quarta-feira, outubro 25, 2006

Socialismo e Nazismo



Rodrigo Constantino

"Que significa ainda a propriedade e que significam as rendas? Para que precisamos nós socializar os bancos e as fábricas? Nós socializamos os homens." (Adolf Hitler, citado por Hermann Rauschning, Hitler m´a dit, Coopération, Paris 1939, pg 218-219)

Ensinada desde os tempos de Lênin, muitos socialistas usam a tática de acusar os opositores daquilo que eles mesmos são ou fazem. Tudo que for contrário ao socialismo, vira assim “nazismo”, ainda que o nacional-socialismo tenha inúmeras semelhanças com o próprio socialismo. Tanto o nazismo como o marxismo compartilharam o desejo de remodelar a humanidade. Marx defendia a “alteração dos homens em grande escala” como necessária. Hitler pregou “a vontade de recriar a humanidade”. Qualquer pesquisa séria irá concluir que nazistas e socialistas não eram, na prática e no ideal coletivista, tão diferentes assim.

Não obstante, para os socialistas, aquele que não for socialista é automaticamente um “nazista”, como se ambos fossem grandes opostos. Assim, os liberais, que sempre condenaram tanto uma forma de coletivismo como a outra, e foram alvos de perseguição dos dois regimes, acabam sendo rotulados de “nazistas” pelos socialistas, incapazes de argumentar além dos tolos rótulos de “extrema-esquerda” e “extrema-direita”. Tal postura insensata coloca, na cabeça dos socialistas, uma “direitista” como Margaret Thatcher mais próxima ideologicamente de um Hitler que este de Stalin, ainda que Thatcher tenha lutado para defender as liberdades individuais e reduzir o poder do Estado, enquanto Hitler e Stalin foram na linha oposta. O fim da propriedade privada de facto foi um objetivo perseguido tanto pelo nazismo como pelo socialismo, que depositaram no Estado o poder total. O Liberalismo, em sua defesa pela liberdade individual cujo pilar básico é o direito de propriedade privada, é radicalmente oposto tanto ao nazismo como ao socialismo, que em muitos aspectos parecem irmãos de sangue.

A conexão ideológica entre socialismo marxista e nacional-socialismo não é fruto de fantasia, e Hitler mesmo leu Marx atentamente quando vivia em Munique, tendo enaltecido depois sua influência no nazismo. Para os nazistas, os grupos eram as raças; para os marxistas, eram as classes. Para os nazistas, o conflito era o darwinismo social; para os marxistas, a luta de classes. Para os nazistas, os vitoriosos predestinados eram os arianos; para os marxistas, o proletariado. Além da justificativa direta para o conflito, a ideologia de luta entre grupos desencadeia uma tendência perversa a dividir as pessoas em parte do grupo e excluídos, tratando estes como menos que humanos. O extermínio dessa “escória” passa a ser desejável seja para o paraíso dos proletários ou da “raça” superior. Os individualistas, entrave para ambas ideologias coletivistas, acabam num campo de concentração de Auchwitz ou num Gulag da Sibéria, fazendo pouca diferença na prática.

A acusação de que a Alemanha nazista era uma forma de capitalismo não se sustenta com um mínimo de reflexão. O “argumento” usado para tal acusação é de que os meios de produção estavam em mãos privadas na Alemanha. Mas como Mises demonstrou, isso era verdade somente nas aparências. A propriedade era privada de jure, mas era totalmente estatal de facto, da mesma forma que na União Soviética. O governo não só nomeava dirigentes de empresas como decidia o que seria produzido, em qual quantidade, por qual método, e para quem seria vendido, assim como os preços exercidos. Para quem tem um mínimo de conhecimento sobre os pilares de uma sociedade capitalista-liberal, não é difícil entender que o nazismo é o oposto deste modelo. Para os nazistas, assim como para os socialistas, é o “bem-comum” que importa, transformando indivíduos de carne e osso em simples meios sacrificáveis para tal objetivo.

