sexta-feira, julho 11, 2008

As Algemas e os Ricos



Rodrigo Constantino

“Não roube! O governo detesta competição.” (Autor desconhecido)

O Ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou que “se fizerem uma lei que determine que pobres sejam presos com algemas e ricos não”, a polícia seguirá esta regra. Os comentários do ministro deixaram ainda mais evidente que a prisão do banqueiro Daniel Dantas, filmada pela maior rede de televisão do país, que chegou junto com a Polícia Federal para presenciar o ato, tinha como um dos objetivos passar a imagem de que este governo também prende ricos empresários. O governo do PT tenta explorar um ranço marxista infelizmente ainda dominante no povo, que inveja os mais ricos e os enxerga como exploradores dos pobres.

Está sendo ignorado o verdadeiro propósito do uso de algemas durante prisões, que depende basicamente da periculosidade do alvo, do risco que este representa para a segurança iminente das pessoas. Ricos já são presos com o uso de algemas, quando necessário. Ou o ministro esquece que Fernandinho Beira-Mar é podre de rico? O parceiro das FARC, grupo terrorista que o ministro tem afinidades ideológicas, é um traficante milionário. E foi preso com o uso de algemas. Mas nesse caso fazia todo sentido lógico, pela ameaça que o bandido representa. Em contrapartida, não é todo pobre que deve ser preso com algemas. O uso das algemas, para resumir, não deve ter ligação alguma com a conta bancária do alvo, e sim com o risco que este representa para os cidadãos e policiais.

Quando um empresário acusado de corrupção possui residência fixa, um negócio de bilhões estabelecido no país e com endereço certo, e ainda responde a vários processos em andamento, não há necessidade de colocar algemas nele durante a prisão. Basta convidá-lo a acompanhar os policiais até a delegacia, que ele com certeza o fará, sem o risco de sacar uma arma e alvejar os policiais numa tentativa de fuga. Logo, fica claro que o uso das algemas, devidamente fotografadas pela mídia que fora avisada da operação com antecedência, tinha o intuito apenas de mexer com as emoções dos invejosos, que desejam ver empresários ricos na cadeia, independente da culpa ou não. O julgamento já foi feito antes, pela ideologia marxista.

Resta perguntar ao ministro Tarso Genro se todos os petistas envolvidos em escândalos infindáveis, seus companheiros de partido, serão presos também, em primeiro lugar, e se a mídia estará lá na hora, para filmar todos saindo com algemas nos punhos. Por onde andam Waldomiro Diniz, Delúbio Soares, José Dirceu, Marcos Valério, Duda Mendonça, José Genuíno, o assessor de seu irmão (o homem da cueca com dólares) e tantos outros “camaradas” envolvidos em vários crimes, inclusive formação de quadrilha? Nessa lista, temos inclusive um réu confesso de um dos crimes pelos quais Daniel Dantas foi parar na cadeia. Mas talvez por ser o “marqueteiro” do presidente Lula, ele não tenha sido preso com algemas filmadas pela televisão, ou nem sequer preso! Aliás, há algum petista preso? Algum envolvido no “mensalão” foi parar no xilindró?

Em vez de vibrar com a prisão espetacular de empresários ricos, o povo deveria pressionar pela prisão dos criminosos de forma geral, ricos ou pobres, e principalmente dos grandes corruptos do meio político. Estes estão todos soltos, rindo da cara dos otários pagadores de impostos. O uso de dois pesos e duas medidas acende um alerta grave de uso político da polícia, e qualquer um que preza pela liberdade deve condenar isso. Não custa lembrar que a polícia e o governo fizeram de tudo para ocultar da mídia a foto com a montanha de dinheiro apreendida com os “aloprados” petistas, para a compra de dossiê contra os tucanos. Já a foto do dinheiro usado como propina a mando de Daniel Dantas foi logo parar nas primeiras páginas dos jornais. É no próprio governo que estão os maiores criminosos do país, e todos desfrutam de privilégios e gozam de total impunidade.

Marx falava de uma luta de classes entre capital e trabalho. A verdadeira luta de classes atual ocorre entre pagadores e consumidores de impostos. É espantoso ver que o foco do povo se volta todo contra os empresários corruptores, ignorando que a principal causa de corrupção está no excessivo poder do governo na economia. Enquanto um carimbo do governo decidir o rumo de um setor inteiro, enquanto uma assinatura do presidente selar o destino das empresas, claro que os empresários vão criar grupos de interesse para comprar, através de “lobistas”, os políticos poderosos. Basta lembrar do setor de telecomunicações, onde a assinatura do presidente Lula alterou a lei e permitiu a compra da Brasil Telecom pela Telemar, depois que o filho de Lula vendeu seu “negócio” para a empresa e ficou milionário da noite para o dia. Devemos ter em mente que, para sobreviver até, muitos empresários precisam pagar por fora fiscais corruptos. Se todos seguissem todas as leis excessivas e absurdas desse manicômio legal chamado Brasil, o país já estava quebrado faz tempo!

Todos que já deram algum suborno para policiais que tentavam achacar com base em alguma lei estúpida, como esta nova que impede o motorista de tomar uma única taça de vinho, sabem do que estou falando. Todos que já trouxeram alguns produtos do exterior sem declarar, porque o governo resolve impedir a livre importação cobrando impostos extorsivos, sabem do que estou falando. Todos que já trabalharam ou contrataram trabalhadores sem assinar carteira, pois os encargos são proibitivos, sabem do que estou falando. Todos que já compraram algo em um camelô ou de um sacoleiro, sabem do que estou falando. Todos que já mandaram dinheiro para o exterior para fugir de confiscos criminosos feitos pelo próprio governo, sabem do que estou falando. Enfim, os exemplos são infindáveis, pois quando as leis são absurdas, a única solução muitas vezes é cair na “informalidade”, eufemismo para ilegalidade. Devemos boa parte de nossa riqueza a este ar rarefeito que somos muitas vezes forçados a respirar pela burocracia asfixiante.

O “pai fundador” dos Estados Unidos, autor da famosa Declaração de Independência, Thomas Jefferson, chegou a afirmar: “Se uma lei é injusta, um homem está não apenas certo em desobedecê-la, ele é obrigado a fazê-lo”. Claro que o império da lei deveria ser o foco de todo liberal. Mas não qualquer lei, e sim as leis básicas, isonômicas, que buscam justamente preservar as liberdades individuais. Os “crimes” citados acima não possuem vítimas. São indivíduos fugindo do crime legal praticado pelo próprio governo. Isso é ilegal, mas muitas vezes legítimo. Ou alguém acha que um guarda nazista estaria agindo de forma correta e legítima ao obedecer as leis que mandavam exterminar judeus?

Vamos lutar pelo fim da impunidade no país, mas também pela drástica redução de leis e do poder arbitrário do governo, o maior criminoso de todos. A legalidade não torna o roubo estatal legítimo. E o uso político da polícia representa uma das maiores ameaças à liberdade. A declaração de um Ministro da Justiça instigando o ódio entre ricos e pobres, com o uso simbólico e desnecessário das algemas, acende uma luz amarela. Eu ficaria um pouco mais tranqüilo se essas mesmas algemas tivessem sido usadas em todos os petistas acusados de vários crimes ou pegos em flagrante, e filmadas pela mídia. Como nada disso chegou perto de ocorrer, mesmo com confissões e provas concretas, tenho calafrios quando a reação do povo é aplaudir o uso de algemas na prisão de “ricos”, porque são ricos!

41 comentários:

Rodrigo Constantino disse...

