sexta-feira, outubro 07, 2011

Ainda Steve Jobs


Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

O ministro da Ciência e Tecnologia Aloizio Mercadante, que nada entende de ciência e tecnologia, disse sobre Steve Jobs: "Ele era um visionário. Um símbolo de talento, criatividade e um grande inovador. Espero que a Apple consiga superar a perda desse gênio, e não perca o espírito". Mercadante disse ainda que o Brasil precisa de pessoas com o talento e a inspiração de Jobs: "Espero que o exemplo dele inspire jovens de todo o mundo. No Brasil, precisamos muito de pessoas talentosas e inovadoras. São elas que impulsionam o processo de desenvolvimento de uma nação”, afirmou o ministro.

Ora, ministro, são pessoas assim que, de fato, impulsionam o desenvolvimento. E não o governo! Portanto, saia da frente, retire os obstáculos todos do governo que impedem o surgimento de inovadores capitalistas. Não vamos esquecer que Steve Jobs não se interessava muito pelo Brasil, um país com quase 200 milhões de habitantes, justamente por causa das barreiras estatais. Sequer somos livres para consumir seus produtos, como as músicas do iTunes. Sem falar do preço que, graças aos escorchantes impostos, chega a ser mais que o dobro do que pagam os “pobres” americanos. Se Steve Jobs fosse brasileiro sob seu governo, ministro, ele nunca teria saído daquela garagem!

Se, de um lado, quem não devia elogiou Steve Jobs, por outro lado surgiram aqueles jurássicos esquerdistas para atacá-lo. O argumento, que circula na internet, diz basicamente que não foi Jobs quem produziu o iPad e demais produtos da Apple, e sim as crianças asiáticas. O que essa turma ainda não compreendeu é que o valor gerado, ainda mais na era da informação, depende da mente, e não dos braços. Trabalho mecânico qualquer um faz, e há que se agradecer a Apple por levar empregos a estes pobres trabalhadores da Ásia. Mas o verdadeiro valor está na inteligência. Como disse um personagem de Ayn Rand em sua novela “A Revolta de Atlas”:

“Olhe para um gerador de eletricidade e ouse dizer que ele foi criado pelo esforço muscular de criaturas irracionais. Tente plantar um grão de trigo sem os conhecimentos que lhe foram legados pelos homens que foram os primeiros a plantar trigo. Tente obter alimentos usando apenas movimentos físicos, e descobrirá que a mente do homem é a origem de todos os produtos e de toda a riqueza que já houve na terra.”

Alguns também criticam Jobs por não ser engenheiro, não ser aquele que realmente criava a tecnologia. Também erram o alvo: o valor do empreendedor é justamente esta visão mais holística, que sabe pegar as partes separadas e juntá-las num produto final fantástico e demandado por todos. Os críticos podem dizer o que quiserem, mas o fato é que a genialidade de Steve Jobs entrou para a história. A maçã de Eva, a maçã de Newton e a maçã de Jobs: três maçãs que mudaram o mundo para sempre.

30 comentários:

ddragoonss disse...

Critico ele e os seguidores da sua religião porque:
1- Ele não era genial.
2- Ele não inventou porcaria alguma, pegar tecnologias já existentes, arrendondar as bordas, colocar numa caixa de plastico brilhante e tacar marketing não é invenção pra mim. Empresa feita de 99% de marketing e RH e 0% de R&D não é inventiva pra mim.
3- Como uma pessoa que preza por tecnologia, vender produtos tecnologicamente defasados pelo triplo do preço de mercado não é de forma alguma algo digno de "respeito".

A unica coisa que ele fazia era vender status pra "designers" e pseudo-artistas. A Apple vende "joias": inúteis, extremamente caras, e que só servem para elevar o "status" e demonstrar a superioridade de quem usa. Um ótimo colar de diamantes, mas prefiro um computador de verdade, prefiro um celular de verdade, que faz mais e melhor pela metade do preço.

Ter que ler baboseiras(em outros sites) de que ele inventou o MP3, o computador, o notebook, o celular, a roda, a teoria da relatividade, o método cientifico e a fundição a ferro é de doer os olhos pra quem conhece o minimo de tecnologia.

E ele não é exemplo de capitalismo, nem de invenção, nem de tecnologia. É só exemplo de como uma massa de alienados pode ser alienada com uma boa quantidade de marketing e propaganda.
Quer exemplo de capitalismo? Olhe pra Lenovo, pra Gigabyte, pra empresas asiáticas que fazem o inferno pra diminuir os custos e criar novas tecnologias para assim entrar no mercado ocidental, esse cheio de proteccionismos e de subsídios a empresas nacionais. Eles sim são os heróis do capitalismo, não essas empresitas americanas que ganham mundos e fundos de incentivos do leviatã governamental.

