quinta-feira, março 01, 2007

Uma Verdade Inconveniente



Rodrigo Constantino

"Ninguém pode usar uma máscara por muito tempo: o fingimento retorna rápido à sua própria natureza." (Sêneca)

O ambientalista mais famoso dos Estados Unidos – quiçá do mundo – é sem dúvida o ex-vice presidente Al Gore. Recentemente premiado com o Oscar pelo seu documentário, An Inconvenient Truth, o ativista ecológico prega medidas urgentes para combater o aquecimento global. Não vem ao caso aqui questionar os alardes que muitos fazem sobre o assunto, ignorando que os próprios cientistas reconhecem um passado incerto mas acabam prevendo um futuro certo de catástrofe. Um caso único onde é mais difícil acertar o que se passou do que está por vir. Também não vem ao caso falar que muitos cientistas são céticos quanto aos alarmes mais terroristas, discordando do relatório da ONU. Por fim, não é o tema deste artigo alertar para a postura fanática de muitos, que tentam impor a verdade que "todos sabem", calando qualquer voz contrária na marra. Essa postura não é científica, mas típica de fanatismo, da nova "religião verde". Mas nada disso importa muito aqui. Este artigo irá tratar apenas da hipocrisia.

Os alarmistas partem de um fato – o aumento da temperatura média no planeta, e chegam ao objetivo que desejam: pedir mais recursos para o governo cuidar do problema e atacar um determinado estilo de vida. Também não é o foco deste artigo mostrar que onde tivemos mais controle governamental, como nos países socialistas, tivemos mais poluição em termos relativos. Basta aqui lembrar que políticos dependem de votos para sobreviver no mundo político, e quanto mais verba e poder, melhor, pois são seres humanos, e não alienígenas abnegados. Seguem os próprios interesses como todos os demais indivíduos. Al Gore é um perfeito animal político, e com ele não poderia ser diferente. Inteligente, percebeu um excelente nicho para concentrar suas forças e ganhar evidência mundial, angariando junto muitos votos. O problema é a seguinte questão: será que ele vive mesmo de acordo com o que prega?

Devido à enorme exposição que ele tem, seria de esperar que sua vida fosse realmente de acordo com suas palavras. Não faz sentido o grande defensor da redução da emissão de carbono e da maior consciência sobre o problema energético ignorar tais pontos no seu dia a dia. Tanto é que consta que sua família utiliza carros híbridos, para não consumir muita gasolina. Souberam fazer propaganda com isso. Ocorre que recentemente foi divulgado que a família de Al Gore consome cerca de vinte vezes mais energia que a média nacional. Vinte vezes! Sua mansão de 20 quartos em Nashville, com piscina aquecida e lanternas de gás no jardim, consumiu cerca de US$ 30 mil em eletricidade em 2006. Seu gasto mensal é mais do que uma família média americana gasta por ano! O grande defensor da causa ambientalista, que adora condenar o estilo de vida moderno, incutindo culpa de criminoso em um indivíduo que apenas dirige um SUV, consome energia suficiente para abastecer 20 famílias médias americanas. Faça o que eu digo, não faça o que eu faço.

Os esquerdistas, grandes entusiastas da causa ambientalista para usá-la como ataque ao capitalismo, logo aparecem em defesa de Al Gore, afirmando que não há nada demais em sua conduta. A esquerda sempre age assim: dois pesos e duas medidas. Um empresário rico é condenado como explorador, por exemplo. Mas um milionário que prega o socialismo é tratado como ídolo. Não é o dinheiro que realmente incomoda, mas a forma como foi obtido. Se é um empresário através do livre mercado, oferecendo produtos desejados pelos consumidores e gerando empregos, então deve ser condenado como explorador. Mas se é um artista que vive de verbas estatais falando mal do capitalismo, ou um cineasta que faz filmes para mostrar como o capitalismo é podre enquanto enche o bolso de dinheiro, então não tem problema. A riqueza só é pecado para o capitalista honesto. Se for acumulada durante as pregações socialistas, então não faz mal.