Não vou tolerar marxistas poluindo meu blog sem argumentos.

Rodrigo

Anônimo disse...

Temporada de caça aos empresários!

Lol, PWN3D!!!11!

Anônimo disse...

Aqui em POA, capital do RS, a Brigada Militar reprimiu com truculência (bombas de gás lacrimogênio, com tiros), professores que protestavam pacificamente contra a corrupção e a alta dos alimentos, portanto, não representavam nenhuma ameaça à segurança dos cidadãos. Aquela doméstica que roubou um pote de Manteiga também, aparantemente, apenas roubou um pote de manteiga, não representa nenhuma ameaça aos cidadãos, mas foi presa algemada. Porque o Rodrigo não diz que foi humilhante?

Rodrigo, crie vergonha nesta tua cara e pare de defender burgueses ladrões! O Brasil já é uma impunidade aos ricos e você ainda fica defendendo? Só os pobres tem que ser detidos em condições humilhantes? Porque? O crime deles é ser pobre?

Anônimo disse...

“Se uma lei é injusta, um homem está não apenas certo em desobedecê-la, ele é obrigado a fazê-lo”. Pros ricos isto vale, pros pobres não. Ou seja, os sem-terras que lutam pelo seu direito à vida, à plantação, e ocupam um latifúndio improdutivo, aí todo o império da Lei contra eles (sendo que para os sem-terra, a Lei é injusta). Não importa que a terra onde ocuparam seja deles mesmos (como o MP-RS fez em Coqueiros do Sul, onde a polícia foi lá e destriu plantações, criação de gado, até o posto de saúde e a escola construídos pelos sem-terras foram destruídos, cuja área havia sido cedida pelos fazendeiros às famílias sem-terra).

Rodrigo Constantino disse...

Anônimo imbecil, o MST é INVASOR DE PROPRIEDADE, comete crimes com vítimas, algo BEM diferente de vc proteger a SUA propriedade contra um governo que confisca, toma na marra, rouba!

Acorda!

Anônimo disse...

Aqui no RS, o líder Guaraní também foi arrastado com algemas para uma viatura da Polícia, numa ação de despejo pela Brigada Militar de um acampamento situado à beira da Estrada do Conde, município de Eldorado do Sul, próximo à capital de Porto Alegre. O acampamento Guarani estava FORA da área indicada no mandado, ou seja, FORA da propriedade da FEPAGRO, o que claramente INVALIDA a própria ação judicial. E aí, Rodrigo?

Aqui está o video da ação de despejo:

http://wethetv.org/node/8

Anônimo disse...

O MST é invasor de propriedade? E quando a propriedade é adquirida ilegalmente, seja grilada (como no Pontal do Paranapanema). Vai defender também os interesses de grileiros e assassinos?

Os latifundiários também fazem vítimas, vide Chico Mendes, irmã Dorothy, irmã Adellaide e tantos outros. A Syngenta também fez vítima no Estado de Paraná, usando seguranças privados (e por incrível que pareça, mas quem será condenado será a Via Campesina, o MST e o IBAMA que multou a empresa).

AJ disse...

Isso aí. No Brasil a lei na é para todos, infelizmente. Não consigo entender porque não foi liberada a prisão (com algemas?) do petista Greenhalgh.

André Barros Leal disse...

Anonimo, independente da FORMA que foi adquirida, a terra possui um proprietário legal. A Lei nao pode fazer distinçoes em relação a forma que uma determinada propriedade foi adquirida, ficando este serviço a cargo do Ministério Público, que por sua vez deve investigar e punir aqueles que praticam ou praticaram atos ilegais.

De forma alguma está dado direito algum a grupos independentes invadirem propriedades, seja qual for a justificativa. Não estou defendendo nenhum assassinato aqui, mas aplaudo qualquer tentativa de defesa da propriedade contra invasores, quando o poder publico se cala em defesa do real violado: o proprietário legal da terra.

Gostaria de aproveitar e comentar a respeito de algumas "justificativas" usadas por estes "movimentos sociais":

- Propriedade adquirida ilegalmente: já comentei nos paragrafos anteriores, mas repito: iso é dever do MP, e não de "Movimentos Sociais".

- Latifúndio improdutivo: a Lei garante ao proprietário o uso da terra para atividades legais. O não uso da terra é problema do proprietário. O "Dever Social" da propriedade é ter os seus tributos pagos. Se os mesmos estão em dia e o proprietário deseja deixar a terra parada, iso é problema dele e de mais ninguem.

- Direito à terra: Esse é o mais absurdo de todos. Não existe tal direito. O únio direito que existe é o DA propriedade, ou seja, o direito de POSSUIR algo que tenha sido adquirido com seus próprios meios. Ninguem nasce com direito a um pedaço de terra.

- Direito à plantação: Igual ao acima, o indivíduo possui o direito de plantar o que bem entender, desde que a cultura seja LEGAL (maconha e opio estão excluidos), desde que seja em uma localização de SUA PROPRIEDADE ou em comum acerto com o proprietário.

Anônimo disse...

Os brasileiros estão anestesiados e apáticos! É inadmissível uma situação como essa ocorrer de forma tão descarada. A PF age de forma circence para iludir a massa de invejosos que não crescem na vida e ficam torcendo pelo fracasso dos outros. É vergonhosa e revoltante a atitude da PF. Tão grave também é a reação da população. Porque a PF não invade uma favela e algema um traficante de pijama e sua quadrilha, com a cobertura da imprenssa?

Augusto Araújo disse...

O MST é uma máquina de mentiras maior do q a dos petistas e de Goebels

insitem no tal latifúndio improdutivo quando este há muito nao existe

aliás, só um debilóide urbano ou algum empregado do MST q deve escrever estas merdas q o anonimo postou

nao há mais sem-terra idiota, há uma massa de manobra de pequenos oportunistas e subempregados conduzidos por picaretas q já sugaram bilhoes de reais via INCRA

se informe direito, as áreas de assentamento já ultrapassaram a área do estado de Sao Paulo

bom este post nao eh o adequado pra se discutir isso, se postar novamente te mando links pra vc se informar melhor

Anônimo disse...

O grileiro � um propriet�rio legal? kkkkk Nesta voc� se superou!

O Minist�rio P�blico n�o serve para nada quando se trata dos bandidos de colarinho branco. A prop�sito, o Dantas j� est� em liberdade. Comece a fazer uma festa, Rodrigo! Vai l� pula, festeja, comemora a impunidade aos ricos.

Qual a sua justificativa pra fazendeiros que invadem terras de aldeias ind�genas, quilombolas, posseiros e matam as comunidades? Qual a justificativa de assassinar indefesos como a irm� Dorothy, a irm� Adelaide, Padre Josimo e tantos outros? Voc�s conservadores querem o 'imp�rio da lei' para os pobres que lutam por seus direitos, mas os ricos corruptos s�o intoc�veis!

Agora, quanto ao latif�ndio improdutivo, esta foi de dar risada. A Constitui�o garante que a terra que n�o cumpre fun�o social deve ser desapropriada, e isto inclui produtividade. Se � por impostos, pior ainda, pois a maioria dos latifundi�rios s�o sonegadores. Se � assim, ent�o quase todos devem ser desapropriados.

Quanto ao Direito � Terra, acho que est� cada vez mais do que comprovada a tese marxista segundo � qual, a propriedade privada est� abolida para 9/10 da humanidade, e o caso da Terra mostra bem isso. Enquanto muitos possuem terra do tamanho de pa�ses como o B�lgica, cada vez mais, pequenos agricultores s�o expulsos.

