quinta-feira, fevereiro 07, 2008

A Tradição dos Símios


Rodrigo Constantino
“O fato de que a religião pode nos ter servido para alguma função necessária no passado não exclui a possibilidade de que hoje ela seja o maior impedimento para a construção de uma civilização global.” (Sam Harris)

Fiquei sabendo que Olavo de Carvalho comentou um artigo meu em seu último programa ao vivo. Não costumo perder meu precioso tempo rebatendo xingamentos e agressões. Prefiro focar em debates interessantes e construtivos onde posso aprender coisas novas ou mesmo rever meus pontos. Infelizmente, isso quase nunca é possível com Olavo de Carvalho, que prefere ligar uma metralhadora giratória de adjetivos chulos. No entanto, considero útil dedicar algum tempo aqui, não para rebater os ataques pessoais de Olavo, mas sim para explicar melhor meus pontos ao leitor imparcial, já que o “filósofo” ainda consegue manipular muitas mentes desavisadas.

Em primeiro lugar, Olavo faz um patético apelo ao tempo das tradições, ironizando que os judeus devem ficar preocupados porque eu, um ninguém, resolveu questionar suas tradições. Bem, por essa brilhante linha, tudo que for antigo é bom. Só porque um costume sobreviveu por longo período, não se prova que ele deve continuar sendo praticado. Era justamente esse um dos objetivos do meu artigo, tanto que dei como exemplo o hábito dos muçulmanos de não beber vinho, somente por conta de um episódio tolo supostamente ocorrido nos tempos de Maomé. Para Olavo de Carvalho, os seguidores submissos do Islã – que quer dizer exatamente “submissão” – estão certíssimos, pois contam com os séculos da tradição. Eu conto apenas com meu questionamento, o questionamento de um desconhecido qualquer. Meu questionamento me permite degustar dos maravilhosos vinhos. Os muçulmanos, com os seus séculos de tradição, perdem esta oportunidade. Olavo aplaude.

Olavo tentou me ridicularizar por conta do significado do termo “tradição” também. Para ele, eu falava de costume, não de tradição, que teria sua causa claramente compreendida, pois é renovação constante. Como se toda tradição fosse realmente entendida pelos seus adeptos! Vide o caso das católicas que casam de branco, com véu e grinalda, ignorando o detalhe “bobo” da virgindade. Mas bastava ler meu artigo todo – algo que muito provavelmente Olavo nem fez – para saber o que eu estava tentando dizer com o uso do termo. Para ajudar no esclarecimento dos ouvintes de Olavo, aqui vão os conceitos oferecidos pelo dicionário Aurélio:

1. Ato de transmitir ou entregar.
2. Transmissão oral de lendas, fatos, etc., de idade em idade, geração em geração.
3. Transmissão de valores espirituais através de gerações.
4. Conhecimento ou prática resultante de transmissão oral ou de hábitos inveterados.
5. Recordação, memória.
6. E. Ling. O conjunto dos testemunhos, conservados ou desaparecidos, em que se materializou um texto ao longo do tempo.

Como fica claro, várias dessas definições servem exatamente para o sentido que usei no meu artigo. A tradição que coloquei em julgamento foi o ato de transmitir costumes, lendas, fatos, de geração em geração. Os exemplos oferecidos no artigo não deixam margem à dúvida, levando-me a concluir que Olavo criticou o que não leu, já que não acredito que ele seja analfabeto funcional. Bom, resta sempre a opção de desonestidade intelectual, mas melhor não especular sobre isso.

Mesmo depois de se pegar nesse detalhe do sentido da palavra, Olavo não ficou satisfeito, e condenou minha conclusão até mesmo para os casos de simples costumes cegamente seguidos. No exemplo que usei, dos macacos na jaula, Olavo afirmou que os macacos estariam certos, e eu errado. Mas quando foi que disse que uma tradição – ou costume – deve ser ignorada somente por ser uma tradição? Pelo contrário, deixei bem claro no artigo que não era esse o caso, e sim que temos a capacidade de questionar as tradições, para verificar se elas ainda fazem sentido ou não. No caso dos macacos, pode ser que a ducha de água fria fosse sempre usada para quem tentasse pegar as bananas – ou não. O exemplo é amplamente usado justamente para expor o absurdo de fazer algo somente porque todos fazem. Eu não disse no artigo que os macacos sempre levariam a ducha. Eu disse que eles levaram no começo apenas. Olavo acha que os macacos eram mais inteligentes do que eu, pois seguiam um hábito cegamente, enquanto eu perderia algum tempo buscando entender os motivos que levavam os outros a bater nos novatos. Entendo que crentes necessitam de dogmas e que questionar é, para eles, um pecado. Questionar pode levar até mesmo à fogueira, se no poder estiver algum crente fanático. As reações aos meus humildes questionamentos provam o perigo desse fanatismo.

Em resumo, a mensagem do meu artigo era bem clara: não devemos fazer algo somente porque os outros fazem e aqueles antes desses faziam também. Devemos buscar compreender os motivos pelos quais fazemos as coisas. Somente os símios – ou alguns crentes fanáticos – acham maravilhoso repetir um hábito pelo simples fato de que ele foi passado de geração em geração, sem desejar entender se ainda faz sentido racional tal prática. Será que devemos manter a escravidão somente porque ela foi tradicional no passado? Será que a submissão feminina deve ser mantida por ter sido durante tanto tempo um costume comum? Será que adúlteras devem ser apedrejadas por esse hábito ter sido praticado no passado? Os casamentos forçados devem continuar por terem sido uma tradição? As mulheres muçulmanas devem ter seu clitóris cortado em prol da tradição? Índios devem sacrificar crianças aos deuses em nome dos costumes? Judeus devem passar por uma circuncisão sem anestesia somente porque era a tradição? Devemos continuar praticando touradas somente porque são uma tradição? Os indianos devem evitar carne de vaca porque, segundo sua tradição, o animal é sagrado? Os exemplos seriam infindáveis.

Quem tem interesse em disseminar tal comportamento nas pessoas, a obediência cega aos dogmas, a repetição mecânica dos costumes, a crença fanática numa tradição, somente por ser uma tradição? Normalmente, os líderes de seitas, que criam seguidores autômatos, escravos fiéis, membros cegos de um rebanho fanático.

PS1: Olavo ainda comentou a quantidade de coisas que escrevo, como se isso fosse prova da falta de qualidade dos textos. Curioso isso, vindo de alguém que escreve tanto quanto ele e que ainda se diz um filósofo, que deveria focar apenas nos argumentos.

PS2: Em um artigo recente, Olavo escreveu que a doutrina darwiniana coloca o ser humano no “cume da evolução animal”, demonstrando profunda falta de conhecimento sobre o darwinismo. Talvez ele pudesse evitar tais declarações se, em vez de agredir tanto os outros, ele procurasse aprender mais sobre o tema que critica.

95 comentários:

Anônimo disse...

Com Olavo só tem um argumento: "Vai tomar no cu, porrrrrrrrrrrrrrrrrra!"
Ele não é um filósofo, não é um cientista, não é um professor, é só um ex-COMUNISTA fracassado.

Anônimo disse...

"civilização global"?

Marx ia adorar isso...

Augusto Araújo disse...

Ei Constantino, uma vez postei essa história dos macacos lá na comu, teve um comentário achando q eu me referia à esquerda, e eu disse que não, era sobre costumes somente,

agora com essa do Olavo, putz, o cara só pode ser doente, fala sério

abs!

Ricchus disse...

Cada vez mais eu me convenço que Olavo de Carvalho enlouqueceu de vez, e completamente. Em um artigo publicado no Diário do Comércio, dia 4/2/2008, ele afirma que as teorias de Galileu e Darwin não são verdadeiras. “Galileu fez do Sol o centro do universo, e não só do sistema solar. (...) O evolucionismo continua em estado de hipótese discutível”, disse ele.

Aliás, no caso dele, exclusivamente, eu acho que acertou. O Sol não é o centro do universo e sim o próprio Olavo. Darwin também errou com o filósofo, pois Olavo é a prova viva da Involução das Espécies.

Rodrigo Constantino disse...

Traditionalism as an Ideology

"Traditionalism is an ideology which considers loyalty to valuations, customs, and methods of procedure handed down or allegedly handed down from ancestors both right and expedient. It is not an essential mark of traditionalism that these forefathers were the ancestors in the biological meaning of the term or can be fairly considered such; they were sometimes only the previous inhabitants of the country concerned or supporters of the same religious creed or only precursors in the exercise of some special task. Who is to be considered an ancestor and what is the content of the body of tradition handed down are determined by the concrete teachings of each variety of traditionalism. The ideology brings into prominence some of the ancestors and relegates others to oblivion; it sometimes calls ancestors people who had nothing to do with the alleged posterity. It often constructs a "traditional" doctrine which is of recent origin and is at variance with the ideologies really held by the ancestors.

Traditionalism tries to justify its tenets by citing the success they secured in the past. Whether this assertion conforms with the facts, is another question. Research could sometimes unmask errors in the historical statements of a traditional belief. However, this did not always explode the traditional doctrine. For the core of traditionalism is not real historical facts, but an opinion about them, however mistaken, and a will to believe things to which the authority of ancient origin is attributed." (Mises)

Fênix disse...

muito bom

Anônimo disse...

Caro Rodrigo,não se preocupe com o Ovalo não. Essa questão de macacos e Ca e Ovalo é apenas uma possibilidade de se juntar o famoso valo com o ions calcio. Assim ficaria mais ou menos isso: Ca + valo==>Cavalo.

Jeová disse...

Olavo não sabe argumentar. Isso é ruim porque, muitas vezes, quanto mais certo ele está, mais errado ele parece estar. (O que não foi o caso dessa vez)

ricchus disse...

Se tem uma coisa imperdoável é a covardia, principalmente quando alguém foge de uma situação que ele mesmo criou. Pior ainda é, em nome dessa covardia, inventar teorias que a justifiquem. Mas o pior de tudo ainda é querer faturar algum defendendo tudo isso.

