terça-feira, agosto 18, 2009

Monopólio Esquerdista



Rodrigo Constantino

"Existem dois tipos de pessoas neste mundo – aquelas que “vão fazer” algo e aquelas que realmente fazem algo." (Thomas Sowell)

A política é uma caixa de ressonância, que ecoa as idéias disseminadas entre o povo. Na essência, é a mentalidade predominante em uma sociedade que vai ditar os rumos dela. Afinal, políticos, para serem políticos, antes precisam de votos. São as idéias vencedoras, portanto, que vão definir a trajetória do país. Infelizmente, muitas pessoas ainda não acordaram para este fato, e depositam uma enorme esperança na própria via política como meio para resolver todos os problemas. Elas aguardam com fé a chegada de um messias salvador, capaz de colocar o país no rumo certo de cima para baixo, através de um decreto, uma canetada mágica. Tola esperança!

Lamentavelmente, as idéias que venceram até hoje no Brasil e na América Latina foram as idéias coletivistas, que desconfiam da iniciativa privada e do individualismo, que demonizam o empresário e o lucro, que abominam o capitalismo de livre mercado. Na ausência de nome melhor, refiro-me a estas idéias como “esquerdistas”, reconhecendo que há um amplo espectro que abrange diferentes mentalidades de esquerda, mas que todas elas acabam convergindo para certos denominadores comuns. E quais seriam estes denominadores? Justamente uma visão coletivista de mundo, que transforma os indivíduos em meios sacrificáveis para algum bem maior, e que encaram o governo como o instrumento adequado para esta meta.

Ora, partindo-se desta definição, fica claro que na região toda há praticamente um monopólio da esquerda no campo das idéias, com Cuba e Venezuela nas extremidades, seguidas por Equador, Bolívia, Argentina e também o Brasil. Basta citar que o poder do governo cresce cada vez mais nesses países, reduzindo-se concomitantemente as liberdades individuais. Os impostos aumentam cada vez mais, a quantidade de leis, decretos, controle da vida privada, da economia, tudo aponta na direção de mais coletivismo e menos liberdade individual. Hugo Chávez lidera o movimento, manipulando a máquina estatal e seus petrodólares para conquistar mais e mais adeptos, para financiar grupos guerrilheiros e aliados políticos. Mas somente um ambiente fértil para tais idéias permite tamanho avanço sobre as liberdades. Apenas canhões não iriam garantir o poder concentrado nesses governantes. São as idéias que mostram para onde esses canhões vão apontar.

No Brasil, há claras evidências desse monopólio esquerdista, apesar de a própria esquerda gostar de culpar o fantasma do “neoliberalismo” por todos os nossos males. Além do fantástico crescimento do governo no país nos últimos anos, tanto através das estatais como dos gastos públicos, das intervenções cada vez maiores na economia, e da carga tributária, existem outros indicadores de que as idéias esquerdistas vêm vencendo a batalha. Entre eles, a tática mudança de nome do antigo PFL, que (felizmente) resolveu retirar o termo “liberal” de sua sigla, passando a se chamar DEM. Ou então a patética postura de Alckmin nas eleições passadas, quando o candidato do PSDB colocou bonés de estatais para se livrar da “acusação” de defender privatizações.

As eleições que se aproximam em 2010 demonstram uma vez mais o monopólio da esquerda na política nacional. Os defensores do liberalismo não encontram representação alguma, e fica cada vez mais difícil distinguir os candidatos. São todos vermelhos, variando apenas o tom. Dilma, a escolhida pelo presidente Lula, representa a continuação do rumo atual, da concentração assustadora de poder no governo, dos fins que justificam quaisquer meios, do DNA autoritário que tentou controlar a imprensa, do antigo sonho socialista da ex-guerrilheira que jamais se arrependeu de seu passado. Heloísa Helena e seu PSOL representam apenas o PT de ontem, mais raivoso e radical, ainda sonhando em transformar o país numa enorme Cuba. José Serra demonstra viés claramente autoritário, despreza o livre mercado e acredita no planejamento central da economia; é o mais esquerdista do esquerdista PSDB. Ciro Gomes também apresenta características autoritárias e, como disse num debate comigo, não enxerga onde cortar “um bilhãozinho” num governo obeso que torra centenas de bilhões dos pagadores de impostos.