E se o cara adquiriu terra usurpando outros, como foi o caso da Aracruz? E se o cara � grileiro de terra como o Falb Farias, maior latifundi�rio do mundo?

Anônimo disse...

"insitem no tal latifúndio improdutivo quando este há muito nao existe" - KKKKK Esta é a maior pérola que já lí na minha vida. Então não existe latifúndio improdutivo no país? Caro cego, dê uma olhadinha na foto desta fazenda ocupada pelo MST, em Barbosa Ferraz, no Paraná.

http://www.tribunadointerior.com.br/index.php?pag=noticias&id_noticia=20663&conjunto=&id_caderno=27&id_usuario=¬icias=

Parece ser uma fazenda produtiva?

Anônimo disse...

Desculpe eu erei o link. Mas a Fazenda Southal, nesta foto (http://brasil.indymedia.org/images/2008/05/419360.jpg) parece ser produtiva?


A Fazenda Toca da Raposa

http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://stream.agenciabrasil.gov.br/media/imagens/2007/01/30/1242EF0225.image_media_horizontal.jpg&imgrefurl=http://www.agenciabrasil.gov.br/media/imagens/2007/01/30/1242EF0225.jpg/view&h=357&w=566&sz=43&hl=pt-BR&start=1&um=1&tbnid=V7J6NxQJnRmllM:&tbnh=85&tbnw=134&prev=/images%3Fq%3DFazenda%2BToca%2Bda%2BRaposa%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN

parece ser uma fazenda produtiva?

Anônimo disse...

Caros senhores:

Acho engraçado esse tipo de comentários favoráveis ao MST.

Eu, da minha parte, sempre trabalhei e estudei para me dar bem na vida e pasmem, me dei bem na vida conforme meus próprios valores.

Quando procuro comparar meus valores com o das demais pessoas percebo que não há consenso nos mesmos pois parece-me que no Brasil é proibido ser-se feliz.

Eu, da minha parte, valorizo bastante as minhas escolhas na vida tais como o fato de eu não ter precisado roubar pois me adaptei bem à uma rotina profissional, consegui melhorar minha condição profissional através do estudo e sinto-me bem com minha vida, encontrando sempre motivos no dia seguinte para continuar em minha jornada da maneira que escolhi como correta.

Da parte das outras pessoas, ouço muito que sou ingênuo e alienado mesmo ganhando mais e sabendo muito mais coisas do que elas.

Certo dia um amigo de infância me disse que eu não posso me conformar com a vida porque senão eu não sentirei mais vontade de melhorar.

Eu retruquei que, apesar dos meus 44 anos de idade, estou trabalhando e estudando numa faculdade, coisa que muito jovens não fazem.

Disse-lhe ainda que chega uma hora em que a gente cansa de querer melhorar de vida e aí que começa a realmente fazer algo.

Há uma crença vigente de que querer é poder. Você pode ficar a eternidade querendo algo e nunca sair do lugar na espera de que o Universo conspire a seu favor.

Quando eu cansei de querer melhorar comecei a estudar só para ter um pouco de vida social em algum meio saudável e não é que estou me saindo super-bem sem aquela pressão de melhorar de vida?

O que posso dizer para a militância do MST? Oras, é simples:- Vão encher laje seus vagabundos e parem de incomodar quem está indo para a frente! Se tá faltando dinheiro para a pinguinha vão pedir esmolas ou roubar mas não fiquem se fazendo de coitados que isso não é legal!

Abraços.

João da Rocha Labrego

Anônimo disse...

FOLHA DE SÃO PAULO
São Paulo, quarta-feira, 08 de maio de 2002
TENDÊNCIAS/DEBATES

SUBSTITUIÇÃO NO STF

Degradação do Judiciário


DALMO DE ABREU DALLARI

Nenhum Estado moderno pode ser considerado democrático e civilizado se não tiver um Poder Judiciário independente e imparcial, que tome por parâmetro máximo a Constituição e que tenha condições efetivas para impedir arbitrariedades e corrupção, assegurando, desse modo, os direitos consagrados nos dispositivos constitucionais.

Sem o respeito aos direitos e aos órgãos e instituições encarregados de protegê-los, o que resta é a lei do mais forte, do mais atrevido, do mais astucioso, do mais oportunista, do mais demagogo, do mais distanciado da ética.

Essas considerações, que apenas reproduzem e sintetizam o que tem sido afirmado e reafirmado por todos os teóricos do Estado democrático de Direito, são necessárias e oportunas em face da notícia de que o presidente da República, com afoiteza e imprudência muito estranhas, encaminhou ao Senado uma indicação para membro do Supremo Tribunal Federal, que pode ser considerada verdadeira declaração de guerra do Poder Executivo federal ao Poder Judiciário, ao Ministério Público, à Ordem dos Advogados do Brasil e a toda a comunidade jurídica.

Se essa indicação vier a ser aprovada pelo Senado, não há exagero em afirmar que estarão correndo sério risco a proteção dos direitos no Brasil, o combate à corrupção e a própria normalidade constitucional. Por isso é necessário chamar a atenção para alguns fatos graves, a fim de que o povo e a imprensa fiquem vigilantes e exijam das autoridades o cumprimento rigoroso e honesto de suas atribuições constitucionais, com a firmeza e transparência indispensáveis num sistema democrático.

Segundo vem sendo divulgado por vários órgãos da imprensa, estaria sendo montada uma grande operação para anular o Supremo Tribunal Federal, tornando-o completamente submisso ao atual chefe do Executivo, mesmo depois do término de seu mandato. Um sinal dessa investida seria a indicação, agora concretizada, do atual advogado-geral da União, Gilmar Mendes, alto funcionário subordinado ao presidente da República, para a próxima vaga na Suprema Corte. Além da estranha afoiteza do presidente -pois a indicação foi noticiada antes que se formalizasse a abertura da vaga-, o nome indicado está longe de preencher os requisitos necessários para que alguém seja membro da mais alta corte do país.

É oportuno lembrar que o STF dá a última palavra sobre a constitucionalidade das leis e dos atos das autoridades públicas e terá papel fundamental na promoção da responsabilidade do presidente da República pela prática de ilegalidades e corrupção.

A comunidade jurídica sabe quem é o indicado e não pode assistir calada e submissa à consumação dessa escolha inadequada

É importante assinalar que aquele alto funcionário do Executivo especializou-se em "inventar" soluções jurídicas no interesse do governo. Ele foi assessor muito próximo do ex-presidente Collor, que nunca se notabilizou pelo respeito ao direito. Já no governo Fernando Henrique, o mesmo dr. Gilmar Mendes, que pertence ao Ministério Público da União, aparece assessorando o ministro da Justiça Nelson Jobim, na tentativa de anular a demarcação de áreas indígenas. Alegando inconstitucionalidade, duas vezes negada pelo STF, "inventaram" uma tese jurídica, que serviu de base para um decreto do presidente Fernando Henrique revogando o decreto em que se baseavam as demarcações. Mais recentemente, o advogado-geral da União, derrotado no Judiciário em outro caso, recomendou aos órgãos da administração que não cumprissem decisões judiciais.

Medidas desse tipo, propostas e adotadas por sugestão do advogado-geral da União, muitas vezes eram claramente inconstitucionais e deram fundamento para a concessão de liminares e decisões de juízes e tribunais, contra atos de autoridades federais.

Indignado com essas derrotas judiciais, o dr. Gilmar Mendes fez inúmeros pronunciamentos pela imprensa, agredindo grosseiramente juízes e tribunais, o que culminou com sua afirmação textual de que o sistema judiciário brasileiro é um "manicômio judiciário".

