quarta-feira, janeiro 02, 2008

O Anticomunista Radical


Rodrigo Constantino

“Extremismo na defesa da liberdade não é vício algum... e moderação na busca pela justiça não é virtude alguma.” (Barry Goldwater)

Alguns leitores afirmam que gostam de boa parte do conteúdo daquilo que escrevo, mas criticam a forma com a qual me expresso, muitas vezes intolerante demais com os inimigos. Acusam-me de coisas como “radical” ou “extremista”, que não fazem muito sentido para mim. Afinal, radical em relação a que? Por que seria ruim ser radical na defesa da liberdade, por exemplo? Por que seria indesejável ser extremista no combate à tirania? Alegam que através de uma forma mais suave eu poderia conquistar mais gente com meus argumentos. Pode ser que sim. Eu li Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas, de Dale Carnegie. Um manual para políticos pragmáticos. Mas nunca afirmei que a minha intenção era política, ou seja, influenciar a maior quantidade de pessoas possível. Deixo isso com os profissionais da área. Meu objetivo é sustentar com bons argumentos aquilo que considero verdadeiro. Quero defender o justo e ser livre para falar o que penso, sem preocupação com os aplausos da platéia ou com leitores ofendidos por meus pontos. Por isso digo o que entendo como certas verdades incômodas, sem papas na língua. Minha intenção não é agradar a todos.

Um dos principais motivos para esta reação infelizmente comum por parte dos leitores está sempre associado a minha agressividade verbal com os comunistas. Sim, reconheço que uso palavras duras contra eles. Mas como agir diferente tendo conhecimento dos fatos? Como alguém que sinceramente defende a liberdade deve tratar um defensor de Stalin ou Fidel Castro? Onde está o grande equívoco em chamar de hipócrita um notório hipócrita, como fiz no artigo sobre o idolatrado arquiteto comunista que nutre profunda amizade pelo genocida do Caribe? Por mais que eu me esforce, não consigo entender esses apelos. Não vejo virtude alguma em compactuar com essa podridão que torna certos tipos intocáveis pelas críticas. Não acho razoável ter que contemporizar com quem considero parte da escória humana. Meu mundo simplesmente não funciona assim. Nele, os pingos estão nos “is” e os bois têm nome correto. O uso de eufemismos nunca me atraiu. Ser simpático com quem não presta não faz parte do meu código de conduta.

Os temas religiosos costumam desfrutar dessa aura de proteção, tratados como sagrados mesmo por aqueles que não enxergam nada de sagrado ali. Se você questionar a racionalidade de quem realmente acredita que o vinho se transforma em sangue de Cristo, ou que o corpo de Maria literalmente subiu ao Céu, você é acusado de ofensivo. A ofensa não está na crença irracional, dizem, mas naquele que mostra a irracionalidade.* O que sempre valeu para os assuntos religiosos se estende agora também para a postura ideológica e política. Chamar um comunista de comunista, com o desdém que todo comunista merece, passa a ser visto como ofensa. Mas defender o regime mais assassino de toda a história não. Isso pode. Não dá para aceitar! Como devemos lidar com aqueles que, se poder tivessem, nos mandariam para um Gulag na Sibéria? Como tratar aqueles imorais para quem os fins justificam quaisquer meios? Sim, porque comunistas são cúmplices dessas atrocidades, ao menos nas idéias. E por mais que digam que aquilo que existiu na União Soviética, China, Camboja, Cuba, Coréia do Norte etc., não era comunismo, mas o “socialismo real”, estão fugindo do ponto. Comunismo como fim de fato nunca existiu, pois não é possível com o ser humano como é, ainda bem. Mas os meios defendidos para esta pura idealização da inveja, como o controle estatal dos meios de produção, são sim aqueles empregados por todos os países socialistas, que inexoravelmente levam ao caos, miséria, terror e escravidão.

