sábado, maio 05, 2007

A Granja da Igualdade


Rodrigo Constantino

“No meu dicionário, ‘socialista’ é o cara que alardeia intenções e dispensa resultados, adora ser generoso com o dinheiro alheio, e prega igualdade social, mas se considera mais igual que os outros...” (Roberto Campos)

Os ideais igualitários conquistaram sempre muitos adeptos, e infelizmente ainda o fazem. Inexoravelmente, entretanto, são corroídos pela própria natureza humana e desembocam em tiranias. É do que trata o pequeno livro satírico de George Orwell, A Revolução dos Bichos, escrito na época da Segunda Guerra Mundial. O livro ataca o modelo soviético sob a ditadura de Stalin, fazendo um retrato muito fiel através de bichos do que ocorre de fato na tentativa de implantar o comunismo. Aqueles que renunciam à liberdade em troca de promessas de segurança acabam sem nenhuma delas. A utopia conquista através das emoções, mas na hora dos resultados, a irracionalidade cobra um elevado preço, com juros estratosféricos.

A fábula se passa na Granja do Solar, onde os animais eram explorados por seu dono. O velho porco Major fez um discurso sobre um sonho que conquistou todos os animais. O homem seria o grande inimigo, o único inimigo, e retirando-o de cena, a causa principal da fome e da sobrecarga de trabalho desapareceria para sempre. “Basta que nos livremos do Homem para que o produto de nosso trabalho seja só nosso”, disse o velho porco. Num piscar de olhos, todos seriam livres e ricos. A promessa do paraíso sem esforço. Nenhum animal iria jamais tiranizar outros animais. Todos seriam como irmãos. Todos são iguais. O mundo dos insetos gregários, sonhado por todos aqueles que odeiam o sucesso alheio, e, portanto, as diferenças entre os homens.

Logo uma canção foi criada para transmitir a mensagem igualitária do sonho dos animais da granja. Todos repetiam aqueles versos com profundo entusiasmo, até fanático. O futuro seria magnífico. A riqueza, incomensurável. Para tanto, bastava lutar, mesmo que custasse a própria vida. Sansão, o forte cavalo, era o discípulo mais fiel. Não sabia pensar por conta própria, aceitando os porcos como instrutores, por sua reconhecida sabedoria. Passava adiante o que era ensinado, através da repetição automática, como vemos de fato nos chavões e slogans repetidos ad nauseam pelos comunistas, como por vitrolas arranhadas. A figura de Sansão é o retrato perfeito do idiota útil, que bem intencionado, acaba servindo como massa de manobra dos oportunistas de plantão.

Os animais se revoltaram, e finalmente tomaram o poder da granja. Nada seria tocado na casa, que passaria a ser um museu da revolução. Nenhum animal deveria jamais morar lá. Foram criados sete mandamentos, entre eles: qualquer coisa que andar sobre duas pernas é inimigo; nenhum animal dormirá em cama; nenhum animal matará outro animal; e o mais importante, que todos os animais são iguais. Com o tempo, todos estes mandamentos foram sendo devidamente ignorados pelos novos donos do poder, que os alteravam sem cerimônia alguma.

O leite das vacas, por exemplo, desaparecera. Com o tempo, o mistério foi esclarecido: era misturado à comida dos porcos. Mas o discurso era convincente: “Camaradas, não imaginais, suponho, que nós, os porcos, fazemos isso por espírito de egoísmo e privilégio”. Não, claro. Eles eram os intelectuais, e a organização da granja dependia deles. O bem-estar geral era o único objetivo dos porcos. “É por vossa causa que bebemos aquele leite e comemos aquelas maçãs”. E como não poderia faltar no hipócrita discurso altruísta, usado para dominar os inocentes, há que existir um bode expiatório, um inimigo externo, ainda que fictício, que justifique os abusos domésticos. Logo, se os porcos falhassem nessa nobre missão, o antigo senhor voltaria ao poder, o terrível homem. E isso ninguém queria. Portanto, tudo que os sábios porcos diziam e faziam deveria ser verdade. Era pelo bem da granja!

