terça-feira, fevereiro 19, 2008

A Renúncia de Fidel


Rodrigo Constantino

Acordo e a primeira notícia que escuto na televisão fala sobre o fim da era Fidel Castro em Cuba. Comemorei por alguns instantes, acreditando que o genocida finalmente havia batido as botas. Mas não era tão bom assim. Vaso ruim demora a quebrar. Era apenas a renúncia de El Coma Andante, com 81 anos e após quase meio século de abuso de poder, deixando um enorme rastro de desgraça na ilha-presídio. Pode ser um começo de novos tempos, a tão esperada transição para a democracia. Mas nada garante isso, pois o poder foi passado como se transfere um feudo. Cuba é propriedade de Fidel Castro, como um carro é propriedade do seu dono. O povo cubano é formado por escravos, e não está certo que isso mudará rapidamente. Pelo contrário: ao que tudo indica, o irmão do ditador poderá assumir o poder.

Escutei a notícia através da Globo News, teoricamente um canal para pessoas mais esclarecidas. Digo teoricamente pois na prática o ditador assassino é tratado como presidente até por este canal. A reportagem tratou Fidel da seguinte maneira: "para alguns um herói, para outros um ditador". Como assim?! Um genocida pode ser visto como herói por alguns, como Hitler, Stalin e Mao foram. Existem muitos dementes no mundo. Mas que era um ditador, isso é um fato! Não é uma questão de opinião, de gosto pessoal, tal como a preferência por uma cor. Fidel Castro era o mais antigo ditador no poder, ponto. Se até um canal de notícias, focado no público mais educado, parte para um relativismo tosco desses, o que esperar dos demais veículos de comunicação? No Brasil, a mídia doutrina, tal como as universidades. O ditador genocida é tratado como presidente, e reconhecer sua ditadura passa a ser uma simples questão de gosto. Um Engov, por favor!

Mas não foi só isso. A reportagem disse que Cuba passou por uma fase de prosperidade durante os anos 1980, com a ajuda financeira da União Soviética. Prosperidade?! Esses jornalistas precisam rever urgentemente seus conceitos. Sim, Cuba conseguiu sobreviver com as bilionárias mesadas soviéticas, mas não longe da miséria. O feudo comunista sempre foi miserável, não obstante toda a ajuda de fora, antes da União Soviética e depois de Hugo Chavez. Aliás, esse é o resultado inexorável do comunismo. Não há como ser diferente. Comunismo significa miséria, escravidão e terror. Foi assim em Cuba, na União Soviética, China, Camboja, Coréia do Norte etc. Onde as idéias comunistas vingaram, tivemos o caos.

Após praticamente meio século matando e gerando miséria, Fidel Castro resolve que está cansado demais para exercer o poder. Que ato nobre! O ditador abre mão da "presidência", exausto e perto do fim da vida. Quando Pinochet morreu, o presidente Lula disse que chegava ao fim uma "longa noite" na América Latina. Lula "esqueceu" que Cuba ainda é uma ditadura, a pior de todas, a mais cruel e miserável. Lula "esqueceu" também que admira muito o ditador Fidel Castro, e que é seu parceiro no Foro de São Paulo. Esquerdistas são assim mesmo: dois pesos e duas medidas. E por falar em Lula, o presidente garantiu que Fidel Castro estava com a saúde impecável, pronto para voltar ao poder, quando visitou o comandante. Ali estava selado o fim da ditadura de Fidel. Espero que Lula diga agora que Fidel terá uma longa aposentadoria pela frente...
PS: A mesma Globo News entrevistou o coordenador de conjuntura internacional da PUC-SP, que fez uma calorosa defesa de Fidel Castro, quem ele chamou de herói. A culpa dos problemas cubanos, claro!, é do Tio Sam. Com esse andar da carruagem, ficarei sem estoque de Engov.

22 comentários:

bjordan disse...

como vc citou a coreia do norte devo cita-la tmb

a possibilidade do irmão do castro ser pior que ele não deve ser descartada , como o kim-jon-Il que é pior que o pai,

por não ter a mesma mítica do antecessor e em uma tentativa de barrar qq vento mudancista que algum democrata cubano possa aspirar, a mão pode pesar e muito em dias vindouros

na ilha a 120km de miami

Anônimo disse...

