terça-feira, agosto 12, 2008

A Escrava Wal-Mart



Rodrigo Constantino

“São os consumidores e não os empresários que determinam o que deve ser produzido.” (Mises)

No livre mercado, são os consumidores quem mandam, determinando o que deve ser produzido pelas empresas que competem em busca de lucro. A maior garantia de bom atendimento, variedade de produtos, preços baixos e qualidade está justamente na livre concorrência, ausente de barreiras artificialmente criadas pelo governo. Tudo isso é bastante evidente e lógico, mas, infelizmente, as décadas de lavagem cerebral marxista impedem uma compreensão maior destes fatos. Suas vítimas passaram a encarar os empresários como inimigos exploradores, o lucro como pecado, e o governo como uma espécie de “deus protetor”, que irá cuidar dos consumidores impedindo a “exploração capitalista”. As empresas grandes passam a ser as maiores vilãs nessa mentalidade distorcida.

Mesmo os americanos não estão livres dessa inversão, e a Wal-Mart, pelo seu gigantismo, costuma ser o alvo preferido dessa turma. Por isso é tão pertinente citar alguns trechos da entrevista concedida ao The Wall Street Journal pelo equatoriano Eduardo Castro-Wright, que assumiu a presidência executiva da divisão americana da Wal-Mart Stores há três anos. Uma parte da entrevista foi traduzida e publicada no jornal Valor, mostrando como as mudanças feitas pelo presidente têm colaborado para um crescimento maior da empresa. Logo no começo, Castro-Wright diz: “Fornecer uma boa experiência de compra começa com oferecer opções de produtos que os consumidores merecem, a manutenção de um espaço asseado e ter associados (funcionários) simpáticos, para que os clientes queiram voltar”. Ou seja, logo de cara vemos que o principal foco da empresa está voltado para o cliente, com a meta de propiciar uma compra agradável e com os produtos realmente demandados.

A Wal-Mart já era conhecida pela sua política de preços baixos, e o presidente reforça este objetivo: “Primeiro, tivemos de reforçar nossa liderança em preços baixos. Precisávamos perguntar a nós mesmos qual era a nossa filosofia e ela era mais do que apenas garantir um preço baixo, mas sim ajudar as pessoas a economizar e assim melhorar suas vidas”. Novamente, fica claro que a empresa é uma parceira de seus clientes, com interesses alinhados. Se os consumidores podem economizar, ficam satisfeitos, e retornam para comprar novamente na loja. Cliente feliz é cliente bom. A Wal-Mart entende isso: “O plano então contou com tudo, de melhorias na sinalização visual das lojas, para que as pessoas pudessem encontrar as coisas mais facilmente, a investimento em tecnologia para agilizar os caixas”. A Wal-Mart é conhecida pelos seus pesados investimentos em tecnologia. Se as filas nos caixas são mais rápidas, a loja vende mais, e os clientes ficam mais satisfeitos. Novamente, os interesses estão alinhados.

Apesar de seu tamanho, com faturamento de US$ 240 bilhões apenas nos Estados Unidos, a Wal-Mart não passa de uma escrava dos consumidores, tendo que buscar sempre atender da melhor forma possível a demanda. Castro-Wright explica: “Aprendemos que fornecer escolhas ao cliente não tem a ver com mais produtos, mas produtos selecionados cuidadosamente e nos quais os clientes estão interessados”. Isso faz todo o sentido, naturalmente. Afinal, hoje a empresa é um gigante, justamente por focar tanto nos clientes. Mas nada impede que amanhã outra empresa consiga superar a Wal-Mart no atendimento aos consumidores. O capitalismo, como Schumpeter já tinha notado, é um processo dinâmico, com uma “destruição criativa” que garante o progresso rumo aos produtos mais desejados pelos consumidores e aos métodos mais eficientes para produção destes.

O tamanho não é garantia de vida eterna para empresa alguma. Existem várias provas disso, como o caso da IBM, por exemplo, que perdeu bastante terreno para empresas novas como a Microsoft e Intel, e foi forçada a se reinventar para sobreviver. Na verdade, poucas empresas existem há mais de um século, justamente por causa desse processo dinâmico do capitalismo. O sucesso depende da escolha dos consumidores. São esses que possuem o poder de decidir quem ganha e quem perde, num plebiscito ininterrupto chamado “mercado”. As empresas precisam lucrar para sobreviver, e o lucro depende dos consumidores. No livre mercado, as empresas não passam de “escravas” dos consumidores. Estes não precisam do governo para protegê-los. Precisam apenas da livre concorrência, possível justamente quando o governo não se mete para garantir privilégios e criar barreiras artificiais. A imagem perante os clientes é um dos mais valiosos ativos de uma empresa, que depende da confiança para prosperar. Alguém realmente acredita que a Wal-Mart não vende alimentos podres por causa da vigilância do governo, e não por causa dos próprios interesses e foco no lucro?

O que o governo deve fazer para proteger o consumidor é justamente deixá-lo em paz para escolher livremente de quem comprar aquilo que é desejado. Se o “Zé da Quitanda” não tem condições de competir com a Wal-Mart para oferecer produtos melhores e preços menores, o governo não deve protegê-lo da “competição predatória”, pois isso seria feito apenas à custa dos consumidores. No capitalismo liberal, vence quem consegue melhor atender a demanda, e essa é a maior proteção que os consumidores podem ter. O caso da Wal-Mart ilustra isso de forma perfeita: a empresa possui um valor de mercado acima de US$ 200 bilhões, mas é apenas uma escrava de seus consumidores.

144 comentários:

Augusto disse...

Mas veja Rodrigo, a máquina colossal do governo odeia competição !

Portanto cria impostos e barreiras com o "objetivo" de proteger os consumidores/comerciantes. Só que uma pequena porcentagem destes impostos (70% mais ou menos) vai para alimentar a máquina sagaz.

Se uma empresa busca ser eficiente é uma heresia. Agora um deputado ter um custo de mais de R$ 1 milhão ao ano é normal.


Só aqui mesmo... isso aliado à lei de Gérson possibilita as pérolas deste País.


Abraços

Mauricio disse...

Se o “Zé da Quitanda” não tem condições de competir com a Wal-Mart para oferecer produtos melhores e preços menores, o governo não deve protegê-lo da “competição predatória”, pois isso seria feito apenas à custa dos consumidores.

Chegou no ponto com essa frase:

O que acotnece quando uma empresa ganha a competição ?

Você acha que todo mundo está ansioso para gastar dinheiro investindo em um negócio com baixa chance de sucesso, devido a existência de outra empresa já bem mais saliente, só para ficar competindo ?

Mauricio disse...

Ei "C", Por que você não usa a Telefônica como exemplo ?

Rodrigo Constantino disse...

Maurício, vc já leu algum livro de Schumpeter, Kirzner, Mises ou Hayek?

Foi o que pensei...

SEMPRE haverá, no livre mercado, a possibilidade de entrada de novo player. Isso força a preocupação eterna com os consumidores.

Monopólios são garantidos por governos. Vide OPEC.

Tenho pouco tempo para tanta ignorância. Não fique exigindo tanta atenção assim, por favor. Leia alguns livros básicos antes, para permitir um DEBATE verdadeiro. Apresente argumentos! Seus posts são apenas chavões manjados da esquerda, nada mais. Cansa...

Rodrigo

André Barros Leal disse...

Existe um artigo de Nathaniel Branden que fala exatamente sobre esse assunto. o título é "O direito divino da estagnação" e aborda exatamente essa ótica socialista babaca de que os pequenos nunca devem ser tocados pela concorrencia exatamente por serem pequenos, os pobrezinhos.

Concordo plenamente com voce, Rodrigo, a única forma de criar um monopólio em uma economia é a partir da conivencia governamental. Estamos sendo agraciados com um exemplo disso agora com o caso da Oi comprando a BrT.

Jeová disse...

"O que acotnece quando uma empresa ganha a competição ?"

A competição NUNCA termina.

Rodrigo, aproveita e faz um artigo sobre as leis antitruste.

Anônimo disse...

Lol, Wal-Mart? Concorrência?
A Wal-Mart é mundialmente conhecida por praticar dumping, chega em um novo mercado com o preço muito baixo, ela pode fazer isso graças a seu gigantismo, as vezes até tendo prejuízo temporário, e depois de ter conquistado o mercado e ELIMINADO A CONCORRÊNCIA, eles aumentam os preços.

Anônimo disse...

Obs, quando eu digo eliminado a concorrência pode ser ou comprando os ativos do concorrente ou fechando um acordo com ele (cartel).
Concorrência perfeita é uma utopia.

Jeová disse...

Acabei esquecendo o que eu ia comentar. Tem uma frase do "citável Mises" que considero mais interessante do que a da epígrafe do artigo. Está na 4ª seção do 15º capítulo de Ação Humana. O nome da seção é "Soberania do Consumidor". Ei-la:

A direção de todos os assuntos econômicos, na sociedade de mercado, é uma tarefa
dos empresários. Deles é o controle da produção. Estão no leme e pilotam o navio. Um
observador superficial pensaria que eles são os soberanos. Mas não são. São obrigados a
obedecer incondicionalmente às ordens do capitão. O capitão é o consumidor.

Jeová disse...

Rodrigo, apaga ESTA e a última mensagem, por favor.

Jeová disse...

Acabei esquecendo o que eu ia comentar. Tem uma frase do "citável Mises" que considero mais interessante do que a da epígrafe do artigo. Está na 4ª seção do 15º capítulo de Ação Humana. O nome da seção é "Soberania do Consumidor". Ei-la:

A direção de todos os assuntos econômicos, na sociedade de mercado, é uma tarefa dos empresários. Deles é o controle da produção. Estão no leme e pilotam o navio. Um observador superficial pensaria que eles são os soberanos. Mas não são. São obrigados a obedecer incondicionalmente às ordens do capitão. O capitão é o consumidor.

Mauricio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mauricio disse...

Monopólios são garantidos por governos. Vide OPEC.

Quando vamos começar a falar da Telefônica/VRD/Ambev ?

Seus posts são apenas chavões manjados da esquerda, nada mais. Cansa...

Curioso, por que vira e meche eu coloco algo que você não (tem como?) rebate(r) ...

Já fazem uns quatro artigos seus que estou esperando algumas respostas, mas você só fala que tudo é "coisa de comunista" ...

A competição NUNCA termina.

Por que ? Você se dispõe a abrir uma empresa de telefonia fixa e competir com a telefônica ?
Ou mesmo uma rede de supermercados, será que você desbanca o Wall-Mart, em alguma jogada genial ?

E não estamos vendo a Telefônica e a Embratel chiarem na justiça contra a nova lei que permite a manutenção no número, mesmo trocando de operadora ?

Os empresários não gostam de competir por um motivo muito simples:
NOSSO BLOGUEIRO "C" ESTÁ CORRETO, competição força a abaixar os preços !!!

Agora, se ele vive na utopia socialista de que os empresários por algum motivo altruísta vão dar chance a seus competidores para que ambos cada vez mais tenham que diminuir seus preços, não posso fazer nada ...

Jeová disse...

"Por que ? Você se dispõe a abrir uma empresa de telefonia fixa e competir com a telefônica ?
Ou mesmo uma rede de supermercados, será que você desbanca o Wall-Mart, em alguma jogada genial ?"

O que tem a ver uma coisa com a outra? A competição nunca termina porque não tem fim. Ponto Final. Que competição que acabou? Em que mercado houve o fim da competição? É errado dizer que alguém venceu a competição. O correto é dizer que está vencendo.

Ninguém tem interesse em competir. Os empresários não são diferentes. Não é porque a competição baixa os preços - já que preços mais baixos não significa lucos mais baixos. É porque quanto maior a competição mais difícil para o competidor.

jonas disse...

Mauricio,

"Ou mesmo uma rede de supermercados, será que você desbanca o Wall-Mart, em alguma jogada genial ?"

Veja:

Quer dizer que para competir com a Wall Mart, precisamos abrir um supermercado do tamanho dela?

La vende bicicletas, roupas, computadores etc.. Eu preciso abrir uma rede de supermercado para vender bicicletas, roupas, computadores?

Não.

A Wall Mart monopoliza toda a produção e estoques de bicicletas , roupa e computadores do planeta?

Não.

A unica forma de ela impedir portanto, de competir com suas bicicletas, roupas, computadores, será manter eternamente um preço tão baixo, que impossibilite todos os empresarios em todos os setores que a wall mart atua (roupa, bicicleta, computadores) de obterem estes produtos em algum lugar por um preço, e vende-los por um preço inferior ao a wall mart.


Isso vale pra tudo que a wall mart oferta.

Rodrigo Constantino disse...

Cara, os esquerdistas escrevem no anonimato não é à toa! Como escrevem besteira!!! Só o Maurício ainda insiste em assinar o nome, sem vergonha desse papelão aqui.

A Wal-Mart pratica cartel MUNDIAL? hehehe

E QUANDO ela vai resolver subir esses preços para aproveitar isso, se ela está sempre REDUZINDO seus preços?

Olha o nível desses coitados... são vítimas de Marx mesmo!

Maurício, vc vai insistir em telecom fixa, um setor altamente controlado pelo GOVERNO??? Mesmo a telefonia celular, sob forte regulação, já apresenta bem mais competição. Vc sente saudade da Teleberás??? hehehehehe

Ambev? Quantas cervejas vc pode comprar no livre mercado? No mais, os impostos são elevados demais nesse setor. Que tal RETIRAR o governo da jogada, liberando a importação de forma mais barata? Quantas marcas de cerveja existem para se consumir nos EUA?

Olha, sem brincadeira, vcs são MUITO FRACOS!

Cansa "debater" com esses esquerdistas...

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

Ah sim, o outro fala do tamanho da Wal-Mart. Cáspita, anônimo, vc LEU meu texto??? Viu lá o exemplo da gigante IBM????????

Sério, por que ainda perco tempo com marxistas????????

Rodrigo

Augusto disse...

É isso aí ! Vamos voltar à época que o governo controlava totalmente as telecomunicações!

Uma linha telefonica variava de R$ 1.500,00 a 2.000,00. A instalação variava da disponibilidade, mas normalmente podia chegar a meses/anos. MUITO MELHOR.

Vocês não veem que pagar R$ 30,00 (ou menos) pela linha telefônica e ter ela instalada em uma semana é ruim ? Não veem que isso prejudica o povo ? E o lucrooooooo ?

Desculpem o excesso de ironia, mas esses socialistas/marxistas pedem...


[]'s

FIXtheMAD disse...

Sem contar que no Brasil não existe mercado livre, a quantidade de entraves, regulamentações e pré-requisitos é estonteante. Se você ainda calcular o custo de entrada, e o ambiente insalubre para pequenas e micro empresas que poderiam trabalhar na chamada margem de produtividade, a situação piora ainda. Calculemos as barreiras de importação e as regulamentações de proteção e subsídio que prejudicam a produtividade de empresas eficientes e o quadro é realmente triste.
O Problema do analfabetismo econômico é justamente esse, as pessoas passam a não entender que uma economia produtiva é melhor pra todos, que o mercado livre é melhor pra todos. A Ironia é justamente o fato de serem os coletivistas, não importando muito a vertente política que se apresentam essas pessoas que defendem um arranjo econômico que irá beneficiar um grupo em detrimento do “coletivo”. É bastante ilustrativo o fato que tanto uma sociedade fascista e nacionalista, quanto uma sociedade comunista ou socialista, necessitem dos mesmos meios para atingir seus objetivos.

Anônimo disse...

A Wall Mart opera de uma forma monopolista. Aqui no Brasil, a multinacional adquiriu o Big, o Nacional e outras empresas, desnacionalizando o nosso setor varejista.

Sem falar que a empresa trata os trabalhadores como um escravo, mesmo. Conheço um amigo que trabalhou nesta porcaria até engessado, mesmo apresentando atestado médico e com o braço engessado... Esta empresa é escravagista, não respeita os direitos dos trabalhadores, as mulheres são tratadas como animais...

Ernesto Heredia Dias disse...

Olá anônimo das 7:14. Se o WalMart teve que comprar o BIG (O grupo gaúcho Nacional já tinha sido adquirido antes pelo BIG(Grupo português SONAE); então o seu poder de dumping e de monopólio não foram considerados suficientes para sobrepujar estes ex-concorrentes que estabeleceram um preço para se desfazerem dos seus negócios. O interessante é que os ex-donos do Nacional fundaram uma nova rede de mercados chamada RISSUL e voltaram a concorrer no mesmo ramo contra o WalMart.

Ernesto Heredia Dias disse...

Completando o post anterior - O poderoso grupo multinacional portugês SONAE adquiriu a rede Nacional e depois operou por 10 anos SEMPRE com prejuízo, antes de ser vendido para o WalMart.

jnas disse...

dane-se a bandeira, eu quero um produto bom e barato.

Mauricio disse...

Maurício, vc vai insistir em telecom fixa, um setor altamente controlado pelo GOVERNO??? Mesmo a telefonia celular, sob forte regulação, já apresenta bem mais competição. Vc sente saudade da Teleberás??? hehehehehe

Ha.. controlado pelo governo ...
Essa é boa...

Até onde sei, o governo esta tendo quase que empurrar as 2 empresas de telefonia que tem para competirem, ou a idéia de manter o número, mesmo trocando de operadora, veio da telefônica ou embratel ?

E competição entre telefonia celular ? Da onde você tirou isso ? Tecnicamente as empresas que tem nem competem, cada uma tem foco um grupo restrito de comsumidores.

Ambev? Quantas cervejas vc pode comprar no livre mercado?

E quantas companias existem ? (não falei marcas)

No mais, os impostos são elevados demais nesse setor. Que tal RETIRAR o governo da jogada, liberando a importação de forma mais barata? Quantas marcas de cerveja existem para se consumir nos EUA?

Rapaz, a AMBEV comprou até a BUDWEISER e você vem falar de importação !?!?! Aliás, diga-se de passagem, o que fizeram de propaganda para que a cervejaria não fosse negociada por ser quase um "símbolo nacional" não foi pouco, coisa que aqui no Brasil você chamaria de "nacionalismo imbecil"...

Mauricio disse...

Sem contar que no Brasil não existe mercado livre, a quantidade de entraves, regulamentações e pré-requisitos é estonteante.

Sabe que até hoje eu estou querendo saber se existe o tal mercado livre em algum lugar do mundo ?

Mauricio disse...

Olha, sem brincadeira, vcs são MUITO FRACOS!

Cansa "debater" com esses esquerdistas...


Uai, você não aceita nada que fale contra você, até agora não vi debate também, no máximo uns chavões do tipo " captalismo presa pela eficiência, então esta automaticamente duo garantido".

