quarta-feira, dezembro 13, 2006

Cabelos Brancos



Rodrigo Constantino

"Se você conhecer uma pessoa muito idosa esquerdista, é porque ela está com problema." (Presidente Lula)

O presidente Lula usou seus cabelos brancos para justificar uma suposta mudança em sua postura política, da esquerda para o centro. Ele falava para uma platéia de empresários. Todos sabem – ou deveriam saber – que o presidente é afeito a uma boa dose de cinismo, e costuma puxar da cartola um discurso diferente para cada público. Falando aos colegas do MST, com certeza sairia algo completamente diferente. Mas ainda assim, podemos aproveitar a sua fala para algumas análises.

Mas em primeiro lugar, preciso fazer uma "dolorosa" confissão. Dizem – e parece que Lula aderiu ao brocardo da boca para fora – que um jovem que não é socialista é um insensível, enquanto um idoso que é socialista é um idiota. Confesso: fui um desses insensíveis. É que desde muito cedo aprendi os conceitos de palavras como mérito, escassez e responsabilidade. Não considerava justo um professor reduzir a nota de um bom aluno e aumentar a de um fraco em nome da maior "igualdade". Tampouco achava correto o Estado tirar o brinquedo melhor de um vizinho para reduzir a desigualdade da vizinhança. Estranhava quando alguém prometia mundos e fundos sem explicar como entregar o prometido. Aceitei rapidamente a lógica matemática de que 2 + 2 = 4. Não acreditava em almoço grátis e sabia que dinheiro não nasce em árvore. Nunca achei que os males do país eram culpa de algum fator exógeno, tipo um império maligno ao norte. E com certeza jamais considerei um formigueiro como um modelo de vida a ser seguido, superior ao nosso. Logo, como fica claro, eu fui um jovem insensível, que já respeitava as diferenças individuais, os méritos distintos, as escolhas de estilo de vida, e sabia que a responsabilidade deve ser sempre do indivíduo. Não nutria simpatia alguma pelos insetos gregários e seu igualitarismo.

Voltando ao presidente, seria o caso de perguntar o que ele faz então ao lado de tanta gente problemática. Afinal de contas, a quantidade de aliados próximos com cabelos brancos mas de esquerda é enorme, quase a totalidade de suas amizades. Não daria nem para começar a listar! No próprio Estatuto do Partido dos Trabalhadores, que Lula ajudou a fundar, consta que o objetivo é construir o "socialismo democrático". Pelo que eu sei, socialismo ainda não passou a ser coisa da direita, e o PT ainda é o partido do presidente. Lula, ele próprio, vive enaltecendo a figura asquerosa do seu amigo ditador, Fidel Castro. Parece que cabelos brancos – e barba até! – ele tem, além do que 80 anos merece ser considerado idoso até em Cingapura. Estaria Lula afirmando que seu grande amigo Fidel tem problemas? O mesmo vale para Hugo Chávez. A lista de camaradas do presidente que estão dentro do seu conceito de problemático é infindável. Já sabíamos que o presidente gostava de chamar para o governo amigos corruptos. Agora ficamos sabendo que o homem adora um problemático também.

Por fim, o presidente concluiu que nos transformamos no "caminho do meio" quando os cabelos ficam brancos, e este seria "o caminho que precisa ser seguido pela sociedade". Eu gostaria de perguntar ao presidente se o meio é sempre bom mesmo. Antes, lembraria que a palavra medíocre vem de média. Mas depois perguntaria se o presidente acha o máximo ser meio inteligente e meio burro, ou meio honesto e meio desonesto. Não há nada de útil no socialismo que possa ser usado para um meio termo com o liberalismo. Misturar lama com sorvete não recupera a lama e estraga o sorvete.

O presidente, ainda que tentando enganar sua seletiva platéia, está certo. De fato, um idoso ser de esquerda é atestado de um grave problema. Infelizmente, este problema, seja estupidez ou perfídia, ronda o Palácio do Planalto com força. Creio que os cabelos brancos de Lula não mudaram seu hábito de mentir...

17 comentários:

Guilherme disse...

Vi este blog na comunidade do "Diogo Mainardi - moderada" e, curioso, vim visitá-lo. Confesso que não esperava tanta qualidade. Textos muito bem escritos e de assuntos pertinentes. Parabéns pelo excelente trabalho.

Reginaldo Almeida disse...

Rodrigo,

O problema do Lula ou é de abundância ou de escassêz:

Ou lhe sobra cinismo ou lhe falta litio!

