terça-feira, novembro 02, 2010

Dia de Luto

Rodrigo Constantino, O Globo

O dia 2 de novembro foi escolhido como data oficial para a homenagem aos mortos. Gostaria de prestar aqui minha homenagem ao mais recente defunto brasileiro: a Ética. Seu falecimento gerou profunda tristeza em milhões de brasileiros. Não foi morte acidental, mas homicídio. Cinqüenta e cinco milhões de brasileiros executaram a Ética à queima-roupa, no dia 31 de outubro. As armas usadas: as urnas.

Esta eleição foi caracterizada pelo total desprezo aos valores éticos. O presidente Lula foi o grande responsável por esta lamentável postura. Colocou na cabeça que a única meta importante era eleger sua candidata, e qualquer meio poderia ser usado para tanto. O presidente da República, representante de todo o povo brasileiro, tornou-se um empolgado cabo eleitoral, ignorando as funções de seu cargo, as leis e o respeito às regras de uma democracia limpa.

A máquina estatal ficou a serviço do partido. Aécio Neves resumiu bem: “Presidente Lula sai menor do que entrou nesta eleição”. Lula mostrou ser um populista que só pensa nas próximas eleições, ao contrário de um estadista, que foca nas próximas gerações. Fazendo analogia com o futebol, ao gosto de Lula, foi como vencer com um gol de mão, sem legitimidade.

Durante as eleições, vários escândalos vieram à tona, envolvendo gente muito próxima de Dilma, como Erenice Guerra, seu braço-direito. Acusada de “tráfico de influência” no comando da Casa Civil, Erenice foi ignorada por boa parte dos eleitores. A mensagem, que já havia sido dada nas eleições de 2006, no auge do escândalo do “mensalão”, foi reforçada: não tem problema usar o Estado como patrimônio particular, desde que a economia vá bem.

O voto com o bolso representa um enorme perigo para a democracia. Lênin dizia que iria comprar da burguesia a corda usada para enforcá-la. Para agravar a situação, a naturalidade com que vários petistas abraçam ditadores mundo afora demonstra seu verdadeiro “apreço” pelo regime democrático, exposto também nas constantes tentativas de censurar a imprensa.

No vale-tudo para se perpetuar no poder, o PT apelou para o terrorismo eleitoral. Sua campanha espalhava que Serra iria acabar com o programa Bolsa Família, que tem suas origens no governo FHC. Em 2000, ainda na oposição, Lula chegou a acusar a distribuição de cesta básica de “esmola” que fazia o pobre votar com o estômago. No poder, o PT mudou de idéia e ainda espalhou que os benefícios acabariam se Dilma fosse derrotada. Resultado: o Nordeste votou em peso na Dilma.

Quem saiu bastante ferido nas eleições foi o Bom Senso. O PT resgatou do fundo do pântano ideológico o tema das privatizações para “atacar” os tucanos. Quem poderia, em sã consciência, condenar as privatizações do setor de telecomunicações? Quem hoje ainda consegue criticar racionalmente as privatizações da CSN, Embraer ou Vale? Mesmo assim, o PT ainda explora este sentimento nacionalista retrógrado, que confunde propriedade estatal com interesse nacional.

A campanha de Dilma abusou da retórica nacionalista, alegando que a candidata salvaria o pré-sal dos interesses privatistas do PSDB. Os tucanos não colocaram em pauta a venda da Petrobras, mas o próprio PT vendeu concessões de exploração ao setor privado. Eike Batista é prova disso. Para o PT da oposição, isso seria “privatização”. Mas para vencer a guerra das eleições, a coerência e a honestidade são as primeiras baixas. Vale até usar a estatal como braço partidário na campanha. Isso sim é uma “privatização” abominável.

O debate regrediu algumas décadas por conta da estratégia do PT. A demagogia atingiu patamares espantosos. Nunca antes na história deste país se viu uma eleição de tão baixo nível. Programas de governo deram lugar aos ataques pessoais nos “debates”. As perguntas importantes ficaram sem respostas. A candidata Dilma não explicou nada sobre os escândalos de corrupção, repetindo apenas que tudo está sendo investigado. O PT está “investigando” até hoje José Dirceu.

Os eleitores, anestesiados pelo bom momento da economia, aceitaram sem maiores cobranças as “explicações”. Venceu Macunaíma, o herói sem caráter. Fica uma enorme “herança maldita” que poderá levar gerações para ser desfeita: a idéia de que a Ética não tem lugar na política. É dia de luto para os que ainda acreditam em certos valores, e que não estão dispostos a fechar os olhos para infindáveis escândalos em troca de migalhas. Não se constrói uma nação livre sem alguns princípios básicos. Foi uma vitória de Pirro, com sabor de derrota. Metade do povo está de luto pela Ética.

49 comentários:

Anônimo disse...

eu viajei 250KM para votar em Serra. Há alguns meses não ía a meu domicílio eleitoral. Vi muitas placas com indicações de que "ISSO AQUI É UMA OBRA DO GOVERNO FEDERAL". Incrível! Obras que há muito já estavam lá mas que deu na telha do governo anunciar agora em loco que era sua obra do PAC para fazer o povo votar. Triste, muito triste

Convites disse...

Rodrigo. Fico feliz e muito admirada quando vejo um jovem como você, com esse espírito e clareza, expressar tão bem o pensamento de nós, a outra metade pensante. De todas as eleições que participei, essa foi a que mais me revoltou. A situação hoje está pior, porque há 30 anos atrás, a cegueira era involuntária. Mas a cegeuria de hoje, é dissimulada, fingida, em proveito próprio. Vi isso não apenas nos políticos do PT e seus coligados, mas também em pessoas conhecidas, jovens e adultos.
Muito a lamentar. Muito mesmo.
Um grande abraço e, a partir de agora, sou sua seguidora.
Marie Simone Sandy

Roberto Rachewsky disse...

