terça-feira, novembro 14, 2006

Bando do Brasil



Rodrigo Constantino

O Banco do Brasil divulgou seu resultado para o terceiro trimestre do ano. Nos últimos 12 meses, o banco acumulou um lucro de R$ 5,5 bilhões. Não dá para negar que de uns anos para cá o banco vem melhorando sua gestão, que era caótica no passado. De tempos em tempos, o governo era obrigado a injetar novo capital no banco, prestes a falir por mais de uma vez. Mas ele ainda está longe de ser um ícone de eficiência. E provavelmente jamais será enquanto for um banco estatal.

O Tesouro Nacional detém mais de 70% das ações votantes do Banco do Brasil. Seus ativos ultrapassam R$ 280 bilhões, 35% acima do Itaú e 15% acima do Bradesco. Em primeiro lugar, uma incoerência clara da esquerda nos vem a mente: condenam os banqueiros pelos males do país ignorando que o maior de todos é o próprio governo! Somente motivos ideológicos ou interesses pérfidos explicam alguém ainda defender o Estado como banqueiro. Basta observar o que isso significou no passado, em termos de rombos bilionários bancados compulsoriamente pelos pagadores de impostos, para repudiar totalmente esta idéia estapafúrdia. Ainda assim, não são poucos que vociferam, sem argumentos, contra uma desejável privatização do Banco do Brasil.

Mas se a fase de gestão caótica e temerária do banco ficou, aparentemente, para trás, ainda não é possível compará-la, por outro lado, com a gestão dos bancos privados. Um rápido levantamento explicita um dos grandes problemas do banco estatal, que é seu inchaço desnecessário no quadro de funcionários. O Banco do Brasil tem um valor de mercado perto dos US$ 20 bilhões. Para tanto, emprega mais de 94 mil pessoas, número que vem crescendo bastante, ainda por cima. O Kookmin, banco coreano de porte similar, emprega menos de 25 mil pessoas. O Itaú, que vale quase o dobro do Banco do Brasil, emprega quase a metade do número de pessoas!

Fiz uma tabela comparando o valor de mercado com a quantidade de empregados do Citigroup, Wachovia, US Bancorp, Wells Fargo, Kookmin, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil. Na média, cada funcionário desses bancos gera de valor para seus acionistas algo como US$ 855. Mas cada funcionário do Banco do Brasil cria apenas US$ 220 de valor para seus acionistas, ou 74% a menos que a média. Claro que essa não é a única medida de eficiência. Mas fica evidente que o Banco do Brasil emprega gente demais, tendo um quadro bastante ocioso e desnecessário. Eis uma típica característica de empresa estatal. O Banco do Brasil gastou, nos últimos 12 meses, R$ 7,8 bilhões com despesas de pessoal. Para efeito de comparação, o Itaú gastou R$ 4,6 bilhões, e o Bradesco gastou R$ 5,8 bilhões.

Em termos de retorno sobre o patrimônio líquido, outra medida de eficiência no uso do capital dos acionistas, o Banco do Brasil ficou com uma média de 21,5% nos últimos 5 anos, contra 31,4% do Itaú. E isso ainda foi possível somente pela maior alavancagem do banco, que significa mais risco. Afinal, o retorno sobre os ativos do Banco do Brasil ficou em apenas 1,1% na média desde 2001, contra 2,8% do Itaú ou 1,8% do Bradesco. Podemos analisar os números dos balanços desses bancos de inúmeras maneiras, mas a conclusão será inequivocamente a mesma: o Banco do Brasil não tem, nem de perto, a mesma eficiência que os demais bancos privados. Uma privatização dele iria, com certeza, aumentar a geração de valor para seus acionistas, a lucratividade, e por conseguinte, a arrecadação de impostos para o governo. Contra a privatização, restam apenas apelos nacionalistas vazios, ou a defesa de privilégios às custas dos “contribuintes”.

