terça-feira, abril 16, 2013

Desmascarando um esquerdista

Rodrigo Constantino

Reconheço um esquerdista de longe. Não posso dizer que é pelo cheiro, pois identifico os virtuais também. É pelo estilo.

E eis que recebi mensagem hoje de um típico ícone dessa esquerda mascarada, criticando meu artigo do GLOBO sobre meu sonho com Thatcher. Abaixo, a troca de emails, pois considero essa conversa útil para que meus leitores aprendam a identificar, também, essa turma que chega devagar, mas carrega um ranço estatizante enorme. Ele está em vermelho, eu em azul (por motivos óbvios).


Prezado Rodrigo,
Li seu artigo em O GLOBO,de 16-4-2013, "Eu tive um sonho".
Folgo em saber que seu sonho acabou bem, apesar da interferência da Dilma nele. Poderia ser realmente trágico, se em vez da Dilma entrasse no seu sonho o Obama, injetando bilhões de dólares na GM e centenas de bilhões nos bancos privados, se entrasse o Tony Blair, doando bilhões de libras para os bancos e industriais ingleses, sem falar no Sarkozy, que entraria em seu sonho sozinho, sem a Carla Bruni, mas doando dinheiro de impostos dos franceses para os empresários franceses.
Sorte sua, cuidado com os sonhos.
Um onírico abraço,
Joaquim Melo

De fato, esses todos são bem intervencionistas e merecem duras críticas por isso.
Mas nada se compara ao nosso governo Dilma. Talvez a Argentina e a Venezuela, mas nesse caso seria um pesadelo tão assustador que eu estaria até agora em choque.

agradeço a resposta, mas ... você sabe a diferença de economia real para economia ideal?

Sei sim. Economia real, quando se trata de esquerda, é aquela que tem inflação fora de controle, partidos populistas se perpetuando no poder por meio de compra de votos, grupos empresariais se beneficiando de esquemas com governo etc.
Economia real, quando temos um modelo mais liberal, é aquela que tira milhões da pobreza, que gera prosperidade e, sobretudo, com liberdade preservada.

Rodrigo, sem ideologias ...
Na economia real, o Estado TEM que intervir várias vezes para acertar os rumos, sendo que este rumo pode ser direitista, liberal ou esquerdista!
Você não pode ignorar a realidade, um exemplo básico, imagine uma hipotética economia liberal, a mais liberal do mundo(feita à sua escolha), onde uma seca destruiu toda a agricultura do país.
Se o Estado não intervier, os produtores de alimento vão falir e desistir do negócio de produção de alimentos e a partir deste momento todos, inclusive os economistas liberais, vão morrer de fome, mesmo que escrevam um monte de teses de pós-doutorado. Neste caso, o Estado garante o negócio dos agricultores para que as pessoas possam continuar vivendo bem em um ambiente liberal.
abç.
Jm

Curiosamente, os que alegam não ter ideologia sempre são os mais idelógicos de todos, e sempre em defesa de mais intervenção.
Por que vc acha que o mercado não faria hedge ou seguro? Por que vc acha que o burocrata interventor é mais clarividente que o empresário, ou melhor intencionado? Por que vc acha que as falhas de mercado são "curadas" pelo governo, sem levar em conta as enormes falhas de governo?
Safras quebram o tempo todo. Não, as pessoas não vão morrer de fome por isso. O capitalismo liberal tira as pessoas da fome. Quem as coloca lá é o intervencionismo. Vide URSS, Índia, China, Coreia do Norte, Camboja...

TODOS os governos (países) do mundo protegem a sua própria agricultura.
Posso concluir que todos são ideológicos e intervencionistas.
Está na hora do almoço. Hoje vou comer hedge com molho de seguro.
abç.

