quinta-feira, novembro 04, 2010

IDH vergonhoso

Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

"Não espere que a solução venha do governo. O governo é o problema." (Ronald Reagan)

O novo relatório do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) para 2010 foi divulgado, e mostra o Brasil no 73º lugar do ranking entre 169 países. Em que pesem todas as falhas deste indicador, o fato é que o Brasil passa vergonha até mesmo quando comparado aos demais países latino-americanos. O Chile, por exemplo, está no 45º lugar, seguido logo depois pela Argentina, enquanto Uruguai está no 52º lugar. A péssima qualidade da educação no Brasil foi citada como um dos principais pontos fracos.

Os primeiros colocados são Noruega, Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos e Irlanda. Quando comparamos os 20 países com maior IDH com o Índice de Liberdade Econômica do Fraser Institute, do Canadá, vemos uma enorme interseção. O Brasil, por sinal, está no 102º lugar no ranking de liberdade econômica, mostrando como o liberalismo passou mais longe do país que Plutão da Terra. Não há muito como fugir da regra: somente com mais liberdade para a iniciativa privada teremos um significativo aumento no desenvolvimento humano. O social não pode ser dissociado do econômico.

Como dizia o então presidente americano Ronald Reagan, o governo é parte do problema, e a solução é menos, não mais governo. Infelizmente, a crença de que todas as soluções passam pela mão visível do governo é quase religiosa no Brasil. Todos esperam “milagres” por meio das canetadas do presidente, visto como um “messias salvador”. Enquanto perdurar esta mentalidade, vamos patinar com nosso IDH, vendo países emergentes deslanchando, como foi o caso da Coréia do Sul. É uma vergonha um país, com o potencial do Brasil, ficar numa posição tão ridícula no desenvolvimento humano. Até quando?

25 comentários:

Tati M® disse...

"péssima qualidade da educação" é eufemismo.

Anônimo disse...

O ilustre blogueiro já faz parte do seleto time de craques do liberalismo, entre eles Rui Barbosa, Roberto Campos, João Mellão Neto, Nivaldo Cordeiro. É gratificante ler seus comentários. Infelizmente, pensadores "aristotélicos" no Brasil são como os plantadores de sementes de flores em solo arenoso. Por aqui, prevalece o pensamento platônico. É uma pena. Mas, fazer o quê, senão continuar na luta?

Abs
Frank Oddermayer

Lucília Lopes Silva disse...

Com essa frase, Reagan lançou um política econômica que ficou conhecida como “Reaganomics”. Em 1988, a inflação caiu para 4,1%. Por outro lado, a criminalidade aumentou, o consumo de drogas explodiu e a Aids se espalhou sem a devida atenção do governo. Apesar de defender cortes no orçamento (principalmente na área social), Reagan elevou os gastos militares em 40%, gerando um enorme rombo nas contas federais. Mas soube se recuperar dos fracassos fazendo piada de si mesmo. Exemplo: quando a oposição criticou os custos do bombardeiro B-1, adquirido por 200 milhões de dólares, ele rebateu: “Como eu podia saber que era um avião? Pensei que eram vitaminas para as tropas!” Realmente, o governo era o problema.

Republica Juliana disse...

Por que os nordestinos não montam um pais pra eles e levam junto os Collors, Dilmas e Sarneys que tanto gostam ? ?

Burocratoparasita da União disse...

Lula representou um atraso em termos sociais. Não há bilhão gasto em propaganda que seja capaz de ocultar isso. O governo Lula foi uma tragédia de desastrosas consequências.
............... ...................... ....................... ...................... ....................

CONSEQUÊNCIAS DE UM GOVERNO INCOMPETENTE, CORRUPTO, IRRESPONSÁVEL

Segundo o III Relatório Nacional sobre Direitos Humanos no Brasil, a ineficácia do Estado perante o aumento da violência gera ainda mais violações de direitos humanos e impunidade, além de aumentar o sentimento de insegurança e revolta da população.

De acordo com o estudo, 48.374 pessoas morreram vítimas de agressão em 2004, uma média de 27 por grupo de 100 mil habitantes. O máximo aceitável são 5 mortes violentas por grupo de 100 mil habitantes por ano.

Na faixa etária de 15 a 24 anos, foram 18.599 mortes, média de 51,6 por 100 mil. Entre 2002 e 2005, 3.970 pessoas foram mortas por policiais no Rio de Janeiro e, em de São Paulo, 3.009. O estudo apontou também um aumento dos conflitos rurais que passaram de 925 em 2002 para 1.881 em 2005. O número de mortes nessas disputas quase duplicou no período, subindo para 102 vítimas.

fejuncor disse...

O Brasil está num processo de "venezuelização". As exportações estão se concentrando em mercadorias primárias e o atraso tecnológico se acentua. Quanto a ciência, nem há o que comentar.

Barriga-Verde disse...

O problema não é só o vexaminoso IDH em si, mas o fato de o Brasil não parar de cair. Foram 12 posições abaixo só nos últimos anos: caiu da 63º posição para a 75ª posição no ranking.

