segunda-feira, abril 23, 2007

A Origem do Estado


Rodrigo Constantino

“Poucas pessoas são motivadas a questionar a legitimidade das instituições estabelecidas.” (George H. Smith)

O Estado tem sua origem na conquista, e se mantém através da exploração. Eis a tese que Franz Oppenheimer defende em seu livro The State. Essa tese encontra eco em diferentes autores, incluindo Nietzsche, que acreditava que o Estado se origina na forma mais cruel de conquista. David Hume notou que muitos se submetem ao governo que se encontra já estabelecido no país onde vivem, sem pesquisar com muita curiosidade as origens de seu estabelecimento inicial. Poucos governos suportariam um exame rigoroso deste tipo. Com o tempo, o governo irá adquirir uma áurea de legitimidade, e a maioria das pessoas vai obedecê-lo por puro hábito. O consentimento é possível somente quando há escolha, e nenhum governo pode permitir que a obediência seja uma questão de escolha.

Para Oppenheimer, existem basicamente duas formas de organização da vida social: o meio econômico, que é pacífico por depender de trocas voluntárias; e o meio político, que é baseado na dominação e, portanto, é essencialmente violento, por ser uma apropriação não solicitada do trabalho dos outros. O Estado surgiria numa sociedade quando algumas pessoas utilizam os meios políticos para vantagem própria. Essas pessoas estariam numa situação vantajosa para forçar certas ações aos demais, e as relações passam a ser calcadas em subordinação e comando. O Estado seria então o primeiro de todos os aparatos de dominação. Independente do desenvolvimento desse Estado, Oppenheimer repete constantemente que sua forma básica e sua natureza não mudam. Desde o Estado primitivo feudal até a constituição moderna do Estado, ele ainda é a institucionalização dos meios políticos por um determinado grupo para expropriar a riqueza econômica de outros.

Parece auto-evidente que em qualquer grupo de pessoas, grande ou pequeno, existe a necessidade de uma autoridade que julga conflitos e, em situações extraordinárias, assume a liderança. Mas para Oppenheimer, essa autoridade não é o Estado, no sentido que ele usa a palavra. Ele define Estado como uma organização de uma classe dominante sobre outras classes. Esta organização de classes pode surgir somente através da conquista e subjugação. A formação de classes em tempos históricos não ocorreu através de gradual diferenciação na competição econômica pacífica, mas foi o resultado de conquista violenta. A idéia comum entre burgueses e socialistas estava no conceito do Estado como uma “coleção de privilégios” mantida em violação à lei natural, enquanto a sociedade era vista como uma forma de união humana em conformidade com a lei natural. Os senhores feudais, em contrapartida, desejavam manter o status quo, o uso do aparato estatal para seus próprios interesses.

Em todos os lugares onde o desenvolvimento de tribos atingiu uma forma mais elaborada, segundo Oppenheimer, o Estado cresceu pela subjugação de um grupo por outro. Sua justificação básica, sua raison d’etre, estava e está na exploração econômica desses subjugados. Os nômades conquistavam grupos e mantinham escravos. Eles foram os inventores da escravidão, e, portanto, plantaram as sementes do Estado, a primeira exploração econômica do homem pelo homem. Fazia mais sentido poupar os inimigos capturados e usá-los como escravos no pasto, daí a transição da matança dos vencidos para sua escravização. Com a introdução de escravos na economia tribal das hordas, os elementos essenciais do Estado já estão presentes, exceto a delimitação dos limites territoriais. O Estado aparece como uma forma de domínio, e sua base econômica é a exploração do trabalho humano. Sempre que a oportunidade aparece, e o homem possui a força para tanto, ele prefere o meio político ao econômico para preservar sua vida.

Após a conquista, os estágios diferentes vão gradualmente levando a uma mudança de percepção dos conquistados. Eles começam a se acostumar com a horda conquistadora, e passam a vê-la como seus protetores em relação às ameaças externas. Os hábitos vão se misturando, a língua vai virando uma só, e surge o sentimento de unidade, que cresce com o sofrimento comum, a vitória comum, a derrota comum. Ambos os diferentes grupos étnicos acabam juntos numa mesma terra, e as disputas que surgem com outros clãs ou outras vilas fortalecem esta união. Os senhores assumem o direito de arbitrar, e quando necessário, forçar seu julgamento sobre os servos. O conceito de nacionalismo vai evoluindo, e aparece a necessidade cada vez mais freqüente de interferir, punir ou exigir obediência pela coerção. Assim se desenvolvem os hábitos que serão utilizados pelo governo, conforme explica Oppenheimer.