Durante uma batalha com invasores humanos, os porcos deixavam claro que não era para ter nada de “sentimentalismo”. Guerra é guerra, e “humano bom é humano morto”. George Orwell ataca com veemência a figura de Stalin, mas curiosamente poupa Lênin, que não é identificado facilmente na obra. No entanto, algumas declarações do líder da revolução bolchevique demonstram que esta mentalidade violenta estava presente nele. Lênin disse: “Enquanto não aplicarmos o terror sobre os especuladores - uma bala na cabeça, imediatamente - não chegaremos a lugar algum!”. Seu objetivo era uma guerra civil, e ele deixava claro que este era o caminho que deveriam buscar. Suas palavras eram diretas: “É chagada a hora de levarmos adiante uma batalha cruel e sem perdão contra esses pequenos proprietários, esses camponeses abastados”. Na verdade, não eram tão abastados assim, os pobres kulaks. Mas eram os alvos perfeitos para justificar a guerra civil que os bolcheviques desejavam, para depois tomar o poder completo. Dito e feito.

O Stalin do livro é Napoleão, um porco esperto que criara em segredo uns cachorros amedrontadores. Chegada a hora de assumir o poder absoluto, Bola-de-Neve vira vítima dos cães adestrados de Napoleão, para o terror de todos os animais que olhavam a cena. Bola-de-Neve seria o Trotski no livro, iludido pela revolução, mas depois enganado. A história é totalmente reescrita por Napoleão, que transforma Bola-de-Neve num espião, que desde o começo da revolução trabalhava para o inimigo. As regras mudam, as votações acabam, e as decisões passam a ser tomadas por uma comissão de porcos, presidida por Napoleão. Isso tudo é passado aos animais como um grande sacrifício de Napoleão, tendo que carregar o fardo da responsabilidade, em prol do bem-geral. Era isso ou o retorno do homem malvado. Esse “argumento” era infalível.

Dá-se início a um verdadeiro culto de personalidade, como costuma ocorrer em todos os países socialistas. Napoleão passa a dormir na cama, ignorando um dos mandamentos da revolução, que passa a contar com um adendo que diz que nenhum animal deve dormir em cama com lençóis. O mandamento de que nenhum animal mataria outro foi substituído, após uma chacina de alguns dissidentes do regime, para outro onde nenhum animal deveria matar outro sem motivo. Ora, não foi difícil, com tanto poder, achar motivos para justificar o massacre de Napoleão. A miséria se abateu sobre a granja, mas os porcos comiam cada vez melhor. O cavalo Sansão trabalhava cada vez mais, convencido de que Napoleão estava sempre certo. Acabou doente de tanto cansaço, e foi levado para um abatedouro, sem piedade alguma por parte do “grande líder”.

Os sete mandamentos davam lugar a apenas um agora: “Todos os bichos são iguais, mas alguns bichos são mais iguais que outros”. Os porcos ligados a Napoleão passaram a negociar com os homens de outras granjas vizinhas, algo totalmente condenado na revolução. Passaram a beber álcool, também condenado, e aprenderam a andar em duas patas. No fim, era completamente indistinguível quem era porco e quem era homem. Eis o destino inevitável dos igualitários revolucionários. Instalam um regime tão opressor ou mais que o anterior, tudo em nome da granja da igualdade.

30 comentários:

augusto disse...

Pois é os esquerdinhas tem o bordão "Porco capitalista".

Agora eu vou dizer:
"Porco é você, e porco comunista. Leia o livro do Orwell, seu burro."

Na verdade os esquerdinhas podem ser comparados à vários animais mesmo:
Porcos, cupins, burros, asininos e animais peçonhentos em geral

Emerson disse...

