quinta-feira, outubro 01, 2009

Liberdade na Estrada: Tour Libertário



A academia brasileira está prestes a testemunhar uma empreitada intelectual inédita no país. De Porto Alegre a Fortaleza, um grupo de jovens intelectuais percorrerá 13 cidades durante o mês de outubro com uma missão: apresentar aos estudantes universitários brasileiros o pensamento libertário, de apoio ao livre mercado, paz e direitos individuais. O objetivo é apresentar diretamente a tradição liberal, muito distante das caricaturas inventadas por seus oponentes intelectuais, de direita e esquerda, como "neoliberalismo".

A iniciativa é do OrdemLivre.org, projeto da Atlas Economic Research Foundation em cooperação com o Cato Institute, dois think tanks sediados em Washington, sem vínculos partidários e sem qualquer patrocínio estatal. Todo o financiamento do OrdemLivre.org vem de contribuições voluntárias e da venda de publicações.

O projeto consiste na realização de seminários nas principais instituições de ensino do país (UFGRS, UFSC, Unicuritiba, USP, FAAP, Faculdade Mario Schenberg, Ibmec-MG, UFMG, UFES, UFBA, UFAL, UFPE, UFRN, UFC e FA7) com conferências versando sobre crise econômica, globalização, socialismo, cultura. As idéias de liberdade individual são universais, e unem pensadores como Joaquim Nabuco e Friedrich Hayek, mas suas aplicações encontram resistência de grupos de interesse que se beneficiam do status quo. O objetivo é convidar alunos e professores de todas as áreas do ensino para participar de um diálogo aberto que associe a teoria à prática das políticas públicas.

“Por décadas, os intelectuais de esquerda foram praticamente os únicos a apresentar aos estudantes brasileiros uma causa política baseada em princípios”, diz Diogo Costa, coordenador do OrdemLivre.org. “Chegou a hora de mudarmos esse paradigma, e mostrar o liberalismo como um ideal sublime que promove a paz e a prosperidade, e que não tem um histórico sangrento como o do socialismo”. Bruno Garschagen, gerente de relações institucionais do OrdemLivre.org, completa: “o debate entre diferentes correntes filosóficas é necessário para que a Universidade não fique refém das ortodoxias do pensamento de esquerda e permita aos estudantes o acesso a autores e obras liberais”.

Participarão da turnê: Adolfo Sachsida (economista), Bruno Garschagen (cientista político), Diogo Costa (cientista político), Hélio Beltrão (economista), Lucas Mafaldo (filósofo) e Rodrigo Constantino (economista).

Sul-Sudeste – Datas e Universidades

Todas as datas são em outubro de 2009.


5, turno da manhã (8h): UFRGS

6, turno da manhã (8h): UFSC

7, turno da manhã (8h): Unicuritiba

8, turno da manhã: (8h): USP

8, turno da noite (18h): Faculdade Mario Schenberg

9, turno da tarde (13h): FAAP

14, turno da noite (18h): IBMEC-MG

15, turno da manhã (8h): UFMG

16, turno da manhã (8h): UFES

Norte-Nordeste – Datas e Universidades


Todas as datas são em outubro de 2009.

19, turno da tarde (13h): UFBA – Salvador

20, turno da manhã (8h): UFAL – Maceió

21, turno da manhã (8h): UFPE – Recife

22, turno da manhã (8h): UFRN – Natal

23, turno da manhã (8h): UFC - Fortaleza

23, turno da noite (18h): FA7 – Fortaleza

Mais neste link.

30 comentários:

Adamos Smithson disse...

Proponho o nome de COLUNA MISES.

Thiago Nogueira disse...

Rodrigo,

Parabéns pela iniciativa! Só espero que vocês estejam preparados para lidar com qui pro cós como aquele que ocorreu na PUC, aqui no Rio de Janeiro, quando o Pedro lançou o jornal "O Indivíduo".

A propósito: eu tomei a liberdade de divulgar o projeto "Liberdade na Estrada", no meu blog: http://whatsupbrazil.blogspot.com/2009/09/liberdade-na-estrada.html

Alisson Nogueira disse...

Excelente iniciativa! Sugiro uma extensão: Sou voluntário da ONG Junior Achievement que trabalha com escolas públicas, e que tem o propósito de fomentar o empreendedorismo entre os jovens. Na minha pequena experiência, tenho visto que existe uma mentalidade esquerdista predominante por parte dos professores e isso fica claro com o posicionamento de alguns alunos, quando rola alguma discussão política. Certamente é uma ideia de um projeto muito maior, mas que teria um impacto grande pois trabalharia com adolescentes de 13 aos 18 anos que ainda não ingressaram na faculdade, ou nem vão ingressar, e que veem o governo como o grande pai de todos e responsável por suas vidas e sustento.

fejuncor disse...

