terça-feira, junho 07, 2011

Peru cai à esquerda e bolsa desaba

Deu no Valor:

Bolsa tem queda histórica após a vitória de Humala

Virtual vencedor das eleições presidenciais do Peru, o candidato de esquerda Ollanta Humala deve anunciar em curto prazo os nomes dos seus principais assessores econômicos, a fim de acalmar os mercados financeiros. A Bolsa de Valores de Lima teve ontem a maior queda em mais de duas décadas.

Com 92% dos votos apurados e um desvantagem de três pontos percentuais (51,5% a 48,5%), a candidata conservadora Keiko Fujimori admitiu a derrota. "Eu reconheço o seu triunfo, saúdo sua vitória e lhe desejo sorte", afirmou a filha do ex-presidente Alberto Fujimori. "É importante que o país continue no seu curso econômico e que tenha regras claras", complementou Keiko.

Com o objetivo de tranquilizar os peruanos no sentido de que as políticas econômicas do país não sofrerão grandes abalos, é possível que Ollanta (pronuncia-se oianta) Humala nomeie nos próximos dias um aliado do ex-presidente Alejandro Toledo para chefiar o Ministério das Finanças. A informação foi passada por Omar Chehade, o candidato a vice-presidente da chapa vencedora.

De acordo com Chehade, entre os potenciais comandantes da economia incluem-se Kurt Burneo e Oscar Dancourt, respectivamente ex-vice-ministro das Finanças e ex-presidente do Banco Central sob Toledo - além de outros "profissionais de alta qualidade".

No entanto, Humala voltou a prometer reformas. "O povo espera há muito tempo por mudança", disse Humala à meia-noite de domingo em um comício no centro de Lima. "Não é possível dizer que o país está progredindo quando 12 milhões de pessoas vivem em pobreza extrema, sem luz ou água."

Como em abril, após a vitória de Humala no primeiro turno, os investidores tentaram se desfazer de papéis peruanos, preocupados com a possibilidade de o novo presidente congelar US$ 50 bilhões em investimentos previstos pelo atual governo em mineração, energia e infraestrutura, que devem gerar um crescimento de 6,5% ao longo de cinco anos.

Após a queda inicial dos preços das ações, as transações na Bolsa de Lima foram suspensas por 90 minutos, pela primeira vez desde a crise financeira global de 2008. O Índice Geral de Lima caiu 12,5% no meio da tarde, a baixa mais acentuada desde pelo menos 1990. Os negócios foram suspensos uma segundo vez e, por fim, a bolsa encerrou a sessão do dia três horas antes do normal. O sol caiu 0,9%, sendo cotado a 2,789 contra o dólar americano. O prêmio de títulos da dívida peruana em dólares com vencimento em 2037 subiu 0,22%.

[...]

Comentário: É nisso que dá deixar o Peru (sem trocadilho) virar à esquerda! O país tinha feito importantes conquistas, fechado acordos comerciais mais liberais, e agora corre o risco de colocar tudo a perder com a vitória de Humala, que tenta passar uma nova imagem de "paz e amor", moldada pelos marqueteiros ligados ao PT. Os investidores estão céticos, não vão pagar para ver. O populismo é mesmo um câncer na América Latina. Espero que Humala tenha lapsos de bom senso e não destrua o país. Quem viver, verá...

6 comentários:

Dellano disse...

Não acredito nesse Humala! Aliás para mim, palavra de esquerdista vale tanto quanto uma nota de 15 reais. Essa gente tem um discurso diferente para cada platéia. É ver para crer!

fogueira disse...

A América latina continua insistindo em continuar na contra-mão da história. Os paises europeus já passaram pelos hugos chaves da vida e agora, diante das experiências devastadoras que essa política gerou, estão trilhando por outras vias. Mas, aqui no Brasil, o povo ainda continua a insistir em ver para crer. Não bastam exemplos!

Ademir disse...

só não entendi porque o vargas llosa gostou da vitória do Humala

Anônimo de todo dia disse...

Quanto mais elegem populistas, mas miséria produzem, e mais os miseráveis votam nos populistas na esperança de sair da miséria. É um processo de destruição de nações que se auto-alimenta.

Anônimo disse...

Ele disse que não vai seguir os passos do chavez
Mas agora que o chavez ta com o pé na cova, falar isso é fácil

Marcio Carneiro disse...

Errado Rodrigo Constantino,

A Direita mundial tem que aprender que não se deve se associar a qualquer politico barato, quiça bandido, apenas porque esse se vende como de direita.

Desejar e aplaudir um Fujimori para retornar a direção do Peru é como querer o retorno de Pinochet ao Chile, apenas pq esse seguiu a cartinha de Chicago.

Ao ignorarmos os crimes cometidos por Fujimoris e Pinochets, tornamos cumplicies de seus crimes. E iremos engolir o povo escolher democraticamente políticos igualmente bandidos, mas ligados a esquerda.