Na Record News, para piorar, haviam dois comentadores. Mas nem lembro seus nomes. Eram professores, para variar.
"Cuba, depósito do EUA", dizia um deles, em alusão a uma suposta vontade demoníaca do Tio Sam em usar a Ilha como experimento de sua fúria imperialista. "O povo de Cuba foi expropriado pelos EUA", emendou.
A segunda, professora de história, "Ele fez um governo muito linha dura com a oposição".
Mais adiante, a narrativa de Celso Freitas cospe "alia-se a Che, um jovem médico de espirito libertário". Aí vomitei e desliguei. É muita desinformação.

Jeová disse...

Bom Engov pra gente !

Bruno disse...

Demoro, se eu fosse o Bush ja colava em Cuba com as sementes de cana de açucar...

Sylvia Brito disse...

quem foi que disse que tu escrevia bem? tua mãe?
HAHAHAHAHAHAHAH
vai estudar história, ô MBAzinho de merda

Anônimo disse...

SYlvia Brito, que nome de paraíba fudida. Não agrega nada. Tem que se matar.

João disse...

Menos, Rodrigo. Jornalistas, como quaisquer seres humanos, são sujeitos a erros de avaliação. Mas dizer que "a mídia a doutrina" é, no mínimo, exagerado - além de ser exatamente o que alegam os autodeclarados observadores da gôche.

Ainda que haja pessoas dentro da imprensa com viés ideológico - que tentam impor á pauta -, não dá para tratar dela com uma coisa única e doutrinária. Ja disse, mas acho importante reiterar, esta é a acusação da torcida organizada da gôche, que costumam reduzir seus inimigos escolhidos a blocos homogêneos e colá-los rótulos odiosos.

A imprensa os irrita justamente por, via de regra, nao seguir a doutrina que gostariam, por mais que algo de seu ideário aqui e ali seja impresso. Mas o irrita porque tem, ainda, uma liberdade que eles detestam. Justamente por não seguir doutrinas.

Sim, é fato, não opinão, que Fidel é um ditador, isto é óbvio, mas pode ter certeza que o deslize na matéria não foi fruto de uma vontade de doutrinar, tal qual acadêmicos fazem.

Novo disse...

João o problema, é que os jornalistas TORCEM, para o Fidel, TORCEM para o Lula. E quando o cheiro daquilo que fizeram começa a emergir, eles dão as notícias com ar imparcial; porém quando os Estados Unidos atacaram o Talibã, nossa que sensacionalismo de mídia e cobertura; idem pro Iraque. Esquecem do coitado povo do Zimbabuê, por exemplo, ou do Sudão. Mesmo o Quênia, só recebeu destaques porque eles TORCEM para o OBAMA.

leo disse...

O demônio, o mais VERMELHO de todos,lá no abismo mais profundo das regiões infernais ,já está se "preparando" com a iminente chegada desse perseguidor desgraçado e nojento.

"Deus não se deixa escarnecer"

Leo

bjordan disse...

leo

devo discordar de vc o fidel só não morreu pq nem o demônio o quer por la . por isso é um morto vivo é literalmente um rejeitado. como o 1° vampiro CAIM que apos matar abel foi condenado por deua a vagar eternamente na terra rejeitado no reino dos ceus

Lancelot Ferreira disse...

"quem foi que disse que tu escrevia bem? tua mãe?
HAHAHAHAHAHAHAH
vai estudar história, ô MBAzinho de merda"

tem certeza que é ele que tem que estudar história, esquerdopatinha? e, tu, vai de quê? de Chiavenato? de Chauí? Então tá...

Luis de Oliveira disse...

Muito bom, Rodrigo!! Compartilho integralmente dessa indignação que v. deixa transparecer no artigo, indignação com a farsa ridícula da "transição" do poder em Cuba, indignação com a maneira abjeta com que a imprensa brasileira vem se manifestando sobre o assunto, com uma pusilanimidade asquerosa, indignação com essa dubiedade de tratamento que se dispensa a um notório tirano e carniceiro implacavel, e sempre com uma estocadinha canalha nos EUA, no tal "embargo americano", como se o maior embargo existente em Cuba não fosse precisamente aquele que o PCC impõe à sociedade civil.
E o engraçado é que aqueles mesmos que vivem intoxicados do mais delirante e nojento anti-americanismo e anti-globalismo ficam agora batendo pezinho e exigindo com dedinho em riste que a América vá lá salvar a ilha-presídio só porque - como v. bem disse - o Coma Andante transferiu o feudo para o El Maricon. Um Engov pra mim também!!
Olha, Fidel não está "deixando o poder"; Ele está é caindo de podre, depois de haver apodrecido todo e qualquer resquício de liberdade e de democracia que havia em Cuba.
Estou com Diogo Mainardi: salvar Cuba somente depois que Cuba (ou melhor, o PCC) se render!
Um grande abraço.

