sexta-feira, outubro 30, 2009

Crescimento Artificial

Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

O PIB americano cresceu 3,5% em termos anualizados no terceiro trimestre do ano. Os mercados financeiros, com foco cada vez mais imediatista, celebraram a notícia. O S&P 500 subiu quase 2%, enquanto o Ibovespa recuperou a queda do dia anterior, subindo quase 6%. A imprensa declarou o fim da recessão. Mas será que não está cedo demais para soltar fogos de artifício?

Os gastos das famílias com bens duráveis cresceram 22,3% em taxas anualizadas. O incentivo fiscal para a troca de veículos antigos foi decisivo para esta forte expansão. A produção da indústria automobilística contribuiu com praticamente metade do crescimento do PIB no trimestre. Outra contribuição expressiva veio dos investimentos residenciais. O crédito fiscal do governo para a compra do primeiro imóvel e as compras do Fed de títulos das agências federais de crédito imobiliário foram fundamentais para esta recuperação.

Quão sustentável é este crescimento dependente de estímulos do governo? Os investimentos em capital fixo das empresas caíram 2,5% em taxa anualizada. Uma economia que aumenta consumo com base em expansão de crédito e gastos fiscais, sem investir em capital fixo, está condenada a ajustes dolorosos à frente. Algo análogo a um bêbado que tenta manter o clima de euforia com mais bebida, apenas agravando sua ressaca posterior.

A economia americana cresceu bastante entre 1934 e 1936, ancorada em gastos do governo e partindo de uma base aviltada. Não era sustentável. Em 1937, o país experimentou uma nova depressão, e a bolsa caiu 40%. O desemprego em 1938 ainda estava acima de 17%. Os estímulos do governo salvaram mesmo a depressão? Para Einstein, “insanidade é fazer tudo igual e esperar resultados diferentes”. Estão novamente tentando curar uma recessão necessária para ajustar os excessos de crédito frouxo com mais crédito. Assim caminha a insanidade...

17 comentários:

Everardo disse...

Rodrigo, mas se classificarmos como artificial um crescimento com base no fato de que ele decorreu de ações do governo (incentivos ou estímulos monetários ou fiscais) descobriremos que, fora desses períodos, não há autonomia do sistema econômico "liberal". O Estado, no capitalismo, não é menos interventor. A "mão invisível" é mero truque de ilusionismo. Por trás de tudo o que acontece com a economia há um governo interventor, confesso ou não. Vje o milagre da Vale, que se atribui à privatização: tem bilhôes do governo e dos fundos de pensão por trás daquela doação.

Rodrigo Constantino disse...

Everardo, estou sem tempo e sem paciência para rebater tanta besteira...

livemusic disse...

Fora que o próprio cálculo do PIB é falho, como apontam estes dois artigos do Instituto Mises:

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=297

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=203

André Barros Leal disse...

Henry Hazlitt deixou claro um detalhe que passa por todos sem ser percebido: Credito e dívida são a mesma coisa, porém vistas de polos diferentes.

O economista Peter Schiff tem defenfendido constantemente que uma fratura não pode ser curada com morfina.

Enquanto isso o buraco vai aumentando. nem quero ver quando essa nova bolha estourar.

someyug disse...

Einstein era um comunista, morreu sem ver no que deu a URRS.
Interessante que ele mesmo disse 'Não é estranho eu ter virado uma figura tão popular falando de assuntos tão impopulares?'
É, estranho sim.

Antonio disse...

Einstein era comunista ?

someyug disse...

Era, e não conseguia entender a física quantica também

Aprendiz disse...

Não, Einstein não era comunista, embora haja evidências de que tenha sido um idiota útil (não que fosse um idiota, mas a maioria das pessoas é tola quanto à política). Sua amante trabalhava para os soviéticos. Mesmo que fosse socialista, certamente não seria pró-soviético, caso contrário estes não lhe arranjariam uma amante, seria um risco desnecessário.

E ele NÃO ACEITAVA A FÍSICA QUANTICA, (ou melhor a visão de mundo dos teóricos da física quantica). O que é muit diferente de não entender. Na verdade, ao estudar o efeito fotoelétrico, ele próprio contribuiu bastante para os primórdios dela.

As interpretações sobre as equações da física quantica ainda são um problema aberto, e talvez continuem sendo mesmo depois que os físicos conseguirem ter uma teoria quantica da gravidade (se conseguirem).

someyug disse...

Se eu nao me engano é no 'como vejo o mundo' que ele é bem claro e fala, com todas as palavras, que acredita no 'planejamento central' da economia.
Vou checar de novo, enfim

someyug disse...

He participated in the 1927 congress of the League against Imperialism in Brussels.[76] He was a socialist Zionist who supported the creation of a Jewish national homeland in the British mandate of Palestine.[77]

In a 1949 Monthly Review article entitled “Why Socialism?”[79] Albert Einstein described a chaotic capitalist society, a source of evil to be overcome, as the “predatory phase of human development” (Einstein 1949).

http://en.wikipedia.org/wiki/Albert_Einstein#Politics

Aprendiz disse...

Vejam o custo da energia "verde".

http://www.newsweek.com/id/219295?from=rss

Aprendiz disse...

Aquecimento global feito de fraudes, fraudes, fraudes:

http://www.portugues.larouchepub.com/outrosartigos/2007/0302_baixo_de_gore.html

Esse tipo de coisa não sai na nossa imprensa.

Antonio disse...

Realmente, Einstein não se deu muito bem com a teoria quântica, o que é muito diferente de não entendê-la (como disse o colega acima). E a prova disso é que ele foi um dos colaboradores dessa teoria.
Talvez ele tenha tido mesmo uma simpatia pelo socialismo, mas daí as ser taxado de comunista acho q é um pouco demais.

Aprendiz disse...

Vejam as credenciais de alguns dos céticos quanto ao aquecimento global ANTROPOGÊNICO.

http://www.wnd.com/index.php?fa=PAGE.view&pageId=83323

Everardo disse...

Sobre o comentário do Aprendiz acerca de Einstein, reforço as opiniões de que ele levará muitas décadas para ser inteiramente compreendido. Como pacifista e comunista, ou como algo mais. Mas, creio que cérebros como os do Aprendiz levarão milênios, e ainda nâo vão compreender aquele gênio, que não se enquadra em conceitos estreitos.

Aprendiz disse...

Basta não concordar com um socialista, e lá vem aquela conversinha de "não compreende". Não mudam nunca.

fejuncor disse...

Ultraje tão logo a volta dos lucros bancários já, neste ano, ver o maior volume de bônus pagos aos executivos. Há dias temiam sumir do mapa? Juros próximo a ‘0’, mará captar grana e conceder empréstimos: duro explicar ao povo pq banqueiro merece ajuda irrestrita enquanto nego perdeu emprego na indústria e em outros setores.

Capitalismo nada isso é uma confraria de bichinhas. Nesse "modelito" a tia rica é chamada pra socorrer. No capitalismo incompetente quebra. Mas a maioria ainda crê em pirâmides da felicidade, o keynesianismo da hora é o...

“In Fed We Trust”