Mas explico esta conduta ambígua típica da esquerda para voltar ao tema principal sobre Al Gore: a hipocrisia. O dicionário Aurélio a define como "afetação de virtude ou sentimento que não se tem", ou então "fingimento, falsidade". O que tem de gente que tenta monopolizar virtudes, propagando aos quatro ventos como defende fins nobres, enquanto na prática não segue tais virtudes! Daria para lotar vários estádios do tamanho do Maracanã. São pessoas preocupadas em posar de grande homem, em conquistar fama ou outros interesses através de uma virtude que reconhecem como virtude, mas não a possuem de verdade. Pessoas que pregam uma vida espartana de suas casa luxuosas; gente que diz que a burguesia fede enquanto vive como um perfeito burguês; artistas que defendem o socialismo enquanto desfrutam de tudo que somente o capitalismo pode oferecer; religiosos que condenam o "bezerro de ouro" de suas ricas igrejas ornamentadas com muito ouro; e políticos que pregam maior conscientização sobre o problema energético enquanto consomem vinte vezes mais energia que a média nacional.

Mas nada disso é hipocrisia, dizem. Ignoram que ações valem mais que palavras. Mataram a hipocrisia, tiraram-na do dicionário. Assim, qualquer um pode condenar o roubo enquanto pratica um assalto, que não há hipocrisia. Qualquer um pode reclamar do luxo dos outros enquanto vive no completo luxo, que não há hipocrisia. E por aí vai. Não é mais necessário viver de acordo com o que prega. Chegamos então a uma verdade realmente inconveniente: o mundo está repleto de hipócritas!

22 comentários:

a.h disse...

Excelente! E, para tanto, Al Gore tem que dispensar Uns Gases Inconvenientes para sustentar sua visão monocausal no CO2:

http://geografiaconservadora.blogspot.com/2007/02/uma-seleo-de-gases-conveniente.html

Ricardo Froes disse...

Mais uma vez, no alvo! É impressionante como a hipocrisia se manifesta de maneira semelhante nos mais diversos segmentos sociais, políticos e religiosos, onde impera a máxima (mal-interpretada) de Maquiavel, "os fins justificam os meios". Socialistas, ecologistas e crentes de todo gênero travestem-se de salvadores da humanidade, quando o que eles realmente fazem é disseminar o terrorismo psicológico (os meios) para arrebanhar otários. E quanto mais otários, mais poder e dinheiro em caixa (os fins).

Na verdade, se juntar essa turma toda e espremer, não sai nada honesto, coerente, sincero ou embasado em alguma coisa séria. Vai é sair um fedor insuportável.

Ricardo Froes disse...

Não posso deixar de rir desse xiitismo, principalmente depois que li "A verdade incómoda do profeta Al Gore & a incomodidade da verdade" ou, segundo a.h. "Uns Gases Inconvenientes". Um estudo de nutricionistas, denominado "A Própolis Na Nutrição De Ruminantes" diz, entre outras coisas:

"Em ruminantes, a fermentação de alimentos ingeridos produz ácidos graxos voláteis (AGV), amônia, gases (dióxido de carbono e metano) e células microbiais. (...) Em adição a isso, o gás metano que é eliminado pelos ruminantes, por eructação, é um dos principais responsáveis pelo efeito estufa e pela destruição da camada de ozônio da atmosfera. Deve-se considerar que um bovino adulto chega a produzir mais de 400 litros de gás por dia ( metano + dióxido de carbono), liberado no meio, principalmente por eructação e que hoje o rebanho bovino mundial é de mais de 1 bilhão de cabeças (ANUALPEC 2001). Conforme CRUTZEN et al (1986), os ruminantes são responsáveis por 15% do total de metano emitido na atmosfera terrestre. MADIGAN et al. (1997) alertaram para o fato dos ruminantes serem os animais que mais contribuem para a emissão de metano na atmosfera."

Ou de outro estudo não menos sério, mas tratado de maneira informal:

"A composição do peido é bastante variada, a reação entre o ácido produzido no estômago e os fluidos do intestino pode produzir dióxido de carbono (CO2), que também é um componente do ar (atomosférico) e/ou resultante da ação das bactérias. As bactérias também podem produzir hidrogênio e metano. (...) Em um adulto a produção de gases intestinais varia de 200 a 2000ml diários."