Olavo de Carvalho está pedindo dinheiro, oficialmente, desde 20 de junho de 2006, quando lançou um apelo patético desde seu refúgio em Richmond, na Virginia (EUA), para que o ajudem a “informar ao maior número possível de jornalistas, intelectuais, empresários e políticos americanos a verdade sobre o estado de coisas no Brasil, a abrangência dos planos do Foro de São Paulo, a aliança entre partidos de esquerda e organizações criminosas, a colaboração ativa e essencial do governo Lula na revolução continental cujas personificações mais vistosas são Hugo Chávez e Evo Morales”.

Eu não acredito que Olavo tenha recebido alguma ameaça tão grave assim que o obrigasse a se refugiar nos Estados Unidos, como ele sempre deu a entender, mesmo porque a sua importância político-socio-cultural é tão restrita que não justificaria alguém perder tempo com esse tipo de coisa. Mas, supondo que a coisa tenha sido séria, além da covardia, é de uma falta extrema de patriotismo sair do Brasil com o propósito de achincalhar, não só o governo, mas também o país e o seu povo.

Ele pode até estar certo - e acredito que esteja em grande parte - em suas afirmações sobre “o estado de coisas no Brasil”, mas, ao fugir para pedir ajuda ao Tio Sam ou a quem quer que seja, expondo as mazelas que só a nós compete resolver, ele mostra toda sua covardia além do seu desamor ao país.

Ricchus disse...

E quanto a Mises, faz tempo que as opiniôes do Olavo não fazem mais sentido, principalmente quanto a fatos históricos onde haja pelo menos uma leve influência judaico-cristã.

Marisa disse...

Caro Rodrigo

Sinceramente, lastimo esse clima não amistoso entre você e o Olavo de Carvalho. Ambos me parecem intolerantes, um com o outro. Um atira uma pedra daqui, o outro devolve de lá, e quem sai perdendo são os leitores de vocês. Um debate sério, sem agressões, com respeito e honestidade intelectual, onde vocês se prendessem ao tema, sem se preocuparem com erros de português e outras banalidades, seria extremamente interessante e proveitoso para todos.

Considero o Olavo de Carvalho inteligente, culto, com boa lógica e bons argumentos e com opinião discordante da sua em muitos pontos. No tema religião, gosto da postura dele quando defende certas verdades sobre a Igreja Católica, que muitos, que se autodenominam ateus, não reconhecem. Apesar de eu não ser católica, não deixo de reconhecer o papel da Igreja Católica na unificação e definição do mundo Ocidental e até na sua importância cultural. Não gosto de crentes cegos, mas também não gosto de ateus cegos. Coloco ambos no mesmo nível.

É lógico que não concordo com tudo o que Olavo Carvalho escreve, mas não posso deixar de reconhecer o seu valor como contraponto e como voz quase isolada em relação a muitos assuntos. Considero essencial o seu papel de discordante, como aquele que cria dúvidas, que questiona, que critica. Penso que ele é prejudicado por ser agressivo e usar de palavrões. Se ele conseguisse ter um comportamento mais equilibrado ele seria muito mais respeitado e muito mais ouvido.

Marisa disse...

Concordo que as tradições devem ser questionadas. Tradições ultrapassadas, que prejudicam as pessoas, que perderam o sentido de ser, que produzem atrasos, que impedem o progresso, devem ser banidas.

Porém, não podemos deixar de reconhecer o papel de unificação de um povo exercidas pelas tradições. Consideremos o povo judeu, um povo sem pátria, espalhado pelo mundo. Por que os judeus não desapareceram, não foram absorvidos por outras culturas? Os judeus não sumiram porque eles preservaram as suas tradições, porque eles as consideram importantes, porque dão valor a elas.

As tradições ligam as pessoas. Considere os brasileiros que moram no exterior. Eles não mantêm as nossas tradições e costumes? Eles seguem a religião católica, jogam futebol, fazem carnaval, comem arroz e feijão, feijoada, tomam cachaça, as moças casam-se de branco, usam aliança na mão esquerda, e assim por diante. É claro que não temos tradições tão antigas e marcantes quanto as do povo judeu ou dos japoneses, mas já temos algumas, que nos identificam, onde quer que estejamos. Mesmo que as tradições não tenham lógica, ou explicação, mantê-las é uma forma de dar identidade e união a um povo. É lógico que estou falando de tradições que não sejam prejudiciais.

ricchus disse...

O valor do Olavo como contraponto já foi dado e até superestimado, mas assim como as tradições não são necessariamente verdades, tampouco o isolacionismo é credencial de lucidez.

Há uma distância muito grande entre esse Olavo boquirroto de hoje e o Olavo de uns dez ou quinze anos atrás. O Rodrigo talvez concorde comigo.

Aprendiz disse...

Rodrigo Constantino

É interessante que você, no primeiro artigo coloca a defesa da tradição como se fosse um defesa do imobilismo. Todas as tradições se movem (embora algumas, com excessiva lentidão). Portanto, você ataca um boneco de palha.

E Olavo está certo, as mudanças devem ser feitas com extremo cuidado, a troca de algo que funciona por algo não testado é perigoso, e mudanças revolucionárias tem sido a maior causa de morte, escravidão e destruição na história da humanidade; desde a revolução francesa tem sido assim. Se fossem ouvidos os reformistas, uma página sangrenta da história francesa poderia ter sido evitada. Mudanças muito mais importantes ocorreram na Inglaterra, sem violência nem crime. Quanto ao marxismo, sua história criminosa (a mais criminosa de todas) deveria horrorizar a todos.

Portanto, considero que qualquer mudança deve ser feita com humildade e temor, sabendo que nossa inteligência limitada não permite uma reengenharia geral da sociedade e do ser humano, e que toda tentativa nesse sentido sempre resultou em catástrofe. Toda e qualquer mudança deve ser feita um passo de cada vez, com grande espírito crítico e atenção a qualquer sinal de que algo ocorreu diferente do previsto.

E finalmente, mas não menos importante, toda mudança deve ocorrer por debate aberto e com grande respeito pelo consciência e opiniões individuais das pessoas.

Grato pela atenção.

ricchus disse...

Fica estabelecida aqui, então, a criação das tradições moventes. Comovente. E fica também determinado que essas tais tradições moventes têm que ser obedecidas, assim como seus passos de cágado, têm que ser acompanhados sob pena de... de quê mesmo?...

Fica também claro que, qualquer ser que esteja no “cume da evolução animal” não pode mais raciocinar com rapidez, principalmente se for contra uma tradição. Estabelece-se aqui a retroação de todos os postulados, descobertas, invenções, criações e teorias que contradigam a tradição. Vamos todos ser contra a contracepção, o aborto, a eutanásia, a masturbação, o heliocentrismo, o evolucionismo e tantos outros “modernismos” que vão contra as tradições.

Por fim, fica decidido pelas tradições, que a nossa morte será no pasto.

ricchus disse...

Falando em tradição, o que será que os tradicionalistas têm a falar sobre o velório? É uma tradição? Com certeza, mas, como todos os daqui devem saber, ele foi incorporado ao rito do funeral católico na Idade Média, em função dos problemas causados pelos utensílios de estanho - usados pelos ricos para comer e beber - que provocam uma espécie de catalepsia, que era confundida com a morte. Como muita gente, em função do problema, foi enterrada viva, resolveram dar um tempo hábil para que o morto se manifestasse ou não. Ah, sim!, e a partir daí, as flores jogadas no defunto passaram a servir de disfarce para a fedentina. Será que essas tradições são razoáveis nos dias de hoje?

Conservador. disse...

O senhor Constantino, mais uma vez, não sabe nem criticar textos alheios. Olavo de Carvalho nunca disse que alguém deve seguir a tradição literalmente, e sim que, da mesma forma que a tradição não é necessariamente ruim, essa culto tolo da modernidade soa de uma perversidade tão notória. O Sr. Constantino não percebe que seu ódio irrefletido pela tradição cai na mesma contradição, quando cultua o futuro como algo superior: se o tradicionalista peca pelo culto ao passado, o progressista não peca pelo culto ao presente? Por outro lado, cultivar os valores da cultura judaico-cristã implica avaliar seus prós e contras e mesmo seu status quaestionis, ou seja, um assunto que é discutido há séculos ser avaliado pelos prismas que já foram debatidos. Por outro lado, Constantino nota ignorar completamente o que já foi estudado e herdado do judaismo e do cristianismo e se presta a falar sobre cartilhas mastigadas de ateus militantes, fazendo que nem um macaco de jaula. Sr. Constantino, ao invés de vc criticar tradições, valores e uma cultura histórica que, certamente vc ignora, vá estudar! O sr. não sabe ao menos criticar uma idéia. Vc critica aquilo que o Olavo nunca disse e engana seus leitores.

anarco-plantão disse...

A tradição? Ah, a tradição. Enfiem a tradição no cu.

Direitista disse...

“O fato de que a religião pode nos ter servido para alguma função necessária no passado não exclui a possibilidade de que hoje ela seja o maior impedimento para a construção de uma civilização global.” (Sam Harris)

Eu pergunto ao idiota do Harris e do Constantino qual "civilização global" será feita às custas do cristianismo e do judaísmo? A cartilha da ONU, sua besta quadrada?

HOhohohoh disse...

"A tradição? Ah, a tradição. Enfiem a tradição no cu".

Quando alguém chamar sua mãe de prostituta, vc não vai reclamar, pq é uma posição tradicional das mães serem respeitadas! Tradição? Sua mãe que vá tomar no cu!

Marisa disse...

ATENÇÃO!

EU PEÇO AOS RAPAZES QUE SEJAM MAIS RESPEITÁVEIS E CIVILIZADOS, SE QUISEREM QUE EU CONTINUE COLOCANDO COMENTÁRIOS POR AQUI. NÃO HÁ NECESSIDADE DE PALAVRAS AGRESSIVAS PARA SE CONTRAPOR A UMA OPINIÃO. BASTA BONS ARGUMENTOS. VOCÊS TÊM BONS ARGUMENTOS?

Anônimo disse...

Tem gente aí que respeita a mãe apenas porque considera isso uma tradição, rsrs. Se a tradição fosse cuspir na cara dela lá estaria o hohohohoho cuspindo na cara da sua mamãezinha...

Esse direitista é burro. Quem disse que uma civilização global vai ser feita às custas do cristianismo e judaísmo?

As religiões não devem ser um entrave à civilização global, que poderá ser construída apesar do judaísmo, cristianismo, hinduísmo, islamismo, etc.