O dicionário Aurélio tem como uma das definições para bando o seguinte: “conjunto de famílias que vivem juntas, permanentemente associadas, formando comunidade relativamente homogênea”. Com base neste conceito, e levando-se em conta que os funcionários do Banco do Brasil, na média, são privilegiados, por manterem seus empregos independente do valor gerado para os acionistas, creio que parece mais correto falarmos em Bando do Brasil. Seus empregados e familiares, assim como os clientes privilegiados independente da realidade do mercado, formam um grupo bastante homogêneo, lutando para não perder a mamata, paga, como sempre, pelos pagadores de impostos. Não existe almoço grátis! E o almoço – verdadeiro banquete – dos que se aproveitam do gigantismo ineficiente do Banco do Brasil, custa bem caro.

30 comentários:

Anônimo disse...

Realmente muito bom artigo! Mas vc ainda nao respondeu a minha pergunta no post anterior, sobre o valor da Vale do Rio doce.

Augusto Gabriel Feyh disse...

Não vou entrar nos méritos econômicos de seu artigo.

Mas afirmar que há uma "defesa de privilégios às custas dos 'contribuintes'" ou que nós, funcionársio, não queremos "perder a mamata, paga, como sempre, pelos pagadores de impostos" é no mínimo desconhecer a realidade. Ou utilizar dados de 1996 para justificar um artigo de 2006.

Anônimo disse...

Seu pinto e sua cabeça são dois órgãos mortos. O BB é uma porcaria, mas você não chega aos pés dele.

Vai colorir os dois livros de sua vasta biblioteca. Sei que o segundo você sequer abriu.

antipetista disse...

Resposta ao anônimo

"A Valepar S.A. arrematou 104.318.070 ações ordinárias, equivalentes a 41,73% do capital votante, pelo valor de R$ 3.338.178.240,00 (R$ 32,00 por ação), correspondendo a um ágio de 19,99% sobre o preço mínimo (R$ 26,67 por ação)." Leia mais aqui.

Esses 41,73% do capital votante representavam cerca de 27% do capital total da empresa. Para saber mais sobre a composição acionária da CVRD em 1997, clique aqui.

O valor de mercado da Vale em 1997 era de aproximadamente R$ 10,3 bilhões. Portanto a fatia da empresa que foi privatizada (27%) valia em torno de R$ 2,78 bilhões - 16,7% inferior ao valor arrecadado com sua venda.

Anônimo disse...

O BB de certa forma entrou no imaginário popular como sinônimo de segurança. Muitos seguem tendo medo de colocar o dinheiro em bancos privados com medo de quebradeira (vide os casos do economico e banco santos).
Muitos também são saudosistas de um tempo em que ser funcionário do banco do brasil era quase um título de nobreza - meu pai, funcionário aposentado, conta que há muitos anos aqui na minha cidade, quando saía o pagamento do BB, os contínuos fechavam as ruas da zona do baixo meretrício daqui só para eles. Nesse dia não tinha puta pobre.
Tem um aspecto também que seduz muitos correntistas ao Banco do Brasil na minha cidade - a facilidade de encontrar caixas eletrônicos. Aqui está realmente cheio deles, muitas farmácias, postos de gasolina, lojas de conveniência, etc dispõem de um deles.
O Bradesco, por sua vez, vem aumentando a rede, mas ainda está longe do BB. OS outros são bem menos atraentes nesse aspecto.
Agora um serviço simples que até hoje outros bancos, como o poderoso bradesco ainda nao têm e o BB tem é a unicidade de cartão de saque e cartão de crédito. Coisa que o BB faz há quase 20 anos (ourocard).
Há muito o que ser consertado, mas a existência de um BB forte talvez tenha também bons impactos na economia, pois em muitos lugares não há outro banco a prestar serviços, atualmente os funcionários comuns têm ganhos equivalentes ou até piores que em outros bancos, mas na "administração superior" o negócio complica, além das famigeradas indicações políticas que só prejudicam o banco.
Agora uma última pergunta: - ações do BB são um bom investimento?