Por fim, a nova esperança que surge para muitos desesperados com a falta de ética na política chama-se Marina Silva. Mas Marina, não custa lembrar, pertence ao PT e ao governo Lula, e se migrar para o PV será apenas por oportunismo político. Ela foi ministra deste governo, e continuou filiada ao partido depois. Ela veste literalmente o boné da organização criminosa chamada MST. Ela tem em Leonardo Boff e “Frei” Betto ícones intelectuais. Ela representa a nova religião verde, que abrigou diversas viúvas do comunismo somente como novo meio para continuar atacando o capitalismo. Será que Marina Silva realmente significa uma mudança para melhor no rumo do país?

Como o leitor pode constatar, todos os potenciais candidatos para presidente em 2010 representam “mais do mesmo”, são variações sobre o mesmo tema. Discutem nuanças, mas concordam na essência. E essa essência está impregnada de coletivismo. Nenhum deles ousa questionar as “vacas sagradas”, oferecer uma proposta de mudança radical em direção aos modelos bem-sucedidos dos países mais desenvolvidos, que infelizmente andam abandonando seus principais valores também.

Só existe uma maneira de acabar com o monopólio esquerdista no campo das idéias: lutar com idéias, mostrar uma alternativa, apresentar argumentos e educar as pessoas. Já erra quem pensa que tal educação virá do governo, pois a elite governante não tem interesse algum em eleitores mais esclarecidos e céticos. Logo, o esforço terá que ser da iniciativa privada, de cada indivíduo que acredita na liberdade. Terá que ser um esforço hercúleo, pois a luta sem dúvida é desigual: os coletivistas apelam às emoções, vendem promessas utópicas, eximem os indivíduos de responsabilidade e utilizam a máquina estatal a seu favor. Mas os liberais contam com um poderoso aliado: a razão! Com o tempo, esse monopólio esquerdista será derrotado. Mas é preciso começar a agir. Os inimigos da liberdade já conquistaram espaço demais. Vamos dar um basta!

Encerro com as palavras de Ayn Rand, numa tradução livre:

“Aqueles que querem a escravidão deveriam ter a benevolência de nomeá-la por seu nome apropriado. Eles devem enfrentar o significado completo daquilo que estão defendendo; o significado completo, exato, específico do coletivismo, de suas implicações lógicas, dos princípios em que é baseado, e das conseqüências finais a que estes princípios conduzirão. Eles devem enfrentar isso, e depois decidir se isso é ou não o que eles querem.”

23 comentários:

Sergio Oliveira Jr. disse...

Eu espero que um dia o socialismo/coletivismo seja visto da mesma forma nojenta que a escravatura é vista hoje. E pensar que no passado ela já foi uma prática protegida por lei.

O ser humano só pode andar para frente, rumo a evolução, material e espiritual.

Um dia, quem sabe, o socialismo/coletivismo estará nas páginas da História como apenas mais uma aberração perpetrada por seres irracionais.

Everardo disse...

As velhas teorias não estão mais oferecendo respostas aos novos problemas, Rodrigo. Precisamos abandonar esses modelos antigos. Expressões como "monopólio esquerdista", como o liberalismo puro, estão ficando sem sentido ante o novo modelo de estado tecnológico, ambientalista, global.

Luiz Mário Brotherhood disse...

É revoltante ouvir palavras e idéias tão bem postas e, em seguida, ao sair na rua, ligar a televisão, ler qualquer revista ou jornal, e esbarrar com a filosofia que vem corroendo o homem.

Rodrigo Constantino disse...

Quais seriam esses "novos" problemas, Everardo?

Porque eu vejo VELHOS problemas, como distorção nos mercados com a intervenção estatal, planejamento central, controle de preços, inflação, corrupção, mercantilismo, etc. Enfim, coisas que os liberais atacam há pelo menos dois séculos!

Rodrigo Constantino disse...