Ninguém quer exterminar as diferenças, obrigar um cristão a deixar de ser cristão. Contudo, espera-se que o católico não queira transformar em leis para todos aquilo que é importante apenas para os católicos.

"SE QUISEREM QUE EU CONTINUE COLOCANDO COMENTÁRIOS POR AQUI"

Gritar em caixa alta também é falta de respeito. E que diferença faz você comentar ou não?

fulano de tal disse...

"SE QUISEREM QUE EU CONTINUE COLOCANDO COMENTÁRIOS POR AQUI"

Essa tonta só faz ameaçar.

DISPARA,PUXA O CARRO,PEGA A MANGA DO MEIO,PEGA A RETA...

Ninguém aqui vai se matar.garanto.

ricchus disse...

Realmente esse blog mudou e para muito pior. O nível dos debatedores está de dar dó. É uma pena que textos tão bons e instigantes como os do Rodrigo, se percam entre a baixaria e a mediocridade dos comentaristas. Tirando uma ou outra argumentação pertinente, o resto se limita a inserções sugerindo outros tipos de inserções não muito recomendáveis. Em um mesmo nível, aparecem as olavetes que, na falta de argumento melhor, dizem amém ao seu mestre mandando Rodrigo estudar.

A coisa tá preta, mas ainda bem que o dono do blog, que realmente sabe o que escreve e o faz por prazer, não dá mostras de cansaço no meio de tanta falta de compreensão.

André Barros Leal disse...

muito bom o artigo, Rodrigo.

Eu concordo com tudo que voce disse. Tradições existem em todas as culturas, porem cabe à MENTE do ser humano o seu questionamento. Acatar tradiçoes e costumes cegamente mostra apenas um grau de ignorância e uma pré-disposicão ao controle.

É o questionamento que nos leva a evoluir como espécie e até espiritualmente. É o questionamento que nos leva a não acatar ordens estúpidas.

Jeová disse...

"Olavo de Carvalho nunca disse que alguém deve seguir a tradição literalmente, e sim que, da mesma forma que a tradição não é necessariamente ruim, essa culto tolo da modernidade soa de uma perversidade tão notória."

SE Olavo de Carvalho disse isso, então ele simplesmente concordou de cabo a rabo com o artigo do Constantino e pensa que discordou.

---------------------------------

Acho que o grande problema dessa briga entre Constantino e Olavo foi a falta de educação e de paciência* do Olavo no começo do debate, que acabou deixando o Constantino com raiva. A partir daí, um começou a interpretar mal o outro e vice-versa.

* Em vez de mostrar para o Constantino, pessoa que ele conhecia e que publicava já havia publicado no MSM, que ele estava errado, Olavo procurou humilhar o Constantino, como se este fosse um Emir Sáder ou coisa parecida. No "debate", Olavo lembrava mais o Conde, sua caricatura.

Direitista disse...

"Tem gente aí que respeita a mãe apenas porque considera isso uma tradição, rsrs. Se a tradição fosse cuspir na cara dela lá estaria o hohohohoho cuspindo na cara da sua mamãezinha..."

O idiota ainda não percebeu que não é pelo fato de ser tradição que a coisa é boa ou ruim? ALiás, o tradicionalista não nega as reformas, mas apenas confia na experiência, em detrimento das visões hipotéticas. Que carinha burrico, meu Deus do céu!




"Esse direitista é burro. Quem disse que uma civilização global vai ser feita às custas do cristianismo e judaísmo?"

Ora, burrico, não é isso que Harris está dizendo na frase? Só pode haver uma civilização global se as tradições milenares do judaísmo e do cristianismo sejam negadas em favor de uma moralidade biônica.



"As religiões não devem ser um entrave à civilização global, que poderá ser construída apesar do judaísmo, cristianismo, hinduísmo, islamismo, etc".

E elas nunca foram, até pq precisamente por causa delas que muitas civilizações globais foram construidas, burrico. Ou vc acha que o cristianismo agrupar um bilhão de pessoas e o islamismo outros um bilhão não é uma forma de globalizar-se?



"Ninguém quer exterminar as diferenças, obrigar um cristão a deixar de ser cristão. Contudo, espera-se que o católico não queira transformar em leis para todos aquilo que é importante apenas para os católicos".

Nem mesmo os católicos têm essa intenção. A única coisa que os católicos prezam, e estão corretos nisso, é que determinados valores morais não dizem respeito aos católicos, mas a todo mundo, como o direito à vida, ser contra a eutanásia, etc.

Direitista disse...

"Realmente esse blog mudou e para muito pior. O nível dos debatedores está de dar dó. É uma pena que textos tão bons e instigantes como os do Rodrigo",

Realmente seu nível de leitura está muito baixo para achar que os textos do Constantino são bons. São apenas resenhas, plágios de idéias alheias, e expostas de forma vulgar e pueril. O cara nunca estudou nada do judaismo, do cristianismo e mesmo do islamismo para repetir frases feitas. O cara só lê, partindo de opinião de terceiros, e não das próprias fontes. Isso é ser um bom autor?





"se percam entre a baixaria e a mediocridade dos comentaristas".



O baixo nível intelectual e a desonestidade do Constantino foram muito bem retratados pelo Olavo na série "o homem de mim". Um sujeito que usa de artificios retóricos tão baixos como o sr. constantino não merece respeito de ninguém. Aliás, ele até virou marginal depois daquela história.




"Tirando uma ou outra argumentação pertinente, o resto se limita a inserções sugerindo outros tipos de inserções não muito recomendáveis".

O Constantino devia fazer uma coisa, que é o melhor que sabe fazer: escrever rascunhos de economia, ao invés de falar de uma área que mostra completa ignorância. Mas o molequinho é presunçoso. Mal levou uma surra do Olavo e do conde, e ainda não se manca em falar asneiras.


"Em um mesmo nível, aparecem as olavetes que, na falta de argumento melhor, dizem amém ao seu mestre mandando Rodrigo estudar".

Se o moleque é ignorante nos assuntos que escreveu, que conselho devemos dar ao Constantino? Mas vc é uma cópia do seu mestre mirim: não rebate, foge do foco da questão e no final fica com essa pose de educadinho fresco, quando na verdade, é pra fingir e disfarçar a falta de conhecimento.

"A coisa tá preta, mas ainda bem que o dono do blog, que realmente sabe o que escreve e o faz por prazer, não dá mostras de cansaço no meio de tanta falta de compreensão".


Constantino passou maiores micos, já que desconhecia até detalhes pertinentes do islão. Ele mesmo pagou um maior mico com o Conde na comunidade da Economia Brasileira, quando quis falar de Thomas Morus e o conde demonstrou que ele nem tinha lido a obra. Esse é o Constantino: ele fala mal das religiões e nunca as estudou. Basta um analfabeto como ele ler algumas leiturinhas pseudo-ilustradas do Iluminismo e ele acha que vai derrubar tradições milenares. Mas como dizia o Olavo, deve ser bastante "cientifico" ao COnstantino, parafrasear VOltaire, ao afirmar que os judeus são um povo de ladrões. O cara não tem a menor consciência do vexame que passa. Mas ele está afundando. ..

Rodrigo Constantino disse...

Conde, ou Leonardo Bruno, seja ao menos HOMEM para escrever suas imbecilidades assinando embaixo, em vez de assinar como Direitista!

Vc foi desmascarado na comunidade Economia Brasileira, realmente HUMILHADO várias vezes por mim.

Se toca! Procura ajuda psiquiátrica, já te aconselhei.

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

Ah sim, se vc tentar MENTIR uma vez mais que chamei os judeus de "povo de ladrões", tirando meu artigo TOTALMENTE do contexto, vou apagar sua mensagem, seu mentiroso safado!

Esse Conde é um doente mental. E pensar que o grande sonho dele é escrever no MSM, que eu QUIS SAIR! hehe

Rodrigo

Anônimo disse...

Acho que direitistas, liberais ou conservadores, deveriam se unir contra a quadrilha esquerdista que assolam o Brasil há mais de cinco anos.

ricchus disse...

Seu direitista, ou seja lá que diabo for:

Se você acusa o Rodrigo de resenhas ou plágios, o que dizer de você, que me chama de imbecil mas usa um texto meu para poder aparecer?

Cresce e aparece.

ricchus disse...

Não acabei.
Você é a prova real do que eu afirmei, só que reune todos os medíocres em uma só pessoa.

ricchus disse...

E passemos a uma outra página porque as olavetes estão em fúria.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

"Traditionalismus ist eine Ideologie, die Treue zu der Auffassung, Bewertungen, Zoll, Verfahren und Methoden der Hand oder angeblich Vorfahren, die von richtig und zweckmäßig. Es ist nicht ein wesentliches Zeichen der Traditionalismus, dass diese Vorfahren waren die Vorfahren in der biologischen Bedeutung des Wortes oder können als solche fair, sie waren manchmal nur die früheren Bewohner des betreffenden Landes oder Anhänger der gleichen religiösen Bekenntnisses oder nur in Vorläufer Die Ausübung der speziellen Aufgabe. Wer wird als Vorfahre und was ist der Inhalt des Körpers der Tradition überliefert sind, die durch die konkreten Lehren von jeder Sorte von Traditionalismus. Die Ideologie in den Vordergrund bringt einige der Vorfahren und verweist auf andere Vergessenheit; es manchmal fordert Vorfahren Menschen, die hatte nichts zu tun mit der angeblichen Nachwelt. Oft baut eine "traditionelle" Doktrin, die sich der jüngsten Ursprungs ist und im Einklang mit den Ideologien wirklich im Besitz der Vorfahren.

Traditionalismus zu rechtfertigen versucht, seine Lehren durch Zitate aus der Erfolg gesichert sie in der Vergangenheit. Ob diese Behauptung den Tatsachen entspricht, ist eine andere Frage. Die Forschung könnte manchmal enttarnen Fehler in der historischen Aussagen des traditionellen Glaubens. Allerdings ist diese nicht immer explodieren, die traditionelle Lehre. Für den Kern des Traditionalismus ist nicht wirklich historischen Fakten, sondern eine Meinung über sie, aber irre, und den Willen, zu glauben, die Dinge, auf die die Autorität des antiken Ursprungs zurückzuführen ist. "(Mises)

Viu só como sou "intelectual"? ops!"geistiges"

"IDÉIAS' DE UM PENSADOR(hahahaha)independente e libertário"

b52 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Vou começar a exigir ARGUMENTOS nos posts! Está demais assim.