Ética é um código de valores. Ética não se mata, se escolhe. Lula escolheu a Ética dos tiranos, a do mal, onde a Razão, a Liberdade e a Vida não têm importância.

ntsr disse...

'Lênin dizia que iria comprar da burguesia a corda usada para enforcá-la. '

Isso é uma coisa muito séria, o único defeito do capitalismo é que ele colabora com quem não colabora com ele.Se tu abre uma empresa num lugar com pessoas estúpidas vc vai enriquecer e criar recursos pros parasitas públicos que querem te dar um tiro pelas costas.
Esse é um problema sem solução.

Marcelo Martinho disse...

O povo votou com o bolso, num país onde as pessoas estão sentindo uma melhora econômica fica difícil o povo agir de forma contrária ao governo.

E sobre ética, toda vez que eu falava isso, vinha aquele discurso: mas todo mundo rouba!

Galoabatido disse...

O problema é que o brasileiro adora babá,inclusive grande parte do empresariado nacional.Sinceramente eu não tenho esperança,voltamos ao projeto de desenvolvimento da época dos militares.Estado gigante,Bnds favorecendo parasitas,Caixa Federal virando BNH(Lembra do rombo).Dilma vai continuar a política econômica que está ai e vai voltar a criar velhos esqueletos que foram removidos.Acho que os oito anos de reformas do Real irão para o brejo.Uma pena,voltaremos a andar de corcel II achando que e uma mercedes!!!!!

Anônimo disse...

Lembrando que na época da ditadura militar o crescimento econômico também era ótimo.

Anônimo disse...

A maior prova de que você tem toda razão é que Antônio Palocci foi o passaporte de Dilma para com os empresários!

João Luis Meloni disse...

Rodrigo,

1. É profundamente injusto dizer que a ética foi assassinada pelo voto da maioria. Mostra o seu lado elitista.

2. Sua análise foi completamente desequilibrada. Se o presidente não cumpriu com a liturgia do cargo (o que não chega a ser crime), e os jornalões, a Veja, e Rede Globo? Ultimamente tenho ouvido da extrema direita que a globo beneficiou a Dilma. E as edições que escondiam que Serra era recebido com manifestações onde quer que fosse? E a fusão de imagens para forjar o caso da bolinha de papel? E o "perito" Molina?

3. Você "confunde" bolsa família com a cesta básica pra comprar votos que ocorria antigamente no nordeste. Isto é de uma má fé enorme. Bolsa família é um benefício permanente, para famílias com filhos, vinculado à presença do
filho na escola. As cestas para comprar votos eram distribuídas em véspera de eleição. Não seja desonesto, seus leitores esperam mais de você.

4. Máquina do estado? Onde? A voz do presidente não é máquina e nem é do estado. Não confunda as coisas. O presidente é um brasileiro e tem o direito de manifestar sua opinião.

5. O caso da Erenice está sendo investigado pela polícia federal. O caso do Paulo Preto está bem escondido. O povo não é bobo. Sabe ver onde existe mais ética.

6. O voto com o bolso representa enorme perigo para a democracia, exceto, é claro, se o voto for na estabilidade do real de FHC-Serra, não é mesmo? Seu argumento é casuísta.

7. O governo Lula tornou o petróleo no Brasil, menos privado com o regime de partilha. Isso você não pode negar. E o regime de partilha foi duramente criticado pelo PSDB, até durante a campanha eleitoral. Juntando a isso a tentativa de privatizar a "Petrobrax", nada mais natural do que os argumentos da campanha da Dilma.

8. Se você acha insuficiente a resposta "tudo está sendo investigado", que tal a ausência total de respostas sobre os escândalos do governo FHC e Serra em SP, justamente porque nada foi investigado? "Tudo está sendo investigado" é uma ótima resposta, Rodrigo. O executivo não é polícia, e quando se mete a ser não investiga direito. Deixe a polícia federal investigar e os tribunais julgarem.

9. Você interpreta muito mal o Macunaíma, provavelmente não o leu. "Nenhum caráter" não significa falta de ética. É preciso respeitar Mário de Andrade. "Nenhum caráter" faz alusão ao aspecto multiracial e multicultural do povo brasileiro. Coisas que a direita não consegue entender.

10. Acabou a eleição. Vocês foram derrotados pela vontade do povo. O povo não é burro. Ele percebeu que o PSDB passou 8 anos dizendo que era necessário controlar gastos e, durante a campanha, Serra prometeu mundos e fundos sem dizer de onde o dinheiro viria. Aliás, a campanha acabou e Serra sequer apresentou o seu programa de governo. Ao invés de lamúrias, o que o Brasil precisa é de uma oposição que democraticamente aceite o resultado das urnas e comece a criticar com consistência e propor modelos alternativos.

Para ficar claro: apesar de votar em Dilma, sempre defendi José Serra nas discussões. Eu tolerei até mesmo a demagogia da santarronice. Mas a farsa da bolinha de papel revelou de maneira explícita toda a desonestidade deste senhor e hoje não tenho mais coragem de defendê-lo.

Rodrigo Constantino disse...

João, vc escreveu MUITA besteira, mas estou de saída agora. Se quando eu voltar um dos leitores não tiver refutado seus pontos, eu mesmo o faço.

Dick disse...

Constantino, você disse tudo. E com perfeição, como sempre. Nem tenho nada a acrescentar.

Eu admiro gente como você, inteligente e simples, que ensina e aprende, aprende e ensina, e traz mais lucidez e lógica a este mundo cheio de espertalhões hipócritas.

