terça-feira, agosto 15, 2006

Risco País



Rodrigo Constantino

“Sobreviver nos mercados financeiros às vezes significa bater em rápida retirada.” (George Soros)

Curiosamente, os petistas passaram a demonstrar bastante interesse no tal “risco país”, antes considerado como instrumento de “especuladores gananciosos” para prejudicar os interesses nacionais. Claro, o risco país está em níveis historicamente baixos, e os petistas, sempre com seus dois pesos e duas medidas, tentam usá-lo como “prova” das benfeitorias de Lula. Mas isso faz algum sentido? Me pergunto se os petistas têm alguma idéia do que vem a ser o risco país...

O JP Morgan criou o EMBI, um índice que calcula o retorno dos bonds de diversos países emergentes. A taxa é medida em spread sobre os títulos do governo americano. Essa taxa pode ser considerada como uma aproximação da percepção de risco dos investidores estrangeiros em relação aos países emergentes. Mas na verdade, diz respeito somente aos títulos do governo, onde o retorno depende basicamente da capacidade deste de pagamento do seu endividamento externo. Se a dívida externa de um governo é pequena, provavelmente ele pagará taxas civilizadas aos detentores de seus bonds. Logo, o fato do risco país de determinada nação ser maior que o de outra, não quer dizer, necessariamente, que o país em si está em melhor situação. O risco país do Brasil já superou o da Nigéria, e ninguém seria louco de afirmar que somos um país pior que a Nigéria, por mais que os próprios petistas, no governo, esforcem-se para tanto.

No começo de 2002, nosso risco país bateu os 700 pontos base acima dos títulos americanos. Estava em declínio após várias crises que tanto afetaram os mercados emergentes, como a da Ásia em 1997, a da Rússia em 1998 e o estouro da bolha de tecnologia em 2000. Porém, foi ficando claro que o então candidato Lula seria o próximo presidente do Brasil, e levando-se em conta todo seu histórico de pregações radicais – incluindo o calote da dívida externa – o risco país explodiu. No final de setembro, chegou a encostar nos 2.500 pontos base acima dos títulos americanos. Vários investidores, não sem razão, temiam um governo Lula. Não era apenas a Regina Duarte que tinha medo. Qualquer um que conhecesse o currículo de idéias defendidas por Lula, suas amizades e participação no Foro de SP tinha motivos de sobra para desconfiar. Na dúvida, a preservação de capital fala mais alto, e ocorre um “flight to quality”, quando os investidores buscam um porto seguro para seus investimentos, mesmo que sacrificando retorno imediato. Assim, o risco país dispara e não é suficiente para estancar a sangria de capital.

Desde então, o risco país do Brasil vem sistematicamente caindo. Atualmente, perto dos 200 pontos base, está na sua baixa histórica. Seria mérito do Lula? Quem tenta atribuir isso ao presidente do “mensalão” ou age de má-fé ou ignora os fatos. Na verdade, o risco país de todos os países emergentes vem caindo drasticamente desde então. O mundo encontra-se num cenário altamente favorável aos emergentes, com preços de commodities em alta, o fator China impulsionando as economias, a inflação contida pelas pressões deflacionárias do capitalismo global e um excesso de liquidez nos mercados. Assim, o risco país médio dos países emergentes, excluindo a Argentina em default, saiu de 900 pontos base em 2002 para baixo de 180 pontos hoje. A tendência de queda é mundial, e o Brasil ainda tem um risco país acima da média dos demais emergentes. Se a queda no Brasil foi mais acentuada, isto deve-se ao fato de que tiraram o “bode” da sala, que era o próprio Lula histórico.

Justiça seja feita, algum mérito o governo Lula teve. Foi o de não seguir aquilo que era pregado pelo PT no passado! Manter a política macroeconômica do governo anterior foi uma das poucas medidas acertadas neste governo. O Banco Central, com equipe predominantemente formada durante a gestão de FHC, e gozando de razoável autonomia, foi capaz de aproveitar o vento benigno de fora para reduzir nossa dívida externa e aumentar as reservas cambiais. Como o risco país, medido pelo EMBI, trata apenas dessa capacidade de pagamento do endividamento externo, é claro que tinha que despencar. Não foi um fato isolado do Brasil. O endividamento externo dos emergentes, como um todo, desabou, o que explica justamente a queda generalizada do risco país. Se fosse mérito de Lula, o homem deveria tentar o cargo de Deus, não de presidente do Brasil.