Você só não explicou por qual motivo dois comerciantes vão querer ficar competindo, abrindo mão de lucro, se podem simplesmente combinar os preço, ou um deles passar a vender alguma outra coisa que não tenha niguem vendendo...

Mauricio disse...

Sem falar que a empresa trata os trabalhadores como um escravo, mesmo. Conheço um amigo que trabalhou nesta porcaria até engessado, mesmo apresentando atestado médico e com o braço engessado... Esta empresa é escravagista, não respeita os direitos dos trabalhadores, as mulheres são tratadas como animais...

Isso eu acho que não é critica, o gerente da filial que seu amigo trabalhou é que pode ser o responsável,em outras unidades pode ser diferente.

Agora, o "C" vai falar de competição quando a empresa já chegou comprando um monte de "possíveis" concorrentes...

Fora que ele foi fazer um artigo usando o que o dono da empresa fala (lógico que ele só vai falar bem, você compraria algo de alguém que falasse que esta pouco se fodendo para os clientes, só quer o $$ deles ?). É a mesma coisa de alguem chegar e falar que o comunismo funciona usando um discursos do Lênin ...

Mauricio disse...

O interessante é que os ex-donos do Nacional fundaram uma nova rede de mercados chamada RISSUL e voltaram a concorrer no mesmo ramo contra o WalMart.

To vendo em tudo quanto é esquina esse rissul ai ...
Onde que eles tem alguma loja .. ?

Mauricio disse...

A unica forma de ela impedir portanto, de competir com suas bicicletas, roupas, computadores, será manter eternamente um preço tão baixo, que impossibilite todos os empresarios em todos os setores que a wall mart atua (roupa, bicicleta, computadores) de obterem estes produtos em algum lugar por um preço, e vende-los por um preço inferior ao a wall mart.

Sei e você jura de pé juntos que nenhuma empresa nunca tentou fazer isso ...

Mauricio disse...

Fora isso, ele não precisa usar essa tática na rede toda, pode ir fazendo bairro por bairro.

Stephanie Sarmiento disse...

Olá,

Estou entrando em contato novamente para tratar da Parceria Comercial mencionada via e-mail em 06/08/08.
Continuamos interessados no site.

Aguardo um retorno para iniciarmos a negociação.

Grata e à disposição,
Stephanie Sarmiento
------------------------------
smarques@hotwords.com.br
www.hotwords.com.br
------------------------------
Phone: 11 3178 2514

Rodrigo Constantino disse...

"Rapaz, a AMBEV comprou até a BUDWEISER e você vem falar de importação !?!?! Aliás, diga-se de passagem, o que fizeram de propaganda para que a cervejaria não fosse negociada por ser quase um "símbolo nacional" não foi pouco, coisa que aqui no Brasil você chamaria de "nacionalismo imbecil"..."

Maurício, lá é "nacionalismo imbecil" também, de alguns bobocas feito os esquerdistas brasileiros. O que importa para os consumidores é a qualidade do produto, não a nacionalidade dos acionistas. Somente xenófobos tribalistas ligam para a nacionalidade dos donos das empresas. E lá tem grupos de interesse também, sindicalistas e trabalhadores querendo manter privilégios à custa dos consumidores.

Se há irracionalidade nos EUA, vc justifica a sua irracionalidade tupiniquim? Eu hein...

No mais, insisto: vc escreve muito, mas não é capaz de apresentar UM ÚNICO ARGUMENTO. Cansa...

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

Pergunta ao Maurício: quantas cervejarias ele acha que existem no mundo? Duas? Três?

hehehehe

Anônimo disse...

Mas em TODOS os lugares a Wal Mart trata seus trabalhadores como escravos, não só o caso do meu amigo. No México, por exemplo, seus trabalhadores são os mais mal pagos do país (não podem dizer que há "intervenção estatal pesada" na economia mexicana, pois o México, até ao NAFTA aderiu). Uma auditoria realizada em 2000 pela auditora Bret Shipley em 128 estabelecimentos da Wal Mart, revelou que a transnacional viola sim as leis trabalhistas. A empresa está envolvida em crimes piores contra seus trabalhadores, por exemplo: mais de MIL menores de idade trabalham de madrugada na multinacional, mais de 60 MIL empregados da empresa sem direito a descanso e mais de 15 MIL sem o direito de se alimentar.

http://www.elpais.com/articulo/economia/auditoria/desvela/Wal-Mart/violo/leyes/laborales/empleo/menores/elpepieco/20040114elpepieco_13/Tes/

E pelo visto (pelo caso do meu amigo), nem direito a repouso em caso de doença ou acidente, o trabalhador desta Empresa tem. Portanto, não se pode responsabilizar apenas o gerente. Vai ver, TODOS os gerentes da transnacional são "malvados"!
Portanto, caros proprietários da Wal Mart, não adianta tentar tirar o corpinho fora, não.

Além de tratar os trabalhadores como escravos, a multinacional gera poucos empregos. Vicente Trius, presidente da Empresa, admitiu que a multinacional vai gerar apenas 7,1 MIL empregos diretos em 36 unidades, o que significa que em cada uma, vai gerar cerca de 198 empregos, ou seja, não chega a 200 empregos diretos por cada unidade gera. E 27MIL empregos indiretos, ou seja, cerca de 750 empregos indiretos por cada unidade.

http://www.ziptop.com.br/noticias/noticias_interna.asp?canal=8&ed=60&ct=508&cd=93789

A soma (de empregos diretos e indiretos) não chega a 950 empregos em cada unidade no ano. É muito pouco! Ainda mais se tratando de uma empresa lucrativa, monopolista, maior empresa do ramo varejista do mundo e cujo proprietário está na lista da Forbes de um dos mais ricos do mundo.

Acho que estes fatos: salários mal pagos, trabalho juvenil de madrugada e em condições precárias, salários mal pagos no México e geração de poucos empregos...são fatos mais do que suficientes para desmascarar a tese sustentada pelos liberalóides, segundo à qual, o empresário repassa seus lucros em benefício dos trabalhadores. O caso da Wal Mart, é um caso mais do que ilustrativo de como funciona a exploração capitalista.

Rodrigo Constantino disse...

Anônimo,

Ninguém é FORÇADO a trabalhar para a Wal-Mart! Trata-se de uma troca VOLUNTÁRIA. Vc entende isso???

Na verdade, a Wal-Mart é alvo de esquerdistas porque não contrata tantos trabalhadores sindicalizados, já que isso não é obrigatório nos EUA (como não deve ser mesmo). Os malandros acostumados com privilégios e bravatas, conquistando vantagens na marra à custa dos demais, reclamam dessa postura. Mas trabalha na Wal-Mart QUEM QUER!

Estou pensando em evitar comentários anônimos no meu blog. Cansa tanta besteira assim apenas para poluir com chavões socialistas, e prejudica um debate mais sério.

Rodrigo

Anônimo disse...

Bom, na época da abolição da escravatura, muitos negros escravos queriam continuar no gueto por falta de perspectiva. Vai dizer que tratava-se de uma troca "VOLUNTÁRIA" (e de maiúsculo ainda, o que fica mais hilário! rsrs) também?

Meu caro, o processo de filiação sindical não é obrigatório, ocorre VOLUNTÁRIAMENTE, ninguém é forçado a se filiar tal sindicato. O que é uma afronta à Livre Organização dos trabalhadores é fazer como muitas empresas fazem (e nisto a Wal Mart bateu o recorde): coagir o direito do trabalhador se filiar ao sindicato.

E porque impedir comentário anônimos? Virou ditador, agora? Vocês são engraçados, vociferam democracia, mas fazem tudo aquilo que condenam: censuram, oprimem a liberdade individual...

jonas disse...

A unica forma de ela impedir portanto, de competir com suas bicicletas, roupas, computadores, será manter eternamente um preço tão baixo, que impossibilite todos os empresarios em todos os setores que a wall mart atua (roupa, bicicleta, computadores) de obterem estes produtos em algum lugar por um preço, e vende-los por um preço inferior ao a wall mart.

Sei e você jura de pé juntos que nenhuma empresa nunca tentou fazer isso ...


Mauricio,

Ela pode tentar, mas irá a falencia. Nenhuma empresa pode fazer isso eternamente. Mas enquanto fizer, estara satisfazendo os consumidores como eles desejam. Se deixarem de fazer, estara criando oportunidades para empresarios explorarem o mercado.

E empresas nao competem somente por preços ,competem por qualidade do produto e do serviço Ela jamais pode monopolizar tudo isso. Sempre ha espaço para oportunidades serem exploradas , gerando concorrencia.

Como eu disse: a unica forma de a wall mart monopolizar o setor em que atua, seria controlando todo o estoque mundial e a produção de tudo o que ela produz.

jonas disse...

* correção: DE TUDO O QUE ELA VENDE! (E NAO PRODUZ)

Mauricio disse...

Ninguém é FORÇADO a trabalhar para a Wal-Mart! Trata-se de uma troca VOLUNTÁRIA. Vc entende isso???

É bem verdade, ele pode se negar a trabalhar nessas condições que o colega escreveu, e morrer de fome, ficar mudando de bairo em bairro, ou de cidade em cidade atrás de algum outro supermercado para trabalhar, até o Wall Mart abrir uma franquia lá e ele ter que se mudar denovo ...

Viva a liberdade !

Rodrigo Constantino, você trabalharia de caixa no Wall Mart então ?

No mais, insisto: vc escreve muito, mas não é capaz de apresentar UM ÚNICO ARGUMENTO. Cansa...


Como você é cínico ...
Estou esperando suas respostas sobre diversos pontos que levantei, incluindo a questão de garrafas pets, mas você só fica repetindo cegamente que niguem tem argumentos contra você, o cara acabou de listar uma tonelada de dados contra suas teses e você simplesmente deu sua resposta padrão ...


Pergunta ao Maurício: quantas cervejarias ele acha que existem no mundo? Duas? Três?

Se dependermos da AMBEV, daqui a pouco é mais ou menos isso que teremos ...
Você jura de pés juntos que se deixadas a seu bel prazer, nenhuma empresa vai tentar monopolizar o mercado, mas não teve explicação para a AMBEV estar comprando tudo, INCLUSIVE a Budweizer !!!!

Mauricio disse...


E porque impedir comentário anônimos? Virou ditador, agora? Vocês são engraçados, vociferam democracia, mas fazem tudo aquilo que condenam: censuram, oprimem a liberdade individual...


A verdade é que quando o "C" não tem resposta, ele procura qualquer motivo para censurar alguém, ou fica repetindo que todo mundo é "comunista" ...
Eu não tenho nenhuma fé no comunismo, assim como não tenho nenhuma fé no tal liberalismo que ele prega.

O mais engraçado ainda é que ele fica falando que niguem argumenta contra ele, mas pega uma entrevista do próprio dono do Wall Mart para analizar a favor do cara, e diz que está argumentando ...

Belo liberal nosso blogueiro se mostra...

Gerson B disse...

Acho que o Rodrigo escolheu mal a emprêsa para dar um exemplo das vantagens do liberalismo. Ela costuma ser citada como o oposto, um exemplo de emprêsa que joga sujo. Essa é exatamente a que requer intervenção para manter o capitalismo funcionando bem, evitando que outras firmas sejam esmagadas pelo tamanho com vendas a preço abaixo do custo. Isso não é concorrência.

Mauricio disse...

^
| Segundo a lógica constantinista, você acabou de soltar uma heresia. A intervenção no capitalismo é o que gera todas as enormes crises, não tem nada haver com a completa falta de planejamento, que fez com que bancos nos EUA saissem financiando um zilhão de casas, sem nenhum indício de que as dividas pudessem ser pagas ...

Ta ai o grande exemplo de eficiência na gestão de recursos ...

Rodrigo Constantino disse...

"E porque impedir comentário anônimos? Virou ditador, agora? Vocês são engraçados, vociferam democracia, mas fazem tudo aquilo que condenam: censuram, oprimem a liberdade individual... "

E a foca Maurício aplaude!

Esses esquerdistas são tão idiotas que confundem democracia com liberdade individual. Democracia no MEU blog??? Agora ELES querem decidir as regras da MINHA propriedade! hehehe

Olha, sinceramente, vcs precisam melhorar MUITO para serem apenas patéticos.

Maurício, vc tem algum ARGUMENTO além de sensacionalismo barato?

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

"Rodrigo Constantino, você trabalharia de caixa no Wall Mart então ?"

Sim, se fosse uma alternativa e eu assim a ESCOLHESSE entre outras.

Vcs são tão fracos que confundem liberdade com PODER.

Onde está o C. Mouro para rir da cara dessa turma? hehehe

Rodrigo Constantino disse...

"Se dependermos da AMBEV, daqui a pouco é mais ou menos isso que teremos ...
Você jura de pés juntos que se deixadas a seu bel prazer, nenhuma empresa vai tentar monopolizar o mercado, mas não teve explicação para a AMBEV estar comprando tudo, INCLUSIVE a Budweizer !!!!"

Uau, a Ambev vai conquistar o mundo!!!

Novamente: será que esse sujeito tem idéia de quantas empresas existem nesse setor??????

Maurício, quem está impedido de competir nesse setor?

Olha, falta um MÍNIMO de leitura por parte desses esquerdistas. É triste ter que perder meu tempo explicando coisas tão básicas...

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

"Acho que o Rodrigo escolheu mal a emprêsa para dar um exemplo das vantagens do liberalismo. Ela costuma ser citada como o oposto, um exemplo de emprêsa que joga sujo. Essa é exatamente a que requer intervenção para manter o capitalismo funcionando bem, evitando que outras firmas sejam esmagadas pelo tamanho com vendas a preço abaixo do custo. Isso não é concorrência."

Falso. A Wal-Mart compete e vence por ser mais EFICIENTE. Não é jogo sujo. Sujo é quando o governo se mete. E mais: qual o market share da Wal-Mart? Nos EUA, no Brasil, na Europa, no MUNDO? Os esquerdistas sabem ou ficam falando besteira sem um pingo de conhecimento?

No Brasil, por exemplo, ela tem participação irrisória no mercado. Aliás, cerca de METADE do mercado de verejo no Brasil é dominado por empresas pequenas e informais, as quitandas e moms and pops. Temos multinacionais competindo, empresas nacionais, um monte de supermercados tentando atrair os clientes. ISSO funciona!

Mas não para os que idolatram o governo. Para esses, a concorrência é "predatória" e faz mal à saúde. Precisamos do governo para nos proteger, eles "pensam".

É dureza...

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

Maurício, ainda aguardo UM ÚNICO ARGUMENTO de sua parte, ok?

Anônimo disse...

Não, os produtos da Wal Mart são os mais baratas não é devido à sua "eficiência", mas porque seus produtos vêm em sua totalidade da China "desplazando" os produtores nacionais, por isso os preços são tão baixos (da mesma maneira como os salários).

Agora, acho que você na acredita nas asneiras que você escreve, pois dizer que no Brasil, a Wal Mart "tem participação irrisória no mercado" só pode estar de brincadeira, depois de comprar vários supermercados nacionais...

Rodrigo Constantino disse...

"Não, os produtos da Wal Mart são os mais baratas não é devido à sua "eficiência", mas porque seus produtos vêm em sua totalidade da China "desplazando" os produtores nacionais, por isso os preços são tão baixos (da mesma maneira como os salários)."

Cara, esses anônimos repetem todos os chavões do Fórum Social Mundial!

Quer dizer que comprar mais barato de produtor chinês agora é algo RUIM para os consumidores americanos????

É cada baboseira...

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

"Agora, acho que você na acredita nas asneiras que você escreve, pois dizer que no Brasil, a Wal Mart "tem participação irrisória no mercado" só pode estar de brincadeira, depois de comprar vários supermercados nacionais..."

Vamos lá, anônimo cupim! Quero DADOS!!!! Diga para nós quanto a Wal-Mart tem de market share????

Rodrigo Constantino disse...

"Agora, acho que você na acredita nas asneiras que você escreve, pois dizer que no Brasil, a Wal Mart "tem participação irrisória no mercado" só pode estar de brincadeira, depois de comprar vários supermercados nacionais..."

Vamos lá, anônimo cupim! Quero DADOS!!!! Diga para nós quanto a Wal-Mart tem de market share????

Rodrigo Constantino disse...

Do site da Abras (será que o anônimo e seu colega Maurício sabem o que é isso?):

"Faturamento das 500 cresce quase 19% em 2008

As empresas que compõem o Ranking Abras passaram, em 2007, a responder por 66% do auto-serviço nacional. Saíram de faturamento de R$ 73,3 bilhões, em 2006, para R$ 90,2 bilhões.


Dos R$ 136,3 bilhões faturados pelo auto-serviço em 2007, 66% saíram das empresas participantes do Ranking Abras 2008. Dado expressivo, especialmente quando se avalia que no ano passado essas empresas responderam por 59% da receita do auto-serviço. A expansão em vendas entre as 500 empresas "ranqueadas", de 2006 para 2007, foi de 23,1% em valores nominais, e de 18,8%, em reais."

O anônimo sabe qual o faturamento da Wal-Mart Brasil?

Rodrigo Constantino disse...

Em 2007, o grupo francês Carrefour faturou R$ 19,3 bilhões no país, superando o Pão de Açúcar, que estava na liderança desde 2000 e teve faturamento de R$ 18,8 bilhões. O Wal-Mart ficou em terceiro lugar, com faturamento de R$ 15 bilhões.

Entendeu, cupim anônimo? Entendeu, Maurício???

A Wal-Mart Brasil fatura R$ 15 bilhões. Isso é dominar o mercado????

Rodrigo Constantino disse...

Dos R$ 136,3 bilhões faturados pelo auto-serviço em 2007, a Wal-Mart teve pouco mais de 10%.

Que medo!

Agora pergunto: o que importa para o CONSUMIDOR se ele compra do Carrefour, do Pão de Açúcar ou da Wal-Mart??? O que ele deseja é preço bom, qualidade boa. Quem entregar isso, conquista o cliente. O presidente da Wal-Mart entende essa obviedade ululante. O Maurício não...

Rodrigo

Lucas disse...

Coitado do Rodrigo,sempre tendo que explicar o óbvio.

Esquerdista nunca vai entender o óbvio.

Aliás,não me canso de dizer,no Brasil,a coisa ta tão feia e a burrice tá tão na moda que enxergar o óbvio virou coisa para gênios.

tandor disse...

Hehehe dessa vez deixamos o Constantino puto !!!

Maurício, ainda aguardo UM ÚNICO ARGUMENTO de sua parte, ok?.

Eu não vi nenhum seu até agora...
Você só sabe falar que o IPCC/os Franceses que fecham a torneira enquanto se ensaboam/o Bush/ os Clintons/etc são todos comunistas...

Na verdade, parece que não existe niguem no mundo, além de você, que não seja comunista !!!