Anônimo disse...

Achei seu texto muito bom.
Aliás, fiquei feliz em saber que tem gente que pensa como a gente e você conseguiu transcrever tudo o que eu vinha sentindo desde o resultado doloroso das urnas , domingo passado.
Parabéns e continue nos alimentando com suas idéias e mostrando que existe gente que pensa e age como a gente.
Abraços

Anônimo disse...

Vou esperar pela réplica do Rodrigo,não perco essa por nada rsr

O João,tenho de admitir uma coisa:você domina muito bem a língua de pau.

Edu disse...

Rodrigo,vc so falou da falta de etica e verdade do PT.o que e fato.Mas por qual motivo Serra em seu primeiro programa eleitoral,aparece junto ao comandante da falta de escrupulos,Lula.Nunca falou mal do presidente,entao porque o povo iria deixar Lula e trocar por Serra.Aecio,quando governador ,chegou a fazer chapa para prefeito com o PT.Concluindo,quem apoia e cala em relaçao a Lula e o PT,tambem falta com a etica.

Rodrigo Constantino disse...

Vamos lá, de forma sucinta:

1. É profundamente injusto dizer que a ética foi assassinada pelo voto da maioria. Mostra o seu lado elitista.

O que uma coisa tem a ver com outra? A maioria alemã já esteve com Hitler, e nem por isso seu governo era ético. Esse papo de elitismo é engodo de populista.

2. Sua análise foi completamente desequilibrada. Se o presidente não cumpriu com a liturgia do cargo (o que não chega a ser crime), e os jornalões, a Veja, e Rede Globo? Ultimamente tenho ouvido da extrema direita que a globo beneficiou a Dilma. E as edições que escondiam que Serra era recebido com manifestações onde quer que fosse? E a fusão de imagens para forjar o caso da bolinha de papel? E o "perito" Molina?

A Veja e a Globo fizeram seu papel, o que tem que ser feito mesmo. Jornalismo investigativo. A Erenice caiu por conta disso. Nada mais certo! Quem condena o "PIG" é alienado que prefere o modelo da Venezuela de Chávez. A imprensa tem que ser LIVRE! Governos safados e autoritários detestam isso, mas é assim que deve ser. E nem fale da bolinha de papel. Serra foi agredido por petistas próximos ao Lula, e isso é um absurdo! A postura do presidente foi patética neste episódio.

3. Você "confunde" bolsa família com a cesta básica pra comprar votos que ocorria antigamente no nordeste. Isto é de uma má fé enorme. Bolsa família é um benefício permanente, para famílias com filhos, vinculado à presença do
filho na escola. As cestas para comprar votos eram distribuídas em véspera de eleição. Não seja desonesto, seus leitores esperam mais de você.

As origens do Bolsa Família são os programas do PSDB, como Bolsa Escola. Ainda assim, acho que sem estratégia de saída é demagogia e compra de votos sim. O PT comemora o AUMENTO de gente sob o programa. Ou seja, celebra MAIS miseráveis dependendo de esmolas estatais! Se isso não te parece estranho... Dois pesos, duas medidas. Essa é a marca registrada do PT.

daniel disse...

eu estou desapontado com minas e rio pois em vez de levar em conta as sujeiras dos partidos,levarão foi brigas de estado! encarando Serra como São paulo e nao como o próprio candidado.
Sei que meu estado não é lá essas coisas mais sei que não são capazes de fazer essa burrise!

Rodrigo Constantino disse...

4. Máquina do estado? Onde? A voz do presidente não é máquina e nem é do estado. Não confunda as coisas. O presidente é um brasileiro e tem o direito de manifestar sua opinião.

Que piada! Não é a voz do cidadão, meu caro! Lula é o presidente do país todo, e fez bravatas, foi um sindicalista em campanha, algo terrível como postura de presidente. Além disso, usou a máquina estatal toda, para lançamentos de coisas que não estavam prontas, tudo com agenda casada com sua candidata. A Petrobras foi usada como braço do PT. Enfim, uma vergonha! E vc ainda pergunta que uso da máquina...

5. O caso da Erenice está sendo investigado pela polícia federal. O caso do Paulo Preto está bem escondido. O povo não é bobo. Sabe ver onde existe mais ética.

Essa foi dureza e te entrega como um petralha! Em primeiro lugar, comparar os dois casos já é idiotice. Tem gente que cai na conversa do PT mesmo! Uma roubou o ESTADO, ou seja, todos nós! O outro, se roubou, foi o próprio PSDB. Problema deles! Notou a diferença? Erenice aparelhou empresas PÚBLICAS e fez tráfico de influência, desviando NOSSO dinheiro. Acorda, rapaz! Os leitores deste blog são inteligentes. Não são os petralhas que leem Paulo Henrique Amorim...

6. O voto com o bolso representa enorme perigo para a democracia, exceto, é claro, se o voto for na estabilidade do real de FHC-Serra, não é mesmo? Seu argumento é casuísta.

???? Uma coisa é estabilidade macro, derrotar a inflação, um valor importante. Outra coisa é votar só porque temos crescimento momentâneo, ignorando o resto todo, como o viés autoritário do PT e sua roubalheira infindável.

Rodrigo Constantino disse...

7. O governo Lula tornou o petróleo no Brasil, menos privado com o regime de partilha. Isso você não pode negar. E o regime de partilha foi duramente criticado pelo PSDB, até durante a campanha eleitoral. Juntando a isso a tentativa de privatizar a "Petrobrax", nada mais natural do que os argumentos da campanha da Dilma.

??? É, confesso que estou ficando cansado de perder tempo com tanta besteira...