Em recente relatório, o Morgan Stanley reconhece essa drástica redução do risco externo dos países emergentes, concluindo que a atenção dos investidores deverá voltar-se para os fatores internos, tais como carga tributária, burocracia e flexibilidade trabalhista. Nestes quesitos, o Brasil perde feio da concorrência. Os países do Leste Europeu têm feito o dever de casa. Alguns adotaram impostos flat, com taxa única para todos, e reduziram a burocracia. No Brasil, a carga tributária, perto de 40% do PIB, é uma das maiores do mundo. A burocracia é asfixiante. As “conquistas” trabalhistas dobram os custos de contratação, jogando milhões para a informalidade. A dívida pública chega a um trilhão de reais!

Em resumo, quando saímos da fantasia do risco país, que mede apenas a capacidade de arcar com os títulos externos, para colocar uma lupa na situação interna, não resta muito o que comemorar. E Lula não fez uma reforma estrutural sequer que melhorasse a perspectiva futura do país. Mas quem liga para isso? Os petistas agora comemoram: o risco país bateu 208 pontos, seja lá o que isso quer dizer. Mais quatro anos de “mensalão”, de autoritarismo estatal, de falta de reformas básicas, de populismo irresponsável, de crescimento dos gastos públicos...

30 comentários:

Paulo X disse...

Obrigado, Rodrigo, por tão esclarecedor artigo!

Gustavo disse...

Tem uma coisa que eu tô muito curioso pra saber em detalhe. No horário político de hoje o Lula falou que, apesar do Brasil não ter acompanhado o crescimento dos outros países, a "qualidade" do nosso crescimento foi melhor. Tudo bem que eu sei pouco de economia, mas eu não consigo imaginar como ou o que é qualidade de crescimento.

Juliano Camargo disse...

A 'qualidade' que ele se refere é por que esse crescimento não foi obtido através da expansão do crédito - que traria inflação.

Concordo com ele neste ponto, embora acredite que a era de austeridade fiscal e monetária no Brasil esteja perto do fim. Guido Mantega está trabalhando pra isso. Os 'desenvolvimentistas' estão por toda parte, Heloísa Helena é o novo membro do clube...

Freeman disse...

Muito bom o artigo, Rodrigo! Esclarecedor, e ainda desmontou mais uma "conquista" do PT.
O dólar chegou a 4 reais e o risco país chegou a 2500 pontos exatamente por causa do medo que o mercado tinha do Lula em 2002! E com razão. Ele passou mais de 20 anos dizendo que ia dar calote na dívida!. Quem ia acreditar numa mudança de repente?

Hoje o dólar está em pouco mais de 2 reais. E quanto estava em janeiro de 2002? 2,30...

Em quatro anos o Lula conseguiu fazer a gente chegar onde estávamos em 2002!

Isso sem enfrentar a crise da Rússia, crise do México, crise dos Tigres Asiáticos, nem o 11 de setembro!!

Roberto Rizzatti Filho disse...

Meu caro,

Sua arrogância e pretenso conhecimento da verdade chega a ser engraçado.

Você se considera o único conhecedor da economia e seus indicadores, melhor que milhões de brasileiros com opinião

contrária a sua, baseado em que ???? Talvez em seus títulos acadêmicos, ou em seus diplomas, mas eu particularmente

penso que o real motivo é mesmo quem paga seu salário. Vou falar falar de uma outra forma de aprender economia, não em

bancos de escola, nem em faculdades, mas no dia-a-dia. A economia de quem recebe salário mínimo, ou nem isso, de quem

trabalha de sol a sol e mesmo assim não consegue ter uma casa, não consegue escola para os filhos, nem remédios para

os pais, vou falar da economia de quem muitas vezes não tem dinheiro suficiente nem para se alimentar, mas trabalham,

trabalham pai, mãe, filhos e filhas. Muitos destes votaram e vão votar novamente em Lula, sabe por que ??? Eu conheço

sua resposta, porque são alienados, pessoas facilmente enrroladas com discursos politiqueiros e hipócritas, mas eu

penso que não, penso que o verdadeiro motivo é que para estes, seu salário (apesar de ridículo se comparado a produção

total de riquezas) tem proporcionado uma vida um pouquinho melhor, a alimentação está um pouco mais acessível, suas