O Everardo tenta apelar para a "falácia da cronologia", ignorando que a ciência econômica é a mesma na era de Adam Smith e atualmente. Aliás, recomendo o livro "Quarenta Séculos de Controles de Preços e Salários", de R. Schuettinger e E. Butler. Quem sabe o Everardo aprende que as "novidades" têm séculos de idade?!

Rodrigo

livemusic disse...

Engraçado que nas eleições americanas no ano passado era a mesma coisa. Se via defensores ferrenhos de Obama em um lado, e no outro de McCain, sendo que pouco mudava realmente entre um e outro. Apenas nuances, como você diz.

Flavio Faria disse...

Primeiramente quero elogiar seu trabalho nesse blog que me ajuda profundamente a criar um pensamento político correto sem aceitar todas essas mentiras da esquerda brasileira.

Perguntas agora. O Aécio Neves seria nossa salvação para esse caos de candidatos presidenciais? (pelo menos não teremos Garotinho dessa vez) No caso do cenário permanecer o mesmo em 2010, qual a melhor opção? o menos pior?

Agradeço sua opnião e espero que esse blog continue por muitos anos esclarecendo as pessoas.

Rodrigo Constantino disse...

Flavio, Aécio é sem dúvida menos pior que esses todos. Mas como eu disse, um presidente não faz milagre. Aécio teria que contemporizar demais para ser eleito e para governar. A mentalidade do povo ainda é muito coletivista, e isso deve mudar!

Sobre em quem votar, os mais pragmáticos gostam de escolher o menos pior. Eu, cada vez mais, acho que o VOTO NULO é uma opção, como protesto. No curto prazo pode ser ineficiente. Mas se cada vez mais gente anular o voto, alguma coisa maior terá que mudar.

É um bom debate esse...

Rodrigo

Ailton Amaral disse...

O discurso do Rodrigo é uma repetição da cantilena monótona e apequenada da direita conservadora e oligarca, baseada em premissas de superioridade racial e de uma elite que se acha ridiculamente superior. Com suas ideiazinhas baseadas em manuais neoliberais tenta atrair, sem muita competência, uma turba raivosa, idolatra e sem noção de realidade.
Alias, com esse discursozinho medíocre de economista americano, chega a ser digno de pena, pois a escola que professava suas idéias anacrônicas hoje é vista como um dos maiores micos da historia.
O pior de tudo em seus discursos é notar a repetição de idéias de outros, sem muita originalidade, pegando pedaços de papos de boteco e colocando em um texto que julga ser seu. Nem a coerência tão propagada em torno das idéias conservadoras e neoliberais mostra que existe uma onda de resistência sim na America latina, mas que quem está e esteve no poder sempre foi sua querida e idolatrada direita. Afora algumas reações na America latina, voltada a centralizar no povo sua ação, a maioria dos países continuam sendo governados pela velha direita e por suas idéias arcaicas.

Parece que liberdade individual para o autor é baseada na boa e velha exploração e descaso com o outro, com o próximo. Que morram os pobres, que sejam elevados ao pedestal a velha e boa elite que mantém sob seu comando a maior parte dos bens e riquezas, menos de 10% da população, para os desavisados que entram nessa onda de insensatez. Carece o blogueiro de visão humana, pois acha que a meritocracia, que soa mais deturpada ainda em suas palavras, é questão de manter sob julgo a maioria e torná-la não somente explorada, mas escrava, submissa e eternamente imobilizada é o melhor dos mundos.

Mas a questão mais interessante em relação ao texto é a visão turva do autor, achar que Serra, Alckmin, o DEM, Dilma e Lula são esquerda, parece, na pior das hipóteses, ingenuidade e infantilidade. Parece que os livros de economia não foram o suficiente, ficar debruçado sobre artigos de jornais conservadores e de extrema direita não permitem ao moço discernimento sobre posturas políticas.

