quarta-feira, agosto 30, 2006

Conversa com Gabeira



Rodrigo Constantino

“A população já descobriu que o PT é igual aos outros que ele denunciava.” (Fernando Gabeira)

Estive em uma pequena reunião informal com o deputado Fernando Gabeira, onde pude fazer perguntas diretas sobre diversos assuntos. Em um resumo geral, ficou a imagem otimista de que seres humanos podem evoluir com o tempo. Gabeira ainda defende muitas idéias que eu condeno, colocando demasiada fé na capacidade estatal de consertar problemas – muitas vezes criados pelo próprio Estado. Mas comparado ao Gabeira que sonhava o sonho comunista e que chegou a participar do seqüestro do embaixador americano, adotando a máxima de que os fins justificam os meios, o atual é infinitamente melhor, mais amadurecido e realista.

Gabeira tem sido uma voz firme na oposição a este governo de quadrilheiros, e lutado como pode contra o corporativismo do Congresso. Saiu do PT com forte desgosto pela incompetência, antes mesmo dos escândalos infindáveis de corrupção. Reconhece que há poder demais concentrado em Brasília, e que a divisão entre esquerdistas e direitistas não é mais a crucial, e sim a que separa os republicanos dos patrimonialistas. De um lado, os que pretendem fazer algo pelo bem público, e do outro os que entram na política para aumentar o patrimônio pessoal. Gabeira entende ainda que o poder corrompe, e que a ocasião ajuda a fazer o ladrão. Afirma que confia diretamente em cerca de 10% dos congressistas, mas que vários outros não necessariamente praticariam atos ilícitos, fossem as oportunidades para tanto reduzidas. E isso passa pela redução do dinheiro que trafega pelas mãos dos políticos, assim como o poder.

O deputado defendeu que os governos não mais tenham o direito de alterar boa parte do quadro de burocratas, colocando “companheiros” nos cargos importantes por critérios políticos e prejudicando o funcionamento da máquina, que deveria ser mais independente. Em vários aspectos, Gabeira agora espelha-se no modelo americano. Deixou os dogmas ideológicos de lado e partiu para o bom senso. Até mesmo na questão ambiental – bandeira antiga – entende que há pouca compreensão por parte do governo das necessidades de se levar em conta os investimentos produtivos, muitas vezes engavetados por critérios absurdos, colocando o crescimento econômico em risco. Gabeira entende que a competitividade das empresas brasileiras precisa melhorar urgentemente, posto que a globalização pode fazer muito bem para o país, caso bem explorada. Lembrou a metáfora do leão e do antílope, onde o leão precisa correr mais rápido que o antílope mais lento, enquanto que o antílope precisa correr mais rápido que o leão mais rápido. Não importa se você é leão ou antílope, o importante é acordar e começar a correr! Duro é fazer isso com uma bola de chumbo amarrada num pé – os impostos extorsivos, e outra no outro pé – a burocracia asfixiante.

Não foram poupadas críticas ao PT no bate-papo, tampouco aos membros da esquerda retrógrada, ainda adeptos do comunismo. Gabeira condenou veementemente a postura do governo sobre a questão de Cuba, por exemplo. Quando perguntado sobre ideologias, evitou um rótulo, mas acabou por se considerar um capitalista. Sobre a citação na epígrafe acima, não faz justiça ao que foi dito por Gabeira na conversa informal. Ele parece compreender que o PT, na verdade, não fez “mais do mesmo”, e sim algo bem pior, uma verdadeira tentativa de tomar o controle de toda a máquina estatal. O “mensalão”, por si só motivo suficiente para um impeachment, é apenas a ponta do iceberg. A quadrilha, nas palavras do procurador da República, tinha objetivos muito mais amplos que a compra de deputados.

O petit comité reunido para escutar as idéias de Gabeira foi útil para eu verificar, uma vez mais, que nem tudo está perdido. O jovem Gabeira representava tudo que eu combatia, e o novo Gabeira tem idéias bem mais sensatas e racionais. Não foi suficiente para a conquista do meu voto, é verdade. Ainda tenho muitas divergências em relação ao papel que Gabeira atribui ao Estado na construção de um país mais livre e justo. Mas como já disse, perto do que ele defendia no passado, atualmente estaria inclinado a considerar Gabeira quase um aliado liberal. Quem sabe com mais alguns anos – e novas decepções com o Estado – ele não chega lá!

13 comentários:

Paulo Sanchotene disse...

Rodrigo, quanto tempo?! Parabéns pelo blogue e pela produção jornalítica, elas são excelentes. Em relação ao Gabeira, pode ser que ele jamais receba o nosso voto, mas temos que reconhecer que uma "esquerda", assim, é salutar dentro do processo democrático. Agora é eliminar a "esquerda má" e fazer aparecer a "boa direita", que tanto nos faz falta...

Rodrigo Constantino disse...

Total acordo, meu amigo!

Fernando disse...