conquistas trabalhistas, as quais vocÊ questiona, lhes garante um mínimo de estabilidade e respeito, impedindo que

empresas contratem e demitam ao léu das flutuações de mercado; meu caro, aluguel, comida, necessidades básicas são

necessidades contantes, não podem depender de aumentos sazonais de demandas, não podem depender da vontade de nossos

empresários comprar uma nova BMW ou uma nova cobertura em Ipanema. Conheço esta sua flexibilização, atentem-se

leitores, daqui a pouco trabalharemos por hora, quem sabe por produção, ficou doente não recebe, engravidou, ninguém

mandou, precisou ir ao banheiro, não deveria; entrou um pedido, contratem 10 pessoas, cancelaram um pedido, demitam

outros 10; o sonho de todo empregador. Basta vermos os canaviais das empresas produtoras do alcool combustivel,

grandes multinacionais e trabalhadores cortando, sozinhos, milhares de toneladas de cana por dia, ganhando uma miséria

e morrendo de tanto trabalhar...

Mais quatro anos de mensalão...até parece que a corrupção iniciou em primeiro de janeiro de 2003 e terminará com o fim

do governo PT, a corrupção é patrimônio nacional, um patrimônio do qual devemos nos envergonhar, mas sempre existiu e

vai existir por muito tempo, faz parte da cultura de muita gente, o Estado Brasileiro é subsidiário da manutenção das

elites, sabe aquelas "zelites" da direita que você citou mas não sabia definir, deixa que eu defino pra você. São os

deputados e senadores que piquetiaram nossas matas, historicamente iniciaram pelo litoral (sul, sudeste e nordeste) e

mais recentemente avançaram para o interior (centro-oeste e norte), simplesmente dividiram o país e cada um pegou um

pedaço, iniciou com capitanias hereditárias e hoje temos os terrenos de posse, posse do quê ?!?!? Cada um pegou em

pedaço, cercou ou nem isso, colocaram bandidos armados nas fronteiras e definiram que aqueles terrenos eram seus,

inclusive com todas as riquezas minerais abaixo. Quer dizer, a riqueza do país que deveria ser extraída (não vou nem

entrar na responsabilidade ambiental) e convertida em benefícios para todos, educação, saúde, etc... é usufruída por

meia dúzia de famílias que andam de aviaozinho particular e se elegem governadores, senadores, presidentes...

Esta á a "zelite", mas você sabe de outra coisa, sabe um dos fatores essenciais para que estes mantenham-se no poder,

a mídia. Caro, a mídia cria verdades, outro dia ouvi uma pessoa dizer que "achava que a guerra do Iraque tinha

acabado", quando perguntei por que ela pensava isso ela me respondeu: "Nunca mais vi nada na televisão". Seria

engraçado se não fosse trágico, a guerra continua lá e muitas outras mais, todas veladas, por quem ???!?? Pela mídia.

Por que ?!?!?!? Só pode ser porque alguem assim deseja; essa é a "zelite". Ela ganha dinheiro com a miséria, ganha

poder com a desgraça, sempre subindo mas pisando em quem for necessário. Por que nunca vemos na nossa mídia o

loteamento francês e principalmente inglês de todo o continente africano. Milhões de pessoas mortas, muitas mais

escravizadas, sujeitas a condições miseráveis para propiciar a extração das riquezas minerais do continente, governos

colocados para defender interesses da "zelite", causando o maior genocídio da história da humanidade; mas ninguém fala

nada. Eu poderia continuar a descrever e dar exemplos de "zelite", mas vou resumir, a "zelite" compoem-se daqueles que

vivem soberbos, exauridos de dinheiro, as custos do trabalho e sofrimento de milhões de outros individuos; não veem

nada errado quando seus funcionários ganham salário mínimo e eles vivem na luxuria, alias, pensam que os direitos

destes assalariados devem ser "flexibilizados", não pensam duas vezes antes de maquiar reportagens, inventar verdades,

ou omitir fatos, desde que isto contribua para manutenção de sua superioridade, a "zelite" não quer saber se a saude

publica esta sucateada, se a educação publica esta defassada se os serviços publicos estão insuficientes, preocupa-se

sim, com piorá-los ainda mais, elegendo-se e elegendo Executivo e Legislativo para defender seus próprios interesses e