O bordão porco capitalista é tão justificável quanto esquerdinhas Porcos, cupins, burros, asininos e animais peçonhentos em geral...
que o comunismo foi e continua sendo uma farsa é muito claro, mas vai dizer isto para alguém sem conhecimento e que se encontra em situação difícil... esta pessoa é ineficiente? Não teriam os animais caído na lábia de Napoleão por entenderem que precisavam de mudanças?

Anônimo disse...

Comunista bom é comunista morto.

DANIEL PEARL disse...

“O jornalista Diogo Mainardi é mesmo um sujeito estranho. Vive reclamando dos processos que toma, inclusive de outros colegas, pelas barbarides que fala na televisão ou escreve na revista Veja.” Esse cara-de-pau Mainardi pensa que é dono do jornalismo no Brasil. Humildade e ética são ingredientes para um bom profissional. Já a “O Globo” reclama de CENSURA. Que moral tem O Globo para reclamar de uma suposta censura à mídia hoje se na época da Ditadura Militar de 64 que seqüestrou, torturou e assassinou milhares de brasileiros, o jornal foi conivente com a repressão? Segundo o jornalista Mino Carta, “o Brasil tem a pior mídia do mundo”. Sobre a Folha de São Paulo, ela nunca foi censurada, gosta de posar de democrata e transparente, e tenta esconder esse período macabro (64) que revela todo o seu caráter de classe e a sua postura direitista. Protegida pela ditadura, a Folha cresceu, e durante os oito anos de FHC, ela nada falou contra as suspeitas privatizações e pregou a ortodoxia macroeconômica. Acesse o DESABAFO PAIS: http://desabafopais.blogspot.com

DANIEL PEARL disse...

Rodrigo, sou Daniel Pearl, jornalista-editor do blog DESABAFO PAÍS(BRASIL) com mais de 174 mil acessos, com uma proposta de jornalismo independente e livre para participação do internauta. Gostaria de trocar com você nossos links, e alicerçar uma amizade. Meu endereço: http://desabafopais.blogspot.com. Para confirmação passe um e-mail: desabafobrasil@ou.com.br. Um forte abraço.

augusto disse...

Tu...tu..tu...tututututu

Sensor de detecção de vermelhinhos em alto sinal

Anônimo disse...

mto bom!

Tiago Albineli Motta disse...

Muito bom o texto, é incrivel como os subjugados petistas não percebem o poço sem fim em que estão metendo o país ao apoiar a censura e os desmandos desse partido. Eles acreditam que estarão do lado vencedor, mas não precebem que só haverá derrotados, pois teremos mais décadas de atraso.

VL disse...

SABE QUAL O PROBLEMA? OS ESQUERDOPATAS ESTÃO ACOSTUMADOS À VIOLÊNCIA E TODO MUNDO FICA COM MEDO E SE CALA, NO MÁXIMO, NEGOCIA AINDA COM MEDO DE MAIS VIOLÊNCIA.

VAMOS ACABAR COM ISTO, VAMOS PARA CIMA DELES COM A MESMA VIOLÊNCIA. DEIXEM QUE BERREM E NOS CHAMEM DE BURGUESES, FACISTAS E QUALQUER 'ISTA', MAS BAIXEMOS O CHICOTE NELES COMO DEVE SER FEITO COM BESTAS FURIOSAS.

JÁ OUVIU FALAR QUE REMÉDIO PARA DOIDO É DOIDO E MEIO??? POIS É, É ISTO MESMO.

ELES FAZEM ISTO PORQUE SÃO VAGABUNDOS QUE NÃO TÊM NADA A PERDER. DEVEMOS FAZER MUITO MAIS PORQUE TEMOS MUITO A PERDER.

SE É PARA DESTRUIR, NÓS DESTRUIMOS PARA DEFENDER O QUE NÓS PAGAMOS PARA CONSTRUIR, MAS EXPULSAMOS ESTA CORJA SAFADA DE AMBIENTES CIVILIZADOS E ASSIM PODEREMOS RECONSTRUÍ-LOS E MANTÊ-LOS EM ORDEM.