Rodrigo Constantino disse...

O artigo de Miriam Leitão hoje está PODRE!!!!!!!!!!!!

Falando em "conquistas sociais" na ilha. Fala sério, Miriam! QUAIS conquistas?!?!?!

Acorda, Miriam!!!!!

Rodrigo

Luis de Oliveira disse...

Pô, Rodrigo, mas na minha opinião não é "hoje" que a Míriam (espírito de) Leitão está podre. Praticamente tudo o que essa senhora fala ou escreve transpira podridão, a podridão do veneno ideológico. Basta ouvir os seus "comentários" na Rádio CBN, no jornal do Heródoto Barbeiragem, para ver como a madame é esquerdinha até à medula dos ossos, anti-americana já quase às raias da alucinação e mentirosa compulsiva. Não me admira que esteja chorando pelo Coma Andante... Como dizia velho político da minha terra, gambá cheira gambá.

Anônimo disse...

Pô, Rodrigo!

Tu foi falar em Míriam Leitão, vomitei até as "tripas".

Zoroastro disse...

Lamentavelmente a GloboNews é um antro de esquerdismo burro.
Chega a irritar qualquer pessoa esclarecida, o viés das entrevistas e dos comentaristas convidados do "jornal das dez", e dos especiais (milênio, espaço aberto, etc.)

Deus me livre, não conseguem nem disfarçar que babam esquerdismo nas suas opiniões.

Este é um sintoma de um quadro socio-intelectual grave em nosso país !! Uma Míriam Leitão em posição de destaque é um atestado de despreparo de nossos jornalistas e de mediocridade dos leitores que dão ibope a ela.

O Brasil hoje tem poucas cabeças e vozes equilibradas e sensatas, o discurso é radical-disfarçado, lembra a ebulição de sociedades as vésperas de convulsões (alemanha nos anos 20, o próprio brasil nos anos 50-60, e muitas outras), com a diferença de que estamos na era da informação digital. Como este novo ambiente co-evoluirá junto ao borbulhar político é uma boa tese de doutorado.

abraços

Ernesto Heredia Dias disse...

Faço uma previsão sem medo de queimar a língua. Por ocasião da morte de Fidel Castro assitiremos no Brasil a inúmeros atos e homenagens ao mais duradouro ditador da idade moderna, inclusive com inaugurações de monumentos e denominações de avenidas, aeroportos, escolas, estradas, municípios, e quem sabe até seja criada uma condecoração nacional em louvor ao "grande estadista caribenho" para lisonjear os seus seguidores brasileiros. Já pensaram o José Dirceu recebendo uma condecoração destas ...

Ernesto Heredia Dias disse...

Penso que "renúncia" não seja o termo mais apropriado para as circunstÂncias do afastamento de Fidel Castro - pois ditadores não renunciam - ou são depostos por seus opositores ou depostos por decurso de prazo(morte). Primeiramente Fidel está transferindo seu status político a seguidores que darão continuidade às suas idéias (não há renúncia de princípios) e também o termo renúncia só caberia no caso de uma recomposição com a contraparte oprimida (se é que sobrou alguma coisa dentro de Cuba) e o abandono das posições mantidas a força, o que não parece ser o caso.

Ernesto Heredia Dias disse...

Raúl Castro Ruz fue elegido este domingo presidente de los consejos de Estado y de Ministros, durante la sesión constitutiva de la Asamblea Nacional del Poder Popular, que tuvo lugar en el Palacio de Convenciones de La Habana - 28fev08 - 19:00 hs - Fonte: Granma
Inesperadamente contra todas as expectativas ...

João disse...

"Novo" apenas confirma o velho erro que eu citei. Esta afirmação generalizante é, simplesmente, falsa.

Anônimo disse...

