sábado, junho 18, 2011

Che, o deus dos idiotas úteis


Rodrigo Constantino

Quando escrevi o artigo para O GLOBO sobre o verdadeiro Che Guevara, aquele assassino porco que matava inocentes entre um banho espaçado e outro (o sujeito não era chegado num sabão), sabia que iria despertar a fúria dos perfeitos idiotas latino-americanos. Eu mexi com o "Maomé" dos comunas, o "deus" das viúvas de Stalin. Aquela turma que até hoje idolatra o mais antigo ditador do planeta, o senhor feudal da ilha caribenha chamada Cuba, um presídio de miseráveis. E eu não estava errado na previsão, naturalmente.

Eis que um tal de Lúcio Castro, comentador de esporte que eu jamais ouvi falar, resolveu me atacar no site da ESPN. E qual o seu grande trunfo para me atacar, exatamente? Algum argumento combatendo os dados que abordei no artigo? Alguma fonte histórica séria para defender Che como um grande homem, e não a fria máquina assassina que foi? Claro que não! Ele me atacou, ó céus!, por eu ser supostamente um "Zé Ninguém". Quem eu penso que sou para falar do "xerife" Che Guevara, aquele que mandou ao paredão milhares de pessoas inocentes?

É evidente que não valem os minutos perdidos para rebater um pobre coitado desses, comentarista de futebol. Mas por que eu resolvo fazê-lo então? Justamente porque creio ser sintomático da pobreza intelectual do país este caso. O tal de Lúcio Castro (quem?) serve como uma luva para mostrar justamente como idiotas úteis ainda pululam nesse país. E pior! Com espaço na imprensa!!! Brasileiros não gostam de debater argumentos e fatos, e sim pessoas. A fama passa a ser mais importante que o conteúdo. Quem disse é mais relevante do que o que foi dito. (Para socialistas, todos são iguais, mas uns mais iguais que os outros!)

O tal de Lúcio (quem?) diz, depois de enfadonhos parágrafos sobre Romário, que poderiam ser resumidos em poucas linhas (ele estava focando no que mais entende), que não vem ao caso falar de ideologia, defender ou não o regime Cubano. E para que? Para logo depois fazer exatamente isso. Defender da forma mais escancarada e patética a mais cruel, antiga e perversa DITADURA do continente! Isso mesmo. O comentador de futebol fez um texto enorme para dizer que Cuba é o máximo, e que um "Zé Ninguém" ousou falar o contrário, atacando o líder revolucionário Che Guevara. E não é que mesmo assim, SEM UM ÚNICO ARGUMENTO, o sujeito recebeu dezenas de mensagens favoráveis, como se ele tivesse detonado meus pontos?

Claro que ele apagou várias mensagens contrárias, direito dele (propriedade privada com liberdade de escolha é isso, um dia ele entende e passa a condenar Cuba). Mas a reação daqueles pobres coitados que devem perder muito tempo vendo o baixinho jogar e quase nenhum para ler sobre fatos históricos em Cuba (sem usar como fonte Fidel Castro, naturalmente), foi mesmo lamentável, ainda que previsível. A massa de inocentes úteis queria apenas isso: que alguém, ainda que um "Zé Ninguém" comentarista de esporte, aparecesse para atacar o autor do artigo que gerou tanto incômodo, mesmo que sem apresentar um argumento sólido contra os dados que abordei. Isso "lavou a alma" deles. Agora eles podem ir dormir mais tranquilos. Afinal, Che ainda é um santo! O tal de Lúcio Castro disse. TEM QUE SER VERDADE! Amém.

Que pobreza intelectual. Quanta podridão ideológica. E pensar que no Brasil a estupidez tem um passado glorioso e um futuro fantástico!!! Gente que consegue defender assassinos ainda recebe espaço na imprensa e aplausos dos incautos. Tragicômico.

PS: Um comentário no site da ESPN chamou minha atenção. O sujeito estava revoltado com minha "agressividade", por chamar de idiotas úteis os fãs do assassino Che Guevara. Vejam bem! Agressividade é isso, não o que o próprio Che fez, ao puxar o gatilho e mandar para o "além" centenas de pessoas cujo "crime" era ser "burguês" ou rejeitar o comunismo. Que coisa!

