quarta-feira, março 28, 2007

A Escolha pela Pobreza



Rodrigo Constantino

“O problema com o catolicismo brasileiro é que entende de menos o Mercado e reverencia demais o Estado; seu desamor aos ricos excede seu amor aos pobres; gosta de distribuir riquezas, mas não se esforça por facilitar a criação delas. (Roberto Campos)

Da mesma fonte – a Bíblia – existem pessoas que chegam à defesa do capitalismo e pessoas que chegam à defesa do socialismo. Não vem ao caso discutir aqui qual dos dois lados está certo, até porque podemos encontrar várias passagens bíblicas que suportam ambos os opostos. Tanto é verdade que já existiram papas bem socialistas, como Paulo VI, e outros mais adeptos do livre mercado, como seu sucessor João Paulo II. O foco em questão é o fato de que a instituição católica, especialmente a brasileira, representa um grande entrave ao capitalismo liberal. A CNBB, por exemplo, assume posturas políticas claramente de esquerda, defendendo o retrocesso da nação. Alguns conservadores católicos podem afirmar que se trata de uns poucos bispos esquerdistas infiltrados na Igreja, mas desconfio que seja algo bem mais estrutural.

Roberto Campos, que estudou teologia e foi uma das mentes mais lúcidas que o país já teve, chegou a escrever:

“Há várias maneiras de prejudicar os pobres. Elas têm sido diligentemente utilizadas por pessoas e instituições, com intenções perigosamente boas. Comecemos pela Igreja Católica. Sua opção pelos pobres tem sido uma opção pela pobreza. De um lado, favorece a proliferação dos pobres, opondo-se a técnicas ‘artificiais’ de controle de natalidade, que são as únicas realmente eficazes, pois a abstenção sexual nas épocas férteis não é esporte fácil nos trópicos. De outro, contribui para a criação de uma mentalidade anticapitalista, pela suspicácia em relação ao lucro empresarial.”

Michael Novak, em seu livro The Universal Hunger for Liberty, tenta argumentar em prol da suposta união indissociável entre o catolicismo e o capitalismo de livre mercado. Mas ele mesmo reconhece que um grande obstáculo para o desenvolvimento econômico dos mais necessitados é justamente o fato de que muitas organizações católicas parecem acreditar mais em “redistribuição” e “caridade” que no estímulo às empresas, ao crescimento econômico através dos pequenos negócios. Para Novak, o espírito católico expressa melhor que o protestante a criatividade e os aspectos benéficos humanitários das sociedades liberais. Na prática, não parece ser esse o caso. Não vamos esquecer que países predominantemente católicos, como Espanha, Portugal e Irlanda, apenas muito recentemente têm migrado para mais perto do capitalismo liberal, sendo que o maior país católico do mundo, o Brasil, está muito longe disso ainda. Enquanto isso, os Estados Unidos, bem mais liberais, têm mais da metade do povo formada por protestantes, e apenas 24% de católicos, segundo pesquisa em 2002. A teoria de Novak parece mais fruto de um wishful thinking que de observação empírica.

O autor lembra ainda que no começo deste século, para a surpresa de todos, a Igreja Católica Romana é a religião que mais cresce no mundo, tendo hoje algo como um bilhão de fiéis. Só que ele mesmo cita que tal crescimento se dá basicamente na África, América Latina e Ásia, nas regiões mais pobres. Ou seja, os dados parecem confirmar a frase de Sebastien Faure, quando disse que “as religiões são como pirilampos: só brilham na escuridão”. Dá até para suspeitar que a ICAR acordou para este fato e por isso resolveu “produzir” um santo brasileiro, finalmente. Mas seria teoria conspiratória demais. O homem das pílulas “milagrosas” de papel – também conhecidas como placebos – deve merecer mesmo este imponente título...

Alguns podem achar que implico desnecessariamente com a Igreja Católica. Não é nada disso. Acho que fé é algo da esfera pessoal, e não tenho nada com a escolha dos outros nesse sentido. Até, claro, o limite dessa escolha não impactar a minha vida particular. E eis onde reside todo o problema. No passado, qualquer um que defendia a liberdade tinha obrigação de condenar a Inquisição. Hoje, os métodos mudaram, mas a Igreja ainda exerce influência na vida dos “hereges”. O próprio Papa, após considerar o segundo casamento uma “praga social”, exortou os políticos católicos a votarem de acordo com os mandamentos da sua fé. A CNBB, aqui no Brasil, vive se metendo em assuntos políticos. Se a Igreja, grande latifundiária que é, quiser doar suas terras para os “movimentos sociais”, não tenho nada com isso. Mas quando defende o uso do meu dinheiro, através do governo, para financiar criminosos como os do MST, aí a coisa muda totalmente. Dar esmolas com o bolso dos outros é fácil. E imoral também.