Dia seis, encontro marcado!

Estarei lá com certeza.

vinicius_falcão disse...

Moro em Fortaleza, tentarei ir.

Tem como colocar exatamente em que lugar de cada universidade será?

Por exemplo, se palestra de Fortaleza na UFC será no Campus do Pice, no prédio de economia, etc, etc... Se tiver eu agradeço.

E, de antemão vou logo avisando, pelo menos aqui, as pessoas não são nada receptivias a essas ideias não... infelizmente o preconceito ainda impera.

Thiago Nogueira disse...

Vinicius,

Nem aí e nem em nenhum outro lugar! Essa turma "da esquerda" não é conhecidade pela civilidade e hospitalidade.

Em 97 um grupo de estudantes da PU-Rio, elaborou um jornal destinado a tratar dos assuntos correlacionados ao liberalismo. A iniciativa visava apenas mostrar aos alunos que havia, e ainda há, uma alternativa ao modelo de gestão que é aplicado em nosso país.

Na primeira edição, havia um ensaio defendendo um estreitamento dos laços entre ciência e filosofia; um artigo sobre três projetos de lei da deputada Marta Suplicy; um artigo sobre Canudos, que questionava o posicionamento ideológico que nubla a mente dos nossos historiadores e um artigo humorístico ao estilo Agamenon Mendes Pedreira sobre a Semana de Consciência Negra realizada na PUC algumas semanas antes do lançamento do jornal.

Não havia nada de perigoso ou escndâloso em nenhum dos textos, mesmo assim, ao ser lançado, o jornal causou um escandâlo sem precendentes na história daquela universidade.

Duas horas depois do início da distribuição do jornal, no dia 19 de novembro, os responsáveis pela sua confecção foram cercados por mais de cinqüenta pessoas que berravam, enfurecidos: NAZISTAS! FASCISTAS!

Todos negavam o direito de fazerem um texto humorístico sobre o movimento artístico de alguns alunos da PUC, a "Cambralha". Diziam que o texto sobre a consciência negra era racista e chegaram a colocar uma boa parte dos seguranças da faculdade contra os rapazes que fizeram o jornal. Disseram para os seguranças, negros, que aqueles rapazes defendiam a raça pura, o extermínio dos negros e outras bobagens. Ainda bem que os seguranças não deram ouvidos a tantas bobagens!

Poucas horas depois da distribuição do primeiro exemplar, os editores do jornal foram levados a um representante da vice-reitoria comunitária. Ele fez uma leitura dinâmica do jornal, supervisionada por dois representantes da Cambralha, circulou com pilot fluorescente o editorial e escreveu: Recomendo Apreensão.

Dito e feito. Alguns minutos depois a segurança tinha ordens expressas de recolher todos os exemplares de "O Indivíduo". Enquanto isso, a multidão que berrava contra aqueles rapazes e ameaçava queimar os jornais.

Num determinado momento, um sujeito cuspiu no rosto de um dos rapazes. Um pouco mais tarde, duas meninas cuspiram no rosto de outro, além de outra lhe acertarem um soco no rosto, quando ele estava entrando no táxi para sair da PUC. Vale lembrar que essa saída se deu por caminhos tortuosos, pois os seguranças dividavam da possibilidade de manter estes rapazes vivos, caso continuassem lá dentro.

A coisa tomou uma proporção tão grande que em questão de dias o escandâlo foi parar na imprensa. O "Jornal do Brasil" publicou uma nota que falava em "cenas de racismo na PUC-Rio". No dia seguinte, o assunto ganhava chamada na primeira página do JB e uma matéria em que o reitor da PUC dizia o seguinte:

"O jornal mostra um individualismo absoluto e um desprezo pelo coletivo, a começar pelo nome. As posições são reflexo do individualismo de hoje, onde o ser humano perde o sentido de solidariedade".

Só espero que o pessoal que dará as palestras não tenha que passar por um mal-estar semelhante.

Pedro L. disse...

Já se sabe em qual instituto da USP será realizado o seminário?

Collovini disse...

Estarei na Ufsc. Minha noiva é ex-membro da Jr. Achievement também, da época em que vivíamos em Porto Alegre, e sente muita falta do trabalho que fazia nas escolas. Conhecendo a realidade da universidade brasileira, preparem-se para a guerra.

jv disse...

Constantino,
Mesmo quem não é estudande da UFPE pode participar? onde será ? no teatro da universidade?

Mateus disse...

Po Rodrigo, vc, um carioca (é né?) não vão contemplar o Rio de Janeiro. A UFRJ necessita urgentemente!

José Carneiro da Cunha disse...