Todos os exemplos que derem que não confirmem as suas idéias você vai falar que tem intervenção estatal.

Eu já te perguntei umas 10x, por que você tem tanta certeza que existem recursos no planeta para se consumir indiscriminadamente ? Você só respondeu que "se Malthus errou no passado, errará no futuro ...".

Já te perguntei onde está a eficiência de uso de recursos naturais em trocar o sistema de vasilhame por produção de garrafas PET, e você simplesmente ignorou.

Já te perguntei se você conversou alguma vez na vida com um Cubano para saber o que ele acha do país dele, e você tambem não teve reposta.

Já te perguntei por qual motivo alguem vai abrir uma empresa para concorrer com outra que já domine o mercado, você não teve reposta...

Você pergunta: Quantas cervejarias existem no mundo ?

Eu respondo, não sei, esse mundo que você diz estar cheio de "comunistas" pelo jeito deve ter criado muitas cervejarias, agora eu te rebato a pergunta: Apareceram mais cervejarias no mundo do que, no mesmo período, a AMBEV tem comprado ?

Uau, a Ambev vai conquistar o mundo!!!

Isso é argumento ? Você apresentou um único argumento que mostre que a AMBEV não vai continuar comprando todos os concorrentes ?

Maurício, quem está impedido de competir nesse setor?

Sei, quantas empresas você ja aconselhou a entrar no ramo de cervejaria ultimamente ?


E depois sou eu que não tenho argumentos ?
VOCÊ NÃO RESPONDE NADA !!!

tandor disse...

"Rodrigo Constantino, você trabalharia de caixa no Wall Mart então ?"

Sim, se fosse uma alternativa e eu assim a ESCOLHESSE entre outras.


Vai lá e pergunta para os funcionários se eles acham a mesma coisa que você, em vez de ficar repetindo o que o dono do Wall-Mart fala...

Rodrigo Constantino disse...

"Já te perguntei se você conversou alguma vez na vida com um Cubano para saber o que ele acha do país dele, e você tambem não teve reposta."

E depois o safado reclama quando eu digo que ele é comunista... imagina se fosse!

Maurício, o cubano NÃO PODE FALAR MAL DO SEU GOVERNO! Vc entende isso, não entende?

O resto é mais do mesmo: repetição cansativa de chavões do Fórum Social Mundial. Esse Maurício, poluidor de blog, não consegue apresentar UM ÚNICO ARGUMENTO, e insiste em pregar o caos iminente da falta de recursos, culpando o capitalismo por produzir riqueza demais! hehehe

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

"Vai lá e pergunta para os funcionários se eles acham a mesma coisa que você, em vez de ficar repetindo o que o dono do Wall-Mart fala..."

hehehe

O que seria de um socialista sem o sensacionalismo barato???

Eu não preciso perguntar, Maurício: eu VEJO que eles ESCOLHEM trabalhar na Wal-Mart, que tem mais de UM MILHÃO de empregados no mundo todo. Ninguém coloca uma arma na cabeça deles. Eles PREFEREM trabalhar lá em vez de trabalhar na quitanda do seu Zé. Vc pode entender isso? Até vc pode, se vc se esforçar um pouco e deixar o ranço marxista de lado por um segundo...

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

"em vez de ficar repetindo o que o dono do Wall-Mart fala..."

hehehehehe

O coitado é tão idiota que acha que o presidente é o DONO da Wal-Mart.

Maurício, a Wal-Mart é uma empresa de capital aberto, uma CORPORAÇÃO, sem a figura do tal "dono capitalista" que vcs socialistas tanto adoram odiar. Os herdeiros da família de Sam Walton não detêm o controle da empresa, nem de perto. E a entrevista era com o presidente para EUA, um equatoriano que, ao contrário dos socialistas, prefere GERAR riqueza em vez de apenas tentar tomá-la na marra, pelo governo ou sindicatos parasitas.

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

Agora diga, Maurício, pois tem cansado vc desviar tanto apenas para repetir os mesmos chavões idiotas de sempre:

Já entendeu que a Wal-Mart não tem nem 10% de market share no varejo brasileiro?

E vá fazer uma pesquisa útil e veja quantas empresas de cerveja existem NO MUNDO!

Sua ignorância cansa, até porque vem junto com extrema arrogância, o que caracteriza estupidez.

Rodrigo

Mauricio disse...

E depois o safado reclama quando eu digo que ele é comunista... imagina se fosse!

Maurício, o cubano NÃO PODE FALAR MAL DO SEU GOVERNO! Vc entende isso, não entende?


Em Cuba não mesmo, e isso quem me falou foi um Cubano, mas aqui podem sim.
Eu já conversei com uma colega que esteve alguns meses aqui no Brasil (e não, ela não estava pedindo asilo...), e você ? Vai ficar repetindo que eu sou comunista por que pergunto se você tem experiência de causa para falar mal da ilha ?

Esse Maurício, poluidor de blog, não consegue apresentar UM ÚNICO ARGUMENTO, e insiste em pregar o caos iminente da falta de recursos, culpando o capitalismo por produzir riqueza demais!

Na verdade, não culpo nem o capitalismo nem o comunismo, culpo é a maneira "economicista" de como esse assunto é tratado pelo dois lados, se você não percebeu isso ainda. Eu já te expliquei por A+B que essa questão influencia e é influenciada pelo modelo econômico, mas não é a mesma coisa, só que você fecha os olhos para isso.

Mauricio disse...

Eu não preciso perguntar, Maurício: eu VEJO que eles ESCOLHEM trabalhar na Wal-Mart, que tem mais de UM MILHÃO de empregados no mundo todo.

Traduzindo, você nunca perguntou, certo ?

Rodrigo Constantino disse...

"Eu já conversei com uma colega que esteve alguns meses aqui no Brasil (e não, ela não estava pedindo asilo...), e você ? Vai ficar repetindo que eu sou comunista por que pergunto se você tem experiência de causa para falar mal da ilha ?"


hahahahaha

Quer dizer que o critério para poder falar mal de Cuba é ter conversado com algum cubano???

PQP! Olha o nível desse cara!

Maurício, Cuba é um LIXO, e somente um completo débil mental ou alguém muito mau caráter nega este FATO evidente, esta obviedade ululante.

E repito: imagina se vc fosse socialista! hehehehe

Olha, falando sério, esse blog é MEU, não é um local público, vc nem mesmo autoriza que pessoas possam entrar no SEU blog, e eu permito que um idiota feito vc fique poluindo meus tópicos com baboseiras sem tamanho. Tem limite!

Se vc não passar a apresentar ARGUMENTOS objetivos, debatendo sem chavões idiotas, sensacionalismo barato e coisas do tipo, vou ter que apagar seus posts, pois eles têm poluído demais meu blog. Sei que vc quer atenção, mas cuide disso no divã!

Aqui eu quero bons DEBATES, e com vc isso está impossível.

Vai pra Cuba, vai.

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

"Traduzindo, você nunca perguntou, certo ?"

Não tem jeito mesmo... o critério de "conhecimento" desse asno é conversar com alguns trabalhadores e pronto. Maurício, se um disser que gosta, e outro disser que odeia, como ficamos???? hehehe

Eu te dou um FATO objetivo, algo que vc detesta: cerca de UM MILHÃO de trabalhadores estão na Wal-Mart. Eles ESCOLHERAM isso, pois ninguém coloca uma arma na cabeça deles. Contra esse DADO concreto, o que vc tem? Ah, conhece alguém que conhece alguém cujo primo já trabalhou na Wal-Mart e disse que se sentiu explorado. hehehehe

Maurício, cresce! Vou ter que começar a apagar seus comentários e vc não melhorar o nível...

Rodrigo

Mauricio disse...

Maurício, a Wal-Mart é uma empresa de capital aberto, uma CORPORAÇÃO, sem a figura do tal "dono capitalista" que vcs socialistas tanto adoram odiar. Os herdeiros da família de Sam Walton não detêm o controle da empresa, nem de perto. E a entrevista era com o presidente para EUA, um equatoriano que, ao contrário dos socialistas, prefere GERAR riqueza em vez de apenas tentar tomá-la na marra, pelo governo ou sindicatos parasitas.

Dá na mesma, você esperava que o cara falasse "então aqui na Wall-Mart nós pregamos uma política de salários mínimos para manter a margem de lucro e vender mais barato, além disso compramos produtos fabricados em vários paises com condições de trabalhos duvidosas, e conhecido desrespeito aos direitos civis, mas tudo pelo menor preço para você consumidor !!! Os funcionários são completamente livres para decidir trabalhar de madrugada pelo menos salário, ou se demitirem, de maneira a manter uma política de preços baixos !!!".

Mauricio disse...

hahahahaha

Quer dizer que o critério para poder falar mal de Cuba é ter conversado com algum cubano???


Acho que para começar a falar mal, primeiro você precisa conhecer de alguma fonte certo ? A menos que você tambem fale que os que os cubanos acham sobre seu pais está todo errado.

PQP! Olha o nível desse cara!

Maurício, Cuba é um LIXO, e somente um completo débil mental ou alguém muito mau caráter nega este FATO evidente, esta obviedade ululante.


Esse é seu argumento ? Aliás, isso é argumento ?
Rapaz, você nem abe o que eu conversei com ela. Então tudo que os Cubanos acharem também é irrelevante perante as suas verdades decretadas ? Tá parecendo o Papa !!!

E repito: imagina se vc fosse socialista! hehehehe

Olha, falando sério, esse blog é MEU, não é um local público, vc nem mesmo autoriza que pessoas possam entrar no SEU blog, e eu permito que um idiota feito vc fique poluindo meus tópicos com baboseiras sem tamanho. Tem limite!


Hum ? Eu não tenho blog.
Bom você é livre para escrever tudo isso em um caderno e não mostrar para niguem, mas acho que vai contra a idéia do Blog não é ?
Agora, se você está tão confiante que acha que precisa apagar tudo que colocam contra suas idéias no blog...

Se vc não passar a apresentar ARGUMENTOS objetivos, debatendo sem chavões idiotas, sensacionalismo barato e coisas do tipo, vou ter que apagar seus posts, pois eles têm poluído demais meu blog. Sei que vc quer atenção, mas cuide disso no divã!

Argumentos, eu espero ver argumentos...

Aqui eu quero bons DEBATES, e com vc isso está impossível.

Vai pra Cuba, vai.


Não ainda não, pelo o que conversei com alguns Cubanos, o país não faria meu estilo. Imagino que você estava jurando que eu ia falar que Cuba é um paraíso ...

Mauricio disse...

Não tem jeito mesmo... o critério de "conhecimento" desse asno é conversar com alguns trabalhadores e pronto. Maurício, se um disser que gosta, e outro disser que odeia, como ficamos???? hehehe

Eu te dou um FATO objetivo, algo que vc detesta: cerca de UM MILHÃO de trabalhadores estão na Wal-Mart. Eles ESCOLHERAM isso, pois ninguém coloca uma arma na cabeça deles. Contra esse DADO concreto, o que vc tem? Ah, conhece alguém que conhece alguém cujo primo já trabalhou na Wal-Mart e disse que se sentiu explorado. hehehehe


Isso que você passou não é um dado concreto para o que você quer afirmar ué ...
Minha intenção coma pergunta foi: Você tem alguma pesquisa sobre as opiniões dos funcionários do Wall-Mart, ou vai partir do presuposto que se tem um milhão de funcionários, todos automaticamente acham que esta ótimo ?
É a mesma coisa que eu soltar "no Gulag tinham um milhão de trabalhadores", é obvio que essa afirmação por si só não quer dizer nada, quando cruzada com o contexto mostra o absurdo que foi um Gulag.

Estou pedindo DADOS, dos trabalhadores do Wall-Mart, quantos % tem chance de ir trabalhar em outro lugar ? A única coisa que você faz é admitir que todos tem, simplesmente por que podem se demitir !!! Eu não estou dizendo que niguem tem, eu estou perguntando, quantos tem ? Eu tambem não sei, e você até o momento não mostrou saber.

Rodrigo Constantino disse...

"Acho que para começar a falar mal, primeiro você precisa conhecer de alguma fonte certo ? A menos que você tambem fale que os que os cubanos acham sobre seu pais está todo errado. "

?????

Não temos fonte para falar mal de Cuba se não conversarmos com alguns cubanos?!?!?!?!

PQP! O show de horrores continua...

Rodrigo Constantino disse...

"Não ainda não, pelo o que conversei com alguns Cubanos, o país não faria meu estilo. Imagino que você estava jurando que eu ia falar que Cuba é um paraíso ..."

hahahaha

AINDA não?!?!?! hehehe

Maurício, qualquer um que NÃO acha Cuba um INFERNO, é um demente!

Entendeu???? Ou preciso desenhar???

Rodrigo Constantino disse...

"É a mesma coisa que eu soltar "no Gulag tinham um milhão de trabalhadores", é obvio que essa afirmação por si só não quer dizer nada, quando cruzada com o contexto mostra o absurdo que foi um Gulag."

MINHA NOSSA SENHORA!!!!!!!!!!!!

Maurício, vc consegue entender que num Gulag as pessoas eram FORÇADAS a entrar e ficar, como escravos, como bois de um rebanho socialista???? E que na Wal-Mart trabalha QUEM QUER????????

Cara, o sujeito tem que ser realmente DEMENTE para comparar a Wal-Mart com um Gulag!!!!

Chega. Pelo bem desse blog, vc será apagado daqui pra frente se continuar poluindo assim, sem argumentos.

Rodrigo

Mauricio disse...

?????

Não temos fonte para falar mal de Cuba se não conversarmos com alguns cubanos?!?!?!?!

PQP! O show de horrores continua...
# posted by Blogger Rodrigo Constantino : 2:16 PM

"Não ainda não, pelo o que conversei com alguns Cubanos, o país não faria meu estilo. Imagino que você estava jurando que eu ia falar que Cuba é um paraíso ..."

hahahaha

AINDA não?!?!?! hehehe

Maurício, qualquer um que NÃO acha Cuba um INFERNO, é um demente!

Entendeu???? Ou preciso desenhar???


Haaa ta bom...

Vossa sapiência quer ensinar aos Cubanos o que eles devem achar de seu país ?

Sinceramente, o dia que você conversar com um, vai se surprender ao saber que Cuba não é uma nação de ignorantes, muito menos uma legião de adoradores de Fidel, assm como também não é o inferno na terra.

Primeiro de tudo:
Os Cubanos sabem muito bem que seu país não tem liberdade, sabem que Fidel é um ditador, e estão a muito tempo querendo que ele SAIA.

Segundo de tudo:
Os Cubanos não estão ansiosos pelo fim de seu sistema de saúde e educação pública, e sabem que não o teriam se não fossem as mudanças durante a derrubada do Batista.
Sabem que Fidel é uma MULA TEIMOSA, mas sabem muito bem que os boicotes impostos pelos países que alegam "defender a democracia" na ilha são igualmente prejudiciais.

Eu poderia escrever linha e linhas, mas você não iria entender.

Resumindo: Os Cubanos tem inteligência o bastante para saberem o que querem, não precisam que um cara que vive em outro país diga para eles o que eles deveriam querer, e sabem muito bem que tanto dentro quanto fora da ilha não faltam pessoas se candidatano a isso (como VOCÊ faz), alegando sempre a "melhor das intenções".

Agora, se o seu argumento é " É POR QUE EU DISSE QUE É, E PRONTO", lamento ...

Mauricio disse...

MINHA NOSSA SENHORA!!!!!!!!!!!!

Maurício, vc consegue entender que num Gulag as pessoas eram FORÇADAS a entrar e ficar, como escravos, como bois de um rebanho socialista???? E que na Wal-Mart trabalha QUEM QUER????????


E será que eu vou ter que escrever denovo para você entender que eu não falei bem do gulag !?!?!?!?
Eu falei que só mostrar os números como você faz não quer dizer nada !!!
Estou te pedindo um dado que mostre que pelo menos a maioria dos trabahadores do Wall-Mart EFETIVAMENTE tem a opção de trabalhar em outro lugar !!!!!!

Cara, o sujeito tem que ser realmente DEMENTE para comparar a Wal-Mart com um Gulag!!!!

Você é que não entendeu meia LINHA do que eu escrevi para achar que eu fiz isso !!!


Chega. Pelo bem desse blog, vc será apagado daqui pra frente se continuar poluindo assim, sem argumentos.

Affe, você não saca nada do que está escrito e fala que eu estou poluindo.

EU TE PEDI O DADO QUE MOSTRE SE OS TRABALHADORES DO WALL-MART TEM OUTROS LOCAIS PARA TRABALHAR SOB OUTRAS CONDIÇÕES.

VOCE TEM OU NÃO ?

E EU SEI QUE O GULAG ERA UM TREMENDO DE UM CAMPO DE CONCENTRAÇÃO ASSASSINO, SÓ USEI COMO EXEMPLO PARA MOSTRAR QUE FALAR QUE TER UM MILHÃO DE PESSOAS TRABALHANDO NÃO QUER DIZER NADA, É PRECISO COLOCAR ESSE DADO EM UM CONTEXTO.

fabriciolb disse...

p/ Mauricio e Rodrigo:

(Mauricio) ... Estou te pedindo um dado que mostre que pelo menos a maioria dos trabahadores do Wall-Mart EFETIVAMENTE tem a opção de trabalhar em outro lugar !!!!!! ...

Vamos trabalhar em cima da tua hipótese:

- Ninguém tem opção de trabalhar em outro lugar:
O Wall-Mart ajudou a melhorar a vida de seus empregados, deu um emprego a eles sendo que ele não tem opção de trabalhar em outro lugar.

Agora vem a resp:

... Ele explora os funcionários por oferecer uma remuneração baixa ...
1) Como na primeira hipótese eles não tem opção de trabalhar em outro lugar, então ou contenta-se com o que tem ou sai do emprego e passa fome.
2) Obrigar o Wal-Mart a pagar salários maiores: A única alternativa seria subir o salário mínimo para um patamar superior ao salário dos funcionários Wal-Mart, ou seja, sobe gasto de todas empresas e do governo. Inflação galopante??? Perde-se a meritocracia?? (neste casos os ajustes artificiais e forçados não provocam mudanças estruturais).
Sobra menos dinheiro para o investimento e criação de novas empresas, se elas não crescem diminuem a oferta de emprego, e no final o resultado continua sendo contra a população.

3) Fecha todos Wal-Mart no Brasil: Milhares de pessoas perderão o emprego, serão realocadas? O governo pode pagar o salário para todas? Isso realmente é uma solução sustentável? Perde-se empregos em fornecedores, diminui a oferta, processo em cascata de coisas ruins além de mostrar-se ser um país não sério e sem liberdade, traz medos aos investidores, menos investimentos, menos emprego e menor geração de riqueza, denovo contra a população e o bem estar.