Anônimo disse...

Rodrigo, sou favoravel as privatizações de empresas publicas, mas sem FINANCIAMENTO DO BNDES, afinal o BNDES usa o dinheiro do contribuinte, certo?

Didi disse...

Cara, vc deve ser mais um dos malucos que abundam por este país. Vc sabe quanto ganha um funcionário do Banco do Brasil? Certeza que não, senão não escreveria tanta asneira. Alguns estudiosos dizem que quem ganha até 3 Salários mínimos é considerado baixa renda. Vc sabia que o salário de ingresso do BB não chega a 3 Salários
mínimos? Aí então eu pergunto:
-Que diabos de mamata é essa?
Só pra vc saber; Banco do Brasil hoje, não passa de um quebra galho para muita gente, a alta rotatividade diz por sí só, está mais para construção cívil do que para Banco.

Anônimo disse...

Seu "About me" fica extremamente maculado quando Vossa Senhoria escreve sem fontes fidedignas ou sem conhecimento algum sobre o assunto. Seus mestres devem estar envergonhados com a criatura pela qual tiveram e têm alguma responsabilidade. Visite o Banco do Brasil. Conheça a realidade de seus funcionários. Visite comunidades onde o Banco está presente. Faça comentários respeitosos, em respeito a seus leitores.

C. Mouro disse...

Sobre lucros de estatais há que se pensar bem. Por exemplo se um banco recebe em pagamento de uma dívida, máquinas que estão na selva africana ou no Kwait por ser econômicamente inviavel seu transporte, é possível que tal vá como real recebimento, não é mesmo BB? Também se pode adquirir títulos de dívida +/- a 40% e inserir tal com o valor de 100% mesmo que o mercado não pague isso e que o devedor permanecerá devendo. São coisas irreais que podem forjar lucratividade. Tudo é possível onde não há consequência para canalhices, pois é "patrimônio público" é sustentado pelo público proibido de dele usufruir.
Abs
C. Mouro

Anônimo disse...

Com certeza toda essa "mágoa" no seu desinformado coraçãozinho deve ser por não conseguir passar em um concurso no BB. Mas se vc realmente tivesse conhecimento de quanto ganha um funcionário do Banco do Brasil em relação a uma pessoa que trabalhe em um banco privado com certeza não falaria tanta bobagem. Antes de falar sobre o que não conhece fale com quem está lá dentro, procure saber quantas horas a grande maioria dos funcionários trabalha por dia, converse com pessoas que trabalham nas agências pra saber se toda essa baboseira que vc está falando realmente procede. Os funcionários são competentes sim e ralam muito pra ganhar menos que a concorrência. Não julgue todos por alguém que vc conheça e que vc ache que não seja competente ou sei lá o que..porque pessoas incompetentes existem em qualquer profissão e vc, meu caro, é uma prova disso. Informe-se melhor para ser mais competente nos seus julgamentos.

Rodrigo Constantino disse...

Hehehe

Bastou mostrar DADOS que deixam claro como o BB é inchado e ineficiente que seus funcionários privilegiados logo começam a gritaria, xingando mas sem argumentos.

Não, anônimo, nunca quis ser um "funça". E sei que dentro do BB existem ALGUNS funcionários competentes. Mas estes são justamente aqueles que não temem sua privatização, pois estariam melhores caso o banco fosse privado. Os que vociferam contra sua venda são justamente os acomodados, os preguiçosos, os que odeiam competição livre.

Privatização já!