Rodrigo

Catellius disse...

Direitista parvo,

Concordo com o Anonymous das 6:14 PM. Harris escreveu (negrito meu): “O fato de que a religião pode nos ter servido para alguma função necessária no passado não exclui a possibilidade de que hoje ela seja o maior impedimento para a construção de uma civilização global.”

Você, por sua vez, deturpou o que ele escreveu (negrito meu): “Eu pergunto ao idiota do Harris e do Constantino qual ‘civilização global’ será feita às custas do cristianismo e do judaísmo?”

Foi você que disse isso, não o Sam Harris. Então acho que você é o burro por aqui. Eu dizer que a Igreja Católica é, em alguns países africanos, um impedimento à profilaxia da AIDS significa, porventura, o mesmo que dizer que a profilaxia da AIDS deve ser feita às custas da Igreja Católica? Você, para asno, só faltam os olhos.

--//--

Anonymous disse: As religiões não devem ser um entrave à civilização global...”

Direitista respondeu: “E elas nunca foram, até pq precisamente por causa delas que muitas civilizações globais foram construidas, burrico. Ou vc acha que o cristianismo agrupar um bilhão de pessoas e o islamismo outros um bilhão não é uma forma de globalizar-se?”

????? Minhanossasenhoradaabadia!!! “Muitas civilizações globais”? Ho ho ho! Que parvo! Nunca houve uma civilização global. O islamismo nunca foi global, o cristianismo (um bilhão só no catolicismo, caro desinformado) nunca foi global, tampouco o budismo e o hinduísmo.
E usa-se o termo “civilização ocidental”. Embora tenha muito do judaísmo e cristianismo, nossa civilização é principalmente greco-romana. Da civilização clássica vieram nossas artes visuais (escultura, principalmente), os grandes poemas, tragédias, o direito, a democracia, a república, a arquitetura (até o séc. XIX era essencialmente clássica, exceto pelo gótico), a língua, a filosofia, a ciência ocidental, o politeísmo católico com seu panteão de santos com atributos análogos aos que já tiveram as divindades greco-romanos. Uma civilização pode agrupar diversas religiões e também grupos não religiosos.
Enfim, o fato de religiosos serem um impedimento para alguma coisa, não significa que tal coisa deva ser feita às custas deles. Vá aprender interpretação de texto, seu analfabeto de merda.

--//--

“A única coisa que os católicos prezam, e estão corretos nisso, é que determinados valores morais não dizem respeito aos católicos, mas a todo mundo, como o direito à vida, ser contra a eutanásia, etc.”

Então por que os católicos, por referendo, aprovaram o aborto em Portugal? Ué, na terrinha da Virgem de Fátima – daquela que saltitava por azinheiras e maravilhava os ignorantes - a maioria absoluta é católica, não? Quem são “os” católicos? Por acaso os líderes católicos? Porque o Brasil, onde um milhão de pessoas foram assassinadas nos últimos vinte anos, é o maior país católico do mundo, não? Então não me venha falar em “os” católicos. Nem me venha com “doutrina católica”, porque a Igreja de Roma tolerou a prática do aborto até Pio IX, no séc. XIX. Ele era formalmente permitido nas primeiras semanas de gestação. A autorização foi formalizada no Concílio de Viena (portanto sob inspiração do Espírito Santo, ho ho ho), baseada em textos também “inspirados” de Tomás de Aquino. Até Pio IX, os papas tinham exército e se metiam em guerras fratricidas, como a contra Vítor Emanuel, há uns 150 anos. A “defesa pela vida” veio quando a Igreja perdeu, em muitos países, o canal direto com os governos (bons tempos do cujus regio, ejus religio). Passou a “cuidar melhor” do seu rebanho votante (embora a democracia tenha sido condenada por Pio IX, o da infalibilidade papal) para assim poder negociar melhor com os governos (vulgo chantagem).
Quem parece gostar de aborto é a ICAR; ela precisa de um tema polêmico para aparecer, para posar de defensora incondicional da vida.
Se os países onde foi legalizado o aborto - dentro de determinadas regras, claro - gostassem de aborto, se grande parte de sua população fosse favorável ao aborto (mentira; as pessoas são favoráveis à legalização, à despenalização), voltariam a proibi-lo, porque o número de abortos quase sempre cai após a legalização. Por quê? O problema passa a ser visto de frente, as mulheres podem receber melhor orientação em hospitais, podem evitar um segundo aborto mediante o uso de métodos contraceptivos, podem desistir de abortar após palestras, etc.

Esta reportagem diz tudo:

“ABORTION DECLINES WORLDWIDE,
FALLS MOST WHERE ABORTION IS BROADLY LEGAL
Eastern Europe Sees Most Significant Decline,
First Global Review Since 1995 Shows...” Clique aqui para ler mais.

--//--

O Constantino devia fazer uma coisa, que é o melhor que sabe fazer: escrever rascunhos de economia, ao invés de falar de uma área que mostra completa ignorância.”

Típico, he he he. Religião não se discute... “Completa ignorância”... Estes parvos é que não conhecem a doutrina de suas fezes (plural de fé). Poucos católicos conhecem, na verdade. O Reinaldo Azevedo acha que Imaculada Conceição é Maria ter engravidado virgem, quando o termo se refere a ela ter nascido sem o tal Pecado Original. O Olavo é um gnóstico barato (ver discussão que ele teve com o católico taliban Orlando Fedeli), o Olavo é astrólogo profissional, que escreveu bem recentemente (no ano de 2000, acho) que quem não estudou astrologia não estudou nada e portanto é um estúpido.

Pergunto, Direitista, você estudou astrologia? Não? Então você não estudou nada, você é um estúpido! E não é minha opinião mas a do seu estúpido Guru. É a opinião do merda do Olavo de Carvalho!

“Esse é o Constantino: ele fala mal das religiões e nunca as estudou. Basta um analfabeto como ele ler algumas leiturinhas pseudo-ilustradas do Iluminismo e ele acha que vai derrubar tradições milenares.”

Lá vem o estulto a defender “tradições milenares”. O que estúpidos como esse Direitista querem é que tratemos suas bobagens como algo sacrossanto. Ora, se a Vixi Maria deu para a Pomba e meteu chifres em José, isso é sagrado apenas para vocês. Ameaçam, ladram, porque “religião não se discute”... E dizem que os críticos não conhecem a religião, não conhecem a novilíngua teológica e portanto não podem criticar, he he. Como se precisasse ser teólogo para poder criticar as estultices que os líderes religiosos e seus rebanhos bovinos excretam por aí em alto e bom som...
Derrubar tradições milenares? Pfff... Basta que falem mal aqui e acolá, que façam charges de Maomé e de suas estúpidas virgens no paraíso, basta isso para que absurdidades como a hóstia ser pão mas na verdade ser carne, literalmente, virem mitologia barata para o senso comum. É por isso que a maioria dos católicos não acredita em muitos dogmas de fé de sua religião. Porque a liberdade em que vivemos permite que qualquer um denuncie mentiras sem temer ir para a fogueira por causa disso. Um clima de ceticismo é saudável até para os crentes, que ficarão cada vez menos bovinos, cada vez menos a mercê das sandices dos “representantes divinos”...

Catellius disse...

Errata:

Eu escrevi: "Pergunto, Direitista, você estudou astrologia? Não? Então você não estudou nada, você é um estúpido! E não é minha opinião mas a do seu estúpido Guru. É a opinião do merda do Olavo de Carvalho!"

Na verdade você é estúpido também na minha opinião, he he he, mas por motivos diversos.

ricchus disse...

Bom, eu não achei a tal entrevista que o Olavo desanca o Rodrigo, mas ouvi pérolas do “filósofo”, dignas de registro: “o islã enquanto religião...”, “deus enquanto onipotência, deus enquanto inteligência...”.

Parece que o cara está adotando agora a liguagem televisiva matutina do “fulano, enquanto ser humano”. Aliás, bem que ele podia fazer um bico de astrólogo no programa Ana Maria Braga pra levantar o dinheiro que ele anda pedindo.

Olavo enquanto Olavo é uma piada.

PS: Quem é esse Yuri Vieira que serve de escada para Olavo? Powtz!, lamentável.

Marisa disse...

"Vou começar a exigir ARGUMENTOS nos posts!"

Rodrigo, eu acho que você já deveria ter feito isso há muito tempo.

É desestimulante fazer comentários num blog onde as pessoas se tratam por "idiota", "burro", "imbecil", "parvo", e outras coisas ainda piores, simplesmente porque as pessoas divergem em opinião.

E o espantoso é que se discute religião, primitivismo e ignorância. Entre os primitivos, rudes e ignorantes é que se espera um tratamento chulo, não entre pessoas civilizadas, que pretendem ensinar e convencer as pessoas com as suas idéias avançadas. Um tratamento respeitoso, com argumentos inteligentes, interessantes e convincentes, somente acontece entre pessoas de alto nível. Combater a ignorância com ignorância é uma incoerência que desqualifica o debatedor.

Rodrigo, eu espero que essa sua regra seja aplicada não somente para os seus inimigos, mas também para os seus amigos.

Marisa disse...

APRENDIZ

"considero que qualquer mudança deve ser feita com humildade e temor, sabendo que nossa inteligência limitada não permite uma reengenharia geral da sociedade e do ser humano, e que toda tentativa nesse sentido sempre resultou em catástrofe."

Isso não é verdade. Dentro do próprio cristianismo houve supressões de tradições importantes, como a eliminação da circuncisão, que trouxe como conseqüência um grande afluxo de pagãos e judeus para o cristianismo.

Tradições inúteis e nocivas podem ser quebradas por imposição do Estado. No Brasil, por exemplo, as brigas de galo, que já foram tradicionais, acabaram sendo proibidas. Na Espanha, se as autoridades quisessem, as touradas se acabariam de um dia para o outro. Os Estados, com as suas leis e forças controladoras, podem destruir tradições milenares em pouco tempo.

