terça-feira, junho 14, 2011

O mito Che Guevara


Rodrigo Constantino, O GLOBO

“Amo a humanidade; o que não suporto são as pessoas”. (Charles Schultz)

Estivesse vivo, Ernesto “Che” Guevara completaria hoje 83 anos de idade. O guerrilheiro tornou-se ícone das esquerdas, e é visto como um idealista disposto a dar a vida pela causa. Adorado em Hollywood e Paris, Che foi eternizado pela foto tirada por Korda, que virou estampa de camisetas e biquínis. A ironia do destino transformou o comunista em lucrativa marca de negócios.
Mas, como alertou Nietzsche, a morte dos mártires pode ser uma desgraça, pois seduz e prejudica a verdade. Pouca gente sabe quem Che foi de fato. Se soubessem, talvez sentissem vergonha de defendê-lo com tanta paixão. Seus fãs deveriam ler “O verdadeiro Che Guevara”, de Humberto Fontova, e ver o documentário “Guevara: Anatomia de um mito”, de Pedro Corzo. É impossível ficar indiferente diante de tantos relatos sombrios das vítimas de Che.
Nem deveria ser preciso mergulhar mais fundo nos fatos. Basta pensar que Che foi um grande colaborador da revolução cubana, que instaurou a mais longa ditadura do continente, espalhando um rastro de morte, miséria e escravidão na ilha caribenha. Mas uma pesquisa minuciosa gera ainda mais revolta. Aquele que gostaria de criar na América Latina “muitos Vietnãs” era mesmo um ser humano deplorável.
A cegueira ideológica alimentada pela hipocrisia prejudica uma análise mais isenta dos fatos. Não é preciso muito esforço para verificar que Che Guevara era justamente o oposto do santo que tentam criar. O homem sensível de “Diários de Motocicleta” era o mesmo que declarou que “um revolucionário deve se tornar uma fria máquina de matar movida apenas pelo ódio”. Se ao menos os cineastas engajados tivessem lido o diário completo!
Até mesmo as supostas cultura e erudição de Che foram enaltecidas por intelectuais como Sartre. A realidade, uma vez mais, parece menos nobre: um dos primeiros atos oficiais de Che após entrar em Havana foi uma gigantesca queima de livros. Além disso, Che assinou as sentenças de morte de muitos escritores cujo único “crime” fora discordar do regime. Quanta paixão pela cultura!
As estimativas apontam para algo como 14 mil execuções sumárias na primeira década da revolução, sem nada sequer parecido com um processo judicial. Dezenas de milhares de cubanos morreram tentando fugir do “paraíso” comunista. Cuba tinha uma das maiores rendas per capita da região em 1958, e teve sua economia destroçada pelas medidas coletivistas do ministro Che. Nada disso impediu a revista “Time” de louvá-lo como um herói, ao lado de Madre Teresa de Calcutá.
Roqueiros como Santana gostam de associar sua imagem à de Che. Será que ainda o fariam se soubessem que sua primeira ordem oficial ao tomar a cidade de Santa Clara foi banir a bebida, o jogo e os bailes como “frivolidades burguesas”? O próprio neto de Che, Canek Sánchez Guevara, não escapou da perseguição. O guitarrista sofreu nas garras do regime policialesco que seu avô ajudou a criar, e preferiu fugir de Cuba. Homossexuais também foram vítimas de perseguição e acabaram em campos de trabalho forçado. Quanta compaixão!
Sobre a imagem de desapegado de bens materiais, a vida de Che também prova o contrário. Após a revolução, ele escolheu como residência a maior mansão cubana, em Tarara, uma casa à beira-mar com amplo conforto e luxo. A casa fora expropriada de um rico empresário. Além disso, quando Che foi morto na Bolívia ele ostentava um Rolex no pulso. Parece que nem os guerrilheiros resistem às tentações capitalistas.
Aqueles que conseguiram fugir do inferno cubano e não precisam mais temer a represália do regime, relatam fatos impressionantes sobre a frieza de Che. Foram centenas de execuções assinadas em poucos meses, e Che gostava de assisti-las de sua janela. Em algumas ele pessoalmente puxou o gatilho. Ao que tudo indica, Che parecia deleitar-se com a carnificina. Até mulheres grávidas foram executadas no paredão comandado por Che. Nada disso consta nas biografias escritas por aqueles que utilizam o próprio Fidel Castro como fonte. Algo como falar de Hitler usando apenas os relatos de Goebbels.
A ignorância acerca destes fatos explica parte da idolatria a Che Guevara. Mas, como lembra Fontova, “engodo e muita fantasia também o explicam, tudo alimentado de um antiamericanismo implícito ou explícito”. Che, assim como Fidel, desafiou o “império” ianque, e isso basta para ser reverenciado por idiotas úteis da esquerda. Que ele tenha sido uma máquina assassina, isso é um detalhe insignificante para alguns.

