segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Que esquerda é essa?



Autor: Fernando de Barros e Silva
Folha de S. Paulo - 01/02/2010

Como retrato da esquerda, o Fórum Social Mundial nos oferece uma imagem melancólica. De um lado, o evento, encerrado ontem, se presta a ser um palco de aclamação do lulismo; de outro, reitera sem mais dogmas anticapitalistas, fazendo tabula rasa do legado ruinoso dos experimentos coletivistas do século 20.

Em sua 10ª edição, o fórum agrega uma esquerda que transita entre o novo pragmatismo e a utopia de antigamente, sem que se detenha na crítica de nenhum dos polos. Adesista e fundamentalista ao mesmo tempo, essa esquerda age como quem quer usufruir todos os benefícios possíveis deste mundo (lulista), sem prejuízo de manter intacto o clichê do "outro mundo possível".

Entre o radicalismo vazio e o apego ao poder, haveria uma trilha menos cômoda. Algo como o compromisso com a redução das desigualdades, com o combate à corrupção em todas as suas formas e a defesa da democracia e do pluralismo -tudo combinado numa perspectiva reformista, que se paute pelo realismo sem abrir mão de princípios.

Não é isso, como se sabe, o que seduz os funcionários da utopia. Mas que esquerda é essa que vira as costas aos estudantes venezuelanos e não se manifesta contra a escalada autoritária de Chávez? Que esquerda é essa, para quem o mensalão não existiu ou acha que "a vida é assim mesmo"? Que esquerda é essa, capaz de defender a barba de Fidel Castro e o bigode de José Sarney?

Não há dúvida de que existe uma maioria bem intencionada entre os participantes do fórum. Mas o evento se tornou coisa de profissionais. Com raríssimas exceções, os intelectuais que contam não perdem mais tempo por lá. Restou um lúmpen "pensante" que fez do fórum o seu negócio. Gente, aliás, que cansou de esperar Godot e hoje enche as burras à custa do lulismo. São parasitas do Estado que adoram ressuscitar o fantasma neoliberal diante de plateias embasbacadas para manter viva a sua boquinha. Será possível ainda ser de esquerda sem parecer idiota ou espertalhão?

-
Comentário: A pergunta final merece uma resposta. Será possível ainda ser de esquerda sem parecer idiota ou espertalhão? Não. Simplesmente, não. A esquerda virou uma mistura de oportunistas em busca de privilégios e os perfeitos idiotas latino-americanos, a massa de manobra desses oportunistas. Esses repetem slogans prontos, chavões vazios; aqueles vão acumulando cargos no setor público, verbas para seus "movimentos sociais". É possível ser esquerdista e inteligente. É possível ser inteligente e honesto. Mas não é possível ser esquerdista, inteligente e honesto.

9 comentários:

hugofpontes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
hugofpontes disse...

É isso mesmo. Não tem mais chance alguma. É uma vergonha para o ser humano morrer acreditando nessa turminha tola, alimentando essa total estupidez sem fundamento. Vamos ao que interessa.

Rogério PC disse...

Discordo. Acho possível ser esquerdista, inteligente e honesto. Já disse uma vez e repito. Quando se trata de seres humanos, é errado generalizar.

Você deveria evitar esse recurso.

ntsr disse...

Rogério, não é possível pq sendo inteligente vc nota que o que a esquerda defende só acaba sendo conveniente...pra própria esquerda
Nem pro pobre isso ajuda, pro pobre é desemprego numa mão e bolsa esmola na outra

Pedro Galuchi disse...

Essa esquerda é a mesma que enganou milhares de familias no caso BANCOOP - Cooperativa Habitacional dos Bancarios de SP-

O Federalista disse...

A mentalidade esquerdista radical se baseia naquele princípio óbvio, porém clássico: o sonho do escravo não é ser livre, mas escravizar outrem.

Troque escravo por "invejoso" e escravizar por "ser invejado por".

Não há o que discutir: a esquerda só existe porque uns não aceitam ver o sucesso dos outros enquanto contemplam o fracasso particular. Só não sabem que o que motiva essa situação é a causa (desigualdade de oportunidade), não a consequência (desigualdade social).

Rogério PC disse...

Lembro que ser inteligente não quer dizer estar sempre certo. Cito o exemplo de Einsten. Até o final da sua vida ele lutou contra a mecânica quântica, tentando provar que esta estava errada e não conseguiu. Cada vez mais a mecânica quântica se prova como correta ao explicar e prever corretamente um grande número de fenômenos. Einsten era inteligente e errou. Repito, uma pessoa pode ser inteligente, esquerdista e honesto. Ninguém é perfeito. Mesmos os mais inteligentes erram e também falam e fazem besteiras.

Continuo sendo contra generalizações quando se trata de seres humanos.

Everardo disse...

Rogério PC, acho que você cometeu um equívoco. Einstein não levou avida tentando provar que a mecânica quântica estava errada. Ele PROVOU que a mecânica quântica estava CERTA, mas não explicava todos os fenômenos. A física quântica não nega a mecânica. Não são conflitantes, são complementares.

Tantan disse...

Podia ter ficado sem essa Ricardo. "Boca fechada não entra mosquito", especialmente se vc não sabe do que tá falando... E digo mais: as pessoas de boa vontade são usadas como massa de manobra pelos chacais que se vestem de ovelhas.