Anônimo disse...

Impressionante o poder de misturar alhos com bugalhos.

Os trabalhadores asiáticos devem agradecer à Foxcon pelos empregos, mas devem culpar a FALTA de regulação dos governos locais pela situação de escravidão a qual são submetidos.

E os trabalhadores BRASILEIROS que vão trabalhar para a Foxcon?

Esses devem agradecer ao Estado brasileiro pelas regras que regem as relações de trabalho no país e protegem o trabalhador.

A genialidade de Jobs não será esquecida ao se lembrar das distorções do capitalismo, caro Rodrigo.

E não se esqueça: a única maneira de trazer esta empresa para produzir aqui, foi graças ao que você chama de barreiras nacionais.

O recado é simples: "querem desviar das barreiras brasileiras? Produzam e gerem empregos aqui!"

Mais claro que isso, só traduzindo pro inglês. Right?

Anônimo disse...

Esse ódio da esquerda pela inventividade, pela inteligência me lembra sabe quem? Pol Pot...

Quem conhece a história, vai concordar. Quem não conhece, devia muito conhecer.

Agora, dizer que ele não era genial é deixar a inveja falar muito alto.

Rodrigo Constantino disse...

"Esses devem agradecer ao Estado brasileiro pelas regras que regem as relações de trabalho no país e protegem o trabalhador."

Como é que é?!?!?!?!

Vixe! Nosso governo só atrapalha o trabalhador com tantas "conquistas"...

Adriel disse...

Rodrigo, na Apple Wozniak era o engenheiro e Jobs o cara de visão. Este vídeo demonstra isto pelas palavras do próprio Wozniak:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=dK_XEGrzHUo

Adriel disse...

"E não se esqueça: a única maneira de trazer esta empresa para produzir aqui, foi graças ao que você chama de barreiras nacionais."

Em outras palavras: a única maneira de atrair esta empresa para cá foi obrigando o consumidor a comprar produtos importados mais caros indefinidamente. O dia que o governo acabar com este "benefício", no dia seguinte ela faz as malas! Grande vantagem!

Kleiton disse...

Para o ddragonss:
"vender produtos tecnologicamente defasados pelo triplo do preço de mercado não é de forma alguma algo digno de "respeito"."

Até onde sei, Jobs nunca colocou uma arma na cabeça de ninguém para comprar um produto da Apple. As pessoas compravam porque queriam, porque ENXERGAVAM VALOR NAQUILO QUE A APPLE PRODUZIA, seja pela tecnologia, seja pelo design, seja pela facilidade de uso.

"Ele não inventou porcaria alguma"

Só pra dar um exemplo, ele simplesmente criou UM MERCADO INTEIRO. Antes do iPad, não existia sequer demanda para tablets, e a Apple soube explorar isso (no bom sentido).

O mundo precisa de empresas como a Lenovo, que foca mais em hardware e desempenho, mas precisa da Apple, que sabe mesclar a tecnologia com o design e a usabilidade.

FYI disse...

ddragoonss.....

Seu voce eh uma besta....
Eh Inacreditavel como podem existir pessoas com este tipo de pensamento...
Aposto que voce eh "Petista" e provavelmente fez um "bico" como cabo eleitoral do Tiririca...

http://www.youtube.com/watch?v=UF8uR6Z6KLc

alexandre disse...

Não entendo muito de informática mas li especialistas dizendo que o cara era um gênio. Quem sou eu para contestá-los ?
E por tudo que li do Jobs arrisco a dizer que ele foi o Henry Ford do século 21. Um popularizou o automóvel e ele a tecnologia.

Anônimo disse...

Rodrigo, sou bastante crítico a pontos específicos da legislação trabalhista brasileira. Mas defender que ela deve ser nos moldes asiáticos é loucura.

Não se esqueçam do exemplo da economia estadunidense: exportou todos os empregos industriais para a Ásia, sim, por conta de uma legislação trabalhista "pesada", mas também por conta de uma economia que não impõe restrições à entrada desse tipo de produto (como bem apontou o Rodrigo em outro tópico).

A questão é: o que sobrou para eles? Uma economia baseada apenas no consumo e no setor de serviços (que depende diretamente do poder aquisitivo da população local).
Uma economia sem indústria é uma economia frágil. Quero ver que mágica vão usar para sair da recessão sem participação do Estado.

