sexta-feira, janeiro 29, 2010

Falta(va) um partido liberal no Brasil



Rodrigo Constantino

A revista britânica The Economist escreveu um artigo afirmando o que todos aqui já sabem: que falta uma opção liberal na política brasileira. Um dos motivos para isso, explica a revista, está no voto obrigatório:

One reason why liberals have been so muted since Brazil became a democracy again is that voting in elections is compulsory. This means that a large number of poor voters, who pay little tax but benefit from government welfare spending, help to push the parties in the direction of a bigger state. If the same system were to be applied to America, the Democrats might well enjoy a permanent majority.

O povão, carente das mais básicas necessidades, acaba votando nos políticos que oferecem mais benefícios de curto prazo, ainda que isso apenas produza mais pobreza no longo prazo. Para perceber isso, entretanto, faz-se preciso algum conhecimento de economia, o que muitas vezes falta a essa gente. Dessa forma, o modelo ineficiente de welfare state vai sendo cada vez mais inchado, produzindo mais pobreza relativa, e os pobres acabam demandando, por ignorância, mais governo como solução. Acabamos num círculo vicioso perverso.

A revista cita, como um dos ícones ainda liberais no país, o Fórum da Liberdade, organizado pelo Instituto de Estudos Empresariais em Porto Alegre. Ao contrário do Fórum Social Mundial, o Fórum da Liberdade não conta com verbas milionários do governo. Ainda assim, tem crescido a cada ano, conquistando mais público através de palestras excelentes e debates realmente produtivos. A oposição ideológica, ao contrário do que acontece no FSM, que se diz pluralista, sempre é convidada para expor seu ponto de vista no Fórum da Liberdade. Os liberais não temem este confronto de idéias, pois sabem que estão do lado da razão.

Por fim, resta apenas atualizar a revista, que não teria como saber disso ainda. No Brasil há sim um partido finalmente liberal. Ainda é um projeto novo, mas que surge no horizonte como uma alternativa para aqueles que realmente defendem a liberdade como um pacote completo. Tanto as liberdades civis quanto a liberdade econômica são defendidas com base em princípios sólidos. Visite o site dos Libertários e veja como colaborar com a causa liberal.

17 comentários:

sol-moras-segabinaze disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sol-moras-segabinaze disse...

Força aos Libertários.

Gustavo disse...

História do LIBER: http://pt.wikipedia.org/wiki/Libert%C3%A1rios_(Liber)

Comunidade do partido no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=6654405

Conheça nossos princípios! http://docs.google.com/View?docid=dgf6nmd7_0hs93cg

ntsr disse...

'Nos opomos ao tratamento forçado de qualquer pessoa ou internação em instituição de tratamento mental. Condenamos veementemente que um paciente seja obrigado a aceitar tratamento ou enfrente internação numa instituição de tratamento mental onde ele será tratado contra sua vontade.

Vcs são felizardos de não ter drogados na familia.Eu tenho inveja de vcs.
Apesar de não concordar com essa parte vou apoiar mesmo assim.

Sergio Oliveira Jr. disse...

É interessante termos um partido liberal verdadeiramente de direita. Difícil encontrar algum partido hoje que não seja centro-esquerda ou esquerda. A questão é simples: Hoje, se me chamassem para ser deputado ou qualquer outra cargo de poder por um partido liberal eu não aceitaria em hipótese nenhuma. Enquanto o jogo política em Brasília for o que é hoje, seria como entrar num bordel e querer pregar a castidade. É uma luta perdida. Leiam o meu blog: http://www.opoderprimario.com.br

Everardo disse...

Sérgio, colocando (apenas didaticamente) as doutrinas individualistas de um lado e as socialistas de outro, fica claro que a alteridade só é reconhecida e valorizada por doutrinas sociais, pela própria definição. Solidariedade implica em reconhecimento do outro. Quando se faz uma "campanha" filantópica ao molde dos que abatem as doações no imposto de renda, estamos falando de ações individualistas. Mas, não é aceitável que doutrinas socialistas eliminem o indivíduo, ou que as individualistas neguem o fenômeno social (muito, mas muito diferente do tal coletivismo).

ntsr disse...

Haviam inúmeras instituições de caridade nos EUA do séc dezenove.O que os socialistas querem é que TODA a caridade do mundo tenha que ser forçada a passar pelo governo, ou seja, por eles.

samuel disse...

Rodrigo,
V tem participação nesse "Libertários"? O nome é horrivel. Tão conspurcado como o nome "Democracia". Se V tem participação gostaria de dar algunas sugestões sobre esse partido.

fejuncor disse...

Primeiro precisamos de fato de PARTIDOS, e não essa "irmandade" profundamente habituada ao exercício do poder na realidade brasileira conhecedora das raizes mais profundas da corrupção e muito hábil em exercer o poder em causa de seus próprios interesses, todos unicamente na disputa pelo direito de se colocar nos postos em se recebe suborno, propina, e se cooordena os golpes contra a Nação. Dai dá para pensar em bandeiras, programas e coisas desse tipo.

Simpatizo-me à causa porque já parte da premissa programática de redução do próprio corpo burocrático, uma necessidade cogente.

fejuncor disse...

Tem meu apoio.

Antonio disse...

Nunca ouvi falar nesse partido, eles deveriam fazer mais propaganda. Ah, esqueci, nada de populismo...

ntsr disse...

Eu acho que não é bom associar liberdade com direita não.A direita americana apóia iraque, afeganistão, se eu não quiser ir tenho que ir mesmo assim.A direita é contra o casamento gay, eu acho que um libertário tem nada que se preocupar com o que dois baitolas fazem dentro de um quarto.Direita aqui tb lembra o governo militar, que foi necessário por um lado mas por outro não foi liberal de jeito nenhum, inchou o governo, fez a inflação e tal

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas disse...

Rodrigo qual a sua opnião sobre o Partido Federalista?

Francisco disse...

Eu acredito que é possível fazer política de forma séria, por isso faço parte de um grupo que está refundando o PL Partido Liberal no Brasil, se Deus quiser homologaremos agora em julho e faremos parte da eleição de 2012.

Korontai disse...

O Partido Federalista propõe diversas teses liberais e dá o caminho para a efetivação das mesmas: a descentralização dos poderes, autonomizando as partes que compõe a Nação - estados e municípios.

Não se consegue conceber um Estado Liberal do ponto de vista clássico mantendo-se o atual modelo...

Para quem gostaria de conhecer esta segunda alternativa( embora tenhamos fundado o Partido Federalista ainda em 1999, fruto de um movimento criado em 1991) está convidado: www.federalista.org.br

Rodrigo, abraço pra ti!