sexta-feira, janeiro 11, 2008

Socialismo na Saúde


Rodrigo Constantino

O governo, através da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), anuncia uma série de medidas impostas às operadoras de planos de saúde e seguradoras. Estas empresas serão obrigadas a ampliar a cobertura de seus serviços, sem repassar os custos para os consumidores. A lista agora chega a quase três mil itens, e inclui até nutricionista, psicoterapia e fonoaudiologia, definindo quantas sessões por ano podem de cada um. O grau de ingerência estatal beira o absurdo total, possível somente num país com mentalidade predominante socialista. A matéria do jornal O Globo tinha o seguinte título: "Saúde Reforçada". Eis o grau de distorção dos conceitos por aqui. Praticamente todos consideram o governo o meio ideal para resolver os problemas. Aquele que nos toma na marra quase a metade de nossa renda, e entrega em troca serviços caóticos, é visto como uma espécie de deus aqui. Como as vítimas de "Síndrome de Estocolmo", os brasileiros amam seu algoz.

O nacional-socialismo que levou Hitler ao poder na Alemanha é um bom exemplo do que está acontecendo no Brasil atualmente. Muitos, por pura ignorância, chamam o nazismo de "extrema direita" e acham que, por isso, era uma espécie de capitalismo. Nada mais falso. O nazismo, uma outra vertente do socialismo, era totalmente anticapitalista e antiliberal. Um dos pilares básicos do capitalismo liberal é a propriedade privada. No nazismo, como nos demais tipos de socialismo, a propriedade era do Estado. Podia existir propriedade privada de jure, mas não de facto. O governo controlava tudo na economia, nos mínimos detalhes, e indicava burocratas para as empresas, decidindo o que ser vendido, quanto e para quem. Hitler teria dito: "Que significa ainda a propriedade e que significam as rendas? Para que precisamos nós socializar os bancos e as fábricas? Nós socializamos os homens".

Pois é justamente o que, infelizmente, parece estar acontecendo por aqui. Os homens, após tantos anos de lavagem cerebral, doutrinação ideológica e propaganda enganosa, acabaram "socializados". O coletivismo impera no país, o Estado é visto como o meio ideal para tudo, e há um enorme preconceito contra empresários. A mentalidade da maioria encara os consumidores como perfeitos idiotas, os empresários como safados pensando apenas em explorar os seus clientes, e os burocratas do governo como santos e clarividentes, que irão proteger os primeiros dos últimos. É preciso tutela estatal em tudo, eles pensam. Somente isso explica tanto controle estatal no crucial setor da saúde. Quando as pessoas passam a achar normal que o governo dite o que os planos devem oferecer e a que preço, é porque o câncer socialista já está em estágio de metástase.

O governo quer impor a obrigação dos planos de oferecer consultas ao psicanalista. Creio que tais burocratas é que deveriam consultar um bom psicanalista. Tanta sede por poder e ódio à liberdade só pode ser algo patológico!

15 comentários:

André Barros Leal disse...

Já sabia que este seria um tópico a ser abordado nesse blog. certa vez discutindo exatamente sobre esse assunto, com um amigo obviamente anti-empresas de planos de saúde, eu dei um golpe final (fatal) perguntando: e se VOCÊ fosse dono de uma empresa do ramo? O que VOCÊ acharia de uma lei que te obrigasse a fazer mais sem receber mais por isso?

O socialismo e o estatismo são ótimos, quando é com o dinheiro dos outros.

Anônimo disse...

Que raiva tem você de quem é contra o modelo que está aí e que você jura que é a salvação do mundo! Pois bem, discordo completamente de você. Posso?

Anônimo disse...

O seguro saude é um contrato de risco. Da mesma forma que o valor do seguro de um automovel depende de variaveis de riscos, tais como: idade e gênero do motorista, estatistica de modelos mais roubados, etc, o valor do plano de saúde depende de variaveis como o indice de utilização e de especialidades disponiveis. O estado, que foferece serviço de saude risivel aos contribuintes só vai ficar satisfeito quando quebrar as empresas de saude e geram mais desemprego ainda.