PS2: Alguns focaram no fato de que Cuba não era boa com Fulgêncio, o que é indiscutível. Mas dentro do contexto latino-americano, nem se saía tão mal assim. E Fidel, com ajuda de Che, conseguiu fazer com que favelas cariocas pareçam lugares decentes perto de Cuba. E esses são os facínoras idolatrados pelos idiotas úteis!

45 comentários:

Anônimo disse...

Rodrigo,
sou uma brasileira que sempre sonhou com um país melhor, mais sério, capaz de se indignar e se transformar. Esses últimos anos foram uma pá de cal nas minhas esperanças. Tenho a sensação de ser esmagada pelo rolo compressor da mediocridade intelectual que assola nossa mídia, nosso meio político, acadêmico e intelectual. Seus artigos e comentários, Rodrigo, - e de alguns poucos intelectuais escolhidos a dedo - me dão um pouco de alento e a sensação de que ainda não perdi a lucidez. Obrigada!
Abraços,
Virgínia

Bruno Leão disse...

Virgínia, querida, se for solteira, é a sua chance de conhecer em intimidade o seu tipo perfeito que fala contigo! Rodrigo, gostar de Che é doença típica da adolescência, no caso de vários, eterna adolescência mental.

thiago disse...

constantino.. sou fã, doente por futebol... e posso te garantir.. esse lucio de castro é um coitado... nao sabe porra nenhuma de futebol, mal assiste jogos e dai tenta dar uma de intelectual...

Jota Fanchin Queiroz disse...

Caro Rodrigo,
Parabéns por ser um ZÉ NIGUÉM que acredita que os milhões de ZÉ NINGUÉMS como nós, possuem o direito da expressão livre. Talvez se os ZÉ NINGUÉMS de Cuba pudessem falar pudessem expressar quem foi realmente o assassino covarde Guevara.
Aquele que se considera um ZÉ ALGUÉM, não admite o contraditório. Imagine o que ele faria se lhe fosse dado poder. É sempre mais fácil ao ignorante rebaixar o crítico do que atacar a crítica.
Você prega no deserto, mas jamais, jamais permita que eles o calem!

André disse...

Patético a tentativa de defesa do comunistóide. Hehehe.... bom, o cara é vermelhinho, dizer mais o que? Tem cocô dentro da cai craniana.

Rodrigo Constantino disse...

Em homenagem ao tal de Lúcio Castro (quem?), o elitista socialista:

http://www.youtube.com/watch?v=UzcDEH0vKZ8

Eu não sou ministro, não sou magnata. Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém. Aqui embaixo as leis são diferentes...

Médica e muito mais disse...

Esse Lucio Castro, cujo sobrenome semelhante ao ditador Fidel, não entende nada de futebol. Posso afirmar que não é só ele que destila todo o amor pelo comunismo, há um outro apresentador lá que vira e mexe solta umas pérolas anticapitalista. Bom, esse Lucio Castro é formado em história e deve ter sido mais um coitado contaminado por professores na juventude.

Cahê Gündel Machado disse...

Esse Lúcio é um mulambento que foi chutado do SporTv.

Eu deixei um comentário - bem educado, até! - no blog dele e o democrata rejeitou. Só aceita os comentários vindos da claque amestrada.

Lixo!

Anderson disse...

Coloque as fontes que vc utiliza para atacar o Che, senão, só parece propaganda anticomunista. Em que vc se baseia para afirmar que Che matou mulheres grávidas?

Fernando disse...

Caro Rodrigo,

Acho louvavel a sua persistencia na defesa das liberdades do individuo em um pais como o Brasil. Acho impressionante seus feitos e a quantidade de colunas no seu curriculo. Porem, voce (ao menos com base neste blog) padece da mesma doenca da esquerda burra desse pais. Com retorica fraca e ataques pessoais (esse blog e'puro ataque pessoal). Por que gastar um blog inteiro para falar de Lucio (quem?). Para que gastar um artigo todo sobre Che? Quem se importa com Che alem de adolescentes com espinhas na cara? Seus esforcos poderiam ser mais bem utilizados.

