sexta-feira, novembro 13, 2009

É Proibido Fumar!

22 comentários:

fejuncor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fejuncor disse...

Em breve proibirão tmb os adaptadores e tomadas universais. Um comitê decidiu. Seremos OBRIGADOS a seguir um novo padrão trocando toda rede elétrica da casa. Motivo: falta de segurança. Em um país tão seguro e pacífico como Brasil, as estatísticas sobre incidentes devem mesmo confessar o enorme peso disso. Fico feliz com a preocupação sincera do governo com nossa insegurança! Proibir. Proibir. Proibir... Eles nos proíbem, mas nos proíbem "para o nosso bem".

fejuncor disse...

A última pérola tramita no Conselho Federal de Psicologia: proibir anúncio com pessoas de cabelo liso.

ntsr disse...

Eu sei que os políticos querem se meter em tudo onde não são chamados, mas nesse caso...
Pq isso não é externalidade?
Pq é que a liberdade do fumante, de fumar, é mais importante que a do não fumante, de não fumar?
Pq é que é o não fumante que tem q sair procurando lugar pra ele, e não o fumante?

ntsr disse...

Que eu saiba, a tua liberdade termina onde a minha começa

Rodrigo Constantino disse...

ntsr, a tua liberdade acaba onde começa a do DONO do estabelecimento.

Vc erra a questão: não se trata do direito do fumante contra o direito do não-fumante, e sim do direito do DONO do bar ou restaurante escolher se pode ou não fumar em SUA propriedade.

Guto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sergio Oliveira Junior disse...

Rodrigo disse: "Vc erra a questão: não se trata do direito do fumante contra o direito do não-fumante, e sim do direito do DONO do bar ou restaurante escolher se pode ou não fumar em SUA propriedade."

Perfeito. Concordo plenamente. Mas qual é a falácia da seguinte sugestão:

"Assume-se que nos estabelecimentos fechados e de grande concentração de pessoas a não manifestação clara do dono equivale a proibição do fumo. Caso ele queira liberar o fumo ele precisa colocar avisos claros e indicativos da sua decisão."

Seria basicamente forçar o cara a ter responsabilidade pelo que acontece na sua propriedade e não se fazer de bobo impotente.

Faz sentido? Minha opinião pessoal...

fejuncor disse...

Já agora, não há estudo qq que garanta que stress faz muito pior que o tabaco? O que vamos fazer com todos os desgraçados que são sujeitos a essa maleita que é o stress profissional? Afinal, segundo julgo saber o stress provoca doenças cardiovasculares, doenças de pele, depressão e até não falta quem diga que provoca cancro.

fejuncor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fejuncor disse...

Hei de pensar na proibição do trabalho!!, fonte desse mal moderno que tem efeito externo sobre outras atividades.

ntsr disse...

O trabalho só é estressante se vc n faz o que gosta
http://www.youtube.com/watch?v=OdBqoDr76YI
2:20 'eu trabalho 12, 13, 15 horas por dia'

Adamos Smithson disse...

fejuncor, ler e entender não são habilidades que todos possuímos eu sei. Nesse caso, acho que ou você não leu, ou não entendeu.

Comparar a proibição do fumo em lugares fechados à proibição de trabalho porque trabalho gera stress e stress mata é burrice.

Se o Governo estivesse preocupado com a saúde do fumante, ele não proibiria o fumo em lugares públicos, e sim o fumo em qualquer lugar. A justificativa para proibir o fumo em lugares públicos é que o fumante afeta negativamente a saúde de outros que estejam no mesmo recinto, quer eles sejam fumantes ou não.

No caso do trabalho/stress, a pessoa que trabalha muito e se estressa afeta apenas a si mesma, e não aos outros. Portanto, comparar uma coisa a outra é provar que você não entendeu nada do que está acontecendo mas ainda assim criticou.

Adamos Smithson disse...

Ponto para discussão: nossa lei proibe o homicídio, bem como a tentativa de efetuá-lo.

O ponto de vista do Rodrigo é o seguinte: "se o Governo não proibir o fumo em lugares públicos, o dono de cada estabelecimento vai poder determinar se o fumo na sua propriedade é permitido ou não. É verdade que quem estiver num ambiente com fumantes vai ser prejudicado, mas cada um vai ter o direito de escolher um estabelecimento que permita o fumo ou não."

Eu concordaria integralmente se o fumo passivo fosse apenas um "incômodo". Não é! O fumo passivo mata, quase tão eficientemente quanto o fumo "ativo".