Em seus sonhos, ao que demonstra, o PSDB tornou se um partido de esquerda, o mesmo que fez a felicidade dos empresários brasileiros, gananciosos e de atitudes toscas e desumanas, entregando o patrimônio e parte da soberania a esses já dominadores do país. Surpreendo me com a falta de sensatez ler uma historinha desse tipo, criticar a tudo e a todos sem uma medida sensata, parece ter saído, o rapaz, de uma historia de natal, como “os espíritos do natal”, pois mostra ser de uma rabugice tremenda, de uma falta de bom senso e incapacidade de ver o mundo com um pouco de sentimento, para notar que suas pregações demonstram a cada crise serem inconsistentes.

Seus heróis não morreram de overdose, mas de ter que engolir suas asneiras, sua pseudo sabedoria e insana postura perante o restante da sociedade. Coletivismo parece ser uma doença para o escritor, individualismo parece ser a solução, olho por olho, dente por dente, e todos acabaremos cegos e banguelas.

Por fim, fica um alerta ao tipo de escritor e manipulador que pode se tornar alguém com essa visão e postura, um dos indícios de pouca moralidade e discernimento é usar sempre de palavras de outrem para corroborar as suas idéias, citando textos e frases feitas. São assim os pseudo gurus.

Everardo disse...

São novos problemas, Rodrigo, os antigos problemas que permenecem insolúeis depois de várias tentativas de solução frustradas, com a pobreza e a desigualdade mundial, o lixo atômico, o comprometimento do meio ambiente, o desaparecimento do emprego, a intolerancia étnica e tantos outros que não se explicam simplesmente com base na "eficiência" das leis do mercado. O Mercado é um instrumento, apenas, de um sistema econômico ultrapassado, baseado nas leis evolucionistas e no mecanicismo. O exagero positivista atrofiou a capacidade do homem de ver a natureza e a vida de forma global e íntegra, para hipertrofiar a sua visão egoísta, da qual se destaca o tal liberalismo de mercado.

Rodrigo Constantino disse...

Ao Ailton Amaral:

Quando o sujeito acha que o PSDB é um partido "de direita", acha que se não for socialista é um conservador (eu??? hehehe), e chama livre mercado de "lei da selva", é melhor nem perder tempo com ele. Caso perdido!

Rodrigo Constantino disse...

Ao Everardo:

São VELHOS problemas! Os MESMOS de sempre. Governo invadindo a liberdade individual, governo planejando a economia de cima para baixo e causando miséria, etc. Os MESMOS problemas!

rubronegro disse...

Rodrigo, parabéns pelo seu engajamento contra essa estupidez reinante. Imagino como seu estômago deve ter embrulhado ao ver o lamentável Ciro Gomes botando banca e dizendo que o estado é pequeno e não tem onde cortar...

Saiba que, apesar da enorme quantidade de gente que não tem capacidade (ou honestidade) intelectual - como o nosso amigo aí em cima - pra contestar um pensamento tão simplista como o de que os empresários são malvados e o governo bonzinho, tem mta gente honesta que produz, gera empregos, paga impostos e sonha com a liberdade/responsabilidade individual que apóia e colabora de alguma forma com essa tão nobre causa que vc defende.

Qto aos esquerdistas, o caso deles é de falta de competência (por isso preferem o coletivismo; que os competentes ganhem menos e os incompetentes ganhem mais) ou de capacidade/vontade de reflexão, já que ficam presos à primeira análise que vem à suas cabeças e se recusam a ver as coisas como são.

Acontece que, como vc disse, a razão está do nosso lado e a "esquerda" depende da ignorância e da baixa qualificação profissional do povo. Eu sei que o Brasil ainda está longe de ter um povo mais educado e capacitado, mas a tendência é que isso aumente e a esquerda fique cada vez mais fraca, até virar motivo de vergonha pros militantes-do-trabalho-alheio.

Um fator positivo - e paradoxal - que vai ajudar nesse processo é que os partidos de esquerda, como o PT (o PSDB é uma esquerda light e, pelo menos, responsável), fazem tanta coisa errada que cavam sua própria cova (vide os inúmeros casos de fogo amigo e de escândalos desse governo). E a imprensa brasileira, por mais que faça vista grossa a algumas aberrações de esquerda como nossa política externa, adora denunciar falcatruas. Isso, aliado a todos os males advindos da esquerda, é uma fórmula que tem tudo pra dar certo.