relevar os da grande população, talvez até quem sabe, privatizar os serviços. Adivinhe quem serão os proprietários das

empresas que passarão a fornecer estes serviços ?!?! Adivinhe quem serão os grande beneficiados ?!!?? Experimente

chegar morrendo as portas de um hospital particular e tente ser atendido se não tiver dinheiro, experimente tentar

matricular-se em uma escola particular alegando seu direito a educação, mas sem dinheiro. Este é o modelo desejado

pela "zelite". Pelo menos em uma coisa eles tem razão, "vão diminuir a pobreza e aumentar a igualdade", realmente,

dúvido que os menos favorecidos sobrevivam a um regime onde a humanidade é pesada de acordo com a conta bancária.

Em 94 tivemos o maior golpe contra o estado democratico de direito desde a promulgação da Contituição de 88. Alteraram

as regras da eleição, permitindo reeleição, em pleno ano eleitoral. Infelizmente a mídia deu pouca atenção ao fato,

mas quem conhece o assunto sabe o tamanho da movimentação e da influência necessária para tal manobra. Foram atacados

diretamente os principios que balizam nosso País, foi colocado em cheque toda nossa segurança política, nossa

estabilidade, foi o ato pós periodo militar onde mais claro ficou o autoritarismo estatal, e tudo em prol da reeleição

de Fernando Henrique Cardoso, padrinho de Serra, PSDB e neo-liberalismo.

Estatizamos a Vale do Rio Doce, fonte de lucros para o Estado, lucros que poderiam ser convertidos em prol de todos,

educação, segurança, saúde. Quem dos leitores venderia uma empresa com lucros constantes e perspectivas de lucros

maiores ainda ?!?!?!?!? Não engulo essa. Privatizamos nossa comunicação, melhorou ?!!? Você esta satisfeito com quanto

paga de telefone, e a internet então ??!? Qualquer internet custa, no mínimo R$ 50,00, mais a mensalidade da conta

telefônica R$ 35,00, quer dizer R$ 85,00 e você ainda nem tirou o telefone do gancho, é isso mesmo, 25% do salário

mínimo. "Crescimento de gastos públicos", não interessa, interessa sim que gastos são, são gastos em segurança, saúde,

educação, estradas, ou são gastos em cabides de empregos, gastos em ferrovias ligando minas de minério de governadores

a portos, gastos em ajuda a bancos e grandes empresas que após anos de mal administração recorrem a empréstimos de

baixo custo, empréstimos que sai do meu e do seu bolso.

"Fantasia de país rico". Não é fantasia, somos um país riquissimo, mas explorado. Explorado no mal sentido, poucos

beneficiam-se de nossa produção, de nosso trabalho (lembram-se da "zelite"). Não sei como você não conseguiu definir

"zelite" pra mim ela é bastante clara. Alías, conheço muita gente de Cuba, e, meus amigos, não há nenhum exercito na

rua, não há nenhuma coação, a população em geral adora a forma como todos vivem. Alguns fogem, é lógico, nem todos

gostam. Agora,pergunte para alguem que vive em qualquer uma de nossas milhares de grandes favelas se houvesse

possibilidade de fuga se eles não fugiriam também. Vem falar em liberdade, que liberdade ?!?!? Penso que são muito

mais livres em um país onde a humanidade esta acima de todos os outros valores, você não e o que você tem, nem o que

você produz, você é o que é, um ser humano. Se são pobres e incompetentes, por que então o embargo americano ??? Por

que nao deixam Cuba competir no mercado internacional como qualquer outro pais do mundo, será que após cinquenta anos

de atraso tecnologico, mesmo assim, temem sua competencia. Conheci muitos professores, medicos e engenheiros Cubanos,

muitos estudaram e especializaram-se fora do país, em paises capitalistas, todos absolutamente capazes de formarem uma

opinião lúcida da realidade e todos defensores ferrenhos de seu modo de vida. Se o capitalismo é assim tão capaz, por

que mais da metade da população carcerária do planeta está nos EUA, nosso grande "exemplo" de sucesso, nosso defensor

das liberdades, a nação que fala em nome de Deus. Não iludam-se, somos muito mais escravos, muitas vezes não seguimos

nossas vocações porque precisamos de dinheiro, não podemos desenvolver um trabalho artistico porque morreremos de

fome, nao podemos optar por ser professor, balconista, cozinheiro, porque, na maioria das vezes, isto nos dará um

salário incompatível com o mínimo de dignidade humana, nos somos os verdadeiros refens.

