quinta-feira, janeiro 28, 2010

O Câncer da Corrupção

Rodrigo Constantino, para a Revista Voto

O Brasil vive tão imerso em escândalos de corrupção que a população parece anestesiada. Os infindáveis casos que vem à tona suscitam reflexões sobre o sistema político totalmente podre no país. Num dos casos mais recentes, o governador José Arruda foi pego num profundo esquema de desvio de dinheiro público. As imagens dos vídeos, ao contrário do que afirmou o presidente Lula, falam por si só. Não há como negar fatos tão escancarados. Ou Arruda era chefe de uma quadrilha, ou fazia parte dela, de forma passiva. A desculpa esfarrapada de que o dinheiro servia para comprar panetones para crianças carentes ofende o bom senso daqueles que ainda o possuem nesse país. O Brasil virou mesmo um grande circo, e os palhaços somos nós!

O primeiro ponto a ser abordado é o estágio de metástase que o câncer da corrupção chegou no Brasil. Todos os grandes partidos parecem verdadeiras máfias organizadas, com as metas de chegar ao poder, desviar recursos públicos e se perpetuar na mamata. Como explicar milhões gastos em campanhas para receber um salário de poucos milhares? Haja altruísmo! Claro que a realidade é outra: a política virou um negócio muito lucrativo. Gente inescrupulosa é atraída para a política para “se dar bem” à custa dos impostos tomados na marra dos trabalhadores. Eis a verdadeira luta de classes existente no país: de um lado consumidores dos impostos, e do outro os pagadores. Quando as vantagens da vida parasitária são grandes demais, o resultado é cada vez menos hospedeiro pagando a conta.

Os principais partidos estão cada vez mais parecidos. O PT teve seu esquema nacional de “mensalão”, o PSDB teve o seu em Minas Gerais e agora o DEM apresenta sua versão no Distrito Federal. Iludem-se aqueles que sonham com a chegada de um novo partido “diferente de tudo isso que está aí”, formado por santos honestos e preocupados somente com o “bem-geral”. A política é um jogo sujo, e acaba atraindo os piores tipos. Claro que existem exceções, mas esse “jogo democrático” não passa de uma guerra pelo poder, onde os fins justificam quaisquer meios. Alguém realmente acha que o PV de Marina Silva seria tão diferente no poder? Alguém acredita que Ciro Gomes mudaria tudo isso? Não basta “vontade política” quando o sistema de incentivos está podre.

A mudança não vai ocorrer através do próprio meio político, com a tomada de poder pelos “bons revolucionários”. O corporativismo em Brasília é de assustar. Mesmo políticos “concorrentes” ficam receosos nessas horas, tímidos nos ataques, sem demandar medidas drásticas e imediatas, justamente porque sabem que amanhã podem ser eles no vídeo. Todos parecem ter rabo preso. Além disso, parece paradoxal esperar um grande programa de redução do poder político através da conquista do próprio poder político. Não é por aí que vem alguma mudança estrutural. Mas de onde ela virá então?

Eis onde surge a importância da luta no campo das idéias. Somente mudando a mentalidade da maioria das pessoas poderemos mudar essa realidade lamentável. Mas não através do próprio governo, naturalmente. Como esperar educação de boa qualidade, que estimula um olhar crítico, justamente através daquele interessado em manter o povo na completa ignorância? O governo tem interesse em manter o povo refém, reverenciando o próprio governo como uma espécie de deus. Somente quando esta mentalidade mudar haverá menos escândalos de corrupção. Afinal, esta é diretamente proporcional à concentração de poder e recursos no governo. Quando o sucesso de uma empresa depende da canetada de um burocrata, parece lógico que a corrupção será fomentada.

Outra importante causa da corrupção é a impunidade. Uma reforma no Judiciário é fundamental, para reduzir a morosidade dos julgamentos. Acabar com os privilégios dos políticos também é primordial para evitar que tudo acabe em “pizza”. Mas, novamente, isso só será viável através da mudança da mentalidade das pessoas. Enquanto os eleitores votarem nos políticos corruptos porque recebem migalhas em troca, porque estão satisfeitos com a economia, porque conseguiram um emprego, o recado será perverso: a imoralidade não tem custo. É preciso dar um basta a isso, eliminar da vida pública aqueles que, pelo menos, foram pegos roubando. Isso não vai garantir que os novos eleitos sejam honestos, pelos motivos expostos acima. Mas ao menos será um recado um pouco mais duro para os que foram pegos com a boca na botija.

O recado das urnas já é um começo. O povo precisa mostrar indignação diante de escândalos de corrupção. Precisa rejeitar veementemente candidatos ligados a esquemas comprovados ou mesmo suspeitos. Precisa colocar a questão ética acima dos interesses de curto prazo. Em vez de fazer como algumas entidades de esquerda, que apresentam uma indignação bastante seletiva, os eleitores precisam abraçar princípios isonômicos, ou seja, condenar todos os políticos envolvidos em escândalos, independente de seus partidos. É preciso acabar com os dois pesos e duas medidas. É preciso exigir fichas limpas. E, principalmente, faz-se necessário ajudar a mudar a mentalidade do povo brasileiro, que passou a encarar o meio político como panacéia para todos os males que assolam o país. Concentrar poder em Brasília é a receita mais certa para estimular a corrupção.