8. Se você acha insuficiente a resposta "tudo está sendo investigado", que tal a ausência total de respostas sobre os escândalos do governo FHC e Serra em SP, justamente porque nada foi investigado? "Tudo está sendo investigado" é uma ótima resposta, Rodrigo. O executivo não é polícia, e quando se mete a ser não investiga direito. Deixe a polícia federal investigar e os tribunais julgarem.

Ah sim, o Dirceu ainda faz parte do PT, pois está sendo "investigado". Vc adora o Maluf e o Collor, naturalmente!!! É cada um...

Rodrigo Constantino disse...

"O povo não é burro."

O "povo" que fez a diferença, com mais de 10 milhões de votos, foi o do nordeste. De fato, são tão bons de voto que temos Sarney, Collor, Renan Calheiros e todos os demais caudilhos tomando conta dos estados mais pobres da federação. Que maravilha! A voz do povo é a voz de Deus!!!!!! Amém. Heil, Hitler!

Rodrigo Constantino disse...

"o que o Brasil precisa é de uma oposição que democraticamente aceite o resultado das urnas e comece a criticar com consistência e propor modelos alternativos."

E é exatamente isso que eu faço há anos! Eu não sou Serra, por sinal. O Serra é MUITO à esquerda do que eu defendo. Aliás, quando alguém "acusa" Serra de "direita", eu já sei estar diante de um perfeito idiota latino-americano.

Rodrigo Constantino disse...

"Mas a farsa da bolinha de papel revelou de maneira explícita toda a desonestidade deste senhor e hoje não tenho mais coragem de defendê-lo."

Que farsa? Serra foi agredido pelos petralhas, alvejado duas vezes, e numa delas era uma bobina que pode muito bem machucar.

O PT sempre usou o método da porrada. Dirceu defendeu isso abertamente. Covas foi vítima. Nas privatizações, os petistas faziam baderna violenta. Agressão e PT, tudo a ver!

João Luis Meloni disse...

Rodrigo,

"O que uma coisa tem a ver com outra? A maioria alemã já esteve com Hitler, e nem por isso seu governo era ético. Esse papo de elitismo é engodo de populista."

Você pode não acreditar, mas eu sabia que você viria com isso. Hitler nunca foi eleito. Nunca venceu uma eleição. Não vou aqui ensinar história alemã, você pode ler isso até na wikipedia se quiser. Este seu argumento é uma BESTEIRA. Portanto, até que você venha com outro argumento, é mesmo muito elitista menosprezar o voto da maioria.

(continua)

João Luis Meloni disse...

"Que piada! Não é a voz do cidadão, meu caro! Lula é o presidente do país todo, e fez bravatas, foi um sindicalista em campanha, algo terrível como postura de presidente. Além disso, usou a máquina estatal toda, para lançamentos de coisas que não estavam prontas, tudo com agenda casada com sua candidata. A Petrobras foi usada como braço do PT. Enfim, uma vergonha! E vc ainda pergunta que uso da máquina..."

Mais serenidade, não trate seus convidados assim. Não estou fazendo nenhuma piada. Lula fez campanha para a sua sucessora. Extrapolou um pouco a liturgia, admito, mas não cometeu ilícito. A constituição garante o seu direito de manifestação. Se você tem alguma prova de uso de máquina estatal, por favor entre com um processo imediatamente, você pode facilmente impugnar esta eleição. O que foi lançado sem estar pronto? Não vi nada disso. Por favor saia do abstrato e mostre exemplos.

(continua)

João Luis Meloni disse...

"???? Uma coisa é estabilidade macro, derrotar a inflação, um valor importante. Outra coisa é votar só porque temos crescimento momentâneo, ignorando o resto todo, como o viés autoritário do PT e sua roubalheira infindável."

Estabilidade macro é um valor importante. Crescimento econômico, bem isso é secundário. ????????????????????!

Tanto estabilidade econômica quanto crescimento econômico são estados momentâneos. É necessário cuidar sempre.

Tudo o que você afirma aqui é falso. O governo FHC não foi imune à roubalheira, nem derrotou a inflação, nem deu estabilidade ao país. Você é economista. O giverno Lula passou mais de um ano com instabilidade econômica herdada de FHC. Se FHC não tivesse tomado emprestado 40 bilhões do FMI, ele não teria conseguido entregar o país a Lula. O país quebrou na transição do primeiro para o segundo mandato do FHC por causa do real super valorizado. Houve estelionato eleitoral quando se garantiu que não haveria desvalorização do real após as eleições.

Gostaria que você fosse explícito ao enumerar quais os atos de governo que mostram o "viés autoritário do PT". Ou isso é só baboseira retórica que você leu no Reinaldo Azevedo?

(continua)

João Luis Meloni disse...

"Que farsa? Serra foi agredido pelos petralhas, alvejado duas vezes, e numa delas era uma bobina que pode muito bem machucar."

Já respondi isso acima. Veja o vídeo, vale a pena. Serra é um mentiroso e a Globo compactuou com a mentira.

"O PT sempre usou o método da porrada. Dirceu defendeu isso abertamente. Covas foi vítima. Nas privatizações, os petistas faziam baderna violenta. Agressão e PT, tudo a ver!"

Você não está levando em conta que o PT é o maior partido do Brasil em número de fliados. É um partido de massas. Sempre pode haver um ou outro incidente violento, por parte de algum membro, que não tem respaldo do partido, isso é natural e deve ser punido. O covas não foi vítima do PT, mas de professores que estavam extremamente desgastados por uma greve, motivada por salários baixíssimos, em que não não havia diálogo, e também de sua própria arrogância ao enfrentar a multidão de peito aberto num gesto provocativo. Se houvesse realmente um desejo de violência ali, ele não teria saído vivo.