Sim, os que mais protegem menos eficiência têm.
Protegem os PRODUTORES, não os consumidores. Lobby é coisa séria: concentra privilégios, dispersa custos. Nunca aprendeu isso?
Não quer dizer que é POSITIVO para a economia. O CAP ferrou a agricultura francesa. Excesso de proteção. Na Nova Zelândia foi a mesma coisa. Só quando RETIRARAM o protecionismo excessivo, ela deslanchou.
Os fatos... esses ingratos!
Bom almoço.
Ah sim: cuidado com a indigestão! Eu não comeria um produto muito "protegido" pelo governo, pois é a garantia de má qualidade...

Rodrigo, a economia real só existe porque os estados atuam nela. Há a natureza humana, que desvirtuaria todos os principios da economia ideal, controlada pelo mercado. Só que o mercado é controlado por algumas pessoas, contáveis, então a economia liberal é controlada por essas pessoas. No mundo real existe uma escolha que deve ser feita, ou a economia é controlada por uns poucos (pode ser a minha preferência, desde que eu seja um desses poucos) ou é controlada por um ente que representaria todos. Mas sempre é imperfeito. Não existe a perfeição que você apregoa, você conhece muitos exemplos dos desastres que um mercado financeiro liberal desregulado pode fazer na economia.
Reconheço que estas idéias são boas para escrever artigos, sem qualquer preocupação ou responsabilidade com os fatos.
O almoço foi bom.

E os políticos e burocratas são de Marte, por acaso?
Não obstante o profundo desconhecimento sobre o funcionamento do mercado, resta perguntar: para onde foi aquela falta de ideologia mesmo? hehe
Como os socialistas se entregam rápido...
Onde eu preguei perfeição mesmo? Não lembro... Ah, vc aponta falhas de mercado e prega uma solução mágica por políticos, mas EU é que apontei alguma perfeição? Não passa pela sua cabeça que tal intervenção costuma PIORAR as falhas?
Quer falar da crise de 2008? Sério? Se vc estudar, verá que não foi culpa do livre mercado, mas sim do excesso de intervenção... estatal. A começar pela pressão da Casa Branca para que Fannie e Freddie emprestassem para gente de classe baixa que não podia pagar, e pela taxa de juros artificialmente baixa do Fed (BC). Soa familiar ao Brasil de hoje? Pois é...

Rodrigo, não sou esquerdista, aliás acho estes conceitos antigos, mas se voce divide o mundo em esquerdistas e direitistas, me coloco no segundo grupo (haaarggg!).
Sei que está difícil me fazer entender, vou tentar novamente: Todo sistema econômico é imperfeito e o sistema da economia totalmente livre é o mais imperfeito de todos. Depois de pouco tempo, os pobres ficarão mais pobres e os ricos também ficarão mais pobres, exceto umas poucas pessoas que controlarão o mundo.
Ou você concorda com isso ou ainda não percebeu isso.

Tenho uma tática infalível: quem diz que esquerda e direita são conceitos do passado é de esquerda! Não falha nunca.
É mesmo? E quais casos vc tem para mostrar? Pois o que EU tenho para mostrar é o Índice de Liberdade Econômica, tanto do Fraser Institute como do The Heritage Foundation, mostrando que quanto mais livre for a economia do país, mais prosperidade há. E isso, diga-se de passagem, é altamente embasado pela boa teoria econômica (e da natureza humana).
Veja que coisa: a maior renda per capita no Brasil intervencionista é... de Brasília! É que a turma que vai nos proteger dos capitalistas malvados gosta de acumular poder e recursos, cobrando um "pequeno" pedágio para tanto altruísmo.
Mas vc deve morrer de medo de Gates, Dell, do falecido Jobs e do Buffett. Ainda bem que a Venezuela tem o Maduro para protegê-los desses capitalistas malvados...
Passar bem, câmbio final, desligo.
PS: Só dediquei esse tempo todo a rebater suas falácias pois conheço seu estilo de longe, sei quando estou diante de um esquerdista que finge ser moderado e ataca os pilares do liberalismo com ironias de quinta e clichês ridículos, e agora já posso postar no meu blog, para efeito pedagógico, nossa troca de mensagens.