Fora isso, somente o fato de existirem mais de 100 milhões de católicos no país que podem acabar seguindo a mentalidade predominante na elite da hierarquia católica já justificaria minha tentativa de oferecer um contraponto. Essa gente toda vota, afinal de contas. Logo, do mesmo jeito que busco combater com idéias a Igreja Universal e seu poder político crescente, faço o mesmo com a Igreja Católica. Quando esta incita seus fiéis a nunca usar a “pecaminosa” camisinha, por exemplo, me sinto no dever de ir contra, pois a elevada taxa de natalidade das camadas mais pobres gera profundo impacto na economia do país, sem falar do risco do HIV. Quando a CNBB faz acalorados discursos defendendo medidas claramente socialistas, me sinto na obrigação de condená-las, em defesa da liberdade.

Em resumo, não ligo muito para a fé religiosa que cada um resolve adotar. Como o time de futebol, isso é algo bem pessoal. O problema começa quando as instituições religiosas criam obstáculos e mais obstáculos para o progresso do país e a liberdade individual. E parece ser justamente esse o caso da Igreja Católica, especialmente a brasileira. Ela fez uma evidente escolha. E foi pela pobreza.

39 comentários:

William disse...

Caro Rodrigo,

Seu artigo é ótimo. Concordo em tudo com você

Um abraço,

W.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

A mensagem acima foi apagada pois era de um anônimo covarde me mandando para aquele lugar. Atitude, aliás, nada católica... hehehe

GOP disse...

Contagem regressiva...
Em no máximo 2 horas, C.Mouro, alter ego de Rodrigo Constantino aparecerá por aqui escrevendo
" Seu artigo é simplesmente brilhante. Meus parabéns pela lucidez e gostaria de acrescentar que blá,blá,blá..."

Vamos aguardar. A não ser que o Rodrigo apague este comentário.

Ricardo Froes disse...

Você está absolutamente certo, mas eu acho de uma hipocrisia ímpar optar pela pobreza alheia. Essa pantomima de enviar missionários se fingindo de miseráveis para combater a miséria, bate de frente com a opulência do clero.

Como você bem disse, nada contra os latifundiários canônicos distribuirem suas terras, mas isso eles não fazem. Apóiam e incitam os baderneiros embandeirados a tomar o só que não é da Igreja; cevam as reses com o capim que alimenta a burrice indispensável ao aumento do rebanho e dispõem da esmola dos trouxas só para encher o pandulho, como eu pude constatar há uns dois meses na feira-livre da Praça da Paz, em Ipanema, quando encontrei um empregado da igreja N.S. da Paz, conhecido meu, esperando que o peixeiro acabasse de limpar cinco quilos de camarão, daqueles grandões, que custavam 56 reais por quilo.

Eu perguntei a ele, inocentemente e em tom de brincadeira, onde seria a festa. Resposta: “Que festa? Esse é o rango dos padres!”. Eu me espantei e perguntei se “o rango” era sempre desse preço e o fulano disse: “Daí pra cima!, olhaqui:”, abriu duas bolsas e mostrou enquanto falava, “tem linguado, salmão...”.

Dei um sorriso meio amarelo e, antes que ele me mostrasse as lagostas e cavaquinhas, ralei, pensando que o dinheiro que minha mulher eventualmente bota no saquinho das beatas vai todo para sustentar o barrigão do Padre Jorjão e sua troupe. Não admira ele estar do tamanho de um hipopótamo. E pensar que quando eu tive que mandar rezar uma missa de sétimo dia para minha mãe ainda tive que pagar padre, igreja, ar condicionado e aturar um padre que se acha o roberto carlos da paróquia...

Pois é. Há 55 anos que, diariamente, tomo conhecimento de algum desvio de rota cometido pelos membros da Igreja Nossa Senhora da Paz, sendo que, há uns tempos, um gerente de uma agência bancária me confidenciou que a movimentação da conta da igreja era várias vezes maior que a de qualquer outra que ele gerenciava.

Talvez vocês achem a historinha absurdamente tola e fora de propósito, mas, se multiplicarem isso mundo afora...

C. Mouro disse...

Ah! ...essas olavetes... ...hehehe!

Eu heim?! ...que preocupação comigo.
Devem ter pesadelos.

Vou providenciar um "banho de arruda", ou qualquer mandinga contra o "mau olhado" ...hehehe!
...se não der certo, mando rezar uma missa antes e uma depois, em ação de graças. ...hehehe!
...XÔôoôoôôôôôô!!! MANÍACOS!!!!!
.
...HEHEHE!
Abraços
C. Mouro

ronaldo disse...

EPISÓDIO DE HOJE

"C.Mouro: despertando paixões"

hehehehehehehe

abraço
ronaldo

raul disse...

