quinta-feira, fevereiro 18, 2010

A Farmácia do Futuro



Rodrigo Constantino

As novas regras da Anvisa para a venda de remédios nas farmácias começam a valer esta semana, apesar da chuva de liminares que vem garantindo o direito de as farmácias manterem os produtos ao alcance dos clientes. Por trás das novas regras jaz uma mentalidade que trata os consumidores como idiotas indefesos, o governo como um deus, e os burocratas como seus santos agentes enviados para nos proteger.

Segundo esta crença, um indivíduo pode entrar numa farmácia para comprar um desodorante, e de repente comprar e consumir por impulso vinte aspirinas, mesmo sem dor de cabeça alguma. Contra este enorme risco, nós precisamos do governo para proibir que tais remédios, que não necessitam de receitas médicas, fiquem ao nosso alcance. Claro, sem a Anvisa todos nós acabaríamos tomando veneno no café da manhã, em vez de leite. Ainda bem que temos o governo para cuidar de nós!

Há um “pequeno” problema nessa premissa, entretanto: são os próprios idiotas que escolhem o governante, que por sua vez irá protegê-los. Ou seja, somos todos idiotas, vítimas potenciais da “exploração” das farmácias, mas vamos escolher nossos protetores pelo voto. E quem garante que não seremos explorados então pelos próprios governantes? Já que somos idiotas, a probabilidade disso ocorrer é enorme! Ou seja, o paternalismo e o sufrágio universal democrático são um tanto contraditórios.

Os paternalistas precisam sair da toca e assumir de forma mais direta que são autoritários, que defendem um governo de “esclarecidos”, gente altruísta que vai proteger os mentecaptos, sem abusar de tanto poder. A questão de como colocar tais sábios altruístas no poder, assumindo que eles existem, permanece sem solução aparente. Mas isso não importa muito aos autoritários: eles sempre imaginam que pessoas exatamente como eles terão esse poder de tutela.

Não passa por suas cabeças ingênuas que os verdadeiros idiotas, ou então os oportunistas sedentos por poder, poderão assumir o governo. Nesse caso, bem mais provável, devemos perguntar: quem vai nos proteger dos idiotas poderosos? Quem vai nos proteger da arrogância dos burocratas da Anvisa, que acham que não somos capazes de escolher uma simples aspirina sem a tutela estatal?

Por fim, sabemos que essa mentalidade é típica da esquerda. A mesma esquerda que costuma pregar a legalização das drogas – não sem razão. Mas quando ambas as bandeiras se juntam, uma clara contradição salta aos olhos. Os idiotas não podem ter liberdade para comprar uma simples aspirina, direto da prateleira, mas vão comprar skank na farmácia? Já posso até imaginar uma farmácia do futuro, idealizada por um esquerdista típico. O sujeito entra nela, e pede ao farmacêutico:

- Senhor, uma aspirina, um bagulho do bom, um comprimido de exctasy e um tablete de ácido, por favor.

No que o farmacêutico retruca:

- E você tem receita médica para esta aspirina, rapaz?

16 comentários:

Iconoclastas disse...

boa.

parece q sorvete e chocolate, tb nao vai poder.

Rogério PC disse...

Passei por um exemplo dessa mentalidade idiota do governo recentemente. Ganhei um microondas e ele veio com o ridículo novo padrão de plug que o governo nos enfiou goela abaixo. Fui comprar um adaptador e me perguntem se consegui. Simplesmente não existe. Sou obrigado a trocar a tomada para poder usar o microondas. Não apenas isso, como também não existem mais tomadas nem adaptadores com o padrão americano, aquele com dois pinos chatos e um terra redondo, que é o usado em todos computadores, notebooks, TVs de LCD, etc. Comprei um TV LCD que veio com esse plug americano e o único forma de ligá-la na tomada foi arrancando o pino do terra porque não existem mais adaptadores. Ainda se encontra estabilizadores e filtros de linha com esse padrão de tomada, mas aproveitem porque não devem durar muito mais tempo.