Obviamente isso ofendeu gravemente a todos os juízes brasileiros ciosos de sua dignidade, o que ficou claramente expresso em artigo publicado no "Informe", veículo de divulgação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (edição 107, dezembro de 2001). Num texto sereno e objetivo, significativamente intitulado "Manicômio Judiciário" e assinado pelo presidente daquele tribunal, observa-se que "não são decisões injustas que causam a irritação, a iracúndia, a irritabilidade do advogado-geral da União, mas as decisões contrárias às medidas do Poder Executivo".

E não faltaram injúrias aos advogados, pois, na opinião do dr. Gilmar Mendes, toda liminar concedida contra ato do governo federal é produto de conluio corrupto entre advogados e juízes, sócios na "indústria de liminares".

A par desse desrespeito pelas instituições jurídicas, existe mais um problema ético. Revelou a revista "Época" (22/4/ 02, pág. 40) que a chefia da Advocacia Geral da União, isso é, o dr. Gilmar Mendes, pagou R$ 32.400 ao Instituto Brasiliense de Direito Público -do qual o mesmo dr. Gilmar Mendes é um dos proprietários- para que seus subordinados lá fizessem cursos. Isso é contrário à ética e à probidade administrativa, estando muito longe de se enquadrar na "reputação ilibada", exigida pelo artigo 101 da Constituição, para que alguém integre o Supremo.
A comunidade jurídica sabe quem é o indicado e não pode assistir calada e submissa à consumação dessa escolha notoriamente inadequada, contribuindo, com sua omissão, para que a arguição pública do candidato pelo Senado, prevista no artigo 52 da Constituição, seja apenas uma simulação ou "ação entre amigos". É assim que se degradam as instituições e se corrompem os fundamentos da ordem constitucional democrática.

Dalmo de Abreu Dallari, 70, advogado, é professor da Faculdade de Direito da USP. Foi secretário de Negócios do município de São Paulo (administração Luiza Erundina).

Augusto Araújo disse...

Caro anonimo idiota q nao sai da cidade e acredita nas baboseiras dos porfessores doutrinadores

por aquelas duas fotos vc já descreveu como improdutivas as fazendas?

entao todas as fazendas da Argentina sao improdutivas e mesmo assim eles sao conhecidos internacionalmente pela qualidade da carne

idiota, numa foto havia uma pastagem, parecia muito com pampa argentino ou gaúcho, mas nao nego q possa ser uma pastagem degradada, mas isso é motivo pra invadir a propriedade?

entao se um cara tem um pequeno comércio ou empresa q nao está bem organizado, vende pouco ou produz pouco é motivo pra ir lá e desapropriá-lo?

vc tem um carro e se deixa na garagem durante a semana entao alguns "motoristas sem-carro" podem ir lá desapropriar o seu carro

ateh os esquerdinhas concordam q o problema nao é produçao de alimentos, mas dinheiro para pagar. Ora entao q arrumem emprego e trabalhem kct

quer saber? eu podia te mandar os links e vou , mas antes vou mandar vc tomar no cú, vai tomar no cú seu playboizinho urbano vagabundo q fica se enganando com bostas iguais MST

ah, e a segunda pastagem era um pasto vedado, vc acha q boi come o q? Merda igual vc, boi come pasto idiota, pasto, aquilo q estava na foto viu, e veja se vira homem e se identifique quando for postar suas sandices

http://www.diegocasagrande.com.br/index.php?flavor=lerArtigo&id=683

Anônimo disse...

Você está vendo coisas? Cadê os bois, as vacas, as ovelhas... nesta foto (http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://stream.agenciabrasil.gov.br/media/imagens/2007/01/30/1242EF0225.image_media_horizontal.jpg&imgrefurl=http://www.agenciabrasil.gov.br/media/imagens/2007/01/30/1242EF0225.jpg/view&h=357&w=566&sz=43&hl=pt
)? Já que a foto é tirada no momento em que os sem-terra estão ocupando a fazenda, era para aparecer pelo menos eles depredando, você não acha?

E no da fazenda Southal, olhe observe melhor a imagem. Cadê os bois e as vacas?

Augusto Araújo disse...

Anonimo:

Primeiro: vc nao foi homem (ou mulher) de se identificar

Segundo: se eu quiser ir em qualquer fazenda produtiva eu posso tirar uma foto num angulo q nao vai aparecer nada,fazendo-a parecer improdutiva, basta escolher o angulo apropriado

Terceiro: quem tem q falar se improdutiva ou nao sao orgaos competentes, é o INCRA q faz isso mal e porcamente. Os produtores já pediram q as Embrapas tomassem frente disso, mas burocracia é burocracia

Quarto: nao é por q alguma fazenda apresente baixos indices de produtividade q ela pode ser invadida, há um percalço legal nisso

Quinto: qual a vantagem em se ter uma propriedade improdutiva? será q o dono nao gosta de dinheiro?

O proprio presidente do Incra admitiu q nao há mais os tais latifundios improdutivos no Centro-sul do Brasil

Sexto: vc está atrasado. O MST já declarou guerra ao agronegócio pois sabe q nao há mais propriedade improdutivas

Sétimo: vc nao percebe q este movimento esta tomado de oportunistas e picartetas de toda espécie

Oitavo: se informe melhor e vá encher o saco em outro blog

Anônimo disse...

Ah bom! Então a mídia esquerdista que tanto se simpatiza com o MST, vai lá e tira foto em um ângulo de certo modo para vender a idéia de que a propriedade é improdutiva? Esta foi boa! rsrs Você acredita nisto que você escreveu?

Falta de informação pouca é bobagem! Até uma matéria da revista norte-americana, "The New York Times" disse que aqui no Brasil existem terras ociosas.

O MST declarou guerra ao agronegócio porque este, ao invés de incentivar a reforma agrária (que é reivindicação do movimento), caminha no sentido oposto: de agravar o problema da concentração de terras.

É claro que os fazendeiros querem dinheiro. Porque você acha que eles preferem plantar cana para a produção de etanol do que arroz? Porque são idiotas? rsrs

Anônimo disse...

Esta fazenda da AmBev ocupada pelo MST parece ser produtiva?

http://www.94fm.com.br/files/images/sem-terra.jpg

Augusto Araújo disse...

ai ai, viu duas fotos e declarou improdutiva

os piores indices de produtividade do campo sao dos assentamentos, mas vai falar pra esse animal

e se depender dos EUA aqui a reforma agraria vai comer solta mesmo, afinal de contas o Brasil se tornou um dos maiores competidores no mercado de alimentos, isso nao eh bom pro lobby dos produtores gringos, eles querem é cada um com sua enxadinha de subsistencia deixando a agricultura de escala pra eles

o Brasil vem dando show no campo, garantimos comida barata há um bom tempo pra populaçao e isto q recebemos em troca, MST MST,

eles pegam as terras e vendem em seguida; fazenda superfaturadas sao compradas com a grana dos impostos q trouxas como esse pagam e ainda vem roncar papo de bem-feitor social por aqui, é um mané, zé ruela, nunca viu uma vaca de perto e fica defendendo a canalha emessetista

essa semana invadiram uma fazenda em Jardim -MS q tem integraçao lavoura-pecuaria, virou uma palhçada

leia esses artigos

http://www.xicograziano.com.br/novo/artigos_detalhe.asp?IdArtigos=82

http://www.xicograziano.com.br/novo/materia_detalhe.asp?IdConteudo=5

Augusto Araújo disse...

e terra ociosa é a sua cabeça;

sabe como se faz semiconfinamento? é com pasto vedado, vc reserva a pastagem pra crescer durante um tempo e em seguida colocar os animais

é o seguinte: vc nao entende porra nenhuma do campo, entao cale a sua boca imunda

eu conheço 3 assentamentos, vi a fazenda Itamaraty antes e depois de ir pra reforma agraria

por favor cale sua boca, se quiser vir falar comigo se identifique primeiro, me diga sua experiencia q nao essas merdas de fotinhas de internet e um diz q diz q americano

aliás como vc acha q os gringos tratariam o MST por lá? debaixo de porrada e muita porrada, os EUA nao se tornaram a maior naçao do mundo caindo na lábia de picaretas q dao uma de coitadinho pra em seguida assaltar os cofres publicos

FIXtheMAD disse...