Rodrigo,

Concordo com a linha central do seu texto. A Igreja Católica no Brasil é, sim, ao meu ver, uma desgraça. E o é porque, a exemplo da Igreja em outros países do Terceiro Mundo, abraçou o mostrengo da Teologia da Libertação, que não é nem teologia, muito menos libertação - de resto, já condenada pelo Vaticano. E por isso é uma igreja cismática. Espero que Bento XVI consiga botar esses padres de passeata pra correr. Não confunda as coisas, portanto. The reeeeal Church não faz opção alguma pela pobreza, embora, por sua própria tradição, faça sim opção pelos pobres, o que, sem qualquer jogo de palavras, é muito diferente.

Quanto à camisinha e outros concepcionais, a Igreja está certa em condená-los, por menos que eu goste disso. O problema é que, por menos que a Igreja goste, eu também estou certo em usá-los. Sei que isso é meio complicado de entender para quem não é católico, mas, acreditem-me, só sei que é assim.

Abraços.

Johann Freire disse...

Excelente artigo, Rodrigo. As igrejas, quando assumem uma esfera para além da crendice, são entrave para o desenvolvimento. Endosso grande parte das idéias expostas neste blogue.

Foi uma agradável surpresa deparar-me, por acaso, com um de seus livros. Na época, eu ainda não conhecia o sítio (ou saite), nem sequer tinha ciência do seu trabalho. "Prisioneiros da liberdade" chamou-me a atenção pelo título impactante e pela capa (que, ao contrário de "Estrela cadente", foi muito bem trabalhada). Bastou uma fugaz folheada para me conquistar. Gostaria de parabenizá-lo. Talvez você seja um dos pensadores mais lúcidos do nosso país.

Grande abraço.

Caio disse...

RODRIGO CONSTANTINO, UM JOVEM INTELECTUAL QUE TRANSCENDEU A REGÊNCIA NOMINAL

"Um dos mais importantes pensadores da nova safra de (risos) intelectuais":

"ESCOLHA PELA pobreza".
"Ela fez uma evidente ESCOLHA. E foi PELA pobreza".

A pergunta que não quer calar: quem escolheu? A Igreja ou a pobreza? Foi-se o tempo em que se fazia escolhas DE alguma coisa.

Já Roberto Campos, um dos mais importantes pensadores da antiga safra de intelectuais:

"...Sua opção pelos pobres tem sido uma OPÇÃO PELA pobreza".

Regência nominal perfeita. Que coisa mais conservadora...

Mario disse...

Vamos ao que interessa!!!

Por que a petralhada não quer a CPI do apagão aéreo? A resposta é muito simples: porque não querem que a ANAC e a INFRAERO sejam investigadas. A segunda é a uma das maiores fontes de renda da gang. Enquanto isso, estão cag.... se outros aviões caem e mais gente morra.


Aqui estão os 308 contra a CPI. Vamos espalhar os nomes Brasil afora


Por Reinaldo Azevedo

Muito bem. Vejam abaixo os 308 patriotas que votaram contra a CPI do Apagão Aéreo. Qual é a sua tarefa, leitor amigo? Copiar esta lista, colar, botar no OrKut, no e-mail da namorada, do namorado, do ficante, do amigo, da amiga, do/a amante, do inimigo também. Imprima. Se for viajar, leva junto umas 20 cópias. Distribua àqueles que estiverem sofrendo com você nas filas, na sala de embarque, na poltrona ao lado. Quem puxa a lista do boicote à investigação? O PT. Vejam ali: 77 votos contra a CPÌ. Depois, vem o PMDB, com 65. Faça com que esta lista se multiplique em milhões de listas Brasil afora.

PT
Adão Pretto (RS)
Andre Vargas (PR)
Angela Portela (RR)
Angelo Vanhoni (PR)
Anselmo de Jesus (RO)
Antônio Carlos Biffi (MS)
Antonio José Medeiros (PI)
Antonio Palocci (SP)
Assis do Couto (PR)
Beto Faro (PA)
Carlos Abicalil (MT)
Carlos Santana (RJ)
Carlos Wilson (PE)
Carlos Zarattini (SP)
Chico DAngelo (RJ)
Cida Diogo (RJ)
Dalva Figueiredo (AP)
Décio Lima (SC)
Devanir Ribeiro (SP)
Domingos Dutra (MA)
Dr. Rosinha (PR)
Edson Santos (RJ)
Eduardo Valverde (RO)
Elismar Prado (MG)
Eudes Xavier (CE)
Fátima Bezerra (RN)
Fernando Ferro (PE)
Fernando Melo (AC)
Gilmar Machado (MG)
Guilherme Menezes (BA)
Henrique Afonso (AC)
Henrique Fontana (RS)
Iran Barbosa (SE)
Iriny Lopes (ES)
Janete Rocha Pietá (SP)
Jilmar Tatto (SP)
João Paulo Cunha (SP)
Jorge Bittar (RJ)
José Airton Cirilo (CE)
José Genoíno (SP)
José Guimarães (CE)
José Mentor (SP)
José Pimentel (CE)
Joseph Bandeira (BA)
Leonardo Monteiro (MG)
Luiz Bassuma (BA)
Luiz Couto (PB)
Luiz Sérgio (RJ)
Magela (DF)
Marco Maia (RS)
Maria do Carmo Lara (MG)
Maria do Rosário (RS)
Maurício Rands (PE)
Miguel Corrêa Jr. (MG)
Nazareno Fonteles (PI)
Nelson Pellegrino (BA)
Nilson Mourão (AC)
Odair Cunha (MG)
Paulo Pimenta (RS)
Paulo Rocha (PA)
Paulo Rubem Santiago (PE)
Paulo Teixeira (SP)
Pedro Eugênio (PE)
Pedro Wilson (GO)
Pepe Vargas (RS)
Praciano (AM)
Reginaldo Lopes (MG)
Ricardo Berzoini (SP)
Rubens Otoni (GO)
Sérgio Barradas Carneiro (BA)
Tarcísio Zimmermann (RS)
Vaccarezza (SP)
Vander Loubet (MS)
Vicentinho (SP)
Vignatti (SC)
Virgílio Guimarães (MG)
Zezéu Ribeiro (BA)