Boa Noite a todos.
Tenho uma dúvida enorme: Quantos de voces,socialistas de platão, já se deram ao trabalho de ir até a ilha de Fidel, e conferir "in locu" as "MARAVILHAS SOCIALISTAS"?Vou me expressar melhor, para que fique compreenssível até mesmo para os menos esclarecidos:
Em fevereiro de 2007 tive a "brilhante" idéia de ir passar o Carnaval em Cuba,pois me parecia uma experiência interessante e, que talvez,até mudasse minha forma de pensar em relação ao Tirano El Coma Andante(confesso que na época assaltava-me o pensamento a possibilidade de comparecer ao enterro do sujeito,que estava desaparecido há meses,o que seria uma excelente história para contar aos meus futuros netos).
Ao desembarcar na Bela Ilha de Cuba(realmente, em termos de natureza,muito bela)fui recebida por cãezinhos Cocker Spainel que entravam no avião, conduzidos por soldados do Partido Comunista, e cuja função era farejar a tudo e a todos.O mesmo continuou a acontecer na esteira(nada contra as medidas de segurança);ao me dirigir à imigração, deparei-me com uma tosca estrutura de madeira,onde,soldados do Partido Comunista conferiam a documentação dos passageiros,no melhor estilo "cara-crachá,cara-crachá".Confesso que tive vontade de rir,mas rápidamente lembrei-me do regime ditatorial vigente, e me contive por medo de ser detida.Ao obter do funcionário, a autorização para entrar na ilha,passei por uma porta que dava acesso a um único aparelho de RX,muita gente(o avião estava lotado) se acotovelando,pois não havia nenhuma ordem para filas,muitos soldados e cães e nós,que chegavamos, sendo conduzidos como gado em direção a um funil.Após esta recepção "organizada" e "calorosa" percebí que o Aeroporto Internacional Jose Marti é imundo,cai aos pedaços,não possui carrinho para bagagem ou carregador, tendo sido obrigada a "arrastar" minha bagagem até o ônibus que aguardava o grupo, do outro lado das ruas, sem rampa,sem passarela,sem iluminação(era madrugada lá).
Passamos por uma espera dolorosa de algumas horas,pois alguns passageiros não conseguiram localizar sua bagagem e tivemos que esperar por eles, pelo fato de não exitir nenhuma outra condução que pudesse levá-los depois.Os passageiros gaúchos que ficaram sem a bagagem por 3 dias(soubemos depois ao encontrá-los em Varadero)foram advertidos pelo agente de viagem,assim como todos os outros passageiros, que não deveriam trocar dinheiro fora das CADECA(Casa de Cambio)e resolveram aceitar a a"ajuda"de um cidadão, que gentilmente trocou U$300,00 por 300 pesos cubanos(o equivalente a mais ou menos U$13,00)que é uma moeda a ser utilizada exclusivamente pelos nativos, a moeda do turista é o Peso Convertible que era trocado, na época, à proporção de $0,89 PC para cada dolar.Fomos levadas então finalmente ao nosso Hotel, localizado na Região Nobre de Havana(5ª Avenida ou Av. das Embaixadas).Para nosso espanto,o apartamento não estava preparado com uma segunda cama(eramos 2 mulheres e pedimos acomodação dupla em camas individuais)tendo sido colocada uma cama de armar,mas não havia lençol ou cobertor para ela(foi um desespero para conseguir).
Nosso primeiro dia foi recheado de surpresas: a Ilha tropical praticamente não tem frutas, e as que tem são de paladar duvidoso;os pães são feitos com a farinha de trigo que sobra do lixo de Hugo Chaves e,portanto, caso você necessite de uma arma, basta atirar um pãozinho em alguém.Fomos passear à pé pela avenida do Hotel onde conhecemos um rapaz de 23 anos(idade da minha filha do meio,advogada já formada pela PUC-RJ), chamado Alex,professor de salsa,cujo pai,motorista de caminhão recebia o equivalente a U$30/mes e cuja mãe, secretária, recebia o equivalente a U$20/mes. Disse Alex que quando havia bastante trabalho com muitos turistas queremdo aprender a dançar salsa ela chegava a faturar a "exorbitante"quantia de U$80/mes.