Os senhores que defendem o MST são a favor de uma reforma agrária que pegue terras ditas: “da união”, as divida e então dê, de forma irreversível e inequívoca para os trabalhadores pobres sem terra a propriedade sobre essas terras, sem maiores restrições quanto ao o que fará o trabalhador com essa terra? Ele poderá trabalhar nela, ou vendê-la. Ele será dono dessa terra e fará o que bem entender com ela. São a favor disso?

Os senhores são a favor de algo semelhante para os índios? Uma solução final que dê as reservas indígenas para os índios, transforme essas imensas extensões de terra de um passivo púbico em um ativo privado favorecendo os índios? Esses poderão fazer o que bem entenderem com essas terras, poderão vendê-las, explorá-las com agricultura de alta produtividade, arrendá-las. Enfim, um sistema que transforma o que é hoje uma reserva, em algo que é de fato: Propriedade privada do índio. São a favor disso?

Além de divulgarem uma enormidade de mentiras envoltas em ideologias emboloradas como o marxismo, os apologistas do MST nunca de fato buscam soluções que tenham pelo menos uma tênue ligação com a realidade. Claro que seus motivos são conhecidos, afinal é gente que busca uma posição na afluente “intelligentsia” esquerdista, e há um enorme ganho pessoal em se tornar um papagaio socialistóide. Cremos, já que são ciceronianos pela esquerda chique das universidades públicas, que terão algum rigor discursivo. Que se prestem não apenas a denunciar os métodos das classes burguesas em explorar os proletários rurais, mas que também se prestem a oferecer a solução de forma completa. Não é o que ocorre. Assim como Marx, os neo-socialistas sabem que uma vez que suas soluções sejam expostas à luz do rigor analítico das ciências sociais, como a economia. Não conseguirão demonstrar que afinal, a luta de classes no campo, transubstanciada no MST esta surtindo resultados mais positivos do que teríamos sem eles.

Os números de 2007 no contam que 9% do total de terras está na mão dos pequenos, médios e grandes proprietários rurais com culturas temporárias, permanentes e florestais. São desses 9% que saem a esmagadora maioria do output agrário brasileiro, considerado por todos os padrões mundiais, soberbo em termos de produtividade. Os assentamentos rurais ocupam também outros 9% do total de terras. Já que o “problema” é falta de produtividade. Espera-se que esses 9 % produzam um output, ou pelo menos que demonstrem potencial de produtividade, passado o período de amadurecimento dos processos produtivos que seja no mínimo similar ou output que os 9 % na mão dos produtores rurais privados não assentados exibem.

Em suma, se o problema é a produtividade: Após o processo de reforma, promovido pelo MST, espera-se que a produtividade aumente.

O MST não existe para resolver um problema. Diferente de uma empresa privada, ou uma fazenda privada, que dependem exclusivamente de fornecer soluções para problemas que existem no mercado. Essas organizações políticas não dependem da resolução do problema, o MST, ou contrário, depende de que as pessoas aceitem as premissas que seus ideólogos militantes anunciam. O MST depende na verdade, da “manufatura do consenso” pra usar um termo querido pela esquerda. Uma verdadeira situação de tirania Orwelliana, muito parecida com burocracias governamentais e partidos políticos populistas.

Poderia existir uma reforma agrária inteligente, usando terras do governo, da união (de ninguém) pra mitigarmos a questão da pobreza de indivíduos que vivem na zona rural. Não seria algo fundamentalmente errado, nem mesmo para o mais radical dos liberais. Só que o MST detêm o monopólio político da questão. E espalha só mais problemas, não só não oferecem soluções inteligentes para a questão da pobreza dos indivíduos que moram no campo, como ainda ameaçam as soluções de mercado. Afinal o MST é um organismo antimercado, e por isso mesmo este fadado ao fracasso.

Anônimo disse...

Quanta falta de informação! Deixe-lhes eu lhes mostrar um exemplo de caso de reforma agrária bem-sucedida.
Sexta-feira, o MST-PR comemorou os 15 anos da Copavi (Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória Ltda) no assentamento no assentamento Santa Maria, município de Paranacity, em noroeste do Paraná. A Copavi foi fundada em 10 de julho de 1993, e conta com uma área de 106 alqueires, que fica à cerca de 1 km da cidade, onde o trabalho é feito de forma coletiva. Tudo funciona através da divisão de tarefas e está organizado por setores de produção. As decisões mais importantes são tomadas com a participação de todos, em Assembléia. Na Cooperativa são produzidos mensalmente 24 mil litros de leite pasteurizado e comercializado em saquinhos. Uma parte é transformada em doce de leite, queijos e iogurte; são produzidos cerca de 2.000 kg de melado ao mês, 25 mil kg de açúcar mascavo, além de uma produção anual de 13 Mil litros de cachaça artesanal da marca “Libertação” e “Camponeses”. Em uma área de aproximadamente 1,5 alqueires são cultivados, mensalmente, cerca de 8,6 mil kg de diversas hortaliças e legumes agroecológicos. A receita bruta da Copavi gira em torno de R$ 715 mil a.a. A venda dos produtos é realizada diretamente ao consumidor e em feiras, nos municípios mais próximos. Alguns alimentos são comercializados em redes de supermercados da região. A produção não é voltada apenas para o abastecimento do mercado local e regional, mas também para o auto-consumo dos trabalhadores rurais, são produzidos por mês cerca de 200 quilos de frango, 350 quilos de suínos e, por ano, 30 toneladas de mandioca comestível. A cachaça artesanal, além de ser vendida em vários locais do Brasil, é exportada para a França e Espanha, representando 5% da receita da cooperativa.
Se quiser, eu lhe cito outros exemplos. Aqui no RS, tem a fazenda Anonni, um assentamento no município de Vacarias...

Quanto às terras indígenas, as terras devem ser dadas a quem lhes pertence. Se grileiros expulsaram os indígenas de suas, então suas propriedades por si só são ilegais. No caso da Raposa do Sol, em Roraima, por exemplo, eu lí no Estadao que os fazendeiros sequer possuem títulos de propriedade - portanto, não tem direito à indenização por elas, só à benfeitorias. O professor Stephen Grant Baines, do Departamento de Antropologia (DAN) da Universidade de Brasília (UnB), que visita Roraima desde 1976, portanto, conhece de perto os problemas do norte do estado. De acordo com o professor, a região sempre foi ocupada por índios, os arrozeiros chegaram posteriormente, Paulo César Quartiero, que lidera o grupo de seis grandes arrozeiros que estão na área, chegou lá no final dos anos 70.

Como é que é? Reforma agrária é coisa de marxista? E eu que pensei que era uma tarefa capitalista pequeno-burguesa!

Anônimo disse...