O teste final que faço com todos que pedem mais tolerância e suavidade com comunistas normalmente é muito bem sucedido. Eu simplesmente pergunto se eles estão dispostos a conceder o mesmo tratamento aos nazistas. A resposta costuma ser o silêncio, pois poucos relativistas estão dispostos a ir tão longe no seu relativismo. No máximo, eles reagem com uma fuga tradicional, falando que não são coisas comparáveis, sem explicar os motivos, e insistindo que sou radical demais. Ora, por que a analogia não é válida? Por que devemos ser obsequiosos com os defensores do comunismo ou socialismo, responsáveis pelo extermínio de milhões de pessoas, mas devemos ser intransigentes com os nacional-socialistas? Por que tratar com respeito imerecido os seguidores de Lênin, Stalin, Pol-Pot, Mao ou Fidel Castro, mas abominar os seguidores de Hitler, farinha do mesmíssimo saco podre? Por que defender a proibição do uso da suástica como símbolo, mas aceitar, até mesmo em partidos oficiais, a foice e o martelo, ícones do regime mais nefasto que já existiu? Nunca tive uma boa resposta, com argumentos decentes. E quem deseja respeito por suas idéias, deve apresentar um bom motivo para tanto, ou seja, argumentos embasados.

Portanto, pretendo continuar sendo um anticomunista “radical”, ou seja, intransigente com aqueles que odeiam a liberdade individual. Lembro do alerta de Karl Popper aqui: “Não devemos aceitar sem qualificação o princípio de tolerar os intolerantes senão corremos o risco de destruição de nós próprios e da própria atitude de tolerância”. Ser radical contra o fanatismo islâmico, por exemplo, é uma virtude, não um vício. Ser radical contra os comunistas segue o mesmo princípio. Todo comunista é ou um completo ignorante ou um safado. Não há outra hipótese. O comunismo agride a lógica e os fatos empíricos. Um comunista inteligente, que domina o assunto econômico e político, e é honesto intelectualmente, além de íntegro como pessoa, existe tanto quanto unicórnios, gnomos e sereias. Por que devo medir minhas palavras ao constatar este fato? Por que é errado chamar um ignorante de ignorante ou um safado de safado? Por que a hipocrisia merece ser chamada por um nome mais belo? Por que devemos disfarçar a inveja como motivador daqueles que pregam a igualdade material? Para quem ainda discorda do meu “radicalismo”, sugiro o teste: tente pensar se seria capaz de respeitar um nazista como pessoa, considerando que ele pode ser tanto inteligente como íntegro. Boa sorte.

* Para quem acha esse exemplo também radical, lembro que a doutrina da assunção da Virgem Santíssima foi definida como artigo de fé pelo papa Pio XII há pouco tempo, em 1º de novembro de 1950, e é obrigatória para todos os católicos. Ela afirma claramente que o corpo de Maria subiu ao Céu e foi reunido à sua alma. Richard Dawkins, em O Capelão do Diabo, diante destes fatos, pergunta: “Por que a nossa sociedade aquiesceu de maneira tão cordata na conveniente ficção de que as visões religiosas têm alguma espécie de direito automático e indiscutível a uma posição respeitável?” Ou ainda: “Por que nós temos que respeitá-las pela simples razão de que elas são religiosas?” Eu acrescento: Por que seria assim também com o comunismo? Considerando que o comunismo é uma seita, nem seria preciso, na verdade, acrescentar nada. Fica valendo a pergunta de Dawkins mesmo, até hoje sem uma boa resposta, além do apelo à quantidade de crentes.

15 comentários:

Sergio Oliveira disse...

Não acho vc radical... Acho vc sensato...

Infelizmente a maior parte da população brasileiro não tem qualquer senso sobre nada, principalmente sobre o ridículo...

Acreditam em Edir Macedo, na aparição da santa no vidro da janela, e por aí vai...

É duro ser minimamente esclarecido nesse país...

Luckas disse...

Perfeito. Nada para acrescentar. Alias, só uma coisa: Os "comunistas" ou "socialistas" principalmente os mais jovens, são bem intencionados. Por mais que suas idéias sejam completamente absurdas, por mais que o Socialismo seja um sistema inviavel economicamente e politicamente leve a tirania, eles estão denfendendo tal ideia com boas intenções, mas, infelizmente sem o devido conhecimento sobre o assunto. Acreditam no Socialismo que criaram na imaginação deles. Um nundo sem "lucro", sem desemprego, sem "ganancia". Acreditam que somos pobres e outros paises ricos por causa de uma suposta exploração ou colonização... sem entender nada ou muito superficialmente sobre o ambiente economico e a historia dos paises que criticam. Alguns se dizem "marxistas" sem nunca terem lido marx. Enfim, estão desinformados sobre assunto, mas são bem intencionados. Precisam de informação para defenderem as ideias certas, sem precisarem abrir mão dos fins que todos desejam: prosperidade e o fim da miséria.