Anônimo disse...

Palhaçada do governo.

contra o socialismo disse...

Muito intrometido mesmo esse governo. É revoltante o socialismo. Pq o governo não trata de cortar gastos e baixar impostos ao invés de ficar se metendo onde não lhe diz respeito?

Anônimo disse...

Ao anonimo das 11:12.
Eu também discordo de tudo que está aí. Discordo da carga tributaria escorchante, que leva 40% de tudo que eu produzo com meu suor. Discordo do fato de eu ter que pagar pensão alimenticia para amante de senador. Discordo do governo de mensaleiros. Discordo do bolsa-esmola. Discordo da máquina pública inchada por sindicalistas e burgueses do capital público. Discordo do estado intervencionista, que dita a forma de como eu tenho que comprar pão francês.

Anônimo disse...

Aqui em Salvador existe uma lei que obriga os supermercados com mais de três caixas a terem empacotadores. A prefeitura geralmente faz "blitzes" e autua com salgadas multas os estabelecimentos que estão sem tais funcionários. Os políticos (inclusive o prefeito) louvam a lei e dizem que ela traz mais conforto aos consumidores e gera milhares de empregos ns cidade. Quanta generosidade estatal, estou emocionado com a preocupação de sua excelência, o prefeito, com o meu conforto, mas preferia que ele consertasse as centenas de buracos e minha bela e maltratada cidade, pois estou cansado de gastar com pneus, amortecedores e serviços de suspensão em geral.
Pela lógica do senhor prefeito, os supermercados deveriam contratar uma equipe de funcionários para cavar buracos e outra para tapar os buracos cavados, pois então mais empregos também seriam artificialmente gerados. Supermercados não são casas de caridade, e como não existe nem almoço nem salários grátis, os custos operacionais acabam sendo repassados ao consumidor, é claro. O que me choca., é que sempre assisto entrevistas de consumidores, eles também elogiam a fiscalização da prefeitura, dizendo ser um “direito” deles ter suas compras embaladas pelo supermercado. Me sinto uma ilha cercado de idiotas por todos os lados.

Anônimo disse...

É lamentável essa medida do governo.Não possuo diploma em Contábeis, mas sei que pra manter um orçamento equilibrado as receitas devem ser no mínimo iguais às despesas.
Os planos de saúde vão oferecer serviços pífios a preços módicos pra cidadãos de segunda 'classe'.
E como assim o governo regular aumentos de preços? É um socialismo disfarçado mesmo.Abraços!

Dellano disse...

Rodrigo, muito bom esse tópico. Se não houver aumento de preços, certamente a qualidade dos serviços oferecidos pelas empresas de plano irá se deteriorar. Afinal, elas teriam um aumento de despesa e não poderiam repassar os custos para os usuários. Em todo o caso o cliente vai sair perdendo. Seria como obrigar que todos os hotéis fossem 5 estrelas, mas que fosse cobrado tarifa de categoria inferior.

Dellano disse...

Ademais, dá para perceber como a Rede Globo é esquerdista até o talo, apesar do ódio que esta desperta nos esquerdopatas. Tanto que o apresentador do Jornal Hoje, Evaristo Macedo, ao informar sobre esta medida, disse que era uma ótima notícia para os usuários de plano de saúde.

Lucas - Porto Alegre disse...

Não só a globo, mas toda a classe jornalística é de esquerda... qq pessoa que tenha frequentado uma universidade brasileira sabe disso, os alunos dos cursos humanisticos em geral dao nojo, nao tem nada na cabeça e pensam que sao os iluminados do mundo. O pior mesmo é a nova Record News, do "bispo" Macedo, a cada meia hora aparece uma materia louvando o Chaves, ou uma entrevista com algum lulista, hj foi a Teresa Cruvinel, e os entrevistadores sempre se desmanchando em elogios. Estamos órfãos na tv aberta brasileira.

