segunda-feira, junho 24, 2013

Constituinte petista é golpe!


15 comentários:

Anônimo disse...

Por coincidência, no mesmo dia, a OAB Federal e um tal MCCE lançam um projeto de reforma política, via lei, que, dentre outras coisas, destina 85% dos recursos do fundo eleitoral(autoproclamado "Democrático", para não esconder as digitais) conforme as representações na Câmara.

É, ou não é muita coincidência?

Anônimo disse...

Rodrigo,

Não tenho nem vírgula a antepor ao que você disse, ou àquilo que o Reinaldo Azevedo tem defendido. Mas tenho algo a acrescentar. Não vejo, não consigo ver, clima para que eventuais atos autoritários sejam duradouros. A esperteza do PT, mormente de escamotear más intenções por trás de teses quase lúdicas, é conhecida. Mas, repito: certas demandas populares não ficarão represadas por muito tempo. Comparo as explosões de agora a uma panela de pressão que estourou (e como estourou), mas podia, ainda, ser muito pior. E será, se a saída for pela esquerda, com mais autoritarismo e com mais gasto público (e deverá ser). Além disso, embora devamos estar sempre atentos, também não acredito que haja ambiente para rupturas institucionais. A reação seria muito maior. Acho que estamos dando ao PT mais crédito do eles mesmos se dão. A história é feita em capítulos. Essa etapa que vivemos não termina com as idéias da Dilma (que não vingarão). Eu gostaria muito que fôssemos capazes de usar o voto, só o voto, para resolver nossos problemas, mas, seriamente, em quem você vota? Não vejo um único nome sequer que defenda idéias sequer semelhantes às suas, e não me julgo o mais ignorante dos homens. O que vejo é um sistema que sequer permite o surgimento de líderes que defendam idéias amplamente liberais. O que fazer? Educar o povo primeiro? Mas quem irá educar? Os marxistas que grassam pelo ensino público e privado? Acho que liberais e conservadores estão perdendo uma chance única de propor a sua própria agenda. Uma parte considerável dessa gente nas ruas defende teses conservadoras. Até os trogloditas do MPL viram isso e fizeram um recuo. Política precisa de povo, e o povo, de líderes (de preferência, de faróis). A barca da história passa, e o apego ao legalismo, contra fatos inexoráveis, joga essa gente toda no colo dos piores líderes. As críticas são pertinentes, mas seria melhor, muito melhor, pegar essa gente pela mão e guiá-los. A crítica, por mais pertinente que seja, nem sempre é a atitude mais conveniente. Não há necessidade de transigir com o erro, menos ainda de apoiá-lo, mas é aquela história: nem toda hora é hora de repreender. Às vezes, a repreensão só provoca baixa de auto estima. Às vezes, mesmo diante do erro, é necessário incentivar. Não o próprio erro, mas uma pequena mudança de rumos. Entre o não peremptório e o "sim, mas...", não há diferença de conteúdo propriamente; o resultado prático e psicológico, porém, pode variar muito. Hoje, o "não", por mais correto que seja, do ponto de vista jurídico e moral, tende a simplesmente afastar essa gente toda e suas boas intenções. O "sim, mas..." poderia corrigir os erros, e manter os inúmeros acertos de conteúdo e sentimento. Você tem filhos? Pense quantas vezes você simplesmente os "desviou" do mau caminho sem precisar dar um esporro monumental(perdão pela linguagem coloquial). O modo de lidar com as massas não é assim tão diferente.

Paulo Portinho disse...

Caro Rodrigo,
Sou seu colega escritor e sempre admirei sua liderança e sua coragem.
Mas vim aqui criticar severamente seu vídeo. Já tentei fazer isso com o Reinaldo Azevedo, mas ele está num dead lock de vaidade que não permite raciocínio. Ele está há 8 dias tentando provar seu ponto, o que mostra que não está sendo bem recebido.
Mas aí vai a crítica. É honesta, mas é dura. Espero que leia e compreenda:
1- Medir a eficácia das manifestações pelo que conseguiram até aqui, é desonestidade intelectual. Conseguiram redução de 0,20, mas não conseguiram o fim da corrupção. É isso?
2- Colocar nas costas da manifestação a constituinte, só pode ser brincadeira. Ou então vocês não participam de redes sociais. A proposta está sendo trucidada por lá.
Aliás, a oposição PELA PRIMEIRA vez está tendo papel de protagonista nas críticas ao governo. Hoje no JN, Agripino e Freire humilharam os interlocutores do governo. Assim como o jurista convidado.
Passaram a imagem de uma Dilma iletrada e despreparada.
E justamente por conta da manifestação!
Antes falavam para as paredes. Hoje estão com o mesmo espaço do governo, e com mais discurso.
O PT está tentando propor a constituinte há tempos.
O fez agora, acuado e nas cordas.
E se tivesse feito com 80% de aprovação?
A impressão que dá é que você e o RA gostariam que assim fosse.
Segue...

Anônimo disse...

O projeto de lei de "iniciativa popular" proposto pela OAB, CNBB e MCCE, contempla, como também quer o PT, o financiamento público e o voto em lista (mais aberta que o do PT, creio).