André Accioly disse...

Na cabeça dos vermelhinhos, o psicopata doente do Guevara, que colocava inocentes no paredão para fuzilar (e ao que tudo indica na sua biografia, tinha um enorme prazer em matar) não é violento. Aqueles que denunciam os massacres promovidos por esse terrorista mercenário, é que o são. Esquerdismo é uma doença mental.

Que hajam defensores de genocidas e mercenários que tenham espaço na mídia e imprensa brasileira, realmente é uma vergonha.

Se ele gosta tanto de comunismo, por que trabalha em uma empresa capitalista? Que vá trabalhar de escravo para o governo, como praticamente a totalidade da população em um regime socialista faz.

E alguém avise a esse Lúcio de Castro, que futebol é esporte pra macho, não para mariquinhas hippies com camisa do che quer vara como ele.

Rodrigo Constantino disse...

Anderson, as fontes foram citadas no artigo! O livro e o documentário contam com relatos de vítimas, parentes de vítimas, e até ex-aliados do assassino. Pessoas que viveram o inferno cubano in loco a atestam a barbaridade comandada pelo ídolo das esquerdas.

Rodrigo Constantino disse...

Fernando,

Che morreu, as o defunto vive. Eu acredito em idéias, e elas têm poder. Pela reação ao artigo, vc pode ver como esse facínora ainda desperta emoções. É preciso derrubar os mitos falsos, pois eles influenciam o presente e o futuro.

Leo SKHM disse...

Ao invés de argumentar com solidez contra o que o Constantino havia escrito (o que seria difícil, pois defender um assassino não é das tarefas mais fáceis), ele partiu para a tentativa de desqualificação pura e simples.

“Acabei com o problema dando-lhe um tiro com uma pistola calibre 32 no lado direito do crânio, com o orifício de saída no (lobo) temporal direito. Ele arquejou um pouco e estava morto. Ao tratar de retirar seus pertences, não consegui soltar o relógio”
Che Guevara
É trecho do diário de Che Guevara, o Porco Fedorento.

Sobre Cuba uma frase do Reinaldo Azevedo que resume bem a ilha:
“Cuba, vocês sabem, é uma ilha dividida em duas prisões: uma com comida — em Guantánamo — e outra sem comida: a de Fidel e Raúl Castro. Há certamente menos anêmicos entre os terroristas detidos na base militar americana do que nas ruas de Havana.”
Deve ser por isto e pela falta de liberdade que várias pessoas ainda fogem de lá quando podem. Já que o Zé Alguém Lúcio Castro gosta de futebol, ele deve saber que o último a fugir da ilha-presídio foi o atacante da seleção cubana de futebol Yosniel Mesa. O jogador aproveitou a disputa de uma competição nos Estados Unidos neste mês de junho e deu jeito de ficar por lá mesmo. Se os atletas que ainda contam com alguns “privilégios” na ilha cubana fogem, imagina a situação das outras pessoas.
http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/2011/06/atacante-foge-de-concentracao-da-selecao-cubana-nos-estados-unidos.html

O Zé Alguém Lucio Castro deve preferir defender pessoas como o Che Guevara ao invés de pessoas como a Yoani Sánchez. É isso. No fim das contas não passa de hipocrisia. Defender indiretamente os irmãos Castros e o Porco Fedorento no conforto de uma democracia.

Anônimo disse...

Li um russo que não fez sucesso: Arcádio Averchenko. Mas o cretino fez a burrada de ser irônico com o oficial político da biblioteca em que trabalhava e foi levado de férias para o arquipélago Gulag. Soljenitsin é uma coisa, Averchenko é outra. O coitado desapareceu na Sibéria. Deve ter sido comido por ursos. URSS, russos e ursos - quase dá vontade de escrever ursso assim com dois esses. Rsrs. Sai daquí, Leminski.