Anônimo disse...

É bom lembrar também o magnifico trabalho do governo na área da saúde com o SUS beirando a perfeição. Tanto que sugiro ao Lula e ao Temporão passar a utilizar os serviços médicos num posto de saúde ou hospital do ABC paulista.

Blog do Adolfo disse...

FIM da picada essa medida do governo.... já já o governo vai nos obrigar a comer comidas saudáveis e fazer exercícios físicos.... afinal, se ele paga a conta nada mais justo do que exigir algo em troca.

Adolfo

Luis Gustavo disse...

Rodrigo, o lance é que o governo venal quer mesmo é converter os planos de saúde, ora PRIVADOS, em saúde PÚBLICA suplementar. Entendeu? Já que o SUS(to) não resolve o problema de ninguém (apesar do rio de dinheiro que arrancam do nosso bolso), agora o governo quer abocanhar os planos privados, para fazer média com o chapéu dos outros.
E outra: a liberdade contratual é coisa que praticamente desapareceu no Brasil. Se o sujeito foi até uma operadora de plano de saúde e VOLUNTARIAMENTE ajustou um plano com as condições tais e tais, e no preço tal, lá na frente, quando esse mesmo sujeito precisar de algum procedimento que não foi contratado, basta recorrer ao judiciário, que certamente aparecerá algum juiz com a capa do Zorro, para obrigar a operadora a cobrir o procedimento. Vai chegar num ponto em que todo contrato, antes de ser subscrito pelas partes, será submetido ao crivo de um juiz, para saber se pode ou não pode. O Brasil é um país de loucos e, definitivamente, NÃO TEM SALVAÇÃO!!!
Um abraço.

C. Mouro disse...

O objetivo é tornar os planos de saúde cada vez mais caros, mais distantes do acesso popular. Isso feito, estando a população absolutamente dependente do governo/Estado, o governo (Pder) poderá chantagear a população e estorquir-lhe tudo: caso se rebele contra o governo se verá abatida pelas doenças, pois o governo nem permite que a sociedade resolva entre si e nem resolve a questão.

Ocorre que tal plano - do J. Serra - covarde e perverso, também se vale de cobrar imposto adicional aos planos de saúde sob o pretexto de melhor atender a saúde pública. Aliás, tal fato ou já foi extinto ou simplesmente ninguém mais comenta.

Ou seja, exaurir com impostos e atribuições carissimas sobre iniciativa privada, dos planos de saúde, faz parte do plano para IMPOR A DEPENDÊNCIA do Estado/governo. ...Isso é claro, é o MAQUIAVELISMO político. É uma forma canalha, é uma atuação escondida nas sombras. É estratégia política paara hegemonia do Estado sobre a população.

Mas o Estado/governo que cobra caro para oferecer um tratamento de saúde à população, e de péssima qualidade, protege seus funcionários mais influentes e capazes de atuar na formação de opinião, com planos de saúde próprio - pagos pelo pagador de impostos - protegendo assim seu "exército militante" de funcionários privilegiados que se tornam socialistas por perceberem que vivem da exploração da população que trabalha e produz bens e serviços úteis.

Todo parasita estatal torna-se um dedicado militante socialista ao perceber que a EXPLORAÇÃO DA POPULAÇÃO PELO GOVERNO LHE É VANTAJOSA.

É essa estratégia que deveria ser constantemente denunciada, para que os explorados pudessem tomar consciência da maquiavélica e "suntzuca" atuação dos beneficiarios no comando do Estado. (...hehehe! até soou marxista ...hehehe!) ...denunciar uma estratégia, expo-la, é a melhor forma de neutraliza-la: uma estratégia é quanto mais sigilosa for sua aplicação. Ou seja, se a vítima/inimigo conhece a estratégia do atacante ela pode se precaver e preparar uma contrapartida.

Abs
C. Mouro