

Niemeyer devia achar que Stalin era fôfo..

André disse...

Euclides,como há socialistas que são contra ditaduras sendo que socialismo pode definição é a ditadura do proletariado?

André disse...

Já passou da hora desse Blog se hospedar no site da Veja.

razumikhin disse...

A verdade é que, além de Niemeyer, muita gente acha que Stalin era fôfo..

Theo disse...

Parabéns pelo vídeo. O politicamente correto e a patrulha ideológica estão acabando com nossa inteligência e limitando nossa liberdade de pensar e de se expressar.

razumikhin disse...

E, o que dizer de R.COnstantino, o liberal que odeia a religião?

Anônimo disse...

Rodrigo,

Sendo arquiteto me sinto confortavelmente à vontade para dizer que o Oscar não é esse gênio que alardeiam em altos brados. Teve sim momentos de genialidade em suas primeiras obras, sobretudo na Pampulha, onde antecipou estratégias que hoje fazem dos holandeses (os arquitetos mais inventivos do mundo na atualidade) nomes de referência em qualquer Escola de Arquitetura. Após Brasília, contudo, o arquiteto passou a viver de sua fama e começou a se repetir cada vez mais, produzindo muitas obras lastimáveis em todos os aspectos.
O homem Niemeyer era um ignorante e apenas o que pode se dizer sobre ele para além do ofício. Repetiu o mesmo discurso humanista de araque por toda a vida (e quem conhece esse discurso sabe que não é coisa séria) e viveu de mãos dadas com o poder, conseguindo contratos sem licitação a partir da falácia do notório saber – ele até mesmo se manifestou por diversas ser contrário à realização de concursos de arquitetura. Felizmente, ao que parece, deve ter sido o último a viver desse tipo de regalia por aqui. Parabéns pelo artigo e obrigado por ter a macheza de dizer o que estava entalado na garganta de muitos de nós.
Edmar Ferreira Jr

Hely disse...


Rodrigo, parabéns pelo artigo e pelo vídeo.

Como já dizia Martin Luther King: "O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons".


Ainda bem que temos algumas vozes que representam os milhões de bons brasileiros calados.


Mas eu fiquei surpreendido mesmo foi com duas entrevistas recentes do esquerdista e sociólogo Chico de Oliveira no Roda Viva e no "É Notícia" da Rede TV. Ele diz que Lula é oportunista e sem caráter. Elogia o govêrno de FHC e fala que o de Lula não produziu nada de bom. Afirma que o papel da esquerda não é o poder, mas domar os excessos do capitalismo...enfim, acho que existem comunistas honestos...rsrsrsrs.


Hely Heck Jr

raphael disse...

Rodrigo, só tenho que parabenizá-lo. Excelente artigo e excelente vídeo. Ter pessoas que pensam como vc é um alento num país onde o povo parece estar hipnotizado pelo PT e seus governantes. Continue nos brindando com esses textos excepcionais. Obrigado.

Anônimo disse...


Caro Rodrigo Constantino:

Gostaria que o senhor avisasse ao Instituto Millenium, que a Carta Capital dessa vez resolveu atacar toda a direita diretamente, através de calúnias, associando pessoas como você ao integralismo, fascismo, golpismo ,"udenismo", e ente outras mentiras, afirmam que nós da chamada "Nova Direita" queremos ressucitar a ARENA.

Chegam a afirmar que somos... saudosos do regime de 1964. Mais uma vez nos caluniam, mas ainda assim se colocam como vítimas e nós como agressores, em uma inversão psicótica.

E vejam o cúmulo da desinformação em flagrante má-fé na matéria, que alias, é a de capa:

"O símbolo de Millenium é um círculo de sigmas, a letra grega da bandeira integralista, aquela turma do Brasil que apoiou os nazistas."

http://en.wikipedia.org/wiki/Sigma (não vejo Sigma algum, em nenhuma das suas formas no símbolo do Instituto Millenium!)

A edição de 12 de Dezembro da Carta Capital, maldosamente associou o os "M"s do símbolo Instituto Millenium para desinformar o leitor e nos colocarem como nazistas e fascistas. É provavel que eles aleguem que foi um "engano", mas seria o engano mais conveniente a propaganda suja da esquerda que eu já vi.

Sei que é difícil pedir para o senhor Rodrigo Constantino, comprar uma revista pela qual você já paga com seus impostos, afinal são empresas ligadas ao governo que sustentam essa desinformação, mas você e o pessoal do Instituto Millenium precisam entrar na justiça contra essa propaganda visívelmente caluniosa (você também é citado Rodrigo Constantino, é citado várias vezes como um dos "nazistas, golpistas e fascistas", seu novo livro foi deliberadamente distorcido em seu significado, associando você a corruptos das privatizações)

Sei que você vai precisar tomar 100 engovs, mas pegue suas luvas, compre a mais nova edição da Carta Capital e leia-a, para podermos lutar contra o nível de baixeza e desonestidade em todos os níveis que a propaganda esquerdista desse tablóide chegou.

Quando você terminar de ler você vai sentir vontade de vomitar.

O Pravda da Era Stalinista da URSS ficaria orgulhoso com essa edição da Carta Capital contra a Nova Direita e o Instituto Millenium.

Atenciosamente:

Lincoln Ricardo Baptista

lincolnbaptista@hotmail.com

Anônimo disse...

Você poderia vender o seu livro como e-book.

Anônimo disse...

Os blogs de esquerda elevam o comunista e o arquiteto. Os de direita rebaixam ambos. Não parece que algo infantil está no ar??

Anônimo disse...

A crítica tem por único objetivo o de revelar os princípios que fundamentam um sistema ou uma obra. Se os sistemas ou obras partem de premissas inconsistentes e insustentáveis, a crítica não tem outra alternativa a não ser a de deixar isso bem explicito e claro, para que cada um exerça o juízo que achar que deve a respeito. Não há, portanto, nada de infantil da parte de quem se propõe a realizar a crítica única e exclusivamente nesses termos. A esquerda, infelizmente, não conhece a crítica nesses termos. O que ela tem de melhor, a Dialética do Esclarecimento, é por demais tendencioso e maniqueísta para ser considerado como crítica legítima.

Edmar Ferreira Jr

Anônimo disse...

"antecipou estratégias que hoje fazem dos holandeses (os arquitetos mais inventivos do mundo na atualidade) nomes de referência em qualquer Escola de Arquitetura. "

Isso me lembra Orson Welles com Cidadão Kane e sua influência no cinema moderno.

Claro que Welles fez filmes chatos. Eu pelo menos já vi um ou outro. Mas ter feito, pela primeira vez, algo que vai influenciar decisivamente seus sucessores, deveria ser lembrado em primeiro lugar. Como os americanos fazem com seu cineasta. Ou não?

Anônimo disse...

Ops: por favor, falei sobre nosso Welles apenas olhando para sua contribuição à arquitetura, antes que alguém grite q ele era comunista. Sobre isso já concordamos q é deplorável!

Anônimo disse...

Sou seu mais novo fã (embora bem mais velho que você - sou de 53). Adorei seu artigo e já comprei seu livro, Privatize Já. Parabéns por tudo e sucesso !

Anônimo disse...

Maravilhoso Rodrigo. Força. Vá em frente.

Veja outro texto sobre o intocável Oscar.

Pesquise: a falsa consagração e o partidão

Abraços,