21 comentários:

Vinicius disse...

Legítimo Perfeito Idiota Latino Americano

Anderson disse...

Gostei de você rebatendo ao esquerdista ai que finge ser de direita. Sinceramente sei que não concordo com as esquerdas e gosto muito de ler textos como os seus que provocam o bom debate e não apenas fala de uma ideologia, pois em todos seus textos do seu livro e também os artigos do Globo e aqui no Blog sempre está defendendo suas posições liberais e ultimamente quando se trata de economia tenho lido apenas posicionamentos liberais, pois são os únicos que realmente trazem algo de concreto, dados e também suas opiniões sem nunca ficarem em cima do muro sobre os rumos da economia. Você acredita na Privatização eu sou contra não por achar que as Empresas Públicas sejam um modelo perfeito de gestão, pois elas possuem muitas deficiências principalmente pela ingerência do Governo em sua Administração e ainda tem o loteamento de cargos de direção que são ocupados por pessoas que não possuem muitas vezes a capacidade para está naquele cargo, mas ainda assim me declaro utópico em quem sabe ver uma gestão mais eficiente em nossas empresas públicas. Tive sonhos assim igual o que teve com Margaret Thatcher que por sinal gostei muito e gostaria que se tornasse realidade. Quero dizer que não sou igual os idiotas que acham que para tudo deve-se criar uma empresa pública. Acho que devem existir empresas públicas e elas devem COMPETIR DE IGUAL com as empresas privadas e minha formula seria complexa para explicar aqui. rsrs Mas também tem um pequeno detalhe que sempre fico indignado que se privatizássemos tudo e os que hoje ocupam cargos públicos que fizeram concurso o que seria feito com eles. Podem até dizer se forem competentes serão aproveitados, sim eu sei disso, mas será que nossas empresas não estão tão preocupadas com o lucro ( e não vejo nada errado nisso é claro) que acabam perdendo a chance de formarem grandes funcionários investindo nos jovens que não possuem experiência pois saem das faculdades que já não preparam eles para assumirem suas funções práticas e acabam sem emprego. Espero que a notícia que irá se dedicar ainda mais para escrever seja verdade e que você possa cada vez mais usar esse espaço para que pessoas como eu que acreditam que os gastos do governo estão excessivos e que é preciso diminuir o tamanho do Estado possam a cada dia aprender que realmente a solução é Privatize Já! Eu sempre leio o que escreve e gosto muito por isso parabenizo por difundir ideias e de qualidade.

Pablo Moron disse...

Pure massacre, como tocaria o falecido silverchair. Só discordo da parte de que esquerda e direita são conceitos ultrapassados é coisa de comuna, sou um defensor do livre mercado, menos intervenção estatal e nunca entendi o que seria esquerda e direita. Tanto que se hitler era de extrema direita sou de extrema esquerda, se Stalin era extrema esquerda, sou de extrema direita, se FHC é direita, sou esquerda, se lula é esquerda, sou de direita.

Marcus Prado disse...

Boa tarde Rodrigo,

Depois de ler o maravilhoso texto de Paulo Guedes no O GLOBO de ontem, intitulado "De Santos e Tomates", onde ele cita a beatificação do "socialista bolivariano" e a demonização da "liberal conservadora", "fruto de uma imensa ignorância que lança suas tintas sobre a cena contemporânea" (isso antes dos conflitos de hoje na Venezuela) - eis que surge você com essa troca de e-mais, que infelizmente, não são vídeos para serem exibidos no YouTube, porque se ganhar da Argentina é bom, desmascarar um esquerdista é melhor ainda !!!

Saudações liberais !!!

matheus R disse...

Não vou entrar na questão central que motivou a troca de emails, pois não saberia argumentar consistentemente a favor, nem contra, porém é certo a crítica do "esquerdista" a respeito da insistência de constantino em separar o mundo de forma linear, esquerdistas e direitistas.