Por isso iniciei uma camapanha: Lítio para a presidência!

J.Rodrigues disse...

Essa história de que "jovem tem que ser de esquerda" é de um comodismo enervante. Quando meus filhos apareciam em casa com idéias comunistas garimpadas na escola, sempre procurei desmomtá-las aravés um bom debate esclarecedor e conclusivo. Parece que conseguí.

tunico disse...

Rodrigo, conheci seus textos no orkut quando batalhávamos contra os petralhas numa comunidade chamada política e governo(ou qualquer coisa parecida). Te achei de novo, no site do Casagrande e cheguei a seu blog. Estarei adicionado com sua permissão em meu blog.

Mas, saiba de uma coisa. Tenho 55 anos e sou de esquerda há 55 anos! Sabe porque? Sou canhoto!(rs)

Blogildo disse...

Tolo é quem ainda acredita no sujeito. Logo depois desse discurso "de centro" ele recebeu o MST com afagos.
Enquanto houver Bolsa-Famélica a popularidade dele junto ao povo tá garantida. Não importa a asneira que diga.

Abraço!

Dellano disse...

Rodrigo,
Identifico muito com as suas idéias, mas diferente de você, eu era esquerdista na juventude. Eu acreditava naquele papo de "justiça social" e de "defesa da ética" tão propalado pelo PT e demais partidos de esquerda. Só depois dos escândalos de mensalão, dólares na cueca e dossiês, que eu acordei para a realidade. Mas antes tarde do que nunca, não é?

Cfe disse...

Essa do Tunico foi ótima!

Anônimo disse...

Lula é bom quando diz o que Rodrigo Constantino gosta (quando mente) e é ruim no resto do tempo

São parecidos entre si

José Antonio disse...

"Eu gostaria de perguntar ao presidente se o meio é sempre bom mesmo. Antes, lembraria que a palavra medíocre vem de média." (Rodrigo Constantino)

Siddartha Gautama, o Buda, de sua busca pela sabedoria, procurou deixar-nos o ensinamento de que devemos trilhar o "caminho do meio" como forma de alcançar o eqülíbrio na vida, pois sábio é aquele que flui pela via média. Não podemos viver inteiramente junto ao "fogo do inferno", mas também não faz bem vivermos inteiramente na "monotonia do paraíso". Dostoiévisky também trata muito bem da quase que necesária incorrência humana na alternância entre o "belo e sublime" e o "insano" em sua obra "Memórias do Subsolo".

Quero perguntar, Constantino, se você não é adepto do caminho do meio mesmo em todas as situações da vida ou somente neste específico caso do nosso presidente e sua política?

Sinceramente, espero que seja a segunda alternativa.
Parabéns por mais um excelente texto!

Sinceramente espero que seja a segunda alternativa.

José Antonio disse...

"Eu gostaria de perguntar ao presidente se o meio é sempre bom mesmo. Antes, lembraria que a palavra medíocre vem de média." (Rodrigo Constantino)

Siddartha Gautama, o Buda, de sua busca pela sabedoria, procurou deixar-nos o ensinamento de que devemos trilhar o "caminho do meio" como forma de alcançar o eqülíbrio na vida, pois sábio é aquele que flui pela via média. Não podemos viver inteiramente junto ao "fogo do inferno", mas também não faz bem vivermos inteiramente na "monotonia do paraíso". Dostoiévisky também trata muito bem da quase que necesária incorrência humana na alternância entre o "belo e sublime" e o "insano" em sua obra "Memórias do Subsolo".

Quero perguntar, Constantino, se você não é adepto do caminho do meio mesmo ou somente neste específico caso do nosso presidente e sua política?

Sinceramente, espero que seja a segunda alternativa.
Parabéns por mais um excelente texto!

Sinceramente espero que seja a segunda alternativa.

Mario disse...

Por mais incrível que pareça, o poderoso chefão está certo no diagnóstico; "quem é de esquerda aos 60 tem prolemas", que é o caso dele próprio. Claro que mente, como sempre, porque o que faz está a anos-luz do centro. Ou, então, confunde miséria com esquerda e "ter dinheiro" com direita, já que, hoje, tem um dos mais luxuosos aviões do mundo... gasta R$1800 por dia em cartão de crédito... dorme entre lençóis do mais puro linho egípcio...

O fato de jovens serem de esquerda é compreensível, até porque ainda pouco ou nada aprenderam e é a evolução que o conduz para o centro ou para a direita. Não por acaso, os espíritas dizem que os espíritos sem luz, os espíritos atrasados, são "de esquerda"...