PMDB
Acélio Casagrande (SC)
Alberto Silva (PI)
Alexandre Santos (RJ)
Aníbal Gomes (CE)
Antônio Andrade (MG)
Antonio Bulhões (SP)
Asdrubal Bentes (PA)
Bel Mesquita (PA)
Bernardo Ariston (RJ)
Carlos Alberto Canuto (AL)
Carlos Bezerra (MT)
Carlos Eduardo Cadoca (PE)
Celso Maldaner (SC)
Colbert Martins (BA)
Darcísio Perondi (RS)
Edinho Bez (SC)
Edio Lopes (RR)
Edson Ezequiel (RJ)
Eduardo Cunha (RJ)
Elcione Barbalho (PA)
Eliseu Padilha (RS)
Eunício Oliveira (CE)
Fátima Pelaes (AP)
Fernando Diniz (MG)
Flaviano Melo (AC)
Flávio Bezerra (CE)
Francisco Rossi (SP)
Geraldo Pudim (RJ)
Hermes Parcianello (PR)
Íris de Araújo (GO)
João Magalhães (MG)
João Matos (SC)
Joaquim Beltrão (AL)
Jurandil Juarez (AP)
Laerte Bessa (DF)
Leandro Vilela (GO)
Lelo Coimbra (ES)
Leonardo Quintão (MG)
Luiz Bittencourt (GO)
Marcelo Castro (PI)
Marcelo Guimarães Filho (BA)
Marcelo Itagiba (RJ) - Abstenção
Maria Lúcia Cardoso (MG)
Marinha Raupp (RO)
Moacir Micheletto (PR)
Nelson Bornier (RJ)
Olavo Calheiros (AL)
Osmar Serraglio (PR)
Osvaldo Reis (TO)
Paulo Henrique Lustosa (CE)
Paulo Piau (MG)
Pedro Chaves (GO)
Pedro Novais (MA)
Professor Setimo (MA)
Reinhold Stephanes (PR)
Rocha Loures (PR)
Saraiva Felipe (MG)
Solange Almeida (RJ)
Tadeu Filippelli (DF)
Valdir Colatto (SC)
Vital do Rêgo Filho (PB)
Waldemir Moka (MS)
Wilson Santiago (PB)
Zé Gerardo (CE)
Zequinha Marinho (PA)

PP
Afonso Hamm (RS)
Aline Corrêa (SP)
Antonio Cruz (MS)
Benedito de Lira (AL)
Carlos Souza (AM)
Ciro Nogueira (PI)
Eduardo da Fonte (PE)
Eliene Lima (MT)
Eugênio Rabelo (CE)
George Hilton (MG)
Gerson Peres (PA)
João Leão (BA)
João Pizzolatti (SC)
José Linhares (CE)
José Otávio Germano (RS)
Lázaro Botelho (TO)
Luiz Fernando Faria (MG)
Márcio Reinaldo Moreira (MG)
Mário Negromonte (BA)
Nélio Dias (RN)
Nelson Meurer (PR)
Neudo Campos (RR)
Pedro Henry (MT)
Rebecca Garcia (AM)
Renato Molling (RS)
Ricardo Barros (PR)
Roberto Balestra (GO)
Roberto Britto (BA)
Sandes Júnior (GO)
ão Ses (RJ)
Vadão Gomes (SP)
Vilson Covatti (RS)
Waldir Maranhão (MA)
Zonta (SC)