Pô... faltou Brasília. Temos um centro 5 e outro 6 na Capes em economia.
A produção aqui é boa, mas há muito trabalho com alguns "intelectuais" (de várias áreas).

Parabéns pela iniciativa.

abs

José Carneiro

miltinho disse...

Maravilhosa a iniciativa. No próximo, que tal expandir aqui pra alguma cidade aqui do Norte também, Rosdrigo? Cuiabá ou Porto Velho, quem sabe...

vinicius_falcão disse...

Thiago,

É... eu estou cada dia mais assustado. Gosto de futebol e participo, no orkut, de uma comunidade chamada "futebol nordestino" lá os caras dizem que o "Lula" é o "melhor presidente" que o Brasil já teve...

Imagino, então, o que seria o pior.

livemusic disse...

Também gostaria de saber se será aberto ao público ou apenas para universitários.

Se for aberto vou tentar ir no de Florianópolis.

Ah, e parabéns pela iniciativa! Espero que faça sucesso!

reggaenews disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lourival M. de Souza Jr. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lourival M. de Souza Jr. disse...

Thiago...

Fiquei chocado com o episódio descrito por vc ocorrido na PUC-RJ, em 1997... Se isso aconteceu numa universidade privada, eu não quero nem imaginar como os criadores do jornal O Indivíduo seriam tratados numa universidade pública...

Episódios como esse deixam muito bem claro por que o Brasil é este país atrasado: a mentalidade da imensa maioria dos sedizentes "formadores de opinião" é essencialmente socialista, e a universidade brasileira é um dos refúgios mais seguros para esses embriões de ditadores...

Enfim... Infelizmente, não terei como ir à edição de Curitiba, mas quero saudar a iniciativa do instituto Ordem Livre e desejar-lhes muito boa sorte na missão de transmitir a ideia liberal da maneira como ela é, sem esses estereótipos cunhados pelos vermelhinhos de plantão...

Espero que vcs estejam prontos para defender-se da revoada de ofensas que vcs provavelmente vão ouvir e até sentir na pele, em alguns casos... Lembrem-se de que vcs estarão peitando seres autoritários, que na prática desconhecem a tal diversidade de ideias que eles mesmos defendem hipocritamente...

Um grande abraço...

Thiago Nogueira disse...

Vinicius,

É preocupante, pois a ideia do pessoal do OrdemLivre.org é visitar os pontos mais "críticos" do país e os marxistas não são exatamente civilizados.

Esta semana o professor Demétrio Magnoli lançou o livro Uma Gota de Sangue, na Livraria Travessa do Shopping Leblon. Além do lançamento do livro, houveram debates com Bernado Sorj, Jean-François Véran e Yvonne Maggie.

Para quem ainda não sabe, o livro do Magnoli critica as cotas raciais, fala sobre o ressurgimento do racismo e etc.

Pois bem...

Poucos dias antes do lançamento do livro, apareceu uma mensagem em um fórum na Internet que debate questões raciais ou racialistas (no linguajar marxista).

Dê uma olhada na tal mensagem: "Amigos, escrevo-lhes para convidá-los a manifestar a indignação com o lançamento de mais um livro demagogo (…) que eu não perdi o meu tempo de ler (…) com a presença do autor e mais alguns puxa-sacos...

A livraria tem espaço para 120 pessoas e eu gostaria de ver o maior número possível de pretos presentes a esse debate para ouvir e, se for o caso, responder de pronto as argumentações desses intelectuais...

Espero que leiam o anexo, ou entrem diretamente no site para entender o que digo e sugiro que ocupemos o maior número possível de lugares no debate, que não foi feito para nós, vide o lugar (Leblon), mas acho que é hora de mostrarmos nossa cara, nossa força e nossos argumentos aos defensores da "igualdade" entre os brasileiro (…)Vamos chegar cedo e garantir maioria. Gostaria de ouvir os intelectuais falarem para uma platéia negra que não há racismo no Brasil".

A tática de intimidar o palestrante e monopolizar o debate é tão velha quanto o próprio tempo (o Rodrigo foi vítima desse artifício no debate com o Ciro Gomes) e eu me pergunto: o que o pessoal do OrdemLivre.org está fazendo para evitar/prevenir este tipo de coisa?

Sabemos que a imensa maioria dos universitários do nosso país não tem a menor noção do que é o liberalismo... Ninguém lê autores como Mises, Hayek, Friedman e Rothbard. Tenho receio que os autores desta nobre iniciativa seja acossados por uma multidão de esquerdistas dispostos a proteger os seus dogmas a qualquer custo!

José Carneiro da Cunha disse...