O interesse comum em manter a ordem e a paz produz um forte sentimento de solidariedade, que pode ser chamado de uma consciência em pertencer ao mesmo Estado. O homem passa então a racionalizar tal desejo, e justifica a moralidade do método político usado para a formação do Estado. O grupo que controla o meio político passa então a desfrutar de certa legitimidade.

Não é preciso concordar com toda a teoria de Oppenheimer sobre a origem de Estado para perceber que este irá sempre ser sinônimo de coerção, de força. Enquanto o meio econômico é o meio das trocas voluntárias entre indivíduos, o meio político é o meio da imposição através do monopólio do uso da força. Quando estudamos casos históricos de Estados e suas origens, esta noção fica mais clara ainda. Portanto, o ideal será sempre tentar reduzir ao máximo possível a esfera política, o poder do Estado e seu escopo, cedendo o máximo de espaço possível ao meio econômico, pacífico por definição. Qual é este limite para a ação do Estado é algo que está aberto ao debate, mas somente um ódio muito grande da liberdade pode explicar a defesa de um tamanho acima do mínimo possível para garantir a paz e a ordem, assim como as liberdades individuais. Se Estado é força e sua origem está na conquista, defender o menor tamanho possível para este “monstro” é dever de todos aqueles que amam a liberdade.

60 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Apagado por baixaria chula.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mario disse...

Para aqueles que, como o Constantino, defeituosos devem ser exterminados (isto é nazismo), aí está Marcela de Jesus Galante Ferreira, sem cérebro e vivinha da silva, já com 5 mêses de idade. A mãe, o pai e o avô mostram: ela reage aos nossos carinhos. Pois é! Pode não ter cérebro, mas, tem coração. É melhor assim, do que ter cérebro de ticica de galinha assassina como os lambe-sacos rodrigueanos.

Rodrigo Constantino disse...

Apagado acima novamente por baixaria chula.

Mario, nazista é a mãe! Eu defendo a liberdade individual, que é o OPOSTO do nazismo. Vá estudar um pouco! Se tivesse feito isso, saberia que o nazismo tinha uma plataforma ASSISTENCIALISTA, tal como vc defende.

Rodrigo

C. Mouro disse...

Brilhantíssimo texto, caro Rodrigo.

Há inúmeros livros com títulos do tipo "Capital X trabalho" e fazem sucesso. Os tolos gostam de repetir bobagens que alcançam muitos ouvidos, pois assim sentem-se acompanhados, além de sempre considerarem que quantidade se relaciona com qualidade, como também crêem "se está na moda então qualifica". Assim, qualquer asneira dita por famosos ("qualificados" pela fama, conhecido por grande quantidade) torna-se aceitável pela massa que se sentirá acolhida por aquilo que imagina qualificado (já que não é capaz ou tem preguiça de pensar).

De certa forma, a acomodação sob o o conquistador reflete um pouco do "não tô vendo ninguém contestar, então tá certo", cada um parece antes "olhar para os lados" para saber se mais alguém o acompanha, se não vê ninguém ou muito poucos e presume que a idéia fracassará no rebanho, então nem se manifesta. ....e a "profecia" se auto realiza.
.
Esse é um tema antigo que muito debatia, até que li do Paulo Moura um trecho sobre a "espiral do silêncio" que foi fruto de uma análise/pesquisa. É muito bom como idéia (foi uma alemã, se não me falha a memória).
Vou também encontrar um texto meu "A origem das idéias" que se enquadra perfeitamente nessa idéia de a política surgir, como antes a religião, como meio de espertalhões e lunáticos (os que usam sem crer e os que usam crendo) dominarem os tolos e oportunistas e através deles aos demais (pela força destes).
...E Etienne de la Boétie também foi genial em seu "Discurso da servidão voluntária" ao comentar o absurdo de tantos se submeterem a um ou vários tiranos - claro que Etienne apenas mostrou o absurdo, mas há a explicação que faz com que deixe de ser absurdo para apenas mostrar que a canalhice e a estupidez podem se unir por interesses comuns e as ambições nem sempre são as mesmas, uns gostam mais do Poder outros do bem estar material, variando as intensidades que acabam por se combinarem nesta podridão ética conhecida por Estado ou Poder político.
.
Forte abraço
C. Mouro

C. Mouro disse...

e não esquecer que Hitler era um fanático religioso, um cristão que muito malhava os ateus, e que justificava sua perseguição aos judeus no fato dos cristãos os terem perseguido e queimado em fogueiras. ...."judaico-cristãos" ...hehehe! tsc tsc tsc.
.
Abraços
C. Mouro

Anônimo disse...