Existem, na verdade, vários outros pontos que podemos listar para mostrar que o nazismo e o socialismo são muito parecidos, e não opostos como tantos acreditam. O fato de comunistas terem entrado em guerra com nazistas nada diz que invalide tal tese, posto que comunistas brigaram sempre entre si também, e irmãos brigam uns com outros, ainda mais por poder. Apesar do Liberalismo se opor com veemência a ambos os regimes, os socialistas adoram repetir, como autômatos, que liberais são parecidos com nazistas, apenas porque associam erradamente nazismo a capitalismo. Se ao menos soubessem como é o próprio socialismo que tanto se assemelha ao nazismo!

30 comentários:

embat disse...

os vermelhinhos quando lerem esse artigo (se terminarem) vao te encher de comentarios "elogiosos"

mt bom, espero q pelo menos uma alma vermelha encontre a luz lendo esse artigo

Breno Paraiba disse...

Verdade absoluta

Jorge Maia disse...

Prezado Rodrigo

Eventualmente leio artigos teus. Em que pese teu radicalismo anti-esquerdista, é sempre bom ter contato com economistas liberais da linha de Hayek e Mises, embora evidentemente eu não esteja entre eles.

Entretanto, comparar o nazismo com qualquer outra coisa é ir um pouco além. O Luis Weis recentemente sintetizou bem o perigo deste tipo de argumentação (e ele cita tanto o PSDB quanto o PT):

"Agora, usar nazismo para lá e para cá (...) é baratear, vulgarizar, "cotidianizar", o mais monstruoso regime de que se tem notícia. É diluir o seu caráter único na história, incomparavelmente hediondo.

(...) com certas palavras não se brincam. Os termos nazismo e nazistas só podem ser invocados em contextos compatíveis com os horrores que lhe são indissociáveis. De outro modo, é um ato de deseducação política."

Acrescentaria também que é um desserviço a toda comunidade judaica. Banalizar essa palavra, num certo sentido, é também banalizar o Holocausto.

Rodrigo Constantino disse...

Jorge Maia,

Honestamente, não vejo onde o Nazismo, terrível sem dúvida, foi muito pior que o socialismo. Na URSS morreram mais de 20 milhões, na China de Mao uns 60 milhões. Os números são assustadores. Na Camboja, 2 milhões, algo como 1/3 da população, foram dizimados. E por aí vai.

Socialismo e Nazismo, ambos parecidos, ambos monstruosos. O Liberalismo é o oposto desses dois regimes genocidas.

Abraços

O Direitista disse...

Talvez o Jorge Maia não saiba, mas o tal do "prá lá e pra cá" é justamente o erro a que Rodrigo Constantino se refere. O nazismo e o socialismo não estão em lados opostos (lá e cá), mas no mesmo lado. Ambos são primos ideológicos, esquerdistas os dois. Não é à toa que nazismo significa "nacional-socialismo". A principal diferença entre as duas ideologias é que o nazismo é nacionalista e o comunismo/socialismo é internacionalista (lembro aqui do famoso "trabalhadores do mundo, uni-vos" marxista).

Ademais, não há um argumento sequer questionando a tese de que nazismo e socialismo são ideologias muito próximas. Dizer que se trata de banalização de conceitos não resolve o problema, mesmo porque não é verdade: trata-se apenas de dar nome aos bois.

Jorge Maia disse...

Rodrigo, é verdade, milhões morreram sob Stalin, Mao e Pol Pot.

Entretanto, a historiografia Ocidental concorda, o fenômeno nazista foi único. Houveram massacres maiores na história da Humanidade, mas nenhum com as características do perpetrado pelo NSDAP (partido nazista alemão) que, por sinal, era visceralmente anticomunista.

A propósito, sugiro a quem se interessar o livro "Hitler: um perfil do Poder" do Ian Kershaw, autor também de uma portentosa biografia do próprio. Enxuto e muito esclarecedor.

Abraços

Anônimo disse...