MORO NA EUROPA E VEJO OS ISLÂMICOS INTIMIDAREM OS EUROPEUS COM BERROS E VIOLÊNCIA, COMIGO É DIFERENTE E FICAM CALADINHOS QUANDO TAMBÉM REVIDO BERRANDO COM ELES COM TODA HOSTILIDADE.

BESTAS FURIOSAS SÓ ENTENDEM A LIGUAGEM VIOLENTA, NÃO ADIANTA PENSAR QUE DARÃO OUVIDOS A CONVERSAS CIVILIZADAS, NEM SABEM O QUE É ISTO.

Catellius disse...

Rodrigo,

Parabéns pelo texto.
Convido você e todos os comentaristas de seu blog a visitar o Pugnacitas para ler um texto cedido pelo C. Mouro (ler e opinar), intitulado "Diderot e Nietzsche: Melhores que Nostradamus", cujo conteúdo tem muito a ver com seu artigo.
Abraços a todos
Catellius

Blogildo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blogildo disse...

Li o Revolução dos Bichos e a paródia é bastante óbvia. Orwell mostra a irracionalidade do regime igualitário. Até Trotsky tem o seu correlato suíno, como você bem observou!
É uma fábula poderosa, pena que as editoras nacionais façam o livro passar como literatura infanto-juvenil.

Anônimo disse...

Jornalismo "independente" tingido de vermelho... Sei. Esse cara é um saco.

Joao Antunes disse...

Nao entendo porque o preconceito com os Petistas. Deixem os em paz. A critica ao petismo eh tao fraca e sem argumentos quanto aquela que os esquerdistas fazem a direita.

Nao concordo com os conceitos da esquerda, mas de criticas vazias o Brasil estah cheio. Sejam mais inteligentes, proponham algo coerente.

O Mainardi eh otimo, engracado, sarcastico. Mas limita-se a eterna critica.

O que o Brasil precisa eh de uma sociedade pensante que proponha, faca, tome o risco, mostre a cara.

A proposito, otimo texto.

JA

Ricardo Froes disse...

cont

Eu faço minhas as palavras do ministro recém nomeado, Roberto Mangabeira Unger, só que em caráter definitivo e não para depois seguir seus passos trôpegos e apagá-las covarde e indecentemente das memórias, minha, do meu computador e do meu site.

“AFIRMO que o governo Lula é o mais corrupto de nossa história nacional. AFIRMO ser obrigação do congresso nacional declarar prontamente o impedimento do presidente. AFIRMO que o governo Lula fraudou a vontade dos brasileiros. AFIRMO que o presidente, avesso ao trabalho e ao estudo, desatento aos negócios do estado, fugidio de tudo o que lhe traga dificuldade ou dissabor e orgulhoso de sua própria ignorância, mostrou-se inapto para o cargo sagrado que o povo brasileiro lhe confiou.”

Ricardo Froes disse...

Na certa o Daniel Pérola além de fã do Cartilha da Capital é leitor da Hora do Povo, veículo oficial do MR-8, cujo principal expoente é hoje ministro da Comunicação Socialista, oops, Social, Franklin Martins, criminoso confesso, conforme se pode constatar em seu site, ao admitir sua participação em seqüestros, assaltos a bancos, invasões de presídios, roubo de armas e explosões de prédios.

Além da confissão, ele, em sua mini-biografia, mostra-se profundamente orgulhoso de todos esses crimes e expõe cruamente a verdadeira vocação pandilheira dessa esquerda caquética, morta para o mundo todo, mas, que ainda insiste em estrebuchar aqui para os latino-americanos. Não há nada mais patético que se tentar justificar crimes com ideais, sejam eles quais forem. Se a idéia é ruim, não adianta bater que ela não entra.

O Brasil de quatro anos para cá, está vivendo a época mais deprimente da sua história. O desassombro com que essa gente, hoje no poder, mostra a podridão reinante no país é lamentável. Não há mais diferença entre certo e errado, a Lei é desconsiderada, o povo é aviltado e a Nação achincalhada por um sem número de desqualificados que nem sequer sabem o que significa amor à Pátria, quanto mais praticá-lo.