Seu blog presta um grande serviço neste sentido Constantino. "Somente as ideias podem iluminar a escuridão"

Mário disse...

Caro Rodrigo,

Concordo plenamente! Com hipócritas e safados (comunistas, esquerdiotas e esquerdopatas) não deve haver condescendência.

Um grande abraço.

Anônimo disse...

Mário, estou todo arrepiado....é um misto de medo, pavor, pânico, com admiração de uma mente superior....Como diria o Tom Cavalcante no Bofe de Elite: uiiiii!!!!!! Não sei porque um direitista tão capaz, tão sensato não está no poder. Pessoinhas do teu tipo serão a solução do males do mundo, afinal é tudo tão simples e auto-explicativo.
Francamente....

André Barros Leal disse...

Rodrigo,

Estou muito satisfeito de ter colocado o seu blog como minha página inicial.

Compartilhamos das mesmas opiniões filosóficas e práticas. Não considero nada de errado em chamar o diabo de diabo, se esta é a sua verdadeira natureza.

Coerência é o que se espera de todos e nunca é o que percebemos quando discutimos com estatistas que enxergam esse governo (ou qualquer outro) que acaba de editar um pacote de medidas para compensar a falta da CPMF com reduções nos investimentos em educação, como fiel depositário de nossos suados recursos.

Os argumentos dos estatistas não tem fim... elogiam a saúde de Cuba, como sendo uma das melhores do mundo, mas na hora de ir a um hospital, escolhem Cleveland ou Houston, se tiverem possibilidades para isso.

Parabéns pelo brilhante artigo.

ps: Li e concordo com a idéia de dar a Petrobras para os pobres!

Abraços,

André Barros Leal

C. Mouro disse...

...hehehe!

Sem argumentos nem fatos para apoiarem-se, a inveja junta-se com a safazeza para deste conúbio parir a estratégia da QUINTA COLUNA. ....hehehe!

...Mas que outra alternativa teriam esses pulhas???

É a mesma estratégia dos facinoras e seus agregados e admiradores:
Enquanto os facinoras estão matando, sequestrando, assaltando pais de familia e destruindo familias ...esses "cordatos cidadãos" ficam calados, os parentes e amigos comemoram com a bandidagem usufruindo das benesses conquistadas com o sacrifico de vidas inocentes; sorriem e se gabam da amizade e parentesco com facinoras, bem como admiradores se ufanam de seus "representantes contra a sociedade capitalista consumista" ...são só alegria enquanto inocentes vitimas são trucidadas sem chance de defesa.

....AHHHHH!!! ...mas quando o bandido é pego, invertendo a posição ...AHHH!!!! ENTÃO OS "PONDERADOS" E DEFENSORES DOS DIREITOS HUMANOS APARECEM COMO CARPIDEIRAS ENCOMENDADAS. ...Ahhhh! tudo muda, e a antes alegre convivencia, e conivencia, com bandidos que trucidam inocentes indefesos se transmuta em tristeza e chororô de bom mocismo. Exigem respeito aos direitos humanos dos bandidos - mas nunca exigiram tal respeito aos seus parentes, amigos e "heróis representantes" enquanto eles massacravam inocentes indefesos - não, eles nunca se importam com as voitimas inocentes, pois apenas querem RESPEITO E MODERAÇÃO PARA COM OS BANDIDOS, PARA COM FACINORAS.

Essa é a mesma questão aqui ...A QUINTA COLUNA APARECE POR SE O UNICO MEIO DE QUE DISPÕEM PARA TENTAR ABAFAR AS CRITICAS, PARA ESCONDER AS VERDADES.
O que eles querem é que os divergentes se calem constrangidos. É a quinta coluna, atenda-os e eles mostrarão os denbtes quando sentirem-se intocáveis. São como o sujeito que, apanhando, torna-se pacífico e diz não querer brigar fazendo belos discursos, mas quando a patota chega e sente-se em franca vantagem ..ahhh!!! ...tudo muda - metamorfose ambulante - e aí passa atacar covardemente e gabar-se de estar vencendo a briga.