Já imaginaram? Só o rebanho bovino mundial peida 400 bilhões de litros de metano combinados com dióxido de carbono por dia! Fora os outros ruminantes. Será que já pensaram nos elefantes, hipopótamos e rinocerontes? E na época dos dinossauros? A camada de ozônio não devia nem existir. Dá pra avaliar o estrago do peido de um brontossauro?

No dia que essa gente falar sério eu falo também.

Zepa disse...

Caro Ricardo, leio seus comentários sempre que posso, o acho extremamente culto, gostaria de saber que solução indicaria para solucionar esse caos social em que vivemos neste país? Como explicaria tantas mazelas?

Ricardo Froes disse...

Eu me empolguei nos flatos e esqueci das eructações. Mas é quase a mesma coisa só que um saiu pela portaria social e o outro pela de serviço.

danielviannagurjao disse...

Uma verdade inconveniente é o que vemos no documentário Mine Your Own Business. Convido todos à comunidade que eu criei para este filme: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=28560855
Site: www.mineyourownbusiness.org
Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=wth_p4p0rfY

Ricardo Froes disse...

Zepa:

Nada melhor que um flato de un tiranossaurus rex, bem no meio do plenário do Congresso.

C. Mouro disse...

Não esquecer que a bandidagem também está nessa: são os maiores defensores dos direitos humanos dos presos.

É uma aberração que bandidos que matam, roubam, sequestram e etc., apareçam nas Tvs e jornais reclamando "maus tratos" por parte da polícia. É absurdo que familiares de bandidos reclamem dos maus tratos que estes sofrem e clamem por justiça contra os policiais "violentos" ...pois que tais familiares se confraternizam com os bandidos usufruindo do dinheiro que conseguem destruindo vidas inocentes.

...É absurdo ver parentes de bandidos reclamar de "maus tratos" contra os facínoras com quem se confraternizam...

Até o PCC conseguiu a façanha de escrever num pátio as palavras "PAZ, JUSTIÇA e LIBERDADE" e ao lado cabeças que deceparam de outros presos.

O CV também clama "paz, justiça e liberdade", apesar de roubarem, matarem, troturarem e etc..

Os próprios governaqntes e seus agregados falam de igualdade (igualdade material), e se aboletam nos palácios do governo cercados de todos os mimos.
Integrantes da ONU com seus salários milionários e suas mordomias e luxos de toda sorte, são grandes altruistas preocupados com as desigualdades mundiais.

Porra!
Como é possível que governos ricos (governantes com vida nababesca) clamem por ajuda dos países ricos para suas populações pobres? ...como conseguem reclamar da desigualdade quando ~se fazem desiguais pela força?

É de dar enjoo quando alguém diz\ que, por exemplo, em Cuba há igualdade... igualdade só entre os iguais, e nem tanta. Pois os líderes socialistas altruístas vivem como reis modernos, usufruindo de suas reais propriedades "do povo cubano".
...é uma aberração!

Abs
C. Mouro

Marcos disse...

Cosntantino

Esse texto todo ai pra fazer fofoca? Você é cientista por acaso?

Marcos disse...

PARA NÃO CONFUNDIR

Cheguei agora para ler artigo e comentários e me deparei com este último e, para minha surpresa, o sujeito subscreveu marcos.

Esclareço que trata-se de outra pessoa assinando marcos, não mudei de opinião de ontem para hoje: continuo acreditando que há quem more em castelo construído em nuvens e que, além disso, ainda conseguem abrigar convidados.

Marcos.

Ricardo Froes disse...

Marcos, quase sempre as verdades precisam ter nome e sobrenome, além de CPF e Título de Eleitor. Às mentiras, quase sempre convenientes, basta um otário para legitimá-las.

Marcos disse...

Ricardo,

e todo dia, pelo que tenho visto, há pelo menos um otário por aqui. A novidade é que normalmente anônimo, hoje ele se fez homônimo. Vá aturar.

Um abraço,
Marcos.

Ricardo Froes disse...

No meu tempo, saía pelo menos um de casa por dia, hoje, ficam todos na rede.

Rodrigo disse...

Alguem aqui é cientista?

Anjo Rael disse...

Alguém sabe se a indicação para o Nobel foi mantida?

Mario disse...

"(...) gente que diz que a burguesia fede enquanto vive como um perfeito burguês;"

Ora! Isto é apenas um testemunho com conhecimento de causa...