Mais uma vez, parabéns, Rodrigo. Pessoalmente, não tinha visto por aí, alguém abordando que o poderoso chefão, mesmo no desgoverno, se acerca só de gente(?) com problemas....

Ricardo Froes disse...

Gosto muito de uma frase de Karl Kraus que diz: “certas épocas não podem ser satirizadas, pois são satíricas em si mesmas e, nelas, a piada é indiscernível da realidade”. Ela cai como uma luva nesse Brasil de hoje.

Essa história de dizer uma coisa e depois reclamar que os outros não entenderam, já encheu as medidas. Lula não precisava ter dito que estava brincando quando associou cabelos brancos à razão porque todo mundo sabe que ele não fez outra coisa até agora senão brincar. Tomar um governo sem planejamento, só com o objetivo de perpetuar-se no poder usando meios que não poderia dispor – o dinheiro do povo – não passa de uma brincadeira, de extremo mau gosto, diga-se de passagem.

E o que dizer de Waldir Pires na Mão? Depois de dizer que todos temos que rezar ao pensar em pegar um avião e também dizer que foi mal interpretado, chorou pitangas públicas reclamando que ganha pouco, enfatizando ainda que também paga imposto de renda. E não era para pagar, ministro? De mais a mais, pelo seu conhecimento sobre seu ministério, ele deveria ganhar o mesmo que um office-boy. Nunca vi disso: um ministro pedindo aumento em público! Só nesse governo chinfrim, mesmo!

Esse punhado de saltimbancos, chefiados pelo vendedor do elixir do “espetáculo do crescimento”, transformou o Estado em picadeiro das suas peraltices, que são exibidas para uma claque sustentada pela gente que ficou de fora, trabalhando e garantindo, por enquanto, que o circo não pegue fogo. Tomara que nunca chegue a hora de ser preciso satisfazer o palhaço e tocar fogo no circo. Tomara que mais quatro anos de marmelada passem rápido para chegar o tempo em que todos os que trabalham possam pagar para assistir um verdadeiro espetáculo e não um circo de quinta categoria.

embat disse...

"Siddartha Gautama, o Buda, de sua busca pela sabedoria, procurou deixar-nos o ensinamento de que devemos trilhar o "caminho do meio" como forma de alcançar o eqülíbrio na vida, pois sábio é aquele que flui pela via média."

quer dizer que voce vive as conviccoes de outros? nao tem capacidade de pensar por si soh?

alem de que considerar tudo o que buda (ou bunda) disse como correto eh pender mt para um lado, e nao no "sabio caminho do meio"

C. Mouro disse...

- alem de que considerar tudo o que buda (ou bunda) disse como correto eh pender mt para um lado, e nao no "sabio caminho do meio"

...SUPREMO! ...clap! clap! clap! ...hehehe!
Essa foi na veia!
Congratulações Embat
C. Mouro

José Antonio disse...

Pelo que facilmente se pode inferir acerca de determinados comentários aqui postados, falta inteligência ou sei lá o que para seus respectivos autores, que sequer sabem proceder com uma análise coerente.
Em primeiro lugar devo dizer que não posso pretender, aqui e agora, bancar o papel dos professores que essas pessoas não tiveram, entretanto, para se falar de assuntos que remetem muito mais à lógica e ao bom senso, dos quais também carecem estas pessoas, nem precisamos de professores.
"O caminho do meio" não é uma lição inventada por Buda ou por outro mestre cósmico para seus adeptos seguirem, trata-se de uma conduta arquetípica (procure um dicionário para saber o significado da palavra "arquetípico").
Deveras, basta o bom-senso para constatarmos que a própria vida é uma constante e necessária sucessão de "noite e dia", que são forças complementares: positivo-negativo, trabalho-descanso, contração-distenção, sábio-idiota ;) enfim; e é do eqüilíbrio entre estas forças que vivemos diariamente.
Por último quero dizer que para se fazer uma análise precisamos ter uma mínima noção da matéria analisada.

"A principal diferença entre o tolo e o sábio, é que o primeiro não sabe o que diz enquato o segundo não diz o que sabe"

Anônimo disse...

xii... Embat... depois de uma dessas eu esconderia minha cara na areia e demorarai um pouco pra aparecer... o kra tem razão mesmo e de quebra "acabou contigo"...

teste disse...

testando bloqueio de commment