quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Quanto Vale o Blastocisto?


Rodrigo Constantino

"Mesmo o homem supersticioso tem direitos inalienáveis. Ele tem o direito de defender suas imbecilidades tanto quanto quiser. Mas certamente não tem direito de exigir que elas sejam tratadas como sagradas." (H. L. Mencken)

O debate sobre as pesquisas com células-tronco ganhou força, pois o Supremo Tribunal está para julgar a sua proibição ou não no Brasil. Os avanços científicos obtidos com estas pesquisas podem significar a cura de inúmeras doenças, salvando ou melhorando a vida de milhões de seres humanos. Praticamente todos aqueles que se opõem a estas pesquisas o fazem por motivos religiosos. Ainda que vários crentes tentem conciliar religião e ciência, o fato é que a primeira sempre esteve criando obstáculos para a segunda. Quando um avanço científico esbarra num dogma religioso, é este que deve prevalecer, segundo os crentes. A cruzada contra os avanços científicos com estas pesquisas em embriões garante uma sensação de nobreza a seus adeptos, que buscam o monopólio moral da preocupação com a vida. A questão que surge é: qual vida?

Sam Harris escreve: "Os embriões humanos que são destruídos nas pesquisas com células-tronco não têm cérebro, nem sequer neurônios. Assim, não há razão para acreditar que eles possam sentir qualquer tipo de sofrimento com a sua destruição, de maneira alguma. Nesse contexto, vale lembrar que, quando ocorre a morte cerebral, atualmente julgamos aceitável extrair os órgãos da pessoa (desde que ela os tenha doado para esse fim) e enterrá-la. [...] A verdade moral aqui é óbvia: qualquer pessoa que creia que os interesses de um blastocisto podem prevalecer sobre os interesses de uma criança com uma lesão na espinha dorsal está com seu senso moral cegado pela metafísica religiosa. O vínculo entre a religião e a ‘moral’ – tão proclamado e tão poucas vezes demonstrado – fica aqui totalmente desmascarado, tal como acontece sempre que o dogma religioso prevalece sobre o raciocínio moral e a compaixão genuína".

Parece evidente que esses religiosos não estão tão preocupados assim com a vida humana. O sofrimento desnecessário de milhões de seres humanos não os sensibiliza tanto quanto a vida de um ovo sem qualquer característica atual que o faça ser considerado realmente um ser humano. O argumento que fala do potencial das células não leva a nada, pois uma potência não é uma atualidade, assim como sementes não são ainda uma floresta. Por trás da cruzada religiosa contra as pesquisas está o conceito humano de alma. Mas os religiosos precisam antes explicar algumas coisas importantes. Por exemplo: nesta fase embrionária inicial, o ovo pode se dividir naturalmente. O que ocorre então? A alma também se divide? O The Guf produz mais uma alma em caráter de urgência? Se ocorrer o oposto, a fusão de dois ovos, as almas praticam uma fusão também? Se as pessoas desejam barrar importantes pesquisas científicas em pleno século XXI, será preciso mais do que apelos dogmáticos que usam um conceito humano, demasiado humano, como alma.

Diante da vida de um blastocisto num tubo de ensaio e a vida e a dor de milhões de seres humanos vivos, incluindo crianças, não parece restar muita dúvida do que escolher do ponto de vista ético. Mas os religiosos se mostram intransigentes, pois assumem que o blastocisto já é uma vida humana, e não aceitam o ponto de vista utilitário, de que o bem maior pode justificar alguns sacrifícios individuais. Concordo com a segunda parte, pois os fins não justificam os meios. Mas discordo quanto à vida humana de um blastocisto. E lembro apenas que, para manter a coerência e não cair em hipocrisia, esses religiosos não podem abrir nenhuma exceção. Ou seja, no caso de uma gravidez com risco de vida para a mãe, o aborto deve ser condenado por eles, assim como no caso de um estupro ou feto anencéfalo. Nenhum aborto artificial pode ser defendido por estes religiosos, em hipótese alguma, mesmo que abortos naturais sejam algo extremamente comum (Deus é o maior abortista de todos, sabe-se lá os motivos). Mas quando vamos a tal extremo, é impossível não questionar novamente qual vida essa gente defende. O feto de um centímetro, sem cérebro ou sensação, vale mais que a vida de uma mulher estuprada?

Quando lembramos que o sofrimento humano é visto como nobre por eles, o caminho da salvação, e que a cruz, que vem de tortura (crucificare), é o grande símbolo que admiram, tudo parece mais claro. Não é a vida humana que realmente importa para esses crentes, tampouco uma vida humana feliz. Para eles, viver é sinônimo de sofrer. Logo, o que buscam mesmo é uma sensação de superioridade moral, obtida através da cruzada que empreendem contra os demais. As cruzadas costumam valer mais pela sensação que desperta nos seus membros do que pelos seus resultados concretos. Um bom exemplo é o de madre Teresa de Calcutá. Sam Harris diz: "A compaixão de madre Teresa estava muito mal calibrada, se matar um feto no primeiro trimestre a perturbava mais do que todo o sofrimento que ela testemunhou nesta Terra". Os conservadores religiosos aceitam as perdas acidentais de crianças inocentes na guerra do Iraque, que defendem. São baixas circunstanciais, justificadas por um objetivo maior. Mas não admitem qualquer contemporização quando se trata do blastocisto, cuja vida colocam acima da vida de milhões de crianças.

Se fosse por estes crentes, a ciência estaria num estágio bem menos avançado, e a vida humana seria bem mais dura. Talvez seja isso mesmo que eles colocam como meta. Ajoelhar no milho ou usar o cilício na perna são atos dos mais nobres para eles! Mas não vivemos mais nos tempos da Inquisição, e aqueles que não compartilham desses dogmas, são livres para questionar os reais motivadores dessa cruzada. Que ética é essa que ignora tanto sofrimento humano para salvar um blastocisto? Por mais que eu tente, não consigo entender ou aceitar tal ética, ou falta de ética. Os religiosos falam uma língua própria, compreensível somente para outros religiosos, que temem o "homem invisível", o sofrimento eterno num inferno e acreditam em alma. Para aqueles que estão mais preocupados com esta vida mundana, a única certa, e com os seres humanos vivos, este discurso não faz sentido algum. Se aquilo que buscamos é uma vida feliz, o uso de células-tronco em pesquisas científicas deve ser defendido como um meio bastante razoável para tentarmos melhorar a qualidade da vida humana. Agora, se o objetivo não é esse, mas sim valorizar a dor e o sofrimento como o leitmotiv da nossa existência "passageira" nesta vida "desprezível", então faz sentido colocar o blastocisto acima das crianças doentes. Mas faz ainda mais sentido estes que "pensam" assim procurarem ajuda psicológica com urgência!

91 comentários:

Jeová disse...

O ponto que eu acho que deve ser enfatizado é o seguinte:

Se esses embriões não forem "destruídos" para serem usados em pesquisas com células tronco, o que acontecerá com eles ?

Anônimo disse...

Religião é isso aí. Um time de futebol para os imbecis!

Rodrigo Constantino disse...

"Se esses embriões não forem "destruídos" para serem usados em pesquisas com células tronco, o que acontecerá com eles ?"

Alguns vão parar no LIXO!

Blogildo disse...

Até onde sei não há obstáculo em relação as pesquisas com células-tronco. O problema dos religiosos é em relação as células-tronco EMBRIONÁRIAS. É fundamental deixar essa diferença clara.
Se não me engano, as pesquisas avançaram a ponto de se extrair células-tronco a partir de células da pele.

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL186374-5603,00.html

Tudo bem que o estudo está engatinhando em todos os sentidos. Mas, se não há consenso em relação ao início da vida - esse papo de blastocisto é conversa mole e propaganda abortista -, por que insistir nessa bobagem?

renato laguna disse...

Penso que os cristãos são tão zelosos com o embrião por alguns motivos:

1) Jesus foi um blastocisto, e Jesus era Deus. Logo o blastocisto é sagrado, pois ele pôde conter a Divindade. (O mesmo se aplica à vida humana em geral)
2) Para os católicos, a transubstanciação: Se aquele biscoitinho é a carne humana divina de Jesus, então não é difícil acreditar que o embrião, mesmo na fase em que é uma única célula, seja um ser humano.
3) Se o embrião não é humano, isso implicaria que um ser humano surgiu de um não-humano. Isso é "evolucionismo"!

ricchus disse...

Essa discussão sobre o que é ou deixa de ser vida nunca vai levar a nada e nem é por aí que os cientistas vão conseguir provar alguma coisa. O “é porque é” moral e religioso sempre vai encontrar alguma “prova de vida” em um espermatozóide, em um óvulo não fecundado ou num pedaço de tecido humano. Enquanto a Ciência - ou pelo menos, os que a defendem - não assumir o fato de que é melhor sacrificar algumas vidas para preservar as de uma humanidade inteira, nada vai mudar nessa discussão sem sentido.

Ao assumir essas mortes em benefício do progresso, talvez até a Ciência seja melhor entendida por quem realmente entende do assunto e continua patrocinando genocídios como, por exemplo, a disseminação da AIDS através da proibição dos preservativos. Ser a favor do aborto, da eutanásia e das pesquisas com embriões ou com qualquer outro tipo de organização celular que os crentes e moralistas insistam em chamar de vida, nada mais é que ser a favor da própria vida, como ela deve ser entendida.

Ficar buscando definições sobre o que é vida nunca foi uma discussão séria e não passa de pura perda de tempo de ambos os lados.

Bruno disse...

Como sempre o Estado e a Religião, buscam intervir na evolução natural da humanidade.
A evolução da ciência nada mais é do que um dos inúmeros meios que Deus utiliza para compartilhar sua Sabedoria com os homens. Mas estes não percebem que Aquele é livre para agir da maneira que quiser.

Da mesma forma que a prosperidade de um,não implica na miséria de outro, sou a favor que não se deve tirar a vida de um para salvar a de outro. Logo o X da questão é :
Onde começa a vida ?

Sugiro a leitura deste post abaixo, pois ele nos trás mais um argumento a favor da realização de pesquisas com células-tronco extraídas de embriões humanos.

http://hermesfernandes.blogspot.com/search?q=c%C3%A9lulas-tronco+

badboy disse...

Essa questão só pode ser sintetizada em dois aspectos: ou a vida é um epifenômeno da matéria, ou não o é.

Já alcançamos um patamar científico em que a vida pode ser explicada com simples processos bioquímicos energéticos, ou seja, a necessidade de um "fantasma na máquina" comandando os processos vitais é totalmente desnecessário (na verdade, é redundante). Obviamente quem não tem a bagagem intelectual para compreender como a matéria pode se auto-animar pensa ser necessário um ente imaterial como princípio vital.

Os filósofos vitalistas erraram; somos apenas fruto de nossas moléculas. Nossos pensamentos, sentimentos e experiências subjetivas (incluindo a consciência e a vontade) são processos físico-químicos. Isto está mais do que demonstrado nas ciências cognitivas. Abraços para todos.

ricchus disse...

É incrível a tendência dos religiosos em geral para complicar as coisas. É como dizia o Barão de Itararé: de onde a gente menos espera, daí mesmo é que não sai nada.

Ao seguir a recomendação do Bruno, que se mostrou a favor da realização de pesquisas com células-tronco extraídas de embriões humanos, eu esperava alguma luz por parte de alguma religião que fugisse desse remerreme de “início da vida”. Doce ilusão. O “reverendo” Hermes Fernandes, ao analisar uma reportagem do Fantástico(!!) aponta nela quatro linhas de pensamento principais:

“A primeira delas é que a vida começa na fertilização do óvulo pelo espermatozóide. Essa é a tese defendida pela Igreja Católica. ‘A vida é humana desde o momento da fecundação’, afirma frei Antônio Moser, doutor em bioética, da CNBB.
A segunda teoria é que o indivíduo surge na terceira semana de gestação, quando o embrião não pode mais se dividir."Esse novo conjunto genético começa a assumir o controle da célula nova", explica José Roberto Goldim, do Laboratório de Bioética da UFRGS.
A terceira teoria é que a vida humana começa com o surgimento do cérebro, a partir da oitava semana.
E a quarta teoria é de que a vida começa a partir da 24ª semana de gestação, quando os pulmões estão formados e o feto tem condições se sobreviver fora da barriga da mãe.”

Como se não bastasse tanta abobrinha “fantástica” ele sugere uma quinta posição: a vida humana começaria no momento em que o sangue começasse a correr nas veias e artérias do embrião.

Pois é... eu não rezo, mas cada vez mais as assombrações aparecem...

