sexta-feira, maio 28, 2010

O Exterminador do Futuro



Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

O assessor da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, disse que o “presidente” (sic) Serra está tentando ser o “Exterminador do Futuro da política externa”, pois o candidato tucano levantou suspeitas de cumplicidade entre o governo boliviano e o tráfico de drogas. A candidata petista Dilma endossou as duras críticas, alegando que esta não é a postura de quem pretende ser um “estadista”. Ser um estadista, para essa turma, é manter fraternais laços de amizade com o que há de mais podre na política internacional.

A Bolívia é a principal fonte da cocaína que entra ilegalmente no Brasil. Sobre isso, nenhuma palavra do governo Lula. Seu presidente, Evo Morales, defende abertamente os cocaleiros. Claro, não tenho porque acreditar que a produção de folha de coca tem algum destino ilegal. Saci Pererê mesmo me contou que é tudo usado apenas para mascar. O fato de que a exportação ilegal de cocaína aumentou bastante desde que Morales chegou ao poder tampouco mereceu algum comentário. A agência antidrogas americana (DEA) foi expulsa do país pelo governo boliviano, mas isso também não foi alvo de preocupação do governo Lula. O alvo escolhido foi Serra, que colocou o dedo na ferida.

Na verdade, Morales é um “companheiro”, um aliado da revolução “bolivariana” liderada pelo caudilho Chávez. São todos eles sócios no Foro de SP, criado justamente por Marco Aurélio Garcia e companhia. Será esta a verdadeira razão da reação tão desesperada do “ministro do B” do Itamaraty? Será que a “diplomacia” com a Bolívia é da mesma natureza que o relacionamento que Brizola tinha com os traficantes das favelas cariocas? Garcia chamou Serra de “Exterminador do Futuro” da diplomacia brasileira. Mas se for para exterminar esta “diplomacia” conivente com caudilhos, ditadores e traficantes, então deve ter nosso total apoio!

20 comentários:

Tiago RC disse...

Mas pera lá, Constantino.
Acho que você está deixando seu ódio pelo PT te confundir.

Você parece estar criticando a política de "vista grossa" às drogas. Você realmente prefere a War on Drugs da DEA?
Embora o ideal seja a liberação, a vista grossa é preferível à repressão armada. Quanto mais vista grossa fizerem, mais produtores, maior concorrência, menor poder para os grandes e violentos traficantes etc.

Agora se a política das drogas boliviana tende mais para um corporativismo com os grandes cartéis, aí é outra história... teria que ter especificado no post.

Abraços,
Tiago.

"Política sem medo" disse...

Caro Constantino, os lacos de amizade entre o Brasil e a Bolivia tao propalado pela dupla Garcia/Roussef nao traz nenhuma vantagem ao nosso pais visto que lula tem sido sempre um servical desse cocaleiro(estatizacao da nossa Petrobras e outros). Morales e sim um "cocaleiro". Por que nao dize-lo? Serra mostra caoragem ao faze-lo. Nao sei por que eles estao nervosos dessa maneira pois nenhum deles se preocupou quando lula fez sua incursao em Honduras tentando impor a ilegalidade de um golpe de estado. Sera que essa gentalha nao entendeu ainda que eles "ja eram"? E que a partir de 01/01/2011 o povo gostaria de nunca mais ouvir seus nomes que nos envergonham? tanto?

ntsr disse...

'Embora o ideal seja a liberação'

Guarde isso pra campanha dos idiotas do liber.

fejuncor disse...

Ué, não tem de descriminalizar? Com que moral podemos sustentar tal posição crítica, enquanto oposição, quando há um ex-presidente endossando também, com todo respeito, essa maluquice... Incongruente estigmatizar o produtor ao mesmo tempo em que se advoga pela liberdade deste produzir e comerciar. A droga está bombando, na sociedade brasileira. A droga está elegendo senadores, deputados e tudo mais.

O narcotráfico faz "lobby". O governo quer votos. Ninguém joga dinheiro bom, honesto, em política. Só se joga dinheiro de corrupção, de tráfico, de crime. E é por isso que o estado é corrupto.

Nestes últimos 16 anos o que cresceu no Brasil foi o tráfico de drogas e a corrupção. É o que sustenta o governo.

www.formacoe.blogspot.... disse...

