quarta-feira, janeiro 28, 2009

Fórum Social Mundial - Vídeo

Vídeo comentando o Fórum Social Mundial que ocorre em Belém esse ano. Falo da montanha de recursos públicos tirada na marra dos contribuintes para financiar um bando de socialistas, algo totalmente imoral. Algumas das contradições infindáveis dos membros do FSM são expostas no vídeo, como a defesa da democracia ao lado de ditadores. Os slogans vazios e os chavões idiotas substituem qualquer debate sério. O pluralismo tão pregado da boca para fora não se faz presente. E por aí vai. Uma massa de idiotas úteis manipulada por oportunistas de plantão que demandam mais e mais poder, eis o resumo do que representa o FSM!

Link para o vídeo no YouTube

6 comentários:

Emídio Miguel disse...

Os ramelentos do FSM de hoje são os governantes do FSP do amanhã...

Rafael disse...

Imoral é ver os "grandes líderes" do mundo desenvolvido recorrer ao Estado para sanar uma crise que foi gerada no centro das economias ditas "liberais". Isto em Davos, em 28-01-2009. É, meu caro, o mundo da voltas mesmo...A casa caiu!

Maristela disse...

Rodrigo,
Vi o vídeo e gostei muito das verdades que vc. disse ali. Tudo no FSM é contradição e cheira a deboche. Mas, não fosse pelo dinheiro que nos arrancam do bolso, julgo esse Fórum menos pernicioso que o FSP. Explico. No FSM, o que há é apenas um encontro totalmente oco da esquerda festiva brandindo chavões ridículos e posando de libertária ao lado de caudilhos e ditadores. No FSP (fundado em 1990 por Fidel Castro e Lula, lembra?), a coisa é muito mais séria. Até pouco tempo, tentou-se, inclusive, fazer crer que ele não existia, que era apenas um delírio paranoico da direita. Que nada! Dele saem comprovadamente, todos os anos, compromissos formais. Alguns são secretos e atentam até mesmo contra a soberania nacional, conforme já foi noticiado. Basta lembrar os escandalos das remessas de dinheiro que circulam no continente durante os períodos eleitorais. As FARC continuam integrando o Foro, onde, nos últimos anos, se fazem representar pelo Partido Comunista Colombiano. Dez ou onze governantes latino-americanos (não vou me dar ao trabalho de contá-los agora) são asseclas de Fidel Castro. Quase todos foram produzidos pela "solidariedade" supranacional do FSP. A sorte é que as circunstâncias históricas até agora não permitiram implantar em toda a AL o requentado "socialsmo do séc. 21" de Hugo Chavez. Vontade é o que não falta da parte de nossos caudilhos.
Abs.,
Maristela.

bebeto_maya disse...

Interessante sem dúvida...mas sabemos que há da parte de muitos o compromisso com algum tipo de ativismo e como esses ativismos se entrelaçam entre si: gaysimo, racialismo, feminismo e...abortismo. Veja você, Rodrigo, que no post sobre aborto, colocaste uma imagem típica das pro-choice, bem "al dente" das ativistas fanáticas que estão intimamente ligadas a teoria crítica. Dúvido quem não seja contaminado por alguma tendência politicamente correta.

Yashá Gallazzi disse...

Ótimo o vídeo, Rodrigo. Estou me tornando a cada dia mais fã do seu blog e dos seus textos. Sabe o que é mais curioso? O ridículo dessa turma metida a transformadora do mundo. Imagine que aqui no Amapá (de onde escrevo), um grupo de quatro revolucionários está ameaçando me processar judicialmente em razão de um texto que escrevi em meu site sobre o FSM. Leia o escrito e verá que não há nada juridicamente questionável (link: http://construindoopensamento.blogspot.com/2009/01/orgia-social-mundial.html). É só a velha conhecida patrulha ideológica mostrando a cara novamente. Não citei nenhum nome, nem imputei crime a quem quer que fosse. Só narrei os fatos. Mas sabe como é: eles não se dão bem com a verdade.

Abraços,

Yashá Gallazzi.

Lourival M. de Souza Jr. disse...

Pois é, Rodrigo, também fico enojado com tamanha babaquice e ressentimento que é o FSM. E o pior: tudo financiado com o dinheiro do povo arrancado à força pelo governo...

Outra coisa curiosa é o fascínio que esses "ativistas fashion" têm pela miséria: vi num jornal uma suíça que chegara para ir ao fórum e estava deitada na rede de um barco a caminho de Belém. Ela disse à reportagem: "Hoje eu vou dirmir como os povos da floresta {na rede}". Ou seja, a esquerda festiva acha que os "povos da Floresta" adoram viver naquele desconforto, assolados por malária, leishmaniose e outras enfermidades, além de várias privações inerentes ao isolamento da região; mas ao mesmo tempo, eu garanto que essa mesma esquerda não abriria mão do conforto que só o capitalismo pode dar-lhes... Vai ver se um deles quer viver naquele isolamento exatamente como os ribeirinhos...