O Jorge maia tem a "lógica" das mentes esquerdistas:
se o nazismo (Hitler) se opunha ao bolchevismo, então são opostos. Ou seja, partidos inimigos (no caso nazi bolche nem tanto, pois que mais discurso que prática) em disputa significam coisas opostas ou essencialmente diferentes.
...E PELA MESMA " LÓGICA", SE O COMANDO VERMELHO É ADVERSÁRIO DO TERCEIRO COMANDO, O Jorge Maia deve também dizer que um é a favor da polícia, ou pelo menos que um não é tão criminoso nem tão traficante quanto o outro.
...francamente, há coisas demasiado lamentáveis nas pretensas lógicas.
.
Obs.: o inimigo do meu inimigo não é meu amigo por se-lo.
Abs
C. Mouro

Ulisses Fonseca disse...

texto de Nietzsche pertinente a essa discussão. Em "Humano Demasiado Humano" n 473 9Tradução Rubens Rodrigues Torres Filho:

"O socialismo em vista de seus meios. - O socialismo é o fantasioso irmão mais jovem do quase decrépito despotismo,do qual quer herdar;suas aspirações são,portanto, no sentido maisprofundo reacionárias. Pois ele deseja uma plenitude de poder estatal como só a teve alguma vez o despotismo,e até mesmo supera todo o passado por aspirar o aniquilamento formal do indivíduo: o qual lhe aparece como um injustificado luxo da natureza e deve ser transformado e melhoradopor ele em um orgão da comunidade adequado aos seus fins...
(...) Mas mesmo essa herança não bastaria para seus fins,ele precisaria da mais servil submissãode todos os cidadãos ao estado incondicionado, como nunca existiu algo igual;e como nem sequer pode contar mais com a piedade religiosa para com o estado,só pode ter esperança de existência,aqui e ali,por tempos curtos, através do extremo terrorismo. Por isso prepara-se em surdina para dominar pelo pavor e inculca nas massas semicultas a palavra "justiça" como um prego na cabeça,para despojá-las totalmente de seu entendimento e criar nelas,para o mau jogo que devem jogar, uma boa consciência."

Ulisses Fonseca disse...

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=300097&tid=2495229448267299335&start=1

Ibis Itiberê Salgado Luzia disse...

Existem muito mais semelhanças entre nazismo e socialismo. Na verdade os dois eram a mesma coisa. A única coisa que fez os nazistas tentarem se disassociar da imagem de comunistas foi o fato destes terem arruinado a economia alemã após a primeira guerra quando 1 dólar chegou a valer mais de um trilhão de marcos.
Nazistas e comunistas usavam amplamente a propaganda como arma de manipulação da opinião popular. Tanto um como o outro se acusavam mutuamente de atrocidades e inverdades. Quando a guerra terminou ficou apenas Stalin e a KGB com liberdade total para disseminar a sua propaganda anti-nazista, inclusive insuflando dados a respeito do holocausto para que ninguém tivesse a menor dúvida de que o grande mau da humanidade foi o nazismo, deixando de lado os mais de 20 milhões de camponezes mortos pelo regime de Lênin anos antes da guerra.
Existem inúmeras evidências que provam que os nazistas eram socialistas enrustidos.
As falas de Hitler:

http://pt.wikiquote.org/wiki/Adolf_Hitler

Não sou apenas o vencedor do marxismo, sou seu realizador. Aprendi muito com o marxismo e não pretendo escondê-lo. O que despertou interesse nos marxistas e me forneceu ensinamentos foram seus métodos. Eu, simplesmente, levei a sério o que essas mentes de pequenos comerciantes e secretárias haviam vislumbrado timidamente. Todo o nacional-socialismo lá está contido. Veja bem: os grêmios operários de ginástica, as células empreendedoras, os desfiles monumentais, os folhetos de propaganda redigidos em linguagem de fácil compreensão pelas massas. Esses novos métodos de luta política foram praticamente inventados pelos marxistas. Eu só precisei me apoderar deles e desenvolvê-los para conseguir assim os instrumentos de que necessitávamos."
- Fonte: "Hitler m'a dit" (1939)
"Eu aprendi muito com o Marxismo, como não hesito em admitir. A diferença entre eles e eu é que eu tenho posto em prática o que esses 'revolucionários teóricos' têm começado timidamente. Eu tive apenas de concluir logicamente que a Social-Democracia falhou repetidamente devido à sua tentativa de realizar a evolução dentro da estrutura democrática. O Nacional-Socialismo é o que o Marxismo poderia ter sido se ele tivesse quebrado suas ligações absurdas e artificiais com a ordem democrática."
- Fonte: "The Ominous Parallels" (1982)
"O nacional-socialismo é um socialismo em devir", que não acaba jamais, porque seu ideal se desloca sem cessar."
- Fonte: "Hitler m'a dit" (1939)
"Nós socializamos os homens."
- Fonte: "Hitler m'a dit" (1939)
"Há mais do que nos une ao Bolshevismo do que nos separa dele. Há, acima de tudo, um sentimento genuinamente revolucionário, que está vivo em todo o lugar na Rússia. Eu sempre considerei essa circunstância, e dei ordens para que ex-Comunistas sejam admitidos no Partido imediatamente. A pequena burguesia Social-Democrata e os sindicalistas nunca serão um Nacional-Socialista, mas o Comunista sempre será."
- Fonte: "The Ominous Parallels" (1982)
"Nós somos socialistas, nós somos inimigos do atual sistema econômico capitalista para a exploração dos economicamente fracos, com seus salários injustos, com sua indecorosa avaliação do ser humano de acordo com a riqueza e a propriedade em vez de sua responsabilidade e desempenho, e nós estamos todos determinados a destruir esse sistema sob todas as condições."
- Primeiro de Maio de 1927

Economicamente nazismo era socialismo. Como mostra este texto do instituto Von Mises:

http://www.mises.org/story/1937

But what specifically established de facto socialism in Nazi Germany was the introduction of price and wage controls in 1936. These were imposed in response to the inflation of the money supply carried out by the regime from the time of its coming to power in early 1933. The Nazi regime inflated the money supply as the means of financing the vast increase in government spending required by its programs of public works, subsidies, and rearmament. The price and wage controls were imposed in response to the rise in prices that began to result from the inflation.

Todas essas semelhanças, na verdade, não são meras coincidências pontuais. Elas são fatos inegáveis de que nazistas e socialistas compartilhavam os mesmos princípios, ideais, métodos de governo e finalmente as mesmas consequências trágicas. O socialismo na União Soviética e na China de Mao, no Cambodja e em outros lugares produziu genocídeos em massa que deixam em muito o nazismo comendo poeira.
Sim, mas porquê se fala tanto do nazismo e se esquece o socialismo? Porquê a mídia criou uma paranóia histérica sobre o nazismo e deixou completamente de lado o socialismo?
Primeiramente, do ponto de vista histórico, somente recentemente foram aberto os antes ultra-secretos arquivos da KGB. Quando esses arquivos foram abertos uma verdadeira história de genocídeo, terror e tragédia jamais imaginados foram descobertos. O teor desses fatos históricos tão negros e tão desconhecidos da comunidade internacional, dada a sua importância, foram reunidos e compilado num livro chamado "O livro negro do comunismo" escrito por socialistas para que não sobrasse a menor dúvida sobre a legitimidade dos dados ali presentes (R$ 79 no Submarino)

http://www.submarino.com.br/books_searchresults.asp?Query=ProductPage&ProdTypeId=1&WhichForm=frmSearchHomePage

O livro negro do comunismo nos mostra uma face muito diferente daquela divulgada nas escolas, universidades e sindicatos aos descuidados cidadãos. E um dado aterrador: o comunismo matou mais do que todas as guerras, pragas e catástrofes no século passado. E todas essas mortes não foram provocadas por "erros" ou "acidentes". Elas foram cirurgicamente planejadas com finalidade políticas específicas.
Outra fonte de esclarecimento são as séries de vídeos " A história sangrenta do comunismo" infelizmente indisponível ainda em Português. Podem ser encontrados e baixados do Google Vídeo:

Parte 1 - http://video.google.com/videoplay?docid=8249035553873309392&q=The+bloody+history+of+communism
Parte 2 - http://video.google.com/videoplay?docid=-6990636097246645692&q=The+bloody+history+of+communism
Parte 3 - http://video.google.com/videoplay?docid=-2530696121976040859&q=The+bloody+history+of+communism