MARCHA DOS MACONHEIROS. ALGUEM VIU O MINC OU O GABEIRA NESSA FESTA??? ELES SÃO USUARIOS DECLARADOS.?
23/05/2010 20h45 - Atualizado em 23/05/2010 20h54

Marcha da Maconha termina com pessoa detida em SP
Evento ocorreu no Ibirapuera e contou com cerca de 150 pessoas.
Jovem foi levado para delegacia por incitação ao crime.
Do G1 SP

imprimir

Jovens fazem protesto pró-maconha no Ibirapuera (Foto: Anderson Barbosa/AE)

Uma pessoa foi detida por incitação ao crime durante a Marcha da Maconha, evento realizado no Parque do Ibirapuera neste domingo (23). O jovem foi levado ao 36º DP, no Paraíso, mas foi liberado. Ele levava uma das faixas durante o protesto.

Cerca de 150 pessoas participaram do ato, segundo a Polícia Militar. Carregando cartazes e faixas com dizeres como "A proibição fortalece o crime organizado", os manifestantes pediam a liberação da droga.

De acordo com o cientista social Marco Magri, um dos organizadores da marcha, a detenção foi "arbitrária", já que várias mensagens foram exibidas pelos presentes e apenas uma pessoa foi levada para a delegacia. Ainda segundo ele, ninguém fumou nem desrespeitou a polícia.

A marcha teve início à tarde e foi encerrada por volta das 19h.

Bruno S disse...

É, "formacoe"... Tem gente dentro das esferas de poder (sejam estatais ou privadas) que morrem de medo dessas manifestações.

Se as pessoas começarem a apoiar tal medida, o que farão com poder economico das mafias abalado? Diminuir a corrupção? Que medo!
Se não for o "tráfico de drogas", que pode expiatório terão que usar para o caos instalado?

Ademais, que peninha a DEA ter sido expulsa... Tão boazinha! O governo dos EUA tbm nuuuuuuunca esteve envolvido com tráfico de drogas para financiamento de ações extra-oficiais pelo mundo.

Anônimo disse...

É sempre assim, para um fato concreto que os incrimine, eles, os esquerdopatas, contrapõem com uma baixa retórica sem nenhum lastro factual, mas que pretende ter status de realidade -- difamando a quem julga ser seus inimigos. Bruno, quando e onde os EUA esteve envolvido com tráficos de drogas para financiar ações externas? No caso da Bolívia, no mínimo, há uma conexão lógica muito forte, baseadas em fatos, como a exemplo do Foro de São paulo; não um ódio imaginativo.

Apolinário Rocha

fejuncor disse...

Marcha da maconha é o cúmulo da fissura.

Antonio disse...

"Ser um estadista, para essa turma, é manter fraternais laços de amizade com o que há de mais podre na política internacional."

Gostaria de saber então qual é a parcela não-podre da política internacional com que Brasil deveria manter amizade. Já sei, a Áustria! Acertei?


"A agência antidrogas americana (DEA) foi expulsa do país pelo governo boliviano..."

E quem disse que o DEA ou o governo americano tem o direito de ditar as regras em um país que não seja o deles? Não acho isso nem um pouco liberal...

Abraços!

Alexandre - Caçador de iMundos disse...

Fala, meu amigo Rodrigo, você deveria usar mais o twitter.Basta um tag e seus artigos atingem milhÕes de pessoas na mesma hora.

O meu é @SaoBlack . Abraço

Bruno S disse...

Anonimo,

"esquerdopata"? Hahahaha! Baseado em que vc diz isso?

Pesquise a CIA dando cobertura para KMT de Chiang Kai-Shek, ou para traficantes do Afeganistão, ou ainda estude sobre o caso Irã-Contra, com envolvimento direto de Ronald Reagan e Ollie North.

São fatos.
É o sujo falando do mal lavado.

Bruno S disse...

fejuncor,

Fissura pq? Q eu saiba nunca faltou erva para ninguém, seja por comprar com facilidade ou por plantar em casa.

Felipe Santos disse...

Concordo Bruno... não acho que a marcha da machonha seja por causa da "fissura", mas sim a luta pelo direito de fumar o que quiser!!!

