quarta-feira, janeiro 16, 2008

Crenças Místicas


Rodrigo Constantino

"Uma teoria está sujeita ao tribunal da razão somente." (Mises)

O povo brasileiro é um povo bastante inclinado a aceitar passivamente crenças totalmente místicas, das mais absurdas possíveis. Concebo que esta é uma característica universal, mas o caso brasileiro chama a atenção pelo seu grau de crendice. Possivelmente, entre os principais fatores que explicam isso estão a miséria e a ignorância, ainda que não os únicos. Quanto menos instruído for o povo, e quanto maiores forem suas demandas básicas não atendidas, mais fértil é o terreno para a propagação do vírus do misticismo. O obscurantismo em que a Idade Média estava em boa parte mergulhada é evidência disso. As crenças irracionais se alastram na escuridão, alimentando-se do desespero de suas vítimas. As duas paixões humanas que mais contribuem para este caminho são o medo e a esperança. A manipulação desses sentimentos por oportunistas de plantão sempre foi um prato cheio para regimes autoritários e de exploração. O medo da morte e da punição eterna sempre fez muitas vítimas e prisioneiros. A esperança de ser salvo e viver para sempre no paraíso idem. Em certo sentido, podemos afirmar que o Iluminismo ainda não nos deu o ar de sua graça.

Os exemplos que podem ser citados são quase infinitos. Basta andar pelas ruas para verificar a quantidade de gente que ainda crê em macumba, para começo de conversa. A astrologia, em sua forma mais embusteira, ainda faz muitos adeptos por aqui. Não são poucos, mesmo entre as classes mais abastadas, que tomam os patéticos horóscopos como guias de suas vidas. Em um estágio um pouco superior estão vários que encaram o mapa astral como uma ciência séria. Milhares de pessoas visitam as cartomantes ou jogam búzios para "prever" o futuro. Muitos conseguem levar a sério a "materialização" de espíritos divulgada por Chico Xavier. Todo ano milhões sujam os mares na virada do ano com oferendas para Iemanjá. As igrejas mais impostoras de todas, num ambiente bem concorrido, conquistam novas vítimas para seus rebanhos a cada dia, não obstante as constantes provas de safadeza dos seus líderes. A homeopatia, com seu processo de "dinamização", é encarada como medicina verdadeira, ainda que as substâncias sejam completamente diluídas no "remédio". Vários adotam os cristais para "energizar" suas vidas. As crenças importadas do oriente viram moda, provavelmente pelo charme do desconhecido e esotérico. Quanto maior o ocultismo, mais cool é pertencer à seita. A ignorância é enaltecida, e os questionamentos são coisa de "chatos". O lance é não entender direito mesmo. Não é preciso pensar, apenas "sentir". O povo brasileiro coloca realmente as emoções acima da razão como instrumento cognitivo. Não poderia ter outro resultado.

A arte de questionar, exigindo argumentos embasados, respeitando a lógica e a razão, demandando evidências empíricas e científicas, não é muito comum por aqui. O ceticismo não faz exatamente parte de nossa cultura. Se a estátua de uma santa, por exemplo, aparece com "sangue" nos olhos, como se lágrimas fossem, logo uma legião de crentes jura se tratar de um milagre. É um desejo incrível de crer, solapando a capacidade de questionar. E se for um caso simples de charlatanice, fácil de fazer? Não vem ao caso. Alguns casos isolados de cura após a ingestão de uma pílula "santa" são divulgados, e logo há uma fila enorme para ser agraciada pelo milagre. Por que entender o efeito placebo? Imagens aparecem nas janelas de vidro, e logo a massa dos desesperados brada sobre um novo milagre. Para quê perguntar que tipo de fenômeno químico pode causar estas manchas? Por que lembrar que a mente humana adora buscar padrões no caos, como a brincadeira comum de enxergar figuras nas nuvens?

Nada disso. O acaso, como os seguidores espíritas de Alan Kardec adoram repetir, não existe. Tudo tem que ter um motivo, uma ligação causal. O determinismo conquista muitos seguidores, pois retira a responsabilidade. O livre-arbítrio assusta, e por isso mesmo afasta muitos da busca pela liberdade. É mais fácil buscar consolo ou conforto em uma explicação exógena qualquer. Se algo vai mal, é o destino. Se eu sou de um jeito que não me agrada, não posso fazer nada para mudar. Assim Deus quis, ou é meu "karma". Se um relacionamento deu errado, é porque tinha que dar. Se eu joguei fora as muletas, mas não voltei a andar direito, é porque faltou fé apenas. Se um filho fica muito doente, é porque este é o desígnio de Deus. Se morrer um ente querido, é porque estava em sua hora. E por aí vai. A lista de fugas não acaba nunca. Encarar a realidade é tarefa árdua, e a maioria opta pela saída mais fácil, ainda que falsa.