Jeová disse...

"Nem me venha com “doutrina católica”, porque a Igreja de Roma tolerou a prática do aborto até Pio IX, no séc. XIX. Ele era formalmente permitido nas primeiras semanas de gestação. A autorização foi formalizada no Concílio de Viena (portanto sob inspiração do Espírito Santo, ho ho ho), baseada em textos também “inspirados” de Tomás de Aquino."

Catellius, tem fontes ?

Jeová disse...

Catellius, não consegui conter minha curiosidade e dei uma procurada. Já encontrei fontes que confirmam o que você disse. De qualquer forma, se quiser, pode colocar algum link.

Marisa disse...

Eu ouvi o Olavo Carvalho e o achei divertidíssimo. Ri muito com ele. Por favor, não estou querendo dizer que ele fale bobagens, não é isso, mas eu ri com o senso de humor dele. Ouvi o argumento dele e li o do Rodrigo. Acho que, em parte, os dois têm razão.

Se os macacos fossem homens, a história do choque, mesmo que não fosse mais aplicada, acabaria virando uma lenda contada de geração para geração e os homens que ouvissem a história teriam medo de subir a escada. Acabaria virando uma tradição com fundamento, esse fato de não subir as escadas. Esse é o ponto de vista do Olavo.

Porém, se alguém questionasse a tradição e experimentasse subir as escadas e não acontecesse nada, ele poderia mostrar para os outros que a tradição não tinha sentido e que deveria ser abandonada. Assim pensa o Rodrigo.

Por que as pessoas não sobem as escadas? Por que têm medo do que possa lhes acontecer, caso a lenda seja verdadeira. Por uma questão de precaução é que as pessoas mantêm a tradição.

No caso das religiões é assim também. As pessoas não querem questionar os dogmas porque elas têm medo: “e se eles forem verdadeiros?” Por via das dúvidas, é melhor se prevenir e acreditar que existe um Deus antropomórfico, onisciente e tudo mais.

O que me intriga no Olavo é que ele tem uma visão tão cética, tão questionadora, tão crítica em relação à política, porém, em relação à religião ele é justamente ao contrário. Por que essa incoerência? Seriam bloqueios e temores adquiridos em tenra idade que coloca a religião como um tabu?

Rodrigo, se você quiser entender os religiosos você terá de estudar também psicologia.

Sérgio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Eu já avisei que comentários sem argumentos, apenas xingando, serão apagados agora.

Um tal de Sérgio, olavete, veio xingar e afirmar que escrevo sobre religião apenas para ganhar destaque debatendo com o Olavo. Que coisa patética! Só fui comentar sobre Olavo agora, depois que ELE me citou num programa. Olavetes são assim mesmo: invertem TUDO!

Escrevo sobre religião PELO MESMO MOTIVO que escrevo sobre o socialismo, para mim uma outra seita religiosa, coletivista, autoritária. Conviva com isso, olavete. E não venha aqui só para xingar, pois será apagado. Se quiser ARGUMENTAR algo, be my guest.

Rodrigo

Sérgio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Bom, seguindo o aviso, estou apagando os comentários sem argumentos, apenas com o intuito de poluir ou agredir.

Conde, que é um perturbado mental, não terá oportunidade de poluir esse blog. SE for educado e se limitar a ARGUMENTAR, sem problemas. Se for o que ele sempre é, será apagado. Simples assim.

Meu blog é um espaço para DEBATES sobre meus artigos. Deixo os crentes mostrando sua irracionalidade pois isso é útil. Nada melhor que deixar um comunista ou crente falar. Mas tem limite, pois polui demais, e afasta aqueles que querem debater seriamente.

Rodrigo

Antonio Augusto Carvalho disse...

Usando o Aurélio? Quá quá quá!!!
Aquilo não é dicionário!!! O troço foi gerido pela mulher dele depois de sua morte e a dita, de dicionário, não entendia nada! Foi feita de boba pelo editores e continua aí "servindo de fonte"???
Larga desta meu... Tu, com o Aurélio, não vai bater o Olavo nunca!

ixxihbw disse...

O sr. Rodrigo Constantino tem invariavelmente apagado todos os comentários que deixo aqui, usando o argumento de que estou "xingando" e "agredindo".
É difícil imaginar xingamentos piores do que os que tenho lido aqui, cujos termos chulos não me sinto bem repetindo.
Um bom exemplo é o comentário de um tal de anarco-plantão das 5:00 (podem conferir). O comentário não foi apagado pelo Constantino e o único motivo de não tê-lo feito só pode ser porque defende o seu próprio ponto de vista, entretanto o cidadão não poderia ter sido mais agressivo.
Não creio que isso seja uma postura de quem se diz um "pensador libertário".
Seja coerente sr. Constantino, o que questiono em seu post, é o que muitos questionam aqui: a sua implicância com as religiões e as tradições apenas como um meio de chamar a atenção das pessoas para o seu blog.
O que você tem escrito não faz muito sentido. Parece uma colcha de retalhos de escritos ateístas em geral, que mudam um pouco de aparência, mas que no fim quer dizer uma única coisa: seu ódio aos religiosos em geral.
Não adianta querer afirmar que tudo o que você diz é resultado de um apurado senso de racionalidade e cientificidade. O que lhe domina é pura emoção mesmo. Não existe racionalidade no ódio.
Pode apagar novamente, confirme quem você é.

Abraço,
Sérgio

Rodrigo Constantino disse...

Sérgio,

Deixarei esse seu comentário aqui como PROVA de que vc não tem argumentos.

Se xingar, será apagado.

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

Em tempo:

"Não existe racionalidade no ódio."

Eu defendo a liberdade e, portanto, luto contra seus inimigos. Nesse sentido, e apenas nesse sentido, eu "odeio" os fanáticos religiosos, que são mesmo é dignos de muita pena. O problema é que a loucura deles invade a MINHA liberdade, e isso eu não aceito. Por esse motivo condeno o fanatismo religioso da mesma forma que o socialismo. Para mim, não há diferença. Mas não vejo os olavetes e demais religiosos falando que escrevo contra o socialismo por ódio patológico. Curioso...

Uso o mesmo estilo em ambos os casos, com ARGUMENTOS.

Mas os religiosos querem me calar de qualquer maneira. É prova de que estou certo mesmo!

Rodrigo

não me delete disse...

Rodrigo,


O que vc fala é mentira.Mesmo se as loucuras dos religiosos NÃO "invadissem sua liberdade"(o que vc quer dizer com isso?) serias o mesmo inimigo das religiões.

Seja honesto e admita o seu preconceito.

Do mesmo jeito que vc procura "vender suas idéias" os religiosos também o fazem,só que em outro campo.

OU VC É O DONO DA VERDADE?

porque procura sempre "detonar" os que não pensam como vc?

Isso é O MESMO que os religiosos fazem.

Não venha com esse papo de merda dizendo que eles "invadem SUA liberdade"

E vc não invade a dos outros?

Não me delete! isso é argumento.

No fundo isso é pura amargura por causa do Olavo.Eu não o conhecia,mas de tanto ver comentários sobre ele nesse blog,passei a conhecê-lo e a superioridade dos seus escritos em comparação com os seus.

NÃO ME DELETE!

Blogildo disse...

Rodrigo, antes de falar e criticar a tradição acho interessante a leitura de dois ensaios:

- O símbolo do caminho - Bruno Snell
- Tradição e talento individual - T.S. Eliot

Não sei se você se dá conta da bobagem do exemplo dos símios e da adúltera.
O costume - no judaísmo, por exemplo - era apedrejar mulheres adúlteras. Hoje não se faz mais isso. É um costume que foi abandonado. Mas o conceito de adultério persiste com o todo o seu estigma negativo. Isso é a tradição. Não sei se vc percebe a diferença.
Apedrejamento de adúlteras é costume que perdeu a validade. Criminalizar um adúltera faz parte da tradição. Persiste em nossa cultura.
Afinal, qual seria a razão "liberal" para criminalizar o adultério? É tão comum entre animais e humanos. Pq persiste a ótica negativa? Por causa da tradição, ora!

O teu argumento ainda precisa de muito polimento, Rodrigo.

Blogildo disse...

Aquele "fiquei sabendo" na introdução ficou estranho, Rodrigo. Não é mais fácil admitir que você ouviu o programa do Olavo?

Rodrigo Constantino disse...

Blogildo,

Porque eu não escutei o programa. Fiquei sabendo por terceiros, olavetes, e fui escutar depois de uma semana, alguns trechos pequenos até achar onde ele me atacava.

Rodrigo

Direitista disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Conde, que agora usa "Direitista" por vergonha de mostrar a "cara", sei que vc é bem limitado, e muito perturbado, mas já avisei que NÃO vou aceitar vc poluindo, como de praxe, o meu blog. Sei que vc está desesperado pela minha atenção, mas tenho coisas mais importantes para fazer.

Passar bem,

Rodrigo

ANTI-MOFO disse...

Os carolinhas puxa-saco de Padre dizem que você abre mão de 2 mil anos de civilização, como se fosse um maravilhoso conto de justiça e de amor durante todo este período. Por outro lado, estes ignorantes que afirmam que a Terra tem 6 mil anos, dentre outros "cálculos" abrem mão de 4 bilhões e 500 milhões de anos de evolução natural do planeta e dos seres que nele habitam. Quem será que está abrindo mão de tradições por aqui? Isso é megalomania, é se achar Deus e não acreditar em um criador. Esses carolinhas são uns cagões, se borram de medo do Juízo Final e ficam arrotando superioridade como este sujeitinho aí. Aliás, que Radio que dá espaço para um cara destes? Certamente ele paga para poder falar.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Direita Católica disse...

"Os carolinhas puxa-saco de Padre dizem que você abre mão de 2 mil anos de civilização, como se fosse um maravilhoso conto de justiça e de amor durante todo este período."


Todas as noções de justiça, de amor e de política que conhecemos foram desenvolvidos nesse período, ignorantão!

"Por outro lado, estes ignorantes que afirmam que a Terra tem 6 mil anos, dentre outros "cálculos" abrem mão de 4 bilhões e 500 milhões de anos de evolução natural do planeta e dos seres que nele habitam."