O desestímulo é geral e está incorporado nas pessoas esclarecidas e os cidadãos de bem, justamente aqueles que poderiam de alguma forma reverter este quadro.A campanha eleitoral está um marasmo só.Parece proposital. O principal candidato da oposição não ataca o governo como deveria atacar. É como um jogo combinado. Li hoje que existiria um acordo tácito entre o PSDB e o PT no sentido de o PT ganhar este ano para ceder-para Aécio ou J Serra-o governo nas próximas eleições( 2010), desde que fosse votado no Congresso o fim da reeleição.Desta forma, com o acordo dos tucanos, Lula voltaria em 2015. Pode uma coisa desta? O que vcs pensam disto?

Anônimo disse...

Gabeira é uma esquerda light e é sério.Por não estar de acordo com as mordomias da Câmara, devolve mais de 13.000 reais do seu salário,encarou Severino antes da propina do restaurante,desancou o Renan quando este manobrou para evitar a CPI dos sanguessugas.
Que bom que sou do RJ posso votar em um homem de bem!
Seu passado,faz parte de seu arrependimento.
joao@dias.moreira.nom.br

GP disse...

Rodrigo,

Sou admirador antigo de seus textos e sempre estou divulgando-os no meu blog.

www.gpblog.wordpress.com

Se puder, passe lá, ok?

Um abraço.

André P.B.Selva disse...

Bom seria que a esquerda de nosso país fosse como é a esquerda chilena. Apesar de continuarem com a velha ilusão do welfare state e de todo o ódio qunto ao periodo pelo menos eles não ignoram os fatos nem tem mais ilusões messiânicas preservando os pressupostos da política economica de Augusto Pinochet.

Será que o Gabeira e outros da esquerda serão assim um dia? vejo que há salvação. Eu até pude observar algo que me dá motivos para acretitar que o povo brasileiro não é tão bobo assim.

A maior parte das pessoas que conheço,incluindo...ou melhor,principalmente(É....a dona HH só encontra mais condenscendencia,paradoxalmente,do povo mais abastado, as "zelite" que ela tanto odeia) o povo mais pobre, sempre associa os arroubos da dona "estressadinha Helena" ao adjetivo "doida" embora ainda tenham ilusão quanto ao apedeuta.

Enfim, parafraseando a bíblia: "verdade um dia vos libertará"

Laééércio! disse...

“Na pureza dos princípios de quem não os tem, a moral é apenas uma questão de tempo.”

Por Gabriel Garcia Marquez em "Memórias de minhas putas tristes".

Dani E. disse...

Gabeira é a esquerda consciente. Há, enfim, esperança.

Santa disse...

Rodrigo, excelente artigo.
Bjs

Bastiat disse...

Pô Rodrigo dando razão a comunista e sequestrador?
Tá dando razão a causa, esse cara não tem mais geito não, ele não mudou de posiçao, mudou de lado só.

Blogildo disse...

Com uma esquerda assim é possível manter um diálogo.

Excelente artigo.

Rodrigo Xavier disse...

Olá Rodrigo,

Com 15 anos tive que ler "O que é isso companheiro?" para a escola. E um novo mundo se abriu. O meu esquerdismo durou alguns bons pares de anos. Mas JAMAIS fui um doutrinado.

Hoje tenho um respeito pelo Gabeira, claro, discordando ainda muito dele. Mas me lembro de seu voto contra o moopólio da Petrobrás. Valeu sua briga contra o Severino, aliás, fator inicial de sua consequente queda na presidência da Câmara. E agora sua acusação de aparelhamento do MCT pelo PSB.

Gabeira é o principal representante da esquerda no Brasil hoje. Merece ser ouvido, pois suas idéias perderiam credibilidade se proferidas por um José Genoíno, José Dirceu...

Abraços.

C. Mouro disse...

Gabeira é um político profissional, que vive de parasitar quem trabalha, investe e produz. O caráter ainda é aquele mesmo capaz de sequestrar e até matar um inocente se suas vontrades não forem feitas. É um crápula oportunista, certamente dos piores e não dos melhores. Acreditar na sinceridade de um crápula desses é ingenuidade. Lula também sempre foi um moralista, crítico da corrupção, dirceu idem e tantos mais. Lula também aliviou o discurso e agora é até amigão de banqueiros e veste máscara "paz e amor". Certamente uma conversa com lulla irá causar semelhante impressão. Lulla até já disse que nunca foi de esquerda e também que continua tão vermelho quanto sempre. Até fidel será um cara legal numa conversa com um adversário que sabe não convencer com baboseiras.
É bom lembrar que estes crápulas são políticos!
Um canalha covarde que é capaz de sequestrar e matar um inocente se suas vontades não forem realizadas, vale menos que nexcremento de rato; é um crápula que não se arrependerá jamais, ele tem uma ideologia para ampara-lo, e creia, ele ainda é o mesmo, que apenas deseja manter-se no Poder, e resolveu fazer um novo genero, não vale nada! Até a Heloisa H. já amaciou, embora ainda defendendo as mesmas idéias, como o Gabeira, que alterou alguma coisa por mera conveniência, aquela na qual os crápulas safados são mestres.
Se deixar envolver pelo glamour de tais vermes não é um bom negócio. Eles são políticos, ti´pos da pior espécie.
(Me decepcionei com o artigo)
Abraços
C. Mouro