Muitas pessoas acham que não devemos debater religião. Eu não concordo, e nunca aceitei direito esta blindagem do tema. Há uma capa de proteção que torna as religiões, por mais irracionais que sejam, inatacáveis. Quem condena o misticismo tolo é tachado de insensível. Eu não me importaria tanto com as fugas alheias, se elas não tivessem conseqüências muitas vezes nefastas para minha própria vida. Mas a verdade é que as crenças dos vizinhos exercem influência no meu cotidiano, até porque eles votam, ou porque desejam impor seus dogmas aos "hereges". Não se satisfazem em crer isoladamente nas sandices, mas precisam de novos colegas, pois tentam compensar a falta de qualidade com a quantidade. Quando se trata de uma fuga boba em busca de consolo, quando como milhões rezam para santos pedindo auxílio, não vejo problemas maiores. Posso lamentar pela fraqueza em si, que tantas vezes escraviza o indivíduo. Mas não seria nada tão grave assim. O problema é que esse ambiente de misticismo exacerbado transborda para o restante, inclusive para a política. A crença num messias salvador, no Deus Estado, nas promessas estúpidas dos candidatos, tudo isso concentra poder e reduz, portanto, a liberdade individual. Uma coisa está atrelada a outra.

Falta justamente um modus operandi correto, de questionar mais, de procurar entender as coisas sob a lente da razão e aceitar suas limitações, sem a necessidade do misticismo como substituto para a nossa ignorância. Tudo isso acaba tendo como causa o mesmo fenômeno, qual seja, o desprezo pela razão e a tendência a adorar e idolatrar soluções mágicas e confortantes. Se a escolha será entre a Igreja Universal ou o socialismo, não importa muito. Pode ser inclusive uma mistura de cristianismo com socialismo, como na "Teologia da Libertação". Trata-se do mesmo tipo de fuga, de uma crença mística obtida através das emoções. O profeta disse, só pode ser verdade. Não vem ao caso questionar, bastando o apelo à autoridade. O importante é ter fé. Os crentes "sabem" A Verdade, pois ela foi "revelada". Está no livro "sagrado", a Bíblia ou o Manifesto Comunista. O rebanho é intolerante com os "dissidentes", pois como a crença é dogmática, e não proveniente de reflexão profunda, faz-se necessário calar os que apontam as incoerências e contradições. O caso entre religiões e questionamentos nunca foi de muito amor. Muitas vezes acabou em fogueira.

Não é por acaso que o fanatismo religioso – e aqui incluo o comunismo ateu, uma ideologia com todas as características de seita dogmática – derramou rios de sangue durante a história da humanidade. O antídoto para essas crenças místicas, algumas mais perigosas e outras mais inofensivas, é aquilo que todas elas, no fundo, combateram: a razão. "Si tibi vis omnia subjicere, te subjice rationi" (se queres submeter tudo a ti mesmo, submete-te primeiro à razão). Sêneca acertou na mosca ao dizer isso. E aquele que abdica desse instrumento, está aceitando a escravidão, pois delega a algo de fora o controle sobre sua vida, sem questionamento. É a cegueira voluntária. Por isso que o mesmo Sêneca afirmou ainda: "A religião é vista pelas pessoas comuns como verdadeira, pelos inteligentes como falsa, e pelos governantes como útil". Está na hora do povo brasileiro começar a questionar mais suas crenças. Passou da hora de absorver as principais lições iluministas. E por falar nisso, finalizo com o alerta de um dos grandes filhos do Iluminismo, um dos "pais fundadores" dos Estados Unidos, Benjamin Franklin: "O jeito de ver pela fé é fechar os olhos da razão".

18 comentários:

Anônimo disse...

Excelente texto.
Apenas devemos tomar cuidado com o significado exato da palavra "razão",para que este não seja a "Razão Pura" dos filósofos racionalistas(em oposição ao empirismo).
Isto se deve porque a "Razão Pura" também abre caminho para as mistificações.É a crença num "espirito" que seria capaz de adquirir conhecimentos "a priori",independente da experiência,e que tem Descartes como um de seus principais representantes.

paulo roberto

C.E. Lopes disse...

