sexta-feira, novembro 27, 2009

A Bolha em Dubai


Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

Ontem as bolsas do mundo todo estremeceram quando a estatal Dubai World pediu mais prazo para pagar sua dívida bilionária. O default do governo argentino logo veio à mente de muitos. Os principais índices de ações da Europa caíram mais de 3%, e até o Ibovespa recuou mais de 2%. O emirado árabe de Dubai possui US$ 80 bilhões em dívidas, sendo quase US$ 60 bilhões só da Dubai World. O grosso dessa montanha de dinheiro foi usado para financiar um boom imobiliário que remete ao caso japonês da década de 1980. A liquidez de capital abundante no mundo, estimulada pelas taxas de juros artificialmente baixas, e a alta do preço do petróleo, sustentada por essa liquidez e pela demanda chinesa, explicam o clima de euforia em Dubai nos últimos anos.

Existem basicamente quatro tipos de bolhas: aquelas financiadas pelo mercado de capitais ou por crédito bancário; e aquelas aonde o destino do dinheiro vai para investimentos produtivos ou para consumo. A pior combinação, naturalmente, é uma bolha financiada por crédito bancário para bancar uma orgia de gastos sem sentido. Eis exatamente o caso de Dubai. A bolha do Nasdad foi o caso oposto, já que a origem do dinheiro foi o mercado de capitais e o destino foram investimentos em tecnologia que, mal ou bem, ficam depois do estouro, permitindo ganhos de produtividade. Foi uma bolha mais fácil de ser digerida. Já o caso de Dubai é diferente. Afinal, a grande fonte de recursos foram os bancos europeus, e o destino foram ilhas artificiais para celebridades, uma pista de ski no meio do deserto e o prédio mais alto do mundo – que Freud explica! Com a queda do castelo de areia, não sobra muita coisa produtiva.

Para os críticos do capitalismo liberal, será complicado culpar o bode expiatório preferido dessa vez. Afinal, uma bolha estimulada por políticas frouxas de bancos centrais e criada por gastos faraônicos de uma estatal poderosa não tem muito de livre mercado. Pior que isso só mesmo o caso da Venezuela, onde os petrodólares serviram para financiar compra de votos, carros de luxo para os burocratas, armas para proteger o ditador Chávez, e revoluções “bolivarianas” pela região toda. Chávez já conseguiu produzir uma recessão grave somada a uma inflação fora de controle. Num país repleto de petróleo, falta energia! É o socialismo do século XXI em ação...

32 comentários:

André Barros Leal disse...

Rodrigo, aposto 1 real com você que a esquerda vai culpar o capitalismo por essa bolha também.

Rodrigo Constantino disse...

Não aceito! hehe

Everardo disse...

André, aposto 1 real com você e com o Rodrigo como vocês não conseguirão explicar que a culpa NÃO É do capitalismo.

Rodrigo Constantino disse...

hehehe

Aposto um real como o Everardo NÃO consegue entender o que JÁ foi explicado!

Mas viva o capitalismo liberal, esse onde o GOVERNO controla a taxa de juros e uma ESTATAL decide onde gastar o dinheiro todo...

Everardo disse...

Eu entendí as suas palavras textuais, Rodrigo:
"A liquidez de capital abundante no mundo, estimulada pelas taxas de juros artificialmente baixas, e a alta do preço do petróleo, sustentada por essa liquidez e pela demanda chinesa, explicam o clima de euforia em Dubai nos últimos anos".
Foi isso?

ntsr disse...

'o destino foram ilhas artificiais para celebridades, uma pista de ski no meio do deserto e o prédio mais alto do mundo'

Isso não serve pra atrair turistas?

André Barros Leal disse...

Viu só como eu ganhava a aposta?

André Barros Leal disse...

ntsr, para atrair turismo, voce nao acha mais lógico utilizar o que já tem e não tentar ir contra a temperatura externa?

Isso é tao ilogico como fazer uma praia com bronzeamento artificial no norte do canadá.

Cara, eu não vejo a hora de algum cientista descobrir uma alternativa para o petroleo. O mundo vai ser muito melhor quando esses babacas voltarem a ser um nada como eram no passado.

Everardo disse...

