sábado, outubro 21, 2006

O Pão Francês



Rodrigo Constantino

“The more the state 'plans' the more difficult planning becomes for the individual.” (Hayek)

Chegamos ao fundo do poço! Agora sim. Achava que o fundo tinha sido atingido com a provável reeleição de Lula, presidente do “mensalão” cujos mais próximos aliados foram envolvidos em escabrosos escândalos de corrupção bem diante de seus olhos. Na verdade, achei que o fundo era mesmo ter eleito alguém como Lula para presidente pela primeira vez. Mas aí ainda vale a desculpa esfarrapada de que o camarada de Fidel Castro não havia sido testado. Só que uma segunda vez, mesmo depois de tudo que aconteceu, não tem desculpa alguma. Entretanto, não era esse o fundo do poço ainda, para a minha surpresa. O diabo está nos detalhes. As pequenas ações são sintomáticas e talvez demonstrem melhor a mentalidade de um povo. Portanto, o fundo do poço é mesmo o governo controlar como o pão francês será vendido!

Por conta de uma portaria do Inmetro, o produto passa a ser vendido por quilo e não por unidade. A pesagem é obrigatória, e todas as padarias tiveram que se adaptar. A medida é tão absurda, mas tão absurda, que choca a reação complacente dos consumidores. Creio que como sapos escaldados, estão acostumados a ter o “papai” Estado decidindo tudo, quem sabe até a cor da cueca que será usada no dia. Os cidadãos são tratados como mentecaptos pelo governo, que interfere nos mínimos detalhes da esfera individual. E como súditos também, na hora de deixar quase a metade do que ganham para os cofres públicos. O conceito de liberdade individual é algo que passou bem longe do Brasil, ainda que vários patetas insistam em xingar (sic) o país de “neoliberal”.

Um governo que pretende decidir até mesmo como o pãozinho nosso de cada dia será vendido é um governo que não tem mais o que fazer. Chegaram até mesmo a criar lei sobre engates nos carros! Os privilégios dos burocratas e políticos já é algo que indigna os pagadores de impostos. O fato de Brasília ter a maior renda per capita do país, de longe, mostra que a desigualdade material é amplificada pela concentração de poder no Estado, enquanto muitos ainda acreditam que justamente ele deveria ter o papel de eliminar as desigualdades. Mais fácil crer em gnomos e papai noel. Mas mesmo assim, partindo da premissa que já somos explorados e transferimos renda para os governantes, seria melhor que eles fossem pagos para não fazer nada! Pois quando resolvem fazer, como no caso dessas interferências patéticas na esfera individual, só sai porcaria.

O governo deve cuidar basicamente da segurança das pessoas, da manutenção das leis impessoais, garantindo a liberdade dos indivíduos. As trocas devem ser voluntárias, e cada um sabe o que é melhor para si, devendo também arcar com a responsabilidade por suas ações. Tal seria um mundo livre, onde cada um poderia escolher para si o que considera melhor, e teria que obter os produtos e serviços demandados através de interações voluntárias com outros indivíduos, ficando protegidos pelo Estado de roubo e quebras de contratos. Estamos muito longe disso! No Brasil, o Estado se arroga o direito de tratar o povo feito idiota, e pelo próprio discurso do presidente Lula, vemos a analogia com a figura paterna, como se cidadãos fossem filhos dos governantes. Eu tenho pai, ele felizmente nada se parece com Lula, e ele tampouco decide por mim como devo comprar o pão francês. A compra do pãozinho, assim como de todos os outros produtos, é uma troca voluntária entre duas partes. Elas deveriam ser livres para escolher os detalhes da operação. Aqui nesse país não. Aqui o Estado decide por todos, nos mínimos detalhes. A liberdade foi para o saco!