André Barros Leal disse...

Alguns detalhes devem ser deixados bem claros, mesmo que os religiosos não os aceitem.

Quando nascemos, somos considerados pessoas. A LEI nao reconhece como um indivíduo um embriao ou mesmo um feto. Esse reconhecimento apenas ocorre quando a pessoa NASCE.

Portanto temos algumas definições claras:

Pessoa é pessoa,
Bebê é bebê,
Feto é feto,
Embrião é embrião.

Se você soltar um embrião na atmosfera o mesmo morre. portanto, o que estmos falando é de um monte de celulas que EVENTUALMENTE PODERIAM se transformar em uma pessoa. Não significa que É uma pessoa.

Eu não vejo nenhum problema em pesquisa com celulas tronco embrionárias. e nem com clonagem humana. Se é para o avanço da ciencia, por mim está ótimo.

É tudo uma questão simples de valores. Eu sou contra pesquisas sem sentido usando animais, porem, se algum pesquisador chegar para mim e disser que se colocar dois eletrodos na cabeça de um macaco, ele pode descobrir a cura do cancer, então, eu tenho uma coisa apenas a dizer: Vermelho é positivo, Preto é negativo, pode trazer a Xita.

Blogildo disse...

ricchus, você começou a viver quando?

André Barros, você colocou tudo em ordem! Soltar um embrião na atmosfera foi ótima! Quando você vai fazer a experiência?

É isso aí, Badboy! Você tem toda a razão: Não somos muito melhores que os robôs!

Anônimo disse...

Estou estranhando as foquinhas do Reaça-Mor tacanho não terem condenado o autor do texto ao inferno ainda, do alto de sua pureza espiritual.

O engraçado é que estes animais que criticam o Comunismo por prometer justiça-social através da corrompimento do estado das leis vigentes são os mesmos que acreditam quando vem um Padre e lhes promete a vida eterna em troca de uma vida de sofrimentos.

Se o Comunismo tirou uma pessoa sequer da miséria, então ele já provou ser mais efetivo que todas estas religiões. Ah sei, as foquinhas vão lembrar que o dia do Juízo ainda não chegou.

Espermos então o dia do Juízo enquanto os comunas aguardam o dia que o Socialismo intermediário promoverá o Comunismo pleno e todas suas benéficies sociais.

Zappi disse...

Rodrigo,

Excelente compilação de motivos. Com este ensaio você acertou no ponto nevrálgico de fanáticos religiosos que se querem bastiões da moral. Quero ver alguém conseguir rebater com coerência estes argumentos!

É a primeira vez que encontro alguém cujas opiniões estão tão alinhadas com as minhas. Continue escrevendo sempre!

Um abraço,
Paulo Zappi

ANTI-MOFO disse...

Existem outras motivações para as personalidades dinossáuricas tentarem impedir tais pesquisas.

Inexoravelmente, a pesquisa genética caminha para um ponto muito claro: a construção de um ser-humano completo em laboratório. E, quando isso acontecer, será provado que não é necessário caráter divino para criar o homem. Ora, se uma forma de vida que habita um cantinho de uma das bilhões de galáxias pode produzir outro ser igual a si próprio com sua própria tecnologia, qual é o sentido de atribuir caráter Divino à criação! Imaginem só um cientista-ateu produzindo um ser-humano saudável dentro de um tubo de ensaio! Ajoelhe no milho, cão infiel!

Acho que isso seria um golpe tão duro na cabeçona destes fósseis-vivos que despertaria o maior medo que estes cagões tem: o medo da morte. Se o Papai-do-Céu não existe, então eu não vou viver pra sempre! Essa é a única preocupação do crente. É olhar o próprio umbigo.

Não existem 2 tipos mais iguais do que o Comunista e o Crente: ambos prometem a justiça total e irrestrita ao custo da prostração no presente e ambos utilizam de argumentos farsescamente humanitários em benefício deles próprios.

ricchus disse...

Blogildo, eu acho que comecei a viver sete anos após o meu nascimento, quando pela primeira vez abominei uma religião que tentava me obrigar a acreditar em céu, inferno, Adão, Eva e outras asneiras no gênero. Eu fui precoce em leitura por causa de uma asma que invariavelmente me impedia de brincar na rua. Com essa idade, eu já tinha lido metade de Monteiro Lobato, Érico Veríssimo em “viagem à aurora do mundo” e Van Loon, entre outros. O catecismo me causava urticária pela pobreza dos ensinamentos que batiam de frente com os que eu tinha no colégio e, principalmente, com os que eu já havia adquirido de modo autônomo.

Mas foi exatamente no dia da minha primeira comunhão que eu me senti vivo pela primeira vez ao dizer aos meus pais que nunca mais pisaria numa igreja por vontade própria. E assim o fiz. O que não quer dizer que eu tenha deixado de ler a Bíblia, muito pelo contrário. E a cada vez que a leio, mais eu dou razão ao menino de sete anos que há quase 50 a detestou ao tentar lê-la pela primeira vez.

De uma certa forma eu me sinto orgulhoso por nunca ter precisado de um deus ou de uma religião para absolutamente nada, embora tenha passado por 25 anos de Síndrome do Pânico e ter meu pai assassinado em um assalto, com a minha presença. Nada disso me desviou da fé... na minha própria razão.

Catellius disse...

Ricchus,

"Enquanto a Ciência - ou pelo menos, os que a defendem - não assumir o fato de que é melhor sacrificar algumas vidas para preservar as de uma humanidade inteira, nada vai mudar nessa discussão sem sentido."


Aí está algo perigoso. Sacrificar vidas inocentes por um fim "nobre", ainda que seja salvar mais vidas? Não se pode justificar um meio apenas pelo fim almejado. Os meios devem estar sujeitos à justiça. Poderíamos considerar aceitável fazer pesquisas com bebês já nascidos, com um ou dois anos de idade, como fazemos com ratos e macacos? A questão é diversa, ao meu ver. Acho que não podemos considerar o embrião uma vida humana, do mesmo modo que um espermatozóide e um óvulo um décimo de segundo antes da fecundação não podem ser considerados humanos, apesar de termos a certeza de que em nove meses teremos um bebê. Acho que podemos conceder humanidade ao organismo que já possui pelo menos um esboço de sistema nervoso - e que possua genes humanos, obviamente, he he. Há vida no embrião, no espermatozóide, no óvulo, até em uma célula da pele. Mas são vidas sem consciência, sem capacidade de sentir dor e prazer. No caso do embrião há a potência da vida humana. Ela também existe em um óvulo e espermatozóide prestes a se fundirem. Mas há consenso de que um óvulo e um espermatozóide a uma fração de segundo de se fundirem NÃO SÃO UM SER HUMANO. Depois de se fundirem, o que decorre continua sem consciência, sem capacidade de sentir, sem ter dor ou prazer, etc. Ainda não é um ser humano.

"Ao assumir essas mortes em benefício do progresso, talvez até a Ciência seja melhor entendida por quem realmente entende do assunto e continua patrocinando genocídios como, por exemplo, a disseminação da AIDS através da proibição dos preservativos."

Mortes em benefício do progresso? Hum... Poderíamos incluir a eugenia nisso?
Não considero a "disseminação da AIDS através da proibição dos preservativos" um genocídio. A Igreja Católica é culpada por ser um entrave à profilaxia, por impedir, na medida de suas forças, que a contaminação seja estancada. Ela é culpada por milhares de mortes, claro. Mas genocídio não tem nada a ver com isso. É a destruição metódica de um grupo étnico, pelo extermínio de seus indivíduos.

"Ser a favor do aborto..."

Uma coisa é ser a favor do aborto, outra é ser a favor da descriminalização, da legalização e de que haja limites para a prática. Aquele que violar os limites estabelecidos deve ir para a cadeia. Uma mãe que abortar após o limite deve responder por assassinato, na minha opinião. A sociedade pode arbitrar isso. Eu colocaria o seguinte limite: 6 semanas com uma tolerância máxima de 2 semanas. Os católicos hipócritas consideram aborto um assassinato, até mesmo tomar a pílula do dia seguinte, mas são contra a punição dos "assassinos", da mãe e do médico de clínica de vão de escada. Assassinos devem ficar soltos? Esta é a opinião dos católicos que terceirizam o cérebro para o Papa. Querem que a coisa continue do jeito que está, em um limbo legal.

Catellius disse...

"De uma certa forma eu me sinto orgulhoso por nunca ter precisado de um deus ou de uma religião para absolutamente nada, embora tenha passado por 25 anos de Síndrome do Pânico e ter meu pai assassinado em um assalto, com a minha presença. Nada disso me desviou da fé... na minha própria razão."

Caramba!!! Que barra!!! Parabéns por não ter apelado a muletas baratas para superar o problema! E que problema!

André Barros Leal disse...

bloguildo,

soltar um embriao na atmosfera significa deixar simplesmente exposto ao ar, fora de qualquer cultura que prolongue a sua existencia.

voce nao achou que eu estava falando do quase espaço, né? que eu saiba, 1 atmosfera, ou 1 atm = pressao ao nível do mar

Catellius disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Catellius disse...

p.s. claro que "o limite" cessa quando levar a gravidez adiante coloca em risco a vida da mãe, um ser humano com relações sociais, que depende de muitos e de quem muitos dependem. Entre a vida da mãe e a do feto a Igreja prefere a última, tanto que canonizou Gianna Beretta Molla por preferir morrer a abortar. O recado da ICAR é claro. O modelo inatingível de mulher perfeita é uma mãe virgem. Um modelo atingível é o da mãe que aceita morrer e romper com todas as relações sociais que desenvolveu até então, abandonar marido e filhos (se os possuir), por um feto. É uma santa, UM EXEMPLO para as outras mulheres.
É dose!

Catellius disse...

Rodrigo,

É coincidência? Hoje é dia de Santa Gianna Beretta Molla. Ela tinha marido, três filhos, um com seis, uma com cinco e outra com três, tinha pacientes, amigos. E a Igreja Católica a considera um exemplo a ser seguido por todas as mães que estiverem na mesma situação. Lamentável! Como diria o Robin, Santa Estupidez!
A filha que nasceu deve tê-la como uma santa, claro. Mas e se tivesse abortado e criado seus outros filhos, adotado algum outro, tido algum outro filho biológico? Acho que ela não devia ter apreço por esta vida, devia sonhar com a oximórica vida após a morte, sei lá.
Faleceu "com horríveis dores" - é enfatizado no texto abaixo. Mais santa ainda, portanto!

Do site www.cademeusanto.com.br:

"Em 24 de setembro de 1955, ela casou-se com Pietro Molla na Basílica de São Martinho em Magenta, e ela tornou-se uma feliz esposa. Gianna não era uma santa comum. Ela alegremente abraçou o casamento e balanceou as suas obrigações como mulher de carreira, esposa e mãe. Em novembro 1956 ela se tornou mãe de Pierluigi , em dezembro de 1957 de Mariolina, e em julho de 1959 de Laura.

Em setembro de 1961, no segundo mês de gravidez ela descobriu que tinha um fibroma no útero. Era necessário uma cirurgia e ela estava, como médica, perfeitamente consciente dos riscos de continuar a sua gravidez mas ela pediu ao cirurgião para salvar o filho que ela carregava e deixou a si própria nas mãos de Deus. Ela passou os sete meses seguintes na alegria de seus afazeres de mãe e médica, mas contudo preocupada que o bebê em seu útero pudesse nascer com problemas e para prevenir isso, orou muito a Deus.

Alguns dias antes da criança nascer, embora confiante na Divina Providencia, ela estava decidida a dar sua vida para salvar a da criança. “Se você precisar decidir entre eu e a criança escolha a criança insistiu ela ao seu médico”.

Assim Gianna Emanuela nasceu na manhã de 21 de abril de 1962. Apesar de todos os esforços para salvá-la, Santa Gianna veio a falecer uma semana depois, com horríveis dores.

Mas ela sempre dizia : “Jesus, Jesus eu te amo, eu te amo” e veio a falecer exclamando esta frase no dia 28 de abril. Ela tinha apenas 39 anos de idade.

Seu funeral foi ocasião de grande tristeza, fé e oração.

O seu corpo está no cemitério de Mesero perto de Magenta.

Ela foi beatificada em 24 de abril de 1994 e canonizada em 16 de maio de 2004 pelo Papa João Paulo II.

Sua festa é celebrada no dia 28 de fevereiro. "

Rodrigo Constantino disse...

Já escrevi sobre o caso dessa Gianna num artigo. É incrível O QUE esses carolas valorizam! É doença isso...