“a menina, batizada, estará sempre à espera da volta pessoal de Jesus, lembrando-nos a todo momento que sua vida precária é dom divino e somente quem fez o dom pode exigi-lo de retorno, acrescido de méritos contabilizados na vida eterna”.

Dom Diógenes

vida precária é dom divino. Santa Ignorância. Amém.

Anônimo disse...

Treinada no hospital, a mãe vai alimentar a bebê por sonda a cada 3 horas com leite, papinha e suco de frutas

Anônimo disse...

"o bebê tem o tronco cerebral, responsável por controlar as funções mais básicas do corpo humano, como o batimento cardíaco e a respiração, é possível mantê-la, assim como se mantém de forma vegetativa quem sofre morte cerebral"

Thomaz Gollop, diretor do Instituto de Medicina Fetal e Genética Humana de São Paulo

Anônimo disse...

Marcela de Jesus Galante Ferreira tem uma parte do encéfalo e tronco cerebral

respira, com auxílio externo
come, com auxílio externo
responde à estímulos musculares

UM VEGETAL, MANTIDO POR APARELHOS. CONDENADO A FICAR ASSIM ATÉ MORRER.

Anônimo disse...

a sociedade médica internacional tem registro de UMA criança anencéfala que teve sobrevida por dois anos nos EUA

gabriel disse...

Mouro, você sabe muito bem que Hitler não era fanático religioso, só está querendo colocar lenha na fogueira. Há várias citações de Hitler condenando o cristianismo, bem parecidas com as que você profere aqui.

O tema original do post é que deveria ser motivo de discussão.

Rodrigo, é por isso que acho que você deveria moderar os comentários. Acaba com a alegria de todos os palhaços, tanto a seu favor como contra. Mantem o nível sério e adequado.

Anônimo disse...

A médica afirmou que Marcela respira, suga o leite e consegue reagir a estímulos porque a sua medula está intacta. "É a estrutura que controla movimentos involuntários, como os batimentos cardíacos."

Marcia Beani, médica de Marcela

Anônimo disse...

MOVIMENTOS INVOLUNTÁRIOS!

Ai vem este povo ignorante dizer que a menina reage a carinhos! é forçar muito a barra! Pior é que tem gente medíocre que se emociona com esta baboseira.

Anônimo disse...

"Pode não ter cérebro, mas, tem coração" mario, o otario

quaquaquaquaquaquaquaquaquaquaquaqua

a gente sente com o coração, que lindo! Que inteligente! ah, mas quem provou isso foi o pai, a mãe e o avô da menina! Os médicos estão errados, com certeza!

quaquaquaquaquaquaquaquaquaquaquaqua

Catellius disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Catellius disse...

Constantino, desculpe-me por colar aqui um texto que não tem nada a ver com o assunto em pauta.

A liberdade de expressão é de fato um valor inabalável na Dinamarca, onde foram publicados os cartoons que ensandeceram os muçulmanos, assim como deveria ser em todo o mundo dito civilizado.
Um jornal dinamarquês - o Information - publicou seis dos cartoons sobre o Holocausto que estiveram em exibição na capital iraniana, Teerã. O jornal classificou as charges como "de mau gosto mas previsíveis", e o editor do jornal, Palle Weis disse que "Os nossos leitores ficariam desapontados se não publicássemos os cartoons".

Enquanto isso, no Brasil, um inofensivo texto cáustico que apenas expõe algumas contradições do catolicismo, como a divindade dos santos, o politeísmo disfarçado, onde criei uma espécie de anedota não mais agressiva do que são os episódios de "South Park", exibidos na TV aberta brasileira (MTV, sinal UHF), é apagado após os protestos de um certo Edson Carlos de Oliveira, autor do blog "Sou Conservador Sim, e Daí?", que ameaçou deixar o Blogs Coligados se eu continuasse por lá a publicar esse tipo de artigo (li isto na caixa de mensagens do post, antes de ser apagado). Após entrar no blog do Edson, onde se vê em destaque o título em letras góticas, um retrato de Jacques Cathelineau, "herói na luta contra a Revolução Francesa" (ha ha), e um "award" com as inscrições "The Anti-Communist Awards Category: Best non-US blog Winner 2006!" (ha ha ha), resolvi antecipar minha saída do B.C. e deixá-lo por lá em companhia dos outros politicamente bonitinhos.

Acho pertinente o argumento de Klauber de que tem de zelar pelo "instinto de sobrevivência do blog". Cada um dá a linha editorial que bem entende, é lógico. Liberdade de censurar é isso aí!