Existem duas soluções pra eles:
- rebaixam as leis trabalhistas aos níveis asiáticos e trazem os empregos de volta, ou levantam as portas contra importações através de impostos, estimulando a produção dentro do país e gerando empregos (como faz o Brasil agora).

O problema é que lá o Estado é controlado pelas corporações que se benefciam do estado atual das coisas, então nada irá mudar. Azar do trabalhador dos EUA.

Distorção grave essa, não?

Anônimo disse...

Incrível como tem gente desinformada comentando... Protecionismo é uma carga à população em favor dos grandes empresários e seus apadrinhadados políticos!

gustavosauer disse...

Acho que muitos críticos da Apple não conseguem perceber a forma como a Apple contribuiu. Ao contrário de Henry Ford, a Apple não inovou fazendo produtos revolucionários ou mais baratos, o que ela fez foi popularizar uma idéia. Ao popularizar uma idéia, ela criou um mercado que antes não existia. O Ipad, por exemplo, é extremamente caro e com poucos recursos ao comparado com a concorrência, mas quem sabia o que era um tablet antes do Ipad? Hoje já há um mercado grande pra essa tecnologia e com várias alternativas melhores e mais baratas que o Ipad. Essa pra mim foi a maior contribuição da Apple, a popularização de idéias tecnológicas e não a produção de tecnologia em si.

Ivan disse...

A galera da esquerda tá que tá raivosa... Quem adora criticar os EUA e achar que lá a abertura do mercado e as grandes corporações acabam com tudo de bom, deve ver a lista das melhores Universidades do Mundo e ver quantas são particulares e quantas estão nos EUA:

http://www.timeshighereducation.co.uk/world-university-rankings/2011-2012/top-400.html#score_OS%7Csort_rank%7Creverse_false

Pros preguiçosos: das top 10 são 7 americanas e 3 inglesas.
das top 20 - 14 ficam nos EUA. 70% lembrando que a população dos EUA equivale a menos de 5% da população mundial

Melhor brasileira na lista é a USP: 178º

PS - já repararam que a galera do politicamente correto chama os americanos de estadunidenses! Fala sério!

ddragoonss disse...

@ Kleiton:
Design e fazer se sentir parte de um grupinho seleto e "superior aos humanos normais que não usam Apple", tudo bem, ele fez isso. Como disse, o que não aturo é ler esse bando de alienado dizendo que ele fez algo pela tecnologia(ou facilidade de uso), jamais, não fez coisa alguma; chamar de "gênio da tecnologia" é uma grande ofensa a Turing, ao próprio Bill Gates(que pelo menos sabe programar muito bem e tem mais de 10% do mercado mundial) ou a qualquer outro.

Gênio do Marketing viral eu aceitaria numa boa.

E tablet não tinha/tem mercado porque era/é um treco inútil, olhe os reviews sobre o Microsoft Tablet lançado em 2001, todo mundo reclamando que não tinha teclado, que era muito grande pra um PDA/smartphone, sem portabilidade, que não se compara com um notebook, que era inútil, ect, ect, ect.
As mesmas coisas foram ditas por todo mundo pensante(não incluso os Applemaniacos) no lançamento do IPad em 2011(10 anos depois) somando a falta de multi-tasking(ou seja, não passa de um iPhone com tela gigante).

Lançar um marketing altamente agressivo dizendo que é tudo que você precisa(sem dizer o porque, mas "Think different" da razão e da logica) foi a unica coisa que a Apple fez, forçar o rebanho de macmaniacos a comprar um produto inútil por mero status/fanboismo foi a coisa que a Apple fez/faz/fará.

Mas e aí, a piada pronta que todo mundo diz: Tablet é útil pra que mesmo?


Os produtos da Apple serem foram uma piada de mal gosto no mundo da tecnologia, caros, cheio de falhas, péssimos em comparação a qualquer outro, e ainda assim "adorados como uma religião".
Se quer ser "designer" e "artista moderno" só por usar produtos Apple, seja; se quer usar uma joia inútil, use; se quer fazer parte do clubinho seleto, faça...
Mas não chame isso de "tecnologia de ponta", por favor.

Rodrigo Constantino disse...

Pensei que o iPad fosse algo inútil. Leio muitos livros, e não abro mão do papel. Jamais quis um Kindle, por exemplo.

Até ganhar de presente um iPad. Só leio a The Economist com ele! Pedalo lendo o WSJ e o Estadão com meu iPad. Uso para email em viagens mais curtas.

Enfim, ele é MUITO útil. Eu ainda não sabia. Steve Jobs sim. Isso faz dele um gênio de visão.