Mas nas fotos acima, a "pastagem" está bem grande e em nenhuma das fotos se vê nenhum boi, nenhuma ovelha pastando. Só o que se vê é mato, ou seja, terras ociosas.

Ah, você me disse que me indicaria alguns links e me indica o site do Xico Graziano? rsrs Vejamos, no primeiro link ele cita o Abelardo Lupion (fundador e ex-presidente da UDR-PR que cometeu assassinatos no campo) que se acha com toda a moral para falar em escândalo, esquemas, sendo que se vendeu para a Monsanto e a Nortox. A Monsanto – produtora da semente de soja transgênica vendida para o Brasil, além do glifosato – vendeu-lhe a fazenda Santa Rita abaixo do valor de mercado e a Nortox doou-lhe R$ 50 mil, tudo isso em troca de apresentação de uma emenda liberando o agrotóxico glifosato (que é altamente tóxico e várias famílias de trabalhadores rurais já foram contaminadas, algumas adoeceram, não resistiram e morreram) para uso na soja transgênica.

Até que este artigo do Xico Graziano é interessante. Só que ele é contraditório. Ele já disse várias vezes que 40% dos assentamentos são abandonados, sempre tentando vender a idéia da inviabilidade da reforma agrária e colocar a cupa nos próprios assentados. Mas neste artigo ele diz tudo: "A qualidade da reforma agrária brasileira, medida pela relação custo-benefício dos assentamentos é, no fundo, decepcionante. Mais grave, porém, é que além da questão produtiva, pois afinal o distribitvismo agrário fundamenta-se na ação social, os índices de melhoria de vida não autorizam acreditar no êxito social da política implementada. Em 40% dos assentamentos não há atendimento médico; menos de 30% contam com luz elétrica.
Na educação, 88% possuem escolas, mas em 2/3 dos assentamentos quando chove, suspende-se as aulas devido ao fato de as estradas ficarem instransistáveis.
Excluindo-se os assentamentos mais antigos, que há anos recebem benesses oficiais, tornando-se nova clientela do Estado, o distributivismo da terra simplesmente mudou a pobreza de lugar. Em alguns casos, a política distributiva provocou uma "favelização" da zona rural. Notório é o grau de desistência: cerca de 30% das famílias deixam o lote até o segundo ano doassentamento, valor que chega a 40% em certos assentamentos de Goiás e Mato Grosso do Sul, caindo para 18%, na média, em São Paulo."
- Faltou ele citar a falta de assistência tecnica, mas mesmo assim, ele reconhece as condições precárias dos assentamentos, mas isso não o impede dele publicar artigos tentando insinuar a inviabilidade da reforma agrária.

Augusto Araújo disse...

caraca, escrevi um monte e perdi na hora de postar

1- Qual o problema com o Xico, q vc deu risadinha? É por que ele é do PSDB? Pois saiba q ele foi quem mais assentou gente nesse Brasil, conhece a situaçao de perto

e do tal líder ruralista,q nao conheço, mas a opiniao dele nao vale? só vale escutar quem esta a favor das invasoes de terra?

é bem a falácia do polilogismo mesmo

2- Glifosato é um herbicida usado há muito tempo e continua sendo usado até hoje. Use o Baygon de maneira incorreta pra ver se vc nao morre tb e daí culpe a empresa e o politico q concedeu a licença

3- Raposa Serra do sol já foi discutida noutro artigo do Constantino


4- Nao falei q nao existem assentamentos q progrediram, mas sao infima minoria. Pra cada assentamento q deu certo há uns 20 q sao um lixo

só a Itamaraty (q virou um lixo)já engloba mais q essa meia duzia q foram bem

é q nao há mais sem-terra, os verdadeiros sem-terra já foram assentados há muito tempo; um movimento dos jornalistas sem-jornal seria mais legitimo q o MST

5-Vc nao leu o q falei sobre pasto vedado? É um pasto q fica sem animais durante 30 a 45 dias, para fazer estoque de forragem, geralmente pro periodo seco

parecia ser essa a situaçao das fotos, pois se fosse mais tempo q estivesse sem gado a pastagem estaria mais alta e amarelada

já te falei,cale sua boca, vc nao entende nada de campo

e mesmo q estivesse sem uso (o q duvido pois quem deixaria de ganhar dinheiro em cima) nao é motivo pra ser invadida


6 - Pq japoneses e alemaes prosperaram no Brasil trabalhando a terra sem nunca precisar invadir propriedades alheias?Ora, pq eles sao trabalhadores,honestos e nao-picaretas como o MST

7 - q tal fazer um movimento do sem-casa na praia? eu q moro de aluguel considero uma injustiça social q haja pessoas q utilizem uma moradia apenas por um verão, aqueles sao imóveis improdutivos q nao estao cumprindo a funçao social

farei passeatas, invadirei casas e exigirei q o governo compre elas pra eu e os companheiros morarmos

8- como vc nao se identificou será ignorado por mim, aproveite pra destilar suas mentiras e deturpaçoes

Augusto Araújo disse...

PODRIDÃO AGRÁRIA
Abrem-se os trabalhos na CPMI da Terra. São ouvidos gestores das entidades que funcionam como linha auxiliar do MST. É grande a expectativa. A quebra do sigilo bancário expôs um sumidouro de recursos públicos.
Deputado Abelardo Lupion interpela o Sr. Emerson Rodrigues – O senhor recebeu em seu nome vários cheques emitidos pela Concrab e pela Anca, somando R$ 318 428,00. Com qual finalidade eram sacados valores tão altos?
O primeiro depoente – Reservo-me o direito constitucional de permanecer em silêncio.

Deputado Abelardo Lupion pergunta ao Sr. José Trevisol – Eu tenho aqui um cheque no valor de R$ 501 953, 00, assinado pelo Sr, endossado também pelo Sr e sacado em dinheiro, da conta 123.876. O senhor confirma?

O segundo depoente – Reservo-me o direito constitucional de permanecer em silêncio.

Deputado Abelardo Lupion questiona o Sr. Francisco Dalchiavon – Como o Sr. explica o fato de a Concrab conseguir celebrar dois convênios com a União em dezembro de 2003, com valor acima de um milhão de reais, apesar de estar inadimplente com a Receita Federal?

O terceiro depoente – Invoco o direito constitucional de permanecer calado.

E assim, de forma surpreendente, permaneceram de boca fechada os responsáveis pela utilização de R$ 41,7 milhões, repassados através de convênios, pelo governo federal, às entidades comandadas pelo MST. Nenhuma explicação, nenhuma palavra. Foram consecutivas 127 não-respostas.


http://www.xicograziano.com.br/novo/artigos_detalhe.asp?IdArtigos=82


QUER DIZER Q VC QUIS DESQUALIFICAR O TEXTO PORQUE O ABELARDO LUPION PARTICIPOU DA CPI DA TERRA E SIMPLESMENTE QUESTIONOU PARA ONDE FOI PARAR TANTO DINHEIRO?

Vc é um CANALHA entendeu, CANALHA. Fui ler o texto novamente, Achei q o tal Abelardo tinha dado alguma parecer, alguma informaçao, mas ele simplesmente fez perguntas

Bem típico da canalha petralha e afins, querem desqualificar sem se ater nos argumentos,

reitero nao conheço o tal Abelardo Lupion, se ele praticou crimes, q pague por eles, mas isso nao muda o fato de q os lideres do MST desviam milhoes dos cofres publicos

CANALHA, RATO DE ESGOTO, SUMA DAQUI VERME ASQUEIROSO

Anônimo disse...