PR
Aelton Freitas (MG)
Chico da Princesa (PR)
Dr. Adilson Soares (RJ)
Giacobo (PR)
Gorete Pereira (CE)
Homero Pereira (MT)
Inocêncio Oliveira (PE)
João Carlos Bacelar (BA)
João Maia (RN)
Jofran Frejat (DF)
José Carlos Araújo (BA)
José Rocha (BA)
Léo Alcântara (CE)
Lincoln Portela (MG)
Lindomar Garçon (RO)
Lucenira Pimentel (AP)
Luciano Castro (RR)
Lúcio Vale (PA)
Marcelo Teixeira (CE)
Maurício Quintella Lessa (AL)
Maurício Trindade (BA)
Milton Monti (SP)
Neilton Mulim (RJ)
Nelson Goetten (SC)
Sandro Mabel (GO)
Sandro Matos (RJ)
Tonha Magalhães (BA)
Valdemar Costa Neto (SP)
Vicente Arruda (CE)
Vicentinho Alves (TO)
Wellington Fagundes (MT)
Wellington Roberto (PB)

PSB
Ana Arraes (PE)
Ariosto Holanda (CE)
Átila Lira (PI)
Beto Albuquerque (RS)
Djalma Berger (SC)
Dr. Ubiali (SP)
Eduardo Lopes (RJ)
Fernando Coelho Filho (PE)
Givaldo Carimbão (AL)
Janete Capiberibe (AP)
Laurez Moreira (TO)
Lídice da Mata (BA)
Manoel Junior (PB)
Marcelo Serafim (AM)
Márcio França (SP)
Marcondes Gadelha (PB)
Maria Helena (RR)
Mauro Nazif (RO)
Ribamar Alves (MA)
Rodrigo Rollemberg (DF)
Valadares Filho (SE)
Valtenir Luiz Pereira (MT)

PDT
Arnaldo Vianna (RJ)
Barbosa Neto (PR)
Brizola Neto (RJ)
Dagoberto (MS)
Davi Alves Silva Júnior (MA)
Dr. Basegio (RS)
Giovanni Queiroz (PA)
João Dado (SP)
Julião Amin (MA)
Manato (ES)
Marcos Medrado (BA)
Miro Teixeira (RJ)
Paulinho da Força (SP)
Pompeo de Mattos (RS)
Reinaldo Nogueira (SP)
Sebastião Bala Rocha (AP)
Sérgio Brito (BA)
Severiano Alves (BA)
Sueli Vidigal (ES)
Vieira da Cunha (RS)
Wolney Queiroz (PE)

PTB
Armando Abílio (PB)
Armando Monteiro (PE)
Arnon Bezerra (CE)
Augusto Farias (AL)
Ernandes Amorim (RO)
Frank Aguiar (SP)
Jackson Barreto (SE)
José Múcio Monteiro (PE)
Jovair Arantes (GO)
Luiz Carlos Busato (RS)
Paes Landim (PI)
Paulo Roberto (RS)
Pedro Fernandes (MA)
Ricardo Izar (SP)
Sabino Castelo Branco (AM)
Sérgio Moraes (RS)

PC do B
Aldo Rebelo (SP)
Alice Portugal (BA)
Chico Lopes (CE)
Daniel Almeida (BA)
Edmilson Valentim (RJ)
Evandro Milhomen (AP)
Flávio Dino (MA)
Jô Moraes (MG)
Manuela D'Ávila (RS)
Osmar Júnior (PI)
Perpétua Almeida (AC)
Renildo Calheiros (PE)
Vanessa Grazziotin (AM)

PAN
Cleber Verde (MA)
Jurandy Loureiro (ES)
Silas Câmara (AM)
Takayama (PR)

PSC
Deley (RJ)
Eduardo Amorim (SE)
Filipe Pereira (RJ)
Hugo Leal (RJ)
Mário de Oliveira (MG)
Ratinho Junior (PR)

PMN
Fábio Faria (RN)
Francisco Tenorio (AL)
Sergio Petecão (AC)
Silvio Costa (PE)
Uldurico Pinto (BA)

DEM (PFL)
Cristiano Matheus (AL)
João Bittar (MG)
Lael Varella (MG)
Roberto Magalhães (PE)

PPS
Airton Roveda (PR)
Alexandre Silveira (MG)


PSDB
Silvio Lopes (RJ)

PV
Fábio Ramalho (MG)

PTC
Carlos Willian (MG)

PHS
Felipe Bornier (RJ)

PRB
Léo Vivas (RJ)

Sem partido
Damião Feliciano (PB)
Juvenil Alves (MG)





*******************************************

"DELENDA CARTAGO EST"
Marco Pórcio Catão (234 – 149 a.C.)

Mario disse...

Ei Constantino!!! Além de arrogante, petulante, perfeito e ridículo, você é teimoso feito burro, não? Quando vai crescer? Aqui mesmo no seu blog alguém (perdão, não lembro quem foi) muito mais culto do que você esclareceu o erro na tradução de “praga social”, não foi?