Aí vem:
... Então a "exploração" deve continuar indefinidamente?
A econômia de mercado se reajusta a longo prazo, haverá crises, claro, isto é inevitavel mas ao mesmo tempo saudável. Empresas fortes geram riqueza, investimentos, dinheiros e criam necessidade de novas empresas, novas empresas melhor oferta de emprego, mais oferta de emprego chega-se a um ponto que a oferta de recursos (pessoas) começa a ficar limitada (o que acontecem em países desenvolvidos ao longo de vários anos, como a Alemanha), isso aumenta a renda naturalmente. A mão de obra em países altamente desenvolvidos é cara em comparação a países subdesenvolvidos, ou seja, ganha-se mais, vive-se melhor, isto foi resultado de longos anos de incentivo a iniciativas privadas, industrialização, inovação se o governo quer atuar que atue como parceiro das empresas, ajudem estas a crescerem, investirem e desenvolverem, o efeito de tal é multiplicativo, o país todo cresce e todos vivem melhor.
Mas haverá crises, nada é perfeito, mas no geral a população viverá melhor.
Eu tenho certeza que a riqueza, infraestrutura gerada, empregos gerados, famílias felizes é infinitamente maior do que o lucro das empresas privadas, é um processo multiplicativo com valor imensurável, ao longo dos anos o incentivo a iniciativa privada e também a educação de qualidade são investimentos com taxas de retorno maior que qualquer investimento, impossível de mensurar.

Não sou um cara de leitura de vários livros sobre mercado, econômia e afins, mas acredito na verdade, e aqueles que a seguirem a longo prazo provarão que estavam certos e viverão melhor.

Parabéns Rodrigo, começei a acompanhar seus textos e vou comprar teu livro. É uma felicidade encontrar uma pessoa que acredita na verdade e na realidade de como as coisas são, sem sonhos, emoções e crenças em algo que no longo prazo prova-se fadado ao fracaso.

Abraço a todos

Fabricio Bronzatti

Charles disse...

Mauricio:

Quem liga para AMBEV e seu tamanho? EU só tomo cervejas alemãs, produzidas segundo a Reinheitsgebot, a lei da pureza de 1516. Se a AMBEV passar a ser dona de todas as cervejarias do mundo e não produzir uma cerveja que me agrade, recorrerei às cervejas de produtores artesanais ou farei eu mesmo a minha cerveja.
Sua preocupação com um monópolio das cervejarias e inexistência de concorrência é infantil. Consumidor exigente busca bons produtos. Só bebedores de cervejas de baixa qualidade como as nacionais e americanas estão preocupados com que vai produzir e comercializar as Skol, Bud e Brahmas da vida. Pare de se preocupar com as empresas e dê mais atenção ao que consome EFETIVAMENTE.

Agente secreto disse...

"Vamos lá, anônimo cupim! Quero DADOS!!!! Diga para nós quanto a Wal-Mart tem de market share????"

Pô, Rodrigo, será que vou ter de te revelar um segredo de agente secreto?
Vamo lá então:

Wal-Mart passa Carrefour e fica em 2º no ranking de supermercados
http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u115992.shtml

A transnacional apresentou um faturamento de R$ 12,9 bilhões em 2006, pouca diferença com relação ao grupo nacional, Pão de Açúcar, que, por sua vez, registrou faturamento de R$ 16,1 bilhões em 2006.


Agora vou ter de te revelar outro segredo de agente secreto (putz!):

Ranking de países por número de lojas:
país Número de lojas
1° México -------- 640
2° Inglaterra ---- 248
3° Canadá -------- 216
4° Brasil -------- 143
5° Alemanha ------ 92
6° China --------- 31
7° Coréia do Sul - 15
8° Argentina ----- 11
(Fontes: Abras e Wal-Mart)

O Brasil está em 4° colocado, superando a Alemanha, a China, a Coréia do Sul e a Argentina em número de lojas, portanto sua participação no Brasil não é tão irrisório como você disse. E perceba que este dado é de 2004, como vimos na reportagem da Folha, a multinacional aumentou o número de lojas no país com a aquisição da Sonae.

Anônimo disse...

Caraca, o tal do "Fabrício" se enrolou todo ao tentar explicar as tais "maravilhas" da economia de mercado. Vejam bem:

"Mas haverá crises, nada é perfeito, mas no geral a população viverá melhor."
- Não entendí, quer dizer que haverá crises, mas a população viverá melhor? Não entendí, pois que eu saiba, quando ocorre uma crise, a vida de TODOS pioram. Tanto que com a crise do crédito e dos alimentos, TODOS estão sofrendo, principalmente os países desenvolvidos que são apontados como modelos de referência.
Esta sua conversinha de que se a empresa lucra, os trabalhadores saem ganhando não cola mais, principalmente se tratanda da Wal Mart. Acabamos de ver que, neste ano, a empresa não gera nem 950 empregos (direitos e indiretos) por unidade, ainda mais observando as condições de trabalho dos trabalhadores desta multinacional.

Agora (hehehe), a explicação do Rodrigo sobre os trabalhadores aceitarem as condições de trabalho na Wal Mart é hilária. Ele diz que a Wal Mart não coloca nenhuma arma da cabeça do trabalhador. Bom, depois da abolição da escravatura, não havia mais as algemas nos negros, nem as chibatadas, mas mesmo assim, os negros queriam permanecer nos guetos. Será que se o Rodrigo estivesse lá não diria que aquilo não era escravatura, não, pois os negros trabalhavam "voluntariamente", já que depois da abolição, continuaram nos guetos. hehehe

fabriciolb disse...

Anonymous:

(anonymous) ... "Mas haverá crises, nada é perfeito, mas no geral a população viverá melhor."
- Não entendí, quer dizer que haverá crises, mas a população viverá melhor? Não entendí, pois que eu saiba, quando ocorre uma crise, a vida de TODOS pioram. Tanto que com a crise do crédito e dos alimentos, TODOS estão sofrendo, principalmente os países desenvolvidos que são apontados como modelos de referência. ...)
Concorco, crise = sofrimento, haverá crise, haverá sofrimento, mas passageira. Nos países desenvolvidos o impacto é muito menor, ao invés ir ao restaurante todo dia / final de semana muda-se o hábito e cozinha-se em casa, ao invés de viajar nas férias, não o faz, ao invés de comprar um carro, utiliza o dinheiro para arcar com gastos extras, ao invés de comer 4 vezes por dia come-se 3 ou 2 vezes, nos países subdesenvolvidos pobres a população passa fome em tempos de crise. Além disso algumas pessoas irão perder empregos, mas graças as empresas que geraram riquezas e impostos o governo tem possibilidade de bancar um seguro desemprego razoável por um período mais longo. Eles fizeram a lição de casa e arrumaram o telhado enquanto estava sol, a tempestade tá forte, tá pingando dentro de casa, mas não está inundando tudo o que acontecerá com o Brasil se ele não fizer a lição de casa agora, diminuição de impostos e enxugar a máquina estatal.

(anonymous) Esta sua conversinha de que se a empresa lucra, os trabalhadores saem ganhando não cola mais, principalmente se tratanda da Wal Mart. Acabamos de ver que, neste ano, a empresa não gera nem 950 empregos (direitos e indiretos) por unidade, ainda mais observando as condições de trabalho dos trabalhadores desta multinacional.

950 empregos * 7357 unidades = 6.989.150, que legal, eles impactam a vida de tanta gente e ainda assim geram muito mais econômia para outras famílias que compram produtos mais baratos, poxa isso é legal.
Pra ter uma referência se é muito ou pouco emprego, vamos analisar os empregos diretos:

Wal-Mart: 2100000 funcionários / 7357 unidades = 285 empregos por unidade.
Pao de Acucar: 65582 funcionários / 575 unidades = 114 empregos diretos por unidade.

Mini mercado Vince (perto da minha casa) = 20 funcionários / unidade

3 empresas que lutam pra sobreviver e geram empregos e renda, o mercado Vince continua lá firme e forte perto de várias paradas de onibus atendendo aquele nicho, gerando empregos e renda e foi aberto após a grandes redes varejistas.


(anonymous) Agora (hehehe), a explicação do Rodrigo sobre os trabalhadores aceitarem as condições de trabalho na Wal Mart é hilária. Ele diz que a Wal Mart não coloca nenhuma arma da cabeça do trabalhador. ...)
Verdade, conheço pessoas que trabalham lá, se sustentaram e possibilitou renda durante períodos de preparação para oportunidades melhores, e saíram, conseguiram empregos melhores, e assim é o ciclo.

(anonymous) Bom, depois da abolição da escravatura, não havia mais as algemas nos negros, nem as chibatadas, mas mesmo assim, os negros queriam permanecer nos guetos. Será que se o Rodrigo estivesse lá não diria que aquilo não era escravatura, não, pois os negros trabalhavam "voluntariamente", já que depois da abolição, continuaram nos guetos. hehehe ...)
Da noite pro dia é difícil ocorrer mudanças em casos onde uma história toda de escravidão se manteve por muitos e muitos anos. Com a abolição da escravidão o primeiro passo foi dado e ao longo de vários anos de reparação e mudança de cultura a situação melhorou gradativamente e hoje a proporção de escravidão é imensurávelmente menor, sendo que pode ocorrer em alguns lugares do mundo creio eu, mas com certeza a situação melhorou demais. As sementes foram plantadas e o longo prazo fez a árvore crescer, abolição da escravatura é economia de mercado, os indíviduos são livres para decidir onde trabalhar e se querem trabalhar.

Abraço

Fabricio

Mauricio disse...

Agora (hehehe), a explicação do Rodrigo sobre os trabalhadores aceitarem as condições de trabalho na Wal Mart é hilária. Ele diz que a Wal Mart não coloca nenhuma arma da cabeça do trabalhador.

Mas é exatamente isso que eu estou falando e ele se recusa a entender a pergunta, acha que eu estou falando que tem que estatizar o Wall-Mart...

"Constantino, você tem algum dado que mostre claramente que os empregados do Wall Mart trabalham lá por por opção, ou por falta de opção ?"

Ele só fica repetindo que o lugar emprega 1 milhão de funcionários e que ninguém apontou uma arma na cabeça deles, o que não responde a minha pergunta ...

Po o cara podia dar uma resposta clara, mas ele acha que eu estou tentando provar que o comunismo funciona...

Pior ainda, ele sabe tudo sobre Cuba, mas nunca conversou com Cubano nenhum...

Mauricio disse...

Fabricio

Você foi capaz de responder o que o dono do blog se recusa a fazer.

Mas algumas das suas idéias também não batem com as do "C".

Mauricio disse...

Vejo vocês no próximo artigo de nosso protagonista.

Anônimo disse...

Nos países desenvolvidos, os impactos da crise é muito menor? Os países desenvolvidos não são este mar-de-rosa como vocês pregam. Antes da crise imobiliária em 2007, em 2006, 30 milhões de cidadãos norte-americanos sofriam com a fome e a desnutrição, em 2005, 13 milhões de crianças norte-americanas subnutridas. Imagine a situação dos EUA, com a crise imobiliária, com os preços dos alimentos subindo, a fome deve ter triplicado...
Em outros como a Alemanha e a França, o desemprego já era elevado, imagine depois da crise... Aí você citou o seguro-desemprego...o que você me diria sobre o fato de liberais como Walter Block serem contra o uso de seguro-desemprego? Não é uma contradição?

Eu não disse que a empresa gera 950 empregos por unidade., ela gera MENOS do que isso. Que generosidade! Que muiiito emprego gerado, né? Ainda mais se tratando de uma empresa lucrativa! A Wal Mart gera 285 empregos diretos? Nossa, clap, clap, clap! Que generosidade! Muiiito emprego gerado! Não é à toa que, aqui no RS, vão dar isenção fiscal para uma multinacional (Nestlé) para esta gerar 40 Empregos. Que muiiito emprego a Nestlé gerou, né?

Não estou debatendo aqui mudanças, o que estou dizendo que os negros preferiram continuar nos guetos, aí se os cabecinhas liberais estivessem lá, diriam que não é escravidão, já que continuavam trabalhando voluntariamente para o "senhozinho", embora a escravidão já tivesse sido abolida. Se bem que liberal defende a escravatura, vide John Locke (diversas vezes citado por Rodrigo Constantino aqui no blog).

fabriciolb disse...

(anonymous) Nos países desenvolvidos, os impactos da crise é muito menor? Os países desenvolvidos não são este mar-de-rosa como vocês pregam. Antes da crise imobiliária em 2007, em 2006, 30 milhões de cidadãos norte-americanos sofriam com a fome e a desnutrição, em 2005, 13 milhões de crianças norte-americanas subnutridas. ...
Visite os caras e vejam como é a situação deles perante ao Brasil ou Cuba por exemplo. A taxa de fome lá é de 4% que não chega nem perto dos 30 milhões citados, podemos divergir em dados diferentes sem chegar a uma conclusão, mas te garanto a situação deles é muito superior a países subdesenvolvidos. Mas vamos verificar os impactos, posso buscar dados de diversas fontes, vou verificar. Mas aposto contigo, eles vão se recuperar, pode demorar meses ou alguns anos, mas a crise vai passar.

(anonymous) Imagine a situação dos EUA, com a crise imobiliária, com os preços dos alimentos subindo, a fome deve ter triplicado...
Difícil, pelos jornais e notícias vc não terá o real impacto na vida de cada um lá, o quadro piorou mas graças a um patamar superior que eles estão ainda não chega perto da nossa situação. Entendo o seu lado, é difícil ter idéia da realidade através da TV e os meios de comunicações (jornais), principalmente os de massas, formam opiniões vagas, o ideal seria vc visitá-los e sentir a situação por lá. Mas vamos verificar tal informação.

(anonymous) A Wal Mart gera 285 empregos diretos? Nossa, clap, clap, clap! Que generosidade! Muiiito emprego gerado! ...
Por unidade, é uma quantia razoável, creio que muito boa, vou tentar achar algum mercado / rede que gere mais empregos por unidade, se achar me fale e indique a fonte dos dados, me interesso pela verdade e nada mais, vamos esquecer ideologias. Quero entender se existe lógica em dizer que o Wal-Mart gere algo ruim pra sociedade no balanço.

(Anonymous) Não é à toa que, aqui no RS, vão dar isenção fiscal para uma multinacional (Nestlé) para esta gerar 40 Empregos
Vamos confirmar esta informação, me passe a localidade onde se instalará, nome do município e vou pesquisar na prefeitura, empresa, federação indústria etc...

(Anonymous) Não estou debatendo aqui mudanças, o que estou dizendo que os negros preferiram continuar nos guetos, aí se os cabecinhas liberais estivessem lá, diriam que não é escravidão, já que continuavam trabalhando voluntariamente para o "senhozinho", embora a escravidão já tivesse sido abolida. Se bem que liberal defende a escravatura, vide John Locke (diversas vezes citado por Rodrigo Constantino aqui no blog). ...
Que seja, vamos esquecer nomeclaturas e trabalhar com fatos, o que eles achavam não importa, o importante é que com a abolição da escravatura o primeiro passo foi dado.

Outro coisa, parece pecado ter empresa lucrativa, vamos voltar aos tempos tribais então, escambo sem lucro, quer dizer, quem quiser que monte uma sociedade baseada em tal, eu to fora. Isto vale também para o indivíduo, sempre buscamos trabalhar pra ter renda e pagar os gastos pessoais e se possível economizar pra sobrar algum dinheiro no final, ou seja: renda - gastos = lucro, isto é natural.

Denovo, pra mim não importa o que diz tal economista, ou tal escola e teoria, só sei que os príncipios do capitalismo, economia de mercado e uma sociedade regida pela meritocracia, honestidade e cultura de desenvolvimento irá prosperar.

fabriciolb disse...

Maurício,

Não me importa se algumas idéias não batem, isso é natural e saúdável , idéias diferentes e liberdade de pensamento, o que prego é uma convergência maior em torno da verdade, fatos e estratégias que funcionam a longo prazo, não me importa se vai a favor ou contra a certo economista, o que importa é se aquela idéia, metodo ou ação provou-se melhor que as outras opções, denovo, nada é perfeito e algumas coisas funcionam melhor que as outras, em alguns casos muito melhor e ao longo do tempo os fatos compravam isto. Bom parece meio vago, mas o que quiz dizer é que podemos tomar ações e aplicar conceitos mais racionais baseados em fatos, números e na realidade, temos que esquecer emoções e crenças. Costumamos criticar coisas que não conhecemos profundamente baseando-se apenas na mídia, livros, etc... O certo é colocar na ponta do lápis e a taxa de acerto será muito maior.

Abraço

fabriciolb disse...

Anonymous:

(anonymous) Aí você citou o seguro-desemprego...o que você me diria sobre o fato de liberais como Walter Block serem contra o uso de seguro-desemprego? Não é uma contradição? ...
Esqueci desta, não quero me prender aos liberais, teorias, ao Walter Block, sei lá quem é, como já disse não sou estudioso de teorias, autores e tal. Gosto dos fatos e tentar entender a realidade como ela é. Na minha opinião acho que em uma sociedade desenvolvida, culta e que sinta certa vergonha em se sustentar utilizando o seguro desemprego sem buscar oportunidades de trabalho o método é eficaz, ou seja, aquele cara batalhador que por alguma razão específica perdeu o emprego, mas, busca com todo esforço novo emprego e maneiras de se sustentar, o seguro desemprego é saudável. No entanto como nem todas pessoas são assim tal benefício pode gerar acomodações e baixa produtividade em certa parcela da população, daí os dados devem ser analisados o quão benéfico / maléfico tal método é e correções devem ser feitas, diminuir tempo, eliminar, o cenário dirá.

Jeová disse...

É importante perceber a sutil alteração de sentido a que se submeteu a palavra liberdade para tornar plausível este argumento. Para os grandes apóstolos da liberdade política, essa palavra significava que o indivíduo estaria livre da coerção e do poder arbitrário de outros homens, livre das restrições que não lhe deixavam outra alternativa senão obedecer às ordens do superior ao qual estava vinculado. Na nova
liberdade prometida, porém, o indivíduo se libertaria da necessidade, da força das
circunstâncias que limitam inevitavelmente o âmbito da efetiva capacidade de escolha
de todos nós, embora o de alguns muito mais do que o de outros. Para que o homem pudesse ser verdadeiramente livre, o "despotismo da necessidade material" deveria ser
vencido, e atenuadas "as restrições decorrentes do sistema econômico'".


Hayek!

Anônimo disse...

Meu caro, os dados sobre a fome nos EUA provém dos números do Ministério da Agricultura do governo norte-americano. De acordo com estes números, a desnutrição neste paraíso chega a 12%.