Meu post, que ofendeu tanto assim os créus (Cliquem aqui).

A justificativa de Klauber Cristofen Pires:

Aos amigos colunistas dos Blogs Coligados,

Comunico que, após refletir ponderadamente, tomei a recisão de apagar o artigo "Santo Subito", pelo que peço a compreensão de todos, inclusive de seu próprio autor.

Como sempre tenho dito, não há editoração de textos nos Blogs Coligados, nem dirigismo por parte dos seu administrador. Todavia, à liberdade de escrever deve corresponder o bom senso, o respeito mútuo e o próprio instinto de sobrevivência do nosso blog.

Sabemos todos que entre nós há escritores ateus, e entre os religiosos, há católicos, evangélicos e espíritas. Dentro de um espírito de emulação do que seria uma própria sociedade liberal, precisamos todos entender que o respeito às crenças e convicções de cada um é parte inerente à manutenção da ordem e da paz continuada, um dos pilares do Estado Mínimo. Quando as ações de um grupo tendem justamente a ofender o campo de liberdade do outro, aí sim, vem a necessidade do uso de uma autoridade, que seja reconhecida como legítima por todos.

No caso em tela, a presença de uma espirituosidade extremamente ácida contida no artigo, contra a Religião em si e contra as crenças e dogmas dos católicos denunciou a ocorrência de uma pura agressão gratuita a um grupo que não faz mal a ninguém por existir, desconsiderando-se aqui totalmente os méritos de tais convicções, não por eu fazer ou não parte delas, mas por simplesmente fugirem ao objeto a ser julgado.

Assim sendo, peço a todos que doravante evitem tais agressões que, além de serem sem sentido para a existência deste blog, trabalham para o seu empobrecimento e extinção. Ao autor do texto, que já nos brindou com excelentes artigos, digo que continua a ser benvindo, desde que observe as boas regras de convivência.

Agradecidamente,

Klauber Cristofen Pires
Administrador dos Blogs Coligados


É isso aí! Estou partilhando com vocês o caso porque nunca fui censurado antes e fiquei bem animado com a coisa! Será que posso pleitear uma indenização junto ao governo? ha ha ha

Rodrigo Constantino disse...

Eu recebi essa mensagem, mas já não publico no Blog Coligados faz muito tempo.

Rodrigo

Anônimo disse...

Ataque gratuito e sem sentido dá é nisso. Quem fala o que quer, ouve o que não quer. Parece que não ensinam mais o respeito mútuo às pessoas. Para continuar com o ódio gratuito, melhor usar seu próprio blog, e não contaminar blogs isentos.

Anônimo disse...

"uma pura agressão gratuita a um grupo que não faz mal a ninguém por existir"

quem não faz mal a ninguém? fazem e muito

eles podem dizer o que querem dos ateus, né? que gracinha. brincar com símbolos religiosos não pode.

Blogildo disse...

Rodrigo, esse artigo me fez lembrar do embate Microsoft x Netscape. Tá lembrado? Naquele caso, a Mircosoft usou seu poderio econômico para eliminar um concorrente. O estado tentou - em vão - intervir.

- Na sua opinião aquela intervenção do estado foi indevida?
- Não seria esse caso um indício de que o "meio econômico" não é tão pacífico assim?

Catellius disse...

"Quem fala o que quer, ouve o que não quer"

Profundo! Brava! Pegou no wikiquote?
Mas não se aplica ao meu caso pois, como disse, achei bem legal ser censurado, ainda mais por pressão de beatas que leram o texto, coraram e desataram a fazer o sinal da cruz. O que esperar de leitores de um calhamaço de embustes que não contém uma única tirada humorística, ditado por um deus psicopata que envia ursos para matar quarenta e dois rapazes que cometeram o crime de rir da calvície do sisudo Eliseu? (II Reis 2,24).
Entre as pessoas de espírito livre, ri-se de tudo, de Darwin, da ciência, biólogos zombam da própria profissão por meio de cartazes humorísticos pregados nas paredes dos laboratórios, engenheiros, arquitetos, etc. Religiosos, ao contrário, sempre a tratar de coisas "muito sérias" como o Santo Prepúcio de Cristo, não admitem uma historieta sarcástica envolvendo seus deuses e semideuses, embora achem um absurdo a quebradeira que os islâmicos promoveram após as charges dinamarquesas.

carlos costa disse...