Sobre Al Gore: recentemente, numa entrevista a uma jornalista cubana declarou: "Tenho inveja de Cuba". Aliás, esta foi a manchete da matéria. Consegui ler umas 2 ou 3 de suas respostas... não agüentei... deu vontade de vomitar.

Mario disse...

O Reinaldo Azevedo, no seu blog, há algumas semanas atrás mostrou uma reportagem do início dos anos 70, que desenterrou nos arquivos do Estadão. A manvhete era algo como: "Estamos às vésperas de uma nova era glacial"... hehe... VIVA OS TERRORISTAS DO CLIMA!!!

embat disse...

"Nobody's Hero" (Rush)

I knew he was different in his sexuality
I went to his parties as a straight minority
It never seemed a threat to my masculinity
He only introduced me to a wider reality
As the years went by, we drifted apart
When I heard that he was gone
I felt a shadow cross my heart

But he's nobody's hero
Saves a drowning child
Cures a wasting disease
Hero...lands the crippled airplane
Solves great mysteries
Hero...not the handsome actor
Who plays a hero's role
Hero...not the glamour girl
Who'd love to sell her soul
If anybody's buying
Nobody's hero

I didn't know the girl, but I knew her family
All their lives were shattered in a nightmare of brutality
They try to carry on, try to bear the agony
Try to hold some faith in the goodness of humanity
As the years went by, we drifted apart
When I heard that she was gone
I felt a shadow cross my heart

But she's nobody's hero
Is the voice of reason against the howling mob
Hero...is the pride of purpose
In the unrewarding job
Hero...not the champion player
Who plays the perfect game
Hero...not the glamour boy
Who loves to sell his name
Everybody's buying
Nobody's hero

As the years went by, we drifted apart
When I heard that you were gone
I felt a shadow cross my heart

But he's nobody's hero
Saves a drowning child
Cures a wasting disease
Hero...lands the crippled airplane
Solves great mysteries
Hero...not the handsome actor
Who plays a hero's role
Hero...not the glamour girl
Who'd love to sell her soul
If anybody's buying
Nobody's hero

Hero

Anônimo disse...

Dado: o sujeito usa 20x mais energia que a família média. Mas uma família média certamente não tem uma mansão de 20 quartos -- que possivelmente tem 20(?)x mais espaço/luxo etc. que a residência de uma família média.

Pergunta: Alguém pode esclarecer se a comparação divulgada foi feita em termos relativos (ou seja, reduziram o consumo da mansão para equipará-la a uma casa média) ou se compararam uma melancia (mansão) com uma maçã (casa média)?

Talvez o cara não seja (tão) culpado por usar energia mas sim por ter uma casa grande e, assim, o debate mereceria outro enfoque, ligado ao direito das pessoas terem bens luxuosos e consumidores de mais energia (não só para manutenção mas tb para produção).

Ah propósito: quantos aqui andam de ônibus ou, pelo menos, não andam sozinhos em seus carros, para evitar consumo demasiado de energia?

Abraços a todos.

Ricardo Froes disse...

Quando a teimosia é maior que a inteligência, fica difícil argumentar, mas vou tentar. Al Gore poderia gastar um milhão de vezes o que gasta, desde que, para ser coerente com o que prega, suas fontes de energia fossem as chamadas "alternativas", devidamente instaladas em sua mansão e funcionando. Mas os ecopentelhos nunca primaram muito pela coerência e muito menos pela honestidade de propósitos, principalmente no caso de Gore, cujas intenções são óbvias, passando longe de querer ser apenas um "defensor da terra".

Ricardo Froes disse...

Aproveitando a metáfora, se você comer uma melancia sozinho, além de ter uma puta indigestão, pode deixar outras 19 pessoas (um comeu maçã) com fome.

Marcelo disse...

Criticar é fácil né... Distorcer a mensagem com análises secundárias também é.

Por isso, dou uma sugestão: se acham que o Al Gore é fonte de dados questionável, busquem outras fontes.

Não importa se o que foi passado foi dito pelo Al Gore, pelo Papa, ou qualquer outra figura pública. Atentem para a mensagem que está sendo divulgada.

Um abs a todos.