André, creio que você se refere aos árabes com a expressão babacas, não é isso? Se for, é bom dar uma olhada na história universal. Ela não começou na América. Nem na Europa. Aliás, quem está atolado em investimentos assim são os Ingleses (vide HSBC e outros) que são tradicionais exploradores do oriente e estão prestes a quebrar mais um vez por lá. (E também dependem do petróleo!)

ntsr disse...

Essa pista de esqui é sem noção mesmo,mas parece que o marketing que eles querem fazer é justamente esse, do grande, megalomaniaco, exagerado...

ntsr disse...

'Se for, é bom dar uma olhada na história universal. Ela não começou na América. Nem na Europa. '
Nem no oriente médio tb.A humanidade começou na Africa e de lá se espalhou pro mundo todo...

fejuncor disse...

É vero, até o fim da Idade Média a civilização islâmica esteve na vanguarda do progresso humano. Os maiores filósofos, matemáticos, médicos e astrônomos falavam árabe ou persa. O mundo muçulmano era mais rico e poderoso que o Ocidente visto lá como a região sombria habitada por bárbaros ignorantes.

Mas algo deu errado, e o fato é que hoje as nações árabes com poucas exceções (mas incríveis como Dubai) estão entre as mais pobres e atrasados do planeta. Alento que, como bem ressalva o autor do post, os EAU mesmo que estatalmente vêm canalizando seus recursos no sentido de diversificar a economia. Um estado indutor ao mercado. Diferente de todos os seus semelhantes, que usam os petrodólares justamente à concentrar, sufocar e inibir a livre iniciativa.

fejuncor disse...

Agora, tudo tem um preço.

lRhapsody disse...

A análise é boa.
Mas a preocupação quanto a um "efeito-cascata", bobagem. As maravilhas construídas em Dubai garantem o passivo. Os credores dessa grana, certamente, não estão muito preocupados, porque, ali, além da receita turística, ainda há petróleo para respaldar.
Os próprios vizinhos não têm interesse no deblaque e irão injetar o que for necessário para reestruturá-la.

fejuncor disse...

Notícia de caráter mais simbólico que concreto de fato, IRhapsody, efeito dominó a partir duma "merreca" de US$ 60bi faz pouco sentido. Um crash no mercado imobiliário fabricado em Dubai, que é ridículo no contexto mundial, como querem colocar. Uma crise financeira do governo de Sergipe afetaria a credibilidade do Brasil no exterior? É por aí. Dimensões proporcionais. Uma consideração dessas não dá nem para considerar como terrorismo.

O que se apreende disto parece ser sua lição, exemplo em escala diminuta, mas válido. Quanto ao excesso de liquidez, está favorecendo exclusivamente aos fabricantes da crise iniciada em 2008. A classe média do mundo inteiro continua perdendo seus empregos e, portanto, está se segurando como pode em seu consumo tradicional.

fejuncor disse...

Corrijo: “iniciada” não. Eclodida, melhor dizendo.

Plantada ela foi muito antes.

PedroAdãO disse...

Quem nunca viveu e/ou foi aos países do GCC não tem idéia do que é dinheiro aos pontapés.
Além do mais, Dubai não é a única da região criando polos financeiros, turísticos e/ou de serviços etc...tem o Qatar, o Bahrein, Abu Dhabi, Fujairah etc etc...essa crise é passageira e os sheiks nem piscaram (ainda).
Quem mais tá perdendo dinheiro na área do GCC são os chineses e os ocidentais.
Esperem e verão.

David disse...

Estive em Dubai no ano passado. Aproveitei que era uma escala para um outro destino e fiquei por lá 3 dias. Não recomendo para ninguém.Um delírio total. Está na cara que é vigarice pura.Depois que voltei andei lendo umas matérias de jornalistas econômicos antevendo que ia pro saco.Não deu outra. Aquilo é fantasia,delírio e oportunismo, pra não falar em caso de polícia mesmo.
Além do que turista não é bem tratado.O calor é um absurdo e não há nada para se ver além dos prédios. Quem não é "comprista" nem arquiteto fica sem programa algum. O resto é propaganda.Não me surpreendeu a notícia da possível falência.

André Barros Leal disse...

O mundo persa e arabe, num passado muito distante foi realmente berço de muito avanço. até que um tal Maomé criouo atraso que se chama coorão.