Alguns ainda podem argumentar que a medida não foi tão autoritária assim, pois antes foi realizada uma consulta popular. Mas ora, ditadura da maioria ainda é ditadura! Imagina se todos tivessem que beber a mesma cerveja que a maioria escolhesse, ou tivessem que comprar o mesmo modelo de celular preferido pela maioria. Isso não é liberdade de escolha. Liberdade é você poder negociar livremente, comprar algo que somente você deseja se alguém estiver disposto a vender. Cada consumidor deveria ser livre para comprar seu pão como desejasse, e cada padaria deveria ter a liberdade de vendê-lo como quisesse, seja por peso, aparência, unidade etc. Se o cliente não está satisfeito, vota com o bolso, escolhendo outro estabelecimento. A concorrência é a maior garantia de que os interesses dos consumidores serão protegidos. Vendedores só sobrevivem se seus clientes estiverem satisfeitos. No livre mercado, são os consumidores que mandam! Algo totalmente diferente, mais eficiente e mais justo que um modelo onde os “clarividentes” burocratas irão decidir por todos e obrigar um mesmo padrão para o mercado.

Enfim, a reeleição de Lula é a grande evidência de que o país afundou mesmo, ignorando questões éticas e vendendo a alma ao diabo por um trocado a mais. Mas o verdadeiro sintoma de que chegamos ao fundo do poço está nas pequenas coisas que demonstram a mentalidade do povo. E a mentalidade do povo brasileiro é totalmente anti-capitalista e anti-liberal. Caramba! Parece brincadeira, e de muito mal gosto, mas o governo realmente chegou ao ponto de definir como um simples pãozinho tem que ser vendido!

22 comentários:

Anônimo disse...

ALÔ! REPÓRTERES INVESTIGATIVOS

ALÔ! MPF!

ALÔ! PF.

Abrindo um bingo em MT (e dono de outro na Grande Florianópolis/SC) Mauri não esconde o que sabe das recentes investidas de Lula e do PT sobre os bingos. Relata que meses atrás houve uma reunião em Caxias do Sul/RS, convocada por figurão do PT, entre donos de bingos e....o próprio Lula.
Na ocasião Lula foi duro e direto ao assunto: "quero R$30milhões para a campanha ou mando fechar tudo essa porra".
Responderam que a grana era demais, que não dava...
A ameaça foi cumprida. Os bingos fecharam no RS.

Também relata que houve a mesma chantagem com os bingos de SP. Ali Lula pediu 20milhões. De dólares. MAIS 4milhões de dólares por mês.

Lula avisou que a coisa funcionaria assim em SP:
- Os bingos seriam fechados;
- Poderiam funcionar com liminares;
- deu o NOME DO JUIZ onde as liminares deveriam ser pedidas.
...é assim que os bingos estão funcionando em SP? Investiguem.

embat disse...

eu me lembro que aqui em pernambuco esta lei foi aprovada a alguns anos atras

existem entao, lugares no brasil onde estamos mais atrasados nas questoes da liberdade individual

Anônimo disse...

isso é o melhor que nosso legislativo pode nos dar.. obrigação para pesar os pãezinhos..

Guilherme Roesler disse...

Constantino, és uma voz lúcida neste marasmo de hipocrisia. Parabens.Abraços. Alias, de uma visitinha e meu blog, aposto que irá gostar. Tem Sponner, Rothbard... e outros doidos a mais.

Thiago Rachid disse...

Não publique esse comentário, mas no último período do texto tem um erro. Onde você empregou "MAL", deveria ter usado "MAU".

Abç

Santa disse...

Caro Rodrigo,

Este é mais um aviso do que um comentário. Peço desculpas se não visito meus blogs preferidos na medida que gostaria. É que infelizmente o problema da minha mão direita retrocedeu. Voltei às sessões de fisioterapia (+ 15). Consigo visitar um a três blogs por dia e tenho que interromper. Isso não impede que leia os blogs. Por outra, só não fechei o blog da santa ainda é porque minha indignação é maior do que a dor física. Bjs. E um Bom domingo!

*excelente artigo!

Anônimo disse...

Verifique os interesses dos moageiros nesta história do pessoal intermediário do trigo e do mensalão que burocratas governamentais podem estar levando.O preço é mais alto do que vendido por unidade.

bianco disse...

É preciso sim, vencer as eleições.