Como sempre, excelentes argumentos. Gosto muito do seu texto.

Mas faltou você dizer que culturas no mundo tem um ceticismo saudável? Sinceramente, não conheço nenhuma. Entendo que a parcela da população no Brasil possa ser muito maior que várias outras nações; mas somos maiores em termos populacionais que a maioria dos países...

Eu concordo que a ignorância e o desespero certamente contribuem para a adoção de explicações e soluções místicas. Mas a verdade é que o ser humano - independente de nacionalidade e classe social - tem uma inclinação natural a buscar o sobrenatural como explicação para o que não entende (ou não quer entender).

Vamos pensar em países com populações similares?

Moro nos EUA há quase 10 anos. Os americanos - ainda que forma diferente - tem os mesmos tiques crencionistas que você descreve nos brasileiros. Na Florida proliferam os leitores de mão (com escritório e anúncio no jornal, todos com uma legenda dizendo "apenas para diversão"). Em Wisconsin, os serviços religiosos com direito a imposição de energia eram comuns nas cidades mais pequenas...

E o que dizer da India? O animal sagrado é a vaca???

Que tal a China? Com as tradições (no fundo um fervor religioso de parar no tempo) e o comunismo (que concordo com você não passa de uma estrutura dogmática com outro nome).

Não somos só nós... :-)

Anônimo disse...

Rodericus, você deveria ler Mises com mais atenção:

"Seria entretanto um erro grave concluir que as ciências da ação humana e a política derivada
de seus ensinamentos – o liberalismo – sejam antiteístas e hostis à religião. Opõem-se
radicalmente a todo sistema teocrático, mas são inteiramente NEUTRAS em relação a crenças
religiosas que não pretendem interferir na condução dos assuntos sociais, políticos e
econômicos."

Você deu apenas exemplos onde as crenças religiosas tem incidência no individuo, e não na sociedade como um todo (como condenada Mises) . Que alias, era bem mais sensato, como por exemplo: "O liberalismo é racionalista. Sustenta que é possível convencer a imensa maioria de que os seus próprios interesses, corretamente entendidos, serão melhor atendidos pela cooperação pacífica no quadro da sociedade do que pela luta intestina e pela desintegração social. Tem plena confiança na razão humana. Pode ser que esse otimismo seja infundado e
que os LIBERAIS ESTEJAM ERRADOS. Se for assim, o futuro da humanidade é desesperador."

Sendo o futuro desesperador, como você aponta,
Mises tinha razão: os liberais estavam errados.

Anônimo disse...

PÔ constantino, vc está sózinho em inteligência meu rapaz; vc supe-
ra inteligências aos milhares espa-
lhadas pelo mundo afora em todas as
épocas, inclusive o próprio Sêneca
que disse:"Em todo homem bom Deus habita." ainda, mais que Cícero,
"Não vemos a Deus,no entanto O re-
conhecemos através de suas obras.
Pitágoras, "A melhor maneira de que
dispõe o homem para tornar-se per-
feito, é aproximar-se de Deus.MAQUIAVEL, "A perda de toda devoção e religião atrai um sem-nú-
mero de incovenientes e desordens.
Abraços

daniel disse...

Rodrigo,

As referências que fez sobre o espiritismo estao bastante equivocadas, talvez porque vc tenha lido apenas os livros de Kardec (escritos ha 150 anos), ou conheça espiritismo apenas pelas novelas da Globo.

O espiritismo nao tem nada de determinismo, mas sim acredita na lei de causa e efeito, o que e bem diferente. Se vc estuda e trabalha, certamente teras um retorno financeiro melhor do que quem fica em casa dormindo e vendo sessao da tarde. Se vc for sedentario e comer todo dia no MCDonalds, teras maior risco de obesidade e problemas arteriais do que quem faz uma alimentaçao controlada e balanceada e faz exercicios regularmente. O espiritismo acredita que na vida espiritual ocorre o mesmo, ou seja, sofremos em nosso espirito as consequencias das nossas proprias açoes, como que por uma reaçao fisiologica.

Como vc pode perceber, ao contrario do que vc pareceu afirmar, o espiritismo eleva ao maximo o papel do livre arbitrio, nao prometendo qualquer cura, redençao ou sucesso financeiro aos seus integrantes que nao seja pela propria açao diaria de cada ser humano.

