sexta-feira, outubro 02, 2009

Jogos Olímpicos ou Políticos?



Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

A empolgação dos brasileiros em relação à Olimpíada de 2016 é parcialmente justificável, mas levanta algumas interessantes questões. A meta do COI deveria ser achar um país para fazer os jogos, e não usar os jogos para fazer um país. Há algo estranho no ar quando se necessita de um evento desses para investir em infra-estrutura básica. Ora, se é realmente desejável realizar tais investimentos, por que seria preciso sediar os jogos olímpicos para tanto? Não faria sentido simplesmente realizar os investimentos, independente dos jogos?

O histórico das Olimpíadas, no que diz respeito ao seu legado para a cidade em que foi sediada, é inconclusivo. Atenas não apresentou grandes melhoras, e muitos repetem o caso de Barcelona como grande ícone de mudanças radicais por causa dos jogos. Mas seria o caso de perguntar: foram mesmo os jogos olímpicos que transformaram tanto assim Barcelona? Alguns juram que sim, mas tenho minhas dúvidas. Madri é tão pior assim que Barcelona? Devemos tomar cuidado com a falácia post hoc ergo propter hoc, ou seja, a confusão entre correlação e causalidade. Não é porque uma coisa ocorreu em seguida à outra, que aquela teve de ser causada por esta. A Espanha como um todo melhorou muito na década de 1990, com reformas liberalizantes e abertura comercial. O crescimento foi expressivo a partir de 1996. Alguém diria que isso tudo foi graças aos jogos de 1992?

Além disso, devemos manter sempre uma forte suspeita em relação à corrupção possível pela realização de um evento desta magnitude. Os jogos pan-americanos de 2007 deixaram verdadeiros “elefantes brancos” na cidade carioca, e com certeza alguns bolsos bem cheios. A aprovação da candidatura de Chicago é baixa entre os próprios habitantes da cidade justamente por conta deste receio. Os recursos para os investimentos necessários não caem do céu; eles são retirados do próprio povo. Será que não haveria alternativas atraentes para uso desse dinheiro? Sempre que o governo aumenta seus gastos, isso significa redução nos gastos ou investimentos privados, que por lógica econômica, são sempre mais eficientes.

Por fim, gostaria de alertar sobre o antigo uso político dos esportes, que desde o Coliseu romano têm servido para distrair o povo e afastá-lo das questões políticas. Nada como a realização de uma Olimpíada em casa para manter o povo ocupado por bastante tempo, sem foco nos escândalos de corrupção do governo. Esse é o verdadeiro jogo político.

24 comentários:

Augusto disse...

Seria interessante saber de onde virá todo o dinheiro para bancar os investimentos.

Óbvio que do bolso do contribuinte, devidamente direcionado a amigos do rei e seus comparsas.

Uma pergunta é pertinente: O que farão com o pessoal armado de fuzil que volta e meia dão seus "tirinhos" no Rio ? Vão entrar numa trégua e depois podem voltar ao expediente ?

Simplesmente patético.

Ludwig disse...

Panem et circenses!!!
Viva o Bem Comum!!!

Antonio disse...

Só tenho uma coisa a dizer: PARABÉNS AO RIO DE JANEIRO E, PRINCIPALMENTE, PARABÉNS AO BRASIL!!!!

Esta será a nossa 1º Olimpíada, vamos viver esse momento e deixar, pelo menos dessa vez, essas coisas de política e economia de lado. Eu já esperava que comentários como esse surgiriam (não estou criticando), mas como eu disse, pelo menos dessa vez vamos tentar ver as coisas por outro lado.
O Brasil vive um momento muito bom em todos os aspectos, portanto um evento como esse, na minha opinião, é bem muito bem vindo.

Abraços!!

Helder disse...

Onde está a prova da seguinte afirmação: "Sempre que o governo aumenta seus gastos, isso significa redução nos gastos ou investimentos privados, que por lógica econômica, são sempre mais eficientes.".

Eu deixo ateh usar os aximomas de racionalidade....

Adamos Smithson disse...

Os investimentos privados são, de acordo com a tal lógica econômica, mas eficientes que os governamentais na ausência de falhas de mercado, como externalidades ou monopólios.

fejuncor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thomás disse...