--> O USDA disse que 12 por cento dos americanos - 35 milhões de pessoas - não poderia pôr comida na mesa pelo menos uma parte do ano passado. Onze milhões de famintos eles relataram que vão às vezes. No início deste ano, o USDA determinou como "muito baixa segurança alimentar" a ser um cientificamente mais palatável para a descrição desse grupo.

http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2006/11/15/AR2006111501621.html

Imagine, em 2006, antes da crise, a desnutrição dos Estados Unidos chegava a 12% (e não 4%, tá?), imagine como está agora com a inflação dos alimentos.

Cara, você está opinando sobre algo que não sabe.

E você acha muito ainda contratar 285 empregados diretos, mesmo apresentando faturamento e, pior, empregando em condições sub-humanas (não se esqueça que destes 285 empregados, há sempre algum/ns adolescente trabalhando de madrugada)? E será que estes 285 empregos são tudo num mesmo país, ou são em vários? E se outras empresas geram menos que isso, não interessa, isso mais uma vez prova a ineficiência do capitalismo quando se trata de geração de empregos. Aliás, porque vou me desgastar numa conversa fiada, já que o próprio Hayek (aquele liberalzinho de plantão que vociferava liberdade individual) já alertou sobre a inevitabilidade do desemprego no capitalismo liberal. Portanto, só cai nesta conversa fiada desavisado ou patetas como você.
É isso aí! O Estado do RS vai renunciar de arrecadar Bilhões para uma multinacional gerar 40 empregos. Que muito né!

Não é nenhum pecado, uma empresa ser lucrativa, nós criticamos a forma como ela lucra. A Wal Mart, por exemplo, trata seus trabalhadores como escravos, como uns verdadeiros animais. Seus produtos são os mais baratos porque é a empresa que mais vende produtos chineses e que mais arrocha seus empregados.

Na questão do seguro-desemprego, você se mostrou que é contraditório. Primeiro diz que o seguro-desemprego é saudável, depois diz que "tal benefício pode gerar acomodações e baixa produtividade em certa parcela da população"... Decida-se, seguro-desemprego é bom ou não?

Jeová disse...

"E se outras empresas geram menos que isso, não interessa, isso mais uma vez prova a ineficiência do capitalismo quando se trata de geração de empregos. Aliás, porque vou me desgastar numa conversa fiada, já que o próprio Hayek (aquele liberalzinho de plantão que vociferava liberdade individual) já alertou sobre a inevitabilidade do desemprego no capitalismo liberal."

Então por que os EUA, capitalistas, criaram beeeem mais empregos que a Europa, social-democrata?

Outra coisa: emprego não é um fim em si mesmo. O emprego é a maneira encontrada de satisfazer suas necessidades.

Sobre a desnutrição:

O problemas da maioria desses dados é que eles simplesmente fazem exames na pessoa e constatam desnutrição, sem se preocupar se essa pessoa tem condições de comer ou não. Garanto a você que o número de pessoas que passa fome na América é irrisório.

fabriciolb disse...

Gosto de discussões sérias, mas o nível baixou, no começo até que o nível estava interessante, agora, nem me preocupo mais.

(anonymous) 35 million people -- could not put food on the table at least part of last year ...
Este é o grupo todo incluindo:
- Marginal food security
- Low food security
- Very low food security
Tente entender o que representa na realidade cada um destes.

Vamos lá um pouco de matemática básica:

(anonymous) ...Eleven million of them reported going hungry at times. Beginning this year, the USDA has determined "very low food security" to be a more scientifically palatable description for that group....

Vamos lá matemática e interpretação das classes:
35 milhões = 12 %
11 milhões = x %
x = 3,77 %

(anonymous) ...E você acha muito ainda contratar 285 empregados diretos, mesmo apresentando faturamento e, pior, empregando em condições sub-humanas (não se esqueça que destes 285 empregados, há sempre algum/ns adolescente trabalhando de madrugada)? ...
Nossa esta definição mostra que eu fui escravo quando adolescente trabalhando em outras empresas pequenas, caramba tem gente que não gosta de trabalhar mesmo.

(anonymous) E será que estes 285 empregos são tudo num mesmo país, ou são em vários? E se outras empresas geram menos que isso, não interessa, isso mais uma vez prova a ineficiência do capitalismo quando se trata de geração de empregos ....
Matemática básica novamente, 285 é uma média, mas vamos lá, Wal-Mart Brasil emprega diretamente aprox. 182 pessoas por loja, continua maior que a média do Pão de Açucar, denovo, só para referência, também apoio o pão de açúcar e extra, genuinamente brasileiros se tiver opção de comprar sempre opto por empresas brasileiras, mas incentivo capital privado de vindo de qualquer país do mundo.

(anonymous)Não é nenhum pecado, uma empresa ser lucrativa, nós criticamos a forma como ela lucra. A Wal Mart, por exemplo, trata seus trabalhadores como escravos, como uns verdadeiros animais ...
Acho que este dado vem de pessoas que não gostam de trabalhar. E sinceramente, no Brasil a lei protege o empregado, se tal é verdade, garanto se o funcionário entrar na justiça e provar tal fato ele ganha.

(anonymous) Seus produtos são os mais baratos porque é a empresa que mais vende produtos chineses e que mais arrocha seus empregados...
Que mal há nisto, vender produtos mais baratos e chineses, agoro peço coerência, desligue o computador e pare de usar, boa parte dos componentes internos vem da China.

(anonymous) já que o próprio Hayek (aquele liberalzinho de plantão que vociferava liberdade individual) já alertou sobre a inevitabilidade do desemprego no capitalismo liberal. Portanto, só cai nesta conversa fiada desavisado ou patetas como você. ...
Eita, agora piorou, claro que vai haver desemprego, é o mal que se paga para o desenvolvimento, não vi o socialismo/comunismo prosperar, seria fantástico se funcionasse, a idéia parece boa e bonita, mas infelizmente não funciona, a história mostrou isto, não dá pra negar. Desafio alguém a fazer uma aposta que o capitalismo prosperará frente a outras formas de governo, podemos fechar como será medido tal aposta e prazo de duração, pode ser qtos anos quizer, qtde máxima possível que seja. O dinheiro vai para uma instituição de caridade da escolha do ganhador (http://www.longbets.org).

(anonymous) Na questão do seguro-desemprego, você se mostrou que é contraditório. Primeiro diz que o seguro-desemprego é saudável, depois diz que "tal benefício pode gerar acomodações e baixa produtividade em certa parcela da população"... Decida-se, seguro-desemprego é bom ou não? ...
Busque a parte no texto onde diz ... No entanto ...
A eficiência do benefício é diretamente proporcional a cultura do indíviduo, honestidade e vontade de produzir, para algumas pessoas não é bom, elas podem se acomodar, se eu ajudar uma pessoa monetariamente que precise se sustentar durante um período de desemprego, ponto para o benefício, mas se eu beneficiar um ladrão ou vagabundo que não quer trabalhar a ajuda não traz benefício nenhum.

Ficamos para a próxima discussão, ahh, se quiser fazer a aposta, vamos nessa, to dentro, mas daí o anonimato tem que acabar.

Abraço

Fabricio

Anônimo disse...

Bom, caro Jeová, vamo lá então. Vamos comparar as taxas de desemprego dos países europeus que adotam o chamado "Welfare State", Qatar e Cuba, com os modelos mais liberais como os EUA e a Inglaterra (vou pegar o ano de 2006 para vocês não argumentarem que é por causa da crise):

Islândia (2006): 1.3%
Noruega (2006): 3.6%
Dinamarca (2006): 3.8%
Qatar (2006): 3.2%
Cuba (2006): 1.9%
Estados Unidos (2006): 4.7%
Inglaterra (2006): 4.8%

"emprego não é um fim em si mesmo." Pô, Jeová, não precisava ser tão direto, o teu amigo Hayek já havia me alertado. é claro que não. Não é e nunca será o fim do capitalismo, pois como o teórico Hayek sustentou, quanto mais gente desempregada, maior a procura por emprego, e quanto maior a procura por emprego, menor os salários, e quanto menor os salário, menor os custos, quanto menor os custos, menor os lucros para os patrões...

"Garanto a você que o número de pessoas que passa fome na América é irrisório." - Pô, cara, não force a barra. 35 milhões é um número irrisório? Imagine 35 milhões de venezuelanos pássam fome, aí vocês cámgam de pau em cima. Nos EUA, 35 milhões pássam fome, aí é irrisório.

Jeová disse...

Round 1:

"Bom, caro Jeová, vamo lá então. Vamos comparar as taxas de desemprego dos países europeus que adotam o chamado "Welfare State", Qatar e Cuba, com os modelos mais liberais como os EUA e a Inglaterra (vou pegar o ano de 2006 para vocês não argumentarem que é por causa da crise):

Islândia (2006): 1.3%
Noruega (2006): 3.6%
Dinamarca (2006): 3.8%
Qatar (2006): 3.2%
Cuba (2006): 1.9%
Estados Unidos (2006): 4.7%
Inglaterra (2006): 4.8%"

Por que você esqueceu da Itália, da França e da Alemanha? Muito desemprego, né?

Vamos aos fatos:

Na última década, a economia americana cresceu duas vezes mais que as economias européias. Em 2006, o desemprego europeu atingiu a média de 8 por cento, enquanto que nos EUA a média foi de 4,7 por cento. E mais: a percentagem de americanos sem emprego há mais de 12 meses era de 12,7 por cento, enquanto que na Europa era de 42,6 por cento. Desde de 1970, 57 milhões de novos empregos foram criados nos EUA e apenas 4 milhões na Europa.

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5408

Agora olhe as fontes do autor do artigo:

http://www.heritage.org/research/budget/bg1979.cfm#_ftn19
http://taemag.com/printVersion/print_article.asp?articleID=18720

Round 2:

""emprego não é um fim em si mesmo." Pô, Jeová, não precisava ser tão direto, o teu amigo Hayek já havia me alertado. é claro que não. Não é e nunca será o fim do capitalismo, pois como o teórico Hayek sustentou, quanto mais gente desempregada, maior a procura por emprego, e quanto maior a procura por emprego, menor os salários, e quanto menor os salário, menor os custos, quanto menor os custos, menor os lucros para os patrões..."

Deixa de ser sem vergonha! Para de ficar colocando palavra na boca dos outros.

Round 3:

""Garanto a você que o número de pessoas que passa fome na América é irrisório." - Pô, cara, não force a barra. 35 milhões é um número irrisório? Imagine 35 milhões de venezuelanos pássam fome, aí vocês cámgam de pau em cima. Nos EUA, 35 milhões pássam fome, aí é irrisório."

Antes de dizer que o número era irrisório eu disse que o número 35 milhões estava inflado. Logo, o adjetivo irrisório não se referia ao número 35 milhões. E tu é tão sem vergonha que, mesmo depois do Fabrício ter traduzido pra ti, tu ainda fala em 35 milhões.

Anônimo disse...

Fabrício, seu analfa, antes de opinar, aprenda a ler, primeiro.

Segundo a matéria da "Washington Post" até doenças relacionadas à fome e à subnutrição os americanos tem. Se quiser eu lhe cólo um trecho da matéria e traduzo pra você, tá? Veja:

the panel suggested that the USDA scrap the word hunger, which "should refer to a potential consequence of food insecurity that, because of prolonged, involuntary lack of food, results in discomfort, illness, weakness, or pain that goes beyond the usual uneasy sensation."
TRADUZINDO:
o painel sugeriu que o USDA um recado à palavra fome, que "deveria referir-se a um potencial consequência da insegurança alimentar que, devido à prolongada, involuntária falta de alimentos, resulta em desconforto, doença, fraqueza, dor ou que vá para além dos habituais desconfortável sensação".

- Ou seja, naquela época, sem crise, nem nada, 35 milhões de americanos sofriam doenças e problemas físicos como "desconforto, doença, fraqueza, dor" em decorência da "prolongada, involuntária falta de alimentos"... Viu como o peixe morre pela boca (aqui pelo teclado)? Primeiro você disse que a vida dos cadadãos norte-americanos e que vivem nos países desenvolvidos é uma beleza e que uma eventual crise não pioraria muito a vida deles, agora, aoenas "Very low food security". Bom, aí lhe pergunto, se naquela época, sem crise, sem nada, já sofriam de "Very low food security", imagine hoje com a crise dos alimentos, com a inflação subindo... Como deve estar a soberania alimentar dos norte-americanos?

Agora, entendo porque você é este indigente intelectual, já que ao invés de estudar quando era dolescente, teve de trabalhar. KKKKK

182 pessoas por loja! OOOHHH, que muito! Ainda mais se tratando de uma empresa que pága mal seus empregados e obtém lucros recordes.

Quem não gosta de trabalhar é o dono da Wal Mart, um parasita social, rodeado de vários matemáticos e que para elaborar o balancete ele chama o administrador.
Se ele colocar a Empresa na justiça, ele vai para a rua, e não arranjará mais emprego pois seu nome ficará fichado. Qual empresa vai contratar um trabalhador sabendo que ele denunciou uma outra por irregularidades trabalhistas? Assim que funciona a tal "liberdade" capitalista.

Não há mal nenhum. Os produtos chineses são os mais baratos do mundo porque seus funcionários ganhan R$ 20,00 por dia e trabalham longas jornadas de trabalho p/ dia, mas não há mal nenhum nisso!

Ótimo! Sabia que o teu querido capitalismo consegue ser pior do que aquilo que vocês chamam de "socialismo/comunismo" (aliás, volto a dizer, não houve nenhuma experiência comunista na história da humanidade, a única experiência comunista foi a Comuna de Paris, mas que foi covardemente massacrada por vocês) - sem falar que é um analfa, mesmo, pois não sabe que "socialismo" é DIFERENTE de "comunismo", aí, sem saber de nada, pága o mico de usar a expressão "socialismo/comunismo" como se fossem a mesma coisa - se tiver alguma dúvida, vá até a Rússia e faça uma pesquisa com os russos para saber o que eles pensam do capitalismo. Vá também à Polônia, à Romênia, e procure saber o que estes povos pensam sobre as maravilhas da economia de mercado.

Partindo da sua linha de raciocínio sobre seguro-desemprego, então os alemães e os franceses são tudo uns vagabundos, já que a taxa de desemprego nestes países é alta e mantém seguro-desemprego.

Tá, então ficamos para a próxima discussão, e desculpe-me pelo banho, tá?

Abraço!

Jeová disse...

Anônimo, meu IMC é abaixo do normal. Meu irmão, quando criança, teve queda de cabelo por má alimentação. Como eu disse, você não pode considerar alguém que tem carência de nutrientes como alguém que não tem dinheiro para comer.

PS: Se tiver se sensibilizado, pode mandar dinheiro pra mim.

Anônimo disse...

E porque você só se lembrava da Alemanha, da Itália e da França? Porque esqueceu da Noruega, da Islândia, da Dinarmarca, Cuba (a segunda economia mais fechada do mundo de acordo com o tal "Ranking da Liberdade Econômica", cujo desemprego não chegava à metade dos EUA), Qatar?
Mídia Sem Máscara? Cara, você vem com cada fonte que você considera de "informação"... E grande fonte de informação: "Heritage"! KKKK O que você me diria se eu te indicasse como fonte de "informação" a Agência Carta Maior, o Resistir Info embasados em dados do Hugo Chávez para lhe indicar fatos e números? O que o artigo do tal "Mídia Sem Máscara" omite é que o desemprego aumentou na Europa, porque os países do Leste Europeu, com a abertura para o tal "paraiso capitalista" aumentou a taxa de desemprego... O capitalismo é bão demais, né?

Não estou colocando palavra na boca dos outros, vai negar que você disse que o "emprego não é um fim em si mesmo"? Va negar que o Hayek sugeriu a "inevitabilidade" do desemprego? Até em uma entrevista à Veja o Hayek não negou ao ser questionado sobre isso.

O analfa do Fabrício não me desmentiu. Eu respondí a ele e ele não me desmentiu. Ao contrário, ele se contradisse. Agora, acho que você sequer abriu o link da "Washington Post" (viu? "WASHINTON POST", nada de Mídia Sem Máscara ou Agência Carta Maior) pois os 35 Milhões de norte-americanos têm problemas físicos e doenças causadas pela prolongada e involuntária falta de alimentos.

Anônimo disse...

"Anônimo, meu IMC é abaixo do normal. Meu irmão, quando criança, teve queda de cabelo por má alimentação. Como eu disse, você não pode considerar alguém que tem carência de nutrientes como alguém que não tem dinheiro para comer.

PS: Se tiver se sensibilizado, pode mandar dinheiro pra mim."

Cara, você não sabe ler não, é burro? Têm problemas de interpretação? Então antes de debater nuym blog, vá para uma sala de aula para não pagar mico.

"prolongada, INVOLUNTÁRIA falta de alimentos" - Ou seja, é norte-americanos que não têm condições de se alimentar, Não é o caso do teu irmão e que vocês tinham dinheiro.

Entendeu? Ou terei de desenhar?

Mauricio disse...

(aliás, volto a dizer, não houve nenhuma experiência comunista na história da humanidade, a única experiência comunista foi a Comuna de Paris, mas que foi covardemente massacrada por vocês)

Pelo que leio aqui nesse Blog, tambem nunca deve ter existido alguma esperiência capitalista nesse mundo, já que o Constantino acusa tudo e todos de tentar intervir na economia.

Mauricio disse...

E você acha muito ainda contratar 285 empregados diretos, mesmo apresentando faturamento e, pior, empregando em condições sub-humanas (não se esqueça que destes 285 empregados, há sempre algum/ns adolescente trabalhando de madrugada)?

Esse argumento é falacioso, até eu que nem sou economista consigo ver isso.

Coloca na sua conta os empregos gerados pelo aumento da demanda em outras áreas gerado pela economia que os consumidores fazem ao poderem comprar em supermercados mais baratos.

Ah, mas isso não dá para medir nessa exatidão numérica né? Economia não se explica com matemática de ensino básico.

PS: Sou outro Maurício.

Mauricio disse...

Pessoal, vocês tem que entender que não adianta mostrar para esse povo que empresas que conseguem vender mais barato e com melhor qualidade são as que prosperam e que isso só acontece porque o consumidor quer que assim seja.

O que importa é que a empresa cumpra a sua verdadeira função: empregar. Na cabeça deles o quanto uma empresa produz é uma questão acessória, produzir é supérfluo, o que importa é ter um monte de gente empregada e o mundo será melhor.

fabriciolb disse...