Tal rapaz gentilmente nos acompanhou em um passeio à pé pelas redondezas do Hotel, e no caminho nos ofereceu "robustos"(é como eles chamam os charutos).Fomos então até a casa de um amigo dele que, segundo ele,trabalhava numa fábrica.Entramos "naquilo"que eles chamam de lar(na verdade um amontoado de móveis velhos e quebrados,TV preto e branco em cima de uma mesinha cambeta da Coca Cola) e nos sentamos em um sofá rasgado.O dono da casa dirigiu-se para o único quarto da casa, e pudemos ver uma senhora que aparentava ser bastante idosa deitada em uma das camas amontoadas no quarto, sem lençóis, que se encontravam todos pendurados pelas janelas da casa(o que depois percebí que iria ver diáriamente em toda Havana).Do quarto o dono da casa retornou com algumas caixas de charuto e vários selos de segurança que deveriam ser colados às caixas escolhidas por nós,mas que porém, tinham todos a mesma numeração.Agradecí e disse que, tão logo fizesse câmbio, retornaria para a compra(o que lógicamente não ocorreu pois não era possível que fossem verdadeiros devido a diferença de preços, ou então eram roubados, o que também contraria meus princípios).Tomamos o caminho de volta, e passamos por uma Farmácia e um Supermercado 5ªAvenida: que tristeza!Os remédios que são entregues à população ficam estocados em latas de alumínio, semelhantes às nossas latas de leite em pó,e etiquetados com pedaços de papel escrito a mão com o nome conhecido por nós como genéricos, e ensacados em saquinhos de papel(tipo saco de pipoca)ao ser entregue aos pobre-infelizes dos pacientes que chegam com a receita do Médico de Família daquela região,que,por sinal,usa jalecos bem surrados e puídos, e recebe um salário equivalente a U$60/mes(um Marajá para os padrões salariais da Ilha).No supermercado ao lado,sujo e vazio,algumas estantes de ferro por tráz de um pobre balcão,apenas algum sabão em barra,fóforos,um barril de rum que era vendido à granel e um outro balcão ao lado,vazio,onde havia uma relação de ítens possíveis porém em falta no momento. A cesta básica recebida pela população mediante a apresentação do cadastro familiar que também é feito pelo Posto de Saúde,permite levar alguma comida e 1 frango ou 1 dúzia de ovos a cad 15 dias,independente do tamanho da família.Me permitiram olhar mas não fotografar,o que fiz pelo lado de fora apenas para registrar a fachada e me lembrar disso a cada vez que olhasse para aquela foto.Alex então, continuou a nos acompanhar e sugeriu que fossemos almoçar em um "Paladar"de um amigo dele(única iniciativa privada permitida em Cuba: você monta uma espécie de pensão na sua casa,trabalha com seus familiares, serve refeições para os turistas e recebe em Pesos Convertibles para aumentar a sua renda familiar)pois, a cada cliente que levasse, receberia em troca algo para comer(quem sabe até um pacote de manteiga ou uma lata de leite,segundo suas próprias palavras).Agradecemos e dissemos que iríamos pensar.Ao nos aproximarmos do Hotel, Alex despediu-se e disse que não poderia prosseguir dalí,pois como não trabalhava no Hotel, era proibido de chegar muito próximo,assim como todos os outros cubanos que lá não trabalhem.Mais tarde fiquei sabendo por outros nativos que eles também são proibidos de se hospedar em hotéis(hoteles non son para cubanos, em suas próprias palavras),proibidos de acessar a internet, sendo possível alguma navegação em locais controlados pelo Partido e apenas pelas páginas liberadas pela censura,e que nos 4 canais de TV estatal cuja programação doutrinária é dioturna,o único alento na época era a transmissão da novela "Senhora do Destino" da rede Globo,exibida na TV estatal 2ª,3ª e 4ª feira.Infelizmente,por não ter o hábto de assistir telenovelas,não pude informar à aflita garçonete do restaurante do hotel sobre o destino dos personagens.Como vocês podem perceber,El Coma Andante(que na intimidade apelidei de Highlander,mas gosto mais deste novo adjetivo)anda a fazer negócios com a Rede Globo.Volto numa outra oportunidade para continuar meu longo e atormentado relato das férias que me fizeram chorar,comovida pela penúria e pelo medo vivido diáriamente por um povo lindo,alegre e muito carente.À seguir:o apavorante "Camello"...

Anônimo disse...

Foro de São Paulo? Tsc, Tsc, Tsc.
Mais um seguidor de Olavo de Carvalho que acredita na existência do tal "Foro".
Quero ver você provar que isso daí existe.

HATA LA VITÓRIA, SIEMPRE!!!

VIVA LA REVOLUCIÓN CUBANA!!!