Abr.

Anônimo disse...

Rodrigo,

Passei a ser seu fã nos argumentos. Mas religião é um caso complicado.
Mas como tem o dizer citado: para as pessoas comuns ela é verdadeira, para os inteligentes ela é falsa e para os governantes ela é útil. Que pena vc esteja entre os inteligentes. Apostolo Paulo disse: "Que hoje conhecendo a Deus e sua palavra, o teu conhecimento era esterco". Se vc não crer em milagre em pessoas transformadas pelo poder da palavra não jugue quem crer.

abraços

Anônimo disse...

Rodrigo, vc esta sendo preconceituoso. Se você começar a frequentar centros espititas a até mesmo centros de umbandas vai constatar que a maioria dos frequentadores destas religiões (principalmente a primeira) são pessoas de classe média e com nivel superior completo. Oitenta por cento dos norte-americanos professam alguma religião, e pelo que me consta, os EUA não são um pais de analfabetos e ignorantes.

Décio disse...

"A astrologia, em sua forma mais embusteira, ainda faz muitos adeptos por aqui. Não são poucos, mesmo entre as classes mais abastadas, que tomam os patéticos horóscopos como guias de suas vidas. Em um estágio um pouco superior estão vários que encaram o mapa astral como uma ciência séria."

Rodrigo, não acredito que se prestou a escrever este tanto de asneira só pra dar uma cutucada num velho doido por causa duma briguinha de orkut.
Pode esperar a resposta "O boçal Racional" (ou "O Imbecil Ateísta")

Bruno disse...

Rodrigo,

Concordo com vc que a religião é um freio para o desenvolvimento humano. O brasileiro não sabe o limite entre razão e fé, atribui tudo a vontade de uma força superior pq faz parte da cultura do povo latino. É assim com Deus e com os EUA, se ta ruim é por causa do Bush, ce ta bom é pq Deus quer assim. Agora, realmente vc vacilou forte ao falar do Espiritismo. Demonstrou total ignorância sobre o assunto. Primeiro pq não é tratado como religião (por quem conhece a doutrina), segundo pq não foi feita pelo homem e terceiro, não há explicação exógena e sim o contrário.

Rodrigo Constantino disse...

"Agora, realmente vc vacilou forte ao falar do Espiritismo. Demonstrou total ignorância sobre o assunto. Primeiro pq não é tratado como religião (por quem conhece a doutrina), segundo pq não foi feita pelo homem e terceiro, não há explicação exógena e sim o contrário."

Não foi feita pelo homem? Foi feita por quem então?

Fantasmas não existem!

Abraços,

Rodrigo

Bruno disse...

Caro Rodrigo,

Vc pode provar que fantasmas não existem?
Ah, quero te parabenizar pelos textos do seu blog. Acho que vc presta um serviço essencial à sociedade demosntrando o quão ruim é o comunismo para o mundo.


Abs


Bruno

Anônimo disse...

Como o artigo mais recente que tem o título de veneno religioso está acusando erro,venho aqui,como deísta, fazer uma pergunta a essas pessôas que usam sempre a revelação para argumentarem contra fatos concretos.Considerando que tudo de ruim que ocorre no mundo é fruto do próprio homem pelos seus pecados então qual seria a lógica de um Deus permitir que um ônibus cheio de crentes despencar abismo abaixo retornando para casa após um retiro de louvor?Afinal isso ocorre sempre.Ou então de milhares de pessôas perderem a vida em tragédias como naufrágios por exemplo?Já sei,dirão;Eram fracos de fé.Será que algum religioso que comentou no último artigo postado poderia me fazer a fineza de explicar isso?Grato.Candian

Ernesto Heredia Dias disse...

Basta ver o crescimento da Igreja Universal do Reino de Deus e suas congêneres ... Metade da população basta cair de quatro para começar a pastar. É deprimente este nosso Brasil !

Mauricio disse...