Gostaria de lembrá-los de um fato interessante. Esse mesmo argumento, de que o Estado é uma superestrutura política da qual a elite se usa para preservar seus privilégios, foi usado por Karl Marx para defender o Estado socialista em troca do Estado Burguês, como ele diria. Por mais que Marx estivesse equivocado, seus argumentos são muito superiores, sob o ponto de vista da filosofia.

maroto disse...

NAZISMO AINDA TINHA CRITÉRIOS PARA EXTERMINAR.

COMUNISMO EXTERMINAVA APENAS PELA POSSIBILIDADE DA PESSOA TALVEZ VIR A SER CONTRA O COMUNISMO, BASTAVA QUE NÃO GOSTASSEM DA CARA DO INFELIZ QUE CRUZASSE O CAMINHO DE ALGUM COMUNISTA DE MAU HUMOR!!!

Catellius disse...

Hitler era cristão (fotos)

Frases de Hitler que o mostram como um devotíssimo cristão

Mario disse...

Constantino,

"Mario, nazista é a mãe!" PUTZ!!! Que nível, hein?!?!?! Isso é da sua "moral filtrada"??? QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

"(...) uma plataforma ASSISTENCIALISTA, tal como vc defende." Ei Constantino!!! Onde você leu isso de mim???? PROVE!!! É engraçado como você "põe palavras na boca dos outros"... Penso que você deveria aprender a ler.... num dos posts, aqui mesmo em seu bloguinho, escrevi, tempos atrás, que "(...) TODOS deveriam CONSTRUIR seu próprio pecúlio e não ficar dependendo das tetas de uma previdência falida". É... tenho a impressão de que você está tomando as pílulas erradas...

Aliás, você sabe qual é a origem das leis do Código Penal que proíbem matar... assassinar... roubar... furtar... estuprar...???? Pode ter a certeza de que não foi da sua "moral filtrada"... QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Mario disse...

Catellius... o Grande Pudim de Cachaça também diz que é cristão e que não tem pecados... QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Mario disse...

qualquer dia eu explico como será a passagem de vocês, materialistas, desta para melhor... OPS!!! no caso de vocês, para pior.. Só uma pequena dica: vão sentir dores terríveis porque a carne, que tanto prezam, está apodercendo e os vermes devorando... QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Rodrigo Constantino disse...

Mario, se vc não subir o nível de seus comentários, vou começar a filtrá-los. Não vejo UM ÚNICO argumento presente neles. Apenas polui os tópicos e prejudica o nível dos debates. Sinceramente, isso é um blog particular, e sou o primeiro a defender que aqueles que discordam possam escrever aqui. Mas isso que vc faz é coisa de adolescente. Ou argumente, ou limite-se à sua insignificância. A partir de agora, apago esse tipo de comentário chulo.

Rodrigo

Thiago disse...

Se Hitler era cristão, logo todos os cristão eram nazistas, o cristianismo não presta pq Hitler utilizava-o como massa de manobra e todos os cristãos da século nascidos depois da 2º guerra, assim como os alemães que não participaram da guerra, são nazistas.

Que lógica maravilhosa. E ainda se acha o fodão racional o maluco ali.

Thiago disse...

Os simpsons toda hora avacalham com os religiosos com piadas. E nada acontece.

O cara maluco ali quer avacalhar cada vez mais de forma obscena com a religião dos outros e sair ileso, quer que os catolicos engulam.

è obvio que vai irritar alguns. A questão é que o cara compara uma indignação de blog com um quebra pau violentíssimo na Dinamarca, querendo igualar o catolicismo ao islamismo radical.

E ainda paga de fodão!

Catellius disse...

Demonstrar que Hitler era cristão serve para aqueles que dizem que a falta de um deus gerou os milhões de mortos na 2ª Guerra Mundial, a eugenia, o darwinismo social de Spencer ou o diabo que o valha. Pio XI classificar Mussolini como "enviado da providência divina", o anti-semitismo cristão, o Vaticano apoiar Franco, Salazar, etc., demonstra que não foi por falta de fé que aquilo tudo ocorreu.

"O cara maluco ali quer avacalhar cada vez mais de forma obscena com a religião dos outros"

O que você viu de obsceno? Sagrado Prepúcio de Cristo? Lamento informar, mas os católicos o veneravam séculos antes de eu nascer. O que posso fazer?

"querendo igualar o catolicismo ao islamismo radical."