"Every act of conscious learning requires the willingness to suffer an injury to one's self-esteem. That is why young children, before they are aware of their own self-importance, learn so easily." - Thomas Szasz

Mario disse...

Ei Constantino!

Por que não fala de um assunto que, suponho, você conhece? Dá para explicar como o desgiverno fez para o PIB subir de 2.9% p/ 3.7% sem produzir um único grão de soja a mais? Afinal, até onde sei, os critérios deste cálculo são padronizados para o mundo todo, não?

Mario disse...

Enquanto Constantino segue na sua cruzada idiota contra a igreja, pesquisas da UNICAMP revelam: a cada ano diminui a idade de mães adolescentes. A cada ano, aumenta o número de adolescentes que tem o segundo filho, e não é de mesmo pai. Como vê, a putaria infantil aumenta, nem mesmo fazendo tanta propaganda de camisinha. O que a pesquisa não fala (por óbvios motivos) é sobre o produto dessa putaria, sem pai, sem mãe, puro produto de chocadeira. Que se dane a responsabilidade!!! Vamos fazer essas putinhas darem e parirem à vontade!!!! quáquáquáquáquá

... e ainda não "descobriram" (porque não querem) por que a violência aumenta. VIVA O LIBERALISMO RODRIGUEANO!!!! ABAIXO O MORALISMO!!!! hehe "entrei na sua", Constantino! QUE AS FAMÍLIAS SE DANEM!!! ABAIXO A FAMÍLIA!!! ISSO É COISA DO PASSADO! CONSERVADORA!!!!

Thiago disse...

Mario, que dados terríveis. E a solução dos libertários libera geral é o aborto.

Anônimo disse...

Nossa!
Esse texto é mais fragmentado do que cocô de cabrito. Que confusão dos diabos.
Ah! E "plaga" quer dizer "chaga", "ferida".
Tenha um pouco de humildade e vá estudar rapazola.

Anônimo disse...

Só foi alguém acima pegar no pé do 'Mussulmano' (ou Mouro) que o piá ficou todo envergonhado de dizer amém ao artigo, como de costume.
Qual é, meu! Vergonha do quê?
Perdeu a convicção?

Cleber disse...

O aumento de gravidez na adolescência não é o aumento na distribuição de camisinhas. De fato eu li uma pesquisa que apesar do aumento do uso de camisinha entre os mais jovens, há ainda uma forte questão cultural de rejeição ao uso do preservativo. Além disso, nessa mesma pesquisa eu li um dado que me deixou espantado e pouca gente discute a respeito: há muitas garotas adolescentes que querem ter filhos na adolescência!! Por quê? Segundo algumas entrevistadas elas não vêem perspectivas de adquirir um emprego em constituir uma carreira, então elas se espelham na mãe, em ser uma dona de casa com filhos como um objetivo para auto realização!!
Ou seja, não é nem por exagero de propaganda de camisinhas, nem falta dos valores familiares que as garotas estão engravidando e sim por questões culturais e de geração de oportunidades de emprego e construção de carreiras para as mulheres.

Outro ponto: eu sou liberal e sou contra o aborto porque acredito no princípio de valor da vida tem força superior ao da liberdade. A questão é que no Brasil o princípio de liberdade é tão esculhambado que existem alguns liberais que para defendê-lo acabam sobrepujando o direito a vida. Os conservadores não deveriam generalizar tão rapidamente os liberais (aliás a mesma mensagem vale para os liberais quando dizem algo respeito dos conservadores).

Cleber disse...

Desculpem, a mensagem anterior foi escrita às pressas e por isso contém diversos erros. Favor relevá-los e concentrem-se no conteúdo.

Sobre a ICAR e a pobreza. Parece até a querela dos Franciscanos e dos papistas de uns 700 anos atrás sobre se a igreja deveria ser pobre ou não (e defender a pobreza como estilo de vida). Todos podem reclamar do que quiserem mas a ICAR é super flexível. Os franciscanos foram durante algum tempo considerados hereges, mas no final foram aceitos na igreja, por razões mais políticas e econômicas (apaziguar as ambições do Imperador do SIRG, diminuir a imagem de elitista e ganaciosa perante a crescente população urbana e pelo fato de a ordem ter conseguido se desenvolver e espalhar pela Europa a despeito das tentativas do papado de eliminar os hereges) do que propriamente teológicas. E assim acabou-se defendendo que a pobreza possui algo de virtuoso mas que a igreja católica não poderia ser pobre pois defende a fé verdadeira e para tanto precisa de recursos pra sobreviver. Boa solução pra acalmar os ânimos! Só que de alguma forma essa característica exclusiva dos franciscanos contaminou o pensamento católico, a despeito dos contra-ataques de dominicanos e jesuítas. No final das contas a Teologia da Libertação (TdL) é uma cria de uma tradição que remonta a pelo menos sete séculos atrás!! É claro que a TdL não é uma cria isolada dos franciscanos, os marxistas não podem negar a sua paternidade (tem padreco aí empunhando o Manifesto ao lado da Bíblia: "ora os dois são sagrados!!", heheheh). Mas, hoje em dia, a ICAR também não pode dizer que não seja, digamos, padrinha da besta, hehehe. Pode uma coisa dessa: tudo porque um santo que andava pelado há alguns séculos atrás achava que cristo não tinha pertences e portanto ninguém deveria ter!! Como disse antes, jesuítas e dominicanos tentaram enjaular a besta, mas daí já estava tarde demais. Por isso que o protestantismo deu certo! (ou seja, prosperou economicamente, do ponto de vista teológico, daí é outros quinhentos).

