quinta-feira, junho 27, 2013

Ativismo de rua é vantagem para a esquerda

Ou Profissão: Revolucionário

Rodrigo Constantino

Vou tentar explicar de forma bastante sucinta porque a tendência é o ativismo das ruas virar monopólio das bandeiras de esquerda, como sempre foram. Entender essa lógica é fundamental para aquele grupo de liberais ou libertários empolgado com as manifestações, pensando ser possível capturar as ruas para o lado de cá.

O liberal, por definição, possui visão antiestatizante e mais individualista, menos coletivista. Além disso, ele costuma defender a meritocracia e o livre mercado, premiando o esforço do indivíduo. Isso faz com que ele, normalmente, valorize bastante a educação, o trabalho, a preparação em nível individual para subir na vida.

Em meu tempo de PUC, a distinção não poderia ser mais clara: no mesmo pilotis, habitavam os futuros economistas e advogados, aproveitando o tempo vago entre aulas para estudar, e o pessoal de comunicação, que formava o grupo "Cambralha", uma turma que parecia ter tempo vago infindável para fumar maconha e "debater" sobre os males da humanidade.

É claro que estou generalizando e, portanto, sendo injusto com muitos casos individuais. Mas o grande quadro era esse mesmo. Lembro-me perfeitamente quando a lanchonete Subway anunciou que teria uma filial na faculdade. Os economistas e advogados agradeceram mais uma opção de lanche rápido, e os esquerdistas do "Cambralha" fizeram o que mais gostam: um teatrinho para protestar, com todos de mãos dadas lutando contra o "capitalismo". O slogan era "A PUC não é shopping center". Losers...

Mas eis o meu ponto principal: liberal quer ralar para ser alguém na vida, e para tanto precisa estudar e trabalhar. Já muito esquerdista, desde cedo, percebe que há uma alternativa para os vagabundos: pegar megafones, gritar slogans populistas, vestir camisa do assassino Che Guevara e pintar o rosto em passeatas. Eles aprenderam que alguns chegam até ao Senado com essa incrível trajetória! Os outros, como prêmio de consolação, ganham postos em sindicatos e estatais.

Logo, quanto mais tempo a "ocupação" das ruas demorar, mais os liberais terão que abandonar a farra e retornar para suas vidas cansativas, de dedicação aos estudos e ao trabalho. Já os esquerdistas verão nisso uma oportunidade para seu futuro na política, nos sindicatos, na UNE. A desvantagem é evidente para o lado liberal.

Para piorar, há a questão do financiamento. O liberal acredita na responsabilidade individual e condena o estado inchado; já o esquerdista adora mamar nas tetas estatais! Ele suga os impostos dos outros via ONGs, sindicatos, patrocínios estatais etc. Nenhum grupo com bandeiras liberais terá fôlego para manter um exército de ativistas nas ruas; os esquerdistas vivem disso!

As manifestações têm sido marcadas cada vez mais cedo, no meio da semana. Quanto mais tempo isso durar, menos adesões de liberais veremos, e maior será a parcela dos esquerdistas defensores do grande estado. Além disso, os liberais também vão acabar retirando seu apoio, pois manifestações no meio do dia são desastrosas para os negócios. Quem depende do lucro para sobreviver não pode se dar ao luxo de parar dia sim, dia não, de perder faturamento. Já quem vive de impostos pode passar o dia inteiro nas ruas, pregando um "mundo melhor".

Espero ter deixado bem claro porque os liberais deveriam condenar esse tipo de "democracia das ruas". Ela estimula a demagogia, o sensacionalismo e o populismo, e ainda por cima se torna território quase exclusivo, com o passar do tempo, da esquerda. Esse não é o nosso campo de batalha.

15 comentários:

Fredson DIOGO DIAS disse...

Rodrigo.. bem colocado... mas gostaria de ver um texto seu sobre qual é a nossa área? como trazer pessoas a causa liberal?

Unknown disse...

Tenho refletido sobre o poder do liberal, visto que possui capital financeiro, mas pode sofrer pela união entre comunistas, que tem capital social. Como superar isto?

Anônimo disse...

Rodrigo,fique tranquilo,isso não vai dar em rigorosamente nada,segunda-feira com o fim do torneio de futebol e consequentemente dos "olhos" do mundo indo embora,os vagabundos vão parar de fazer protesto,esse gente quer audiência,todos estão cansado dessa baderna,isso vai acabar mais rápido do que começou.

Rafael disse...

Hahaha! Eu ri do "losers".

Bastante didático. Então retomemos o trabalho e os estudos. Aliás, não me lembro a última vez que me dei ao luxo de largar o trabalho durante uma tarde inteira.

Abraços

Edu disse...

Os esquerdistas estão condenados a pequenos protestos agora. Quando invocarem a "massa" para ir às ruas, vão ser enxotados do mesmo jeito que começaram. A "massa" já mostrou que é majoritariamente de direita e que não gosta deles.

Pode ver que pífias estão sendo as manifestações agora. 500 na Paulista. No máximo 5000 não sei aonde, com presença forte de arruaceiros. Não vai levar muito tempo para que sejam encarados como são pela "massa": encrenqueiros. Inclusive pelos governos em geral.

Saulo Mendes disse...