Hoje, em um cenário de catolicismo domesticado por uma Europa laica, é fácil de se indignar com os bestiais muçulmanos. Mas o europeu de poucas décadas atrás não reagiria de maneira diferente perante charges envolvendo a virgindade de Maria, por exemplo. Na Europa, o islamismo está mais ou menos domado com a ajuda de cadeira, chicote e fogo, enquanto o cristianismo é o rottweiler brincalhão que aparentemente protege o dono, mas que o atacará se baixar a guarda, se parar de alimentá-lo, se não o adestrar com rigor. Religiões hegemônicas com tentáculos no Estado, capazes de mobilizar grandes rebanhos de fiéis bovinos, são perigosas, isso é tudo.

Anônimo disse...

POR FAVOR! MÁRIO NÃO MAIS!

O CARA É UM ADOLESCENTE QUE DEVE FICAR NAVEGANDO DE BLOG EM BLOG SÓ PARA SER DO CONTRA, SÓ DIZ ASNEIRAS, SÓ DEBOCHA, MAL SABE ESCREVER

POR FAVOR, RODRIGO, MÁRIO NÃO MAIS!

Anônimo disse...

"o islamismo está mais ou menos domado com a ajuda de cadeira, chicote e fogo" - de onde você tirou isso?

Anônimo disse...

Catellius, dê o link da encíclica ou qualquer coisa do gênero que afirma isso que você disse:

Pio XI classificar Mussolini como "enviado da providência divina"

Quero ler isso.

Anônimo disse...

cristão são tão chatos e tão imbecilizados...

Mario disse...

Contantino,

Vejamos se deu para entender... você ofendeu quem suponho ser a minha mãe e sou eu quem está baixando o nível???? é isso?????

Por acaso, não foi Hitler que tinha como propósito exterminar os defeituosos e os inferiores??? Não foi você quem disse, também, que devem ser exterminados????

Por acaso, relatar que a menina está viva, apesar de não ter cérebro é baixar o nível????

Por acaso, dizer que vou relatar como ocorre a passagem (morte do corpo), que é uma constatação científica é baixar o nível?????

PUTZ!!!!! Já não sei mais o que é nível.....
ahaaaaa!!! Já sei!!!! Chamei o seu guru de pudim de cachaça... é isso, não é?

Mario disse...

OPS!!! Já sei!!! Baixei o nível porque pedi para você provar algo que eu não disse, não é???

Ou porque eu disse que cada um deve se virar e não ficar dependendo de assistencialismo?

Estou perdidim da silva.... onde foi que baixei o nível???? Por acaso não são seus lambe-sacos que baixam o nível, me ofendendo e às religiões???? Aliás, pode ser que os religiosos se ofendam... não é meu caso, pois não tenho nenhuma religião e me divirto com as idiotices que você e seus lambe-sacos escrevem... QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

ahá!!! talvez minhas gargalhadas sejam de baixo nível... é isso????

Rodrigo Constantino disse...

"você ofendeu quem suponho ser a minha mãe e sou eu quem está baixando o nível???? é isso?????"

Não. Vc me chamou de nazista, e eu disse que é a mãe!

"Por acaso, não foi Hitler que tinha como propósito exterminar os defeituosos e os inferiores??? Não foi você quem disse, também, que devem ser exterminados????"

Onde eu disse isso, seu mentiroso safado?! Somente para um IMBECIL seria a mesma coisa defender o direito da EUTANÁSIA e a morte deliberada de JUDEUS. Aliás, nem mesmo para um imbecil seria igual. Só mesmo para um completo pérfido sem caráter.

Bom, está avisado. Está claro para todos aqui que vc é um adolescente problemático, e sua participação JAMAIS contou com UM ARGUMENTO que seja. Nâo vou mais tolerar isso, pois não é do meu interesse deixar o blog baixar ao seu nível de intelecto e infantilidade. Está avisado. Arrume outra coisa para passar o tempo ou passe a argumentar.

Rodrigo

Catellius disse...

Caro Anonymous,

Basta procurar no Google com a fórmula:

"pio xi" mussolini ou
+"pio xi" +mussolini

Ou clique aqui

Em italiano:

"Nel 1929 il Papa fu l'artefice della firma dei Patti Lateranensi tra il Cardinale Pietro Gasparri ed il governo fascista di Benito Mussolini e il 14 febbraio 1929, in un discorso all’Università del Sacro Cuore in Roma, esaltò Mussolini come «l'Uomo che la Provvidenza ci ha fatto incontrare» (forse poco opportunamente, visto come si svilupparono gli eventi).Con l'accordo stipulato veniva data alla Santa Sede la sovranità sullo stato della Città del Vaticano, come enclave nella città di Roma, in cambio dell'abbandono da parte del Vaticano di pretese territoriali sul precedente Stato Pontificio."