Não esqueçam o caso do Afif, que fez uma campanha chocha e desanimada e perdeu por apenas 4% para aquele retardado mental.

Vamos à luta. Uma banana pras pesquisas. Se pesquisa ganhasse eleição, Paulo Souto seria governador da Bahia no 1.o Turno e Germano Rigotto seria 1.o colocado no RS. Ambos nem passaram pelo 1.o Turno...

REGRAS PARA VIRAR O JOGO ou
COMO CHEGAR AOS SEM-INTERNET

1 - Comecem pelos familiares. Conversem com cada um. Garantam esses votos.

2 – TELEFONE. Liguem pros parentes: tios, tias primos, avós, etc. Conquistem estes votos. Vale chantagem emocional.

3 - Abordem os amigos(as). Insistam em convencer os céticos. Expliquem o perigo que o Brasil corre com Lula.
a) perigo do confisco de dinheiro dos poupadores. É real. Comprovem.
http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=1784
http://www.camara.gov.br/sileg/MostrarIntegra.asp?CodTeor=327088
b) perigo do controle total da imprensa. Tudo será apenas propaganda esquerdista.
c) perigo do controle total da internet. Idem (ver China).
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2006/01/060125_googlecensurachinacg.shtml
d) perigo do fim da liberdade individual, sob pretextos edificantes, devido a b) e c).;
e) perigo do aborto até os noves meses de gestação;
www.olavodecarvalho.org/textos/mensagem_esperancaevida.html
http://www.youtube.com/watch?v=NCS7o3LV0qg&mode=related&search=
f) perigo da liberação total das drogas (Lula já liberou parcialmente desde 10/10);
http://www.claudiohumberto.com.br/ (ver na data de 10-10-06)
g) perigo da destruição do agronegócio, com escassez de alimentos, alta sucessiva dos preços e volta da hiperinflação e o dinheiro não valendo mais nada;
h) perigo da ditadura sindical-comunista e da eternização do PT no poder, como Chávez na Venezuela.
http://www.youtube.com/watch?v=0pX_i-f-VMs&mode=related&search=

4 – Aos que são empregados, convençam seus colegas a não votar em Lula.
a) funcionários públicos: mostrem que com Lula teremos impostos e juros altos (a ‘bolsa-banqueiro’) => menos investimentos => menos impostos => menor orçamento público => menos chances de reajustes salariais (ou reajustes mixurucas).
b) empregados de empresas privadas: expliquem aos colegas que com Lula teremos impostos e juros altos (a ‘bolsa-banqueiro’) e dólar baixo => menos exportação => menos vendas => menos investimentos => MUITOS PERDERÃO O EMPREGO.
Com dólar muito baixo => a agricultura vai quebrar (recebe poucos reais pela venda) => menor produção de alimentos => escassez => os preços vão subir toda hora => volta da inflação => o dinheiro (já pouco) não valerá mais nada.
DESEMPREGO + ESCASSEZ + INFLAÇÃO ALTA + DINHEIRO PERDENDO VALOR => com bolsa-família de R$ 60 (by Lula).

Digam: enquanto isso Lulinha......R$ 15milhões!


5 – Falem com sua empregada doméstica. Peçam para ela (e a família dela) para não votar em Lula. Digam a ela que se Lula for eleito a situação econômica vai piorar e provavelmente ela será demitida. Perguntem a ela se prefere viver com o salário de R$500 ; 700 ; 1.000 ou com os R$ 60 do bolsa-família de Lula.

6 – Aos que tiverem empresas (escritórios, comércio, indústrias, fazendas, etc) reúna e fale a seus empregados da NECESSIDADE de eles (e famílias) não votarem em Lula.
Digam a eles que se Lula for eleito a situação econômica vai piorar e provavelmente você SERÁ OBRIGADO A DEMITIR MUITOS DELES PARA NÃO FECHAR. Pergunte a eles se preferem o emprego que têm ou risco real de viver com os R$ 60 do bolsa-família de Lula.

Anônimo disse...