Puxa, que maravilha! O "cientista" transforma uma teoria em um dogma. Só falta dizer que ele andava de quatro, até então, como macaco e dizer que isso é infalível!

"Quem será que está abrindo mão de tradições por aqui? Isso é megalomania, é se achar Deus e não acreditar em um criador."

Vc precisa primeiro compreender as tradições que os religiosos defendem, ao invés de criticá-las sem conhecê-las.


"Esses carolinhas são uns cagões, se borram de medo do Juízo Final e ficam arrotando superioridade como este sujeitinho aí."

Esses materialistas são uns cagões: acreditam que são macacos e ainda querem ser levados a sério!


"Aliás, que Radio que dá espaço para um cara destes? Certamente ele paga para poder falar."


Realmente é mais crível ser descendente de um casal criado no paraíso, do que crer piamente na idéia dos macacos, em nome de supostas pseudo-verdades "cientificas". Só mesmo os materialistas para nos fazerem rir.

Morena Flor disse...

"Em primeiro lugar, Olavo faz um patético apelo ao tempo das tradições, ironizando que os judeus devem ficar preocupados porque eu, um ninguém, resolveu questionar suas tradições. Bem, por essa brilhante linha, tudo que for antigo é bom. Só porque um costume sobreviveu por longo período, não se prova que ele deve continuar sendo praticado."

Ou q esse costume seja BOM p/ as pessoas. Muitos costumes criados foram fruto de egoísmo, ânsia de poder sobre os outros, etc, e se mantiveram pq muitos se conformaram com eles, ou por conformismo, ou pq, de certa forma, se beneficiaram deles.

;)

Morena Flor disse...

"Todas as noções de justiça, de amor e de política que conhecemos foram desenvolvidos nesse período, ignorantão!"

Ah, pensei q já estivessem desenvolvidas desde séculos A.C, por meio da filosofia, por exemplo!

E o Direito Romano? E os filósofos gregos? Eles têm o seu valor na constituição da civilização ocidental! E um valor grandioso!

Rodrigo Constantino disse...

O Conde, tadinho!, não desiste de lutar por atenção...

ANTI-MOFO disse...

Vamos entender a lógica do(a) que assina como "Direita Católica" acima: se eu faço uma datação calculando a proporção de isótopos de Rubídio e Estrôncio em uma rocha Pré-Cambriana e chego à conclusão que ela tem entre 4,3 e 4,4 bilhões de ano, então isso é dogma. Se eu vejo que os genes de um Chimpanzé é 98,5% idêntico ao de um Homo Sapiens, então é dogma.

Mas se o "Direita Católica" conclui que é mais crível que venhamos de Adão e Eva e que as provas científicas (que ele insiste em colocar entre aspas, demonstrando o quão invertido é seu raciocínio) são crenças baseadas em Dogmas. Por outro lado, ele confirma seu analfabetismo histórico ao ignorar a Filosofia Greco-Romana, como a Morena Flor lembrou acima

Não pretendo tirar um caolho deste do seu estado de estupidez pois seria um trabalho Hercúleo. Apenas lamento existir pessoas com essa visão medrosa da Ciência em pleno século XXI.

Rodrigo Constantino disse...

Perder tempo com Olavo, o embusteiro, é algo duro. Mas como ele AINDA engana algumas pessoas aqui, resolvi comentar seu último programa ao vivo. Em primeiro lugar, o embusteiro virou pastor evanlégico de vez: começa o programa invocando a santíssima Virgem Maria! Pastor Olavo, da Universal. Não há mais diferença...

Mas falarei apenas da parte onde ele volta a MENTIR e me xingar. Diz ele que eu MUDEI o que disse sobre tradição não ser condenada POR SI SÓ, por ser tradição. Ele diz que eu mudei retroativamente, e por isso me xingou de "vigarista" e de "merda", com certeza se olhando no espelho. Pois bem, vejam quem é o MENTIROSO. Segue trecho do meu PRIMEIRO artigo sobre o assunto:

"Romper tradições por si só não diz nada sobre ser ou não algo desejável. É evidente que existem tradições boas, que devem ser seguidas. Elas foram criadas, para começo de conversa, por algum motivo, e este ainda pode ser adequado. Mas só há uma maneira de descobrir: questionando."

Em resumo, fica aqui PROVADO que Olavo de Carvalho, o astrólogo embusteiro, é um grande mentiroso, que ainda consegue enganar uns coitados desavisados, desesperados demais por um guru. É triste...

Rodrigo

ANTI-MOFO disse...

Olavo de Carvalho vive dizendo que Brasileiro mete-se a falar sobre tudo e, por este motivo, é dado a falar bobagens. Ele, como brasileiro, é a comprovaçao viva desta regra. É o verdadeiro destrudor de bonecos de palha. Cria arremedos da Lei da Inércia de Newton e os destrói. Esfarrapa a Teoria da Evolução em argumentos biologicamente insanos para depois pulverizá-los. Ou seja, um sujeito que é capaz de questionar alguns dos maiores nomes da Física, Química, Biologia, História, Filosofia só pode ser o maior exemplo vivo de sua própria teoria a respeito do Sabichão Brasileiro: sabe um pouco de tudo e, por isso, sabe nada sobre muita coisa.

MCG disse...

Concordo com a Marisa.
Já disse que aprendo muito neste blog mas não consigo entender, a não ser por conflito de vaidades, o anti-debate desencadeado entre Reinaldo Azevedo, Olavo de Carvalho , Rodrigo Constantino e Janer Cristaldo.
Uma pena, mas vida que segue...

Marisa disse...

Rodrigo

Não tinha visto que o pau estava quebrando por aqui. Hahaha

Não acho que o Olavo de Carvalho seja um embusteiro como você diz. Quero deixar claro que não o conheço muito bem, mas os textos dele, que eu li, são interessantes e com bons argumentos.

Ele defende o cristianismo e a Igreja Católica. Quais são os motivos, não sei ao certo. Parte pode ser por convicção mesmo, parte pode ser para criar polêmica, pelo gosto de discutir, e parte pode ser até como prestação do serviço. A Igreja Católica deve investir em pessoas influentes para defendê-la. Lembremos que, antes de tudo, as Igrejas têm um papel político na sociedade.

Eu acho que você, que defende tanto a razão, deve ser mais coerente. Quando se trata do Olavo, você se comporta de maneira muito emocional e chega até a cometer injustiças. No íntimo, você sabe que a sua avaliação pública, que faz do Olavo, não é correta. Da mesma forma, acho que o Olavo, no fundo, não pensa que você seja aquilo que ele diz a seu respeito.

Conclusão: ambos os dois, que querem tanto ser lógicos, acabam partindo para argumentações infundadas quando um se refere ao outro. Será que já não é hora de parar com essa "brigaiada"? A platéias agradeceria.

Agora, falando o que eu penso. Se o Olavo comete tantos erros quando fala de religião e ciência (isso eu teria que verificar melhor e o Rodrigo deveria fazer as transcrições dos erros acusados), por outro lado, o Rodrigo assume uma atitude de achar que a religião faz e sempre fez mal para a humanidade. Isso não é verdade!

Apesar de eu não seguir religião nenhuma, reconheço a importância delas para a humanidade. As religiões e as Igrejas desempenham e desempenharam também um papel político nas sociedades. Elas unificaram os povos, fizeram conquistas e expansões territoriais, impuseram normas morais e até cultivaram a filosofia e a ciência.

Grandes pensadores e cientistas foram religiosos: Galileu, Copérnico (era cônego), Kepler, Newton, Mendel. Newton, na parte final de sua vida, estudava e escrevia sobre teologia. No entanto, a sua obra em Física foi totalmente racional. Ele não misturou ciência e religião. O mesmo podemos dizer dos outros.

A religião evoluiu com a humanidade. O judaísmo foi uma evolução em relação ao paganismo; o cristianismo foi uma evolução em relação ao judaísmo. Hoje, com a importância que a ciência desempenha na humanidade, já se fala numa religião “cósmica”, que não irei explicar agora.

De todas as religiões, o cristianismo foi a que tratou melhor as mulheres. A mulher tem um certo respeito e consideração no cristianismo. Basta ver que, na Idade Média Baixa, as mulheres podiam estudar.

Eu acho que essa falta de reconhecimento, de que o cristianismo e a Igreja Católica fizeram muitos benefícios para o mundo Ocidental, é que revolta os cristãos e católicos. E eles vêm aqui bater em você.

Rodrigo Constantino disse...

Marisa,

Vc está errada em sua especulação. Duplamente. Em primeiro lugar, trato o tema olavetes com razão, como qualquer outro (socialistas, por exemplo). Em segundo lugar, sim, lá no fundo, com toda a sinceridade do mundo, eu acho Olavo um grande embusteiro, um safado mentiroso, um oportunista. Não apenas acho: sei.

Rodrigo

Rodrigo Constantino disse...

Ah sim: sobre as mulheres, Marisa, talvez vc esteja falando disso:

"Que as mulheres estejam caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar. Se quiserem ser instruídas sobre algum ponto, interroguem em casa os seus maridos." (São Paulo, apóstolo cristão, 67 d.C.)

Rodrigo

Marisa disse...

Rodrigo

Ai, ai, ... emocional, de novo.

Quando você começou aquela discussão com o Olavo, sobre religião, você não pensava assim. Por que mudou? Mudou por quê?

Desafio você a me provar que o Olavo é um embusteiro.

Rodrigo Constantino disse...

Engana-se. Ali já achava sim. Apenas tive excelentes provas finais.

Provar? Já cansei de fazer isso. Aqui mesmo temos ele pego na MENTIRA mais descarada, inventando coisas que eu não disse, manipulando o que eu disse, e tirando do contexto o restante, apenas para reforçar tanto embuste com xingamentos chulos, como de praxe.

Marisa, seu jeito educado não me convence.

Olavo é um grande embusteiro. Sinceramente, quem ainda não enxergou isso precisa usar óculos!

Rodrigo

Marisa disse...

Rodrigo

Sobre as mulheres.

Se você conhece os Evangelhos, certamente deve conhecê-los bem, para poder discutir sobre religião, deve notar como Jesus tratava bem as mulheres e também as defendia. O CRISTIANISMO fez muito sucesso entre as mulheres. A História cita inúmeras mulheres da aristocracia que se converteram ao cristianismo.