Anonymous:

Já vi que vc baixa o nível da conversa e parte para a agressão, discutir contigo não dá, vc é um garotinho mimado que sonha com um mundo onde seus defeitos como incompetência serão mascarados por um sistema que proteje aqueles que não querem se arriscar na vida, trabalhar e produzir.
Vou viver o meu mundo que é muito mais interessante, um mundo o trabalho, meritrocacia e desenvolvimento que fazem as pessoas viverem melhor. Seguinte, dê um pulo lá nos EUA e veja como é a condição de vida deles, não imagine que uma reportagem de jornal pode mostrar para vc a realidade.

Aliás, não sei porque vc usa internet e computador, pois se dependesse dos países não capitalistas estaríamos discutindo isso hoje via carta.

A aposta continua de pé, se vc acredita tanto no teu sistema, aposte nele. Anonimato é covardia.

Acalme-se, aprenda a discutir como homem adulto.

Abraço,
Fabricio

Anônimo disse...

Santa madonna!

Se um blog destes sobrevive - há quem goste - é porque tem mercado pra "saborear" e gozar com esse monte de babaquices. A escravidão da Walmart me emocionou e chorei compungido.
lágrimas sinceras.
É a glória dos analfabetos.
Marco

Anônimo disse...

Eles compram em supermercados mais baratos, mas você deveria se perguntar a que custo? Às custas da super-exploração dos trabalhadores chineses, que, de cada 10 dólares em produtos que a China vende aos EUA, 1 é gasto pela Wal Mart (isto está na revista "Veja") e "desplazando" os produtores nacionais. Às custas do arrocho salarial dos trabalhadores dos trabalhadores da transnacional (como já foi exposto, é a transnacional que pága os mais baixos salários aos seus trabalhadores, a empresa que mais desrespeita as leis laborais no setor varejista...). Então, aí está a resposta.

"O que importa é que a empresa cumpra a sua verdadeira função: empregar. Na cabeça deles o quanto uma empresa produz é uma questão acessória, produzir é supérfluo, o que importa é ter um monte de gente empregada e o mundo será melhor."
- Então mudaram o discurso, agora? Vocês são engraçados: vivem justificando a exploração capitalista com o argumento da geração de empregos (como se o o capitalista fizesse uma baita generosidade ao gerar meia-dúzia de emprego), agora com a realidade esfregada na cara vocês, vocês mudam o discurso... Mas mesmo assim, não é a Wal Mart produz seus produtos baratos, são os escravos chineses que produzem para ela mais barato e são os baixos salários e as precárias condições de trabalho de seus trabalhadores que mantém o baixo custo de seus produtos e a tal produtividade (em nome da tal produtividade, como vimos na notícia do maior jornal espanhol, "El Pais", os trabalhadores da empresa não tem nem direito de se alimentar, como demonstra o caso do meu amigo, não têm nem o direito de repousar em caso de doença ou acidente).

Anônimo disse...

Então viva o seu mundinho de sonhar que um dia vai virar o Sam Walton, e páre de encher o saco aqui no Blog. Aliás, se você trabalha tanto, como é que acha tempo para ficar dia todo num blog? Olha que o hômi vai te pegar e você não terá grana para comprar leitinho pro nenê.

Ah tá! E vai ver, o tal Fabrício que nem vive nos EUA saiba mais que um jornal norte-americano! Vai ver, o "Washington Post" é "comunalha".

Ah! E quem partiu para a agressão foi você. Não refutou o que eu te respondí acima e escreveu um POST inteiro só para me atacar.

Mauricio disse...

Anônimo, impossível eu ter "mudado o discurso" visto que este foi meu primeiro comentário no tópico. Além disto, é bom esclarecer que eu sou o único responsável pelo que escrevo aqui, não me organizo em rebanhos ("vocês").

O custo do trabalho chinês, se é explorativo ou não (seja lá o que você queira dizer com isso), não cabe a mim ou você decidir, mas aos trabalhadores chineses, e se eles gozam de liberdade de escolher onde trabalhar e escolhem trabalhar em empresas que fornecem alguma coisa para a Wall Mart a um custo x e acham que essa é a melhor opção que eles tem dentre as disponíveis, então eu é que não vou dizer o contrário.

Você ao contrário, como bom coletivista, não consegue analisar a realidade sem se colocar em cima de um pedestal acima da humanidade de onde se acha no direito de observar e ditar o que é correto ou não, a velha Síndrome de Deus.

Mas isso não é da minha conta, mesmo porque o maior prejudicado por isso será sempre você. Porém tenho que concordar com o Constantino, não dá o menor ânimo de tentar argumentar.

Anônimo disse...

Eu não disse que você mudou o discurso, eu digo que vocês mudaram o discurso. Quando a gente critica a exploração capitalista, o primeiro argumento conservador não é de que pelo menos os burguês gera emprego? Agora, com a realidade esfregada na cara vocês, você pegou e mudou para a questão de "produtividade".

Na escravatura, os negros também trabalhavam de forma explorativa, já que não havia outra alternativa. Aí, vai ver, se o cabecinha do Maurício estivesse lá, diria que eles estavam trabalhando "livremente". rsrs

Tolinho!

Mauricio Ferrão disse...

Na escravatura, os negros também trabalhavam de forma explorativa, já que não havia outra alternativa

Então vou rasgar todos os livros de história que me contaram que eles foram forçados a tal.

Jeová disse...

"E porque você só se lembrava da Alemanha, da Itália e da França? Porque esqueceu da Noruega, da Islândia, da Dinarmarca, Cuba (a segunda economia mais fechada do mundo de acordo com o tal "Ranking da Liberdade Econômica", cujo desemprego não chegava à metade dos EUA), Qatar?
Mídia Sem Máscara?"

Eu só me lembrei da Alemanha, da Itália e da França? Anta! Se eu coloquei um dado referente a toda e Europa, como eu posso ter esquecido todos os países que você citou?

"Não estou colocando palavra na boca dos outros, vai negar que você disse que o "emprego não é um fim em si mesmo"? Va negar que o Hayek sugeriu a "inevitabilidade" do desemprego? Até em uma entrevista à Veja o Hayek não negou ao ser questionado sobre isso."

Eu disse isso, só que você, como é uma ANTA, não entende o que isso quer dizer. Porque você é uma anta. Pegue por exemplo o baixíssimo desemprego em Cuba (vou considerar o dado suspeitíssimo verdadeiro): você acha que quantos cubanos conseguem satisfazer suas necessidades? E lave a sua boca antes de ficar falando merda sobre o Hayek, seu filho de uma puta!

""prolongada, INVOLUNTÁRIA falta de alimentos" - Ou seja, é norte-americanos que não têm condições de se alimentar, Não é o caso do teu irmão e que vocês tinham dinheiro."

Idiota! Eu falei que o problema desses estudos é que eles geralmente consideram pessoas que sofrem problemas relacionados à má alimentação como pessoas que sofrem tais problemas por não ter dinheiro.

É impossível que 35 milhões de americanos passem fome por falta de dinheiro, até porque o desemprego é menor que isso!

Anônimo disse...

Então rasgue mesmo estes livros de História. Você é tão analfa que não sabe que depois da abolição, os negros preferiram continuar nos guetos? Aí, se o cabecinha do Maurício estivesse lá, diria que os negros estavam lá "voluntariamente".

Anônimo disse...

Nem todos os países que eu citei são da Europa, como o Qatar e Cuba. E mesmo com a realidade esfregada na cara você vem escrever asneiras? Olha, caram, sinceramente, você acredita nestas suas fontes de "informação"?

Agora, infanto, você não sabe que Cuba apresenta alguns indicadores sociais superiores aos EUA, como expectativa de vida mais alta, mortalidade infantil mais baixa... São sabia disso? É lógico que não. Isto não está no Mídia Sem Máscara, nem no site do Diego Casagrande, nem o Instituto Liberal (e tantas outras escolas de doutrinação anticomunista).

Tá nervosinha, bibinha? Relaxe, não precisa subir nas tamancas. Tá lá na revista Veja dos anos 80 (o próprio Hayek não negou na entrevista, questionado sobre a inevitabilidade do desemprego). Mas fazer o que se você prefere ficar brincando de soldadinho do capital ao invés de ler melhor.

Gozado! Quando se fála que 2 ou 3 Milhões de pessoas morreram de fome na Coréia do Norte, por exemplo, aí a informação é verdadeira. Agora, quando uma revista Norte-Americana informa que 35 milhões passavam fome (este número pode ter aumentado com a crise dos alimentos), aí é impossível que isto ocorra! Clap, clap, clap...parabéns pela imparcialidade!

Jeová disse...

"Nem todos os países que eu citei são da Europa, como o Qatar e Cuba. E mesmo com a realidade esfregada na cara você vem escrever asneiras? Olha, caram, sinceramente, você acredita nestas suas fontes de "informação"?
Agora, infanto, você não sabe que Cuba apresenta alguns indicadores sociais superiores aos EUA, como expectativa de vida mais alta, mortalidade infantil mais baixa... São sabia disso? É lógico que não. Isto não está no Mídia Sem Máscara, nem no site do Diego Casagrande, nem o Instituto Liberal (e tantas outras escolas de doutrinação anticomunista)."

Viadinho, EU QUE COMECEI A COMPARAÇÃO ENTRE EUROPA E EUA! VOCÊ QUE ENFIOU CUBA E QATAR! TU É IDIOTA OU O QUE? TU DESCONFIA DOS DADOS DA HERITAGE FOUNDATION E ACREDITA NOS DADOS DO FIDEL CASTRO? VAI TOMAR NO CU!

"Tá nervosinha, bibinha? Relaxe, não precisa subir nas tamancas. Tá lá na revista Veja dos anos 80 (o próprio Hayek não negou na entrevista, questionado sobre a inevitabilidade do desemprego). Mas fazer o que se você prefere ficar brincando de soldadinho do capital ao invés de ler melhor."

A questão da inevitabilidade do desemprego já foi bem explida pra você, seu filho de uma puta. Então fica quieto e deixa de cagar pela boca. Qualquer coisa, eu pago tua passagem pra Coréia do Norte só de ida...

Não vou ficar respeitando um anônimozinho filho da puta não. Não vou mesmo!

tandor disse...

Vocês ainda estão nessa ?

Anônimo disse...

O Liberal é o soldadinho do capital
Mas não existe capital nos países Comunistas? Não existe capital em Cuba? Que asneira triunfante!
Os Comunistas ficam muito tristonhos quando vêem alguém trabalhando em prol de si mesmo. Gostam é de aplaudir a criminalidade do MST, a Corrupção do PT e os assassinos em massa como Che Guevara e Mao. Afinal, os fins justificam os meios, não é mesmo?
Pessoalmente, acho isso um problema do próprio sujeito, quer amar o demônio, deseja idolatrar o criminoso e a escravidão, esteja à vontade. Deseja distorcer os fatos para que eles corroborem seu modelo equivocado de sociedade, ótimo! É um problema seu
Só não me obrigue a viver sobre suas regras, e a ser seu escravo.
As idéias evoluem, e estamos chegando a um ponto (na dimensão de tempo histórico, obviamente) que ficará claro e cristalino, para a imensa maioria das pessoas, que a solução para os problemas da pobreza não esta em atacar o capitalismo, mas sim em adotá-lo em sua versão mais eficiente, no final aprenderemos, a duras penas é verdade, que os mercados cultivados em uma sociedade que estimule instituições livres e a cultura do indivíduo, são a solução e não o problema.
O socialismo monstruoso, o coletivismo e os estatólatras terão suas idéias rejeitadas, eventualmente, e de forma irreversível. Discutir com esses tipos é um exercício em futilidade, é semelhante a debater com alguém que defenda que devemos todos voltar a usar máquinas de escrever, e abandonar nossos computadores, porque afinal os computadores podem causar problemas na visão. Devemos sim é nos defender, e não permitir de forma alguma, aqui nessas terras periféricas e obscurecidas, que esses tipos dominem o estado e destruam a parte boa da constituição. Enfim, devemos estar sempre prontos a nos defendermos contra quem deseja nos escravizar.

Anônimo disse...

Pô, o cara não sabe nem o conceito de capital e vem aqui posar de sabidão. É mole?

E onde você viu alguém defender o governo Lula? Tá maluco? Tá vendo coisas? Aliás, se há uma coisa que vocês devem fazer com relação ao governo é agradecê-lo por ajudá-los a manter o status quo. Portanto, vocês deveriam amar o Lula, assim como o Mr Bush o ama.

Ah não, tá certo que nós somos crianças travessas, mas não podemos levar a culpa pelas travessuras de vocês. "Os fins justificam os meios" bom, quem faz isto são os teus queridos norte-americanos. Quantas ditaduras impuseram mas combater a ameaça "comunista"? Quantos civis eles já mataram em nome da tal "democracia" e da tal "liberdade"? E agora, com esta farsa de combate ao terrorismo, quantas atrocidades já estão cometendo? Acorda, cara, só em 4 anos de Guerra do Iraque, os EUA já superaram o Saddam em número de civis mortos. Ah, e as tais "armas"? Por falar nas armas do Saddam, outra vez a criança comete suas artes e aponta o dedo para o coleguinha. Não, caro amigo, quem distorce os fatos de maneira criminosa são vocês. Portanto, criança, não aponte o dedo para os outros sobre suas travessuras.

E que baita evolução, implementar o mesmo modelo lá do século XIX! E ainda se acham super-modernos!

"a solução para os problemas da pobreza não esta em atacar o capitalismo, mas sim em adotá-lo em sua versão mais eficiente" - Dá para ver, com o preço dos alimentos subindo, com a crise imobiliária, com a crise energética e etc, etc,etc...

"os mercados cultivados em uma sociedade que estimule instituições livres e a cultura do indivíduo, são a solução e não o problema." - Dá para ver, com a crise imobiliária. Se não fosse os bilhões de dólares da fundo estatal da Cingapura, a "eficiente" Merryl Linch teria quebrado.

Anônimo disse...

E mais...

Páre de conversinha fiada e vá encontrar uma solução para defender o teu regime, olha que até os romenos e os alemães orientais já estão com saudade da burocracia stalinista (com todos os seus defeitos)... Portanto, páre de conversinha fiada e trate de apontar solução para salvar o teu regime, pois a nós "comunalhas" só nós resta ficar atrás moita esperando o momento para dar o bote... E desta não haverá falha! Portanto, bobeio pra ti ver...!

Anônimo disse...

Morro de medo do seu bote, Biba! Ui!

Aconchega-te na sua moita, porque daí você não sairá. Pra sua tristeza os safados no poder já aprenderam que é muito melhor ser um esquerdista populista em países com alguma economia de mercado, do que ser o fodão da Nomenklatura em sociedades em frangalhos, fora que conserva os dentes, né não? O Ceauşescu que o diga.

Mauricio Ferrão disse...

os negros preferiram continuar nos guetos? Aí, se o cabecinha do Maurício estivesse lá, diria que os negros estavam lá "voluntariamente".

E precisa? Você já disse isso, com todas as palavras.

E cansei dessa conversa. Você não consegue seguir uma linha de raciocínio, muda o rumo da conversa a cada post.

Anônimo disse...

Esse blog é muito bom, os debates desnudam as técnicas de inversão e distorção utilizadas por 9 entre 10 esquerdistas coletivistas e por boa parte dos estatólatras direitistas. Existem uns tipos, como esse monstrinho comunista, que são especialistas em sofisma esquerdopata, a parte triste é que esse monstrinho provavelmente teve seu treinamento doutrinário que deseja nos escravizar, pago com o dinheiro dos nossos impostos, e não seria deselegante supor que seu sustento atual advêm do bolso público. Trata-se de uma situação um tanto paradoxal, em como uma sociedade democrática e com sementes do bom capitalismo, sustenta parasitas do pior tipo, gente que desenvolveu teses complicadíssimas e erradíssimas para defender monstruosidades como as cometidas por Stalin, Mao Tse Tung, Pol Pot, Che Guevara e Fidel Castro entre outros assassinos em massa coletivistas.
Resumindo: O Monstrinho é sustentado pelo dinheiro de impostos roubados pelo estado dos bolsos dos “capitalistas” que ele tanto deseja destruir, e trama diabolicamente contra a democracia tentando destruir o estado de direito e as liberdades individuais.
E não se enganem não se trata de mera retórica política, não estão aguardando atrás da moita, nada disso. O PCdoB faz parte da base governista no Brasil, e existe um monte de Paleo Comunistas nas alas ditas mais radicas, no PT. Esses monstrinhos, e sua retórica escravizante estão próximos ao poder.
Claro que esses monstrinhos não vão instalar um regime comunista no Brasil, só que não deveriam ter a chance de serem sustentados com o nosso dinheiro, estudando para nos destruir. Mesmo que não passe de mera retórica. Esses monstros deveriam conduzir sua apologia do indefensável com o dinheiro conseguido pelo próprio trabalho, ou com custeio privado. É imoral que a sociedade democrática, com o dinheiro de impostos, custeie os carrascos que desejam destruir a parte produtiva da sociedade em nome de sua utopia sangrenta criada sob luz da Comuna de Paris.
Esses sujeitos promovei a divisão social, e ventilam teorias furadas que tentar colocar os “pobres” contra os “ricos”. Esses monstrinhos são os que semeiam a discórdia racista com suas ações afirmativas, e suas teorias da opressão contra os pobre índios pelo Capital. São esses monstrinhos que são os responsáveis pela teoria que defende a criminalidade do MST e aplaudem a destruição do estado de direito promovida pelo PT. São esses monstrinhos, de dentro de suas academias, que desenvolvem todo o ideário neomarxista divide nossa sociedade entre oprimidos e opressores.
É imoral que a sociedade custeie esses monstros, com o dinheiro público.

Anônimo disse...

A sim, e não vamos permitir que a inversão esquerdopata afirme que tirá-los das tetas públicas significa diminuir seu direito à opinião. Primeiro que confundem o poder de usar o aparelho estatal i.e.: As Universidades Pública, por exemplo, com liberdade de expressão. Alias, confundem poder com liberdade todo o tempo, quando um Comunistóide monstruoso fala em liberdade, ele quer mesmo é Poder.
Uma coisa é o direito de falar qualquer bobagem ou monstruosidade que se deseje, outra coisa é buscar os meios de fazê-lo junto ao estado. Esses rentistas estatais desejam o forte braço do estado para destruir todas as instituições boas que surgiram nas sociedades atuais. Desejam usar os nossos meios, a nossa riqueza, colhida pelo estado via impostos, para criar os meios de difundir o ideário que deseja nos escravizar em nome de sua distopia criminosa, e chamam isso de liberdade. Liberdade é ausência de coerção, se você deseja ter a “liberdade” de comprar uma camisa do Socialista Hitler ou do Socialista Che Guevara, deveria fazê-lo com o SEU dinheiro, não como o meu. A única forma de se justificarmos os impostos, é se eles forem empregados para o bem DE TODOS. E não de uma classe em detrimento de outra. Pior ainda quando são empregados para custear os monstrinhos que labutam (pagos com a nossa grana) para urdir teses que desejam semear o morticínio e o caos.
Só pra concluir: Esse espertalhão esquedopata monstruoso que defende o tipo mais arcaico de comunismo, que sempre esta lançando suas teses abiloladas aqui neste Blogue SEMPRE usa as mesmas técnicas do sofisma mais rasteiro. Ele SEMPRE tenta seqüestrar as premissas e distorcê-las e logo induz muitos debatentes a aceitar seu modelo distorcido e imoral de mundo. É uma técnica recorrente.