Já era amigo. Vem de novo o Lula e o que é pior: vou ter que pedir meus pãezinhos por peso e não mais por unidade!!!

É o fim do mundo! Vou vender minha casa em Angra e virar um monje budista!

fernando chiocca disse...

Um amigo meu deve estar contente. Ele é dono da maior fabrica desse tipo de balança no Brasil...


Eu não vejo a hora de fazerem uma consulta popular para decidirem qual a cor de carro preferida da maioria. É que eu prefiro carro preto e acho q essa cor ganha facil!

Anônimo disse...

E o povo consagra Lula apesar de choramingos "bloguisticos" de fracassados
Pedala Rodrigo

Henrique disse...

Caro Rodrigo,
Acho que as vezes você confunde a sua opinão sobre as coisas com a realidade. Esse seu papinho de Hayek e de toda Escola Austríaca já afundou. "Votar com o bolso". A quanto tempo eu não lia ou ouvia isso.
O que é isso? "Mas o verdadeiro sintoma de que chegamos ao fundo do poço está nas pequenas coisas que demonstram a mentalidade do povo" Mais um imbecil se dizendo uma mente pródiga, enquanto o povo se afunda na ignorância. Acho que isso já passou, não é não Rodrigo...

Vinicius disse...

"Alguns ainda podem argumentar que a medida não foi tão autoritária assim, pois antes foi realizada uma consulta popular. Mas ora, ditadura da maioria ainda é ditadura!"

Pois é meu caro Rodrigo, essa "ditadura da maioria" é um absurdo. Fica aqui uma sugestão para que escrevas um artigo pregando a dissolução do congresso nacional, pois lá essas práticas ditatoriais sempre acabam prevalescendo.

ps: Teu blog até que é divertido, mas esse estilo conservador lunático já está ficando um pouco saturado. Diogo Mainardi e Olavo de Carvalho são bem mais engraçados nesse quesito.

MORTE AOS COMEDORES DE CRIANCINHAS! :D

Anônimo disse...

Fora o Metro!
Fora o Litro!

Fora o ohms!

Gustavo disse...

Nova concepção pra você, Vinicius; se a sua letargia mental permitir: "Democracy must be something more than two wolves and a sheep voting on what to have for dinner." – James Bovard (1994)

Anônimo disse...

Putz. Esse blog só tem merda escrita e um bando de imbecis achando que são intelectuais por lerem essas asneiras.

Rodrigo Constantino disse...

Não é espantosa a capacidade de argumentação dessa turma? hehehe

"The argument from intimidation is a confession of intellectual impotence." (Ayn Rand)

Anônimo disse...

Além de tudo, esta nova determinação do INMETRO é inconstitucional, vez que veiculada por meio de simples portaria do órgão. O artigo 5º, inciso II, da Constituição Federal garante que "ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei."

Portaria não é lei. Não passa de simples despacho do chefe de alguma repartição pública para ordenar os trabalhos internos. Seus efeitos não podem transbordar os limites da repartição e atingir os direitos dos cidadãos e das empresas. Não é lícito, portanto, ao INMETRO determinar ao padeiro que ele venda o pão francês desta ou daquela forma.

Somente a lei, em sentido formal e material, poderia veicular tal determinação. Ainda que houvesse lei nesse sentido, poder-se-ia questionar sua constitucionalidade, em razão da manifesta violação aos princípios da livre iniciativa e da razoabilidade. A violação a estes dois princípios, por fim, foram muito bem demonstradas no artigo em comento.

Parabéns pelo blog!!!