Sem falar que a tecnologia pode não ser in house, mas ele soube aproveitar o que tinha de melhor no mercado sim. Meu Mac jamais deu problema. Eu nunca o desligo. Basta abrir a tela e pronto. Meu Vaio... putz! Que lixo!!!!

ddragoonss disse...

Um Kindle custa BEM menos.

Igualmente o Mac, mas um Mac custa o triplo de um computador melhor que ele.

E como você consegue ler ao ar livre de dia num iPad eu realmente não entendo, pois diferente do Kindle(que usa E-ink, tela reflexiva), iPad é totalmente ofuscado pela luz solar.

Além de tempo de bateria(10 horas vs 2 semanas), leveza, portabilidade e resistência.
E o preço de um iPad é o triplo de um um Kindle.

Além de ser apenas literalmente um iPhone com tela gigante, sem flash, sem multi-tarefa, sem nada diferente de um Smartphone, a unica diferença é a falta de portabilidade do trambolho, não da pra colocar no bolso, enfim, não é necessário pra quem tem já um celular, totalmente inútil.

E sobre Jobs saber o que é melhor pra você, e não você mesmo, só peço que releia a frase, se isso não soa meio... errr... "fanático", não posso fazer nada.

Como disse, ele era ótimo em marketing, em forçar gostos inexistentes, em dar "valor" a coisas inúteis, isso é marketing, não tecnologia, tecnologia é ajudar as pessoas em necessidades reais, é melhorar o real, é criar novas tecnologias necessárias(como a gravação perpendicular dos HD), não inventar ou forçar necessidades.

O povo confunde tecnologia com modismo e "coolness", ai é dose. E sobre o Vaio, se for um Vaio Z é realmente péssimo, um Lenovo, Toshiba ou ASUS são a melhor escolha(além de qualquer um desses custar sempre a metade ou menos de um produto Apple). E fast-boot é só colocar em espera, todo notebook/pc/netbook tem isso.

Anônimo disse...

é... mas se Socrates estivesse vivo, ele nao teria dito iso..ashuashuashuashuahs

gustavosauer disse...

"mas se Socrates estivesse vivo, ele nao teria dito iso"

check-mate

Adriel disse...

"Sem falar que a tecnologia pode não ser in house, mas ele soube aproveitar o que tinha de melhor no mercado sim. Meu Mac jamais deu problema. Eu nunca o desligo. Basta abrir a tela e pronto. Meu Vaio... putz! Que lixo!!!!"

Rodrigo, tens de comprar um Macbook! Não irás te arrepender.
Já tive 3 macbooks e não troco por nenhum PC. Enquanto meus macs de 3 anos de idade rodam lizinho... os PCs dos meus amigos já foram reinstalados umas 10x.
90% das pessoas que reclamam dos MACs... nunca USARAM um mac... elas precisam aprender que configuração de hardware não é tudo. Por exemplo nunca precisei de mouse esterno para o meu macbook enquanto que nos meus notebooks antigos, sempre precisei ter um do lado.

Anônimo disse...

A propósito, tenho visto pela internet uma grande quantidade de esquerdistas ultra furiosos com o merecido reconhecimento que se tem dado ao Steve Jobs. Coisa feia e vergonhosa de se ver, um verdadeiro festival de inveja.

Esquerdista sofre, deve ser mesmo muito doloroso ser constantemente lembrado pelos fatos de que se está no caminho errado.

Para eles que insistem nessa ideologia jurássica, resta somente uma vida de impactos contra o frio e duro concreto da realidade. E nada do que disserem será capaz de diminuir o valor do trabalho do Steve Jobs e de tudo aquilo que ele representa.

Anônimo disse...

'Também erram o alvo: o valor do empreendedor é justamente esta visão mais holística, que sabe pegar as partes separadas e juntá-las num produto final fantástico e demandado por todos'

Perfeito! É isso que gente como esse dragon nunca vai conseguir entender.E é por isso que o lugar deles na sociedade é (felizmente pra eles) ser os ompa-loompas dos que conseguem.

Anônimo disse...

Genial sim, e não só na área de tecnologia, como empreendedor ele comprou a pixar que não valia p nenhuma e transformou na gigante de hoje.

tem gente com a cabeça no séc dezenove que acha que inteligência é ser capaz de ir até o fim do mundo e voltar fazendo contas.No mundo de hoje cada vez mais automatizado esses pessoal é cada vez mais obsoleto.

Anônimo disse...

'Um Kindle custa BEM menos.'