Não é essa TAMBÉM uma luta digna dos liberais?!!

Antes que me acusem de querer criar "zumbis" e, com a escusa que moramos num país com um povo "pouco esclarecido", defederem a tese de que não devemos liberar o uso de drogas "por enquanto", pergunto... não seria esse o mesmo caso do sufrágio universal então? Vamos tratar o povo como inaptos pra escolher o que devem ou não consumir? Dois pesos e duas medidas?

ntsr disse...

Ok, lá vamos nós de novo...

anarco capitalista: portugal liberou geral e agora é feliz
anarco capitalista: liberar as drogas vai acabar com o tráfico

certo...
http://aspirinab.com/ficheiros/correio-da-manha-favelas.jpg

(obs, máfia fas favelas leia-se PCC)

ntsr disse...

Rodrigo, faz tempo que tu n escreve nada pró israel, fico imaginando como eh que tu vai defenser isso:

http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/ataque-israelense-comboio-humanitario-mata-ao-menos-16-fere-mais-30-564940.shtml

Tipo, um comboio com bandeiras brancas,qualquer idiota vê que n é terrorista, qual a necessidade de atirar primeiro e pensar depois? Não sabe falar :'ei, n pode ir por aí n.'
?????

Sinceramente, como n tem como defender isso eu acho que tu vai partir pra um argumentum ad hominem tosco, chamando todo mundo de nazista safado anti semita como já fez antes, ou seja, a mesma 'estratégia' que tu condena quando eh a esquerda fazendo

eu disse...

O Brasil é o pais mais violento, com o governo mais corrupto do mundo. Alguém acredita que não seria o foco mundial do tráfico de drogas?

lingvo-shatanto disse...

É triste a gente ter que rir diante dos comentários de Rodrigo sobre um assunto tão deprimente quanto o tráfico de drogas.

Isso porque o mercado de drogas nada mais é do que um mercado igual a outros, não menores, em termos de danosidade para qualquer país que se encontre como destinatário da produção e comercialização, como é o caso, por exemplo, da produção e comercialização de armas, de bebidas alcoólicas e do tabaco, considerados lícitos, enquanto o das drogas é declarado ilícito pela maioria dos países, salvo um ou outro que lucra (ou lucrou) estupidamente (nos dois sentidos) com esse tipo de comércio.

Mas tenho que rir: porque como Rodrigo tem dito e redito, acompanhado pela maioria dos seguidores deste blogue que o "mercado-livre" tudo resolve, pois só vende quando há demanda, devendo-se exclusivamente ao interesse do consumidor que tipo de mercadoria deve ser produzida e comercializadaa única e ao produtor e comerciante identificar quais as mercadores requisitadas pelo mercado e atendê-las pelo menor custo,não cabendo ao Estado adotar nenhuma postura fiscal (e até penal?)que dificulte o livre-comércio de mercadorias de qualquer espécie.

Se não houver demanda, ninguém produz, pois o interesse do produtor (fabricante de armas/produtor de explosivos=cocaleiro/cocaineiro) e intermediador (tráfico/traficante = comércio/comerciante)é o lucro e não vai entrar em um negócio que não lhe renda satisfatoriamente.

Se válida a teoria Haynekiana de Rodrigo, é só deixar o barco correr frouxo até que todos os consumidores se lasquem e desapareçam do mapa, para que qualquer comércio/tráfico também suma do mapa, e assim se desloquem os investimentos para outras produção e comercialização de outras mercadorias para as quais exista demanda.

Como sou favorável à intervenção do Estado na Economia, para impedir abusos prejudiciais à sociedade, intervenção essa que mais se legitima quando se está diante desse comércio nefasto que destrói milhões e milhões de vidas humanas.

Entretanto, tenho de reconhecer a importância do consumidor na existência de qualquer mercado, e porisso estranho que ninguém levante o problema do tráfico de droga, não na ponta da produção e do tráfico, esquecendo-se da outra ponta do processo, o consumidor, o viciado, que são simplesmente considerados como pessoas doentes, merecedoras da compaixão humana e de um atendimento decente para livrá-las da dependência a que se entregaram "livremente", quando o seu comportamento anti-social deveria sofrer um combate sem fronteiras, inclusive criminalizando o consumo e colocando esse bando de degenerados, compulsoriamente, em centros de recuperação, ou internando-os mesmo em estabelecimentos prisionais, se irrecuperáveis.