A desigualdade é a grande vilã, a exploração dos trabalhadores, a usurpação de nossas vontades em prol do benefício de

muitos poucos. Não conheço empresa privada comprometida com uma distribuição real dos lucros, comprometidada com os

valores de dignidade da pessoa humana, comprometida com o social. EMpresas visam lucros, lucros para os proprietários,

não para todos. Enquanto persistirmos na máxima da igualdade, "dar a cada um o que é seu, aos ricos a riqueza, aos

pobres a pobreza", não acredito nestes discursos liberais (por favor não me diga que não sabe o que é liberalismo).

¡Hasta la victoria siempre!

Rodrigo Constantino disse...

Vixe! Quanto sensacionalismo barato, enquanto argumento que é bom, NADA! Essa gente gosta de alimentar a própria ignorância mesmo...

Juliano Camargo disse...

Este está confuso: não confia nos políticos - como qualquer brasileiro em sã consciência - mas não confia também na iniciativa privada. Nele mesmo ele confia, é claro, mas não 'nos ricos'.

Ele confia, naturalmente, no seu homem-forte. Papai var dar a cada um de acordo com suas necessidades e lutar pelos interesses 'do povo'.

Minha parte favorita foi essa:
"Conheci muitos professores, medicos e engenheiros Cubanos, muitos estudaram e especializaram-se fora do país, em paises capitalistas, todos absolutamente capazes de formarem uma opinião lúcida da realidade e todos defensores ferrenhos de seu modo de vida"

Que contradição hein! E porque será que mesmo os bem educados, produzindo tanta coisa, não podem ter uma vida digna dentro de seu país? Será que é por causa do embargo americano? O que você acha que aconteceria se meus amigos cubanos engenheiros de software resolvessem abrir uma empresa online ... em Cuba? Será que tem alguma? Será que tem alguma PADARIA em Cuba? Mas deve ser o seu sonho, um país sem empresas, não?

Tiago Santanna disse...

Encontramos o estereótipo do supra sumo do "perfeito idiota latino americano". Que lástima, essa espécie não entra em extinção? Não morrerá junto com Fidel?

Roberto Filho disse...

Juliano, não há contradição alguma. Especializar-se fora do país é normal. Em momento nenhum falei que Cuba é superior a tudo e a todos, não existe isso, todos ensinamos e aprendemos com outras pessoas. Ninguém saiu de Cuba para ter uma vida digna, sairam para trazer conhecimento em áreas onde outros paises estão mais adiantados. Em Cuba não há engenheiros de software, na verdade existem pouquissimos computadores, as pessoas que defendem seu modo de vida, quando viajam trazem peças de reposição e suprimentos para poderem usar seus poucos equipamentos. O que me pergunto é por que reprimi-los de tal forma, esta atitude não esta de acordo com a "liberdade" defendida pelos americanos.
Visite Cuba e veja se a população quer mudar seu regime, pergunte aos Cubanos se eles preferem viver em um país onde a renda é de acordo com suas propriedades, e sua humanidade é de acordo com a renda. Pergunte a eles ?!? Talvez voce defenda uma invasão americana, mesmo que contra toda a população, afinal você sabe o que é melhor pra eles.

Rodrigo Constantino disse...

"Visite Cuba e veja se a população quer mudar seu regime, pergunte aos Cubanos se eles preferem viver em um país onde a renda é de acordo com suas propriedades, e sua humanidade é de acordo com a renda. Pergunte a eles ?!?"

Se a ditadura atual deixar...

Não é justamente isso que os liberais querem? Que os cubanos possam escolher? E não é justamente isso que falta hoje, com o regime ditatorial que vcs adoram?

É cada contradição...

C. Mouro disse...

Porra?!!?? Se todos ou a maioria da população quer o que Fidel faz, ou o socialismo, então por qual motivo não há liberdade para opositores de Fidel exporem suas idéias e então a população cubana escolher e mostrar ao mundo que eles gostam mesmo é de miséria, sendo cafetizados por um rufião e cafetão como Fidel, que é o proprietário da ilha de Cuba. Ou seja, em Cuba realmente só existe um latifundiário, não é como nos países "capitalistas" onde existem muitos latifundiários ...hehehe!