É a moral dupla:

quando perdendo, propagandeia a moral do escravo, a virtude da paz e da inferioridade, da servidão e etc..

MAS qundo está ganhando, propagandeia a moral do guerreiro, do vencedor, exaltando a virtude da vitória da força da guerra e etc. etc. etc..

É ASSIM QUE FUNCIONA.
Se estão chorando e pedindo ponderação, é porque estão inseguros, com medo de que essa indignação se espalhe.

Veja se há algum pacifista - como aqueles contra a guerra, pela devolução do Elian a Cuba e etc. - fazendo manifestação contra as FARCs.

ONDE ESTÃO OS "PACIFISTAS E HUMANISTAS" tão histéricos em suas manifestações contra as ditaduras que combateram a esquerda assassina e covarde?

POR QUE NÃO FAZEM MANISFESTAÇÕES CONDENANDO MORALMENTE AS FARCs?????????

O problema é que essa cobrança moral não é efetiva contra a esquerda. Quando muito se escreve um artigo e depois cai-se no esquecimento. ....ISSO É O QUE ELES QUEREM ...mas eles vivem remoendo seu coitadismo safado.

Cair na armadilha da quinta coluna é cair na estratégia do "policial bom e policial mau".

Pelamordedeus! ...essa canalha não tem vergonha na cara, são covardes, dissimulados, perfidos e se prestam a qualquer papel
...cuisp cuisp cuisp sssccaaarrrroooooooooot ...cuisp!

Mário disse...

Caro Rodrigo,

É mencionar a palavra esquerdiota e já apareceu um (3:02 AM). O nível intelectual e (a)moral desse idiota é bem bofe de elite mesmo. Fica lá no bloguinho do PHA, babaca, e não enche o saco de gente séria.

Um grande abraço.

Anônimo disse...

Você é um Gênio, Constantino. Parabéns.

Anônimo disse...

Como me livro de um comunista ??
Adoro seu blog, parabéns.

C. Mouro disse...

"Comunismo como fim de fato nunca existiu, pois não é possível com o ser humano como é, ainda bem."

O comunismo é uma fantasia idiota, uma ficçãso assumida.
Não é possivel existir comunismo porque para tal seria necessário uma "fartura universal", algo como o ar que se respeira. De modo que tudo que existisse e se desejasse estaria disponivel para qualquer um.
Ou seja, segundo o embusteiro ideológico (que não foge a regra) só na ABUNDANCIA UNIVERSAL seria possivel vigorar o tal de comunismo, que logicamente tornaria sem sentido qualquer tipo de governo.

Ora, isso foi um deliberado engodo. Afinal o canalha embrulhador de imbecis fez um apelo moral afirmando que o produto deveria pertencer totalmente ao produtor direto _ah! mas tinha exceções convenientes - considerando que o empreendedor não realizava trabalho algum, mas reconhecia o direito de se receber o capital empregado SEM JURO remunerartório.
Porém, o curioso é que o pretenso moralista ideológico propunha como objetivo supremo exatamente o fim da idéia de propriedade, ou seja, o comunismo. ...hohoho!
Ocorre que não é possível a abundância absoluta - 1) não existe 2 terrenos iguais; 2) o valor é subjetivo. Logo, seria impossível a igualdade material e, lógico, mais impossível ainda o comunismo sob a idéia de ausencia de propriedade - imagine-se a ausencia de propriedade. Uma idiotice, uma aberração que se opunha a idéia moralista do safado, afirmando a justa propriedade do produtor. Ou seja, uma imbecilidade. Pois o tal comunismo levaria exatamente ao "ganho imerecido" e a "exploração do homem pelo homem", mais que expressa na frase idiota "de quem segundo sua capacidade, para quem segundo sua necessidade", posto que NECESSIDADE NÃO É MÉRITO.
A abundancia universal fantasiada é estúpida, pois não há tal abundancia na anatureza, o que faz com que tal seja impossivel mesmo com seres humanos automatos, sem aspirações, verdadeiros zumbis. Nem assim haveria comunismo, mesmo que a fantasia da produção universalmente abundante e disponivel em todo lugar - coisa na prática i8mpossível, e provavelmente até na teoria. Ou seja, mesmo que humanos virassem máquinas não seria possivel.
O "COMUNISMO" É UM FIM INATINGIVEL QUE APENAS SERVE PARA ETERNIZAR OS MEIOS EFETIVAMENTE ALNMEJADOS PELOS CANALHAS, que se valem da manipulação dos imbecis e do aliciamento dos safados e recalcados.