Anônimo disse...

Globalization

An English PRINCESS Diana
With an Egyptian Boyfriend
Crashes in French Tunnel
Driven in a German Car
With a Dutch Engine,
Driven by a dead drunk Belgian
On Scottish Whiskey
Followed closely by an Italian paparazzi,
ON Japanese motorbike
Treated by an Americano DOCTOR
USING Brazilian Medicines
You receive this information from an Indian American
Reading on your computer that uses Taiwanese Chips,
And a Korean Monitor
Assembled by Bangladeshi WORKERS
In a Chinese plant in Singapore
Transported by Indian truck drivers
Hijacked by Indonesians
Unloaded by Sicilian Longshoremen
And trucked to you by Mexican border crossers

Thanks Globalization
your time has come to stay

Anônimo disse...

Ei Pérola!!!

"Ditadura Militar de 64 que seqüestrou, torturou e assassinou milhares de brasileiros, (...)"

Diversos erros mentirosos nesta frase: Não foram "milhares", foram apenas algumas centenas. Não foram "brasileiros", foram apenas TERRORISTAS, SEQÜESTRADORES, ASSASSINOS e ASSALTANTES que queriam tomar o poder "na marra".

Não tenho procuração do Mainardi, porém, em sua defesa: ELE NÃO É JORNALISTA.

Em tudo o que você diz só há uma verdade. O Mino Carta tem razão, afinal, ele próprio muito contribui.

Anônimo disse...

Talvez, nem tudo esteja perdido ....................... na França

Ricardo Froes disse...

A Granja do Solar agora se chama Granja do Torto. Tem um monte desses animais lá dentro.

Iliahú disse...

Recado ao anônimo das 12:24 AM:

"Diversos erros mentirosos nesta frase: Não foram "milhares", foram apenas algumas centenas. Não foram "brasileiros", foram apenas TERRORISTAS, SEQÜESTRADORES, ASSASSINOS e ASSALTANTES que queriam tomar o poder "na marra"."

Essa foi de matar! Não confunda ideologia com história. Quem tomou o poder na marra foram os Militares. Não sei como o senhor pode se confundir tanto! Pare de ficar escrevendo em Blogs e vá estudar história.

Anônimo disse...

Ei Iliahú!!!!!

Quantos milhares são MENOS DE 300????? Como você sobreviveu, não dá para chegar nos "milhares" como gostaria, não?

Anônimo disse...

Quem deve estudar história é você!!!! Os militares não tomaram o poder. Apenas atenderam ao clamor popular, pedindo que a CONSTITUIÇÃO fosse defendida.

Iliahú disse...

Donkey Anonymous das 1:16/19 am

"Os militares não tomaram o poder. Apenas atenderam ao clamor popular, pedindo que a CONSTITUIÇÃO fosse defendida."

Cara! Eu sou avesso a adjetivação, mas o seu comentário é de um ignorância que faz doer. Amigo você é muito mal informado. Eu diria até que pelo sofismo ignaro que você é mal intencionado. Não eu não sobrevivi àquela época. Se tivesse sobrevivido de uma coisa você pode ter certeza: Facistas escrotos como você eu já teria encontrado e despachado.
Mas como sou bem mais novo: Gostaria de lembrar que papalvos como você apoiaram o golpe contra um governo legitimamente eleito e depois tiveram seus filhos assassinados. Pense nisso asno! Você é absurdamente ignorante!!! Que clamor popular? Você nunca leu uma linha sobre essa época!!! Aprenda história antes de escrever.

Anônimo disse...

Iliahuuuuu petralha!

Anônimo disse...

ÔÔÔÔÔÔ PETRALHÃO!!! Se não sobreviveu àquela época, o canalha deve ter sido despejado pelo rabo de alguma daquelas terroristas, não?

Se sabe ler, aprenda um pouco de história no ternuma.com.br

Iliahú disse...