C. Mouro disse...

...mas essas olavetes são muito carentes de atenção! ...ficam agitadas com o desprezo. ...não se preocupem tanto, isso passa! ...hehehe!

...Pô, aí! ...aqui essa não vai rolar, se vierem lá para o lado do "Osama das bananas". Tirem suas carências lá com ele.
.
Contuido, o texto do Rodrigo está muito bom, como de costume. ...hehehe!
.
Satisfeitas, meninas? ...não me venham mais com tietagem, não vou lhes dar mais atenção.
.
...hehehe!
C. Mouro

Ricardo Froes disse...

Mouro:

Quer dizer então que você virou "mussulmano"? Será uma mistura de Mussolini com muÇulmano?

Neguinho quando quer ser engraçadinho vira até analfabeto.

E os dados terríveis do Mario? Será que ele tem dado a mais em casa ou só aqui?

Budabariu nóis tudo! Haja saco pra aguentar olavetes.

Abraço

ronaldo disse...

Quanto mais leio este Mário, mais o acho ridículo. É cada argumento bobinho, cada gritinho, e "dados" espantosos! rsrsrsrsrs

Boa a resposta do Cleber:

"não é nem por exagero de propaganda de camisinhas, nem falta dos valores familiares que as garotas estão engravidando"

Mas exige muito mais do raciocínio e para MárioS é melhor pensar raso: é falta de valores cristãos! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Um perfeito idiota. Mas no significado bem exato mesmo da palavra, não é minha cara Helena? O significado exato de idiota é perfeito para definir este elemento.

Mouro, tenha compreensão, não escolhemos quem se apaixona por nós. Estão fascinados e fascínio não se controla! hehehehehe

abraço forte
ronaldo

Thiago Rachid disse...

Sou católico e concordo que a Teologia da Libertação tem esses e muitos outros defeitos. É nociva para o país e para a Santa Madre Igreja.

Leonardo Bofe disse...

É isso mesmo! Não à Teologia da Libertação - vamos ser servis o resto da eternidade.

C. Mouro disse...

Caros, Froes e Ronaldo, apesar dos pesares, estes tipos ridículos dão um certo colorido. Fazem parte do recreio. Se por vezes são uns pela-sacos por outras acabam divertido com suas asneiras e maluquices.

Abraços
C. Mouoro

Rodolfo. disse...

O problema é que um sujeito criado pela vovó, jogando bola de gude no carpete, empinando pipa no ventilador, dormindo com pijama de ursinho e naná do piu-piu não pode ser levado a sério só porque leu um livro, e logo do idiota do Voltaire.
Tenha paciência! Vai estudar, seu bobão!

Caio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Rodolfo disse ou Rodolfo deu-se totalmente? Até que a razão chegue a Rodolfo, dias hão de passar. Acho que por hora Rodolfo deu com o rabo nas ostras.

Anônimo disse...

Ô Ricardo Froes!

Você é estudante? Em que ano você está, piá? 5.a série?

Mussulmano se escreve com dois 'esses' porque a origem da palavra se refere à cidade de Mossul - com 2 'esses' - que hoje fica no atual Iraque. Jamais com cedilha.
Fica pra você o mesmo conselho que já deram acima pro Constantino: vai estudar bocó, ao invés de se fazer de engraçadinho ostentando ignorância.

Ricardo Froes disse...

Pedaço de asno anônimo:

Foda-se a cidade de Mossul. Estamos no Brasil e se você apresentar algum léxico que tenha a grafia "mussulmano" eu desfilo de nu frontal para você.

Pela sua lógica de imbecil deveria então ser "mossulmano", não é?

Vai comer capim e ler um pouco antes de se achar o dono da cocada-preta! Vai lamber o saco do Olavo!

Mario disse...

quáquáquáquáquáquáquá!!!! Aí está!!! Aderí ao liberalismo rodrigueano e sou chamado de ridícuo... idiota... quáquáquáquáquá! vindo de quem vem, é um elogio e tanto!!!

Como não sabe, ler, não pode saber que os dados que citei (pesquisa da UNICAMP) estão publicados em todos os jornais.