Acho até que poderia serem discriminalizados o fornecimento de drogas e dado livre acesso aqueles viciados à droga de que são dependentes, desde que firmassem o compromisso de se submeter a tratamentos de desintoxicação, com programa de redução estipulada do consumo, durante um período definido pelos responsáveis pelo tratamento e aqueles que não se submetessem fossem postos em cana ou então expatriados para os países produtores, criar algumas faixas de Gaza (ou melhor faixa dos esgazeados) nas fronteiras com esses países e deixar os porras-loucas consumir a droga adoidado, pois em breve o consumo se reduziria drasticamente com o paulatino autoextermínio desse hedionda confraria.

É, mas mexer na ponta do consumo, ninguém mexe, pois se mexesse se veria muita gente dita "boa" cheirando adoidado, pagando o "pó" a preço de ouro (ou é mais caro?) e iria mexer com as melhores famílias da "Londres" brasileiras.

Mas aí não pode, aí não dá, parafraseando FHC, mentor de Serra, que defendem a descriminalização da droga, pois segundo eles a guerra foi perdida, quando a guerra deveria ser travada em outra trincheira, infernizando a vida do consumidor, com campanhas bem elaboradas para desestimular a primeira tragada, a primeira cheirada, a primeira inoculação...

lingvo-shatanto disse...

Mas quem é doido para mexer nisso?

É mais uma mazela da sociedade que sempre fica intocável, pois os maiores usuários se encontram nas faixas mais "chiques" da sociedade brasileira, repetindo-se o fenômeno em outros países, especialmente nos States onde mais se consome drogas neste planeta.

Assim o combate às drogas é mesmo para inglês ver.

Mas como diz NTSR, pr'a que se preocupar com isso? O que é que o Estado tem a ver com isso? Laissez-faire, laissez-passez! Só fuma, cheira e se fura quem quer e se eles querem deixa pra lá, há que se respeitar a sacrossanta liberdade do indivíduo, pois isso não faz mal a ninguém, exceto aqueles pobres coitados da favela, que terminam dependentes do craque, a borra da cocaína, os restos e as migalhas desse mercado tão promissor, morrendo em pouco tempo e assim deixando o problema resolvido por si mesmo.

É, só não vou gritar "Viva o livre comércio de drogas", pois alguém poderia me acusar de fazer a apologia do crime, quando eu acho que tanto é crime produzir e comercializar, quanto consumir a drogas, todos fazem parte do mesmo processo criminoso e destrutivo para qualquer sociedade. Há que baixar a macaca.

No Brasil, não podem ser adotadas penas degradantes. Mas se na primeira prisão por consumo, o "patricinho" levasse umas 20 lamboradas nas nádegas descobertas, em praça pública (poderia mesmo ser uma praça de alimentação de um grande shopping) com aquelas longas varas usadas para esse fim lá na Malásia, talvez se descobrisse a fórmula certa do combate, ou pelo menos "o coitadinho" ficaria "fora de combate" por um bom período.

ntsr disse...

Lingvo, leia o que eu escrevi 5 posts acima
Nesse assunto eu acho os libertários ingênuos, eles escolhem uma posição por causa da ânsia gigantesca de 'ah, ninguém me controla' como se n existissem milhões de outras variáveis quando se olha o problema de perto

Tipo, ele é livre pra fazer o que quiser,certo? Se ele quiser se matar ele pode, se ele quiser arrancar metade do cérebro ele pode, MAS entao se ele quiser arrancar os dois olhos E ir dirigir o problema é dele tb... capicci?
Ou seja, os libertários vivem num lindo mundo da imaginação onde, quando é conveniente, nada tem a ver com nada.

Giovane disse...

ntsr
"MAS entao se ele quiser arrancar os dois olhos E ir dirigir o problema é dele tb... capicci?"

A solução para acidentes de transito provocado por álcool seria a proibição total do uso, acha que iria funcionar?

Ninguém pode proibir vc de arrancar seu olho, mas dirigir um carro sem olhos é falta de educação ou doença mental, podendo prejudicar terceiros.