Na Catholic Encyclopedia encontramos artigos sobre todos os "Pios", de "Pius I" a "Pius X", mas Pio XI e XII, sobre os quais recaem as mais contundentes acusações, ficaram de fora. Acesse aqui a lista de Papas que possuem artigo na Catholic Encyclopedia.

Enfim, esta frase ficou famosa, mas obviamente o tolo Pio XI não a proferiu por ocasião de seus ideais fascistas mas por causa da concordata que criou o enclave do Vaticano. A ICAR voltou a ser a religião oficial da Itália e o parvo papa "exigiu" que Mussolini destruísse a estátua de Giordano Bruno. Ante a negativa do ditador, o pontífice canonizou o Cardeal Roberto Bellarmino, que condenara o padre por heresia.

Catellius disse...

por ocasião de seus ideais fascistas = dos ideais fascistas de Mussolini

Thiago disse...

Tirar o Mário será a prova de intolerância do Blog.

Catellius disse...

prova de intolerância do Blog...

O blog tornou-se consciente e, rebelando-se contra os comandos de seu mestre, partiu para a intolerância! É uma espécie de HAL, do 2001 de Arthur Clarke, he he.
Salve-se quem puder!

Mario disse...

Constantino,

Penso que você precisa aprender a ler. Escrevi, precisamente: "(...) defeituosos devem ser exterminados (isto é nazismo), (...)". Interpretando o que escrevi: o extermínio de defeituosos e de raças inferiores é nazismo. Não chamei ninguém de nazista. Se a carapuça serviu, é outra história.

"Não. Vc me chamou de nazista, e eu disse que é a mãe!"

Até onde sei, quando se diz que (qualquer coisa, que pode ser omitida) "é a mãe", subentende-se que está ofendendo a mãe do interlocutor, não? Agora, se na sua moral filtrada tem outro significado, por favor, queira explicar.

"(...) seu mentiroso safado (...) Somente para um IMBECIL (...) completo pérfido sem caráter (...) adolescente problemático (...)" Por favor, queira explicar se são ou não uma ofensas pessoais e se isto eleva ou baixa o nível.

"(...) defender o direito da EUTANÁSIA e a morte deliberada de JUDEUS (...)" Hitler pregava o extermínio das raças inferiores e dos defeituosos (doentes mentais, paraplégicos, etc.) porque o domínio do mundo deveria ser entregue à raça superior (ariana).

Seu blogger deve ter algum problema técnico muito sério. ABSOLUTAMENTE TODAS AS MINHAS OPINIÕES estão acompanhadas de argumentos. Ou, provavelmente, o bug está na sua mente: como jamais aceita minha argumentação, não consegue processá-la. Mais uma vez: a mente humana só consegue processar informações se estiver preparada. Repito este exemplo: um surdo não consegue articular as palavras, embora todo o seu sistema de fala (cordas vocais, língua, lábios e respiração) funcione perfeitamente porque, na sua mente, não há registros para produzir os sons.

Outros argumentos: Opiniões dependem, exclusivamente, do background, isto é, de conhecimentos adquiridos que constroem o ponto de vista. Citei um exemplo muito simples: o do cartão com faces de cores diferentes. Disso decorre que alguém que é excencialmente materialista, não tem um mínimo de bom senso em criticar quem tem conhecimentos sobre o outro lado do véu, o mundo espiritual. O fato de alguém não acreditar na sua existência não significa que não exista.

Aqui vão outros fatos científicos: os cinco sentidos (audição, visão, tato, olfato e paladar) não são exatamente iguais para todos; há os que são mais sensíveis e há os que são menos. Os cães, por exemplo, são daltônicos (não distinguem cores), no entanto, a visão é muito mais sensível que a humana à pouca luz. Falando apenas dos humanos, há os que são muito sensíveis à emissão da energia corpórea, que é puro magnetismo (não confundir com calor). Isso explica porque há pessoas que, com a simples imposição das mãos, conseguem detetar anomalias orgânicas (doenças). Melhor do que isso, são capazes de canalizar energia para a cura, com a simples imposição de mãos. Em verdade, o que a pessoa faz é harmonizar o fluxo de energia. Isto não depende de acreditar ou não, já que aplicam-se a animais irracionais (cães, gatos, cavalos, etc.) e, até mesmo, a plantas. ISSO NÃO DEPENDE DE ACREDITAR OU NÃO NA EXISTÊNCIA DE DEUS!!! Ora!!! Você PENSA QUE NÃO ARGUMENTO porque a grande maioria está baseada neste simples fato: TUDO É ENERGIA, nas suas infinitas formas de manifestação.