Rodrigo

PS: O artigo é "A Ética do Sofrimento"

ricchus disse...

Catellius, por preguiça e pressuposição de entendimento, deixei de esclarecer que as “vidas” a que eu me refiro são apenas as “vidas” dos que procuram argumentos para defini-la nas religiões, na moral e na própria semântica. Eu não quis me referir à vida de fato, como as pessoas livres de quaisquer dogmas, estamos habituados a considerar e, por analogia, as “mortes” a que me referi, são mortes do que nunca foi vida. Eu apenas usei os conceitos dos crentes e moralistas para explicar meus argumentos.

Quanto ao aborto, vale também o mesmo argumento. Enquanto não saiu do útero e respirou, não é vida, mas é claro que se há de obedecer a alguns critérios que, na presente discussão, não são importantes.

Talvez eu tenha carregado nas tintas, mas, na essência, é assim que eu penso.

bjordan disse...

Nunca esquecer de alguns detalhes, é fazer pesquisas com as células ou joga-las na privada, já que as células com mais de 3 anos não são mais viáveis.

é mais Religioso jogar privada a baixo?

e sobre viabilidade , oq fazer com a menstruação, a cada uma um óvulo viável pelo menos é jogado fora, ou pior, oq fazer com os pecadores de Onan, , a cada gota centenas de milhões de espermatozóides viáveis tentam fecundar azulejo.

não esquecer que a igreja era contra a anatomia.

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

a pouco foi anunciado a conversão de um fibroblasto (células da pele) em um embrião , pela teoria da viabilidade, para cada célula descamada é um potencial ser humano sendo jogado fora.

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-

Sou pela teoria, se a morte é pela morte cerebral a vida tmb se da pela mesma fórmula , portanto não é ao inicio dos primeiros proto neurônios que se pode considerar vivo , pq em morte cerebral muitos neurônios ainda vivem, só não produzem ondas coerentes com potencial de ação suficiente para coordenar qq pensamento, isso é morte cerebral , por esse método, até 4 meses não passa de um amontoado de células de um parasita , de um tumor que cresce dentro do utero.

=================================

não compreender isso é hipocrisia religiosa.

renato laguna disse...

Tumor é você!
Experimente procurar uma mulher grávida na rua, para dizer que o filho dela é um câncer. De preferência diga isso com o marido dela ao lado, para que ele possa dar a resposta que você merece.
Essa comparação insulta a humanidade inteira, pois nos chama de produtos de um "tumor".
HÁ UMA DIFERENÇA ENORME ENTRE AQUILO QUE GERA A VIDA E AQUILO QUE A DESTRÓI.

Ignorar isso é ideologia de abornazista.

Anônimo disse...

Só engana a si mesmo, heehe.


Para não ficar chato, Rodrigo, simule também uns comentários de religiosos... senão sua irrelevância vai se tornar muito evidente.

Não assino, pois para você um anônimo autêntico é uma honra!

Francisco Valois disse...

BROGILDO EM SEU BLOG:



"Mesmo o homem supersticioso tem direitos inalienáveis. Ele tem o direito de defender suas imbecilidades tanto quanto quiser. Mas certamente não tem direito de exigir que elas sejam tratadas como sagradas." (H. L. Mencken)

H.L.Mencken era um sacana. A frase pode ser rescrita assim: "Mesmo um homem racional tem direitos inalienáveis. Ele tem o direito de defender suas tolices lógicas tanto quanto quiser. Mas certamente não tem direito de exigir que tais tolices sejam tratadas como verdade razoável".

Mas vamos visitar a cidade de Constantinopla!

O debate sobre as pesquisas com células-tronco ganhou força, pois o Supremo Tribunal está para julgar a sua proibição ou não no Brasil. Os avanços científicos obtidos com estas pesquisas podem significar a cura de inúmeras doenças, salvando ou melhorando a vida de milhões de seres humanos.

Em primeiro lugar, o Supremo Tribunal não é foro para se debater tal polêmica. O Supremo Tribunal vai fazer o quê? Decidir que a vida começa dez dias depois da concepção? Faça-me um favor!

Praticamente todos aqueles que se opõem a estas pesquisas o fazem por motivos religiosos. Ainda que vários crentes tentem conciliar religião e ciência, o fato é que a primeira sempre esteve criando obstáculos para a segunda. Quando um avanço científico esbarra num dogma religioso, é este que deve prevalecer, segundo os crentes.

A polêmica não é contra as células-tronco em si. O debate que Constantino quer promover é falso em sua origem: A polêmica é contra células-tronco EMBRIONÁRIAS. E não contra células-tronco. A má vontade, a tendenciosidade e a desonestidade intelectual já se revela na própria formulação do debate. É como se os religiosos fossem contra TODAS as pesquisas científicas. Por sinal, já existe pesquisa avançada com células-tronco obtidas a partir de pele de adultos. Não conheço nenhum cristão que seja contra isso. Só na cabeça perturbada dos ateus mesmo.

A cruzada contra os avanços científicos com estas pesquisas em embriões garante uma sensação de nobreza a seus adeptos, que buscam o monopólio moral da preocupação com a vida. A questão que surge é: qual vida?

Aqui ele coloca o embrião em evidência. Mas já jogou todo o debate - que até poderia ser sério - para o ralo. E aqui o "pensador libertário" entra nas supostas motivações dos religiosos: "monopólio da moral da preocupação com a vida". Putz! Mais uma moral! Essa bobagem - que tem origem em Nietzsche - pelo visto colou mesmo. A questão que surge não é "qual vida". A questão novamente é falsa e desonesta. É vida em si. Não existe uma hierarquia para vida. Não existe uma escala de valores para qualificar vidas. Só desonestos acham que a vida de um guerrilheiro vale mais que a vida de 30 civis. Só gente muito perturbada acha que vida de um magnata vale mais que uma criança famélica africana. E só ateus acham que a vida de um embrião vale menos que a vida de um adulto. Não existe essa de "qual vida".

Sam Harris escreve: "Os embriões humanos que são destruídos nas pesquisas com células-tronco não têm cérebro, nem sequer neurônios. Assim, não há razão para acreditar que eles possam sentir qualquer tipo de sofrimento com a sua destruição, de maneira alguma. Nesse contexto, vale lembrar que, quando ocorre a morte cerebral, atualmente julgamos aceitável extrair os órgãos da pessoa (desde que ela os tenha doado para esse fim) e enterrá-la. [...] A verdade moral aqui é óbvia: qualquer pessoa que creia que os interesses de um blastocisto podem prevalecer sobre os interesses de uma criança com uma lesão na espinha dorsal está com seu senso moral cegado pela metafísica religiosa. O vínculo entre a religião e a ‘moral’ – tão proclamado e tão poucas vezes demonstrado – fica aqui totalmente desmascarado, tal como acontece sempre que o dogma religioso prevalece sobre o raciocínio moral e a compaixão genuína".

Sam Harris tem tanta autoridade quanto Rodrigo Constantino para falar disso. Ou seja: Nenhuma. Em primeiro lugar o cara está associando a vida com "'ter cérebro e neurônios'. Não é formidável? Se não tem cérebro não é vida. É isso o que Sam Harris e Rodrigo Constantino estão na prática dizendo. Sem a menor base científica diga-se. Afinal Sam Harris é só mais um palpiteiro. É curioso que para eles a menina anencéfala - que já deve até estar fazendo aniversário - não deve ser uma vida. O critério desses caras é totalmente ilógico. Que base científica eles têm para afirmar que vida depende de número de neurônios?
Sam Harris é só um idiota. Tem 41 anos de idade e já descobriu o que determina a vida. Entre abortar uma criança e investir em pesquisas com células-troncos não-embrionárias, Sam Harris e Rodrigo Constantino já decretaram: Matem a criança. Ou melhor, o blastocisto.

Parece evidente que esses religiosos não estão tão preocupados assim com a vida humana. O sofrimento desnecessário de milhões de seres humanos não os sensibiliza tanto quanto a vida de um ovo sem qualquer característica atual que o faça ser considerado realmente um ser humano.

Parece evidente que Rodrigo quer popularidade a custa de atacar a religião cristã. Não é muito diferente daquele cara que chutou um ídolo católico. O negócio é o show business. De onde Rodrigo tirou que milhões de seres humanos precisam de células-tronco embrionárias? Não conheço estatísicas sobre o assunto. Quem vive arrotando racionalismo deveria apresentar.
Pombas! O Brasil não consegue se livrar da malária, febre amarela e dengue. Rodrigo Constantino já quer resolver o problema de MILHÕES DE SERES HUMANOS que precisam "da vida de um ovo". Um ovo que Rodrigo já foi, diga-se. Pois é, Rodrigo nunca escreveu uma miserável linha sobre as vítimas evitáveis da febre amarela. A única vez que ele fala em malária é pra defender Bill Gates e atacar Olavo de Carvalho. Agora quer posar de preocupado com "o sofrimento desnecessário de milhões de seres humanos". Quanta sensibilidade!

O argumento que fala do potencial das células não leva a nada, pois uma potência não é uma atualidade, assim como sementes não são ainda uma floresta. Por trás da cruzada religiosa contra as pesquisas está o conceito humano de alma. Mas os religiosos precisam antes explicar algumas coisas importantes. Por exemplo: nesta fase embrionária inicial, o ovo pode se dividir naturalmente. O que ocorre então? A alma também se divide? O The Guf produz mais uma alma em caráter de urgência? Se ocorrer o oposto, a fusão de dois ovos, as almas praticam uma fusão também? Se as pessoas desejam barrar importantes pesquisas científicas em pleno século XXI, será preciso mais do que apelos dogmáticos que usam um conceito humano, demasiado humano, como alma.

Eu não acredito em alma imortal e coisas do tipo. E nem acho que isso deve pautar pesquisas científicas. O que quero ver é o Rodrigo ou Sam Harris, ou qualquer sabichão me provar QUANDO começa a vida humana. Até hoje isso é uma caixa preta. Depois que o espermatozóide se funde ao óvulo ninguém sabe mais de NADA. Mas isso não tem relevância. Para Rodrigo, ainda que não admita, fins justificam meios.

Diante da vida de um blastocisto num tubo de ensaio e a vida e a dor de milhões de seres humanos vivos, incluindo crianças, não parece restar muita dúvida do que escolher do ponto de vista ético.

A filha do Rodrigo era um blastocisto. Rodrigo era um blastocisto. O fascismo do - vamos dizer que seja - pensamento do Rodrigo é auto-evidente: Se um escritor estrangeiro qualquer diz que não é vida, então não é. Ou seja, não existem mais embriões, existem impessoais e utilizáveis blastocistos. A cada dia que passa acho que o ateísmo foi mesmo o maior responsável pelas mortes na antiga União Soviética.

Mas os religiosos se mostram intransigentes, pois assumem que o blastocisto já é uma vida humana, e não aceitam o ponto de vista utilitário, de que o bem maior pode justificar alguns sacrifícios individuais.

Interessante. Ter dúvidas em relação ao início da vida virou intransigência. Ao passo que "o ponto de vista utilitário" virou uma espécie de virtude. É a genealogia da moral. Rodrigo quer porque quer que os cristãos sejam os malvados da história.
Concordo com a segunda parte, pois os fins não justificam os meios. Mas discordo quanto à vida humana de um blastocisto.

Aí é problema seu. Se bem que você vive justificando meios com os fins. Só não venha me vender essa tese como o supra-sumo da razão e da lógica. Porque não é.

E lembro apenas que, para manter a coerência e não cair em hipocrisia, esses religiosos não podem abrir nenhuma exceção. Ou seja, no caso de uma gravidez com risco de vida para a mãe, o aborto deve ser condenado por eles, assim como no caso de um estupro ou feto anencéfalo. Nenhum aborto artificial pode ser defendido por estes religiosos, em hipótese alguma, mesmo que abortos naturais sejam algo extremamente comum (Deus é o maior abortista de todos, sabe-se lá os motivos). Mas quando vamos a tal extremo, é impossível não questionar novamente qual vida essa gente defende. O feto de um centímetro, sem cérebro ou sensação, vale mais que a vida de uma mulher estuprada?

Concordo com o raciocínio. O aborto não deve mesmo ser aceito em nenhuma hipótese por religiosos. Afinal, a vida de um bebê não vale menos que a vida da mãe. Vida não tem preço. Só a cabeça de economistas contaminadas de "freakonomics" consegue colocar a vida numa escala de valor, como num açougue, e ainda achar isso muito lógico e racional.