C. Mouro disse...

Veja só que interessante, diz o tipo:
"Os funcionários são competentes sim e ralam muito pra ganhar menos que a concorrência."
.
...Hehehe! veja só: eles ganham menos, e assim é porque são competentíssimos para passar num concurso ...hehehe! Que grande competência, e certamente se esforçam para passar p/ o BB por puro altruísmo, sacrificando-se (ao ganhar menos) para o bem do povo ...hehehe!
...esses tipos são uma piada!
.
O fato é que há muita mordomia, embora de fato muitos não aproveitem. Conheço funcionários do BB e a coisa é maravilhosa para as chefias incompetentes, muitas absolutamente parasitárias. Sem contar que trabalhando ou não, produzindo ou não a grana e as benesses estão garantidas sobretudo para os bem colocados e com bons padrinhos. Os bostas que efetivamente rendem algo e ganham menos que os incompetentes e vagabundos parasitários, são uns trouxas doutrinados e imbecilizados através da inveja que neles induzem contra os que não precisam viver do Poder pois podem pelo trabalho.
Muitos devedores de estatais adoram as estatais, afinal só o BB pode receber feijão podre em pagamento, se não me falha a memória sobre o Bisol. Tudo é muito curioso no que toca estatais que podem beneficiar ONGs e amigos sem amiores complicações, podem contratar e não obter o tudo contratado; tudo é muito dificil de fiscalizar, e a roubalheira come solta.
Só os bobos são "pagos" com galanteios e ofensas aos "demônios" a que são ensinados a odiar e a invejar. Quanto mais estatais mais fácil roubar a população, mais prospera a corrupção. E os bobos são "comprados" com chavões, galanteios e discursos, enquanto os espertos usufruem de algo mais objetivo como privilégios, dinheiro e vida mansa.
Tudo graças as idiotices que cravam nas mentes flácidas ...hehehe! a ponto dos tipos dizerem que se esforçam para passar em concurso e ganhar menos do que ganhariam se na iniciativa privada. ...Hehehe! ...É CÔMICO! EMBORA TRÁGICO!
Abs
C. Mouro

Joao Oliveira disse...

Muito me admira alguem ser contra as privatizações, depois de toda essa corrupcao envovendo parlamentares mensaleiros e ministros sanguessugas, depois desses parlamentares tentarem obter um aumento de 90% dos salários. Enquanto estatais, essa empresas são administradas indiretamente por esse bando de ladroes que só pensam em si próprio. Quando na mão de empresários, estes são obrigados a melhorar as condicoes dos empregados não por bondade, mas sim por causa da concorrência. Portanto, é muito melhor este o último cenário. Enquanto o povo Brasileiro tiver essa mentalidade atrasada e achar que o Estado intervencionista é bom para o cidadão (sendo que a história do Brasil e do mundo mostra o contrário), e enquanto não compreender que é necessária a competição para que uma sociedade avançe (além de educação, evidentemente), vamos permanecer a civilização atrasada que somos.

Anônimo disse...

Artigo ridículo...
Você é ridículo...
A faculdade que vc fez, Puc- RJ, é ridícula...
Você deve ser um carioca mal amado e frustrado por não ingressar no Banco do Brasil...
Coitadinho, né?

Anderson Mahler disse...

Eu não sei porque os autores anônimos que odeia tanto Constantino voltam diariamente aqui para xingá-lo.

-Guevarinhas do meu Brasil: é muita inveja!

Parabéns Rodrigo.

Bruno Antunes da Silva disse...

me admira um economista falar tanta merda, quer saber por que de uma fopag tão grande? peça pra Bradesco e Itau instalarem agencias ou pabs em cidades que só dão prejuizo pra ver pra onde eles te mandam, funcionario ocioso é voce, va ate uma agencia do BB e Observe, os horarios, pergunte os horarios de trabalho de cada funcionario e por quanto ele ganha, um escriturario no BB ou no real ganham o mesmo, mas la eles trabalham só 6h sem restrição, no BB são 6h e mais oque o administrador te manda fazer, estabilidade no banco não existe, eu tive que mandar um escriturario embora por que ele se defendeu de um cliente.. mas voces não observam isso. pesquise primeiro depois divulge asneiras

Anônimo disse...