26 comentários:

Anônimo disse...

Rodrigo

Parabéns!


Que vara.... (coletivo)

Jota Fanchin Queiroz disse...

Excelente!

Anônimo disse...

Alô! Boa a lembrança, e acima de tudo a desconstrução do Che emblemático,que sem dúvida alguma,É fonte de renda,explorada por editoras em formas de revistas,fotos,livros,para não falar das camisetas...É a exploração do mito,que a própria Cuba e seu (des)governo AINDA impinge nos jovens que creem naquela figura.
Quanto à Hollywood,me lembro de ter visto o filme CHE,feito ainda em 1969,(com Omar Sariff),e embora o tenha visto nos anos 2000,lá o diretor não mostra este CHE puro,idealista,sem mácula,um herói.O mais novo,com o Benício Del Toro,não ví(ainda).Embora o filme de 1969 não seja uma obra prima,mas tem o grande valor de mostrar "as possíveis realidades" da luta,da disputa entre ele e Fidel,e sua inglória luta na Bolívia.Deixo abaixo a referencia,para ilustrar,e tendo a certeza que não será ainda neste século,que ele "vá morrer!" Jovens sempre existirão,e os donos das editoras etc...
http://www.imdb.com/title/tt0064158/

Anônimo disse...

Pode-se ter uma idéia bastante clara de quem foi Che Guevara assistindo o filme Cidade Perdida de Andy Garcia. Muito interessante.

Anônimo disse...

Relatos como o deste ótimo texto - Não chegam ao conhecimento da maioria dos térraqueos.RGS

Anônimo disse...

Obrigada, Rodrigo, por mais esta aula de história, que muitos insistem ignorar.
É triste que fatos tão importantes sejam modificados por pessoas como Santana, que só faz aumentar o mito.
Às vezes a ignorância é mais cruel do que o próprio assassino.
Um grande abraço,
Sonia

samuel disse...

Outra verdade que não vem à tona é que foi Fidel Castro que o mandou para Bolívia para .... ficar livre dele. Fatalmente haveria um embate pelo poder entre ele e Fidel Castro. Dizem que até foi a Segurança Cubana que deu a localização exata de Chê aos militares Bolivianos...faz sentido.

Anônimo disse...

anonimo das 12:28,
è verdade!Também já ví este fime,que mostra o turmoil da época e retrata a Cuba se desfacelando...Outro,também bom,seria Havana,que embora seja um drama romântico,com trabalho excepcional de Raul Julia,dá uma idéia dos horrendos dias.

http://www.imdb.com/title/tt0343996/

http://www.imdb.com/title/tt0099747/

Anônimo disse...

Mas esse filme do Andy Garcia não fala do che, fala só do fidel

Bruno Leão disse...

Muito bom o artigo.

Anônimo disse...

Leia o que os jornais de S. Paulo escreveram sobre o seu artigo. Mostraram o seu erro histórico.

Phillipe Jonson disse...

Fidel Castro não matou (ou mandou matar) Che Guevara?

Paulo Silveira disse...

"Não é preciso muito esforço para verificar que Che Guevara era justamente o oposto do santo que tentam criar" é afirmação que evidencia de que nunca foi a Cuba. "Se ao menos os cineastas engajados tivessem lido o diário completo!" ganha o troféu pretensioso 2011 por ter lido um livro. "Cuba tinha uma das maiores rendas per capita da região em 1958" demonstra desconhecimento estatístico. Frases tão equivocadas quanto às dos que o idolatram.

Não me entenda a mal, Che Guevara foi um bruto assassino, cometeu atrocidades. Porém você acaba completando o outro lado da moeda de "ser reverenciado por idiotas úteis da esquerda". Ou "por idiotas úteis objetivistas da direita".