Dostoievski me gusta. Digo me gusta porque li-o na tradução para o español. Dostoievski escreve a história de um coitado e durante cem páginas te faz ficar morrendo de pena do infeliz. E de repente, sem nenhum truque, sem nenhuma edição, ele começa a contar a coisa de um outro ponto de vista e você descobre que o coitado é, na verdade, um grandissíssimo de um salafrário. Bom, Dostoievski. Muito bom.

Anônimo disse...

Rodrigo, você se afastou do Instituto von Mises? Parece que lá agora é só Hoppe. Um defensor do Estado mínimo que postava comentário lá foi "esmagado", veja você.

Ingrid disse...

Sabiam que Che Guevara é idolatrado pelos terroristas muçulmanos por ter lutado contra o imperialismo americano??

fejuncor disse...

Que eu saiba, quando Guevara enfrentou uma responsabilidade, a de ser ministro em Cuba, não deu no couro e teve de ser retirado do cargo rapidinho.

lú disse...

Não dêem pérolas aos porcos

Anônimo disse...

Esse instituto mises tá ficando ridículo.Não sai quase nada dali que não seja ad hominem, redução ao absurdo ou a falácia da composição.
ntsr.

Leo SKHM disse...

Constantino,

Só um último comentário sobre o Zé Alguém Lúcio de Castro. Fiquei admirado com o caso. Ele deve ter ficado realmente bravo para ter escrito sobre um assunto totalmente alheio ao futebol. Chega a ser engraçado. Está certo que ele começa falando sobre o Romário e a honra do jornal O Globo como pretexto para depois começar a falar sobre Cuba, Che e Zé Ninguém. Mesmo que as informações contidas no artigo “O Mito Che Guevara” fossem totalmente mentirosas e injustas, será que outras tantas “injustiças jornalísticas” mereceriam um artigo dele que não tratassem de esporte também? Ou só o Che desperta esta atenção especial dele? Não sei. Não me arrisco a ler outros textos dele para descobrir isto. O começo do texto sobre o Romário foi tão enfadonho que fico por aqui.

E como disse um próprio leitor dele, Ozymandias, a apologia à malandragem e favela que ele faz é perniciosa. O Brasil não precisa de mais malandragem e favelas e sim o contrário.

Outra coisa é citar Romário como argumento de autoridade. Já tinha visto gente citando Churchill, Kant, Freud, Nelson Rodrigues, Schopenhauer e etc. Está certo que não é quem diz e sim o que foi dito, o argumento deve se sustentar por si só independente de quem tenha dito, mas não sei de nada especial e inteligente que o Romário tenha dito. E citar a arrogância do baixinho (“Quem”, “quem é esse cara? Não conheço como nada”, e “já foi muita luz pra cego”) não é sinal de perspicácia, pois no máximo se consegue um efeito cômico (ou deprimente) mesmo que involuntariamente e no mínimo mostra falta de cultura.

“Lá pelas tantas, o sujeito atira contra Walter Salles Jr, cineasta de talento reconhecido no mundo todo, autor de “Diários de Motocicleta”, e dispara: “Se ao menos os cineastas engajados tivessem lido o diário completo!”“, sem citar Walter Salles. Quanta pretensão”
Zé Alguém Mauro de Castro, o que o Constantino aponta aqui é a edulcoração de Che Guevara na obra e não o questionamento dos méritos artísticos do filme ou a falta de talento de Walter Salles Jr.. Não ver isto é ignorância ou má-fé (ou a combinação de ambas).

Dizer que você, Constantino, quer chamar a atenção (“quer luz desesperadamente”), lastimando o fato de você escrever para O Globo. Chega a ser comovente. Quem escreve para a “instituição quase secular” O Globo precisa chamar a atenção?

Zé Alguém Mauro de Castro, você tem luz para dar? Quantas pessoas sabem que é Mauro de Castro? Milhões?Romário e o “cineasta de talento reconhecido no mundo todo Walter Salles Jr” todo mundo conhece. Você recorre tanto à fama dos outros como argumento que faltou um espelho para você perceber que lhe falta luz, ou seja, é um Zé Ninguém que tenta dar algo (luz) que não possui. “Quanta pretensão.”