Comentei com a minha esposa do ridículo desse novo padrão e ela, provavelmente influenciada pela propaganda oficial, me diz que é para nossa segurança porque impede de ligar o plug na tomada de forma errada. Não aguentei a revolta e disparei: "E esse governo de b* acha que eu não sou capaz de ligar um plug em uma tomada? Vão tomar no c* todos esses burocratas de m* que tiveram essa ideia de idiota!"

Estou até hoje revoltado com esse b* de governo que nos trata como retardados mentais!!

E aquele estúpido que atacou os canais a cabo dizendo que estão a serviço da doutrinação imperialista ianque porque só passam seriados e programas norte-americanos? MEUS DEUS!! Que vontade de encher esse cara de porrada e gritar para ele: ME DEIXE EM PAZ SEU FDP! CUIDA DA SUA B* DE VIDA E PARE DE QUERER MANDAR NA VIDA DOS OUTROS!!!

Afff!!! Desabafei. Me desculpem, mas perdi o controle. Mas convenhamos que é difícil manter a calma com tanta intervenção na nossa vida... Agora até na TV a cabo que EU pago esses FDP querem determinar a programação???

Rodrigo Constantino disse...

Rogério, nem me fala dessa babaquice das tomadas!!! Cara, me mudei agora, casa nova, todas as tomadas novas. Esse governo é podre mesmo. Autoritário até não poder mais. To muito puto com isso tudo.

Adriel disse...

Enquanto isto, se não me engano, o Walmart vende aspirina e outros remédios a preço de ervilha nos EUA ja que a margem de lucro deles é BEM menor do que das farmácias.

http://portalexame.abril.com.br/degustacao/secure/degustacao.do?COD_SITE=35&COD_RECURSO=211&URL_RETORNO=http://portalexame.abril.com.br/internacional/m0112276.html

Mateus disse...

Essa história das tomadas é realmente o fim da picada. O que há de errado com o padrão internacional? Ser internacional? Se é que não foi feito para isso, além do puro autoritarismo, vai fazer com que se movimente dinheiro com essa grande palhaçada, pois se a pessoa não quiser trocar todas as tomadas de sua casa, até porque ninguém vai se desfazer de todos os seus aparelhos antigos, vai ter de gastar uma graninha com a compra dos malditos adaptadores, que já estão sendo comercializados, e o pior, não é em todo o lugar que é achado, porque até o mercado se organizar para essa nova demanda demora um pouco.

E enquanto isso "tomamos o fumo"!

rony disse...

Rodrigo,
concordo 100% com vc e com os comentários, obviamente.
A culpa mesmo é de quem elege esses idiotas que não tem mais no que pensar.
Cito exemplo de carta enviada ao Globo e publicada hoje no jornal, referente a Lucros Bancários. Segue:

"No ano da 'marolinha' citada pelo presidente Lula, 2009, o país teve umaqueda gigantesca na produção industrial, porém os bancos obtiveram um novo recorde de lucros. Ora, alguma coisa está errada. Por que o Banco Central não limita o lucro dos bancos aos mesmos índices de crescimento do país, fazendo com que os mesmos devolvam aos cofres públicos os valores excedentes? Entendo que seria uma maneira de os banqueiros incentivarem mais as indústrias, comércio e as exportações."

É ou não é brilhante???
O pior é que deve ter gente que le isso e acha uma ótima idéia... Estamos perdidos mesmo.

Otavio Macedo disse...

Rodrigo,

Em relação à legalização das drogas, ocorre o inverso com a direita conservadora. Para eles, proibir o cigarro é uma violação das liberdades individuais, mas proibir a maconha é algo perfeitamente aceitável, já que ela "faz mal".

Parece ser a mesma mentalidade da esquerda, a de que sábios governantes devem decidir o que as pessoas podem ou não podem consumir. Só o que muda é o que cada grupo de sábios considera bom ou mau.

ntsr disse...

Rodrigo, se vc tivesse um filho viciado em crack, vc internaria ele contra a vontade dele?

Menu del dia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aprendiz disse...