Talvez o d plebiscito para a "constituinte exclusiva" seja um "bode na sala" para facilitar a aprovação do outro pelo Congresso. Até porque essa tal "constituinte exclusiva" é uma aberração jurídica, pois criaria uma constituição paralela. A constituinte inaugural é sempre originária e total. Depois dela o que se tem é a derivada, exercida pelo próprio Congresso, por aprovação de emendas à Carta original.

Carlos disse...

Não te entendo. O fato do PT mostrar sua verdadeira face não é bom? Acho que o PT só tá no poder por tanto tempo porque soube muito bem esconder seu lado negro. Quando esse lado começar a ficar visível para a população geral mais fácil será tirá-los de lá no voto.

Paulo Portinho disse...

3. A comparação do fenômeno da semana passada com as passeatas organizadas pela esquerda radical é, no mínimo, preguiça intelectual.
Vocês generalizam um movimento que nem conhecem.
Além de ser uma total inutilidade. Qual é a utilidade desses comentários fáceis tipo: baderna não se tolera, precisamos de ordem, não aprovamos esses métodos, os fins não justificam os meios etc. Cara, parece que vocês querem sair limpinhos "no matter what happens".
Cara, as pessoas estão nas ruas influenciadas por gente como você e o RA. Vocês são vozes VIRULENTAS e VIOLENTAS contra o PT e o projeto bolivariano.
Agora querem se esconder atrás de platitudes, obviedades?
Bom o resto do vídeo é um misto de inutilidade, arrogância e covardia.
Inútil, pois vê um movimento gigantesco, o maior da história do país, e simplesmente diz que ele precisa acabar. Diz que não é assim que se consegue as coisas. Não saia para o play.
Arrogante, pois você, talvez influenciado pelo RA, realmente acredita que sabe o que é certo ou errado para o movimento ou para o povo. Vocês exigem de um movimento sem líderes, instantâneo e espontâneo (nas palavras da inteligência do exército), comportamento de movimento organizado. Com pedido prévio para sair às ruas. Só pode ser piada.
E covarde porque não é essa atitude que se esperava dos mais virulentos críticos do PT e de seus métodos, agora que o povo está nas ruas.
Se vocês têm tanto medo que o PT use essa massa, então ofereçam-se como liderança intelectual.
Por fim, pergunte-se: sua atitude, de condenar o único movimento espontâneo e FORA da esquerda da história do país, realmente ajuda na sua luta para tirar o PT do poder?
Cara, faça essa pergunta e pare com essa besteira de "métodos". Há infinitos métodos lá. Inclusive gente infiltrada por donos de vans (RJ), bandidos enviados para enfrentar a polícia (MG) e militantes de extrema esquerda.
Ao tratar o movimento pelas atitudes destes, vocês chamam crianças, idosos, aposentados, mulheres grávidas, estudantes etc. de bandidos. É isso mesmo, é como um manifestante honesto se sente ao ler o que vocês estão escrevendo.
Vocês abandonaram vergonhosamente o movimento que incitaram. Ou vocês acham que revelar a safadeza do PT não gera raiva?
Quem gosta de ser roubado?
Rodrigo, delete esse comentário e, PELO AMOR DE DEUS, sai desse barco do Reinaldo Azevedo.
Dizer que pode acontecer coisa ruim é uma platitude. É óbvio que pode. Mas também pode acontecer coisa boa.
Se vocês realmente resolverem jogar tão pesado contra o povo que SEMPRE os prestigiou, espero que apareçam rapidamente outras lideranças que consigam direcionar esses movimentos.
Ah... por fim II. A realidade é essa. A internet é essa. As redes sociais são assim. Esses fenômenos estão acontecendo.
A postura de vocês parece uma "negação" dessa realidade.
Essa organização viral só vai acabar se acabar a internet, o 3G etc.
Não vão sugerir isso, né?
Acorde você, porque você já ajudou o Brasil a acordar e agora resolver dormir. Coragem!

Leopoldo Dogher disse...

Concordo com o que você falou.
Gostei do blog, passarei a frequentar.
Uma sugestão: mudar a fonte e aumentar o tamanho das letras. Tá difícil de ler. Abs.

Anônimo disse...

Juridicamente, também é golpe: art. 60, §4º, da CF.

Apologia a golpe de estado, perpetrado por um presidente, é caso de impedimento.

Chicão disse...