Abs.

Leo SKHM disse...

Off Topic

Ué!? Este espaço de comentários virou um chat de paqueras?O leitor Bruno Leão não perde tempo. Constantino, se for assim me arranja o e-mail da bela leitora “Médica e muito mais”. Brincadeira! Um pouco de humor não faz mal, mas se você quiser levar a serio o que eu disse não tem problema.
rsrs

Anônimo disse...

O brasil é muito lixo mesmo.
ntsr

Anônimo disse...

Caríssimo Rodrigo.

Depois do Enrolavo, agora esse Lúcio Costa - que não por acaso, leva o nome do arquiteto comunista.

Só Deus para nos proteger.

Abraços do fã,

Fernando.

@MauroVS disse...

Postei lá no blog do mané, foi para mediação.

Lúcio,
Tem vídeo no YouTube de Che discursando na ONU dizendo que matava e continuaria a matar em nome da revolução.
Em outro, os contemporâneos de Che, dizendo que cheirava a rim fervido.
Assistiu o documentário?
Foi uma decepção para você. Não foi?
Teve gente que se decepcionou com Rock Hudson e outros com Rick Martin.
É difícil aceitar a realidade, mas a vida é assim, como o futebol uma caixinha de surpresas.
Assistiu Diários de Motocicleta?
Che sendo encoxado na moto por seu companheiro em viagem pela américa do sul.
Pois é! Além de Toxicomano, mijão, porco fedorento, covarde, era também um tremendo gay.

Anderson disse...

Estão faltando aqueles que tem argumentos contrários aos do Rodrigo para melhorar o debate. Sei que os comentários aqui postados são mediados pra evitar absurdos, mas as idéias que vão de encontro ao artigo são também aceitas.
Cadê os esquerdistas, os comunistas?
É difícil mesmo defender assassino...

Anderson disse...

Algo que me incomoda e que fiquei pensando ao ler o artigo "brilhante" do tal Lúcio Castro: será que um "Zé Ninguém" não merece expressar sua opinião? Partindo desse princípio, somente a opinião de pessoas ditas importantes ou famosas tem valor?
Estranho um jornalista não ser a favor da liberdade de expressão, independentemente de se tratar de algo contra ou a favor ao seu pensamento ou de se tratar de pessoa "importante" ou não.

Fabinho Vicious disse...

Chê Guevara com certeza é o defunto com maior numero de viúvas do mundo.

André Segadilha disse...

Rodrigo,

Concordo com seus argumentos em relação ao Che e mesmo se não o fizesse é assim que funciona uma sociedade sadia:feita de opiniões sejam quais forem. Concordo com vc tb quando fala sobre a ignorância (santa arma das maledicências) e dos rogos juvenis (quase infantis) dos que não sabem discordar sem desmerecer a opinião alheia. Meu amigo, não sofro tanto quanto vc porque não me exponho tanto (fico aqui no recluso canto do mercado de capitais), mas como pensamos (isso também hoje é raro) e aceitamos argumentações contrárias as nossas, apanhamos...
Acredite meu amigo, a lucidez nesse país é artigo raro, nem em deli stores estamos achando mais...

Abraços

André Segadilha

Anônimo disse...

Os esquerdistas inundavam isso aqui quando não tinha moderação.
Por um lado agora está melhor, por outro, as mesmas coisas que eles sempre falam já foram respondidas mas se perdem no meio de tantos artigos, uns sem importância nenhuma.
ntsr

Anônimo disse...

Caro Rodrigo,

Já vi essa figura algumas vezes quando era comentarista esportivo na Globo, mas sempre atuando em eventos de pouco importância.
A sua (dele)principal característica (e que me chamou a atenção)era a incrível capacidade de sempre elogiar os entrevistados, "tipo" levantando a bola pro convidado chutar.
Nunca o vi (e nem ouvi) fazer algum juízo crítico válido, ou mesmo aproveitável. Não é à toa que foi defenestrado da Globo e hoje ocupa um lugar de muito pouco destaque em outro lugar.