Não é verdade que a esquerda só queira a liberação da maconha. Eles sabem que não conseguiriam a liberação de todas as drogas de uma vez, simplesmente porque a população é contra. Então vão comendo pelas beiradas, como em tudo que fazem.

OJ disse...

As famosas Drugstores nos EUA vendem revistas, pilhas, sorvetes, sandálias, filmes, Cd´s e o que mais quiser, remédios que não precisam de receita à vontade, só é atrás do balcão o que precisa de receita.
O que vai acontecer? O preço vai aumentar e vc vai ficar numa baita fila para comprar um sal de frutas.
Bando de idiotas essa turma da Anvisa. Devem ter recebido uma propina dos supermercados.

bebeto_maya disse...

"A mesma esquerda que costuma pregar a legalização das drogas – não sem razão. "

Isso é um ponto interessante. Visto que "liberação das drogas" é uma bandeira dos liberais do "Pode tudo". Liberais não costumam ver a implicação que a destruição da ordem pode trazer a sociedade. Comunistas vêm a modificação da estrutura social como bandeira e causa, incluindo aí causas liberais sociais, e liberais vêm a liberação social total, como causa.

Assim quando falam em liberação das drogas nunca pensam que além do álcool teremos a legalização de drogas pesadas, como o ecstasy, o crack etc. e mais acidentes de trânsito, mais mortes, mais internações. Liberais não vêm que com o "sexo livre", haverá mais DSTs, visto que preservativos eventualmente, falham.

Enfim, a maior parte dos pontos de vista dos liberais vai de encontro a esquerda progressista.Com ênfase no livre mercado.

Rodrigo Constantino disse...

"Assim quando falam em liberação das drogas nunca pensam que além do álcool teremos a legalização de drogas pesadas, como o ecstasy, o crack etc. e mais acidentes de trânsito, mais mortes, mais internações."

Bebeto, que haveria MAIS casos é uma crença sua, certo? Eu não estou seguro disso. E acho que o custo da proibição é maior do que seus benefícios. O custo, claro, é essa guerra contra as drogas, aumento da criminalidade, mortes, prisões, gastos etc.

Bruno S disse...

Nem me falem de tomadas... tbm me mudei agora e todas são deste padrão novo (não vendem mais nenhum outro). Arrumei até uns adaptadores fuleiras, q destroem com o conceito de "segurança" alegado.

Quanto as drogas, os lugares que resolveram alternativas de redução de danos, fugindo da cínica "guerra as drogas" (só algumas), "guerra" a qual criou o crime organizado como conhecemos, só estão colhendo benefícios.

Holanda tem índices baixos de consumo e as restritas vendas de maconha regulamentada nos EUA deram em pouco tempo um golpe nos carteis mexicanos que décadas e bilhões e bilhões de dólares da DEA não conseguiram.

Junckes Corrêa, F disse...

Vi há uns dias no Jornal da Globo algo providencial, eu que então estava de saco cheio, pude rir um pouco. A matéria falava além desses mencionados disparates de “descontos abusivos”. Já viram? Descontos “abusivos” kkkkkkkkk. Governo nos proteja deste mal prejudicial a concorrência! Sardenberg entrou no ar citando casos fracassados de tal intervenção no país berço da indústria farmacêutica, Alemanha, e a pateticamente obvia questão de como sair dessa, um político, obrigando farmácias maiores a cobrar mais caro.

São contradições em que às vezes se pegam entrando burocratas por sua velha propensão de negar a lógica do mercado.

p.s.Fui o 1° a citar aqui essa anedota dos plugs!

bebeto_maya disse...

Rodrigo,

"Bebeto, que haveria MAIS casos é uma crença sua, certo? Eu não estou seguro disso."

Veja o caso da Holanda:
http://www.unodc.org/brazil/pt/pressrelease_20080909.html

A produção de drogas sintéticas bate recordes neste país. Portanto satisfazendo a demanda. É verdade que a "exportação" é grande. Mas tá longe de ser "uma crença minha".

atenciosamente,
bebeto_maya