Voce não nasceu para fazer comentários, Principalmente de um banco com o porte do Banco do Brasil, esse comentário desnecessário só pode ser uma dor de cotovelo por nunca ter passado em um concurso do mesmo. Continua escrevendo suas estorinhas em seus livros que voce finalmente receberá os elogios que lhe merecem.
Onde voce trabalha?????
Acho que esse é seu problema....
Da próxima vez que for fazer um comentário desta tamanha magnitude, se toca e pesquisa um pouco mais o seu foco, para ver se enfatiza o verdadeiro concreto da situação.
se cuida. evilasio nascimento.

Marcelo disse...

Minha nossa! Estou trabalhando no banco errado!
Tive que prestar concurso pra entrar. As metas não param de apertar(logo depois de serem atingidas) e o número de funcionários em agências só diminuiu. Indice de eficiencia operacional nas alturas, apesar de atendermos os clientes rejeitados pelas outras instituições. No meu currículo funcional não consta impedimento algum para a demissão...
Só posso estar trabalhando em outro banco!!!!

Anônimo disse...

Rodrigo,
Parabéns pela vontade de se expressar, porém com os títulos que você detem suas opiniões deveriam ser mais atuias e estatísticamente embasadas. Nota: muitos dos ultimos empregados que saíram do banco no programa de demissão incentivada estão trabalhando a convite em outras grandes e eficientes empresas, inclusive bancos privados. A "realidade" que você desenha nos romota a um passado no mínimo anterior a 1986 quando o banco tinha a conta movimento do País.
Samuel Lima
Goiás
Administrador de Empresas

stima18 disse...

Rodrigo,
Parabéns pela vontade de se expressar, porém com os títulos que você detem suas opiniões deveriam ser mais atuias e estatísticamente embasadas. Nota: muitos dos ultimos empregados que saíram do banco no programa de demissão incentivada estão trabalhando a convite em outras grandes e eficientes empresas, inclusive bancos privados. A "realidade" que você desenha nos romota a um passado no mínimo anterior a 1986 quando o banco tinha a conta movimento do País.
Samuel Lima
Goiás
Administrador de Empresas

Anônimo disse...

Rodrigo Constantino!

Sou funcionario do BB e concordo com parte de suas colocações, mormente no que tange à baixa eficiência processual, burocracia e etc. O Banco tem, sim, uma estrutura inchada e "irracional", administrativamente falando. São muitas diretorias, um emaranhado de departamentos e um organograma, no minimo, complexo.
Se a privatização iria resolver este problema? Talvez. No entanto, bancos privados, destarte à sua maior racionalização de processos, exigem um trabalho quase desumano de seus funcionários. Ex: caixas têm metas de venda. O almoço de um caixa no ITAU deve ser feito em 15 minutos, exatos, com uma tolerância de 5 minutos, sob pena de perda do cargo. Ou seja, são ESCRAVOS disfarçados. Isso so pra citar algumas particularidades.
Portanto, quando vc alega que os funcionários são marajás, que recebem sem produzir o quanto deveriam e rárárá...demonstra desconhecimento real sobre a realidade do corpo funcional atual. O salário de um iniciante no banco hj não chega a R$ 1.200,00. A carga horária desse cidadão é, teoricamente, de 6 hrs/dia (realidade distorcida, pois trabalha-se mais). E essas pessoas não são responsáveis pela burocracia. Ela existe porque a estrutura "exige" que seja assim. Concluindo, seria bom se vc não apenas balizasse seus posts pela sua condição de provavel filho de papai, que sempre teve suporte financeiro e viveu alheio dentro de seu proprio bando às balas perdidas da sua capital. "Estatistique-se", pesquise qualitativamente e, depois, escreva.
Ataque o poder político e seu jogo de interesses, não os funcionarios. E seja mais, específico.

Anônimo disse...

PRENDAM ESTE FASCISTA!

Não tem nem vergonha do que fala!