Anônimo disse...

mário disse:

Para aqueles que, como o Constantino, defeituosos devem ser exterminados (isto é nazismo)

se isso não é chamar Rodrigo e quem concorda com ele de nazista, então, o cara realmente escreve em outra língua, português que não é

ou, como provam todos os seus textos e também o que está acima, o cara é um idiota

Catellius disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Catellius disse...

"Falando apenas dos humanos, há os que são muito sensíveis à emissão da energia corpórea, que é puro magnetismo".

Entendi bem? Eu sempre pensei que a energia corpórea fosse feita de Raios Gama.

"Isso explica porque há pessoas que, com a simples imposição das mãos, conseguem detetar anomalias orgânicas (doenças)".

Magneticamente, claro. Imagino que seja possível construir máquinas que detectem as anomalias no corpo humano apenas fazendo uso de magnetismo. Agora entendi a história de que "rola uma energia entre a gente", "puro magnetismo"; as colegiais estavam falando sobre ciência!

"Melhor do que isso, são capazes de canalizar energia para a cura, com a simples imposição de mãos."

Curar com magnetismo... Como aqueles colchões com magnetos, dos quais se espera maravilhas, afinal de contas nosso sangue contém ferro e os magnetos ajudam a harmonizar as correntes magnéticas da Terra que passam pelo corpo humano...
E estas coisas são "fatos científicos", claro. A teoria da Terra Oca, derivada da teoria da cabeça oca, também foi provada cientificamente, não? Assim como a autenticidade da hóstia de Lanciano.

carlos costa disse...

Sobre o quê é o debate? Começa a se falar em A origem do Estado, e termina na história dos porquinhos indianos eremitas...

Anônimo disse...

sim!

pois mário é criador de porquinhos magnetizados voadores!

Mario disse...

O Catellius, outro dos ignorantes, nunca ouviu falar, p. ex., em fotografia Kirlian, para começar, o que hoje já é obsoleto. Não dá para ficar sem dar gargalhadas... QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ vive na idade da pedra e eu é que sou conservador.

Mario disse...

Catellius, já ouviu falar em aculpuntura? mosha? cromoterapia? johrei? reiki? são técnicas milenares... TODAS ENVOLVEM HARMONIZAÇÃO DO FLUXO DE ENERGIA PELOS MERIDIANOS... sua ignorância não tem limites... QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Anônimo disse...

QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

esse mário é ridículo!!!!!!

QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Anônimo disse...

pô Catellius

vc nunca soube que comer formigas vivas é bom para os olhos?

porra, este conhecimento é milenar!

cara, tu entende de política mas não entende de formigas?

por isso que tu não entende o que mário diz, pq não tem os olhos bem abertos

po, vai comer formiga!

hahahahahaahahahahahahahahaahaha

esse mário é um palhaço!

Anônimo disse...

Achei incrivel o seu texto e sua forma de analise,mas na verdade estou te esrevendopor que necessito de ajuda....Preciso definir o que caracterizou o nazismo em uma só palavra de sete letras.Vc pode me ajudar?

ALLmirante disse...

A mensagem é correta. O estado é o veículo que usam os perversos para dominar o povo, com o ingênuo consentimento de próprio povo.
Alguma dúvida? Remember O Império Romano e a República de Florença.
Rodrigo: os cães ladram porque lhes falta comida.

ALLmirante disse...

Visite: ALLmirante.blogspot.com

Júlio Augusto Varis disse...

Rodrigo sou seu fã! rsrsrs

cara show de bola se texto.
Achei tao bom que acho que serei cientista político!
política é o rumo ao Poder. E eu quero esse poder. é assim que o sistema funciona, os controladores, e os controlados.
Eu quero ser controlador nessa sociedade de tolos :D

vlw ae, pena que ninguém realmente importante (se é que vc me entende) postou nesse blog. Te convidariam a fazer parte do Estado em si hehehehehe.

abraços de um fã

Ricardo Froes disse...

Tem uma meia dúzia de três ou quatro comentando aqui que deveriam ser encaminhados ao crematório do Caju para serem reduzidos a cinzas.

São doentes terminais, em bem pior estado que os personagens dos contos da Carochinha de anencéfalos que vivem a troco de "luz divina".

Um artigo tão bem escrito cujo autor tem que se preocupar em espantar zumbis é sacanagem.

Galt disse...

Oi Rodrigo! Como é possível separar economia de política? Não entendi. Um é uma coisa, o outro é outra e não se misturam? Se acabar com os meios políticos só vão restar os meios econômicos e eis a redenção humana? Simples assim?