E quanto a sua apreciação sobre Fidel, Che e outras imundícies nada mais preciso e direto.

Admiro seus comentários pela profundidade e didatismo em suas formulações, tanto que sou leitor diário de seu blog.

Sérgio.

Leo Basile disse...

Lúcio de Castro deixou o Sportv porque lá não podia se expressar livremente. Na ESPN ele diz o quer, inclusive critica, muitas vezes com razão, o governo brasileiro.
Agora, só mesmo a paixão ideológica burra e contraditória para fazer um sujeito defender Cuba sendo que ele próprio já sentiu na pele o que é ter o direito de expressão tolhido.

*PS: fiz esse comentário no blog dele, imagine se ele publicou...

Anderson disse...

Realmente Rodrigo, se o Che mandou um monte de gente pro paredão só porque eles discordavam do novo regime, eu não tenho porque defendê-lo.
A esquerda pode procurar uma outra maneira de agir, inspirando-se no pacifismo de Martin Luther King, Gandhi, Madre Tereza de Calcutá, etc. É válido ressaltar que na própria esquerda existem pessoas pacifistas como Edward Palmer Thompson, que se uniu a Bertrand Russel no combate as armas nucleares, Paulo Freire, que sempre defendeu a educação popular e muitos outros pacifistas. Nem todos da esquerda apóiam Che e Fidel.
Obrigado pelo debate respeitoso.

Anônimo disse...

Esquerda se inspirando em Gandhi? Ele era libertário...

Anônimo disse...

"Parece quase um destino que as polêmicas, entre nós(latinoamericanos), quaisquer que sejam os assuntos que as motivem, sempre se reduzam, cedo ou tarde, a procurar desqualificar moralmente o adversário.
Mais importante do que se contrapor a suas ideias é cobri-lo de ignomínia, mesmo que seja à base de golpes baixo, como o insulto ou a calúnia.
Em países cultos, onde se considera que o jogo é tão importante como as suas regras, tais métodos levam quem os utiliza à derrota.
Nos nossos Países, não.
Quem estangula o adversário é também quem ganha a discussão, sendo depois chamado, com razão, de "temível polemista".
Isso tudo tem um lado triste, porque simboliza o nosso atraso.
Mas é também algo cômico, borbulhante, vivo."
Mário Vargas Llosa, in Sabres e Utopias, p.175/6.

Anderson disse...

Caro anônimo, para mim, libertário é aquele que defende a Liberdade, então, tanto Direita quanto Esquerda podem reinvindicar a causa.
Justamente por eu ser um libertário, eu não tenho a mínima admiração por Fidel. Quero que ele morra logo e Cuba parta para um outro tipo de Socialismo.
Sobre Gandhi, é válido lembrar que ele lutou pelos miseráveis da Índia, então, ele deveria ser um grande exemplo para qualquer um da Esquerda. No século XX, não existe exemplo mais inspirador que o de Gandhi.

Anônimo disse...

Eu sei que não tem contradição entre ser libertário e querer ajudar os pobres, mas a esquerda está a anos luz de entender isso.

Anônimo disse...

Para esses esquerdistas o importante não é debater usando lógica. Debate pra eles é isso mesmo: o uso eficiente das paixões e emoções pra enganar o maior número de idiotas possíveis. Mussolini dizia que era a fé que movia montanhas e não o racicínio lógico. Eles sabem que pra convencer a massa é mais útil uma frase emotiva cheia de mentiras que tentar usar a verdade -que nem sempre agrada.

Gustavo S.

South PArk disse...

Rodrigo, você ainda perdeu tempo com um cara que é romarete. Um cara, com sei lá quantos anos, barba na cara, marmanjo, que idolatra romário. Antes fosse só pelo jogador, mas não! O cara venera romário em todas áreas da vida do romário. é um completo idiota.Tenha santa paciência.

Meu ídolo se chama meu pai que me criou e me deu educação.

parece adolecente que coleciona figurinha.