Richard disse...

Lamentável seu comentário... Qual o valor da Vale mesmo? 2...
Q pena q ñ deu tempo d FHC e seus calhordas seguidores entregar o BB d graça como foi a Vale né?

Petrobrás tb é outra ineficiência só.... Os pinóquios ou digo Tucanos raça q infelizmente ñ esta na lista d extinto banido da terra, querem vender...

Acho q vc ñ tem capacidade nenhuma de comentários ou mesmo analista d mercado pq c o tivesse ainda estaria fazendo...

Bindo disse...

HAHAHAHHAHAHA!!! Eis mais um bunda-mole que ficou irritadinho com o atendimento de merda do BB e resolveu escrever pra desabafar.

Anônimo disse...

Realmente você não sabe quanto ganha um funcionário do BB e sob quais condições ele trabalha. Ou então os funcionários que você diz conhecer são "manda-chuvas" e aí, seu artgio faria algum sentido, em relação à palavras como "mamata".
Não sou funcionária, mas uma pessoa da minha família é. Ele sofre de Burnout para atender gente como você.
Aí você vai perguntar: "Ué, se é tão ruim, por que não pede demissão?"
Porque essa pessoa não vive no mesmo mundo que você. Emprego está difícil e eu duvido que você conheça essa realidade. Infelizmente, há casos em que é melhor ficar se desgastando para atender gente mal-educada mesmo. As contas simplesmente continuam a chegar.

Thales disse...

O fato de o banco do brasil ser público por si só o impede de ser comparado com instituições privadas. Já que o acionista maioritarios dita as regras que a sua empresa vai seguir dentro do mercado. E nem sempre as regras são as da eficiência economica. No caso do setor público pode ser o da distribuição de renda e desenvolvimento de regiões com desigualdades sociais. Por exemplo, vc ja imaginou o qnto é trabalhoso para o banco do brasil analisar as propostas de pronaf??? são mais de dois milhões de pronafeiros existentes no país. O governo abriu o jogo e disponibilizou a linha para outros bancos, algum se mostrou interessado? Claro que não. Pq a linha que cobra menos de 6% de juros ao ano não eh interessantes para esses bancos. E o banco do Brasil o faz não por amor ao Brasil, mas sim pq é um agente público. O pronaf é um exemplo. Temos vários outros, como por exemplo, a Compensação de cheques. Que são mais ou menos 2 mil funcionarios, quem a faz??? um doce pra quem acertar essa! então meu nobre companheiro de profissão, nunca ouse comparar agentes públicos com privados!!!

Paulo disse...

Bah, me parece que você cara, é um daqueles teóricos que de nada sabe de fato...hoj em dia um funcionário do BB com o salário que ganha, teria que ser atendido pelo banco popular do brasil, se o banco não é tão suficiente em lucros ou não, problema não é do funcionalismo...além do mais, em bancos privados as pessoas não apenas trabalham, são semi-escravas...é desumano...tu és só um mauricico que estudou algo que não sabe como realmente funciona!

Gonçalvez disse...

Sou funcionário do BB e estou contente pela maior estabilidade, as gratificações que engordam o salário, pelas 6 horas de trabalho, pela chance de se tornar gerente.
Não olho apenas o salário, acho o que vale mais é o ambiente próspero e a visão de cada um. Recentemente me usei da oportunidade de ser um funcionário BB e abri uma loja de venda de carros seminovos e financiados pelo BB. Como eu tenho acesso a informações privilegiadas eu financio o carro para vc, se precisar adulterar seu comprovante de renda eu posso fazer isso. Moral da história : eu vendo a corda para quem quiser se enforcar, ganho meu capital em cima de cada carro negociado e reaplico o dinheiro.Isso prova que vale mais a oportunidade das mamatas de um banco público onde "não existe patrão" te vigiando, o que me deixa mais a vontade e ousado para explorar me das informações internas. Tenho minha bmw 1998 e 2 aptos levantados com astúcias que advieram desta oportunidade.
Adios pampa mia!