Agora, a IGREJA CATÓLICA é outra história. A Igreja não permitiu mesmo a participação das mulheres em seu interior, a hierarquia católica somente admitiu homens, isso até hoje.

Marisa disse...

Rodrigo

"Marisa, seu jeito educado não me convence."

Hahahahahahahahahahaha

Olha, eu não estou aqui para defender o Olavo, não. Apenas estou querendo ser justa. Eu acho que o Olavo tem uma certa cultura, assim como você, ambos são inteligentes, têm uma certa influência sobre as pessoas e é lastimável esse atrito entre vocês, somente por que têm opinião diferente.

Não acompanhei por completo aquela polêmica entre vocês, mas eu me lembro de o que irritou o Olavo foi um erro de português que ele cometeu, um erro comum, parece-me, e você se prendeu a aquilo, como se fosse um erro gravíssimo, somente para humilhar o Olavo. E depois disso ele resolveu parar o debate.

Ora, Rodrigo, se o tema era religião, por que discutir erros de português? Se ele cometeu erros durante o debate, o que era de se esperar, você também deve ter cometido, ou não?

leo disse...

"Que as mulheres estejam caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar. Se quiserem ser instruídas sobre algum ponto, interroguem em casa os seus maridos." (São Paulo, apóstolo cristão, 67 d.C.)"

Rodrigo,

O versículo 34, de I CO 14,é explicado no 35,ou seja,a proibição das mulheres INTERROMPEREM O CULTO com perguntas que podiam ser feitas em casa.

Está subentendido que eram NEÓFITAS.

As mulheres não só falavam na igreja(ver CAP 11.3)como também tinham funções.

EX: Febe(Rom 16.1),Priscila,Pérside,etc.Já leu essa passagem do mesmo apóstolo:"Nisto não há judeu nem grego;não há escravo ou livre;não há HOMEM NEM MULHER;porque TODOS vós sois um em Cristo Jesus"GAL 3.28

E esta?:"...onde não há grego nem judeu,circuncisão nem incircuncisão,bárbaro,cita,escravo ou livre;mas Cristo é tudo em todos.

O Evangelho de Cristo(não papismo e outras manifestações do cristianismo apostatado)venceu as mais profundas divisões RELIGIOSAS,CULTURAIS,SOCIAIS,ECONOMICAS,RACIAIS E HUMANAS.

Foi ESSA mensagem(surgida na humilde Galiléia) que abalou o poderoso império romano.

Antes da influencia cristã, ser mulher era um risco DESDE O NASCIMENTO.India,China,Roma,Grécia,etc eram culturas que muitas vezes a mulher valia menos que um animal.

O infanticídio-particularmente de meninas- era comum na Índia antes do grande missionário William Carey.Os cristãos ficavam chocados em ver as pequeninas serem lançadas ao mar.Isso só foi extinto depois de OS MISSIONÁRIOS lutarem muito perante as autoridades britânicas.

Sem falar na Africa onde as esposas do chefe da tribo eram mortas na ocasião da morte do marido.Quando o Evangelho chegava a prática era abolida.

Os historiadores confirmam que em TODAS as culturas onde a mensagem de Cristo entrou a situação da mulher passou por uma verdadeira revolução.

Pois é seu Rodrigo,se não fosse Cristo,hoje talvez sua mãe,esposa e filha estivessem usando uma burka.

Leo

Anônimo disse...

"Ah, pensei q já estivessem desenvolvidas desde séculos A.C, por meio da filosofia, por exemplo!"


Os filósofos gregos desenvolveram alguma coisa, mas não chegaram a perfeição como os medievais. O problema deste raciocínio é idiota na essência, típica de quem sacrifica a história pela ideologia: primeiramente, os gregos não são contrários ao mundo medieval, já que muitos valores cristãos e a filosofia grega se correlacionavam; segundo ponto, os cristãos desenvolveram as noções de igualdade, fraternidade e caridade que não existia nos antigos, ou, no mínimo, era limitada essa perspectiva.




"E o Direito Romano? E os filósofos gregos? Eles têm o seu valor na constituição da civilização ocidental! E um valor grandioso!"


O Direito Romano só existe por causa da Idade Média, em particular, o imperador de Bizâncio, que mandou compilar as pandectas e as livres reinterpretações juridicas das glosas medievais. Quem está negando a importância do mundo antigo? Só não se pode admitir, com isso, que se negue a importância do mundo medieval.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

O Evangelho de Cristo(não papismo e outras manifestações do cristianismo apostatado)venceu as mais profundas divisões RELIGIOSAS,CULTURAIS,SOCIAIS,ECONOMICAS,RACIAIS E HUMANAS."

Venceu mesmo? O protestantismo é uma turba de cidadãos que não se entendem entre si. Onde está unidade, se o protestantismo é só divisão?

Anônimo disse...

Se você conhece os Evangelhos, certamente deve conhecê-los bem, para poder discutir sobre religião, deve notar como Jesus tratava bem as mulheres e também as defendia. O CRISTIANISMO fez muito sucesso entre as mulheres. A "História cita inúmeras mulheres da aristocracia que se converteram ao cristianismo.

Agora, a IGREJA CATÓLICA é outra história. A Igreja não permitiu mesmo a participação das mulheres em seu interior, a hierarquia católica somente admitiu homens, isso até hoje."


O protestantismo é esssa confusão mental e falsificação histórica grotesca. As mulheres tinham papéis sociais definidos na família, através das atividades domésticas. E isso não era uma regra católica, mas de toda a humanidade naquela época. Aliás, os conventos onde as mulheres podem viver na oração e na clausura são o que? O sr. conhece as santas da Igreja Católica? E a Virgem Maria, inspiração profunda do catolicismo, que o protestantismo recusou com desdém? Protestante, pare de falar besteira e vá estudar a história do cristianismo e judaismo!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

O coitado não desiste...

Anônimo disse...

Ihhh! O liberalóide censurando idéias alheias e se fingindo de educado só pq não tem o que responder, pra falsificar a própria falta de sabedoria?

Roby disse...

Como bem disse Voltaire, "não há nada mais sagrado do que um antigo abuso".
Ou seja, é a nossa ignorância, destilada através dos séculos, que ainda concede valor e propriedade a práticas (na maioria das vezes) deletérias.
Um abraço
Roberto

leo disse...

Anônimo,

Onde o Evangelho foi PRATICADO,seja por qual grupo cristão,a condição das mulheres melhorou.Também dos idosos(foram os cristãos que criaram os abrigos)crianças(das américas ao oriente o infanticídio era comum).Foram sementes que brotaram do evangelho.

Quanto a Maria,ela nos inspira também,e reconhecemos a sua singularidade,agora,prestar-lhe culto NÃO,porque é anti-bíblico e fruto de uma tradição que se afastou da mensagem apostólica.

O que eu disse,sr católico,foi que onde os valores do evangelho criaram raízes nunca as mulheres sofreram degradação como nas culturas citadas.

Soli Deu Gloria!

leo

leo disse...

Anonimo,

Leia os livros "História dos Judeus" e "História do Cristianismo" ambos de Paul Johnson.

Leo

Anônimo disse...

"Anônimo,

Onde o Evangelho foi PRATICADO,seja por qual grupo cristão,a condição das mulheres melhorou.Também dos idosos(foram os cristãos que criaram os abrigos)crianças(das américas ao oriente o infanticídio era comum).Foram sementes que brotaram do evangelho."

Porém, vc afirmou que o catolicismo impôs restrições ao sacerdócio para as mulheres. Então vc ignora o próprio Paulo que fala sobre isso. Ou seja, vc está suprimindo a verdade pela sua idéia de religião, que é contrária à Tradição comum daquela época.




"Quanto a Maria,ela nos inspira também,e reconhecemos a sua singularidade,agora,prestar-lhe culto NÃO,porque é anti-bíblico e fruto de uma tradição que se afastou da mensagem apostólica."


A bíblia tem várias cenas que retrata a santidade de Maria: Magnificat, vem o anjo do Senhor anunciando sobre a benção de ser a Mãe de Deus! Aliás, quem é o protestantismo para prejulgar a Tradição Apostólica?

"O que eu disse,sr católico,foi que onde os valores do evangelho criaram raízes nunca as mulheres sofreram degradação como nas culturas citadas.

Soli Deu Gloria!"

Isso é verdade! Porém, não venha falar tolices sobre o Catolicismo. Estude primeiro!

leo disse...

Anônimo disse: "Porém, vc afirmou que o catolicismo impôs restrições ao sacerdócio para as mulheres"

Onde vc encontrou isso?

Tais restrições tem ORIGEM na Palavra de Deus, baseado no princípio de que o homem é o cabeça da mulher e na igreja E NÃO NO CATOLICISMO,que apenas aplica tal ensinamento.

"A bíblia tem várias cenas que retrata a santidade de Maria:..."

Ninguém está questionando a santidade de Maria.

Apenas me mostre UM (1),UM SÓ,APENAS UM,deu pra entender? UM nada mais que UM texto bíblico sugerindo o culto mariano.

Pelo contrário, o que vemos é isso:

"E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste.
Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam "

Viu o que é genuíno evangelho? Jesus cortando "PELO PÉ" essa desgraça pagã que é o culto à sua mãe.(os pagãos para gozarem benefícios da nova religião estatal substituíram seus deuses por cristãos piedosos,mártires,etc.E pra substituir a deusa cultuada em toda aquela região DIANA-ÁRTEMIS
quem melhor do que Maria?)

Com certeza a serva do Senhor JAMAIS aceitaria tais cultos.

Você é quem deve estudar(AGORA A BÍBLIA)para se livrar desse resquício de paganismo.

QUER LER DE NOVO?

"Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam "

ELE SÓ PEDE ISSO não queiram acrescentar.

Leo

O Oráculo da Música disse...

"Onde vc encontrou isso?

Tais restrições tem ORIGEM na Palavra de Deus, baseado no princípio de que o homem é o cabeça da mulher e na igreja E NÃO NO CATOLICISMO,que apenas aplica tal ensinamento."


R: Vc mesmo falou essa bobagem. Leia lá!



"Ninguém está questionando a santidade de Maria."

R: Está sim. O protestantismo mesmo ataca a reverência à Mãe de Deus .