Prezado Rodrigo,
Muito bom esse artigo mostrando como a maioria do povo brasileiro se comporta,me lembrou uma frase do Paulo

Francis:"os pobres se refugiam nas igrejas evangelicas,enquanto os ricos se degradam na macumba".
Mas voce fez um balaio de gatos colocando astrologia,horoscopo,etc.,com homeopatia.Nao posso concordar com

isso.Primeiro,a homeopatia e' medicina verdadeira sim,tanto que e' reconhecida pelo Conselho Federal de

Medicina,o Estado reconheceu ,acho que em 1980,a pratica homeopatica que so pode ser exercida por um medico

que fez faculdade e depois se especializou em Homeopatia.E' assim aqui,como e' tambem na Inglaterra,na

França,no Canada,e em varios outros paises.Agora,se voce afirmar que ela e' charlatanismo,entao nos estamos

perdidos nas maos dessas autoridades que a reconheceram como pratica medica.Alem das sandices politicas e

economicas que elas sempre fizeram,esta ai´ a crise nos EUA a nos confirmar,essas autoridades estariam nos

prejudicando mais ainda,reconhecendo charlatanismo como medicina.
Voce fala da diluiçao do remedio,e esta certo,nao existe uma explicaçao dita cientifica para a homeopatia.Que ela

funciona eu te garanto,como paciente posso dizer,e nao e' efeito placebo de maneira alguma.
Tenho uma visao racional do mundo e das coisas,nao tenho religiao,vou falar um pouco sobre ciencia.
O que e' explicaçao cientifica para um fenomeno,um conjunto deles?
Olha,voce le o Marcelo Gleiser,o fisico,por exemplo,ele e' mais facil porque esta na midia,num dos artigos dele

falando sobre a gravidade desde Newton ate Einstein,ele diz o que todos os fisicos sabem mas poucos admitem.Ele

fala sobre a teoria aceita hoje para a gravidade,A Teoria da Relatividade Geral,que diz que ela e' provocada por uma

deformaçao do espaço-tempo causada pela presença de massa,de materia.Entao ele pergunta:"e por que a presença

de massa encurva o espaço-tempo?Ninguem sabe.E o conhecimento nosso ate hoje e' esse.
Existe inumeros exemplos iguais a esse que poderia dar,da fisica,da quimica,mas vou citar so mais um,o conceito

de energia.O famoso fisico Richard Feynman disse:

"Ainda não sabemos o que é energia. Não sabemos ainda por ser a energia uma coisa estranha."


Feynman, quando fez o discurso acima falou com a convicção de um prêmio Nobel de Física, pois o pouco que se

sabia em sua época e que se sabe até hoje cientificamente é que existe uma Lei chamada Conservação da Energia.
"Esta lei diz algo, dizia ele, que existe uma quantidade, e que pode ser medida, mas que só pode ser mostrada

através de analogia".

A verdade é que, do pouco conhecimento concreto e científico sobre a energia que existe pode-se afirmar

naturalmente que:
- A energia se dirige de onde há maior para onde há menor quantidade.
- Em caso de energia potencial ela normalmente se direciona de um lugar mais alto para o mais baixo.
- Que a matéria se caracteriza pela inércia.
- Que a energia é capaz de produzir trabalho.
- Que toda matéria emite um campo, que é a energia. Essa energia se manifesta com uma Força, que pelo seu

deslocamento é capaz de produzir trabalho.
E a ciência para por aqui, em relação a natureza da energia.
Desculpe essa citaçao cientifica,mas e' so para mostrar o grau de conhecimento da ciencia.
Rodrigo,voce que admira o Karl Popper e' so ler os livros dele,nesse ponto e' logico nao me refiro ao Sociedade

Aberta,mas aos livros cientificos,como o "Objetivo da Ciencia".E tambem por exemplo o filosofo da ciencia Mario

Bunge com seu livro " Filosofia da Fisica".E' preciso ter algum conhecimento de fisica,sao meio chatos,mas sao

uma mina de informaçoes que a gente nao encontra por ai na comunidade cientifica.Os dois e alguns outros

filosofos e fisicos,DESMISTIFICAM muito do que e' aparentemente aceite como ciencia,como metodo,como

COMPROVAÇAO CIENTIFICA.
Terminando,se nao sabemos o que e' ,qual a verdadeira causa da gravidade,nao sabemos o que e' energia(como

disse antes existe varios outros exemplos alem desses),um dia chegaremos la e chegaremos tambem,por que

nao,na explicaçao da homeopatia.
E para finalizar duas definiçoes do que e ciencia,acho que as melhores.
Matematico Alfred Whitehead:"Ciencia e' a invençao de um metodo de invençao". Essa frase e' muita profunda.
E do pai do computador,um dos grandes contribuidores da formulaçao da Mecanica Quantica John Von

