segunda-feira, maio 10, 2010

Grécia ou Brasil?

Em reportagem sobre a Grécia na The Economist, temos o seguinte trecho:

"There were sporting and cultural extravaganzas, starting with the 2004 Olympics. Archaeological sites were spruced up, spanking new buildings erected. The middle class grew larger and more sophisticated. And many people at the bottom of the pile breathed a bit easier, if only because immigrants from poorer places came to harvest their olives and work in their restaurants.

At the same time Greece’s worst habits—the plundering of state coffers, the hiring of cronies, the abuse of public office, impunity for the powerful—were multiplying. A handful of Cassandras said it would all end in tears but, while the party lasted, nobody listened."

Isso soa familiar?

6 comentários:

Mitchel disse...

Qualquer semelhança não é mera coincidência.

Anônimo disse...

O problema caro Rodrigo é que quem está pagando por esta crise é a classe média. Não são os verdadeiros culpados: políticos corruptos, especuladores, rentistas. No início de abril, o governo grego ofereceu 17 Bilhões de euros de ajuda aos banqueiros falidos, e agora vai acabar com os direitos dos trabalhadores.
O caso da Grécia lembra a crise do feudalismo, antes da Revolução Francesa: a França estava em crise econômica e o Rei, o clero e a nobreza (os verdadeiros culpados) repassaram a conta ao povo, euqnato as classes dominantes não pagavam nada. É exatamente o que está acontecendo na Grécia.

OJ disse...

It looks like the legacy next government in Brazil, and its fool and shallow people will inherit.

Anônimo disse...

E o pior: vão colocar a culpa no tucano que estiver no governo quando a coisa estourar...

Pedro disse...

Exatamente o retrato do Brasil, como foi o retrato da argentina antes de sua crise. Eu costumo comparar a nossa situação à da pessoa que consegue vários cartões de crédito, empréstimos em cheque especial e vai pagando os valores mínimos e tapando o buraco de um com o de outro empréstimo, até que um dia acaba o dinheiro. Infelizmente, e por irresponsabilidade, vai ser este o destino do Brasil, provavelmente em 2012, quando há vencimento de boa parte da dívida brasileira, herança de Lula.
Este sim foi esperto, vai deixar a conta para o sucessor e, com o fracasso do mesmo (independente de ser a Dilma ou o Serra) vai se reeleger em 2014. Se o fracasso for de Serra dirá que a culpa é por termos mudado de partido, se for de Dilma dirá que a culpa foi a de não ser Lula o presidente, a pessoa que, por si só, nunca antes neste país, fez tudo funcionar. Nosso futuro é triste.

ntsr disse...

Com essa copa furada a áfrica é a próxima da fila