Contra esse câncer chamado corrupção, que tanto estrago causa no país, só mesmo extraindo os dois tumores malignos: o excesso de governo e a impunidade.

18 comentários:

Rogério PC disse...

Desanima demais ver o estado de podridão em se encontra os governos, em todos os níveis. E dentre os 3 poderes, o que considero em pior estado é o legislativo. Esse já está tão putrefato que eu tenho nojo de todos os seus integrantes. Até mesmo dos poucos éticos e honestos. Afinal, mesmo mantendo a integridade, eles também gozam dos mesmos privilégios que esse ambiente podre proporciona: um altíssimo salário para pouquíssimo trabalho, adicional disso e daquilo, ajuda de custo de moradia, passagens de avião e mais mil e uma coisas. Ou seja, mesmo sendo extremamente correto, se mantendo rigorosamente dentro da lei, um político honesto ainda é imoral por usufruir de tantas benesses bancadas com o dinheiro do povo que passa por tantas privações.

E antes que alguém queira comparar com os milionários da iniciativa privada, por mais que dinheiro que esses tenham, eles conseguiram trabalhando, vendendo ou prestando algum serviço que muita gente queria. E que por isso compraram e pagaram para ter. E se os ricos querem gastar com iates, aviões ou jogar pela janela, não tenho nada a ver com isso. É deles e eles fazem o que quiserem com o dinheiro.

Agora com o MEU dinheiro NÃO! Políticos desonestos, ladrões: de vocês quero cortar as suas mãos fora. Políticos honestos: eu NÃO quero pagar ajuda moradia, passagens de avião e esse salário absurdo. Crie vergonha na cara e tenha dignidade para lutar por gastos mais realistas no legislativo, principalmente, mas também no executivo e no judiciário.

a3m disse...

Seu post passa a impressão de que os políticos são seres extraterrestres. Políticos são pessoas como eu e você, e a corrupção permeia todas as pessoas. Para fazermos o que você sugere precisamos antes abdicar e condenar todo o nível de corrupção. Como alguém que paga uma "cervejinha" para o guarda de trânsito pode condenar um político corrupto?

Rodrigo Constantino disse...

"Políticos são pessoas como eu e você"

Fale por vc. Eu não tenho NADA a ver com aquela corja que comanda o país de Brasília.

Renata disse...

teste

Renata disse...

Alguns poucos intelectuais e professores corajosos são o que nos restam de esperança para trazer luz as trevas em que vivemos.

Pessoas jovens, idealistas, esclarecidas e corajosas, eis o que resta de esperança !!

E que lutem com todas as forças contra os intelectuais que já se venderam, e que hoje usam sua reputação de "um olho em terra de cegos" para mentir e ajudar a anestesiar o povo e mesmo a classe média, especialmente no campo da economia.

É uma elite podre que não quer o sucesso do país, quer uma massa idiotizada e escravizada, para que eles possam reinar como Deuses com seus preconceitos, covardia e formação semi-intelectual.

As vezes medem-se as pessoas pelo quanto de verdade são capazes de suportar em seus corações.

Nesta breve passagem por este planeta, que possamos dar um pouco de sentido a nossa existência, defendendo com coragem a Verdade e as idéias que se provaram corretas, mesmo que sejamos difamados e humilhados pela propaganda dos mafiosos sem caráter.

Parabéns , que fique meu incentivo a vc e aos poucos que ousam expor corajosamente o lamaçal de mentira, hipocrisia e roubo sistemico em que vivemos nesta terra tupiniquim, só com esclarecimento será possivel mudar.

ntsr disse...

Só vai mudar alguma coisa quando a lama chegar no teto.
O ruim de um povo pacífico é que ele confunde bondade com submissão.

ntsr disse...

Rodrigo, o Lula ia receber uma homenagem em Davos, vc vai comentar isso?

Sergio Oliveira Jr. disse...

É uma questão de moral e ética. O Brasil não sabe o que é isso. Só sabe o que é religião, governo, esmola, dependência, dinheiro, etc. É um problema de caráter mesmo e baixa auto-estima. Eu já bloguei sobre isso. A auto-estima do brasileiro é muito baixa se comparada a de outros países. Quem tem baixa auto-estima está cagando pra ética. Quer é se dar bem para se sentir uma merda menor: http://www.opoderprimario.com.br/o-suicidio-de-nelsinho-piquet/.

Rodrigo Constantino disse...

ntsr, pretendo comentar algo sim. Davos pode fazer mais estrago na causa liberal que o FSM, pelo incrível que isso possa parecer. Eles não falam em nome dos liberais!

ntsr disse...