A pergunta do final do parágrafo está mal feita. Em primeiro lugar, raramente uma mulher estuprada fica grávida. Até parece que é tão simples: Estuprou? Pimba! Engravidou! Em segundo lugar, a vida da mulher estuprada já foi atingida. Quem garante que o aborto não piorará as coisas? Com base em quê Rodrigo pode afirmar que o aborto é uma opção melhor para a mulher estuprada?

Quando lembramos que o sofrimento humano é visto como nobre por eles, o caminho da salvação, e que a cruz, que vem de tortura (crucificare), é o grande símbolo que admiram, tudo parece mais claro.

Bom, aqui é ladainha de ateu. Rodrigo não conhece a Bíblia em nem teologia cristã para falar nada. Vá ler a Bíblia antes de falar bobagem.
Mas é curioso que um dos ícones de Rodrigo - Ludwig Von Mises - usa o sacrifício como exemplo positivo em "Liberalism in the classic tradition": Reasonable action is distinguished from unreasonable action by the fact that it involves provisional sacrifices. The latter are only apparent sacrifices, since they are outweighed by the favorable consequences that later ensue. Pelo visto Rodrigo deve achar que Von Mises também é chegado num sofrimento.

Não é a vida humana que realmente importa para esses crentes, tampouco uma vida humana feliz. Para eles, viver é sinônimo de sofrer.

É verdade, Rodrigo! Há dois mil anos que a gente só quer saber de sofrimento. Para nós e para o resto da humanidade. "Sofrer, sofrer, sofrer - Uma vez cristão, cristão até morrer!" Acho que você é o Messias que veio nos livrar do jugo do sofrimento. Quanta besteira!

Logo, o que buscam mesmo é uma sensação de superioridade moral, obtida através da cruzada que empreendem contra os demais.

A ladainha de Nietzsche de novo? Bem, posso afirmar que você quer superioridade moral através de sua "cruzada" atéia contra o cristianismo. O raciocínio é o mesmo. Comigo não "rola" lógica seletiva.

As cruzadas costumam valer mais pela sensação que desperta nos seus membros do que pelos seus resultados concretos.

Sempre fui contra as cruzadas. Acho que cristianismo não tem a ver com promoção de guerras. Não o cristianismo da Bíblia. Mas é bom ressaltar que as antigas cruzadas eram, acima de tudo, interesse de estado. O mesmo estado que Rodrigo vive bajulando sutilmente. Não existem cruzadas hoje. A não ser que queiramos definir divergência de opinião como cruzada. Pode-se fazer isso. Mas é tão estúpido quanto dizer que George Bush é um cruzado.

Um bom exemplo é o de madre Teresa de Calcutá. Sam Harris diz: "A compaixão de madre Teresa estava muito mal calibrada, se matar um feto no primeiro trimestre a perturbava mais do que todo o sofrimento que ela testemunhou nesta Terra". Os conservadores religiosos aceitam as perdas acidentais de crianças inocentes na guerra do Iraque, que defendem. São baixas circunstanciais, justificadas por um objetivo maior. Mas não admitem qualquer contemporização quando se trata do blastocisto, cuja vida colocam acima da vida de milhões de crianças.

Ora, ora, ora! Rodrigo bancando o pacifista. Quem diria? Daqui a pouco vai dizer que odeia George Bush por ter matado criancinhas. O fato é que a guerra do Iraque não foi consenso entre os cristãos. Da mesma forma que ela não é consenso entre os ateus. Novamente, veja como Rodrigo justifica os meios com os fins.

Se fosse por estes crentes, a ciência estaria num estágio bem menos avançado, e a vida humana seria bem mais dura.

Olha só o desprezo com que esse garoto fala dos cristãos: "estes crentes". Faça-me um favor! Não se pode contar a história que não aconteceu. Você não sabe onde estaria a ciência se não fossem "estes crentes". Você acha o quê? Estaríamos vivendo no mundo dos Jetsons, se não "fosse por estes crentes"? Pode ser que o mundo já tivesse ido para os ares há muito tempo num holocausto nuclear. Ué? Rodrigo agora tem acesso ao notebook da mãe Diná pra saber em que estágio a ciência estaria? Eis aí um verdadeiro "pensador independente".

Talvez seja isso mesmo que eles colocam como meta. Ajoelhar no milho ou usar o cilício na perna são atos dos mais nobres para eles! Mas não vivemos mais nos tempos da Inquisição, e aqueles que não compartilham desses dogmas, são livres para questionar os reais motivadores dessa cruzada.

Mais baba raivosa de ateu contra cristãos. Sem comentários.

Que ética é essa que ignora tanto sofrimento humano para salvar um blastocisto? Por mais que eu tente, não consigo entender ou aceitar tal ética, ou falta de ética.


Rodrigo aprendeu direitinho as artimanhas da novilíngua. Ao reduzir um feto, um embrião a um mero blastocisto impessoal ele quer, no fundo, justificar o abortismo em nome de um falso humanismo. Tudo em nome do progresso. É a mesma linha de argumentação de Delúbio Soares (caixa dois vira "recursos não-contabilizados) e de Luíz Inácio (usar a justiça para coagir a imprensa vira "direito de recorrer a justiça"). É impressionante!

Os religiosos falam uma língua própria, compreensível somente para outros religiosos, que temem o "homem invisível", o sofrimento eterno num inferno e acreditam em alma.

Pra quem tem preguiça de ler a Bíblia, ele tem toda a razão. Mas o "homem invisível" que eu temo (no sentido de ter medo) é aquele de H.G.Wells: O cientista que, em nome da ciência e da lógica, acha que não tem limites.

Para aqueles que estão mais preocupados com esta vida mundana, a única certa, e com os seres humanos vivos, este discurso não faz sentido algum.

Mas isso sempre foi assim desde o advento do cristianismo. Pô, qual é a novidade?

Se aquilo que buscamos é uma vida feliz, o uso de células-tronco em pesquisas científicas deve ser defendido como um meio bastante razoável para tentarmos melhorar a qualidade da vida humana.

Defina o que é uma vida feliz, Rodrigo. O que é felicidade para um ateu não é felicidade para um cristão. O que é felicidade para um cristão pode não ser para um judeu. O problema do racionalismo tacanho, da lógica seletiva, da tolice lógica é justamente ignorar a realidade que nos cerca. Não vivemos num mundo onde todos têm a mesma noção das coisas, os mesmos interesses, os mesmo ideais. Rodrigo fala em nome de um pequeno grupo de ateus. Nem em nome de todos os ateus ele fala. E em nome de uma minoria quer impor o que acha lógico e razoável para a maioria. Muito democrático esse cara!

Agora, se o objetivo não é esse, mas sim valorizar a dor e o sofrimento como o leitmotiv da nossa existência "passageira" nesta vida "desprezível", então faz sentido colocar o blastocisto acima das crianças doentes. Mas faz ainda mais sentido estes que "pensam" assim procurarem ajuda psicológica com urgência!

Se a existência é "passageira" e a vida "desprezível", por que será que Rodrigo insiste tanto em dar conselhos para os crentes e para a humanidade? Ora, vá viver e curtir sua vida "passageira" e "desprezivel" e deixe os crentes para lá. Mas não! Rodrigo tem uma espécie de missão anti-religiosa a cumprir. Está interessado na humanidade e nas crianças doentes - assim, no geral - sem se dar conta da realidade que o cerca. Duvido que conheça uma criança sequer que precise de células-tronco. Duvido que conheça uma mulher que esteja grávida de um estupro. É tudo "vapor".
O curioso é que ele deve acreditar mesmo que os religiosos e conservadores podem ser ignorados nos debates sobre aborto e células-tronco.
Mas talvez Rodrigo tenha razão. Os cristãos gostam tanto de sofrimento que conheço por nome pelo menos uma centena - sei que existe muito mais - de cristãos que visitam pessoas (crianças inclusive) que não conhecem em hospitais, asilos e até presídios. Duvido que Rodrigo - que se preocupa tanto com o bem-estar das criancinhas - faça qualquer coisa nesse sentido. Não estou falando das doações impessoais de Bill Gates. Estou falando de conhecimento de campo. Conheço cristãos que estão sempre entre os primeiros a ajudar pessoas em calamidades como enchentes, terremotos e outros desastres. Pessoas que de fato "valorizam a dor e o sofrimento" REAIS. Tanto que ajudam efetivamente os outros com o pouco tempo e recurso que têm.
Rodrigo tem toda a razão, cristãos precisam mesmo de ajuda psicológica.

Morena Flor disse...

"Experimente procurar uma mulher grávida na rua, para dizer que o filho dela é um câncer. De preferência diga isso com o marido dela ao lado, para que ele possa dar a resposta que você merece."

Depende da grávida, e de COMO ela ficou grávida.

Ah, e depende do "marido" tb.

leo disse...

Isso aqui já está cheirando a enxofre,mas eu vou ficar.Afinal, tem que haver uma testemunha no Dia do Juízo.

Não rebaterei as grosserias e blasfêmias apenas citarei a Palavra de Deus.Ela é semente.

Sei que a maioria dessas sementes cairão "na beira do caminho","em pedregais","entre os espinhos" e outras em "boa terra" que darão frutos.

"...Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe.
Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia" SALMOS 139.13-16.

"Assim veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta" JEREMIAS 1.4,5

Modernos adoradores de Moloch,um dia vocês irão se encontrar com o criador.

Leo

leo disse...

Criador

C. Mouro disse...

"Mesmo um homem racional tem direitos inalienáveis. Ele tem o direito de defender suas tolices lógicas tanto quanto quiser. Mas certamente não tem direito de exigir que tais tolices sejam tratadas como verdade razoável"

Gostei disso: a mera repetição de uma arfirmação apenas trocando palavras, como se tal fosse argumento.
Porém, diante disso, há que ressaltar o seguinte, já que palavras precisam de coerencia:

- Uma parede se faz com tijolos e massa. Porém, um amontoado de tijolos sujos de massa não é uma parede.

Da mesma forma, uma lavadeira com um prumo e uma colher de pedreiro na mão, continuará sendo uma lavadeira, por mais que tente imitar um pedreiro.

Daí, então, temos isso:

"suas tolices lógicas"

...que raio podem ser tolices lógicas? ...hehehe!
..."tolice lógica" é coisa de quem para asno só falta o chifre.

Abraços
C. Mouro

C. Mouro disse...

Ah! esqueci...

O máximo que uma lavadeira consegue, ao tentar imitar um pedreiro, é fazer um amontoado de tijolos sujos. ...hehehe!

Abraços
C. Mouro

Francisco Valois disse...

Blogildo said...
"Francisco Valois, já comentei essas frases do Constantino em meu blog.

http://blogildoblogger.blogspot.com/2008/02/os-micos-de-constantino.html

Não acho necessário te replicar aqui.

Ah! E antes que eu esqueça: Olavete é a vó!"


Fui visitar o blog do Brogildo e não deu outra: olavete!

Foi só mandar pesquisar no topo da página a expressão "foro de são paulo" e pronto!

Foi só pesquisar Galileu e Newton e Olavo de Carvalho para entender que o Brogildo é olavete das brabas! Comprou a luta contra a ciência, contra Galileu, a quem chama de covarde por ter se retratado, e por aí vai.

Foro:

Eu achava que o Olavo delirava em 1999 quando o li no jornal "O Globo" falando de um certo Foro de São Paulo. Hoje vejo que ele era o único que não delirava.

Dá pra perceber a profunda raiva que sentem devido ao fato de o grande golpe de marketing arquitetado nas entranhas do Foro de São Paulo ter tado errado.

Afinal, esse é o único álibi que os diplomatas brasileiros e a imprensa vermelha (isto é, toda grande imprensa) utilizam para ocultar da opinião pública o fato de que são parceiros das FARC no famigerado Foro de São Paulo.

E o grande golpe de marketing do Foro de São Paulo continua a pleno vapor.

Ora bolas! Ele, Lula, Evo Morales, Fidel Castro e os outros membros do Foro de São Paulo têm de explicar o que as FARC querem.

É sabido que o tirano da Venezuela e o presidente do Brasil são parceiros das FARC no Foro de São Paulo.

A possível libertação dos reféns é uma tremenda obra de propaganda. Se tudo continuar acontecendo conforme o desejo dos líderes do Foro de São Paulo, Uribe sai queimado desse imbróglio.

Tá na cara que as FARC querem mais território. Uribe está colocando-os contra a parede. A única esperança das FARC é o Foro de São Paulo.

Os últimos eventos políticos ocorridos no mundo não deixam dúvida: O Foro de São Paulo é que dá as cartas na política da América Latina. Tem gente boa que acha que é delírio de Olavo de Carvalho.

