quinta-feira, novembro 08, 2012

Royalties socialistas

Rodrigo Constantino

Não deixa de ser curioso ver a reação da classe artística e da esquerda caviar como um todo na questão dos royalties do petróleo. Vão tirar recursos do Rio, e isso não pode! É aqui que se produz o petróleo, corre-se o risco de vazamentos, poluição etc. Não é justo, em nome da igualdade, dividir os recursos com os demais estados. 

Sim, crítica absolutamente legítima, claro. Mas um tanto incoerente com o socialismo pregado pela turma dentro do próprio estado! Não é exatamente esse o discurso esquerdista? Que os ricos devem pagar mais em nome da igualdade? Então! Os deputados levaram o recado a sério e querem meter a mão no butim. Os cariocas reclamam agora porque dói no bolso? 

Mas a partilha dos royalties é exatamente o que prega a cartilha socialista! Tirar do Rio e mandar para o Maranhão de Sarney! Isso é socialismo, gente! Não gosta dele? Não acha justo o Rio perder estes recursos? Então ao menos enterra o discurso socialista de vez, para TODAS as ocasiões! 

Dentro do estado, do país, do município, não é mais justo coisa alguma transferir recursos dos mais ricos para os mais pobres em nome da igualdade. Isso é socialismo, e isso é injusto e ineficiente. Entenderam agora?

12 comentários:

Alexandre disse...

Concordo Rodrigo. Porém, acho que o oposto vale. Fiquei decepcionado ao ver leitores do blog do Reinaldo Azevedo defendendo esse roubo aos Estados do ES e RJ. Veja o comentário que coloquei lá:
É impressionante como tenho lido asneiras sobre esse assunto até de pessoas que deveriam ser esclarecidas, já que leem esse blog. E o pior: ainda misturam a antipatia pelo Cabral (com o qual também não me simpatizo) como justificativa para essa tungada que foi dada na população dos Estados produtores.
Aos leitores deste blog só digo uma coisa: como podemos defender a quebra de contratos,a fragilização da Federação (se é que ainda vivemos em uma) e a tirania da maioria sobre a minoria (que é o caso das bancadas do RJ e ES, contra TODAS as outras, independente de partido), quando defendemos justamente o contrário? Ou seja, a prática esquerdista vale se ela vai a favor do interesse de vocês? Cadê a coerência pessoal? Olha que precedente perigoso, sempre que algum projeto for em prejuízo da minoria e em benefício da maioria será aprovado, mesmo que claramente inconstitucional. Cuidado, amanhã pode ser contra os Estados de vocês.
O fato de o petróleo não recolher ICMS na origem, diferentemente de outros produtos, afeta diretamente os Estados produtores, já que grande parte da produção desses Estados está diretamente relacionado a indústria do Petróleo. Cada região do país tem as suas características e vantagens comparativas, em alguns lugares é o solo, plano e adequado a agricultura, em outros o minério de ferro,por acaso no RJ e ES é a indústria do Petróleo, não podemos ter benefício disso? E a afirmativa que está em alto mar não cola: caso fosse proibida a saída do Petróleo pelo Estado do Rio isso invariavelmente invibializaria a produção. Se o Rio fosse um país, o Petróleo seria dele de acordo com as leis internacionais.
Em verdadeiras Federações isso nunca aconteceria. Precisamos urgentemente de um partido de DIREITA nesse país que defenda seus valores mesmo quando vai contra algum benefício momentâneo. Precisamos urgentemente de um partido que defenda abertamente: liberdades individuais, respeito às Leis e aos contratos, descentralização de poder e federalismo, propriedade privada e redução do Estado. Minha decepção foi total ao ler leitores desse blog defendendo o contrário.

Anônimo disse...

Rodrigo, pra variar vc vê socialismo em tudo. Vc vive numa dicotomia radical, onde não existe bom senso e raciocínio, mas capitalistas e socialistas. Fortes e fracos, vermelhos e, sei lá, azuis. Caprichoso e Garantido.