Anônimo disse...

Pois é, e as ovelhinhas neoliberais baliram. Mas ficam só nisso mesmo: balem, balem, batem os casquinhos, mas pensar que é bom nada! Querem mesmo é a segurança do seu credo sem consistencia para não terem de pensar se de fato faz sentido aquilo que são impelidos a defender. Não reagem aos que so manipulam.

O hilário das respostas acima é todas seguem o mesmo e já surrado padrão, parece que todos teclam do mesmo PC. O primeiro padrão é o de usar as tais palavras chaves: monstrinho comunista, dossies expondo podres do satã comunista que só mesmo ovelhas acreditam, fatos históricos sem nenhuma conexão com o tema (a ovelha até classificou o Hitler de "socialista", é mole?). Em segundo lugar vem a construção das respostas como se o fato de se apontar uma incoerencia (e haja incoerência, mesmo!) das ovelhas capitalistas, automaticamente nos torna um marajá do serviço público sustentado pelo dinheiro de impostos roubados pelo estado dos bolsos do contribuinte (como se os comunistas estivessem governando por mais o Brasil por mais de 500 anos para assaltar o bolso dos contribuintes!), um defensor do Stálin, do Mao e do Fidel, um comedor de criancinhas...
Haja mesmice pô!

Que voces são limitados e manipulados já ficou bem claro com as respostas padrão acima, não tem nem como refutar. Mas, párem de balir e encontrem uma solução para salvar o sisteminha de vocês, senão não poderão impedir a tal "inversão esquerdopata". Nós, os "esquerdopatas" estamos só atrás da moita esperando o momento certo para dar o bote. E para a tristeza de vocês, até os russos e os polacos já estão com saudade do "inferno" stalinista. Portanto, dêem um jeito de encontrar uma solução.

C. Mouro disse...

Essa politicagem safada que se vale da estratégia de inventar inimigos para fazer amigos é antiga. É através da insuflação da luta de classes que a classe governante se faz absolutamente hegemonica.

Já de muito que a idéia de antagonizar setores da população pagadora de impostos é uma estratégia do Poder politico.
Àquela velha idéia do pão e circo para as massas foi incorporado pelo mesmo autor a aidéia do mérito moral da amioria pobre.
Na época dos romanos do império já não interessava uma ideologia que bestializasse guerreiros para permitirem líderes conquistadores. Pois as lideranças já tinham Poder e exercito mercenário. Não mais necessitando de séquitos bestializados. Os poderosos da politica precisavam é de uma população subserviente, capaz maesmo de amar a servidão a que seria submetida. Daí a produção de uma ideologia para induzir a população a amar a servidão, a se fazer hesitante, covarde, vaidosa, baixa, servil, demagógica, sem orgulho (substituido pela soberba ideologica), coletivista e com o máximo valor moral na resignação subserviente e no desprezo por si mesmo, exercendo um ascetismo exibicionista pretensamente altruista para desprezar a honestidade (valor da moral estóica) em beneficio de uma bondade mesmo que com o "chapeu" alheio. Enfim, o palavrorio piegas em substituição das ações honestas como qualificativo moral, da nova moral cristã que surgia para tornar os pagadores de impostos mansos e subservientes, através da pressão moral dos mais pobres (serviriam ao governo como meio de pressão contra os que servem pagando diretamente) seduzidos pela moral que estabelece pobreza e subserviencia como mérito do indivíduo e coletividaade. CUISP!

Os romanos conceberam o populismo cristão em continuidade àquilo que já usavam politicamente: DIVIDIR PARA DOMINAR. Claro que a NOVA IDEOLOGIOA MORAL, contrária a FILOSOFIA MORAL DOS ESTÓICOS, carecia de algoque a fizesse confiável. DAÍ ENTÂO:

Nada melhor que usurpara o deus guerreiro - o "senhor dos exército" dos judeus para transforma-lo num deus de traseiro mole e pregador da subserviência aos governantes (Paulo exortou que o rei assim o era por vontade divina e que por tal os impostos deveriam ser pagos sem reclamação, sendo do direito do governante cobra-los ...Diz claramente Paulo em Romanos 13). Ou seja, a nova moral capitulacionista (cuisp!) não se sustentava numa análise filosófica, como a moral estóica, mas meramente na alegação da vontade de um deus dono da verdade. Para a massa estúpida tal alegação seria mais que suficiente, sobretudo por tal DOUTRINA IDEOLÓGICA estabelecer previa valorização moral dos adeptos meramnte por serem adeptos, e sobretudo favorecer moralmente os inconformados com sua pobreza (recalcados invejos). Aliás a nova moral ideologica insuflava a inveja ao maldizer os ricos dizendo-os moralmente inferiores aos pobres.
A luta de classes insuiflada pela classe estatal governate nas classes governadas foi uma brillhante estratégia que fez com que colhesse os frutos das derrotas mútuas que os imbecis se impunham. Não por outro motivo a ideologia cristã - pífica e contraditória onde o deus filho capitulacionista é mais sábio que o pai guerreiro (pero no mucho) - foi feita religião oficial do império e acabou por arruina-lo envolvendo os barbaros na luta politica cristã (atualmente os novos "barbaros" que valem como "bode na sala" são os islamicos e seu islamismo para maníacos atormentados.

Esse papo de "elite má" e "povo bom" é milenar.
É a intriga que há milenios faz sucesso.

Quem quer cobrar impostos com segurança faz com que os pobres - que imaginam não paga-los - defendam a cobrança de impostos mais para se vingarem dos ricos que odeiam do que para usufruir algum beneficio. Mas, claro, escondem a inveja alegando estarem ansiosos por beneficios que lhes são prometidos e fundam o mérito a tais beneficios na mera opinião do novo deus inventado pelos espertos romanos que já antes de JC praticavam o populismo. Daí que o novo deus foi mero reflexo certificados daquilo que já era politica. ..CUISP! CUISP! CUISP!

Se um grupo deseja explorar populações inteiras, o melho que podem fazer é dividir etas populações e coloca-las em conflito. Assim, as derrotas que os lados imporem um ao outro será de fato a vitória do "terceiro lado" (a classe oculta) que dominará o território hora valendo-se da fora de um hora
de outro, sem expor-se a um confronto franco.
São os cafetões ou rufiões de classes que afirmando protege-las umas das outras acabam por, eles mesmos, explorar e serem protegidos pelas classes (teoricas) que inventtam e colocam em copnflito. Algo como: o cliente é malvado e não quer pagar, daí o rufião se assenhora da puta sob o argumento de protege-la. Passando a domina-la e explora-la.
A profissão mais antiga, como dizem, criou o patrão mais antigo.
Quem surgiu primeiro: o rufião ou a puta?

Abração
C. Mouro

Anônimo disse...

KKKK Estas besteiras só poderia sair da tecla de ninguém mais, ninguém menos do que C. Mouro.
Para a sua informação, caro infanto, o Estado nada mais é do que "um elemento de dominação de uma clase sobre a outra" (como bem sustentou Marx). O Estado nada mais é do que um comitê para gerir os negócios da elite.

Entendeu, agora, infanto, oráculo?

Anônimo disse...

Hehehe, e o estado não mão de um monstro Comunista é o que? O Vetor do humanismo? Esse anôniMONSTRO Comunista é um figura mesmo, lhe daria o peso de uma mera excentricidade filosófica não fosse o fato dele representar um grupo de pessoas, que sustentadas com o dinheiro dos impostos dos membros produtivos da sociedade, semeia e desenvolve teorias que desejam a destruição dessas mesmas pessoas. Esse anôniMONSTRO , proxeneta do pobrismo mais enojante, deseja o poder para nos destruir, e faz isso, aqui no Brasil, bancado pelo dinheiro público colhido das pessoas que ele mais odeia. É imoral
AnoniMONSTRO, se você me odeia tanto, se você diz que eu sou a escória humana, se seus mestres dizem que eu devo ser destruído em nome de sua revolução distópica, se toda a sua teoria, se o registro histórico dos efeitos da aplicação da sua teoria me dizem claramente que você, se tiver a chance, entraria na minha casa, assassinaria os meus filhos, minha esposa, a minha família, se foi esse o efeito da aplicação da sua monstruosa teoria na história. Se o que você deseja é me escravizar, e se eu resistir, o seu Comunismo Humanitário me matará.
PORQUE DIABOS EU SOU OBRIGAO A PAGAR IMPOSTOS PARA SUSTENTAR A GENTALHA QUE NUTRE A TEORIA QUE ME DESEJA DESTRUIDO?
Está nos seus livros, nos discursos dos seus mestres, vocês, Comunistas, me declararam como INIMIGO. Somente porque sou, seu lá, um liberal ou um pequeno burguês, ou qualquer rótulo idiota que os cretinos esquerdopatas urdiram para tapear a si mesmos e as massas.
Se você desejam, na sua versão mais radical, a minha destruição, e na sua versão light: USAR O ESTADO CONTRA MIM.
Ou Seja, se SEMPRE o Estado esta contra mim, porque afinal suas teorias monstruosas dividem e conflagram a sociedade e buscam impedir o funcionamento da única forma conhecida de funcionamento universal de cooperação humana. E Essas teorias estão infiltradas no pensamento estatal. Porque tenho EU que pagar impostos? Porque os BURGUESES tem que colocar comida na sua mesa, anôniMONSTRO? Porque os burgueses tem que comprar o seu computador, pagar seus livros, pagar pelas suas viagens, enfim:
Como chegamos a uma situação em que nossos inimigos declarados (Por eles mesmos) estão sendo SUSTENTADOS por nós mesmos?!
Que PECADO CAPITAL é esse? Que vivo em uma sociedade onde tenho que pagar pelo crime que esses MONSTROS dizem que eu cometi? Quando ocorreu esse julgamento, que eu não estava presente?
AnoniMONSTRO: Você é o vetor do CAOS e da DISCÓRDIA. A Sua teoria monstruosa, o seu tipo de esquerdismo é a continuação da exploração estatal. Vocês não são iluminados que desejam criar uma sociedade menos opressiva. Vocês SÃO os teóricos da opressão. Vocês SÃO os intelectuais, apaniguados estatais, que criam toda uma complicadíssima teoria da opressão estatal socialista, vocês que desejam usar o estado contra a classe que elegeram como O INIMIGO Público. Vocês são as parteiras do ódio social, e os exemplos históricos abundam, como na Itália por exemplo.
Na sua teoria MONTRUOSA eu NASCI Ladrão e explorador. Você acha razoável que eu aceite isso?
Em minha opinião, você deveria ter o direito de falar isso o quanto desejasse. Você deve e têm o direito de FALAR contra mim. O que não dá é que uma fatia da sociedade brasileira SUSTENTE os teóricos que desejam sua destruição. Isso não dá. O que não dá é para o estado brasileiro PRETEGER criminosos como o MST que destroem o estado de direito. Isso é absurdo, e se desejarmos ser um país sério, terá que expurgar essa legião de parasitas sociais, alias, parasitas não, porque até o parasita não deseja a destruição de seu hospedeiro, vocês são uma DOENÇA social.

Anônimo disse...

A sim, a cura para a doença é: Tirar os artesãos do caos social das tetas do estado. E impedir que eles cometam crimes. Tão e somente essa. Por mim, você pode ficar lendo os anais do abismo: Marx, Gramsci e toda hóstia infernal o quanto quiser. Por mim, você pode andar na Rua exibindo uma suástica na camisa, ou o rosto do Che Guevara, assassino comunista. Quera FALAR e Estudar o Abismo? Fique a vontade.

Anônimo disse...

Mas faça isso com o SEU dinheiro, AnôniMONSTRO. Não com o dinheiro público, que deve ser usado para o bem de TODOS.

Anônimo disse...

Nossa, não sabia que nós estávamos há 500 anos no poder para sermos sustentados pelo dinheiro público, apaniguados estatais! hehehe!!

E aonde que você viu nós o consideramos inimigos? KKKKK A ovelhinha pensa que nós, os "comunalhas", vamos expropriar o seu apartamentinho comprado em 120 VEZES, o seu Corcel 73 comprado em 72 VEZES, e talvez (se possui), a sua ESPELUNCA que ele chama de "pequena empresa", pensando que, com tudo isso é o Robson Walton! Hehehe!!!

Nossaa!! E quanta bandidagem do MST querer lutar por um reforma agrária! Nossa, imagine uma reforma comunista destas! Mas nem pensar! Ainda mais, quando se sabe que países desenvolvidos como o Japão, Coréia do Sul e a Israel - países nos quais vocês se nspiram - a realizaram (e nota-se que no primeiro caso não foi nada pacífica).

Bom, cara ovelhinha, é melhor você para de balir e começar a apontar uma solução para salvar o teu querido capitalismo (olha que a coisa está feia pra vocês!), e como já disse, nós só estamos atrás da moita esperando o momento certo para dar o bote...

Anônimo disse...

"Tirar os artesãos do caos social das tetas do estado. E impedir que eles cometam crimes."

Mas que boa idéia! Que tal dissolvermos e condenar à morte TODOS os membros da Bancada Ruralista e os políticos privatistas? Pois afinal, você falou em acabar com os artesãos com o caos social.

Jeová disse...

"Para a sua informação, caro infanto, o Estado nada mais é do que "um elemento de dominação de uma clase sobre a outra" (como bem sustentou Marx). O Estado nada mais é do que um comitê para gerir os negócios da elite."

Não! O Estado não é um "elemento de dominação de uma classe sobre a outra". Contudo, pode sê-lo. Basta que seja intervencionista.

O Estado Liberal é o único que não é o "comitê da burguesia".

PS: É interessantíssimo o comportamento paradoxal dos marxistas em relação ao Estado, reflexo da pitoresca crença de que este se deve hipertrofiar ao máximo antes de desaparecer.

C. Mouro disse...

...hehehe!
A proposta marxista sobre a "eliminação natural" do Estado no tal "comunismo" se deveu ao fato de a população ter plena consciência de que o Estado se constitui num grupo governante (ou classe) voltado para a exploração dos governados (dirigidos).
Ou seja, Marx - sustentado explicitamente por um burguês "comunista" preocupado e inconformado com a concorrência - não poderia abertamente preconizar o Estado totalitário, um novo despotismo anabolizado, apelou então para um ardil, característica do político, a fim de ludibriar a população em sua dialética contraditória, sob medida para imbecis, propondo uma "ditadura do proletariado" no presente em nome de um "Paraíso comunista" no futuro incerto. Claro que o "comunismo" prometido por Marx no futuro incerto só se faria quando não mais houvesse escassez. ...hehehe! Enquanto a escassez não acabasse se viveria sob a ditadura dos representantes do proletariado num socialismo intermediário que prometia acabar com a escassez - Podemos perceber que nos paises plenamente socialistas os governos dos igualitários efetivamente acaba comn a escassez, como em Cuba e Coréia do Norte e como foi no leste europeu, URSS e em todos, SEM EXCEÇÂO, paises que adotaram o socialismo como meio de chegar ao maravilhoso "comunismo". ...hohoho!

Ou seja, o "comunismo" foi meramente uma fantasia para engrupir idiotas. Tanto que invocado vagamente sem que Marx explicasse como sua ditadura do proletariado acabaria com a escassez promovendo o "exterminio natural do Estado" ...hehehe!

De fato o Estado é "um elemento de dominação de uma clase sobre a outra", SOBRETUDO É O ELEMENTO DA CLASSE ESTATAL HIERARQUIZADA ...hehehe! Porém, espertamente, Marx/Engels esqueceram de considerar o Estado como instrumento da própria classe estatal, como se os membros do Estado não fossem pessoas mas apenas máquinas sem interesse próprio ....hehehe!

O "comunismo" sob a idéia do contraditório (dialético?) Marx seria a exploração do homem pelo homem. Já que Marx sutentava moralmente seu besteirol afirmando que TODA PRODUÇÂO DEVERIA PERTENCER AOS PRODUTORES BRAÇAIS (Marx faliu seu jornaleco onde explorava trabalhadores: politiqueiro incompetente). Condenava assim a livre troca e os acordos espontâneos sob tal alegada "justissia social" subjetiva e ao mesmo tempo propunha "de cada um segundo sua capacidade e a cada um segundo sua necessidade". CLARAMENTE UM EMBUSTEIRO CONTRADITÓRIO CAPAZ APENAS DE ENGANAR IMBECIS e seduzir safados oportunistas e recalcados atormentados pela visão repugnate de seu próprio ser, os frustrados.

A liberdade e a livre concorrencia e iniciativa incomodava a aristocracia - que era francamente contra as idéias liberais - e a parcela da dita burguesia estabelecida como elite econômica.
A burguesia surgiu do estrato discriminado da população, que inicialmente nem mesmo tinha direitos, nem de ir a igreja. Ou seja, não sendo servos de gleba dos senhores "bondosos cristãos escolhiodos por deus" foram deixados livres, largados a própria sorte, e assim progrediram saindo dos burgos para os títulos de nobreza comprados da aristocracia parasitária que vivia do Poder.

Não foi por acaso que as porcas idéias socialistas, antes e depois de Marx, não sentiam a falata de recursos para sua propaganda massificante.
O socialismo é a remodelação do FEUDALISMO.

A promessa de Paraísos em futuro incerto é o mote de todas as ideologias. Pois estas justificam os meios nos fins que alegam maravilhosos. É a tentativa de justificação ética pela justificação moral.

O "comunismo" é uma farsa moral e uma fraude técnica. É injusto e impossivel. É meramente um pretexto fajuto para aliviar remorsos ante a razão.
Quando os fins justificam os meios (ideologia) a idéia é elaborar fins para um futuro incerto a fim de perpetuar os meios que em seu nome são preconizados:

A promessa de objetivos inalcançáveis perpetua os meios em seu nome exercidos. ...o que se deseja é o exercicio dos meios: o totalitarismo estatal, o despotismo, e não os fantasiosos fins, elaborados apenas para que os canalhas covardes evitem um confronto franco com sua pretensas vitimas: a covardia é inerente aos adeptos de ideologias.

Abraços
C. Mouro

C. Mouro disse...

Marx propunha uma pneumonia para curar resfriado. ...hehehe!

Jeová disse...