(Aviso: não sou filiado ao PT e não faço militância para o PT.)

O que você chama de baderna, na época das privatizações, outros chamam de protesto. Mais ou menos o que acontece em qualquer lugar do mundo onde haja liberdade, desde a Coréia do Sul até os EUA, passando por Davos e por Paris. Sei que na época da ditadura militar era mais fácil, era só tachar todo mundo de subversivo, meter em cana e baixar a porrada. Mas o Brasil mudou. Os liberais devem provar na prática suas teses, sem precisar desse tipo de sofisma.

Obrigado pelo debate,
João Luis.

Diego Oliveira disse...

Constantino,

É admirável a sua paciência com o cretinismo duplipensante de gente como Meloni... Quando houver de verdade um partido de (centro-)direita forte no Brasil, essa turma vai pirar.

É um refinamento da estupidez camuflada pela retórica oca dizer que o regime de partilha é "menos" privatista e que a mudança do nome Petrobras para Petrobrax seria um passo rumo à sua privatização - enquanto FHC jamais teve intenção de privatizá-la; apenas de quebrar seu monopólio, numa medida que contribuiu como nenhuma outra para aumentar a eficiência da estatal e torná-la viável sem onerar os cofres públicos como tantas vezes antes -; a mudança do nome da estatal seria plenamente justificável, apesar de ferir brio patrioteiros, pelo mesmíssimo motivo que o logotipo da Petrobras na Argentina não pavoneia seu verde-e-amarelo habituais.

Rodrigo Constantino disse...

João, o que vc chama de "protesto", eu chamo de violência. E veja que o próprio guru dos petralhas, José Dirceu, ensina:

http://www.youtube.com/watch?v=vUh3fMrYv_8

Rodrigo Constantino disse...

Sobre a maioria, lembro que Hitler não foi diretamente eleito, mas os NAZISTAS sim! Estude história.

A maioria escolheu dar veneno de cicuta para Sócrates. A maioria escolheu crucificar Jesus e soltar Barrabás. Vc pode adorar o argumentum ad populum, mas eu uso outros critérios. Uma maioria pode errar feio. Isso acontece mais do que vc pensa e gostaria.

Rodrigo Constantino disse...

Por fim, rejeitar o viés autoritário do PT e citar Reinaldo Azevedo como se fosse uma piada de paranóico é o fim da picada. Já te disse: os leitores do meu blog são pessoas inteligentes. Confecom, Ancinav, CNJ, Foro de SP, Marco Aurélio Garcia, Dirceu, tentativa de expulsão do jornalista Larry Rother por falar dos hábitos etílicos do presidente bebum, PNDH-3, em suma, não reconhecer o viés autoritário dessa turma é cegueira braba.

disse...

É isso aí, Rodrigo.
Caminhamos, sem ver, a passos largos para um regime totalitarista.
Qualquer pessoa com um mínimo de conhecimento cultural e filosófico consegue ver isso.
É triste, mas estamos arriscados a ter que sair do Brasil daqui a alguns anos.
Grande beijo e continue assim. Não se cale JAMAIS!

Diego Oliveira disse...

A estabilidade macroeconômica só é evidenciada quando ela tem fundamentos sólidos e, numa economia como a brasileira, só é garantida pela ação deliberada do governo, ao contrário do crescimento econômico, que pode ser alardeado masmo que ocorra apesar de ações de um dado governo (crescimento da carga tributária, péssima distribuição do gasto público, aparelhamento estatal de acordo com interesses político-ideológicos, falta de investimentos em infraestrutura), independente do governo (preço das commodities disparando no mercado internacional, enorme crescimento econômico - muito maior que o do Brasil, aliás - dos países emergentes entre 2000 e 2008) ou - de uma forma que se sustenta apenas a curto prazo - por causa de medidas públicas fogo-de-palha (política de crédito irresponsável), ou por causa de boas ideias que infelizmente o governo não tem interesse de manter (suspensão temporária do IPI durante a crise, que deveria na verdade ser uma eliminação permanente).

Votar com o bolso, nesse contexto, é olhar apenas superficialmente para a conjuntura econômica permanecendo cego às medidas governamentais que a favorecem e as que a ameaçam.

Tanto a estabilidade quanto o crescimento são importantes, mas se mostra gritante a diferença de mérito entre o mediano governo FHC e o mediano-ruim governo Lula nos avanços ocorridos durante seus governos.

Leyanie Neves disse...

Rodrigo.
Brilhante! É muito bom ter mais um blog (adoro o Reinaldo e o Augusto da Veja)onde podemos encontrar pensamentos semelhantes. As pessoas que seguem o seu blog devem ter em mente que você não está aqui para convencer quem quer que seja, mas para esclarecer.
Infelizmente, vamos ter alguns infiltrados sem ética, sem educação e sem cultura como esse PTaliban João Meloni.

Leyanie Neves disse...

Ah,como esses PTralhas gostam de escarnecer:"você é elitista". Bem, eu sou elitista, sim, com imenso prazer.
Faço parte da elite cultural desse país. Tenho telefone celular assim como milhões de brasileiros, graças às privatizações das teles. Tenho contas no banco privado sem nehum receio, graças ao PROER que nos deixou mais segurança.

Dora Elisabete disse...