Montreal levou 30 anos para pagar seus jogos. As instalações de Atenas 2004 ficaram inutilizadas depois da cerimônia de encerramento. Lisbo sediou a Expo98 e planejou obras gigantescas para tal evento. Qual foi o resultado final: uma dúzia de instalações gigantescas e abandonadas.

Temos que ver se essas Olimpíadas não se transformam em OlimPIADAS.

fejuncor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ernesto Heredia Dias disse...

Sintomática é a manutenção de Carlos Artur Nuzzman que bateu diversos recordes de corrupção na organização dos jogos Panamericanos 2007.
É triste ter que torcer contra a candidatura Olímpica de nosso próprio país por saber que o evento será usado como álibi para enormes falcatruas. Lamentavelmente o Rio de Janeiro foi escolhido.

fejuncor disse...

Pode dar certo (por que não?) quem sabe o Rio consiga fazer do evento base para uma guinada em sua conturbada história urbana. É uma. Pode ser. Faço votos para isso, naturalmente! Agora grifemos: a aposta sacrifica o restante do país, de forma compulsória, o que não imputo a coisa mais virtuosa do mundo. Não apoiaria minha Sta Catarina numa empreitada de tal monta ciente de estar drenando recursos de outros estados. Não me vejo nesse direito. Acho errado. Ou têm condições de realizar ou não faz, lutando com hombridade para conseguir um dia reunir tais condições. Querem pôr a carroça à frente dos cavalos. Jogam todas as fichas numa tacada ousada – como outras que já houveram – ao invés da evolução contínua, mais trabalhada e difícil, combatendo aquilo que dinheiro ou acontecimento nenhum sozinho por maior que seja irá mudar: a cultura, a educação, o capital humano comprometido. Essa idéia de que os Jogos Olímpicos na capital carioca transformarão o Brasil em potência é obscurantista. Tão keynesiana. O caminho é justamente o inverso. Temos que, antes, ser socialmente grandes e justos para só então pensar em Olimpíadas. Contudo as falas do Lula simbolizam a exatidão “hoje derrubamos o preconceito”, “não seremos mais de 2ª classe”, e até Fidel se empolgou "a vitória do 3º mundo". Deixando transparecer uma visão complexada da escolha pelo Comitê, como caridosa, mais um ato de misericórdia do que méritos objetivos da cidade. Afinal, já que está ai então, que façam valer cada centavo vindo da gota do suor dos brasileiros que terão de trabalhar, e muito, para concretizá-la.

Dr. Ned Kelly disse...

Estou com o Antonio, deixe as preocupacoes pra la e viva este maravilhoso momento do Brasil. O Rio que e' a 11º melhor cidade da America do Sul merecia esta honra e e' um premio pro Brasil que tambem e' um dos melhores paises da America do Sul (junto com a Bolivia e Guiana Francesa), segundo apenas para a Argentina, Chile, Paragay, Urugay e Colombia.
Viva o Rio, viva Lula, viva o Brasil, estamos finalmente entre os melhores do terceiro mundo.

disse...

meu amigo..vc é um frustado da vida....é dakeles tipo do contra.....não é de se admirar....falar q o círio é coisa de um povo ignorante...de um atrasa do país.......

politicagem na olimpiadas...kkkk..ocorreu nisso foi na eleição da fifa para as sedes!!!

Everardo disse...

A simples expecativa das Olimpíadas já nos leva a refletir sobre o que teremos que melhorar. Isso é muito bom. Além disso, ganhar a sede de um simples congresso de qualquer coisa já interessante para o turismo, imagine-se uma olimpíada. E esse argumento de que os habitantes de Chicago não a queriam nada tem a ver com o fincnaiamento público, mas com o medo do terrorismo que, em geral, apoderou-se do americano, que, pela ação da sua política externa, transformou aquele povo em povo odiado em muitos lugares do mundo.
Quanto aos investimentos, é claro que não são todos públicos. E, como diz o nome, são investimentos.

Johnny disse...

Voltamos a Roma:

Bolsa pão e circo olímpico.

Dr. Ned Kelly disse...

Everardo, voce tem certeza que seu nome nao e' Eremildo ?

Mauricio disse...

Tem gente que odeia o espirito olimpico. Sr. Constantino parece preferir seu próprio espirito de porco.

Mauricio disse...