Apesar de flamenguista, eu nao gosto muito de viver de passado. o que conta hoje é que o mundo persa/arabe é o centro da ignorancia no mundo. e o pior de tudo... a exporta

fejuncor disse...

A adm do emirado superestimou seu potencial, a moratória ainda é efeito retardado da crise do ano passado. A causa foi o fundo soberano Dubai World, logo, acho bom olharmos aqui para dentro e desse episódio tirar alguma coisa já que discutimos a criação de nosso próprio fundo.

lRhapsody disse...

´pecunia non olet´

fejuncor disse...

Ctza terão de repensar tal modelo econômico alicerçado em pesadíssimas aplicações públicas no mercado imobiliário e ingressos de capital estrangeiro.

No caso, reluz que um fundo "soberano" não pode trabalhar tão alavancado – ou, soberano mesmo, só no nome.

David disse...

http://www.independent.co.uk/opinion/commentators/johann-hari/the-dark-side-of-dubai-1664368.html
(http://www.nysun.com/foreign/royal-dreamers-build-castles-in-the-sand/35065/?print=1928135321).
Os dois links valem a pena serem lidos por quem se interessa pelo assunto Dubai. Ambos eu publiquei no meu blog www.blogdodavidbor.blogspot.com há meses atrás.

Brazilian US Army Ranger disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo Constantino disse...

Nesse blog eu não aceito nenhum tipo de ataque racista.

Obama deve ser criticado por seu viés esquerdista, centralização de poder, populismo. Nunca pela cor da sua pele.

Rodrigo

Antonio disse...

Até quem não é especialista em economia (como eu) percebe que tem algo de errado com toda aquela prosperidade que os EAU vêm exibindo para o mundo.

Brazilian US Army Ranger disse...

Poxa vida Constantino , voce retirou o meu comentario ?

Que racismo que falei ?
So porque eu chameio o cara de macaco ?
E ainda financiado pelos arabes ?

Gosto muito mesmo do seu trabalho mas para de babacagem porra.

Rus
US ARMY

Everardo disse...

US ARMY, que coisa mais agressiva. Um nazista da melhor representação. Racista, violento, estereotipado, reacionário, armamentista. Credo!!!

Brazilian US Army Ranger disse...

Everardo,
Sou armamentista mesmo meu caro,
A paz que voces estupidos liberais querem so existe no ceu apos morte,
pois aqui no mundo fisico, sujeito pacifista que gosta de gastar saliva com bandido e terrorista pra mim e' freco ..boiola.

E quanto a nazista esse rotulo na se ajusta ao meu perfil...pois eu sou conservador,capitalista e luto pela liberdade e direito de ir e vir de meus filhos e seus filhos.

E tambem militar americano .

E porfavor lave a boca antes de me chamar comunista ..pois eu odeio comunista.

Rus

Everardo disse...

US Armt Rus, eu lamento muito que ainda existam pessoas que possuem essas convicções. Apesar da humanidade estar em processo de conscientização acerca do perigo para a espécie humana que gente assim representa, essas pessoas se comportam como se fossem admiradas, desejadas, até. Seus cultos são o que a humanidade começa a repudiar. Os americanos estão fazendo um grande esforço para se livrar desse rótulo que você exibe, e que é o lado negativo daquela nação. Triste, lamentável.

Brazilian US Army Ranger disse...

E tambem acredito que gente assim como voce ( pacifista covarde motivado so pra falar asneiras como esta acima)e' que fazem e tornam esse mundo estupido ...eu to cansado de repetir terrorista e bandido nao se conversa enem negocia eles so compreendem quando voce arrebenta a cara deles eles sao abusados...voce Everardo nao sobreviveria meio dia la no Afganistao com essa posicao de humanista pacificador.

Cansei e nao tenho paciencia com gente molenga e fragil...

Um dia quando voce for abordado por um bandido voce vai se lembrar de minhas palavras acorda rapaz

Rus

Everardo disse...

Brazilian US, quando terminar a faxina e as instruções de campo, aproveite a sua folga e leia algo (fora avisos e regualamentos), senão você fica igualzinho ao tanque que você lubrifica os rolantes: forte, rude, e beberrão.
Por isso é que vocês não localizam o Bin Laden!Use a inteligência, rapaz!