Os royalties têm origem no papo mole de que deve haver um ressarcimento ao estado ou cidade produtora, porque, coitados, vão se mobilizar para produzirem petróleo e este é um recurso finito. Quando acabar vão ficar na mão e vão precisar de todo aquele investimento que foi feito com os royalties nos "meios de produção que vão substituir a indústria do petróleo" (já ouviu balela maior??)

Não tem nada a ver com poluição. Para isso a União mete as multas bilionárias na Petrossauro quando 200 litros de óleo cobrem com uma película de 0,02mm de espessura o marzão fedido do RJ. Coisa que evappora mais rápido que a cachaça no mijo existente no lugar.

90% desse bando de políticos não tem a menor noção disso. Mas é claro que querem essa dinheirama para continuarem enfiando naquele lugar. Ah, vão enfiar naquele lugar em nível nacional? Claro, mas é melhor que os 10 % não enfiados nesse lugar sejam distribuídos para a União, já que os argumentos para deixar tudo nos estados produtores são uma imensa balela idiota.

Anônimo disse...

E a direita de outros estados que defendem a redistribuição ? Eles também estão sendo incoerentes !!! Agora que eles serão beneficiados, mudam o discurso ?

Leticia disse...

Rodrigo, ótimo seu argumento. A discussão vale, mas no fundo as características desse nosso Brasil fazem essa grana escorrer pelo ralo, de um modo ou de outro. Note que todas as regiões beneficiadas por royalties até hoje não se valeram deles para melhorar rigorosamente nada para si (embelezamento urbano para a vista dos engenheiros não contam). Quando não há roubo, há simplesmente ineficiência - ignorância - na elaboração e aplicação de projetos com esse dinheiro - educação e capacitação para "nativos", p. ex.
Falo das cidades pequenas. No Rio, p. ex., acho um absurdo que o benefício dos royalties não tenha valido rigorosamente nada esse tempo todo. Exceto a Zona Sul, o resto é de dar dó (interior principalmente). O dinheiro se incorporou a um orçamento mal gerido, e só.
Como está ou como deverá ser, é um dinheiro mal-aplicado, seja em Macaé ou em Tribufu do Norte.

Anônimo disse...

Sem entrar no mérito ou desmérito do socialismo, lembre que a cidade de São Paulo levou esse país nas costas por décadas e não teve retorno justo, o que quer que justo signifique no Brasil.

Anônimo disse...

Qual seria o retorno justo para SP? E os investimentos federais? Vão em sua maioria pra onde? E o caso do local da cobrança do ICMS (obrigado, deputado José Serra - PMDB-SP!)? Foi pra beneficiar a quem principalmente?
O dinheiro dos róiotes (é assim que eu escrevo) deve ficar com os estados produtores. É o que manda a CONSTITUIÇÃO, meu amigo! A verdade é que cresceram o olho, né? Muita lenga-lenga pra disfarçar, mas a verdade é essa. Por isso não é de se estranhar que os leitores de Reinaldo Azevedo tenham escrito barbaridades. Na hora da grana nego se estapeia!
Flavio Santos - Rio/RJ

Edson Vergilio disse...

Mas desde criancinha sempre ouvi dizerem que "O Petróleo é nosso". Nosso de quem? por favor, passem a minha parte para eu mesmo administrar.

Anônimo disse...

Tem alguém de fora do Rio de Janeiro ou pelo menos com o mínimo de bom senso para dar um comentário imparcial?

Anônimo disse...

Tem alguém de fora do Rio de Janeiro ou pelo menos com o mínimo de bom senso para dar um comentário imparcial?

Anônimo disse...

Tem alguém de fora do Rio de Janeiro ou pelo menos com o mínimo de bom senso para dar um comentário imparcial?

Anônimo disse...

Tem alguém de fora do Rio de Janeiro ou pelo menos com o mínimo de bom senso para dar um comentário imparcial?

Anônimo disse...

Tem alguém de fora do Rio de Janeiro ou pelo menos com o mínimo de bom senso para dar um comentário imparcial?