...Isso tá com cheiro de barnabé que tomou um "pau" e ficou despinguelado, sem ter o que falar em defesa de sua estupidez, apelandpo para a verborréia da miseriórdia (falácia) na tentativa de se consolar em meio à depressão ...hehehe!
Abs
C. Mouro

Paulo disse...

Se os cubanos amam tanto as condições de seu país, por que fogem para os EUA? Pegar um barco lotado de gente pra travessar um mar com tubarões deve ser uma decisão dificil... Por que será? Amor à navegação?

E o Lula no programa eleitoral se gabando das refinarias da Petrobrás...

Juliano disse...

Se há uma coisa que eu quero ver antes de morrer, é Cuba tornar-se um país livre, democrático, que dê às pessoas o direito de ir e vir, e com uma economia livre, onde as pessoas possam abrir negócios próprios como bem entenderem (e sem serem acossados pelos urubus do governo, é claro), falarem o que bem entenderem, e ler o que bem entenderem. Mais importante ainda, eu quero ver depois de uns 10, 20 anos de liberdade, quando Cuba tiver atingido patamares de vida de primeiro mundo, e ninguém tenha mais de racionar sabonete, papel higiênico e carne; aí meu amigo, eu quero ver a negada que antes ficava quetinha no seu canto forçada a assistir discursos idiotas no sol por 6 horas que vai começar a aparecer falando mal do Fidel até não poder mais. Confie em mim: neginho vai falar horrores do Fidel. Ha! É só ver o que os cubanos que moram nos EUA já falam do sujeito, comemorando sua morte e tal.

O melhor de tudo vai ser a cara da nossa esquerdalhada -a qual antes adorava falar dos cubanos que falavam bem de Fidel. Quando começarem a perceber que tantos desses o faziam por paranóia ou simples instinto de auto-preservação; aí eu quero ver.

Roberto Filho disse...

A conversa esta interessante.
Amigos, temos ideias e ideologias diferentes apenas, não significa que somos inimigos, portanto vamos continuar debatendo sem brigarmos como se não fosse possivel conversarmos.

Ja fui a Cuba, conheço muitos cubanos. Eles adoram, simplesmente adoram, a maneira como as coisas são organizadas no seu pais; pensam ser completamente livres (não sei se são, mas nós também não somos), não há ditadura como muitos pensam, infelizmente nossa mídia nem sempre reflete a realidade. Fidel é o chefe de estado e governo a muito tempo, é verdade; é o correto ? Acho que não; prefiro a rotatividade de governantes, porém eles gostam. Conversei com muitas pessoas em suas casas ou aqui mesmo no Brasil, não havia nenhum motivo para mentirem, não estavam sendo coagidas, não havia ninguem alem de nós. Podem questionar dizendo então que estes são alienados, sofreram uma espécie de "lavagem cerebral" e , por isso, não sabem nem o que falam, mas não é verdade. Já falei no texto inicial, muitos são doutores, sociologos, pedagogos, cientistas politicos, sabem exatamente as facetas de cada forma de organização da sociedade, sabem as vantagens e desvantagens de cada sistema, mas, mesmo assim, acreditam que seu pais é melhor, defendem seu regime. Tambem fiquei surpresso no primeiro momento.

Apenas abram suas mentes para outras formas de organização da sociedade, a nossa não funciona, basta olhar nosso maior exemplo; como já falei, o EUA tem mais da metade da população carcerária do planeta, é fato. Nosso sistema precisa da pobreza para funcionar, imaginem nossas empresas se ninguem trabalhasse por R$350,00, se as pessoas axigissem o minimo necessario para ter acesso a saude, educação, casa propria, comida, etc..., vamos dizer R$ 500,00 por pessoa, um pai de familia com dois filhos precisaria ganhar R$ 2.000,00 no minimo. É possivel, como as coisas funcionam ??? É claro que não, então a conclusão obvia é que é necessario que uma parcela (grande) da população não tenha acesso a esse minimo de dignidade. Se o salario minimo realmente garatisse o minimo simplesmente parariamos todo nosso sistema produtivo. Uma classe inteira ganhando muito mal é indispensavel para manutenção das coisas como são, isto também é fato.

Percebam ....

Rodrigo Constantino disse...