Rodrigo, você está se esquecendo dos próprios estudantes, que mesmo sendo liberais esforçados com os estudos, têm mais tempo livre..

Vic disse...

Pode ajudar um pouco nisso marcar com tinta, como em Campinas, os arruaceiros e depois os prender... E os identificar a quem estão a serviço...

lgn disse...

O curioso nisso é que, se o Brasil se dirigir ao socialismo, com o Estado aparelhado com os "humanistas" e coletivistas de plantão, haverá quem os lembre que as experiências feitas com esse regime não cria riquezas.O que se acaba distribuindo para o povão é pobreza, senão miséria. Mas, como dizia Roberto Campos: "Os esquerdistas, contumazes idólatras do fracasso, recusam-se a admitir que as riquezas são criadas pela diligência dos indivíduos e não pela clarividência do Estado."

Pablo Moron disse...

Lembrei dos meus tempos de PUC tb Rodrigo, retrato fiel, quando o santander abriu uma agencia lá, picharam o tapume, fora "satãder", isso ficou gravado na minha memoria, vale lembrar que aqueles rastafaris maconheiros de camisa do che e chinelos de dedos, saiam de lá em suas mercedez e cuspiam na cara dos pedintes na rua, santa hiprocrisia batman!

Hely disse...

O problema dos liberais é que são intelectuais, racionais e éticos demais, não sabem lidar com o emocional que movimenta as massas.
Esta é a vantagem da esquerda. Ela vem se especializando a décadas na manipulação deste lado passional humano, que com avanço e recuos estratégicos, atuando no inconsciente coletivo, produz os resultados desejados.
Diferente da direita moralista(no sentido teológico), a esquerda não tem o menor pudor em mentir, manipular, constranger e principalmente explorar um certo "altruísmo demagógico", presente no inconsciente coletivo como compensação a carga de culpa que as filosofias religiosas ocidentais impuseram por séculos como estratégia de controle e domínio social.
O liberal é como um marisco lutando para sobreviver entre a rocha moral(direita) e a onda subversiva(esquerda) que, principalmente neste mundinho subdesenvolvido da America do Sul, ainda predomina com certa virulência.
Neste contexto atual, a melhor estratégia seria o liberalismo agir como contra peso, equilibrando estas duas forças, não permitindo que o predomínio de uma sobre a outra resulte num totalitarismo catastrófico.

Alberto disse...

Rodrigo não concordo totalmente, pois você pode ver como o pessoal tem tratado esse pessoal nas manisfetações, eles tem sido praticamente enxotados das manifestações e isso não acontece apenas em São Paulo aqui no Rio Grande do Norte a mesma coisa quem vai para levanta a bandeira de algum partido é imediatamente mandado baixar com os gritos de "Sem Partido" pode ser que eles se manifestem mais tarde, mas por enquanto a coisa tá feia para eles. E isso não é só nas manifestações que ocorre não, sou funcionário dos Correios(mais tenho pensamento liberal uma raridade no serviço público) e há uma crescente desfiliação do Sindicato dos Funcionários dos Correios no Estado, pois o pessoal esta cansado dos mesmos vagabundos que tomam conta do Sindicato a 20 anos.

Marcio disse...

O GRANDE SEGREDO DAS MANIFESTAÇÕES ESTÁ EM COMBATER TUDO DO "POLITICAMENTE CORRETO" DA "DEMOCRACIA" do PT!
Se continuarem as manifestações apenas reivindicando quero isso ou aquilo, por lógica o povo até continuará a admitir o socialismo, mesmo o corrupto PT desde que seja mais benevolente, que satisfaça suas necessidades de forma a atender seus desejos, o quanto basta.
Nesse caso, mais se pareceriam galinhas que, após receberem alimento e mesmos os animais em geral, deitam-se, ficam satisfeitos.
O povo teria de levantar outras bandeiras, como da real democracia, não da "democracia" do PT, e de tudo contra o POLITICAMENTE CORRETO, e defender os princípios cristãos da fé e da DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA.
Assim, os movimentos de rua farão efeito, surtirão novos resultados e saída do socialistas do poder!Esse é o segredo de deposição dos comunistas do poder, terem novas metas que não apenas reivindicações materialistas.

Unknown disse...

Rodrigo,acho que vc preferiria nenhuma manifestação...

Tavares disse...

Os esquerdinhas adoram esse tipo de generalização canhestra.

E é assim mesmo que eles desejam que a direita pense e aja.

Se as pessoas de direita passam tanto tempo trabalhando e estudando, quem lê seu blog e assiste seus videos?

Ser liberal, ser individualista não significa viver preso em um mundo particular, isolado do que acontece na sociedade. Seu pensamento é século dezenove.

edufilo disse...

Caro, Constantino.

Tenho visto vários professores de escola pública nesse oportunismo, semelhante aos casos, aqui citados e que você ilustrou muito bem com o exemplo enquanto estudante da PUC.
Meu sindicato APEOESP, dominado majoritariamente pelo PT prima por políticas nefastas!
Observo, que os sindicatos em geral, primam por fatos políticos e já tenho relatos de acordos entre a diretoria e o governo, combinando algumas "vitórias" e "passeatas" para mostrar a democracia que é viva e saudável!
Sinceramente, não têm como fechar os olhos a muitas verdades do liberalismo.