“pai fundador” dos Estados Unidos, autor da famosa Declaração de Independência, Thomas Jefferson, chegou a afirmar: “Se uma lei é injusta, um homem está não apenas certo em desobedecê-la, ele é obrigado a fazê-lo”.

Que lindo isto né?
Só me explique como posso desobedecer( por querer ou obrigada) a uma lei injusta que me roubou 6 anos de vida e trabalho, como as duas reformas da previdência, sendo a segunda, do vagabundo do Lula clonador do "ociólogo", muito pior do que a primeira?

Petista bom é petista que não nasce, quando nasce não se cria, quando se cria morre cedo.
Arsênico na lavagem deles é pouco.
Quando é que vai ser o enterro do Lula?Não foi ele quem disse( na CAros Amigos) que se fizesse tudo que o FHC fazia preferia morrer?Que seria melhor que DEus lhe tirasse a vida?Então.Estou esperando.Deus não tá dando conta?Alguém precisa dar uma ajudinha pra Ele.

Aíii, ô petalhada de traíras,quando vai ser o enterro do Lula? e do Paim? e da Ideli?
Haja rojão no dia.


Lia.

Anônimo disse...

1- O Xico Graziano compõe a Bancada Ruralista que todos sabem os interesses que defende. O engraçado é que na época do FHC, o índice de Gini que mede a concentração fundiária AUMENTOU.
O Abelardo Pipion é um Bandido da UDR.
Portanto, utilizar Xico Graziano e Abelardo Lupion como fonte é como eu indicasse o João Pedro Stédille e o José Rainha para para falar bem do MST.

2- Não se trata de usar correto ou incorretamente. A soja RR da Monsanto triplica o uso de glifosato (quem diz isso não sou eu nem o MST, mas os números de revistas consideradas sérias e confiáveis como a Valor Econômico) e intoxica a semente e causa problemas à saúde do bóia-fria. Eu mesmo conheço vários bóias-frias que se contaminaram com o uso de glifosato.

3- Este já foi discutido, então.

4- E você poderia me responder as condições do assentamento Itamaraty, pois de acordo com o teu próprio amigo Xico Graziano, os assentamentos se encontram em péssimas condições. Portanto, poderia me responder em que condições estão os assentados?

5- Mas você não presta atenção? É cego? Precisa fazer um curso para analisar imagens? A pastagem das fotos está bem alta. Só observar:

http://www.94fm.com.br/files/images/sem-terra.jpg

http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://stream.agenciabrasil.gov.br/media/imagens/2007/01/30/1242EF0225.image_media_horizontal.jpg&imgrefurl=http://www.agenciabrasil.gov.br/media/imagens/2007/01/30/1242EF0225.jpg/view&h=357&w=566&sz=43&hl=pt

Mais alto que isso então você queria que se formasse uma árvore no local. E aí? Cadê os bois, as vacas, as ovelhas...?

6- Os japoneses, tolinho, fizeram REFORMA AGRÁRIA. E não teve conversa fiada, foi feita à bala, imposta pelos norte-americanos (e estão, olha o que o Japão é hoje). Mas como toda a anta direitista, NÃO SABE.

7- E você acha justo casas vazias enquanto milhares dormem na rua? Acha justo?

8- E daí? Qual o problema de eu não me identificar? Será que na falta de capacidade para debater sobre as babaquices que voce escreve, bem como não saber analisar uma fotografia, só te retsa mesmo bater nesta tecla.

Anônimo disse...

Como eu disse, o Abelardo Lupion é um bandido da UDR que defende grileiros e assassinos. Qual a moral que este bandido corrupto vendido para a Monsanto e a Nortox tem para falar em esquema? Este bandido tinha de ser intoxicado pelo glifosato da Monsanto para ver como é bom. Só se interessa com os interesses dele, não se importa com os trabalhadores rurais que podem morrer contaminados (eu mesmo conheço trabalhadores que adoeceram contaminados com a soja RR intoxicados pela Monsanto).

E me responda, de que adianta saber se as lideranças do MST são corruptas? Esse fato anularia a incompetencia de vocês de não ter cumprido com a tarefa de realizar a reforma agrária? As famílias finalmente seriam assentadas em boas condições? Ou apenas seria um pretexto para criminalizar o movimento como um todo e justificar a incompetência de vocês?

Augusto Araújo disse...

É MENTIRA q o indice Gini tenha aumentado no goveno FHC. Graziano assentou milhares de famílias, muito mais do q o Lulla

entao os argumentos do Xico nao valem nada?Pra qual empresa ele trabalha? O cara nao pode abrir o bico pois é agronomo e filiado ao pSDB?

E o tal da UDR nao disse enm argumentou nada, apenas entrou no texto fazendo as perguntas pros lideres emessetistas

A reforma agraria jah foi feita no Brasil, leia o artigo do denis Rosenfield, os assentamento somam milhoes de hectares, o q estah havendo agora é tao somente picaretagem

O tamanho médio da propriedade rural no Brasil é menor q dos EUA, o desenvolvimento do Japao em nada tem haver como qualquer tipo de reforma agraria q pode ter ocorrido lá

o q é injusto é uma pessoa querer o q é do outro à força, na marra, isso é injusto, pois abre espaço pra toda forma de picaretagem fazendo uso de apelos emocionais

olha, chega, vc deveria se identificar sim
, nao deve ter mais do q uns 18 anos e acredita no q os professores doutrinadores apontam como injustiças sociais e há muito q já nao sao da forma q pintam

olha leia esse excelente texto do Xico sobre a história da Reforma agraria no Brasil, nao há falhas nele, é a verdade, embora ele tenha esquecido q Getulio vargas já havia feito assentamentos na década de 40

http://www.xicograziano.com.br/novo/materia_detalhe.asp?IdConteudo=5


agora pode cacarejar sozinho

FIXtheMAD disse...

Veja, como eu disse. Existe a possibilidade de fazermos uma reforma agrária boa.
O Problema, e aí esta o marxismo que a sua ironia canhestra tenta refutar, é quando a “questão agrária” passa por destruir as soluções de mercado. O MST, em virtude de seu DNA político, precisa necessariamente criar a dicotomia do rico explorando o coitadinho do campo. Somente dessa forma, consegue o apoio para as invasões que promove.
Quando você exalta os assentamentos que dão certo, precisa contar a história toda. De nada adianta professar as maravilhas da COPAVI, quando tudo o que se faz lá é perfeitamente consonante com outras soluções de mercado. Me parece, baseado no seu relato, que os incentivos a produção em um regime de cooperativa funcionam. I.E. Uma vez assegurado ao trabalhador, que ele será o beneficiado dos frutos do seu trabalho, ele trabalhará de forma eficiente buscando melhorar sua condição material. Uns chamam isso de lucro. O MST acha que o lucro dos seus assentados é bom, mas condena e milita de forma violenta, contra o lucro de indivíduos não assentados. O que os teóricos chamam de reforma agrária redistributiva.
Nesse momento gostaria de comentar sobre esse conceito, que é a questão de que o uso de terras agriculturáveis para outras atividades que não a agrícola seria um defeito de mercado. Já li estudos acadêmicos que sustem de forma reiterada essa visão. Acredito que o problema nesse caso seja a atuação do governo deformando o sistema de preços e impedindo que o mercado se adapte às demandas que poderiam ser sanadas pelo plantio. O Mercado não é perfeito, mas isso não significa que a atuação governamental esta isento de cometer os mesmos erros, como em uma infinidade de outros casos, as imperfeições do mercado, são freqüentemente ampliadas com a atuação do governo. A Idéia perene na academia é sempre nutrir essa falácia. De que o governo oferece solução para as imperfeições do mercado. Eu acredito que o que os estudiosos chamam de imperfeições de mercado, são de fato imperfeições de mercado ampliadas pela ação do governo. Principalmente em relação aos direitos de propriedade.
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20080707/not_imp201666,0.php
No final, as cooperativas de trabalhadores assentados se beneficiariam enormemente com uma situação legal aonde a propriedade privada fosse respeitada. O mesmo ocorreria com os índios. Se aquelas terras fossem propriedade de algum índio, ele teria todo o incentivo para impedir que um arrozeiro a invada, teria incentivo para arrendá-la ao arrozeiro, ou ao garimpeiro, poderia vendê-la a alguma companhia. Enfim, ele disporia da terra como achasse melhor. E a questão seria resolvida de forma definitiva. A terra é do índio, se ele escolheu vende-la, isso é um problema dele. Claro que essa solução não é do gosto da esquerda estatista. Afinal Passivo público significa que precisamos de milhares de técnicos cuidando dos pobres índios. O Índio vira um inepto, o cidadão pagador de impostos um escravo que tem seu dinheiro roubado pelo governo, e uma casta de ideólogos empregados pelo governo e seus tecnocratas tem uma mamata para toda a vida.