"não há ditadura como muitos pensam"

"Ja fui a Cuba, conheço muitos cubanos. Eles adoram, simplesmente adoram, a maneira como as coisas são organizadas no seu pais"

Vixe Maria! O cara não desiste...

Juliano Camargo disse...

Roberto,

Esta passividade a que você se refere é justamente o que acontece em um estado totalitário.

Quando um ditador sabe usar bem a máquina estatal de propaganda e educação, consegue condicionar a população a ficar submissa. Só quando a loucura do ditador é evidente que alguém se motiva a assassiná-lo, como aconteceu na Romênia ou talvez mesmo com Stalin na URSS.

Porém, se eles permitissem eleições livres, seja em Cuba ou na China ou Vietnã - que diga-se de passagem, também são governadas por comunistas - o que acontece é o que o meu xará descreveu. Uma críticazinha aqui, outra ali, e depois de alguns anos o povo e a imprensa criticando tudo. Ao menos no Brasil ainda há isso!

Saindo desse recorrente assunto cubano, é errado também o seu ponto de vista sobre salários. Você olha salário pelo lado da "dignidade humana" que ele representa e clama que o nosso sistema capitalista depende de baixos salários. O que faz um trabalhador ganhar 300R$ ao invés de 500R$? A cruel e desumana lei da oferta e demanda, meu caro. O salário de alguém sem especialização vai ser 500R$ no dia em que uma outra empresa estiver pagando 450R$. No dia em que for fácil para um brasileiro ou um estrangeiro abrir uma empresa no Brasil, no dia em que tivermos um estado enxuto, simples, sem burocracia, que respeite o investimento, haverá uma enxurrada de novos empresários dispostos a 'explorar' os trabalhadores brasileiros pagando duas ou três vezes o que eles ganham agora.

Se para cada 300R$ pago ao seu empregado o governo não recolhesse 300R$ de FAT e encargos trabalhistas, provavelmente esse trabalhador já estivesse recebendo 400R$ ou 500R$ agora mesmo.

Hoje, na situação que estamos, o gargalo é outro. Temos empregados demais e capital e empregadores de menos. Porque você acha que isso acontece, já que deve ser tão bom ser um empregador?

O Brasil tem um dos piores ambientes do mundo para a criação de empresas. É um dos países mais enrolados, mais complicados, mais cheios de burocracia, com mais número de impostos... E o nosso atual presidente, apesar de ter mantido a macroeconomia do jeito que o PSDB largou, pouco fez para melhorar a microeconomia...

Rodrigo Constantino disse...

O capitalismo reduz os salários?!?! Vai ver é por isso que os pobres empregados da Intel, Dell, Microsoft ou IBM recebem tão pouco, enquanto os assalariados na Índia ou Brasil, países bem menos capitalistas, são tão ricos na média!

Uma das coisas mais lamentáveis que existe é a repetição automática de chavões, quando o sujeito sequer pára para questionar e refletir sobre o que está dizendo...

Blogildo disse...

"doutores, sociologos, pedagogos, cientistas politicos..." de Cuba são funcionários do El Coma Andante. É óbvio que A-DO-RAM o sistema.

Agora o povo de Cuba...coitados...

Roberto Filho disse...

Sugestão para leitura:
http://www.terra.com.br/istoe/1914/economia/1914_eco_global.htm

POLÍTICA NO BLOG disse...

As perspectivas para os próximos anos são desanimadoras. O governo petista continuará a assaltar a sociedade, sob o pretexto da promoção do bem comum. O governo petista criou uma rede assistencialista num país que não investe e não cresce, mas que arrecada como poucos. Verdade seja dita: o que o governo Lula esta a criar é um gigantesco curral eleitoral, formado por miseráveis sustentado pelo sacrifício de uma classe média cada vez mais dilapidada...

Paulo disse...

Roberto:
"Uma classe inteira ganhando muito mal é indispensavel para manutenção das coisas como são"
Voce soh pode estar brincando. Porque será que isso não é válido no Canadá, EUA, Noruega, Alemanha??

Juliano disse...

Paulo: cuidado que ele volta falando que a Noruega é socialista. Ou que os trabalhadores dos EUA estão ganhando em cima da miséria na África. Essa molecada...

roberto filho disse...

Ok. "O governo petista criou uma rede assistencialista num país que não investe e não cresce, mas que arrecada como poucos. Verdade seja dita: o que o governo Lula esta a criar é um gigantesco curral eleitoral, formado por miseráveis sustentado pelo sacrifício de uma classe média cada vez mais dilapidada..."
Concordo...