Rodrigo,
Conhece a expressão "se a vida te der um limão faça uma limonada"? A mensagem de otimismo e esperança, típica dos famigerados manuais de autoajuda, sob a rapinagem do governo federal toma contornos de oportunismo perverso. Dilma está pegando todos os limões (ovos e tomates) arremessados contra seu governo por boa parte da sociedade bem intencionada que participou de protestos e manifestações, e transformando em um suco que descerá amargo pela garganta dos brasileiros.
Vejamos:
• atrelar uma área nobre e cara a todos nós como a educação, aos rendimentos de commodities (no caso o petróleo) cria uma pressão natural para aprovação rápida de medidas, arbitrárias ou não, que beneficiem Petrobrás (que anda problemática), pré-sal, etc. Um político que vota contra, sob qualquer base argumentativa, será considerado “contra a educação”. Uma arapuca...
• atrelar a urgência da tal reforma política a um plebiscito para convocação de uma constituinte exclusiva, cria precedente para novas constituintes exclusivas, que criam precedente para enfraquecimento da Constituição, que cria precedente para um golpe. Mais: no meu entendimento (se o caminho for esse), se o povo, muitas vezes iludido, aprovar a tal proposta e os legisladores fizerem o mesmo por medo de pressão popular, fica a critério do Supremo, barrar ou não. Se eles barrarem, será uma boa maneira de arranhar a imagem dos juristas que condenam mensaleiros. Quem sabe um começo para medidas que diminuam o poder do STF...
• E o óbvio: a sensação de que algo está sendo feito, para que o evento esportivo em curso termine sem maiores sobressaltos.
Por favor continue dando seu grito. Um grande abraço!

Filipe Penna disse...

Cara, é método. É oportunismo! A tentativa da vez.

Cito aqui um trecho do "Documento Base do XIX Encontro do Foro de São Paulo", que acontecerá entre 31 de julho e 4 agosto deste ano. Lembro que quem organiza esse seminário é o PT.

"Os partidos políticos agrupados no Foro de São Paulo têm, portanto, um triplo papel: orientar nossos governos a aprofundar as mudanças e acelerar a integração; organizar as forças sociais para sustentar nossos governos ou para fazer oposição aos governos de direita; e construir um pensamento de massas, latino-americano e caribenho, integracionista, democrático-popular e socialista.
Parte importante do aprofundamento das mudanças e premissa da construção de um pensamento latino-americano e caribenho, é a democratização da comunicação social e dos poderes judiciários."

Olhe aí: organizar as forças sociais para sustentar nossos governos, construir pensamento de massa socialista e por aí vai.

Democratização da comunicação social é um eufemismo para censura. O PT tentou criar órgãos de controle social para regular o que os jornais publicam - Conselho Federal de Jornalismo, Plano Nacional dos Direitos Humanos.

Em 1787 Thomas Jefferson escreveu: "[…] and were it left to me to decide whether we should have a government without newspapers or newspapers without a government, I should not hesitate a moment to prefer the latter."

Democratização dos poderes judiciários foi o que a Kirchner tentou fazer na Argentina para amordaçar, subjugar o equivalente ao STF de lá. Imagine um STF aparelhado pelos pelegos de plantão.

Está escrito. É o que eles pensam. Inegável. Agora, isso é altruísmo puro e resposta ao apelo popular por uma reforma? Depois de 11 anos? Você acha que o Lula é bobo e ingênuo?

Isso aí, meu amigo, tem um nome: comunismo.

Repito, e vou repetir um milhão de vezes enquanto minha liberdade de expressão não for extirpada: Não! Mil vezes, não ao Brasil bolivariano.

Anônimo disse...

Continue escrevendo e postando. As pessoas não estão se atinando para o que está acontecendo. Estão querendo mudança, mas não pararam para pensar que essa mudança pode ser pra muito pior. Não podemos mais contar com o otimismo dessas pessoas que pedem mudanças genéricas e urgentes a "tudo que está aí". Vai piorar... e MUITO!

Anônimo disse...

Paulo Portinho,
Apoiado!
Teus comentários qualificaram o debate.
Atte,
Eduardo S.P.

Sergio Quintela disse...

Pra quem acha a fonte pequena: pressione o 'CTRL' e o '+'.
Ou coloque esse plugin: http://evernote.com/intl/pt-br/clearly/ tem pra FF e Chrome.

Sergio Quintela disse...

Pra quem acha a fonte pequena: aperte 'CTRL' e o '+'. Ou instale o Clearly: http://evernote.com/intl/pt-br/clearly/ tem pra FF e Chrome.

Anônimo disse...

Olavo de Carvalho:

"Quaisquer que venham a ser os desenvolvimentos da onda de protestos no Brasil, sua primeira vítima está ali, caída no chão para não se levantar nunca mais, e ninguém sequer se deu conta da sua presença imóvel e fria: é a "direita" brasileira. Durante décadas, desde os tempos do governo militar, os partidos e movimentos de esquerda vieram construindo sistemática e obstinadamente o seu monopólio das mobilizações de massa, enquanto o que restava da "direita" , atropelado e intimidado por acontecimentos que escapavam à sua compreensão, ia se contentando cada vez mais com uma concorrência puramente eleitoral, tentando ciscar nas urnas umas migalhas do que ia perdendo nas ruas. Não sei quantas vezes tentei explicar a esses imbecis que o eleitor se pronuncia anonimamente de quatro em quatro anos, ao passo que a militância organizada se faz ouvir quantas vezes bem deseje, todos os dias se o quiser, dando o tom da política nacional e impondo sua vontade até mesmo contra um eleitorado numericamente superior. Mas a ideia de formar uma militância liberal e conservadora para disputar o espaço na praça pública lhes inspirava horror."

Pergunto eu:

Como poderia o Bope combater o tráfico de drogas em uma favela entrando nela com as mãos nuas?