O objetivo real é o Poder totalitário para os governos, diga-se para um grupo organizado ideologicamente e HIERARQUIZADO com o objetivo de explorar populações imbecilizadas bem como as controladas pela força que conseguem com a submissão dos imbecis. Assim, uma gang - governos - passa a viver de explorar/escravizar todos que estejam na área sob seu domínio. A luta de classes é a luta da classe governante e seus agregados contra a classe dos que trabalham e produzem bens e serviços úteis para a livre troca e usufruto. ...e para serem expropriados pelo exercicio da força - Poder coercitivo - dos governos/gangs ou máfias.

Abs
C. Mouro

cornélio disse...

Sinceramente...
Pelo que eu conheço do nazismo, acho que eles eram inteligentes, honestos , paranoicos e equivocados.
Mas entendi o que vc quis dizer, e além disso sei que sou uma rara excessão por pensar assim sobre os nazistas.

Anônimo disse...

WTF, Constantino! Vc tá cada vez melhor!! Muito bons mesmo seus últimos 2 posts, em especial esse do Anticomunista Radical. Abs!

flowerpunk disse...

parabéns, Constantino. excelente artigo. Para aqueles que podem afirmar que para você comunista bom é comunista morto, relembro que Stalin, Mao e Pol Pot estão mortos e nem por isto são bons.

Anônimo disse...

Prezado Rodrigo;
Li alguns de seus textos, não todos. Assim, acredito já ter percebido, de modo geral, contra o que e contra quem você se insurge.
Só não consegui claramente é a favor do que e de quem você se posiciona.
Quais as idéias que, claramente você defende e o que você propõe para o Brasil e para a raça humana para que nos tornemos melhores e mais felizes.

kelvin disse...

Caro Rodrigo...

Tenho que concordar em você quando fala de Stalin, Fidel, Mao e por ai vai...Acreditar que eles implataram o "Comunismo", já é outra história. Infelizmente, tenho que discordar sobre o que fala dos comunistas! bem, se vc chamar de comunistas quem acreditas nestes ai que falei, então concordo, são ignorantes ou safados...mas quem estuda realmente o assunto, teimo em discordar do Sr. Pois não me acho nem safado, nem ignorante.. Mas tenho que me fundamentar. Um exemplo é achar que Marx pregava o fim da propriedade...acho que foi C. Mouro que disse isso. Ele deveria ler Marx um pouco para entende-lo. Outra coisa é achar que nazismo e Comunismo é igual, podemos dizer nazismo e socialismo realmente existente sim, politicamente falando. Não economicamente...Por que dizer socialismo realmente existente ou que existiu...por que não chamar de comunismo?! Nem Lenin, nem Trotsky chamavam A URSS de Comunista...Isso foi marketing de Stalin que seguidores ignorantes ou safados seguiam. Mao também chamou a China de Comunista, é claro que para tornar uma contra progranda das coisas que Marx falava, deve-se igualar o que é atroz com o Comunismo. Por favor, Marx Engels, nunca escreveram sobre O COMUNISMO!!! (de forma sistemática, pois se o fizessem seriam utopicos) E sim O CAPITAL, tentaram estudar as contradições que ele continha e explica-las sobre outra óptica, sugerindo que o sistema atual seria superado (coisa que análitico não entende, apenas os dialéticos), não destruído! Bem, mas aqui não dá para explicar tudo né...Sinto o pouco espaço...Mas sinto mais ainda quando as pessoas não estudam e tomam sofismas como verdades...Acho que devemos ser sim, radicais, pois radicais é chegar a raiz do problema, e um dialógo com um liberal como vc seria super educativo...

Abraços

Kelvin

kelvinsales@hotmail.com