Agora, paulo, no Canadá, EUA, Noruega e Alemanha as coisas são exatamente como descrevi, talvez você não saiba porque não conhece pessoalmente estes paises, mas uma classe quase escrava é fundamental para seu funcionamento, esta classe não necessariamente precisa estar fisicamente dentro do espaço territorial, esta classe escrava pode estar, como está hoje, na China, por exemplo, por isso citei acima em link sobre globalização.

Juliano, se você me conhece discutiriamos qualquer assunto, provavelmente não concordariamos em quase nada, mas deixei de ser moleque a mais de 40 anos...estou tentando mostrar que alguns paradigmas sustentados podem não ser tão verdadeiros quanto parecem...abra sua cabeça :

Sugestões de leitura:
Huberman, Leo / LCT "História da Riqueza do Homem"
Jay, Peter "A Riqueza do Homem - Uma História Econômica"
Friedman, Thomas L. "O Mundo É Plano - Uma Breve História do Século XXI"
Foucault, Michel / "VOZES Vigiar e Punir - História da Violência nas Prisões"

E, se é para criticar, quem sabe entender o que se esta criticando, experimentem ler Marx, Karl / GLOBAL
"Manifesto do Partido Comunista"
"O Capital"

São apenas sugestões, ok, abraços.

Juliano Camargo disse...

Os salários da 'Classe escrava' da China não param de aumentar...

Quando as empresas capitalistas acabarem de 'explorar' as 'classes escravas' do resto do mundo - até um ponto onde os salários deles acabem por ficar várias vezes superiores aos nossos - espero que elas se lembrem também de explorar os trabalhadores de um país meio complicado chamado Brasil.


How Rising Wages Are Changing The Game In China
A labor shortage has pay soaring. That is sure to send ripples around the globe.

For years, Yongjin Group has earned a decent profit selling lamps and furniture to the likes of Wal-Mart (WMT ), Home Depot (HD ), Target (TGT ), and Pottery Barn. But lately the company has seen its margins shrink to 5% -- half what Yongjin made when it opened its factory in the steamy southern Chinese city of Dongguan 14 years ago. Why? Labor shortages are forcing the company to boost wages. Last year salaries surged 40%, to an average of $160 a month, and Yongjin still can't find enough workers. "This business needs a lot of labor," says President Sam Lin. "This is a very tough challenge."

http://www.businessweek.com/magazine/content/06_13/b3977049.htm

Juliano Camargo disse...

Mais notícias sobre os escravos da globalização...

India's Wipro expects wage increases to hurt margins�
Business Day BANGALORE - Wipro, India's third-largest software exporter, reported a better-than-expected 44% increase in quarterly profit yesterday, but said it expected wage increases to hurt margins, sending its shares down as much as 5,6%. Wipro, which counts Cisco and Nortel among key clients, has benefited from robust demand for outsourcing from western companies seeking to cut costs. But software services companies are finding it difficult to retain staff as foreign companies expand their operations in India. Salaries were climbing 15% a year as companies competed for workers, analysts said. IBM,

http://article.wn.com/view/2006/07/20/Indias_Wipro_expects_wage_increases_to_hurt_margins/

Anônimo disse...

o que adianta tudo isso se o mundo vai acabar daqui a 50 anos por causa do capitalismo?

José Manuel Dias disse...

Apreciei...Voltarei.
Abraço de Portugal.

Anônimo disse...

Entre todas as besteiras que li a mais ridicula foi a do esquerdinha criticando o trabalhador ganhar por hora.
Pergunto a este esquerdinha se os EUA seriam essa superpotencia se tivessem a Lei Trabalhista brasileira.

Breno disse...

O comentario acima nao saiu o meu nome.
Breno Toledo

Reinaldo disse...

Só agora percebi que você tem um blog! KKKKKKK!!!!!!!

Nem li direito o que você escreveu. Contudo, seu do seu desafeto com o PT. Não sou petista, sou de esquerda, esquerda fundamentalista!!! Se é que existe. Sou contra ao assistencialismo, sou a favor do desenvolvimento, não a concentração de renda.
O Brasil precisa de soluções concretas, e não de críticas abstratas, sem quê nem por que!!!
Pense nisso!