C. Mouro disse...

Por mais que se queira negar a democracia é sim dois lobos e um cordeiro votando sobre o jantar: a maioria vence democraticamente.
A democracia é amoral e por tal anti ética. Porém louvável apenas por estabelecer a lierdade de expressão para os concorrentes, mas neste caso ela pode proporcionar oportunidade para a propaganda da violência; por exemplo a propaganda de um Hitler conclamando à perseguição aos judeus ou qualquer outro socialista (ou "comunista") conclamando a perseguição aos empresários ou a proibição da livre iniciativa em favor do Pder absoluto dos governantes e seus agregados. Neste emaranhado a única coisa que salva a idéia de democracia é o om senso que a viola. Contudo a viola tendenciosamente, em conformidade com os interesses dos que ocupam o Poder político: proibe-se corretamente a propaganda nazista (socialismo nacionalista) e racista (antagonismo de raças) ao mesmo tempo que se permite a propaganda bolchevista (socialismo também) e o antagonismo de "classes" (categorias econômicas excetuada a rica classe estatal).
Enfim, tudo é relativo na tal democracia confundida ardilosamente com liberdade, quando apenas um método para escolha entre pretensos ditadores, que se comportam como num jogo eterno onde a anca faz as regras em benefício de alguns jogadores, um mero jogo onde a idéia é só permitir o ingresso de jogadores propfissionais que vivem de tal jogo, onde quem paga o prêmio aos vencedores é a platéia estúpida que se diverte com tal jogo entre camaradas que, perdendo, nada perdem ou menos ganham pois é a platéia que perde sempre, ganhe quem ganhar.
.
A única coisa louvável na democracia é apenas o fato de ela permitr alguma liberdade para jogar, apesar de CRIAR MUITAS DIFICULDADES (TALVEZ INTRANSPONÍVEIS) PARA O INGRESSO DOS QUE PRETENDAM COBRAR DA BANCA E NÃO DA PLATÉIA.
A BANCA É O PRÓPRIO ESTADO HIERARQUIZADO, QUE NÃO PERMITIRÁ QUE LHE CORTEM OS PRIVILEGIOS DE BANCA.
.
"Não é da natureza do Poder a redução do Poder"
.
Abs
C. Mouro

Anônimo disse...

"The argument from intimidation is a confession of intellectual impotence." (Ayn Rand)

Essa citação (é só isso que você sabe fazer) combina com os seus textos.

C. Mouro disse...

MAGNIFICO MAINARDI:

THOREAU CONTRA O LULISMO (28.10, 11h20 D. Casa Grande)
por Diogo Mainardi, na VEJA

"Thoreau era um abolicionista americano. Ele rejeitava a escravidão EMBORA A MAIORIA DOS ELEITORES EM SEU TEMPO A APOIASSE. Em seu principal ensaio, Sobre o Dever da Desobediência Civil, ele argumentou que HÁ ALGO SUPERIOR À VONTADE DA MAIORIA: É A MORAL DE CADA UM. "MINHA ÚNICA OBRIGAÇÃO É FAZER EM TODOS OS MOMENTOS O QUE CONSIDERO CERTO.""
.
"(...) Thoreau disse: o eleitor é um cavalo. Ele disse também: o eleitor é um cachorro. Eu repito, citando Thoreau: o eleitor é um cavalo, o eleitor é um cachorro,"
.
"Thoreau defendeu o direito de repudiar a autoridade do governo. Eu sou o Thoreau dos pobres. O Thoreau bananeiro. Repudio a autoridade de Lula. Lula pode ser o seu presidente. Meu ele não é. Meu senso de moralidade é superior ao dele. Lula é o chefe de uma junta de golpistas. Referendá-lo significa referendar o golpismo. Cassei sua candidatura um ano e meio atrás. Unilateralmente. Ele que fique com seus doleiros, com seus laranjas, com seus lobistas, com seus assessores, com seus jornalistas, com seus mensaleiros, com seus filhos, com seus gorilas, com seus bicheiros."
.
Clap! clap! clap! clap!...

Grande Mainardi!
Abs
C. Mouro

Anônimo disse...

Rodrigo, copiei/colei teu texto neste fórum aqui, num tópico sobre a lei que obriga que as bananas sejam vendidas a quilo. Aqui:
http://www.mbbforum.com/mbb/viewtopic.php?p=926231#926231


Se você não quiser eu deleto mas achei que tinha tudo a ver. É o govêrno querendo regular tudo. E nem é o do PT. Ô povo de curral!Voltarei aqui pra ver tua resposta. Obrigado.