Thiago e Lorival,

ainda sobre essas histórias, o Adolfo, que participará do ciclo de palestras, lançou, junto com empresa júnior da UCB, uma camisa que tinha a foice e o marte cortados com a frase: por menos Estado, por mais liberdade.
Vários alunos relataram censura violenta quando saíam com a camisa na rua. Eu fui uma vez na UnB com ela, dois rapazes ensaiaram um “censura”. Quando meu saco encheu, usei meus 90 quilos e solicitei que se não gostaram que tentassem tirar a blusa do meu corpo, ou então calassem a boca. Foi fantástico como a valentia delas acabou rápido! Os magrelos, originalmente agressivos, saíram resmungando em voz baixa que eu era violento.
A covardia desses caras é de indignar. Quando em bando agem de forma violenta, suprimem o debate e impõem pela força o ponto de vista. Quando há debate, são desmascarados e invocam a “doutrina da transformação política”, onde a fundamentação não é relevante, pois se trata de uma doutrina da transformação. Se estão em minoria, ou se não são capazes de impor a força sem o risco de saírem machucados, são dóceis como um cachorrinho de madame.
Abs

José Carneiro

juliano disse...

Grande iniciativa, estarei lá.

cleber.mira disse...

Uma visita ao IFCH da Unicamp seria bem vinda.

Há alguns anos atrás o pessoal das Ciências Sociais do IFCH tentou montar uma empresa junior com o apoio do departamento. Eles organizaram uma palestra para divulgar a idéia da empresa para os estudantes e convidaram algumas pessoas de empresas juniores de outros institutos para contar a sua experiência, mostrar as vantagens de pensar a carreira e o contato com o mercado ainda durante a graduação.

Os famosos "estudantes vitalícios" ligados ao PSTU e PCO espalharam cartazes difamando a idéia de empresa junior e convocaram as suas hostes para comparecer a palestra.

Os trogloditas fizeram uma algazarra e não permitiram aos convidados colocar as suas opiniões. Um mais exaltado chegou a ofender e ameaçar um dos palestrantes.

Deplorável!

Que eu me recorde os idealizadores da empresa junior desistiram de sua iniciativa.

Hanover disse...

eu sou de joão pessoa e queria ir pra palestra em recife.
é aberta pra todo mundo ou só pra alunos?
é preciso pagar pra entrar?

Adamos Smithson disse...

Eu me divirto vendo o quão originais são as opiniões do Thiago Nogueira. Quem vê sua última mensagem, sobre o livro do Demétrio Magnoli, pensa que as palavras do Thiago são de fato dele.

O engraçado é que na hora de citar a tal mensagem do Orkut, ele cita rigorosamente o mesmo trecho que o Reinaldo Azevedo citou aqui: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-metodos-a-que-recorre-o-racialismo-%E2%80%93-um-caso-escandaloso/

Até na hora de substituir parte do texto por reticências, (...), os trechos substituídos são os mesmos! Incrível coincidência, né?


Hehehe, eu acho o Reinaldo Azevedo razoável. Ele fala coisas sensatas, quando não está dominado pelo espírito de inquisitor espanhol. Agora, o público que o blog dele atraí é isso aí: a galera do ctrl+c, ctrl+v, que repete o que lê, sem debater, questionar ou mesmo entender.

jv disse...

Constantino, responda as perguntas por favor.
hehe

Felipe Melo França disse...

Espero que a visita à UFPE ocorra na Faculdade de Direito do Recife, mais antiga faculdade de direito do Brasil e escola dos maiores juristas brasileiros (Pontes de Miranda, Clóvis Bevilaqua, Tobias Barreto, Ruy Barbosa (esse é +- ein) entre tantos outros como Joaquim Nabuco, etc)

Se não for na gloriosa FDR, que ao menos seja no CCSA, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, a qual ainda nao foi totalmente dominada pelos comunistas.

James disse...

Ótima iniciativa. Só senti falta do RJ no calendário. Não pensam ou ainda nao sabem qdo virão pra cá? Os universitários liberais daqui agradecem.

Mariz disse...

Pena que a Capital Federal não será contemplada. A UnB é um antro de esquerdistas.

Mas por felicidade conseguirei tirar uns dias de folga a mais e estarei no fechamento em Fortaleza.

Até lá.

Brunão disse...

Aguardo ansioso pela palestra na Faculdade de Direito da UFMG.

Mano Ferreira disse...

Pessoal da palestra de Recife, pode olhar mais informações no link:
http://seminarioliberal.blogspot.com

Até lá,

fejuncor disse...

Realmente lamento não ter podido comparecer. Azar ser turno da manhã, queria ter estado lá - até tentei mas não teve como. Fosse a noite estaria tudo ok. Me programarei quando rolar nova oportunidade. Certeza de um evento interessante.