Abçs. DIREITA VOLVER!

Anderson disse...

Gustavo S

Eu realmente gostaria que você indicasse minha falta de lógica. Seria se eu me intitulasse pacifista e apoiasse Fidel.
Quanto a paixões, cada um tem a sua. Desde que não se pegue um fuzil pra atirar na cabeça de quem quer que seja, não tem problema.
Pra você deve ser complicado um esquerdista que é contra o regime cubano, da mesma forma que pra mim é difícil entender os ´´arautos da liberdade`` defendendo golpes e ditaduras.

Anônimo disse...

Fiquei realmente chocado com a forma que o jornalista ataca o argumentador ao invés do argumento.
Partir do pressuposto de que as palavras de alguém não tem validade por esta ser um "Zé Ninguém" é o cúmulo da falta de argumentos.

William disse...

Postei lá também, mas duvido que liberem.

Ele é medíocre como jornalista esportivo e se mostrou pior (consegui!) como defensor de Che e Cuba.

Poxa! O cara é possuidor de prêmio da "Fundación Nuevo Periodismo", presidida por Gabrial García Marquez, amicíssimo de Fidel.

Mas o mais importante é mesmo o cara simplesmente não ter abordado qualquer argumento em sua peça. E ainda termina o artigozinho dizendo que o assunto, para ele, parou ali. Sente-se o dono-da-bola, que acaba com a brincadeira quando não está mais se divertindo. Patético.

E o cara é fãzoca de "Diários de Motocicleta"... Surpresa! Diz que Walter Salles Jr. é reconhecido no mundo inteiro. Reconhecido por quem, cara-pálida? Pelos mesmos que criaram e ajudam a manter o mito do Porco Fedorento? Ah, tá...

O mais legal é ver como ele consegue escrever um artigo somente através de suposições sobre tua pessoa e ainda tem a petulância de querer escolher quem deve ou não escrever para O Globo. Não é à tôa que ele saiu de lá...

Mas o que eu gostaria mesmo de ver de todos estes que gastam tempo e esforço em louvores a Cuba e seus fascínoras é que fossem lá viver como os cubanos. Que entrassem na fila do sabonete, que se acostumassem ao racionamento de alimentos, de energia, etc. Isto sim é que deve ser bom. Melhor ainda: que, lá estando, desejassem sair. Talvez assim entendessem o que se diz quando a ilha é chamada de um grande presídio.

[]'s

Rômulo disse...

Entrevista com Humberto Fontova em Português.

http://www.nomundoenoslivros.com/2010/05/entrevista-humberto-fontova.html

Faz bem alertar os leitores, Rodrigo.

Thomas disse...

As pessoas odeiam quando chega alguém e tenta estourar as bolhas nas quais elas viveram, vivem, e pretender continuar a viver pelo resto das suas vidas.

É mais cômodo assim que usar o cérebro.

MARCO CAMEJO disse...

Cara, o Lúcio, além de ótimo analista de futebol dentro das quatro linhas é um exímio analisador e documentarista dos desmandos e corrupções que acontecem fora dela, talvez você não tenha percebido, mas fez uso do mesmo veneno que acha que ele usou contra você. Quando comecei a ler até respeitei o texto, porém quando vi coisinhas como: "o tal de Lucio, quem?" típicas de blogueiros adolescentes querendo causar uma sensação perdi o respeito. Procure se inteirar um pouco mais sobre o trabalho do Lúcio que, ao contrário do que o amigo disse em outro post, chutou o midiático Sportv e foi trabalhar na ESPN pra ter mais liberdade intelectual. Sobre o Che, aconselho-te a tentar vê-lo sob outra ótica, não a do sacrossanto guerrilheiro sem pátria dos anos 60 e 70, tampouco a do assassino frio que você tanto bradou no seu texto, mas simplesmente a visão do momento em que a revolução cubana aconteceu; Napoleão, em suas campanhas, matou tanto ou mais pessoas inocentes que Hittler, mas a história consagra um como grande estrategista e general e o outro, um louco.