Taí, outra prova de como a cabeça desse pessoal é tapada.Um kindle custa menos, SO FUCKING WHAT? Eles não tem a menor idéia do que é importante pros outros, que se for uma troca VOLUNTÁRIA as pessoas ganham pagando mais, de que as pessoas tem outras coisas pra fazer e NÃO LIGAM pra essas frescuras que um técnico acha a oitava maravilha, e o principal, não entendem que o objetivo de uma empresa é agradar quem está fora, não quem está dentro.

resumindo: Linux só é de graça se o teu tempo nao vale nada.

André Barros Leal disse...

Rodrigo, discordo de você. se o Steve Jobs vivesse no Brasil ele teria FECHADO a garagem dele pois num determinado momento um fiscal iria entrar lá e passar uma dezena de multas por possuir um negócio informal

alexandre disse...

"Nesse cenário, Steve Jobs, um hippie contestador, é apresentado como um grande visionário, ao criar, juntamente com Steve Wozniak, o primeiro microcomputador com interface gráfica, o Macintosh. Já Bill Gates, um nerd típico, desenvolve o primeiro sistema operacional de interface gráfica que, ao contrário da Apple, foi projetado para funcionar em qualquer PC: o Microsoft Windows. Começa, então, a grande competição".
Esse é um trecho sobre um filme da vida de Jobs e Gates. Eles não descobriram cura para doenças, não libertaram nações, não derrubaram regimes autoritários mas todo o empreendedorismo e a visão visionária deles resultaram nesse mundo de hoje. O computador e a informática estão presentes na medicina, nas empresas, nas escolas e nas casas. Nossa vida pessoal e profissional mudou para melhor. Mesmo que o objetivo deles não fossem esse. Criticar esses dois é um absurdo.

Gustavo disse...

Para ser justo, se ele abrisse a empresa na garagem, nos EUA de hoje o fiscal tambem viria para multa-lo.
Infelizmente, parece q cada vez mais os EUA copiam o Brasil, do q nos copiamos ele.

Anônimo disse...

Meu amigo, comecei a ler os comentários e parei no segundo, devido o alto nível de baboseiras. Dizer que um i-phone ou um i-pad é uma porcaria é coisa de quem nunca viu um ou de quem não aprendeu a usar. Os brasileiros que vão trabalhar para a Foxcomm? Essa empresa já acenou que não vem pra selva, devido a incrível burocracia, taxação e risco aqui na floresta. Dizer que o governo protege o trabalhador? Ah, se eu pudesse receber, ao invés de FGTS, 8% a mais de salário, o qual faria render pelo menos 10% ao ano, podendo usá-lo quando bem entender...Esse governo-bunda pega seu dinheiro, te paga 3% e coloca um monte de condições para poder sacá-lo. Me proteger? Ele quer me matar de desgosto.

Romulo disse...

Se a garagem dele fosse no Brasil, teriam entrado durante a noite e roubado o projeto do Apple I. Jobs teria ido na delegacia e teriam dito que era assim mesmo, melhor desistir de recuperar seu brinquedo. Jobs, tentaria reconstruir seu computador, mais a greve dos bancos atrasaria seu financiamento, e quando conseguisse dinheiro, depois de muita papelada e burocracia a greve dos correios iria atrasar a chegada das pecas. Quando tivesse com tudo em maos, ja taria muito sem vontade e mandaria seu amigo Steve Wozniak pra casa do caralho, faria um consurso publico, e seria mais um iresponsavel sugando o dinheiro de quem produz.

ddragoonss disse...

""mouse esterno"" (esterno? Só poderia ser mactard mesmo)
""SO FUCKING WHAT?""
Eu peço pra sair, não converso com crentes e fanáticos.
"All Hail Apple, pago com muito orgulho 1.000 a mais só pra ter um pedaço de plastico com logotipo de uma maça mordida no meu MP3; Flash, biblioteca de programas e jogos, velocidade e multi-tarefa? Essas bobagens é pra quem não sabe nada de tecnologia ou qualidade."

Só postei meu primeiro comentário porque esse espantalho de "só fala mal do 'Deus humano Steve 'Tesla' Jobs' quem é comunista bobão" do artigo foi extremamente triste.
Fala mal dele qualquer um com tutano pra não ser enganado por marketing viral e "cultura de status". Ponto final.
Não atura ler "gênio da tecnologia" qualquer um que sabe o que é tecnologia e o que é marketing. Ponto Final.

E Bill Gates é sim um gênio da tecnologia, vendia qualidade, para empresas, não status para alienadinhos pseudo-"designers", indies e posers.

Silas disse...

Ddragonss disse que não conversa com crentes e fanáticos. Depois das de ler o que ele escreveu só posso concluir que ele não bate aquele papo saudável consigo mesmo.