É bobagem achar que Lula difere de Chavez e Morales. São da mesma turma. Ele nunca romperá com os companheiros do Foro de São Paulo.

O Brasil está aprisionado ao Foro de São Paulo. O destino da nação está irreversivelmente atrelado ao destino dessa instituição política que é mais influente do continente americano.

A lista de eventos é infindável e interminável. Mas todos esses eventos têm um ponto em comum: O Foro de São Paulo.

Quando eu comecei a ler a coluna do Olavo de Carvalho há uns 6 anos eu achava graça quando ele falava da vocação totalitária do PT. Quando ele falava do Foro de São Paulo e das resoluções que o Foro emitia eu julgava que ele era um tanto insano. Hoje, quem tem coragem de dizer que Olavo de Carvalho é insano?

O fato é que ainda que Alckmin vença, a marcha rumo ao abismo não será interrompida. O PT e os outros partidos vermelhos estão levando o país para um beco sem saída e a oposição sequer ousa falar em Foro de São Paulo.

Francisco Valois disse...

Mais do brogildo olavete das brabas.

Newton:

Só quero saber se a "burrice ocidental" começa com Newton (Olavo) ou começa com Galileu (Musil).

e é só cutucar de leve São Darwin, São Newton e São Galileu que os aitolás do jaleco branco já fazem jihad!

Nesse sentido, a lei da gravidade de Newton é apenas uma idéia amplamente aceita (que eu também aceito, veja bem) pois ainda está sujeita ao tal princípio da "falseabilidade". Apesar do "lei" é, no fundo, uma teoria. É o que EU penso!

Quando falo da superação de Newton e Galileu, tenho em mente que, como você mesmo diz, nenhuma teoria científica tem caráter definitivo. Logo, Newton e Galileu serão apenas lembrados por suas biografias e contribuição para o desenvolvimento da ciência. Nada mais além disso.

Por sinal, há algum tempo estou na dúvida se a imerecida supremacia da ciência no pensamento e cultura modernos começa com Galileu, com Newton ou com algum outro. O texto de Musil aponta para Galileu, ao passo que o texto de Olavo de Carvalho aponta para Newton.

É justamente por isso que prefiro Homero e Shakespeare em vez de Newton e Galileu. Homero e Shakespeare sempre serão atuais, Newton e Galileu já foram superados. São apenas história.

Tenho dito há algum tempo que Newton tem uma obra teológica e mística. Olavo de Carvalho também já disse isso. O senso comum vende a idéia de que Newton era pura racionalidade. É mesmo?

Por exemplo, as teorias de Newton já não são consenso há algum tempo. Eu particularmente continuo acreditando em Newton, mas é fato que suas teorias não são consenso.

Blogildo disse...

É isso aí, adoro ver as Rodriguetes fazendo propaganda do meu blog. E melhor: De graça!

Um abraço para vocês, cheers!

Francisco Valois disse...

Brogildo olavete sobre Galileu:

Deviam agradecer ao papa em vez de criticá-lo. O foco devia ser: Agradecemos ao pontífice o fato de Igreja não ter feito churrasco de Galileu naquela oportunidade, pois foi por isso que a ciência adquiriu o status (injsuto, é bom lembrar) que goza até hoje.

claro que sou contra os desmandos da Inquisição. Mas o fato é que Galileu não estava comprometido com alguma espécie de verdade científica.

Galileu foi outro "peidão". Quando a Igreja o colocou contra a parede acabou enfiando a viola no saco.

Galileu
Se ele não é um covarde, muito menos eu! Hehehehe!

Brogildo cita Musil e assina embaixo.
A Igreja Católica cometeu um grave erro ameaçando esse homem de morte, e obrigando-o a se desdizer, em vez de o matar sem muitos rodeios; pois da visão das coisas próprias de Galileu e seus parentes espirituais surgiram – em pouco tempo, se usarmos uma medida de tempo histórico – os horários de ferrovias, as máquinas de trabalho, a psicologia fisiológica e a corrupção moral da atualidade, com as quais ela já não consegue concorrer.

Francisco Valois disse...

Busca por "olavão" no blog da olavete Brogildo:

Olavão manda ver e mostra a relação entre ciência e racismo. De Darwin, Spencer até Watson. Ele já havia falado disso no último BlogTalkRadio. Mas eu não sabia que ele iria fazer um artigo tão cedo sobre isso. É incrível como a ciência consegue se passar como uma entidade "acima do bem e do mal" e na prática ela fede a enxofre. Hehehehe!

Olavão mostra o porquê de o povo lamentar o fato de o Capitão Nascimento não poder ser presidente da República.

Desde que comecei a ler os artigos do Olavão em 1999 eu nunca mais acreditei em "oposição" política.

Olavão definindo 'fé'!
“A fé consiste em acreditar, ter confiança na pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo e em suas promessas. Não existe formulação perfeita de doutrina alguma. (...) Exponha por que você confia em sua mãe e em seu pai! É difícil. A fé não é aceitar uma doutrina. É ter confiança numa pessoa. Não tem nada a ver com doutrina.”

Francisco Valois disse...

Copiar e colar o que ele escreve é o mesmo que xingar o cara pq nunca vi tanta porcaria junta

E é olavete.

Mais merdas da olavete:

O Olavo já é guru político independentemente do fato de o Janer ser ou não um parasita estatal.

Eu não sei o que você quer dizer com "delírios do Olavo". Até hoje não vi um só artigo "delirante" do Olavo. Eu achava que o Olavo delirava em 1999 quando o li no jornal "O Globo" falando de um certo Foro de São Paulo. Hoje vejo que ele era o único que não delirava.

A idiotização coletiva veio pra ficar desde o momento que os intelectuais tomaram o lugar de padres, sacerdotes e profetas. Não é culpa do Olavo se isso existe.

Eu duvidava de cada coisa que o Olavo escrevia. Fiquei dois anos lendo as colunas dele por mera curiosidade cínica. Coisa do tipo: Esse cara é maluco

Vai ver meu "comportamento de colonizado dócil e passivo" me fez ver que Olavo não tinha errado um prognóstico em dois anos seguidos.

Olavo de Carvalho não será o primeiro e tampouco será o último conservador a ser chamado de obscurantista. É óbvio que gosto dos argumentos do filósofo e não tenho a menor dúvida que no Brasil de hoje ele é um (se não for o único) dos poucos que têm algo relevante a dizer no meio de tanta mediocridade. (não é olavete? minha vó que é, rs)

Sobre Rodrigo Constantino: Ele não fala disso, mas até hoje não se recuperou da tsunami Olavo de Carvalho que deixou o guri perdido em alto-mar se segurando em livros de Ayn Rand que ainda boiavam por perto.

Hahahahaha! Olavo de Carvalho atropelou o Rodrigo Constantino. Por sinal, ele – Constantino - deve estar até agora perguntando se alguém anotou a placa do caminhão que o atropelou. Rsrsrsrsr!

Olavo de Carvalho – com aquele sarcasmo que lhe é peculiar – simplesmente desancou o sujeito e atropelou-o junto com Voltaire, a Revolução Francesa e os Racionais (inclusive os MCs! Rsrsrs!)

Filósofo no Brasil hoje acho que só o Olavo de Carvalho.

OLAVETE ATÉ O OSSO!!!

Francisco Valois disse...

Pronto Brogildo já teve seus 5 min de fama. Já provou que vc é uma olavete, tiete barata do Olavo. Já provou q é um jumento tb.

Blogildo disse...

Volte sempre, Valois!

Anônimo disse...

Newton foi superado e virou história?!Como assim?!
Todo engenheiro hj formado começa aprendendo sobre o movimento dos corpos, com exceção dos corpos com velocidades muito alta (aí já é com Einsten), utilizando as equações de Newton! Elas não estão de forma alguma ultrapassadas ou perderam sua validade.É a base da mecânica clássica.
Obviamente, elas possuem um limite de aplicação. Por isso vieram outros físicos e matemáticos e formularam outros modelos e equações para adequarmos cada vez mais à nossa realidade.
É justamente por nenhuma teoria científica ter caráter definitivo que o conhecimento humano progride, com a contribuição de vários homens.Não de apenas um, que recebe uma "iluminação" e tem todas as respostas.
Se hj vc anda de carro,pega elevadores, ou mesmo se compra um livro de Homero ou Shakespeare(isso sim é história) pela net e ele vai de avião e alguem o entrega no conforto de tua casa, agradeça aos avanços da engenharia e do Sir Isaac Newton!
Abraco
Otávio Guimarães, Eng. Mecânico

O Oráculo da Música disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Blogildo, que coisa feia! Posando de moderado aqui, e não passa de um olavete, feito o perturbado do Conde, louco por atenção?!?! hehe

Rodrigo

Marcelo Baptista disse...

Francisco Valois, obrigado pelos momentos divertidos que nos proporcionaste. O sujeito carola com cara de dinossauro (escolheu bem o avatar) é uma Santa sem S.

ZEPOVO disse...

Assunto mui delicado e perigosso!
Os crentes como o artigo generaliza, não precisam pensar com a razão ou a lógica e sim com a fé.
Essa atitude que tantas vezes é benéfica para a humanidade, algumas vezes pode prejudicar e muito a mesma humanidade.
As novidades científicas sempre vão passar pelo crivo do pensamento universal, é o filtro que garante um mínimo de bom senso moral nos avanços da ciência.
Lembrem-se, até hoje uma vertente crente não aceita nem transfução de sangue, preferindo ver o "destino" traçado por Deus valer, o que pensar de "brincar de dispor da vida".
Em países com desenvolvimento cultural razoável como os EUA clínicas de aborto são explodidas!

Acho que o tempo vai acomodar de maneira natural e adquada os avanços da ciência na humanidade. Sempre foi assim e aos poucos o que é bom fica, é assimilado.

Anônimo disse...

E convém dizer, ser chamado de Olavete é até elogio.

Rodrigo Constantino disse...

O Conde não vai desistir de poluir meu blog?!

Blogildo disse...

Eu não poso de moderado, Rodrigo. Nunca posei. Já viu cristão moderado? Não existe. Se é que vc me entende.

Já travei outros debates aqui. Só acho que se o sujeito quer confrontar o que eu escrevi em MEU blog, deve fazê-lo lá. Como eu faço aqui. Se não concordo com vc, digo-o claramente e com respeito.
Se concordo - vide o seu post "A Ditadura e o Vaticano - também não tenho problemas em admití-lo.

O que esses caras ( perdoe a expressão: as suas cheers) fazem - desculpe a expressão - é coisa de maricas. Falam pelas costas. É do jogo. Anões são assim mesmo.

Além disso, aqui é SUA "casa". Há alguns limites a serem respeitados e considerados. O que é bem diferente do tal "Conde", não acha?
Além disso, não vou colocar um texto gigantesco num espaço de comentários breves. Além de poluir o espaço, é desconfortável para ler. Você acha que alguém lê, por exemplo, cada linha do que o Catellius escreve no espaço de comentários? É muito prolixo. Veja bem, não estou colocando em questão a qualidade do argumento.

Agora, o que coloco em MEU blog realmente não é moderado não. Nem é esse meu objetivo. Na minha "casa" falo o que quero. Igual a você na SUA "casa". Quem não gostar que questione lá. É assim que funciona. Certo?

O conceito de olavete é um tanto elástico. Eu poderia dizer que você é olavate usando duas linhas de raciocínio:

1 ) Todos que falam no Foro de São Paulo são considerados olavates pelos esquerdistas. Você fala no Foro de São Paulo. O resto do silogismo você conhece.

2 ) Você rompeu com o Olavo e o MSM, mas sempre fala dele. Ou ele fala de você. Nunca sei quem começa com as cutucadas pois não acompanho Orkut. Certo?
E como reza o ditado: Fale bem, fale mal, mas fale de mim. De certa forma você e Olavo vivem dando publicidade um ao outro.

É isso!

Catellius disse...

Cacilda! Que trabalho, Francisco! Eu confesso que perdi algum tempo refutando algumas das asneiras que você reproduziu acima, quando freqüentava o blog do Onildo. Enquanto eu acreditava na pose de racional, claro. Mas quando um parvo começa a atacar a racionalidade e a lógica é porque é um caso perdido. Para o caso perdido elas serão apenas ardis do demônio na medida em que contrariarem aquilo em que depositou sua confiança. Para o caso perdido, tudo é questão de confiança. E o caso perdido confia em primeiro lugar na Bíblia. E a Bíblia disse que a Bíblia é verdadeira. E se é verdadeira não iria mentir. Então dane-se a razão e a lógica, he he.