Rodrigo
Hoje sou leitora assídua do seu blog. Parabéns por suas colocações,sempre muito inteligentes.
Parabéns tb para o Anonymous, pelo esforço que fez para votar, enquanto mais de 20 milhões ignoraram a eleição.
Quanto ao João, em 1º lugar,ele deveria agradecer a sua paciência em responder-lhe. E sinceramente? Acho tempo perdido. O petista não consegue ter uma visão de todos os lados de um fato. Eles focam num ponto, e não adianta argumentar que eles não ouvem.
Outra característica é jamais discutir o mérito de um fato, mas atacar de alguma maneira a pessoa que está levantando a questão.
Quem sabe é problema neurológico, que a ciência pode explicar ? Rs,rs....
Brincadeiras à parte, é difícil lidar com eles.
Então, Rodrigo, muita força para que vc continue nos esclarecendo.
Eu vou estar sempre aqui.

Josevan Nascimento disse...

Luto não só pelo fim da Ética, mas o Brasil hoje se despede de vez de uma coisa chamada Democracia, porque os candidatos que alcançaram o 2º turno, é sempre os que estão em alta nessas "pesquisas", eu pergunto, a opinião em média de "2000" eleitores, é o que na verdade representa cerca de "130 milhões"? como se essas pesquisas, ao qual não acredito absolutamente em nada nesses valores, com intuito unicamente de influenciar nas decisões dos demais. Nem precisamos mais da apuração, quem está sempre em alta nas "pesquisas" praticamente "absolutas" com margens de erros mínimas, é quem definirá o vencedor, pois com praticamente 62% dos votos apurados, a imprensa já deu como vitoriosa a 1ª presidenta deste país, sem antes mesmo que seja feita a apuração restante, acho que nem precisa de muita explicação, matematicamente 58% de votos a uma candidata, se ainda restam 42%, não defini em nada quem vai ganhar, mas os comentários e a expressão dos repórteres já disseram tudo, é lamentável que em nosso país caminha a esse rumo. Meus pêsames, pela Ética e pela Democracia também, mas uma coisa é certa, eu não vou dar silêncio algum, pois acredito que podemos reverter essa situação e mudar tudo isso. Não sei quanto a todos que leram esse texto seja no Bolg ou no jornal possam ter a mesma a opinião, pra isso existe a democracia, mas eu apoio o Rodrigo Constantino, assim como ele não se calou, eu também não irei me calar, nunca, só quando morrer.

Luana disse...

Lamentável uma pessoa tão jovem e com uma visão tão deturpada. Se faltou Ética de um lado, do outro faltou pudor, vergonha na cara e respeito aos eleitores, principalmente da emissora dos seus patrões que foram de um puxa-saquismo vergonhoso e indecente.
Você esqueceu-se de citar na sua matéria a rede de intrigas, de calúnias que se formou contra Dilma, por meio dos subterrâneos da internet, da farsa montada pela "Toda poderosa" com uma bolinha de papel, do discurso hipócrita de Serra sobre religião, dos jornalistas tendenciosos da Globo, o casal 45.
Resumindo, o senhor só coloca um lado da história, mostrando que é parcial como seus patrões.
Triste, muito triste. E ainda por cima critica mais de 55 milhões de brasileiros se achando acima deles, como se tivesse uma cabeça priviliegiada. Desça do pedestal meu amigo, pois quem sobe muito sem ter estofo cai e se machuca.
Humildade e caldo de galinha não fazem mal a ninguém, já dizia minha santa vovozinha.

Rodrigo Constantino disse...

Luana, que o PSDB não é nenhuma maravilha, todos aqui sabem. Mas sem relativismo, do tipo "todos são iguais". O PT consegue ser pior em TODOS os sentidos! Principalmente no quesito ética.

Aliás, quem montou bunker logo no começo para espalhar mentiras pela internet foi o PT! Eu mesmo fui alvo de uns 10 artigos (spam) diários dessa corja clandestina, cada um usando nome fictício diferente. O PT joga baixo. Acorda!

Luis Guilherme Burza disse...

Os americanos tem uma expressão interessante: "bad loser"
A estes uso uma expressão latinizada: "jus esperniandi", ou seja, o direito de espernear!
Falar em ética num jornal que apoiou o gole militar de 1964, no mínimo, é uma piada!
Defender a ética de um candidato que escarrou nos valores republicanos ao tentar transformar o Brasil numa república cristã, no mínimo,é uma piada!
Falar em ética de um partido que faz licitações com cartas marcadas, que some com Paulo Preto, cujo candidato chama de "coisa menor" o mal uso do dinheiro dos contribuintes paulistas, no mínimo, é uma piada!

Rodrigo Constantino disse...

Luis, piada é um petista ainda levantar a bandeira da ética. O melhor "argumento" que o petista tem atualmente é esse: "Ah, mas somos tão ruins quanto os demais!"

Collor, Renan, Sarney, Jader Barbalho... e o PT é "apenas" tão ruim quanto os outros! Essa é a defesa dos petistas... e ainda é falsa! Pois o PT é PIOR que todos esses. É mais imoral, mais anti-ético, que todos!

Comparar Paulo Preto com Erenice, por exemplo, isso sim é piada, de mau gosto!

Ninguém precisa defender Serra aqui para reconhecer que o eleitor de Dilma estava pouco se lixando para questões éticas. Eis o ponto. Deram uma carta branca nas mãos da máfia petista. Pode ter Dirceu e Erenice, pode ter mensalão, pode ter Sarney, Renan e Collor, pode ser PEGO ROUBANDO, desde que mantenha o Bolsa Família...

Luis Guilherme Burza disse...