Por mais liberal que sejamos, ninguém vai dizer que o dono de um restaurante deveria poder determinar que "nessa casa permite-se homicídio". A lei vale dentro da propriedade privada.

O fumante aumenta as chances de morte de quem está no mesmo ambiente. Portanto, na minha opinião, equipara-se, qualitativamente, a uma tentativa de homicídio. Assim, acho totalmente justificável que o Estado imponha a proibição, pois mesmo dentro da propriedade privada a lei deve ser respeitada.

Rodrigo Constantino disse...

"Portanto, na minha opinião, equipara-se, qualitativamente, a uma tentativa de homicídio."

Era o que faltava mesmo, na cruzada antitabagista!!! O fumante é um ASSASSINO! Aliás, quem dirige um carro também, pois emite CO2 na atmosfera. E por aí vai...

Adamos Smithson disse...

Rodrigo, você poderia explicar qual é o absurdo no que eu falei? O fumo passivo não aumenta a chance de surgimento de cânceres de pulmão que, por sua vez, podem levar a morte?

Por mais que o fumante não tenha intenção de matar quem está perto dele, isso pode acontecer!

É rigorosamente o mesmo caso de um laboratório que decidisse, digamos, realizar experimentos com materiais radioativos no meio da Av. República do Chile no Rio de Janeiro. Ele pode até não ter intenção de matar ninguém, mas essa atividade deve ser intensamente monitorada e, se preciso, reprimida pelo Governo, pois o ato do pesquisador pode matar ou prejudicar seriamente quem estiver trabalhando ali por perto. Você, digamos.

O fumo em ambientes públicos não é proibido para proteger o fumante, e sim para não arriscar a vida de quem está perto dele.

Everardo disse...

fejucor, justificar um mal com outro ainda pior é uma grande tacada. Haverá sempre algo pior. Como no velho truque de comparação, arrancar cinco unhas é pior do que somente quatro...tem um "filófofo" por aí que, a cada crítica ao capitalismo, debita mais alguns mortos à conta do comunismo, de forma que já são 300 milhões de vitima. Você sabe que é o picareta?

Santos disse...

Porque eu não posso abrir um restaurante SÓ para fumantes?

Sergio Oliveira Junior disse...

Completando o meu raciocínio, já que ninguém respondeu e estou assumindo que todos concordaram.

Eu vou numa danceteria e chegando lá decido tirar a roupa. O segurança vem me retirar e eu pergunto: "Mas onde está escrito que não pode? O que o dono decidiu em relação a isso? Eu pensei que era permitido. O que vcs tem contra os naturalistas?"

Claro que isso seria uma imbecilidade, mas todos concordam que EXISTEM lugares onde se é permitodo tirar a roupa. Termas, casas de swing, etc.

Longe de querer comparar um fumante a um libertário sexual, até porque cada um tem o direito de fazer o que quiser com o seu corpo, o meu ponto é o seguinte: POR DEFAULT em lugares fechados, com aglomerações e pouca ventilação assume-se que não se pode fumar assim como assume-se que não se pode tirar a roupa.

Agora se tiver uma placa na porta ou na parede claramendo dizendo: "A gerência avisa: A fumaça aqui está liberada!" ou "Não percam nesse sábado: Noite do libera total!" daí vai quem quer pois é o dono que está decidindo isso.

Agora se eu vou num bar, e alguém começa a tirar a roupa ou a fumar do meu lado enquanto eu estou comendo, realmente é desagradável, pois ninguém me avisou que aquilo ali era um chiqueiro ou um bordel.

Everardo disse...

Sérgio, esse também é um problema técnico. As normas são abstratas, dirigidas a todos. Imagine como seria incluir na norma todas as situações hipotéticas em que os direitos são, ou não, no âmbito subjetivo, violados. No nosso ordenamento positivista não proibir e liberar são equivalentes, pois ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer senão em virtude da lei. Assim, sendo liberado, nada se pode fazer quando alguém viola essas regras que você mesmo citou, o que era muito comum, prejudicando não somente o conforto mas a saúde dos outros.

fejuncor disse...

No país, estima-se que 16% da população seja fumante. É um dos mais baixos índices do mundo, isso faz daqui um lugar próprio pra popularizar leis anti-fumo o que instiga essas demandas políticas.

Everardo disse...

É óbvio, fejuncor. Dificilmente 16% de não fumantes conseguiriam aprovar uma lei que proibisse o fumo. A maioria representada é o cerne do nosso regime. Dá, agora, para você compreeder a razão da intervenção do governo para proteger as minorias? Se minorias legítimas, como os deficientes e os homossexuais, são desconsideradas, imagine-se dependentes de tabaco!