Outra coisa. Ele é testemunha de Jeová.

Se a única chance de vida do filho de uma testemunha de Jeová estiver em uma transfusão de sangue, o religioso dessa ridícula seita apocalíptica (já fez incontáveis previsões do fim do mundo, com precisão de dia e mês, e errou todas vezes; é óbvio, he he) se recusará a autorizá-la. Preferirá permanecer fiel à sua podre ideologia e passar a ver a cara do filho apenas em um porta-retrato. Por "confiança", se recusará a aceitar a transfusão. Rezará por um milagre, claro. "Eu não deixarei ele morrer", diz a testemunha, "farei tudo o que estiver ao meu alcance para salvar meu filho". Exceto transfusão de sangue... São a favor da vida... Desde que salvá-la não entre em choque com suas crenças religiosas.

"Só acho que se o sujeito quer confrontar o que eu escrevi em MEU blog, deve fazê-lo lá."

Ele escreveu algo parecido quando colei n'O Expressionista algo que escreveu em meu blog, que Jeová é justo então foi justo ter ordenado a morte pelo fio de espada de homens, mulheres, crianças e bebês de colo, quando Josué entrou em Canaã. "Bebês inocentes?", ele perguntou. "Quem disse que eram inocentes?". Ha ha ha ha! Esse é o estrago que uma ideologia faz em um cérebro que além de tudo parece nunca ter sido dos mais bem dotados.

O Blogildo vai negar que escreveu essas sandices que o Francisco reproduziu por aqui? Que diferença faz onde escreveu isso, se em um papel higiênico, se usou crayon ou cocô que escorreu de seu nariz?
Ora, as pessoas devem assumir o que escrevem. Se mudaram de opinião que digam: "ah, escrevi essa asneira há cinco anos. Hoje mudei de opinião." E pronto.

Então o Blogildo tem dois tipos de opinião. A opinião radical que dá em seu blog e a opinião "moderada" e respeitosa que dá na casa dos "inimigos da verdade". A primeira só pode ser questionada lá. A segunda só pode ser questionada nos sites onde foi exposta. Pelo menos o Conde e outras olavetes por aí não chegaram a esse nível de descaramento.

O sujeito é tão estúpido que fez a porca análise do post do Rodrigo em seu blog, não por aqui. Ué, as coisas que o Rodrigo escreve neste blog não devem então ser discutidas apenas por aqui, baseando-se nesta (i)lógica? Ah, mas a lógica é ilógica e a razão é irracional, segundo o parvo...

Catellius disse...

"...'tolice lógica' é coisa de quem para asno só falta o chifre."

Excelente, Mouro. Disse tudo. O esquema é: Pegue algo que a pessoa escreveu e inverta para parecer que tudo é relativo, he he.

Blogildo disse...

Catellius-óbvio!-porra e o bom e velho argumento ad hominem. Típico.

Não há nada de ilógico em comentar o texto do Rodrigo em MEU blog. Ilógico é escrever um monografia num espaço de comentários. Entende, Catellius? COMENTÁRIOS. Eu diria mais que ilógico. É estúpido. Afinal, geralmenet só leio os dois primeiros e o último parágrafo quando você escreve. O resto geralmente é abobrinha e redundância. Sem falar que é um tédio.

Não considero quem discorda de mim um "inimigo". Isso é coisa de gente intolerante como você. Divergência de opnião não quer dizer inimizade. Não concordo com muita coisa que o Rodrigo escreve. E não me considero inimigo do Rodrigo. Isso é coisa da "moral do ressentido". Coisa que você entende bem.

Até no seu caso, Catellius, quando consigo entender do que você está querendo dizer, se considero que você tem razão, te dou razão. Se acho que você não tem razão, não te dou razão. Simples, né?

O extremismo é só seu, cara. A baba raivosa que você expele ao falar de cristãos, conservadores, Olavo de Carvalho etc, é mais que evidência do seu extremismo, ignorância e estupidez. É um caso perdido.

Anônimo disse...

Ô Blogildo, faça um favor pra humanidade, vai escrever o editorial da Revistinha Sentinela vai... hehehe

Vocês já viram essa merda? É uma Publicação de Testemunhas de Jeová onde as crianças, os veadinhos e os leões brincam amistosamente num gramado verde do Paraíso.

Os crentes deveriam se limitar este tipo de literatura e parar de encher o saco em tudo que é canto da Internet.

Catellius disse...

"Os crentes deveriam se limitar este tipo de literatura e parar de encher o saco em tudo que é canto da Internet."

Ao vivo e a cores as Testemunhas de Jeová batem de porta em porta pra pregar sua doutrina escatológica - escatológica no sentido de fim do mundo (éschatos) e no sentido de fezes mesmo (skatós), he he. Na blogosfera elas batem de blog em blog.

"Não considero quem discorda de mim um 'inimigo'. Isso é coisa de gente intolerante como você. Divergência de opnião não quer dizer inimizade. Não concordo com muita coisa que o Rodrigo escreve. E não me considero inimigo do Rodrigo. Isso é coisa da 'moral do ressentido'. Coisa que você entende bem."

O Blogildo só capta de um texto o que ele quer captar. Se for longo e não tiver gravuras, só lê o começo e o final, he he. E não entende coisas óbvias como esta: "Então o Blogildo tem dois tipos de opinião. A opinião radical que dá em seu blog e a opinião 'moderada' e respeitosa que dá na casa dos 'inimigos da verdade'."

Viu? Quem disse que o Blogildo considera inimigas as pessoas que dele discordam? Quem disse que ele se considera inimigo do Rodrigo? O burrão que disse isso, he he. Ele não é capaz de ler algo em português claro: "casa dos 'INIMIGOS DA VERDADE'". "DA VERDADE", SANTA SEM S (boa, Marcelo Baptista).

Ele bem que avisou: "Até no seu caso, Catellius, quando consigo entender do que você está querendo dizer..."

E olhe que eu escrevo tudo beeeem mastigadinho, he he.

Blogildo disse...

..."tolice lógica" é coisa de quem para asno só falta o chifre.

É verdade! Bertrand Russel (que cunhou o termo) e Paul Johnson (que deu destaque ao mesmo em "Os intelectuais") só faltam ter chifres para serem tomados como asnos.

Quanta ignorância da Cheerleader-mor.

Blogildo disse...

E a outra cheer, tão ignorante quanto a Cheer-mor, referenda. Tsc! Tsc! Tsc!
Vocês são estilo Gollum-Sméagol ou Batman e Robin?

Francisco Valois disse...

Brogildo Testemunha de Jeová? Tá tudo explicado, rs.

twiggysp disse...

Percebe que Paul Johnson emprega «tolices lógicas» como ironia para aquilo que considera parvoíces ataviadas de pseudo-lógica e que de facto não têm lógica alguma. A diferença, néscio, é que já demonstraste crer que razão e lógica podem de facto serem tolices.

C. Mouro disse...

"O Blogildo só capta de um texto o que ele quer captar. Se for longo e não tiver gravuras, só lê o começo e o final, he he."

..Muito boa, Catellius. ...hehehe!

Ele produzir asneiras e ataques em seu blog é coisa antiga - e também de seus pupilos ...hehehe!

Certa vez andou me atacando em seu blog, e para variar escrevendo asneiras cabeludíssimas. Fui lá e me ri a valer.

Ele escreveu uma asneira cabeludissima acreditando ser um primor de ataque. Eu não resisti e escrevi um comentário - QUE SÓ É PUBLICADO DEPOIS DELE APROVAR (não sei se ainda é assim) - bem humorado em resposta, mostrando o tamanho da asnice que ele escreveu crendo ser um gênio. ...hehehe! ...MAS O COMENTÁRIO NÃO SAIU, e eu desisti de comentar lá "onde se deve questiona-lo" ...hehehe!

- "A diferença, néscio, é que já demonstraste crer que razão e lógica podem de facto serem tolices."

...Perfeito!

Que mais se pode esperar do tipo que faz pinta de cordato para atacar pelas costas. Estes tipos poluem até esgoto, e os há em quantidade.

Abraços
C. Mouro

C. Mouro disse...

...hehehe! tem a pretensão de usar o pífio argumento da autoridade. ...Mas nem disso é capaz, caracoles. ...ó raios!

Com palavras se constrói argumentos. MAS UM AMONTOADO DE PALAVRAS NÃO É UM ARGUMENTO. ...hehehe!

Esses tipos são divertidos.

Quando vejo tipos "cordatos" ou que "não são isso nem aquilo" mas defendem isso e aquilo com asneiras decoradas ou inventadas ...eu percebo que haverá embuste, cretinice e... diversão*.

Abração
C. Mouro

jb disse...

Ei você aí das 9:47.
Essas idéias são minhas, seu larápio.
Devia pelo menos ter a decência de citar o autor.
Muitas décadas antes de você vir a ser um embrião não-humano eu já tinha colocado em prática tudo isso ai.
Nunca leu a história da 2.a Guerra seu cretino?
Dr. Menghele.


Agora falando sério...

Constantino, responda com sinceridade: como você se sente na companhia desses 'humanistas'?

Anônimo disse...

Nossa como os ateus são educados... Se eu soubesse disso antes, teria me tornado ateu também. Esse tal de Blogildo escreve algumas refutações para o texto do Rodrigo Constantino e os ateus logo - de forma educadíssima, coerente, madura, sem subterfúgios, sem ataques pessoais, sem preconceito de cunho religioso - ARGUMENTAM! E que argumentos lógicos:

"Ele é testemunha de Jeová!"

"Que diferença faz onde escreveu isso, se em um papel higiênico, se usou crayon ou cocô que escorreu de seu nariz?"

"Estes tipos poluem até esgoto".

"Vocês já viram essa merda?"

Anotei esses argumentos acima porque achei-os extremamente coerentes e lógicos. Me convenceram totalmente.

Parabéns, vocês são muito inteligentes. Não sei por quê existem religiosos, finalmente? O mundo seria bem melhor sem eles... Vocês estão nos ensinando exatamente isso.

Pérolas atéias:
Sobre um bebê no útero: "até 4 meses não passa de um amontoado de células de um parasita, de um tumor que cresce dentro do utero."

"É melhor sacrificar algumas vidas para preservar as de uma humanidade inteira".
Nossa, que humanismo!

Estou emocionado!

Anônimo disse...

Calma aí, jb!

O sujeito a que você está se referindo é inimputável. O quê? Você não leu?
Eu explico: ele teve 25 anos de síndrome do pânico e o pai perdeu a vida num assalto em sua presença.
Peraí! Mas a vida "pode ser explicada como simples processos bioquímicos energéticos". É, parece que não perdeu nada, mesmo...

Anônimo disse...

Alguém lá em cima afirmou:

"Quando nascemos, somos considerados pessoas. A LEI nao reconhece como um indivíduo um embriao ou mesmo um feto. Esse reconhecimento apenas ocorre quando a pessoa NASCE."

Meu caro, você talvez desconheça mas quando a pessoa nasce inicia-se tão somente a personalidade civil. A lei protege o feto ou embrião sim. O Código Civil Brasileiro diz:

Art. 2º A personalidade civil da pessoa começa do nascimento
com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do
nascituro.

Outro afirmou:
"...somos apenas fruto de nossas moléculas. Nossos pensamentos, sentimentos e experiências subjetivas (incluindo a consciência e a vontade) são processos físico-químicos. Isto está mais do que demonstrado nas ciências cognitivas."

Pois bem, caríssimo, como médico psiquiatra gostaria que me explicasse que ciências cognitivas são essas...

Abraço,

C. M. Weinstein

Anônimo disse...

Quando vocês materialistas tiverem terminado de construir o mundo perfeito, favor publicar o fato neste mesmo blog, OK?
;)

Leo Martins disse...

Que medo. Tem alguém (com meu nome) que manda um post só prá corrigir o criador/Criador. Nada mais democrático que a santa ignorância.

badboy disse...

"É isso aí, Badboy! Você tem toda a razão: Não somos muito melhores que os robôs!"

Produza um robô que tenha experiência subjetiva, sentimentos e consciência. Ele ainda seria um robô ou um humano em metais?

Tudo indica que somos apenas matéria, não sendo necessário uma alma imaterial para nenhuma de nossas faculdades mentais. Alguém ainda tem dúvidas de que a vida é um epifenômeno da matéria?

leo disse...

Leo Martins,

Isso é reverência

Agora,medo mesmo,foi entrar no teu blog e ver logo de cara:

"signo astrológico: Aquário"

Isso sim é "santa"ignorância e "santa" superstição.