Moises disse...

Um fantasma ronda o Brasil- o 'fantasma do socialismo' . A elite direitista tá morrendo de medo da Dilma , a 16ª pessoa mais poderosa do mundoooo !!!!!

MAG M disse...

O golpe de 1992 está no governo.
É só você olhar em volta para ver o desastre que este governo é.

Corruptocracia: Roubar é poder! disse...

Francamente, tenho a impressão de que o povo brasileiro regrediu a partir da proclamação da República. Ao longo do século XIX ele vinha se desenvolvendo. Artes, cultura e ciência era muito importantes durante o império.

Anônimo disse...

O povo, quanto mais ignorante melhor. A escola já nem ensina política para não atrapalhar a televisão.

Gil Sergio /Campo Grande MS disse...

Rodrigo... manchetinha, bem pequenininha, abaixo está no site TERRA, começou o golpe do terceiro mandato dos PeTralhas

No Twitter, presidente do PT se coloca a favor da volta da CPMF
04 de novembro de 2010 • 20h38 • atualizado às 20h53

Bueno de Assis disse...

Caríssimo Rodrigo...

Sou uma pessoa preocupada com a ética, e se formos entrar na discussão do que é ética, podemos demorar algumas centenas de letras. Ainda, se formos debater como se constrói a ética, talvez mais alguns milhares de letras.
Lí alguns textos do seu blog, e realmente, você acredita naquilo que escreve?
A sua escrita esta parcial demais, isto esta lhe "cegando".
Para se construir a verdade, creio ser necessário os dois lados da moeda, caso contrário a casa construída na areia, irá cair.
Boa reflexão e na esperança de textos mais equilibrados.

Gabriel Coelho disse...

Rodrigo, uma "canelada" do seu post!

o Brasil é na realidade o 113º no ranking de liberdade econômica, vindo de uma descendente a partir de, adivinhe que ano? 2003!

confira:

http://www.heritage.org/index/Country/Brazil

Diego Oliveira disse...

Bueno de Assis quer um equilíbrio entre o quê? Entre o acerto e o erro?

Olhar os dois lados da moeda não quer dizer aceitar ambos, sequer parcialmente - pois é exatamente um olhar profundo e comparativo pode não nos deixar outra alternativa senão rejeitar completamente uma corrente de pensamento que só sobrevive na superficialidade onírica pelo poder dos mitos. O equilíbrio pelo equilíbrio cabe apenas aos que se podem chamar equilibestas.

Pedro Augusto disse...

Caro Bueno,

O blog é um espaço dedicado à livre expressão individual. Ser parcial não é necessariamente ruim. Entre verdade e mentira, eu sou totalmente parcial dado que prefiro irrestritamente a verdade. E perceba que o Rodrigo apresenta em seus textos não apenas sua visão de mundo, mas os argumentos que sustentam tal posicionamento. Se quer um texto mais equilibrado, apresente os argumentos e eles serão debatidos, não se limite a atacar uma suposta parcialidade.

Anônimo disse...

De onde que essa vagabundaiada vai ter capacidade de implantar um socialismo, MOISES. Olha a França, menino. Olha a Holanda. Olha o mundo civilizado, e compara com o Lula de nariz vermelho abraçando o Fidel. O Brasil já não tem mais capacidade de fazer nem mesmo um aparelho de telefone celular – não tem as patentes, não tem tecnologia. O Brasil está indo pra trás, menino. Olha o socialismo o que é, no mundo civilizado, Austrália, Canadá, Japão.

Acorda. Ter chutado umas latas de lixo de madrugada não fez de você um marxista, porque o marxismo é muito mais do que matar um pobre recruta ou cortar fora um dedo mindinho pra viver de encosto. Olha o mundo, menino, e tenta ver o que é socialismo.

Marcelo Augusto disse...

Olá!

Um post relacionando a liberdade econômica e o IDH:

A Relação Entre o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e a Liberdade Econômica

Até!

Marcelo

Anônimo disse...

Eu tenho que ver o que mudaram nessa nova metodologia do IDH, mas é um indicador que precisa ser analisado com certos cuidados. O IDH de cuba é bem superior ao do Brasil, daí observamos que nao é um bom indicador para analisar o padrão de vida entre os países. Neste caso, prefiro o pib per capita.

ntsr disse...

Australia socialista???????quando vc pensava que já tinha visto todo tipo de besteira...os esquerdinhas se superam
Austrália é a n2 no ranking de liberdade econômica, muito mais que os EUA, a crise lá foi insignificante

SW disse...

No post do amigo aí de cima, substitua "Socialismo"por "capitalismo" para ficar compreensível.

Michel Brandoni disse...

O IDH de Cuba e da Bolívia desmoraliza o ^comentário.

Rodrigo Constantino disse...

Como eu disse, o IDH é um indicador repleto de problemas. Mas citar Cuba não é contra-argumento, uma vez que os dados são todos FALSOS. Afinal, quem os manda, quem os controla? A ditadura, sem possibilidade de averiguação das autoridades internacionais.