Recado para o Donkey Anonymous das
12:26 AM
A história está em livros. Não em sites. Aí você demonstrou porque é tão desinformado. Você pensa que a cultura e a história estão na Internet. Já ouviu falar em Biblioteca? Livros então deve ter passado longe. Tem um muito bom para a gerações de ignorantes virtuais. Chama-se: “ Brasil- Tortura nunca Mais. É um clássico. Na minha família não teve terrorista. Mas, certamente, pode investigar que o seu pai tem um pé nas trevas. Torturador no mínimo. Ladravaz favorecido pela ditadura e que agora morre de medo de ser apanhado por algum governo de esquerda que anule a lei de anistia como fez a Argentina. A senhora, sua, mamãe deve ter feito parte das imprestáveis e ociosas "senhoras com Deus", que fizeram o "clamor popular","pedindo que a CONSTITUIÇÃO fosse defendida". Tal qual algumas coitadas de agora
que, sonham em ver a dita-dura outra vez. Ai que ternura!

Anônimo disse...

Quantos milhares são MENOS DE 300????? Como você sobreviveu, não dá para chegar nos "milhares" como gostaria, não?

fico pensando...

...quantas pessoas teriam que ter desaparecido...

...para que tal ato pudesse ser considerado "errado" ????????????

Henrique disse...

Ei, Iliahú...

A história está nos livros... cujos autores são esquerdistas declarados? Já experimentou checar o autor de algum livro de história pra ver quais são suas preferências ideológicas? Verá que a esmagadora maioria é de esquerda. É a história contada só por um lado.

Uma única morte que fosse é injustificável. Porém fechar os olhos para as revoltas camponesas, incitações à violência, passeatas de cunho político, TODAS INSUFLADAS PELA ESQUERDA, também é muita desonestidade intelectual.

Vai ignorar os assaltos a bancos, que aterrorizam as pessoas?

Vai ignorar os seqüestros? Ou vale tudo em nome da "revolução"?

Vai fazer de conta que a Guerrilha no Araguaia era pra trazer "a democracia" ao país, em vez de instalar uma ditadura comunista? Eles mesmos DECLARAVAM que seu objetivo era o socialismo!!

Sinto muito por você se achar tão dono da verdade óbvia e inconstestável, ASSIM COMO EU ME ACHAVA. Eu respondia do mesmo jeito que você, meu caro.

Gostaria muito de te indicar como foi que eu escapei dessa visão de mundo onde os bons e os maus já estão pré-determinados. Mas minha experiência só vale pra mim. Só posso te dizer o seguinte: experimente ler o outro lado. Se permita ter dúvidas sobre aquilo que parece verdade histórica, sobre direita e esquerda, sobre os bonzinhos preocupados com a justiça social e os malvados individualistas que só desejam lucro rápido.

É preciso muita humildade pra reconhecer que você foi enganado por tanto tempo, a respeito de tantas coisas. Pois é muito mais confortável achar que temos o verdadeiro conhecimento e que os outros é que são uns iludidos ou egoístas.

Iliahú disse...

"A história está nos livros... cujos autores são esquerdistas declarados? Já experimentou checar o autor de algum livro de história pra ver quais são suas preferências ideológicas?"
Ja fiz isso sim. Tem esquerda demais na cabeça dos fóbicos. Como já fui de direita o seu raciocnio não se aplica a mim. Quer saber? Vocês são tão poucos originais. Olaha isso:
"vale tudo em nome da "revolução"?" Que chamou o golpe de Revolução foram os militares.
Eu é que pergunto então. Não tem maniqueísmo na questão. É uma questão de justiça. Não de ouvir o outro Lado. Isso é sofisma. O outro lado já se isentou. Como você pode cair num engodo desses. Amigo, essa é só uma parte da história. A outra parte foi destruida pelos golpista com medo das gerações futuras. Porque será que os militares destruíram os arquivos da Ditadura?
Responda isso se for capaz.