Desconfiei quando vi o sr Bill Clinton por la

fejuncor disse...

Não basta espantar as moscas. A República Federativa do Brasil tornou-se um montão de fezes em torno do qual cresceu uma grossa massa de parasitismo. É este o câncer que precisa ser estirpado.

O Brasil virou um antro e os estados não conseguem mais carregar tamanho fardo. A União é um instrumento de opressão a evitar o desenvolvimento dos estados. O canhestro "modus operandi" desta esfera desleal, hipócrita e incompetente, além de ladra, visa sempre destruir as possibilidades de desenvolvimento dos estados para poder continuar vivendo sua luxúria obscena. É esta a realidade. Há um esbulho em curso.

Uniões sérias, nascidas de propostas sérias, como por exemplo a URSS, também acabaram criando castas corruptocráticas talvez tão perverssas quanto a casta corruptocrática brasileira. E resolveram desfazer a União que servia de cocho ao parasitismo. Decisões difíceis, sem dúvida, pois as castas corruptocráticas são congenitamente perversas e nunca querem, obviamente, deixar seus privilégios, suas obscenidades de consumo, suas luxúrias. Desfazer o cocho desta casta perversa que é a corruptocracia burocratoparasita do Brasil de Tordesilhas, desta república de capitanias, desta imensa quadrilha, desta vagabundagem federal, não vai ser fácil. Eles matarão e perseguirão e aproveitarão o evento para roubar ainda mais, como em Canudos, como no dia-a-dia do ministério e do Congresso.

Mas a Nação precisa eliminar este mal. Para o bem e para o desenvolvimento de todos.

Everardo disse...

Evidentemente, funjecor, há um tremendo exagero na sua avaliação e não podemos comparar a URSS ("união" de repúblicas totalitárias) com uma união federal democrática. Produzem-se leis, há uma justiça em todos os níveis (boa ou não), o Congresso produz muitas e excelentes leis (cumpridas ou não) e o povo escolhe seus governantes livremente (bons ou não). Se há falhas, isso ocorre em todos os lugares. Mas, devemos aperfeiçoar os sistemas e não amaldiçoá-los. Uma ditadura não resolve nada.

ntsr disse...

'o Congresso produz muitas e excelentes leis'
Primeiro, com base em quê vc diz que elas são excelentes?Na sua imaginação, pra variar?
Segundo, de onde vc tirou que produzir leis demais é uma vantagem? O brasil já tem leis demais, muitos outros paises tem uma justiça bem mais eficiente justamente pq tem menos leis e sao mais objetivos.E isso tb é um sinal da cultura brazuca de achar que tudo no mundo deve vir do governo.Daqui a pouco vai ter lei pra controlar até como é que se faz caipirinha.Ops já tem!!!

'o povo escolhe seus governantes'
Vc escolhe seu parasita, grande poder esse.Quando eles querem aumentar o número de vereadores eles vão e aumentam, quando eles querem ganhar mais eles decidem e arrancam mais e pronto.
É como uma vez que eu vi um jornalista desabafando: 'Será que um dia os políticos vão fazer um plebiscito perguntando 'vc acha que nós precisamos dessa quantidade de políticos que existe aí?Vc acha que os políticos merecem ganhar o que eles ganham?''

fejuncor disse...

Aperfeiçoa-se, Everardo, o que tem desacertos, mas vai no sentido certo. O que já está errado na sua concepção vc enterra. A saída é federalisar.

Everardo disse...

fejuncor, você poderia ser mais claro em relação à expressão "federalisar" (SIC)? Que eu saiba, o Brasil é uma república federativa...além do mais, eu disse que fazemos muitas e excelentes leis, não disse que todas são boas.

fejuncor disse...

A República Federativa do Brasil é uma fraude. O Brasil pode ser tudo, menos isto.

carlos roberto disse...

Sobre o corporativismo que a postagem afirma existir em Brasília: como é possível que Erenice Guerra já esteja "escalada" para substituir Dilma Rousseff a partir de abril, quando ela deverá deixar o governo para disputar a eleição presidencial?

Por que raios ela foi lembrada para assumir uma vaga de ministra no Tribunal de Contas da União - TCU no ano passado?

Como é que ela pode ter sido "cogitada" para assumir uma vaga de ministra do Supremo Tribunal Militar?

Quem é essa moça???

Mauro Graner disse...

No penúltimo parágrafo, onde você diz:"...O recado das urnas já é um começo. O povo precisa mostrar indignação...", posso dizer com segurança, meu caro amigo, que este mesmo povo, é aquele que vota sem ter conhecimento da realidade política. As escolas não preparam seus alunos para obterem senso-crítico, pois os livros de história e de conhecimento contemporâneo, já chegam com suas ideias direcionadas por um único caminho. A população está embriagada com a mídia do entretenimento, onde o irreal das novelas, do futebol, dos filmes é que moldam suas mentes e o resultado, são mentes mediocres, indecisas e de fácil manipulação.