Aliás, acho que a nova geração - que não viveu os anos 90 - deve ver o PT como "os burocratas que só pensam em se dar bem" e as coisas, graças à nossa heróica alternância de poder, vão se inverter naturalmente.

PS1: o Serra tem idéias de esquerda mas é um cara responsável e que ralou mto na vida, ou seja, diferentemente da maioria dos esquerdistas, sabe mto bem o valor do trabalho. vou votar nele por ele estar a anos-luz dos demais candidatos

PS2: coloca um RSS no seu blog!

Saudações de um carioca empreendedor

Rodrigo Constantino disse...

Obrigado pelo apoio, Rubronegro (torço pelo Flamengo também).

Quanto ao Serra, até acho que ele dá mais valor ao trabalho, mas seu autoritarismo arrogante me assusta. Ele acha que é capaz de TUDO!

PS: o que é RSS? Ignorância minha...

rubronegro disse...

RSS é uma forma de se monitorar o que é publicado em um site, como uma editoria de um jornal ou um blog.

Com isso, vc pode ter um leitor de RSS (como o www.netvibes.com) e agregar nele vários sites que vc queira acompanhar sem precisar visitá-los para ver o que há de novo.

Procure na administração do seu blog, deve ter alguma opção para ativar ou não o "RSS Feed" ou "Atom".

Se ainda tiver dúvidas, "tâmos aí".

SRN ;)

Adriano disse...

Rubronegro, o Blogspot oferece RSS por padrão: http://rodrigoconstantino.blogspot.com/feeds/posts/default?alt=rss

Quando vc estiver em dúvida se um blog tem ou não RSS, abra o código-fonte HTML e procure RSS ou feeds.

Rodrigo, parabéns pelo texto e fique sabendo que seu site tem RSS. Aliás, vale muito a pena vc investir um tempo pra aprender a usar um concentrador de feeds como o Google Reader. Abraços!

Ailton Amaral disse...

Ao Rodrigo,

Pois é, pensei a mesma coisa quando li seus textos, sei que pode ter tido alguma dificuldade e compreender o que escrevi, mas vamos lá, quando falo em conservadorismo não falo somente em visão política estreita, mas principalmente da mentalidade pequena de manutenção do já existente sistema de subjugação da maioria, isso não tem nem tanto a ver com socialismo, mas com preservação da espécie, que parece não ter muita importância na cabeça dos pseudo pensadores libertários da atualidade.

Por outro lado, existem socialistas conservadores politicamente também, que não querem perceber a evolução sistemática e cultural, esses querem implantar o socialismo nos moldes dos livros e manifestos. No entanto, o socialismo vive em ações, em visões de um mundo melhor e de um futuro mais igualitário, sem o radicalismo que você diz existir.

Usando de um dos seus meios de ação, para ficar claro a minha posição em relação a liberdade, cito: "Posso não concordar com uma palavra do que dizes , mas lutarei até a morte pelo direito de você dizê-las." Voltaire.

Ailton Amaral disse...