Uma pena ter começado um bom assunto e extravasado emoções.

Anônimo disse...

Muito bom!!

CorruPTocracia: Roubar é poder! disse...

Tem gente que simplesmente escolhe ser alienada. Sintoma da arrogância que acomete os brasileiros endemicamente.

Italo disse...

Rodrigo, o chato desta historia é que em pleno ano 2011, ainda temos que escreve e ler sobre este Che Guevara de Merda, isto somente porque os brasileiros são umas verdadeiras toupeiras, não sabem procurar a verdade. Gostaria sequer saber que ele existiu.

Letícia disse...

Dei-me ao trabalho de abrir isto aqui e escrever algo até ter lido o comentário do Paulo Silveira, acima.

Exatamente o que eu teria escrito.

Anônimo disse...

Che, sobre os negros de cuba:
'“Os negros, os mesmos magníficos exemplares da raça africana que mantiveram sua pureza racial graças ao pouco apego que têm ao banho, viram seu território invadido por um novo tipo de escravo: o português (…) O desprezo e a pobreza os unem na luta cotidiana, mas o modo diferente de encarar a vida os separa completamente; o negro indolente e sonhador gasta seu dinheirinho em qualquer frivolidade ou diversão, ao passo que o europeu tem uma tradição de trabalho e de economia.”
'

“Nós faremos por negros e mulatos exatamente o que eles fizeram pela revolução, ou seja: nada”

Rômulo Silva disse...

Entrevista com Humberto Fontova em Português.

http://www.nomundoenoslivros.com/2010/05/entrevista-humberto-fontova.html

Faz bem alertar os leitores, Rodrigo.

Ernane Garcia disse...

Parabéns, Constantino. Seu artigo é excelente. Mantenho um blog sobre o Porco Fedorento, cujo endereço é:

http://overdadeirocheguevara.blogspot.com/

O Verdadeiro Che Guevara: A Real Face do Monstro, Assassino, Terrorista.

Seu artigo está no blog:

http://rodrigoconstantino.blogspot.com/2011/06/o-mito-che-guevara.html

Abraços.

Ernane Garcia disse...

Corrigindo:

http://overdadeirocheguevara.blogspot.com/2011/07/o-mito-che-guevara-rodrigo-constantino.html

Aqui está o link para o seu artigo no meu blog. Também linkei o seu vídeo sobre o Porco Fedorento. Abraços.

Gustavo Miquelin Fernandes disse...

É TIPICO DOS LATINOS ESSE TIPO DE MESSIANISMO, COM ADORAÇÃO À PERSONAGENS CARICATOS, POR VEZES TIRANOS E ASSASSINOS.

O ARTIGO É OPORTUNO, POIS QUE VEJO COM GRANDE FREQUENCIA O CULTO A ESTA PERSONALIDADE.

TOMEMOS CUIDADO COM ESSA JUVENTUDE MAL INFORMADA E MAL ESTUDADA, QUE ESTÁ ACENDENDO VELAS A DEMÔNIOS.

anja ou demônia disse...

muito obrigada por postar uma foto do meu amado Che,mais uma pra minha coleção.AMOOOOOOOO TCHE GUEVARA

Anônimo disse...

Parabéns mais uma vez!! Adoro seus vídeos e através deles conheci seu blog. Estou cursando economia na PUCSP e vc está se tornando (se é q já não o é) uma grande referência para mim.

Obrigado por mais um excelênte post.

Celso S disse...

Che, psicopata, assassino frio e oportunista com redeas soltas para executar, a mando ou pessoalmente, milhares de pessoas (veja o livro "Fidel y Raul, mis hermanos. La historia secreta" de Juanita Castro).
Todos grandes ditadores comunistas e seu sequito vivem como os mais abastados capitalistas e o povo na mais cruel miseria e opressão e a historia contemporanea mostra isso com toda a clareza. Será que isso nao é suficiente para o repudio de qualquer ser humano com um minimo de discernimento?

Murilo Prado Badaró disse...

Recomendo um livro " Guia Politicamente incorreto da América Latina" de Leandro Narloch...lá ele fala de Chevara e outros imbecis da esquerda latina.