Anônimo disse...

No papel da Educação(entendida como escolaridade...),muito mais significativo e exemplar me parece o modelo de Cingapura,até mais do que a Coréia do Sul,pelo tempo decorrido e resultados colhidos.

De qualquer forma,em ambos os casos podemos ver que a trilha seguida foi a de escola séria e não mero estacionamento de desocupados como são as nossas(poucas exceções públicas e privadas).Nos dois países que citei a escola é vista como lugar de trabalho,pois o estudo é um trabalho,segue uma rotina de trabalho,não se desvia pro lado de escola apenas como crechão pra onde os pais mandam os filhos pra se livrarem deles em casa enchendo o saco,ou a desculpa da visão de que a escola tem de cuidar dos filhos porque/e enquanto estão trabalhando[ou batendo pernas,ou vendo tv a tarde...]

Aqui a escola está dominada pelo pedagogismo de que aprendizagem deve ser sempre "lúdica", o conteúdo sempre divertido e agradável e,pulo do gatuno,ser baseado na tal realidade do aluno,da bagagem que ele traz.Se ele já traz,ensinar o que ele não traz soa como imposição de um modelo,de um padrão de elite burguesa demonizada ao infinito.

Compare os ambientes das escolas de Cingapura com as nossas.O perfil é militar desde os primeiros anos.A escola é endeusada pela comunidade que espera muito dela,exige com razão,mas não lhe empresta poderes mágicos de transformar pedra em gente...Se o cavalo não quer beber água,não adianta levá-lo até o rio.Pode obrigá-lo a ir até a beira,mas não pode fazer com que ele beba da água(do saber) se não é isso que ele quer.

Não adianta essa de toda criança na escola se a maioria nem nela gostaria de estar.Vê nisso uma chateação que tira tempo de diversão de rua com bola e pipa,ou de shopping e baladinhas como amigos,de acordo com o estrato social.A mediocridade se move em todas as camadas e ,claro,na camada mais numerosa aparece mais,tem mais visibilidade.Tanto que temos universitários se comportando e levando pra vida acadêmica comportamentos de pirralhos,pré-adolescentes mimados,arrogantes,sempre achando tudo muito difícil e chato numa...FACULDADE!

E,ao contrário do que muita gente pensa,nos EEUU não é muito diferente daqui.O plus que possuem vem de uma herança de qualidade que tinham antes e que só não zerou por conta dos imigrantes(asiáticos maioria),que vão pra lá em busca de saber e novidades tecnológicas,são sérios e disciplinados,a ponto de já causarem 'preocupações' de estarem tomando o espaço dos locais.Não estão.Os locais é que estão virando vagabundos como aqui,só na droga,na sacanagem e nem tanto rock in roll que já desceu pra coisa muito pior.

segue...

Anônimo disse...

Na Coréia do Sul,a vida escolar é repleta de cerimônia e liturgia,de regras,cobranças de metas e desempenhos de professores e alunos.Aqui os alunos estão fora da cobrança.Não à toa desde a Lei5692 ,que inventou o avanço progressivo,que pavimentou a escola nova,o paulofreirismo e que agora dorme sobre sociointeracionismo do materialismo histórico e que produz o que temos aí.Escola não é parquinho e Universidade não é lugar de baladas.Mas vai desfazer isso agora?só se for na marra e olhe lá.Com o pedigree que temos?
Em tempo:Portugal é outra zona igual aqui em termo de escola.Na França,quando surgiram os primeiros gritos contra as mudanças que estavam nivelando por baixo as escolas,com aulas que mais pareciam turismo[ÓOO, tinha de sair dos muros que isolavam da sociedade,né?],os defensores da modernidade devolviam a crítica dos conservadores com um " a escola do passado não tem mais futuro.Podem gritar que não voltamos atrás,ao antigo modelo".
Já estão colhendo as safras da malocagem très chic.
Tudo se ajusta aos novos tempos e novas pessoas,mas certa fissura pelo moderno não pode ser essa paranóica negação de tudo que é antigo,como se nada prestasse,não tivesse servido ou valido a pena pra se chegar ,exatamente,à tal modernidade...

Curiosamente,na contramão do iluminismo que nos deu asas e audácia científica,vivemos tempos de apego ao que de pior inventaram:o fundamentalismo das religiões,as antigas e as travestidas de novas,papas, macedões e malafaias e suas ovelhas parideiras de mais ovelhinhas.

E tem tolo que ainda acredita num tal desenho inteligente que criou tanto clone de si mesmo cheio de defeitos. Mas bota desenho intelijumento nisso...

Fechando:escola não é lazer,não deve ser.Escola deve ser trabalho,muito suor,se tiver talento especial então,mais suor e trabalho,ralação,estudo,bunda na cadeira,olhos nos livros e no pc,disciplina,cerimônia.O resto é baile funk com breganejo universitário.Falei,pronto.

Lia/¬¬