"O socialismo é a remodelação do FEUDALISMO."

Exato! O socialismo foi a nova ideologia justificadora da Sociedade do Status.

Anônimo disse...

Pois é, e as ovelhinhas continuam balindo! Balem, Balem, balem, batem os casquinhos, mas ficam só nisso, mesmo! Pensar que é bom nada.

A ovelha chega a dizer que o Estado Liberal é o único que não é o comitê de negócio da burguesia. hehehe
O idiota do C. Mouro ainda fála em "livro troca" certamente, quer vim com aquela velha balela de "livre-negociação". hehehe Então, sugiro ao nosso amigo C.Mouro, que quando quiser a REPOSIÇÃO da inflação (algo que está na Constituição, ainda mais agora que a inflação está alta), pegue e sente com o seu querido pratão, aperte-o a mão e peça com toda a gentileza: "caro patrão, a inflação está alta, não estou conseguindo me sustentar, portanto quero que me conceda a reposição da inflação". É ooobvio que ele vai só estender a mão e o patrão vai dar a reposição. hehehe

Puxa, quanta carência de argumentos! A direitalha age assim: se não pode atacar os argumentos do opositor, ataque-o pessoalmente (pois é só o que eu ví, agora). Pooxa! E daí que Marx foi sustentado pelo Engels? August Comste foi sustentado por Stuart Mill, Émile Durke ( não sei se alguma vez foi sustentado por alguém) teve até em crises financeiras. E estes são os grandes precursores da sociologia.

Mas isto mesmo, ovelhinhas, continuem balindo, balindo, balindo...que enquanto vocês estão aqui, o sisteminha de vocês está caindo nas suas cabeças e vocês não fazem nada para salvá-lo.

C. Mouro disse...

Depois desta pérola de "resposta" do Anonymous só me resta comemorar. Afinal o pústula repetidor desconexo deu-me a prova de que não é capaz de qualquer tipo de raciocínio. Talvez um doutrinado obedecendo a orde do petista Pomar para que militantes doutrinados e idiotizados pela ideologia frequentem os "malditos blogs" (vide choro de Tarso Jegue ...hehehe) que tanto os preocupam para neles soltarem seus peidos mentais. ...hehehe!

Afinal, estes tipos adestrados pelas espertas lideranças ideológicas e partidárias preencheram o vazio de suas cabeças com parte do intestino. Por isso, diferentes dos homens-bomba do islamismo, estes petistas e afins são apenas homens-traque do socialismo ou mesmo mulheres-traque. ...hehehe!

De onde diabos o traste tirou a coversa de pedir aumento ao patrão? ...hehehe! Quem tem valor não pede aumento, pede para sair e o patrão paga mais para ele ficar. Ou será que o pustula insatisfeito com aquilo que é está tentando se convencer que negociação livre não resulta em aumento? Caberia ao pústula explicar por que razão tantos são aqueles que ganham polpudos salários, muito superiores a outros de mesma atividade e sobretudo mais que outros em outras atividades "protegidas" por rufiões políticos.

O pústula repetidor desconexo talvez seja meramente um recalcado que tenta se convencer de que seu fracasso não é por sua própria culpa e que o sucesso alheio também não é do mérito alheio. Se assim for, e não um esparro do Pomar, então é só um militante barato atormentado pela visão que tem de si e manipulado por estes espertalhões ideológicos, verdadeiros gigolôs das fraquezas humanas. Comprado com galanteios e votos de solidariedade ...hehehe! Baratíssimos, como bem apontou Schopenhauer quando mencionou o pagamento com exibição de glórias e premiação com medadalhinhas idiotas e homenagens ao guerreiros seduzidos por pagamento tão barato: sairia mais caro negociar com eles em dinheiro (ambição material), muito mais barato negociar com a estúpida vaidade destes imbecis atormentados por seus recalques e incapacitados para formular raciocínios. Permitindo-se a repetição desconexa daquilo que ao ouvir de outros lhes fere a alma. Revidando então feito crianças idiotas sem atentar para o nexo nas questões. Tipo uma criança chama a outra de feia e a outra revida triunfante: sou fei mas sou feliz, mais feio é quem me diz. Ou simplesmente repete: "você é feio, é feio lálálá e faz logo uma barulheira digna de um chipanzé desesperado ...hohoho!

Bah! ...soltadores de peidos mentais.... bah! Doutrinados homens -traque de lideranças espertíssimas que enchem os bolsos e usam estes papagaios desconexos como bucha de canhão. ...hehehe! Vide Fidel Castro, Kim Jong Il e todos os outros que se locupletaram ludibriando imbecis recalcados, comprados com galanteios e afirmação de solidariedade ...hehehe! são baratos mesmo.

OBS.: fiquei impressionado quando o traste confundiu concorrencia com vitória do concorrente. ...hohoho! ...Para o pobre diabo uma grande loja só tem concorrente se uma outra loja de mesmo porte. Jamais entenderá que que concorrência é liberdade para ser concorrente. ...hehehe! certamente "entende" que o cocorrente do metrô seria um metrô paralelo ...hohoho!

...O que estes doutrinadores fazem com estes tipos animalescos, adestrando-os e imbecilizando-os mais do que já o são naturalmente, deveria ser objeto de processo por judiar de animais indefesos.

...hehehe!

Muito bem apontado, Jeová:
"O socialismo foi a nova ideologia justificadora da Sociedade do Status."

Perfeito! o que estes pulhas querem é uma sociedade hierarquizada. O que os pústulas sonham é com uma sociedade onde ninguém possa exibir seu mérito. Querem as aparencias iguais, só as aparências. Odeiam todos aqueles que os fazem sofrer pela comparação: é a inveja que os consome.
Numa socidade de staus, hieraruizada, nada é decorrente do mérito. Assim não se importam que um Fidel, um Kim Il, Stalin, Mao e etc. vivam nababescamente explorando populações através da força dos imbecis (as tropas e a militancia idiotizada pela ideologia). Eles sabem que estes pulhas não possuem mérito no que desfrutam, por isso não os invejam.
Quem inveja, inveja o mérito e não o resultado. A inveja ama a injustiça, esta é a forma de se vingarem daqueles que invejam: a imjustiça. ...cuisp! ...hehehe!

Zé finí!
C. Mouro

Anônimo disse...

O anôniMONSTRO continua urdindo suas mentiras pueris na esperança que lhe concedam suas premissas distorcidas, e então chora aos quatro ventos que não desejam discutir com ARGUMENTOS seus ditos fatos mentirosos. Não há ad hominem, monstrinho. Os adjetivos lhe são conferidos são mera descrição dos resultados da ideologia que você defende. A monstruosidade de sua teoria é um fato histórico.
Vejamos a técnica do sujeito: Afirma que não existe negociação livre na relação patrão – empregado, porque o patrão, vejam vocês, poderia se negar a conceder os termos propostos pelo empregado. Observem como é confuso o tipo: Para ele liberdade é poder. A e B negociando um determinado arranjo: A Liberdade SÓ existirá se B se submeter a A. Mas que lógica é essa, amigo? Aonde já se viu isso? Só a inversão marxista poderia acomodar essa sorte de liberdade. Ora, se o salário do funcionário foi destruído pela inflação, porque estaria o patrão, esse culpado sem julgamento, obrigado a aumentar o salário do empregado, se ele mesmo esta sendo vítima da inflação? Na lógica esquerdopata, o patrão nasceu culpado. Ele deveria pagar a conta da inflação. Ele deveria, por ser um burguês safado, pagar todas as contas. Os esquerdopatas não estão prontos para denunciar o corporativismo dos sindicatos que favorecem seus membros em detrimento dos não empregados e consumidores, não estão dispostos a analisar o registro historio que enumera incontáveis casos aonde o Patrão malvado e o empregado bonzinho e explorado, se uniram contra o consumidor trouxa, utilizando o governo como alavancagem. Nada disso, sua visão distorcida do mundo apenas acomoda uma vítima, que nasceu vítima, e um culpado que nasceu culpado. São uns tarados da lógica. Essa é alógica argumentativa que ele deseja que se discuta, sua reiterada tentativa de seqüestrar as premissas e distorcê-las não conhece timidez.
Logo logo, a inflação vira um instrumento de dominação das elites burguesas, logo logo, todas os problemas passados, presentes e futuros do mundo tem um culpado. A Ideologia desse sujeito deseja a utopia coletivista, toda e qualquer falha advinda da tentativa da criação do impossível, foi, é e será atribuída ao inimigo: Nós, os que desejam melhorar de condição utilizando nosso próprio trabalho.
É essa a lógica que o tipo deseja debater, são nesses termos que almeja que aceitemos como premissa, essa é sua propedêutica, e devemos aceitá-la ou seremos acusados de maus debatedores, seremos acusados dos nos furtarmos à discussão.
Não anôniMONSTRO, você não esta aqui para debater e discutir, você não esta aqui para aprender e ensinar, você não é o bom esquerdista. Você esta aqui para espalhar a sua doutrinação monstruosa que tem BAGÁGEM. Sua Monstruosidade está no resultado das idéias que você defende, e não nas suas boas intenções individuais, essas sou obrigado a assumir que são verdadeiras, mas esse não é o ponto. O Ponto central, é que o resultado do Socialismo e do Comunismo é imoral e antiético. É inaceitável que aceitemos suas premissas, porque significaria abaixar a cabeça para um veredicto mentiroso.

C. Mouro disse...

Show de bola:

"São uns tarados da lógica. Essa é alógica argumentativa que ele deseja que se discuta, sua reiterada tentativa de seqüestrar as premissas e distorcê-las não conhece timidez." ...hehehe! Muito bom.

Perfeita a análise, para o tipo livre negociação é o empregado conseguir o que deseja. ...hohoho! se ele não consegue o espécime esquerdiotus asnáticus diz que não há liberdade ...hehehe!

Da mesma forma ele só entende livre concorrência caso os concorrentes obtenham o mesmo sucesso. ...hehehe! PQP! ...hohoho!
Desta forma se o supermercado, por melhor atender ao cliente também em preço, multiplica suas lojas crescendo continuamente e o quitandeiro ao lado se mantém sempre quitandeiro, então para o retadado adestrado isso significa que não há concorrencia. ...hehehe!
O desgraçado incoformado com suas frustrações e recalques jamais conseguirá entender que se um cresce continuamente, prosperando muito mais que o outro é porque está vencendo a concorrência, por isso prospera, se espande.
Se uma grande rede, segundo o debilóide, só vende mais barato até "esmagar o concorrente coitadinho" para depoios aumentar o preço, como raios o traste explica que grandes lojas continuem vendendo mais barato em relação ao capital investido? Aliás, ainda existem quitandas e mercearias que vendem mais caro que grandes mercados. Há lojinhas que vendem mais caro que as grandes cadeias.

Este traste está com a mente deteriorada pela ideologia.
Eu aponto que o adversário da burguesia era sustentado por um rico burguês e ele diz que outros autores passaram dificuldade. PQP! o tipo tem absoluta deficiencia cognitiva. Está com a mente deteriorada pela doutrinação. ...É um perfeito Homem-traque (humano-traque) que em vez de se explodir com bombas na cintura ele apenas explode-se em peidos mentais. ...hehehe!

....Cruz credo! é um animal que apenas aprende truques, mas jamais entenderá nem mesmo o que diz, portanto menos ainda o que outros dizem. ...hohoho!

Abs
C. Mouro

Anônimo disse...

"Ou será que o pustula insatisfeito com aquilo que é está tentando se convencer que negociação livre não resulta em aumento?" - então experimenta. Vai lá, sente na mesa com o patrão e peça com toda a gentileza a reposição da inflação, depois me conta como foi tá?

Agora (rsrs), deixa eu ver se eu entendí. Tá tentando me convencer que o trabalhador que se esforça, estuda, logo consegue uma bela promoção e pássa a ganhar polpudos salários? hohoho És uma topeira, mesmo!
Não sei se você se lembra de algo como há alguns anos atrás, daqueles universitários formados em Administração que estavam concorrendo para uma vaga pra Coveiro. No ano passado, assistí a uma notícia no Jornal Nacional segundo à qual, a procura por administração estava muito acima do que a oferta de empregos para administradores. Como você é conhecedor da economia de mercado (pelo menos aparenta ser), deve saber o que está acontecendo com os salários desta profissão (psiu, lembra do Hayek?). Esta é a tal "meritocracia" capitalista, que você ainda acredita. hehehe

E já que você acredita tanto na tal "livre concorrência", pegue e monte um mercadinho ao lado da Wal Mart ou do Carrefour e tente concorrer com um deles, depois me conte como foi.

E a ovelhinha ainda culpa os malditos comunistas pelo sentimento da inveja, sendo que o instigador deste sentimento é exatamente o sisteminha que ele defende. hehehe

Anônimo disse...

hehehe Pronto! Descobri a lógica torta das ovelhinhas: a culpa da inflação é dos malditos sindicatos! Uau! Será os sindicatos a tal "mão invisível" refereida por Adam Smith! hohoho!

Mauricio Ferrão disse...

Este tópico é uma amostra do nível de alienação que nosso povo sofre, absorvendo por osmose ideologias malditas que incitam ao ódio e a vaidade.

A repetição insana de chavões dogmáticos parecem mais grunhidos de algum animal selvagem (será que de tanto repetidos irão tornar-se verdade?).

Não tenho dúvida de que esse pessoal só se dá ao trabalho de tentar "dialogar" porque nosso sistema não é contaminado o suficiente para que eles pudessem nos exterminar em nome da causa maior deles.

Jeová disse...

A culpa da inflação é do governo, que a cria.

Anônimo disse...

Ah, tá! O governo é a mão invisível refereida por Adam Smith! hehehe!

C. Mouro disse...

Pô! será que ninguém ainda percebeu o maluquete???

O tipo é um demente, como já apontei. Que tormentas o perturbam a tal ponto me intriga.

Esses malucos são pitorescos. E que disposição o maluquete tem. ...hohoho! Não é preguiçoso não, é só um tipo com graves problemas psiquiatricos, né? ...hehehe!

Abs
C. Mouro

Capitão América disse...

O mais incrível é ver os esquerdinhas defenderem o Titanic Marxista (comunismo), que afundou século passado no mundo inteiro em pleno século 21.
Por pura mimice de criancinha mimada, turrona e birrenta, os tipos querem por que querem que este "navio" carregue nosso povo... para tipos como estes, tal navio afundou mas ainda é visto como "a salvação no porto"

Lamento esquerdinhas, mas o tempo de sua ideologia no nosso século foi-se... agradeçam ao PT-FARC-Chavez... tiveram a chance de transformar o continente latino-americano no tão defendido "paraíso comunista caribenho" e só fizeram o quê mesmo? Ah, a mesma merda ideológica fascista-marxista de sempre...

"Quando a ignorância marxista for considerada uma benção, Karl Marx será considerado um Deus". By Capitão América para meus amiguinhos comunistas entreguistas.

João disse...

"por que vira e meche (sic)" o esquerdéu escreve como pensa?

Agora, alguma regulação no sentido de penalizar empresas venderem alimentos podres - porque é criminoso contra a saúde do consumidor - e formar cartel - porque atenta contra o direito de escolha do consumidor e é quadrilha, que ameaça quem ameaça romper - ainda são necessários.

Capitão América disse...

Puxa... quantos esquerdinhas defendendo o governo do senhor Lula não?

Pois é... uma "maravilha" atrás da outra, não é mesmo?

Preciso falar do caso Foro de SP-FARC-PT? Não pois todo mundo já sabe desta "paranóia direitistas Olaviana", como diziam os esquerdinhas... Pena que a dita "paranóia" era a mais pura VERDADE, né mesmo?

E aí? Vão defender o governo por isso? Vão trair nosso povo na cara dura? Sem vaselina mesmo?

Senhores esquerdinhas, vâmos jogar na real: Vocês estão se fudendo para o povo brasileiro. Falo isso e provo a hora que vocês quiserem. Aliás, as provas são as cagadas dos seus líderes e para omissão de vocês para com estes.

Olhem só que meiguice esquerdista:

A MarTAXA está se candidatando depois de fazer impostos ilegais (coisa 10 vezes pior do que o Maluf fez) em SP. Cadê os esquerdinhas para criticar a mesma?

O PT está até a ponta da estrela de merda com corrupção e pior, com associação com as FARCs, aquela mesma "caridosa" guerrilha que treinou Fernandinho Beira-Mar no RJ e têm contatos com o PCC. Cadê os esquerdinhas para defender nosso povo? Sei lá, estão defendendo o governo?

O governo quer prender os torturadores militares mas acha "normal" terroristas terem assassinado gente dentro e fora do Brasil. E mais uma vez, onde estarão os esquerdistas "salvadores da raça humana"? Defendendo o governo oras... que se dane tudo, viva o sapo barrigudo e barbudo.

Querem saber senhores esquerdinhas? Por essas e outras que tenho NOJO de vocês. Tenho NOJO mesmo! Vocês são a escória da raça humana! Vocês são piores do que o cocô que faço no meu vaso sanitário!

Sem mais desabafos tupiniquins direitistas...

Gerson B disse...

Ainda acho que o Rodrigo escolheu mal a firma pra citar como exemplo.

E nem todo mundo que não concorda em 100% com ele é "esquerdista". Pode-se preferir o capitalismo, preferir inclusive a redução do estado e divergir em opiniões.

bernardodayrell13 disse...

O monopólio é a busca natural do capitalismo. Todos querem dominar mercados, alguns conseguem outros não. Quando você oferece preços mais baixos, qualidade alta, produto desejável, acesso rápido, etc, a tendência é você monopolizar o mercado. No Brasil, por exemplo, a lei antitruste não obsta ninguém de constituir monopólio, como muitos acreditam, ela protege contra o monopólio fruto de práticas desleais de mercado, e não o monopólio nascido da capacidade meritória dessa ou daquela empresa. Monopólios existem, podem ser bons ou ruins, mas o monopólio em si não é bom ou ruim. A idéia do mercado pefeito onde existiriam diversos produtores e consumidores, e onde os fatores de produção seriam iguais para todos os produtores, é utópico, o desequilibro é a constante de uma economia capitalista.
Concordo parcialmente com a idéia do consumidor senhor do mercado. Discordo quando vejo que em algum grau, existe o alargamento da demanda pelos próprios produtores, criando desequilíbrio. Ninguém compra o que não quer, mas se quer algo, pode comprar mais do que quer, se a propaganda e o marketing forem bons. A concorrência na mídia não é só de empresa para empresa, mas também de vontades. Afinal, se seu produto é o melhor, tem o menor preço, e já é conhecido, como a Coca-Cola, não faria sentido fazer propaganda mais, mas faz pelo fato dela querer maximizar suas vendas. Quem gosta, deverá consumir mais.