É cada estrupício que aparece

Leo

LEO disse...

Pena que no zodíaco não tem o signo de ASNO.

Anônimo disse...

Badboy disse:

"Tudo indica que somos apenas matéria, não sendo necessário uma alma imaterial para nenhuma de nossas faculdades mentais. Alguém ainda tem dúvidas de que a vida é um epifenômeno da matéria?"

Você tem toda a razão: Tudo o que existe no mundo físico é matéria! Mas, o que diríamos se a parte em nós que é consciência pura fosse matéria também, porém uma matéria mais refinada, sei lá, de outra forma de composição. A gente não vê a eletricidade, mas ela está lá. Não vemos as freqüências de rádio, mas, elas estão lá! E esses fenômenos fazem parte do mundo material, são conhecidos por nós. E aquilo que não conhecemos ainda?

Mas, o que quero dizer é que deve haver algo maior na vida humana que dê mais sentido do que a idéia de aniquilação total com a morte. Existe, meus caros, um sentimento inato no ser humano de que a consciência não surge no nascimento e não se extingue com a morte. Tem algo no ateísmo que... não se encaixa bem... Não quando nega que exista um Deus punitivo e vingativo, onisciente, controlando a vida de todo mundo, e uma religião (ou religiões) servindo como ponte entre esse Deus e os seres humanos. Mas, quando nega a imortalidade da alma e quando afirma que tudo não passa de fenômenos bioquímicos, até mesmo a nossa vontade e a nossa consciência.

Vamos raciocinar da seguinte forma: o processo de pensar é simplesmente a atividade bioquímica do cérebro ou, a atividade bioquímica do cérebro é a forma encontrada pela natureza de atender à vontade de pensar?

Outra ponderação: somos diferentes dos animais por sermos mais evoluídos ou por possuirmos vontade? Me parece que a vontade só existe nos seres humanos. Mas, por quê? O exercício da vontade, do individualismo, é pura atividade bioquímica?

Estou sendo muito sincero, Constantino, não consigo me imaginar como algo que, ao morrer vai deixar de existir. É como se existisse algo em minha autoconsciência que dissesse que não é assim. E, olhe que não é por medo de morrer (não tenho medo de quase nada neste mundo, hehe), ou medo de punição divina - quando ouço as difinições de Deus pela maioria dos religiosos, me sinto também ateu - mas pela ponderação pessoal.

Abraço,

Sergio

Anônimo disse...

Reinaldo Azevedo escreveu hoje:

PS: Alguns ateus militantes dão como certo que o mundo sem religião nos levaria a uma espécie de nirvana da razão. O mundo conheceu, ou conhece, sociedades em que as religiões foram oficialmente banidas. A China de Mao é um bom exemplo: 70 milhões de mortos. A URSS de Stálin é outro: 30 milhões. “Ah, não foi o ateísmo que matou, mas a ditadura”. É fato. Mas, por alguma razão, aqueles “iluministas” decidiram que, para fazer a sua obra, era preciso antes decretar a extinção de Deus.

Pergunto: foi bom?

C. Mouro disse...

Havia um manualzinho para avaliação de camaradas, que na adolescencia chegou-me as mãos. Era instruções para a cúpula captar adeptos para a hierarquia. Claro que tinham que ser tipos confiaveis para o objetivo, recomendava pesquisar os detalhes, até "despreziveis", da personalidade. Principalmente estes, onde o possível infiltrado ou o escrupuloso, deixa escapar o seu caráter.

Li no MSM um bom artigo do Heitor pertinente a questão. De fato o militante confiável é aquele destituído inteiranmente de qualquer vestigio de decencia, é aquele capaz de parecer louco, tal a sua falta de vergonha na cara para mentir contrariando os fatos mais gritantes.

Reinaldo e Olavo eram militantes "comunistas", apparatchiks, que tinham por missão mentir descaradamente em favor do marxismo trotskista e leninista. Da forma que atualmente mentem desavergonhadamente pela nova ideologia que defendem, mentiam antes pela antiga. Aliás, Hayek comenta, em seu "O caminho da servidão", sobre o transito de marxistas e nazistas entre tais ideologias. E Hayek considera tal transito de militantes entre tais ideologias como natural por serem semelhantes. DA MESMA FORMA é natural aqueles que são legitimos marxistas tornarem-se legitinmos militantes cristãos. O principio é o mesmo, o descaramento, a falta de pejo exigida é a mesma.

Vejamos o reinaldo, um tucano partidário do esquerdopata J. Serra, militante serrista escancarado/desavergonhado.
Ora, J. Serra foi e ainda é um crápula totalitário e, sobretudo, ainda "comunista", esquerdista militante e escancaradamente intervencionista totalitário.

...Mas o reinaldo que tanto malha os esquerdistas e a esquerda como algo abjeto (correto nisso), é cabo eleitoral do J. Serra, descaradamente, constrangedoramente. Mesmo o Serra enrabichado até as unhas com o lullismo, Reinaldo desavergonhadamente milita em seu favor. ...apesar de dizer-se contra a esquerda - da qual Serra é adepto.

Trata-se evidentemente de um farsante, de uma pena de aluguél ideológico. Eu diria que é o militante perfeito para organizações polítiqueiras. Talvez por isso a Igreja o tenha tomado para si como apparatichik, já que a esquerda tem sobras "de caixa" no quesito militante ideal. São os agitprop religiosos captados nas hordas da esquerda, ONDE ABUNDAM TIPOS SEM PEJO DE MENTIR CONTRA OS FATOS MAIS GRITANTES.

Veja, Stalin apresentava-se ateu. Mas ateísmo não possui doutrina alguma, é meramente negação de uma crença. Ademais, são muitos os religiosos que são marxistas e até stalinistas.
Mas digamos que Stalin tornou-se o crápula que foi por ter sido um religioso, seminarista até. E lá no treino religioso é que aprendeu a fazer INQUISIÇÃO para EXTERMINAR DIVERGENTES IDEOLÓGICOS.

Mas Hitler era um devotado cristão, fanático até. Chegando a elogiar em seu livro "Minha luta" a perseguição dos cristãos aos divergentes. ESTÁ LÁ ESCRITO NO "MINHA LUTA" Hitler ELOGIANDO O FANATISMO CRISTÃO que perseguia e exterminava os divergentes. Hitler também justifica sua perseguição aos judeus na perseguição dos cristãos a estes. ESTÁ LÁ ESCRITO NO "MINHA LUTA".

Mas usemos a lógica do Reinaldo que faz associação entre "comunismo" e ateísmo por ter havido TAMBÉM ateus "comunistas". Por tal lógica, também poderiamos dizer que o fato de grande quantidade de clérigos cristãos serem pedófilos que pedofilia é coisa do cristianismo. ...e aí? ..essa é a lógica dos desavergonhados apparatchiks de ideologias cretinas.
...T. More, cristão fervoroso, era comunista antes de Marx, e a sua visão de ideal político e mesmo dos meios que defende para a defesa de tal ideal totalitário estão bem em conformidade com as praticas dos paises socialistas.

Mas estes tipos "ex" marxistas que trocaram de ideologia, mesmo que ainda sejam cabos eleitorais de adeptos da ideologia que agora atacam, não possuem mesmo é vergonha na cara, pois mentem descaradamente contra os fatos mais gritantes.

Fica um trecho do que escreveu o Heitor, trecho instrutivo, eu digo:

"Passados alguns anos, sendo um destes idiotas úteis, comecei a perceber a farsa mas gostei de fazer parte dela. Foi então que me convidaram para entrar no círculo mais restrito – e já secreto, estávamos em 1963 e a reação “burguesa” já era antevista - de militante da Ação Popular. A “promoção” de companheiro de viagem ou, como se dizia na AP, ampliação – neologismo derivado da prática de “ampliação de quadros” - a militante só é merecida por quem atingiu um grau de cinismo e hipocrisia suficiente para calar todas as suas restrições éticas e morais e torcê-las de modo a que sejam escravizadas aos objetivos do Partido. Entenda-se que companheiro de viagem é um estágio superior a idiota útil, é um cara que já começou a perceber o espírito da coisa mas ainda não está maduro para relegar todos seus escrúpulos à lixeira, e entender que seus objetivos pessoais estão em harmonia com os do Partido. Isto é, entender que o comunismo, ao invés de ser uma ideologia altruísta e coletivista, é o supra-sumo do egoísmo e do individualismo. A propalada atitude altruísta serve para esconder que todo militante pensa somente em seus interesses individuais de poder e de viver à custa do Estado. Ou seja, a maravilhosa e sublime revolução não passa de uma roubo-lução!"

Reinaldo, o "ex" esquerdista "comunista" que agora xinga a esquerda mas é cabo eleitoral de históricos esquerdistas totalitários ativos, bem como outros "ex-esquerdistas-comunistas" que militavam profissionalmente, são mesmo os tipos ideais para militar por ideologias pérfidas que defendem o Poder totalitário. ...mentem sem pejo contra os fatos mais gritantes ...se os fatos os desmentem, dizem desavergonhadamente: "danem-se os fatos".

Abraços
C. Mouro

Não sou psiquiatra disse...

Sr. Mouro,

Peço licença para algumas observações sobre seus escritos.

“Reinaldo e Olavo eram militantes "comunistas", apparatchiks,...”

Em primeiro lugar, Reinaldo e Olavo nunca foram “apparatchiks” em nenhum momento de suas vidas. É óbvio que você não sabe o que significa essa palavra.
Nunca empregue termos que não conhece.

...” que tinham por missão mentir descaradamente em favor do marxismo trotskista e leninista.”

Nos numerosos relatos de ambos os jornalistas sobre a época em que eram comunistas, NÃO HÁ NENUM DEPOIMENTO, onde afirmam que “tinham por missão mentir descaradamente”.
Ao contrário: ambos eram comunistas convictos porque acreditavam naquela porcaria com sinceridade, achavam que aquela ideologia era realmente o melhor caminho para a humanidade.
Eram, portanto, “idiotas úteis”. Tanto um quanto outro afirmam, em dezenas de escritos, que abandonaram o comunismo quando entenderam do que se tratava.
Parece evidente que você nunca os leu.

“DA MESMA FORMA é natural aqueles que são legitimos marxistas tornarem-se legitinmos militantes cristãos.”

É mesmo, Mouro? É “natural”, é?
Se um comportamento é “natural” (previsível, portanto) é porque sempre foi assim.
Logo, aprendemos com o ‘çábio’ Mouro que o Marxismo nasceu antes do Cristianismo. Ou tem a mesma idade.

“Vejamos o reinaldo, um tucano partidário do esquerdopata J. Serra, militante serrista escancarado/desavergonhado.”
(...)
“Trata-se evidentemente de um farsante, de uma pena de aluguél ideológico.”

Nem é original: bate a carteira dos petistas para roubar-lhes as calúnias e atirá-las contra o desafeto (tucano, serrista, pena de aluguel). Gostei do acento em ‘aluguel’.


“Talvez por isso a Igreja o tenha tomado para si como apparatichik, já que a esquerda tem sobras "de caixa" no quesito militante ideal.”

Vai ver é isso mesmo...a esquerda da Igreja (teologia da libertação, frei Betto, padre ‘pajero’ Lancelotti, bispos bandidos do MST) apanha do Reinaldo quase todo dia e ele já pediu a excomunhão dessa gente muitas vezes, mas na lógica mourisca de quatro patas....Reinaldo AINDA SERIA ESQUERDISTA e é pago justamente para descer o pau nos esquerdistas.
Entendi.
Ufa!

Quanto ao resto do texto....Ah! deixa pra lá. Não sou psiquiatra mesmo...

Anônimo disse...

Interessante, o Reinaldo Azedo foi traído por Deus, que o colocou na Terra feio, mal-educado e com câncer mas não cansa de O defender. Vá lá, masoquismo não se questiona. Porém, ele lança mão da sua burrice abençoada para usar o mesmo argumento daqueles que falam que a Igreja Católica é uma instituição assassina pois usou a necessidade de Deus (e não sua ausência - aprendi em matemática que quando o sinal muda e o módulo é igual, a grandeza é a mesma) para promover tantas mortes quanto pode.

Infelizmente para os Papas terroristas da época, não havia tanta gente na Terra para eles decapitarem, queimarem. E também não existia o Fuzil, invenção que seria muito útil para esta classe de arborígenes de terno.

Para tipinhos carolas como o Reinaldo Câncer Azeredo não adianta argumentação. Uso a estratégia Olaviana e mando logo o carequinha tomar bem no meio do cu.