Como humanos, somos ótimos em categorizar, pois nos permite lembrar com facilidade e não gastar tempo demais com detalhes rotineiros, porém quando estereotipamos cometemos uma falha, e na minha opinião, constantino comete essa falha muitas vezes e acaba enfraquecendo o seu discurso.

A descrição de um fonte sempre vem com seu adjetivo preferido; o jornal tal é esquerdista, a opinião tal é esquerdista, a frase tal é esquerdista, parece que estou lendo artigos de estudantes do ensino médio; ou seja em vez de mostrar por que o raciocínio é errado por provas empirícas, basta dizer que é esquerdista e discussão acaba.

Lamentável.

f disse...

Li, por ler, dinamicamente.

Realmente, é o diabo. Quando a inflação chegar aos 100% ao ano vamos ver o quanto as zelites serão atacadas.

João disse...

Pablo Moron, na verdade Hitler, Stalin, FHC e Lula, são todos de esquerda (em questoes economicas). Aconselho procurar sobre o diagrama de Nolan

Anônimo disse...

"Como humanos, somos ótimos em categorizar" Andou assistindo muito os videos do clarion no youtube não foi? é do muro que nem ele?

André disse...

Numa boa,é incrível a falta de embasamento mínimo dessa gente.Eu sempre achei intuitivamente que o socialismo não funcionava mas me tornei liberal na segunda aula de introdução a economia,aquela bem basicona mesmo.Fluxo circular de renda,maximização do lucro,custo de oportunidade,restrição orçamentária.Meu Deus,é tão simples,tão óbvio,tão fácil

Pablo Moron disse...

Opa João, nesse diagrama define o que é ser de direita e ser de esquerda? Vou procurar mesmo pq sempre achei confusas essas definições, prefiro a definição estatolatra e liberal e o rankiamento de acordo com a intervenção do estado tanto na economia quanto no social mesmo, pra mim fica mais claro.

Pablo Moron disse...

Fiz o teste lá, deu direita, no limite ali com libertario, no vertice, achei esse diagrama muito simplorio.

Pablo Moron disse...

Refiz o teste e deu libertario, pois botei talvez em algumas questoes, como das drogas, da discriminação e da entrada de estrangeiros.

Anônimo disse...


O que é pior, essa criatura vermelha não sabe nada mas nada de economia.

Pablo Moron disse...

e tem a empafia de perguntar a um economista com toda a arrogancia, vc sabe qual é a diferença de economia real para economia ideal? ahhhhh esses cupins, são todos ingualzinhos...hehehehe

Anônimo disse...

Devia ter sido desse jeito no tempo do Ciro

Anônimo disse...

'os ricos vão ficando mais pobres'...
Esse sujeito é um lunático, um pobre de hoje tem mais conforto que um rico de 200 anos atrás

Anita disse...

Rodrigo, não sou economista e não me considero nem de direita, nem de esquerda - até porque acredito que quem se define se limita. Sigo apenas o que a minha consciência acredita ser o certo. Embora não tenha se expressado muito bem, acredito que o "esquerdista disfarçado" apenas queria demonstrar que não há como haver uma economia sem nenhuma intervenção estatal. Aliás, é fundamental que haja alguma intervenção para o bom funcionamento do mercado. O que você acha da atuação do CADE, por exemplo? É uma autarquia que visa justamente garantir a livre concorrência, isto é, é o Estado intervindo para que não se formem monopólios, trustes e cartéis. Acredito que, como um liberal, você seja contra essas figuras, não? Acredito que você defenda a livre concorrência. Logo, se uma das formas de atuação do governo visa justamente garantir a livre concorrência, não vejo como você possa ser contra ela. Só ressaltando que não sou intervencionista, apenas acredito que não devemos ser radicais no sentido de querer uma economia 100% liberal ou 100% intervencionista. Aliás, interessante o comentário do esquerdista disfarçado quando comenta sobre o Obama e a GM. Fosse você no lugar do Obama, você a deixaria falir? (estou genuinamente interessada na resposta)
abç,
Anita

Victor disse...