Uma pergunta super relevante: porquê estes fatos sequer são abordados pela mídia ou por nossos "chamados" intelectuais, formadores de opinião e professores de história e matérias humanas?
Porquê a grande maioria ( se não todos) são formados com base em textos socialistas. A base da sua formação é socialista. Eles mal sabem definir o que é direita. São educados desde o início de sua vida universitária e profissional sobre os mesmos clichês: ódio à sociedade burguesa, ao capital, ao consumismo, à religião, apego ao materialismo darwinista, apego à ética em detrimento da moral, ódio aos EUA, etc.
Ademais não pega nada bem reconhecer que durante décadas ensinaram e doutrinaram gerações em cima de uma ideologia genocida. Seria o reconhecimento cabal da culpa e da traição para com a sociedade que pagou impostos escorchantes durantes décadas para que estes Srs ensinassem o ódio da sociedade aos pagadores de impostos (nós).
Reconhecer que o nazismo é genocidade e é de esquerda abala as estruturas do socialismo. Mas reconhecer que o socialismo é um irmão genocida do nazismo abala ainda mais. É uma dose insuportável de verdade que essa gente não quer e não vai deixar as pessoas entenderem tão cedo.

Freeman disse...

Ótimo artigo Rodrigo! Sua maneira de escrever é bem mais direta ao ponto que a minha, porém, somos ambos tributários do Professor Von Mises!

Abraço!

Ronaldo HP disse...

Através do Google, pesquisando sobre o livro do Giannetti, "O valor do amanhã", tive o prazer de encontrar seu blog e os artigos que li. Já está nos meus favoritos!!

ana disse...

patético.

escreverei mais tarde, quando tiver tempo, uma resposta completa e argumentativa.
no entanto, devo já deixar minha opinião de quão generalista é o seu artigo.
os dois ideais definitivamente não se cruzam e não são sinônimos.

uma coisa é stalin, outra é marx.

é triste ver tal opinião distorcida vindo de um intelectual de tão boa faculdade.

Anônimo disse...

Pois é, "ana". Uma coisa é Stalin, outra é Marx. Outra é Mao, outra é Fidel, outra é Pol Pot, outra é Lênin. Essas moscas são todas diferentes. Mas a rede de esgoto é uma só. E tudo começou naquela mesma bosta barbuda.

Santa Coca-Cola Aparecida disse...

Não, na verdade as mortes em Gulag e campos agriculas comunistas(=Campo de concentração) é culpa do Capitalismo!!! É tudo culpa do Capitalismo!!!
S. C. C. A.

Leonardo Bruno disse...

Não vejo nenhum privilégio no sofrimento judaico, a ponto de torná-lo exclusivo, até pq o sofrimento de um prisioneiro gulag, de um esfomeado na Ucrânia ou mesmo dos mortos do Camboja não são menos dolorosos. Até pq se o nazismo não serve de parâmetros comparativos com outros fatos históricos, o legado do holocausto não nos serve para nada.


Nazismo pode ser comparado a comunismo, na medida em que são dois sistemas totalitários criminosos.

Felipe disse...

Honestamente, não vejo em que o fato de que na Alemanha nazista a propriedade privada era "meio estatal", parecido com o que havia na urss, prejudique o comunismo.
Concordo que do ponto de vista econômico, o comunismo e o nazismo são opostos do Liberalismo econômico. Porém o comunismo e o nazismo tem ideologias bem contrárias... O Comunismo luta por igualdade, enquanto que nazistas querem por em prática a suposta superioridade ariana...
Além disso a maioria desse pessoal que critíca o comunismo comete o equívoco de tomar como exemplo regimes como o de stalin ou de mao... aliás, a coisa mais perto de comunismo (ou anarquismo) que já existiu sobre a terra foi a comuna de paris, fora isso é bom não tomar nada como exemplo, evitando pérolas como "Nazismo pode ser comparado a comunismo, na medida em que são dois sistemas totalitários criminosos." de um comentário daqui. No estágio final do comunismo, o estado se extingue porque não é mais necessário o mesmo. Para chegar nesse estágio é necessário passar por um estágio intermediário onde o proletário precisa tomar o poder. Essa é a luta de classes. Perceba que proletário é a maioria do povo, portanto não há totalitarismo aí!

kelvin disse...