Como se estes q v citou não tivessem apoiado o governo tucano do FHC, excetuando o Collor q por "sorte" dele estava com os direitos políticos cassados. Como se o Arrunda nunca tivesse sido do PSDB e após quebrar o sigilo da votação do Senado, não tivesse sido acolhido na filial tucana chamada DEM (que, aliás, é um partido super-ético, com membros ultra republicanos [ironia]). Como se em 2001 a Roseana Sarney não fosse apontada como "presidenciável" numa tentativa barata de tentar impedir a eleição de Lula, q já naquele ano se mostrava inevitável.
Vc, assim como eu, fazemos parte da chamada "elite", estudamos, sempre tivemos o que comer em casa. A diferença é que eu não sinto complexo de inferioridade pelo fato de um presidente "semi-analfabeto" ter sido mto melhor q qualquer outro "letrado" q ocupou o cargo.
Falar em ética do José Serra? Um homem q ainda na juventude abandonou a presidencia da UNE com medo de ser preso e deixou aqueles q o elegeram sem o "líder" no momento que mais precisaram! Um homem que usa de "rolo compressor" para forçar o partido a lança-lo candidato, sem um processo democrático de escolha.
Mas como eu disse no outro comentário, vc tem todo o direito de espernear! gritar, chorar. Dilma vai continuar com o crescimento do Brasil. Vai entrar para a história enquanto o Serra será considerado o que tentou, tentou e não conseguiu se eleger...
Aliás, engraçado quem falar de democracia e não aceitar a decisão da maioria justificando a postura chauvinista com o desculpa esfarrapada que "os eleitores de Dilma não se lixam para ética". Desmerecer parte de uma população realmente é uma postura democrática e ética...

Rodrigo Constantino disse...

Chauvinista? Ah, que discurso idiota é esse?

Democracia? Quem não respeita a democracia LIMPA é o PT, rapaz! Vide o que Lula fez como cabo eleitoral, vide a ala radical do PT que namora com o regime venezuelano, vide o desrespeito às leis eleitorais por parte do presidente.

Menos...

Rodrigo Werneck disse...

Ótimo artigo. Criou-se um mito de que o Lula elege até poste, mas a verdade é que a eleição da Dilma foi devida ao bom momento da economia nacional, motivada por anos de benventura vinda de fora e estabilidade (e gordura para queimar) oriunda do Plano Real. Se a economia estivesse mal, Dilma chegaria atrás até da Marina, pelo ótimo desempenho que essa teve. É bom lembrar também que o desempenho do PT para os governos estaduais foi bem aquém do esperado...

Josevan disse...

Desculpe Rogrigo, mas queria que essas pessoas ai em cima, que falam tão mal do governo FHC, respondessem algumas perguntinhas:

já imgainou a zona que o PT faria se no governo do FHC não tivesse sido controlada a inflação, como se controlou? Se os lucros dos bancos fossem tão vultosos como agora? Se houvesse tantos acidentes aéreos? Se houvesse o caos aéreo? Se o FHC se rebaixasse para o ditador Chaves e para Cocaleiro Morales? Se o FHC entregasse de mão beijada para o facínora do Fidel Castro um
bilhão de reais do dinheiro pago pelos contribuintes? Se a mulher de FHC pedisse e obtivesse cidadania estrangeira só para manipular contas bancárias no país escolhido de forma secreta e protegida? Se o FHC comprasse um avião tão luxuoso? Se a maioria dos "amigos" do FHC fossem corruptos? Se o FHC "perdoasse" a dívida de tantos "amiguinhos"? Se o FHC tivesse um filhinho tão espertinho? Se as despesas do palácio aumentassem tanto? Se alguma ministra de FHC nos mandasse relaxar e gozar? Se a primeira dama não fizsse coisa nenhuma mas tivesse cartão de
crédito ilimitado? Se o FHC aparelhasse o estado com milhares de empregos para os "companheiro"?
Se algum aspone do presidente nos mandasse tomar no ... quando caísse algum avião? Se o FHC declarasse sempre que não sabia de nada? Se o FHC fosse amiguinho do presidente mais corrupto que o senado já teve? Se o leite contivesse soda cáustica? Se algum ministro do FHC declarasse que soda cáustica no leite não faz
nenhum mal? Se o escândalo Erenice fosse na sala ao lado do FHC e ela sua Ministra? O que o PT diria? Onde anda o PT?

O fato da ética ter sido praticamente assassinada por alguns governantes, não justifica de forma alguma a falta de ética por nossa parte, mas imagino que, não podemos fechar nossos olhos, fingir que nada aconteceu, e que nada está acontecendo, e deixar por isso mesmo.
Afirmo não ser oposição do PT e muito menos simpatizante do PSDB, mas a vitoria da retirada do CPMF foi motivada pela oposição desse atual governo, ou não lembram disso? IOF era algo que quase ninguem nunca tinha ouvido falar, ou passava bem dispercebido, quando eram apenas pouquissímos centavos descontados. A cada dia que passa os descontos em nossas contas bancárias está cada vez maior, e agora aliados de DILMA querem trazer o CPMF de volta, alegando ser necessário mais recurso para saúde. Eu me pergunto, o que faziam com os 40 bilhões anuais de arrecadação do CPMF? pois os atendimentos dos hospitais continuam uma porcaria, depender da saúde pública hoje em dia é estar praticamente condenado a morte.

Pessoal acordem enquanto há tempo, não importa se vcs votaram na DILMA ou no SERRA, mas cobrar uma postura ética do atual governo se faz extremamente necessário.

Lucília Lopes Silva disse...