"haver uma economia sem nenhuma intervenção estatal. "

R : Depende do que você acredita ser intervenção.

"Aliás, é fundamental que haja alguma intervenção para o bom funcionamento do mercado. "

R : Novamente. Depende do que você considera intervenção. Leis mínimas para garantir direitos a vida e propriedade?

" que você acha da atuação do CADE, por exemplo? É uma autarquia que visa justamente garantir a livre concorrência,"

R : Errado. As regras deles são complexas, subjetivas e não garantem concorrência. Pegando o mercado mais livre do mundo, Singapura, por exemplo, mesmo sendo apenas uma cidade, tem a concorrência de 120 bancos. Aqui, mesmo com um país extremamente maior, não temos nem 10% da concorrência.

"isto é, é o Estado intervindo para que não se formem monopólios, trustes e cartéis."

R : Engraçado. Na mesma frase, você critica tanto truste quanto cartel. Quer dizer que se vendo bem mais barato, é dumping, se vendo pelo mesmo preço, é cartel. Só poderei vender por mais agora? Ou serei punido por lucros abusivos? E novamente. Estas "falhas" não existem no livre mercado. Se os carros estão caros por conta de um cartel, você pode importar com extrema facilidade.

Sobre monopólio, O GOVERNO É O MAIOR CRIADOR DE MONOPÓLIOS. Em vários setores, só uma única empresa tem a concessão para prestar o serviço.

" Acredito que, como um liberal, você seja contra essas figuras, não? Acredito que você defenda a livre concorrência. Logo, se uma das formas de atuação do governo visa justamente garantir a livre concorrência, não vejo como você possa ser contra ela."

R : Quem diz que estas medidas garantem mais concorrência? Quem diz que estes burocratas não se corrompem e beneficiam as empresas?

------------------------------------


É raro um burrocrata conseguir administrar uma lojinha de 1,99 Acha mesmo que eles vão conseguir determinar o melhor para quase 200 milhões de pessoas, que são empresários, consumidores, trabalhadores, etc?

Acha mesmo que eles não se corrompem?

Acha que eles não beneficiam as empresas que financiam campanhas?

Então, você realmente não tem ideologia. Tem religião, uma religião que cultua o "deus burocrata".

samuel disse...

Anita, uma brasileira educada no Brasil, sendo alimentada pelos professores brasileiros não é imparcial É ESQUERDISTA! Esquerdismo é tudo que V aprende em escolas brasileiras. A VERDADE V TEM QUE ACHAR POR SI PRÓPRIA. Vir a este Blog é um bom começo!
Não comento seu texto porque o Victor já o fez com precisão.
Ahhh leia mais sobre a GM para V saber que foi uma grande negociata.

Bruno Leite disse...

Um orgão pra regular livre mercado? Como defender isso? Se o mercado é livre, pra que o CADE? Pra ficar olhando e falar - Isso aí, continuem assim, livres como passaros. Se LIVRE, não cabe intervenção estatal.

Mary Jane disse...

Também não sou economista, mas uma ficha caiu faz tempo: se como brasileiros temos problemas (e não são poucos...) aquele que MENOS eu acredito que pode resolvê-los é o ESTADO. Ponto final. Aquela fileira de prédios para ministérios em brasília.... aquilo não soa bem. Não precisa estudar muito para pensar ao passar por ali: "o que esses caras estão fazendo????". Gente, são MUITOS andares. Muitos assessores. Nosso país é MUITO rico para pagar tanta gente... e aí, alguém se sente bem servido pelo Estado? Simples assim. E o resto é marxismo de buteco universitário. Aliás, que pena, mas continua tendo apelo demais entre os jovens, que por algum motivo (???) continuam acreditando que o bom governo é que vai resolver todos os problemas sociais. Esperem. Sentados.