Neumann,para mim a melhor de todas:
" As ciencias nao tentam explicar,dificilmente tentam sequer interpretar;elas fazem modelos,principalmente.Por

modelo entenda-se um construto matematico que,com acrescimo de certas interpretaçoes verbais,descreve

fenomenos observados.A justificaçao desse construto matematico e' apenas,e precisamente,o que se espera que

funcione"
Rodrigo,voce acha que nas outras ciencias que nao as exatas,as biologicas,as humanas,que nao vao utilizar esse

construto matematico,e' muito diferente?
Elas vao estar inventando um metodo de invençao,elas vao utilizar mais sao essas interpretaçoes verbais para

descrever os fenomenos e esperando que funcione e justificam tudo isso.
Desculpe pelo tamanho,
Mauricio Moreira,
portas@oi.com.br

Denise disse...

“Nada disso. O acaso, como os seguidores espíritas de Alan Kardec adoram repetir, não existe. Tudo tem que ter um motivo, uma ligação causal. O determinismo conquista muitos seguidores, pois retira a responsabilidade.”


Rodrigo, essa observação está incorreta. Pois o determinismo é fruto justamente do livre-arbítrio. Sendo assim, o determinismo não retira,mais aumenta a responsabilidade. Sua visão parece não abordar o passado, o presente e o futuro.


“O livre-arbítrio assusta, e por isso mesmo afasta muitos da busca pela liberdade. É mais fácil buscar consolo ou conforto em uma explicação exógena qualquer. Se algo vai mal, é o destino. Se eu sou de um jeito que não me agrada, não posso fazer nada para mudar. Assim Deus quis, ou é meu "karma". Se um relacionamento deu errado, é porque tinha que dar. Se eu joguei fora as muletas, mas não voltei a andar direito, é porque faltou fé apenas. Se um filho fica muito doente, é porque este é o desígnio de Deus. Se morrer um ente querido, é porque estava em sua hora. E por aí vai. A lista de fugas não acaba nunca. Encarar a realidade é tarefa árdua, e a maioria opta pela saída mais fácil, ainda que falsa.”


Procure estudar mais a filosofia de Kardec, você está generalizando termos espiritualistas, o que é muito comum em comentários de ateus.
Abraços

Mandy disse...

Sinceramente, seus argumentos me chocaram, parecia estar em uma batalha tentando vencer uma injustiça mundial. Não é uma injustiça mundial, meus vagos conhecimentos superam tudo o que falou. Por uma unica razão, se isso faz bem para as pessoas, então por que não crer? Existem muitas coisas superficiais no mundo, mas seus estudos provam que o senhor, procurou defender uma idéia já formada em sua mente, buscando argumentos que á alimentassem, sem explorar a verdadeira essência do que citava. Em primeiro lugar, misticismo não são crenças tolas, que aumentam a ignorancia das pessoas, bastante vista em suas palavras, mas misticismo vai muito além, é uma forma de encontrar motivos pelo qual lutar, é uma forma que as pessoas encontraram do váriase viver melhor suas vidas, com outras religiões, desde que isso não saia do bom-senso, não vejo necessidade de tamanho ceticismo.
Comece a perceber seus propios enganos, antes de julgar os outros.

Abraços,
Amanda

Ma disse...

Rodrigo, li seu texto e agradeço a Deus por ele ser nosso Pai, perfeito e misericordioso. Saiba que vc ainda tem salvação, não essa salvação conhecida por muitos e vulgarizada, mas àquela, que tira os véus da ignorância, meu irmão que vc é instruído todos já perceberam, mas e seu coração também age da memsma forma?
Fique em paz, preocupe-se em ajudar...verifique todos os dias o que vc fez para diminuir o sofrimento do seu irmão?

Sandro Luiz disse...

Tudo quanto foi dito no "post" quanto à razão e sua capacidade para distinguir o verdadeiro do falso é inútil quando não se leva em conta o papel desempenhado pelo intelecto nos assuntos espirituais, ou seja, quando se desconsidera o fato de que somente a razão (que é humana e "lunar") conectada ao espírito pelo itelecto (que é divino e "solar") pode nos dar qualquer certeza apodíctica em matéria religiosa (e, portanto, nos forneceria os meios para distinguir o que é religião e o que é mera crendice, paganismo). É o que, infelizmente, desconhecia Von Mises quando rejeitava os ensinamentos da religião como meio de organização social e a confundia com suas contrafações humanas, como, por ex, o comunismo.