FIX disse...

O Augusto elucidou a questão.

Esse anônimo escravizaria a nós todos em nome dos sem terra...

Anônimo disse...

A reforma agrária já foi realizada no Brasil? KKKKK Você acredita nisto que você escreve? Não é o que os números do Índice de Gini dizem. Acho que os números valem muito mais do que as asneiras do Denis Rosenfield, Xico Graziano. Cara, páre de ler o site o Xico Graziano, Denis Rosenfield, site da UDR e vá se informar melhor. Se você fizesse uma prova de Geografia de vestibular da Unicamp, seria reprovado. Em 1992, o índice de Gini que mede o Grau de concentração de terra era de 0,831 em 1992 aumentando para 0,848 em 1999. Ou vai dizer que é mentira?

O Abelardo Lupion questionando? KKKKK Este corrupto não tem moral para questionar ninguém enquanto ele não responder sobre sua troca de favores entre a ele, a Monsanto e a Nortox. E a UDR questionar alguma coisa? Ora, que tal seu líder, Nabhan Garcia, responder sobre seu envolvimento em grilagem de terra no Pontal do Parapanema (que ainda tem capacidade de dizer que as terras DEVOLUTAS - viu?, portanto, da União - são suas e que as autoridades tem de defender o "direito de propriedade" de grileiros - como se alguém sem título de propriedade tivesse propriedade e mais hilário ainda: direito à ela). Enquanto estes cretinos não responderem, não tem moral para nada.

Quanto à história da reforma agrária no Brasil, não é preciso dizer que o latifúndio é a continuação das capitanias hereditárias implantadas pelos portugueses lá no século XVI. Ainda rege trabalho escravo no campo (ah, não se esqueça que o Xico Graziano defende o trabalho escravo), assassinatos.

O desenvolvimento do Japão em nada tem a ver com a reforma agrária? Veja o que disse, Ikutsune Adachi: "Ao incorporar os kosakus ao processo político, a reforma foi fundamental para a modernização do país". Vai ver você, o Xico Graziano, o Abelardo Lupion, a UDR e outros intelectualóides direitistas tupiniquins sabem mais que do o direitor de Centro de Pesquisas Sociais, em Tóquio!

"o q é injusto é uma pessoa querer o q é do outro à força, na marra" - Então os fazendeiros que vão devolvendo suas terras, pois também foram tomadas de outros. A Aracruz que devolva suas terras aos índios e quilombolas. Os fazendeiros de Raposa Serra do Sol que devolvam suas terras à comunidades indígenas.

Engano seu, pois eu já tenho 41 anos e sou bastante experiente. Ocorre que você só lê o que os integrantes da Bancada Ruralista escrevem.

Anônimo disse...

Reforma agrária não coisa de marxista seu cabeça de lata! Reforma agrária é uma tarefa capitalista pequeno-burguesa.

Se depender das soluções do mercado nós vamos passar fome. Sabe porque o preço dos alimentos estão aumentando? Porque o dedinho do mercado cutucou os fazendeiros e disse: "Agora você terão mais lucros plantando cana para o etanol do que para o arroz"... Sabia que os alimentos são lastreados na Bolsa de Valores (já ouviu falar das Commodities?)?... Não me lembro se foi no final dos anos 90 ou se foi no ano 2000 ou início do século XXI, mas na era FHC, quando uma Bolsa quebrou, aqui no RS, os grandes fazendeiros (como o dono da Coqueiros) queimaram as safras...

E não ocorre exploração no campo? Não existe trabalho escravo? Os bóias-frias que trabalham pros latifundiários recebem salários super dignos? kkkkk

Agora, que pérola dizer que uma produção coletivizada, sem a propriedade privada e individualizada da terra, onde tudo é decidido com a participação de todos e de todas em Assembléia, dizer que está voltada para o mercado. A cooperativa da lucro, mas este não é individual, mas COLETIVO. O que o MST condena é o fato de um só cara possuir uma propriedade do tamanho de um país.

tandor disse...

"Blogger Rodrigo Constantino said...

Não vou tolerar marxistas poluindo meu blog sem argumentos."

É ISSO AI !!! VIVA AS LIBERDADES INDIVIDUAIS !!! Desde que a sua esteja garantida não é ?

Sinceramente, você vai falar agora que só um marxista veria motivos para manter o Dantas preso ?
A soltura dele pode comprometer completamente o resto da investigação.

Rodrigo Constantino disse...

O demente acima, que assina como tandor, acha que liberdade individual significa o DIREITO de falar besteira no blog dos outros, propriedade PRIVADA!

Esses caras são dementes mesmo...

Augusto Araújo disse...

nossa e o anonimo entao, quanta merda e mentira eles falam

o capitalismo isso o capitalismo aquilo; subiu os preços dos alimentos e é tudo culpa do capitalismo

mas quando estava baixinho o preço, aí nao, o capitalismo nao faz nada de bom

se nao me engano foi Roosevelt q falou q queria garantir pelo menos um frango na mesa de cada familia americana POR SEMANA

e hoje no Brasil chegamos a desperdiçar comida a rodo

mas vai falar pra esses dementes q frango, suinos, etc, baratearam por causa da economia em escala do milho e da soja

ah, nao , agricultura boa só de subsistencia

estaríamos passando fome

na boa, haja saco pra desmentir esses caras, sao uma máquina de falar merda

o Lupion é do DEM, da UDR? Ah entao ele nao pode acusar nem satanás de ser mal, deixa o MST roubar a vontade

Anônimo disse...

"o capitalismo isso o capitalismo aquilo; subiu os preços dos alimentos e é tudo culpa do capitalismo mas quando estava baixinho o preço, aí nao, o capitalismo nao faz nada de bom"
- Engraçado, quando se trata de um governo de esquerda ou os regimes burocráticos, qualquer coisa de ruim que acontece (mesmo que seja um acidente), logo culpam o governo, o regime. Quando é no capitalismo: nã-nã-não, a culpa nunca é do capitalismo. O capitalismo é um regime humanitário, do bem...

Rodrigo Constantino disse...

Cupim - preciso te chamar assim pois vc nem tem a coragem de assinar seu nome - pode continuar falando besteira aqui, viu? Essa é a melhor arma contra a esquerda...