Caro Cleber: sou conservador e muito mais liberal do que o Constantino. As provas estão nos meus inúmeros posts que, segundo ele, são críticas sem argumento. Acontece que esse garoto, "Um dos mais importantes pensadores da nova safra de intelectuais" (segundo a propaganda do livro), não tem a menor noção do que é moral. Quanto aos seus puxas, não passam de amebas, capazes de condenar os assassinos do João Hélio (não estou dizendo que aplaudo) e, por outro lado, são abortistas, não menos assassinos. O interessante é que nunca querem saber que a origem destes bandidos é falta de formação moral, formação familiar, que qualquer igrejinha de esquina e, até mesmo o bispo(?) Edir Macedo pode passar.

VIVA A PUTARIA RODRIGUEANA!!!! QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Mario disse...

Aliás, Cleber:

"(...) nem falta dos valores familiares que as garotas estão engravidando (...)"

Engano seu. As mães dessas precoces também não tem valores morais, familiares. Como não tem pai, a coisa piora. Posso apostar um milhão contra um centavo: a maioria é de mães solteiras, irresponsáveis. É natural que as filhas se espelhem na mãe, não? Aliás, se é para ter pai como uns e outros por aqui, é menos ruim não ter... QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

VIVA A PUTARIA RODRIGUEANAAAAAA!!!!!

Ricardo Froes disse...

Que comparação brilhante! Que raciocínio lógico! Parece até vindo da sumidade de Dom Estevão Bettencourt! Mario Quaquaquá (ex-Hehehe), aquele que ri das próprias besteiras, cada vez mais se supera! Não poderia haver nada mais feliz do que comparar os assassinos de João Hélio com os defensores do aborto.

Aliás, sobre o tema, outro dia Dráuzio Varella lembrou da pesquisa de um professor americano sobre a redução da violência nos Estados Unidos associada à vigência da lei do aborto exatamente 18 anos depois de sua implantação em cada estado americano. A questão é polêmica. Mas a conclusão é óbvia: filhos indesejados são filhos rejeitados e estes, criminosos em potencial.

Mas, como disse Elio Gaspari hoje, o Vaticano está fechado em suas convicções sobre sexo, reprodução e matrimônio, e leva com ele vaticanetes, Olavos e olavetes, a fina flor da vanguarda do atraso, que não admite nem discutir os assuntos e trás até nós essas pérolas de raciocínio como o do Mario.

Mario Quaquaqua: você já foi Hehehe. Cuidado para não acabar sendo chamado para o BBB – há grandes compatibilidades intelectuais entre você e o grupo enclausurado no Projac.

Eduardo Alex disse...

Rodrigo, vc erra ao considerar q o João Paulo II tenha sido mais adepto do livre mercado. Vou ficar somente com duas frases deles publicadas num especial de VEJA, após a morte do supracitado.

"Os defensores do capitalismo ilimitadotendem a esquecer as coisas boas do comunismo: a luta contra o desemprego, a preocupação com os pobres". (1993)

"Os graves problemas sociais que atormentam a Europa e o mundo encontram sua origem, em parte, nas manifestações degeneradas do capitalismo". (1993)

Também em várias outras matérias de VEJA, de ISTOÉ, e pela internet afora encontramos exemplos onde João Paulo II apesar de contrário ao comunismo, nunca se mostrou entusiasta de um capitalismo sem freios.

Mario disse...

Já disse para o Constantino, porém, era para você e os outro lambe-sacos também: como são previsíveis, não? QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Basta vir aqui quando quero dar minhas gargalhadas, por sinal, fazem muito bem, sabia?

Pois é!!! De acordo com seu raciocínio, muito rodrigueanamente RACIONAL, vamos exterminar os filhos indesejáveis para reduzir a criminalidade!!!! Como está vendo, estou aderindo ao liberalismo rodrigueano!!!! QUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁQUÁ

Anônimo disse...

vejam o exemplo de não-aborto que dá errado: Mário,o otário

paulo disse...

não entendo pq ainda respondem ao adolescente punheteiro desocupado do mário

não fala coisa com coisa e quando consegue só diz imbecilidades

Thiagi disse...

Vocês querem eliminar mesmo quem discorda não.

Que coisa.

Anônimo disse...

meu eu acho q isso q acontece no mundo e uma coisa assim sem palavras as pessoas que tem poder e pode ajuda nao sabe faser o certo pra essas pessoas ex: os americanos nemtodaos tanbem e nem so la tanbem todos os paizes por ficar investindo em armas ?? pra q pra matar a propia especie deve ser ne por q seila somos todos filhos de deus nao temos que lutar entre nois mais sim contra ao verdadeiro mal akele q nois nao vemos mais sentimos ele na vida e em tudo a nossa volta e assim vamos faser armas memo ae as pessoas vao comer armas vao esquentar se com armas e curaren suas infermidades com armas tanbem aff isso tem q muda nao pode deixar assim ta tudo errado sera q eles nao tem coraçao ??