Agora que eu li na noticia logo em baixo: jovens intelectuais, RODRIGO CONSTATINO JOVEM INTELECTUAL hjuahauehauehuaeheuahaeuheuaheua
UHAUHUAHUEHAUHEAUHAEUEHUAHUEAHAUEH
UHAUEHAUHEUAHUAHEUAHEUHAEUHAUAEHUEAHUAE

Sempre achei que ele tinha o rei na barriga, mas essa foi demais.

Felipe Ziliotti disse...

" A meta do COI deveria ser achar um país para fazer os jogos, e não usar os jogos para fazer um país."

Rodrigo, seu trocadilho e' um pouco frouxo nao acha? Veja, o Brasil nao precisa dos jogos no entanto essa oportunidade abre diversas possibilidades, e isso para qualquer pais, nao so o Brasil. Vc como liberal que eh, deveria ficar contente come ssa posicao nao? Deveria cumprimentar o querido Eike, dando-lhe os parabens pelos mais de R$5 mi investidos, ele certamente adora essa "maluquice ideologica vendida como ciencia"(aposto que ainda se lembra do Ciro te dando aquela lavada, nao?!).

Se o Brasil perdesse, vc certamente seria o primeiro a esguelar: Ta vendo, essa paisinho, nao consegue nada, perdeu uma oportunidade de ouro de receber funding disso, daquilo, e toda aquela besteira liberal que vcs cospem.

Seu alerta, em minha opiniao eh valido apesar de suspeitissimo, concordo. E' preciso ficarmos alerta com qualquer uso politico, mas nao da para sermos ingenuos. No forum da Liberdade, que o sr. participou se lembra da palestra do Mr. Palmer? Ele falou algumas coisas interessantes, sobre como o Brasil deveria propiciar ao seu povo oportunidades que se encontram nos paises desenvolvidos. E essa, apesar de todas as divergencias e` uma delas. Isso trara investimentos do governo, aumentara o emprego, a renda o produto e tera um multiplicador muito grande, pois quem recebra essa renda tem um coeficiente de consumo lastimavel. Ou seja, nao e' um investimento tao improdutivo assim. Certamente coisas serao perdidas, e provavelmente mal adminsitradas, alias certamente mal administradas.

Gostaria de saber, o sr. com toda a postura liberal faria o que, ao inves de gastar os tais R$ 25 bi, para melhorar esse pais?

Quem parece falar tanto de politica, deve saber do que fala... Numa empresa Multinacional por ai, existe um lema? Stop talk, start doing. Entao, qual a ideia?

duduqa disse...

Ai ai ai...o Rodrigo foi mexer com os brios Olímpicos do povo, deu no que deu. Um monte de comentário indignado, kkkk...
Rodrigo, pense que são décadas de catequese "galvãobueniana" na mente dessa galera. Tenha paciência com os comentários revoltadinhos...

fejuncor disse...

Falando no Gavião, por que será que a Grobo não informa que nos jogos "pan" foram desviados mais de 3 bilhões? Festejou com uma grande campanha publicitária. Deram a entender que as olimpíadas vão ser a redenção do Brasil. Como num discurso de Hitler, a grandeza da "pátria" foi evocada. Mas o fato é que a indústria de roubo neste tipo de evento está montada desdo bilionário desvio de recursos durante os jogos Panamericanos.

Mas isso a "imprensa" brasileira, numa homenagem à pátria, prefere não comentar.

Everardo disse...

Dr.Nerd Kelly, qual foi o critério que você utilizou na classificação dos países bons para se morar?

Dr. Ned Kelly disse...

Usei o ranking do Mario.

Aprendiz disse...

Não há a menor chance de esses jogos terem saldo econômico positivo. Tem sido tradição os jogos olímpicos provocarem mais gastos que receitas. No caso do Brasil então, com a nossa tradição de corrupção, e o presidente querendo destroçar o TCU, a cosia vai ser feia. Se a Dilma for eleita, continuará valendo o mote que o lula implantou: toda denúncia de corrupção é ataque da oposição.

Everardo disse...

Aprendiz, quando os gregos criaram os jogos olímpicos não consideraram esse negócio de lucro, introduzido pelo capitalista (que aproveita tudo) séculos depois. Pense nos jogos pelo espírito olímpico e acredite que muitas coisas da vida podem ser boas mesmo "sem lucro". Mas, admitindo que pode dar lucro, por essa ótica o mundo está como está, sem valores humanos relevantes. Tudo tem que dar lucro! Ao invés de lucro em jogos pode-se ter lucro em cocaína.