Caro Rodrigo

Socorra-me. Vc é um economista liberal, eu nada sou (em relação a economia) Explica-me, durante o governo Sarney o Brasil virou Socialista?! (controle do câmbio, preço, etc) Ou será que na ditadura militar também eramos Socialistas e não sabiamos?! (uma infidade de empresas estatais, controle de salário, torturas, falta de liberdade de expressão!!!) Poxa, e aqueles otários no araguaia pregando o que já se tinha...ts ts ts

Kelvin

kelvinsales@hotmail.com

Augusto disse...

se v6 nao sabem,
quando Hitler assumiu o poder ele perseguiu e assassino todas as pessoas q faziam parte de partidos de esquerda

realmente eles sao muito parecidos ideologicamente...

Malkav disse...

Só faltou o Augusto lembrar que perseguiu todos que eram de partidos não-nazistas (que, para essa gente, tem que ser de esquerda), mas isso não é ensinado na escola...

Anônimo disse...

adorei o artigo, obrigado.

sandraamertens disse...

Gostaria referencia sobre a anotação de que Hitler teria lido Marx, não encontrei em lugar algum.
Sandra

Anônimo disse...

Conforme Viktor Suvorov (Vladmir Rezún - ex-KGB, foi um dos mais altos agentes da KGB, formado pela Academia Militar de Suvorov, Rússia, foi analista de inteligência e escreveu o livro "O Grande Culpado - Os Planos de Stalin para iniciar a II GM ), o nazismo (National Sozialistische des Deutsches Arbeiters Partei - Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães - nasceu através do comunismo de Stalin. Basta ler o livro e tirar as dúvidas.

Míriam Martinho disse...

Se me permite, O cientista político francês, Alain Besançon explica os porquês da diferença de tratamento entre os dois gêmeos malignos: Memória não retém atrocidades do comunismo: http://bit.ly/LR92Gg

A propósito ainda, esqueceu de falar da polilogia marxista que o nazismo também incorporou.

Uma boa ideia para expor os laços fraternos entre comunismo-socialismo e nazismo é fazer, por exemplo, no dia 23 de agosto, que é o dia da luta contra os totalitarismos, algum evento sobre o tema.

Anônimo disse...

"Tenho achado ridículas as apresentações de Dilma - sempre de vermelho! Postura radical. Na prática a teoria deles não funciona pois vivemos em um pais rico que ainda tem um povo muito pobre."

negoailso disse...

vcs exageram, quando um comunista chama alguém de nazista está somente tentando firmar um acordo de não-agressão...

xará disse...

Segundo Leandro Narloch, em entrevista recente ao Augusto Nunes (Veja), o nazi Eichmann considerava-se "de esquerda" e próximo aos comunistas.

xará disse...

E o Estado fantoche dos nazis no norte da Itália, ao fim da Segunda Guerra, também conhecida como República de Salò, cujo nome oficial era República SOCIAL Italiana.

xará disse...

É compreensível a preocupação do Jorge Maia no seu comentário (showComment=1161962460000#c116196248147478979) (12:21 pm). Eu também lá no começo "dessa abertura de olhos" também tinha esse tipo de preocupação.
Mas, muito pelo contrário, a constatação de que os regimes comunistas foram/são primos dos nazifascistas é um reconhecimento de todo o sofrimento que cada ser humano suportou sob esses despostismos, os quais tiveram as mesmas raízes, são da mesma laia, como se não bastasse.
A democracia e o liberalismo ocidentais, foram os alvos principais desses dois despotismos, assim como os judeus mesmo, que tanto em um como em outro foram alvos.

xará disse...

Esses dois regimes foram tudo aquilo contra os teóricos da democracia lá dos séculos XVII, XVIII e XIX alertaram em seus escritos tendo em vista o absolutismo. Nem imaginavam que no século XX surgiria esse totalitarismo na forma do comunismo e do nazifascismo.