Evandro disse...

Também sou funcionário do BB, tenho 2 graduações, 3 MBA e estou concluindo mestrado pela USP. E estou feliz com a minha mamata de R$1.400,00/mês + ticket.
Só não entendo porque seria interessante para o acionista majoritário (o povo brasileiro) vender uma empresa que dá lucro, se o dinheiro da venda não será revertido para benefícios sociais de longo prazo, e sim para obras eleitoreiras (como no governo FHC).

Anônimo disse...

Feito pra você não ler

As vezes gostaria de entender alguns comentarios,mas enfim . Eu acho que a privatização é mais um rela saco para servido publico puxa mais saco do patrão O GOVERNO. E antes de mais nada quero deixa bem claro aqui e digo por experiencia própria, nenhum Banco presta (a não ser o Banco da Praça, nesse vc pode confiar) digo isso por que já tive o desprazer de passar alguns dias no BB e consequentemente Unibanco e logo em seguida o Banco Feito pra ti fude, não há estatistica,mas sim o grau de maldade que eles fazem com o clientes coitados que são lezados na cara dura, mas entre um banco Privado e um Publico pra quem não sabe o Banco Publico nunca entrará em falencia, e se o governo ti lesa vc pode entra com um pedido de petição na justiça e pedi ao Banco Central uma ocorrencia, oque é mais rápido doque uma instituição privada, que por mais que o Bancen tente eles sempre colocarão a culpa em vc, se possivel molhará a mão do Analista Geral.Não que eu esteja defedendo o BB mas com relação a metas, produtos e tal, sim há gerente que dão a alma para consegui porem eles sabem que são concursado e tem o emprego garantido e só faz cagada com quem não sabe que há um canal na qual vc denuncia servidores.Diferente dos Banco Privados que fazem de tudo para vc levar qualquer produto, ti enchem o saco, falam coisas na qual são programados a fala, sem contar a forma como são desumanizados a fazerem qualquer negocio,por de trás dos batidores Gerentes dos Banco Privados falam mal do cliente, do cheiro do cliente, da roupa do cliente, chegam até rirem da sua cara e na hora de vender se fazem de bonzinho vi muito isso no Personalite Itau, com relação ao sálario a verdade é que os caixas não ganham absolutamente nada alais ganham sim 1200 é o salario fora VT+VR+VA em torna de 1440,00 pra atura praticamente tudo, gerentes ganha sim em torna de uns 3000,00 mas pra ele ganhar esse sálario ele tem que tira o couro dos caixas, ou seja é um efeito domino.Não se iluda trabalhar em Banco é ledo engano.Lá vc verá o mais baixo nivel humano da face da terra,as aparencias enganam,e muitas das x você sentirá saudade da sua liberdade antes de ser bancario, verá pessoas inocentes sendo acusadas de ladra, verá gente tão pobre de espirito virá chefe.Passa em concurso publico sim, mas se é pra Banco tente pra Bacen, os caras do Bacen não fazem quase Nada , há alguns que passa o dia todo só recebendo reclamação por um salario de ensino medio em torno de 5000(cinco mil) e isso mesmo, fora o respeito, mas há muitas cobras e vc tem que fica loge das maçãs. A relação de você ser torna um gerente numa instituição privada você tem que puxa muito o saco do G.A até lambe o coco dele, a chace de vc virá Gerente numa instituição público é fala mal do seu chefe e pega ele fazendo algo na qual gere improbidade.Graças a Deus, eu quebrei o meu controle mental, e eles me desligaram, hoje me sinto livre e feliz, e por incrivel, a liberdade de ter hora pra entra e não ter pra sair, me sinto livre novamente. Lá não existe Deus, mas mesmo assim que ele viva no coração de todos que ainda não abriram os olhos.

P.S: Feito pra vc não ler