Ao rubonegro,

Então, parece que a visão reinante nas cabeças de pequenos pensadores é muito parecida. Primeiro a retórica banal de transformar palavras e frases de outrem em armas é comum nas ações de pseudo cidadãos de bem, como preferem se chamar, daí levar uma idéia para o outro extremo somente para atacar outro debatedor é pura ignorância; bom esclarecer que não defendo governo, em nenhum momento em minhas palavras deixo isso claro e em nenhum momento generalizo a questão de empresários serem todos malvados, ao contrário, só coloco aqui para pessoas que não pensam, como parece ser seu caso, você sim tem uma visão simplista, que governos não são corruptos sem segundo setor corruptor ou vice e versa. Não tenho que provar nada em relação a minha honestidade nem competência intelectual, mas é bom esclarecer, já que generalizou, que apesar de ter uma visão mais para o socialismo e para o bem estar social, não vejo um país dando certo sem liberdade do cidadão, alias, sem mecanismos para promover a liberdade não existe porque de elevar nenhum sistema de governo ou regime ao poder. O problema de mentes alijadas de iniciativa é que engolem as teorias de alguns gurus da direita, mesmo que eles quebrem ou levem países a quebradeira, e continuam a proferir suas besteiras enquanto dura suas vidas.
Estranho é alguém defender uma guerra para saquear outros que não tem como se defender, isso é o que suas idéias transparecem. Os empresários que provavelmente são seus ídolos, são os mesmo que deixaram o país nessa situação, e não estou falando de pequenos empresários, falo dos que ai sempre estiveram, na ditadura ou não, esses que continuam sendo donos do Brasil. Veja os números e pense por si, ai tente encontrar alguma justiça nessa pregação inútil que faz, se possivel, estenda seus pensamentos um pouco alem, para avaliar a questão da justiça social, acha que estaríamos nesse pé se o país não estivesse nas mãos de tão poucos? Os empresários que você admira são os mesmos Constanino’s e Camargo’s? ou tantos outros? Os políticos que você merece são os mesmos que estão no poder? Pois é, foi essa lógica sempre usada na política nacional e no empresariado brasileiro até hoje, ou acha que a FIESP realmente não tem rabo preso com políticos sem índole?

Kelvin disse...

AFFF Quanta falta de lógica... o Ailton pregando uma coisa que o Rodrigo não disse, Ailton leia mais um pouco os artigos do Rodrigo para entender o que é liberalismo...Vc confunde liberal com conservador...

Sobre o que o Rodrigo disse...legal... voto nulo é uma das bandeiras de alguns "marxistas", os troskistas da 4 internacional...mas o Rodrigo não ia admitir que pensa igual a alguns "marxistas", pois ao juntar tudo num mesmo saco, perde-se as nuances do diverso... É claro o importante aqui é defender a liberdade individual, eu concordo, mas dai, igualar todos os "esquerdistas" com "marxistas", e igualar todo "marxista" com marxinianos é generalizar de mais, e chega-se ao preconceito puro e simples: Ah! ele é marxista, Ah! Ele é esquerdista, raspa com ele...kkkkk

Rodrigo quem você acha que disse isso: "não se pode se contentar em tomar a máquina do Estado ... precisa de destruí-la..."

kelvin disse...

Sabe, sou contra o modelo representativo... pois pode-se colocar um sujeito lá, da-se uma cheque em branco pro sujeito e ele passa 4 anos fazendo m... com todo seus amiguinhos. agora tire!!!! os cidadãos só tem o direito de voto, mas o de cassação não...(impeachment...ha ha ha piada... é mais fácil enterro de anão...) acho que este modelo já está falido.. Voto Nulo neles...

Kelvin

Everardo disse...

Kelvin, a representaçâo indireta tem esses defeitos, você tem razão. Dinheiro e mídia "fazem" um "bom" candidato...Mas, a democracia direta é impraticável na tual complexidade da sociedade. Pode ser que, num futuro próximo, por meios eletrônicos mais aperfeiçoados, a gente possa decidir ao menos as coisas mais importantes, diretamente. Mas, lembre-se, as consciências também não estarão "livres" da influência da mídia. Por isso, é importante o processo legislativo, a discussão, o contraditório, antes da coisa virar lei. Mas, sobretudo, é importante pensar no aperfeiçoamento da democracia.

fejuncor disse...

A classe política que aí está bem como o Congresso e afinal a estrutura administrativa brasileira como um todo parece que não têm mais condições nem razão existir. Ela gera atraso, fome, corrupção, crime organizado. Ele é um repositório de patifes. Não dá mais. Os estados não suportam mais pagar tanta obscenidade, tanta leviandade. Até os filhos bastardos dos senadores são sustentados pelo senado. A Nação não aguenta mais.

E esse Flávio Arns do Paraná é mais um obscurantista hipócrita, misticista, que agora está assustado com o trágico desfecho que se avisinha, e não quer ser linchado nas ruas. É só mais um covarde.

Everardo disse...

fejuncor, a Monarquia, como as ditaduras republicanas fardadas, não voltam mais ao Brasil. Esqueça esse delírio.