sexta-feira, fevereiro 12, 2010

A Prisão de Arruda



Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

Finalmente! Já era tempo de algum político importante do país ser preso durante o exercício de seu mandato. O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, teve sua prisão decretada pelo STJ, acusado de corrupção. Trata-se de um passo importante para a consolidação do Estado de Direito no país, mesmo que a probabilidade de o governador permanecer encarcerado seja pequena. Um dos principais pilares do liberalismo é justamente a igualdade perante as leis. Eis o que anda tão em falta na terra de Macunaíma, onde o acúmulo de privilégios pela classe política invejaria o mais déspota dos reis antigos.

Infelizmente, o presidente Lula não concorda com este importante valor liberal. Antes, na defesa de José Sarney, envolvido em diversos escândalos, o presidente chegou a afirmar que o bigodudo não era um “homem comum”. Agora, o presidente lamenta que o escândalo no Distrito Federal “tenha chegado a este ponto”. Como assim, senhor presidente? O que devemos lamentar é que tenha demorado tanto para chegar a este ponto, que ainda é muito pouco! Todos os corruptos deveriam parar atrás das grades. Sim, eu concordo que vão restar poucos políticos, e que talvez Brasília toda precise ser cercada. Entendo que o partido do presidente, o PT, iria praticamente sumir do mapa, ou transferir sua sede para Bangu. Mas é isso mesmo que deveria acontecer. Lugar de corrupto é na cadeia!

O presidente Lula avaliou que a prisão de Arruda não contribui em nada para o desenvolvimento da “consciência política nacional”. O que não contribui para tanto é a postura de um presidente que sempre defende os bandidos em vez da lei, que beija a mão de corruptos, que mantém nos cargos importantes de seu governo ou partido, réus de formação de quadrilha, ou que escolhe como possível sucessora uma ex-assaltante.

Por fim, o que também não ajuda em nada no desenvolvimento dessa consciência política é a manifestação totalmente seletiva dos “grupos sociais” que pressionaram pela prisão de Arruda. Afinal, essa mesma gente, quando se trata de escândalos do PT, toma “chá de sumiço” e entra em estado de total letargia, tal como os ursos polares. É o velho “dois pesos e duas medidas”, aquela hipocrisia tão característica da esquerda nacional, que luta pelo poder, e não por valores e princípios.

7 comentários:

Diego de Paula disse...

Realmente foi um passo importante na consolidação do Estado de Direito, mas como vc bem observou, só funcionou sobre a ótica do “dois pesos e duas medidas”, então não sei até que ponto fico feliz.

ntsr disse...

só funcionou sobre a ótica do “dois pesos e duas medidas”, então não sei até que ponto fico feliz.[2]

Everardo disse...

ntsr, você não foi muito claro...

João Bosco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Bosco disse...

Em tempo: Arruda foi preso pq supostamente ( e provalvelmente...) tentou obstruir a justiça através da corrupção de testemunha, e não pq é acusado de corrupção. Apesar da contundência das evidências ele jamais seria preso pela eventual acusação de corrupção. Poderia defender-se em liberdade e possivelmente até levaria seu mandato até o fim. Arruda traiu-se talvez, por temer a exposição das provas ainda não divulgadas.

fejuncor disse...

Se o governador ficar preso, ele vai ter direito ao bolsa-marginal? Arruda não tinha verba para corromper a justicinha fajuta, dançou; e o lula-laden?

Bom, regozijemo-nos! Pelo menos um!

samuel disse...

A MELHOR FRASE DENTRE OS BLOGUEIROS PARA DEFINIR O EVENTO: "Somente o partido governante situa-se acima da polícia e da lei, delas fazendo uso para atingir seus objetivos políticos".