"Apenas me mostre UM (1),UM SÓ,APENAS UM,deu pra entender? UM nada mais que UM texto bíblico sugerindo o culto mariano."

R: Quem te falou que toda a tradição cristã se resume à bíblia? O culto mariano faz parte da Tradição! Mesmo pq a Bíblia tem profunda reverência pela figura de Maria e os católicos reverenciam a mulher que deu a luz a Jesus Cristo!

"Pelo contrário, o que vemos é isso:

"E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste.
Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam "

R:E isso nega a bem aventurança de Maria? Realmente o protestantismo é uma penca de ignorantes interpretando a bíblia conforme sua cabeça. O Anjo do Senhor não chegou a ela?


"Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou-lhe de alegria no seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.

Então, erguendo a voz, exclamou: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre".



"Viu o que é genuíno evangelho? Jesus cortando "PELO PÉ" essa desgraça pagã que é o culto à sua mãe."

R:Onde foi que ele condenou a benção com sua mãe, se a bíblia reitera essa benção à Maria, mãe de Deus? "Genuíno evangelho é essa sua seita de estúpidos, interpretando a bíblia ao arrepio da história e da Tradição? Não, lamento, vc é o falso evangelho! O evangelho de Calvino, de Lutero, de Henrique VIII, de Edir Macedo!

"Ao sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de David; e o nome da virgem era Maria.

Ao entrar em casa dela, o anjo disse-lhe: «Salve, ó cheia de graça, o Senhor está contigo.»

Vai estudar a história da Igreja, seu protestante ignorante!



"(os pagãos para gozarem benefícios da nova religião estatal substituíram seus deuses por cristãos piedosos,mártires,etc."


R:O sr. age de má-fé, como um típico protestante! Não há nenhuma ligação entre catolicismo e paganismo. Mas como o protestantismo, que é a verdadeira religião estatal de Lutero, Calvino e Henrique VIII, deseja se rebelar contra a verdadeira Igreja de Cristo, é normal que eles falsifiquem a história pela ideologia. Aliás, se vc é completamente ignorante a desconhecer os mártires da Igreja, com certeza a sua seitazinha laica e semi-estatal dos reis europeus fez um bocado deles, já que o protestantismo perseguiu mais católicos do que o Império ROmano.



"E pra substituir a deusa cultuada em toda aquela região DIANA-ÁRTEMIS
quem melhor do que Maria?)"


R: O culto mariano existe muito antes da oficialização da Igreja em ROma. Um ignorante como vc devia saber disso. Por outro lado, vc mostra o nível típico de imbecilidade normal dos protestantes: uma hora diz que Maria é santa, e outra hora a reduz como uma densa pagã. vC não tem vergonha de falar asneiras e apresentar tantas contradições historicas?

"Com certeza a serva do Senhor JAMAIS aceitaria tais cultos."

R: Ela mesma foi sinônima de reverência de um anjo do Senhor. Pq ela não seria admirada e reverenciada entre os católicos? O problema é discutir com a seitazinha protestante que se recusa a reconhecer a dignidade de Maria, mas adora a bispa Sônia e todos seus pastores trapaceiros e ignorantes!

"Você é quem deve estudar(AGORA A BÍBLIA)para se livrar desse resquício de paganismo."

R: Paganismo é essa sua religiãozinha estatal de garagem criada pelo Estado moderno (vide Henrique VIII, Calvino e Lutero), que estatizaram de fato, a Igreja.


"QUER LER DE NOVO?

"Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam "

ELE SÓ PEDE ISSO não queiram acrescentar."


R: Preciso esfregar na sua cara de jumento os primeiros capítulos de Lucas, pra calar sua boca de ignorante? O protestantismo é isso: um emaranhado de seitas confusas, com cada leigo idiota interpretando a Cristandade conforme seu umbigo!

leo disse...

Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte

leo disse...

Anônimo,(o oráculo da música)

Todo o seu argumento se baseia na TRADIÇÃO e na SAUDAÇÃO DO ANJO A MARIA NA ANUNCIAÇÃO.

Vamos ao primeiro

Quando Jesus repreendeu os fariseus porque se apegavam às tradições ele estabeleceu um princípio para TODAS as épocas:

"E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus.
Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo:
Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim.
Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens" MT 15.6-9

Existem tradições BÍBLICAS,EXTRA-BÍBLICAS E ANTI-BÍBLICAS(o culto mariano é uma delas)

Agora vamos à Lucas

vc disse:"Ela mesma foi sinônima de reverência de um anjo do Senhor. Pq ela não seria admirada e reverenciada entre os católicos?"

Uma pessoa sincera SABE que exite uma diferença abissal entre o que vimos na saudação angelical e o que se vê nas igrejas,romarias,procissões,ets

É CULTO MESMO.

Não comparei Maria a nenhuma deusa pagã e sim O SEU CULTO.Leia o texto novamente e verás.

O Império Romano nunca perseguiu católico romano e sim CRISTÃOS(a apostasia não havia se estabelecido ainda)

Não defendo protestantismo nem cristandade e sim O GLORIOSO EVAGELHO DO SENHOR JESUS CRISTO.

"Bispa" Sônia,Edir Macedo,pastores trapaceiros,PADRES AFEMINADOS(hoje é o que mais tem) OU PEDÓFILOS se não seguirem o Evangelho irão junto com os IDÓLATRAS para o fogo eterno.

O versículo postado acima está em AP 21.8

Leo

Anônimo disse...

Um prostestante brigando com um católico, ambos usando "argumentos" bíblicos!

Que coisa fantástica! Bom seria se desintegrassem ambos.

$.o.$ disse...

Lamento ter que fazer estas observações aqui e agora:

Ainda não li o seu post anterior com suas afirmações, portanto posso correr o risco de dizer algo que não seja verdade, mas já conheço a historia dos macacos e li diversos comentários aqui que giram em torno do mesmo ponto.

A tradição, deve ou não deve ser seguida ?

Quando conheci a historia do teste realizados com os macacos que ironicamente acabam sendo comparados com os humanos, "Não sei porque motivo","já que o evolucionismo tem graves falhas" e outra, que os humanos são bem mais inteligentes que os macacos.

Pensei até em blogar a história e fazer um comentário crítico em relação a certas tradicões irracionais que existem hoje, mas analisando bem a questão, vi que era um tiro no proprio pé.

Hoje temos livros e internet, um imenso celebro que guarda todas as coisas e sabe quase tudo de todos os tempos, realmente é uma memória da humanidade ao alcance de todos que possuem computador, mas nem sempre foi assim e nem são todos que alcançam esta tecnologia.

A Tradição é o aprendizado do passado, onde se ensina o que se faz, o que se vive e o que se conhece, logicamente transmitindo o que lhe transmitiram e o que voce mesmo aprendeu com a vida.

Sempre foi assim e sempre será!
Prefiro confiar nesta tradição do que em uma que nem sempre estará ao meu alcance e que até pode ser manipulada a qualquer momento.

Quanto aos pobres macacos da experiencia de comportamento, foram totalmente enganados por um ser externo "mal intencionado", que os ludibriou e induziu a transmitir uma tradição sem sentido por falta de conhecimento da verdade do ser externo manipulador, porque nós que sabemos que não existe nenhum perigo na banana fizemos os macacos acreditarem que a banana era prejudicial a eles, o que com razão ensinaram aos macacos que se juntaram a eles e mesmo desconhecendo o fato acabaram aprendendo a lição e retransmitindo aos outros, se o teste continuasse certamente iriamos ver que tal comportamento iria desaparecer depois de certo tempo, mesmo sem a interferência de um ser soberano externo e conciente da falcidade da situação criada anteriormente.

Baseando-se nisto, estamos discutindo uma situação criada falsamente em que nós conhecemos a verdade e os macacos não a conheceram jamais, portanto não agiram de forma errada e sim somente para se proteger do agente externo mal intencionado, que não era a banana, mas os cientistas por traz da mangueira de agua fria.
o verdadeiro mal e real perigo para os macacos dentro da jaula.

Os homens deste mundo tem um comportamento coletivo e por mais que se tente gerar uma atitude crítica nas pessoas, observamos cada vez mais as multidões em show de Rock, a moda, a propaganda que vende mais, homoxexualismo, tatuagens, cabelos extranhos, muitas vezes dizendo que é para fugir da regra desobedecendo a tradição, mas que na verdade se faz uma nova regra, uma nova moda, uma nova tradição.

Pergunte ao tatuado:
Porque você se tatuou ?
Porque eu quis ! ou
Porque quero ser diferente !
Porque eu posso, não porque eu devo é claro, porque este ato não me trará nenhum benefício na verdade, logo seria totalmente desnecessário e inútil.

Quer discutir e quebrar as tradições boas junto com as más, saiba que um computador sem programas é totalmente inútil, sua capacidade de memória e velocidade não teem o menor valor se não houver um programa básico que o faça funcionar.

O homem sem tradições é comparável a um "Disco Rígido vazio" assim como um bebe recem nascido que vai se programando com o tempo por sua mãe e seu pai que eram os unicos portadores de conhecimento até pouco tempo atras na nossa história e que continuará mesmo quando os computadores pifarem e os satelites forem destruidos.

Esvaziar-se de seus proprios conhecimentos e ficar dependente de coisas externas é muito mais perigoso do que manter certas tradições que prejudicam o convívio entre grupos diferentes, é como uma pluma solta ao vento, que permanece sempre flutuando e jamais encontrará um porto seguro para repousar em paz.

Creio que o aprendizado disso tudo não seria o abandono de nossas tradições e sim uma análise daquilo que é bom ou ruim para o homem e a sociedade, lembrando-se sempre que muitas vezes existe um ser superior externo que conhece a verdade, como eu e você sabiamos que os macacos foram enganados pelos cientistas.

Isto revela que o conceito de "Bem" e "Mal" existem, e que os agentes deste Bem ou Mal são bem conhecidos por todos nós, onde Deus nos transmite conhecimentos para evitar o mal, que se tornam tradições que evitam o "mal" mesmo que nunca tenhamos experimentado este "mal" de verdade.

Retire os anti virus de seu computador e os fire wall's e entre nas páginas suspeitas, seu computador não durara muito tempo.

Divirta-se em quanto puder.