Catellius disse...

Reinaldo Azevedo:

"O mundo conheceu, ou conhece, sociedades em que as religiões foram oficialmente banidas. A China de Mao é um bom exemplo: 70 milhões de mortos. A URSS de Stálin é outro: 30 milhões."

Uma mentira repetida mil vezes só não vira verdade se for sempre desmentida. Por isso repito o qu escrevi recentemente por aqui. Stalin não baniu oficialmente a religião. Ela estava mal das pernas na URSS e ele a reabilitou. Autorizou a eleição de um novo patriarca ortodoxo, que chamou Stalin de "Enviado da Providência". O papa Pio XI disse o mesmo a respeito de Mussolini. Stalin, embora ateu, disse, em retribuição: "nossa Santa Igreja tem nele um fiel protetor"

Do site oficial da Igreja Ortodoxa:

“Em 11 de outubro de 1945 (o patriarca) recebeu a medalha ‘pela defesa de Leningrado’, e em 16 de agosto de 1946 a "Ordem da Bandeira Vermelha", que habitualmente se outorga por serviços emprestados ao comunismo. Em 31 de agosto recebia a medalha ‘por serviços distinguidos durante a guerra patriótica de 1941-1945’. E o dia de seu septuagésimo quinto aniversário, em 1952, de novo seria recompensado com a ‘Ordem da Bandeira Vermelha’, por seus serviços patrióticos. Tal era o novo e original patriarca eleito de Moscou.”

O Reinaldo é um estúpido. Trocou sua credibilidade por um prato de ervilhas...

Catellius disse...

"Mas usemos a lógica do Reinaldo que faz associação entre "comunismo" e ateísmo por ter havido TAMBÉM ateus "comunistas". Por tal lógica, também poderiamos dizer que o fato de grande quantidade de clérigos cristãos serem pedófilos que pedofilia é coisa do cristianismo. ...e aí? "

Excelente, Mouro.

Os primeiros cristãos também eram ateus em relação aos deuses pagãos, porque só devia haver espaço para o deus deles. Hoje os cristãos são politeístas, vide o pai, filho, espírito santo, maria e santinhos. Com o comunismo aconteceu algo semelhante; mataram os deuses alheios no começo para que só o deles fosse louvado; a religião marxista tinha um juízo final - a revolução -, um paraíso socialista, livros sagrados escritos por um barbudo judeu - Marx -, uma casta sacerdotal - o partido -, e muita evangelização... Ainda assim, como eu escrevi, Stalin deu novo vigor à Igreja Ortodoxa e não impediu que evangelizasse e que falasse de Jesus aos comunistas. Como aconteceu com o cristianismo, o marxismo virou “politeísta” no final. No Brasil, por exemplo, vemos mais cristãos do que ateus em suas hostes.

E havia incontáveis ateus críticos do comunismo, nos tempos da URSS. Ingleses, americanos, franceses... E o Reinaldo estúpido dá a entender que o que deu errado no comunismo foi seu ateísmo, a supressão das religiões e do deus cristão. Aqui ele se ferra. Quando atribui as mortes do comunismo ao ateísmo e não ao comunismo, que simplesmente queria o controle total do povo escravizado e não queria a concorrência dos poderosos ortodoxos, com uma grande ascendência sobre o povo russo, ele dá a entender, sem querer, que um comunismo com deus daria certo, que um socialismo cristão seria um sucesso absoluto. Ora, Heloísa Helena deve achar o mesmo, ela que é uma católica de carteirinha. “Foi a falta de Jesus a responsável pelos crimes dos soviéticos, não o comunismo”, poderia dizer a HH. E poderia até citar o estúpido do Reinaldo Azevedo...

Leo Martins disse...

Obrigado, Leo, pela dica. Nunca havia visto meu próprio profile.

cleber disse...

Sérgio,

É possível ser ateu e acreditar na imortalidade da alma, ser ateu e acreditar em duendes e em qualquer outra coisa.

O que um ateu espera de um crente em deus são evidências suficientemente fortes para existência de deus.

Se você considera que existem evidências fortes para a imortalidade da consciência humana (eu não chamaria isso de espirito ou alma) então as apresente.

Não decorre da imortalidade da consciência a existência de deus. (Aparentemente, Os cristãos acreditam que o contrário é verdadeiro, ou seja, a existência de deus é explicação para a imortalidade humana).

Até mais,

Cleber

Gigapop disse...

Hauahauhauhauhauhau,
Freud está se divertindo por aqui. Até o Reinaldo deu o ar da graça. Primeiro admitiu que não era psicólogo, depois tentou apagar o rastro com um anônimo olaviano...

Rodrigo,
os carolas estão ficando putos porque vão perder o emprego já, já se vc e os seus leitores continuarem a espancar o obscurantismo deles. Afinal, arrecadar em cima da ingenuidade alheia fica mais autêntico qdo o público alvo é ignorante. Este mercado para os alfabetizados está ficando pequeno e muito concorrido...

Pasmo e petrificado disse...

Meu Deus do céu!....

Finalmente entendi porque os brasileiros, apesar de tudo, preferiram o PT.

Não posso culpá-los de maneira nenhuma por escolherem o socialismo à companhia desse povo das sombras.

Isso daí é o "Iluminismo", é?

Fui.

Anônimo disse...

Reinaldo Azevedo não escreveria com erros de português. Além disso, é muito ocupado para dar palpite em tudo o que aparece na web.

Além disso, acho deselegante da parte do dono do blog permitir comentários que fazem graça com o câncer do Reinaldo!Parece até blog de petista.

Rodrigo Constantino disse...

O comentário sobre a doença do Reinaldo Azevedo foi realmente de extremo mau gosto.

Aliás, há muita poluição no blog, infelizmente...

Rodrigo

Anônimo disse...

Será mesmo deselegante?

Porque o Reinaldo Azevedo pode se referir à Fidel Castro como "Coma Andante" e ninguém pode falar que ele tem câncer?

Só pode xingar comunista?

Uma ova. Quem é preconceituoso tem que levar cacetada no mesmo nível.

Gigapop disse...

E aí Reinaldo, tudo bem?
Como vc já disse, é mais difícil encontrar bons leitores do que bons escritores. Para a sua infelicidade a blogosfera tem alguns bons leitores e vc foi desmascarado por aqui...Mas, no fundo, tudo isso te interessa, não? Esta crítica é mais qualificada que aquela horda de "paga-paus" que vc publica no seu espaço de comentários.

Anônimo disse...

É impossível que aquele lá seja o Reinaldo. Escreve mal demais.

Gigapop disse...

É como batom na cueca...a única alternativa é continuar negando...hauhauhauhauhauhauhua

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Sem xingamentos!

C. Mouro disse...

O "não sou psiquiatra" escreveu:

"Reinaldo e Olavo nunca foram “apparatchiks” em nenhum momento de suas vidas"
e depois:
"Nos numerosos relatos de ambos os jornalistas sobre a época em que eram comunistas, NÃO HÁ NENUM DEPOIMENTO, onde afirmam que “tinham por missão mentir descaradamente”." (mas que argumento brilhante! ...hohoho!)
e ainda:
"ambos eram comunistas convictos porque acreditavam naquela porcaria com sinceridade"
e mais:
"Se um comportamento é “natural” (previsível, portanto) é porque sempre foi assim. Logo, aprendemos com o ‘çábio’ Mouro que o Marxismo nasceu antes do Cristianismo. Ou tem a mesma idade."
e termina com chave de ouro:
"Vai ver é isso mesmo...a esquerda da Igreja (teologia da libertação, frei Betto, padre ‘pajero’ Lancelotti, bispos bandidos do MST) apanha do Reinaldo quase todo dia e ele já pediu a excomunhão dessa gente muitas vezes, mas na lógica mourisca de quatro patas....Reinaldo AINDA SERIA ESQUERDISTA e é pago justamente para descer o pau nos esquerdistas.
Entendi."

...hehehe!
Vamos lá:
Antes devo dizer que o nobre cidadão do focinho desde há muito ralado, ainda o sente arder ...hehehe! Ao que percebo é um meu leitor antigo. Certamente não é psiquiatra, mas com certeza é burro. ...e o seu focinho ainda está ardendo ...hehehe!

O desgraçado apresenta como argumento, contra o que escrevi sobre mentirosos desavergonhados, o fato deles nunca terem escrito que mentiam. Pô, certamente não escreveram tal verdade, afinal ainda continuam mentindo, só que atualmente em nome de outra ideologia.

Porra, nem a esposa do Reinaldo, que partilha de sua intimidade diariamente, pode dizer com certeza se era ou não sincero na defesa do marxismo. No mais, idiotas úteis ou são ignorantes ou oportunistas burros. Ambos demoraram demais para "entenderem do que se tratava". Só isso é o bastante para forte evidência de que são uns farsantes, embusteiros profissionais, aptos a defender qualquer ideologia.

Mas que raio de merda é essa que o tonto escreveu?

"Se um comportamento é “natural” (previsível, portanto) é porque sempre foi assim. Logo, aprendemos com o ‘çábio’ Mouro que o Marxismo nasceu antes do Cristianismo. Ou tem a mesma idade."

Porra! ...essa eu realço e deixo exposta para reflexões. ...hohoho!
Esse sujeito para asno só falta bramir ...hehehe!*

Percebo que é alguém que tem os pés no chão, ressalto que os quatro, quando critica um comentário. ...hehehe! ...mas eu gostaria que ele explicasse, com seu brilhantismo ardente, tal pérola. Também explique por que raios escreveu o natural entre aspas (hummmm! - çábio? - mas é com ou sem aspas? explique isso ...hehehe! ...é muito tonto, parvo no prá lá de depois de úrtimo! ....hohoho!). ...estou realmente interessado em me aprimorar com suas brilhantes explicações. ...hehehe! ...por favor, explique suas alegações. ....hehehe!

Caraca! ...Esse pobre diabo é burro prá cacete!
...aliás, como já antes comentei em vista das escrituras, o diabo é de uma burrice comovente, por isso a expressão "pobre diabo" ...hehehe!

...hehehe! e o traste feichou com chave de ouro o seu comentário ...hehehe! Tirando coisas do próprio traseiro para contruir sua lógica para quatro patas (gostou, não é? sábio de quatro partas ...hehehe!) ...Uma coisa curiosa é que os burros também são safados ...ou será que os safados também são burros?
O fato é que o Reinaldo deve explicação por que malhha a esquerda, ou mesmo o socialismo(?), mas ainda assim é cabo eleitoral do J. Serra e simpatico a tucanalha. Defendeu J. Serra mesmo quando este escancarou no enrabichamento com Lulla.

O também tucano FHC enriqueceu o MST, foram muitos bilhões gastos com o movimento, entre desapropriações e grana viva para os assentados, sendo com juro negativo a parte emprestada. E dizem que FHC é neoliberal (seja lá o que isso possa ser). Aliás, o MST é cria conjunta da ICAR. Diz OC e talvez RA que o cristianismo se opõe ao "comunismo" ou as idéias socialistas, e acusa o ateísmo de lhes ser favorável. Mas, antes de Marx Tinha T. More, e depois, ainda tem os clérigos da ICAR, desde padrecos até cardeais e papas defensores de politicas socialistas e mesmo do marxismo. Aliás, foi a igreja que emprestou seus altares para que tal canalhissima pregação fosse disseminada ladinamente, e mesmo escandfalosamente em muitos casos.

Reinaldo é um oportunista sem escrupulos. Aliás, muito curiosa sua relação com o G. Thomas. Primeiro atacou o traste fazendo referência pejorativa a té a bunda do sujeito. Continuou atacando e agora está "um love só" ..terá RA descoberto que GT é tucano, que também defende J. Serra? ...será isso que fez o sujeito escancarar uma "metamorfose ambulante"? ...esses metammorfoses ambulantes cheios de fé(zes) cambiantes são uns farsantes. ...hehehe!
Logo logo "metamorfoses ambulantes" podem descobrir que o Bin Ladem é que está certo, tendo o descaramento para tornarem-se seus militantes defensores, sem nem corar. Se bastarão dizendo que só agora descobriram a "verdade verdadeira", sem o menor constrangimento em abrir a verborragia ideológica da nova fé.

Abraços
C. Mouro

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Vibrar com a doença de alguém só por ser carola é lamentável.

Rodrigo

Henrique Rossi disse...

Poder-se-ia atribuir com enorme facilidade esse seu texto à um marxista ferrenho, pois seu materialismo é idêntico ao deles.

Você ainda engatinha como pensador.

www.polimatico.com.br