A vantagem da democracia moderna (a proclamada por Lincoln como governo do povo, para o povo e pelo povo) é que ela é para todos. Qualquer um pode ganhar ou perder. Lula, hoje, soma três vitórias nas urnas, mas já havia somado três derrotas – também nas urnas. Nem por isso achou que o melhor era “fechar o regime”.
A nossa classe média tem seguido as orientações da classe média norte-americana, que considera “socialista” pensar nas crianças, nos idosos, nos doentes, nos pobres, nos miseráveis, nos de ascendência diferente, nos de naturalidade diferente, nos de opção sexual diferente etc. Bem, se vamos adotar a democracia ateniense, devemos nos lembrar que só era cidadão quem tivesse nascido em Atenas e fosse de ascendência genuinamente ateniense. Nos EUA, essa adaptação seria mais fácil, pois elegeriam os caucasianos. Assim, só poderiam ser elevados ao status de cidadão homens (em Atenas, mulheres não eram consideradas cidadãs) adultos (crianças e jovens também não eram considerados cidadãos), de ascendência exclusivamente europeia (estrangeiros também não podiam se tornar cidadãos), sãos (qualquer portador de necessidades especiais também não podia ser contado como cidadão), rico (para a “ética” de alguns esse é um problema facilmente sanável: promove-se a perseguição e a prisão dos estrangeiros ricos, usurpa-lhes todos os bens e torna-se, assim, um “novo rico”). Aqui no Brasil, quantos podem alegar ascendência exclusivamente “ariana”, caucasiana? É muito mais fácil encontrar quem possa alegar ascendência exclusivamente africana, ou oriental.
Os eleitores americanos também votaram com o bolso. Até porque são capitalistas: se fossem comunistas, socialistas - votariam por ideologias. Mas eles sabem que ideologias não lhes proporciona os bens da vida e nem confere ao país o status de superpotência - porque não basta ter apenas poder militar, é preciso ter também poder econômico para liderar as nações.

Lucília Lopes Silva disse...

Se a economia estivesse indo bem, se a taxa de desemprego estivesse diminuindo os americanos teriam dado seu aval a Obama (aliás, neste último item, o desemprego diminuiu, mas a notícia chegou “tarde”, depois das eleições). A derrota de Obama teve essa sinalização: não estamos satisfeitos com a forma como a economia está sendo encaminhada. Muitos eleitores disseram que votaram – contra – a política econômica de Obama, e não nas propostas dos republicanos.
A questão é que os problemas econômicos começaram com os republicanos (Reagan, George Herbert Bush e George Walker Bush). Cinco mandatos de muitos gastos com guerras, com as quais os EUA incineraram centenas de bilhões de dólares. A direita norte-americana, que considera todos os gastos na área social assistencialistas/socialistas e, portanto, perniciosos, deveria se lembrar que guerras sempre têm como consequência centenas de mortos e milhares de mutilados – que clamarão por assistência. Se leite para crianças é gasto supérfluo (como considerou a conservadora Margareth Thatcher, quando estava como primeira-ministra), a reabilitação de soldados que voltam aos milhares seriamente mutilados é muito mais cara sem o retorno econômico-financeiro que alguém, assistido na infância, poderá render quando adulto (principalmente porque há pobres nos EUA e na Grã-Bretanha caucasianos).

Lucília Lopes Silva disse...

Esses que se dizem de direita e que alistam como péssimos aliados do Lula - Sarney, Collor, Renan, Jader – se esquecem que estes senhores sempre foram de direita. Em 1989, a direita votou em Collor porque temia Lula – “um comunista”. Sarney foi forjado nos anos de regime militar: em 1965, Sarney foi eleito governador do Maranhão com o apoio do primeiro presidente do regime militar - Castelo Branco. Sarney presidiu a ARENA, partido político criado em 1965, com a finalidade de dar sustentação política ao governo militar. Se voltarmos a ter um regime militar, qual o destino que os senhores acham que terão José Sarney, Jader Barbalho, Collor, Renan entre outros? Apoiar o regime militar. Desde 1964, nenhum governo conseguiu manter-se sem o apoio dos líderes da direita.
A propósito: durante o governo Sarney, FHC exerceu o cargo de líder do governo no Congresso Nacional. Sarney, por sua vez, foi aliado do presidente Fernando Henrique Cardoso, elegendo-se Presidente do Senado. Sarney se aliou a todos os governos, durante e após o regime militar, exceto o de Collor ;)

Gi disse...

RODRIGO, LER SUA MATÉRIA FOI COMO SOLTAR O GRITO A TEMPOS PRESO NA GARGANTA, É HORRIVEL VER AS COISAS ACONTECEREM COMO VC MESMO RELATOU E NADA PODER FAZER A NÃO SER MOSTRAR NOSSA INDIGNAÇÃO. ESTOU ENVIANDO SUA MATÉRIA A TODOS CONHECIDOS COMO FORMA DO GRITO SE ESPALHAR...PENA QUE PARECE O RESTANTE DO BRASIL ESTAR SURDOS E ENTORPECIDOS... ESTAMOS DE LUTO MESMO. OBRIGADA

Gi disse...

RODRIGO O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM AS PESSOAS? PERDERAM O DISCERNIMENTO? ESTE SR.JOÂO LUIZ MELONI QUE FEZ UM ENORME COMENTÁRIO ME FAZ LEMBRAR PESSOAS EM TRANSE POR SEITAS OU SIMILAR ONDE PARECEM FICAR CEGAS E TUDO O QUE SE FALE AO CONTRÁRIO DO QUE PENSAM REAGEM DESTA FORMA SEM AO MENOS PARAR PARA ANALISAR OS FATOS, ESTES SÃO OS ELEITORES DO FENÔMENO !?!? LULISMO

Anônimo disse...

Parabéns João Luis Meloni,

Suas colocações foram perfeitas, claras e objetivas, e isso é o que realmente eu sinto. Se expressou muito bem.....
Também não sou filiada ao PT e não faço militância para o Partido.
É isso mesmo !!!!!
Um abraço,
Inês