quinta-feira, dezembro 17, 2009

E o governo perderia essa "boquinha"?

Matéria de O GLOBO avisa que Governo pretende criar estatal na área de esportes. Mais uma! Mais cabide de emprego para pelegos e "amigos do rei". Mais um antro para corrupção. A reportagem diz:

"Desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu a Presidência, em 2003, pelo menos dez novas estatais federais foram criadas - ou anunciadas - em diferentes áreas. Somadas, são 120 estatais, incluindo as subsidiárias da Petrobras (22) e do Banco do Brasil (16). Entre 2003 e 2007, o número de funcionários dessas empresas também cresceu. Passou de 381.911 em 2003 para 439.802 em dezembro de 2007."

Mas o Leão tem fome! O Leviatã, o monstro mais frio dos monstros frios (by Nietszche), quer mais! O setor público já responde por 21% dos empregos formais no país. Esse número chega a quase 40% no Nordeste! Em quase dois mil municípios brasileiros, a administração pública é responsável por mais de um terço da economia. E esse peso vem crescendo!

Acorda, Brasil! Está na hora de dar um basta a esse avanço do governo.

13 comentários:

Malkav disse...

Penso que, se nosso governo fosse outro, eu aceitaria uma nova taxa como foi a CPMF para ajudar financiar obras públicas ou licitações para obras de infra-estrutura ou outros relativas a Copa do Mundo e aos Jogos Olimpicos no país. Entretanto, devido a elevadíssima carga tributária, eu nesse momento sou contrário.

Entretanto, não dúvido que isso vai acontecer, um monte de gente vai achar "lindo" e vamos prosseguir da mesma forma desacelerada de sempre.

ntsr disse...

O brasil nao vai acordar,olha a indústria do concurso, o que o povo brasileiro quer é ir pro lado de lá e viver as custas dos otários pagadores de impostos
Vai chegar uma hora que não vai ter ninguém pra sustentar o governo, o povo IXPEARTO vai se afogar na própria lama, vão olhar pra cima e gritar: SOCORRO!!
E eu vou olhar pra baixo e sussurrar: não...

André Barros Leal disse...

O PIB Nacional possui 1/3 de sua conta como sendo "gerada" a partir do setor público.

Como sabemos que o governo nao gera riqueza, fica claro que esse número é mais uma maquiagem da realidade.

Onde quero chegar? Simples, o governo basicamente acha que possui esse poder de gerar riqueza, quando na realidade nao há mesmo. Logico que os politicos acham que criando uma estatal nova eles vao ser capazes de gerar mais empregos e garantir o desenvolvimento do pais.

Não sei onde ouvi isso, mas faz muito sentido: Se a iniciativa privada não realiza um determinado investimento, a maior probabilidade é que esse investimento não ofereça retorno significativo.

Everardo disse...

A substituição do estado pela "mão invisível do mercado" pressupõe que os magnatas são honestos e justos e que os políticos são ladrões e corruptos. Mas, em uma análise superficial dos casos de corrupção governamental vemos que os governantes são sempre meros "comissionados" das empreiteiras. Essas, sim, as assaltantes do Estado (com excessões em ambos os casos). Assim, dizer que quem paga imposto é otário é o reflexo da mentalidade do indivíduo que pensa apenas em se dar bem. Ética do ladrão, que impregna as relações entre políticos corruptos e empreiteiras corruptoras.

ntsr disse...

O cara paga e sustenta o roubo do governo e das empresas ligadas ao PT
Pro everardo, como eu nao quero ser roubado entao eu que sou o ladrão.Brilhante,como sempre

Antonio disse...

Penso de forma semelhante ao Everardo.
Tmb sou a favor da redução do estado em alguns setores, mas se engana quem acha que menos estado significa menos corrupção. Não gosto nem de pensar no que os magnatas, líderes das grandes empresas, seriam capazes de fazer para ganhar mais dinheiro uma estando "livres" do governo.

Houve um tempo em que operários trabalhavam mais de 12 horas por dia sem nenhum benefício extra...

ntsr disse...

Defender o livre mercado nao significa defender tudo que as empresas fazem, incondicionalmente.Pelo contrário, justamente quem mais tem interesse em um mercado fechado, controlado, são certos empresários.

Rodrigo Constantino disse...

"A substituição do estado pela "mão invisível do mercado" pressupõe que os magnatas são honestos e justos e que os políticos são ladrões e corruptos."

Falso, Everardo, como SEMPRE! (Aliás, já recomendei leituras para evitar TANTO constrangimento no meu blog).

Non sequitur: a falha de mercado não melhora com intervenção de governo. O mecanismo de incentivos não é adequado no governo. Eis o problema.

Se no livre mercado existem empresários safados, isso apenas é agravado pela concentração de poder no governo. Básico!

PedroAdãO disse...

Quando vai acabar essa mania de usar dinheiro publico para cria coisas inúteis? O presidente devia ser responsabilizado mesmo depois de sair, por fazer essas asneiras.

C.o.n.s.u.e.l.o disse...

A criação desta nova estatal tem como finalidade empregar centenas ou milhares de companheiros e permitir que o Sr. Orlando Silva fique à frente de um empreendimento mesmo no pós Lula..... Gostaria que os companheiros se preocupassem um pouco mais em oferecer condições para crianças se desenvolverem e praticarem esportes e não em como encher os próprios bolsos.....

André Barros Leal disse...

Em recente entrevista relacionada ao seu ultimo filme, Michael Moore foi comentado por Bill Maher da seguinte forma:

O socialismo falhou porque representava um desejo que o rio corresse em sentido contrario ao natural. O capitalismo deixa que o rio siga seu curso natural, mas cabe ao governo e a regulamentaçao fazer o rio fluir mais livremente em casos de barreiras.

Neste comentario está o claro viés de esquerda do Bill Maher. Ele acha que o mercado cria barreiras ao curso do rio, e o governo deve ser o sujeito a quebrar essas barreiras. Muito enganado ele está. São exatamente as regulamentações governamentias que criam as barreiras ao curso do rio. O governo fica nestas represas escolhendo quem deve passar e como. Eis o inicio da corrupção.

Dentro de um livre mercado, as transações sao feitas de forma que os melhores e mais eficientes sempre continuem no jogo, enquanto que os incapazes vão ficando para tras. Quando esses incapazes se aliam ao governo, a mágica da incompetencia recompensada ocorre.

Se não há a figura do governo decidindo por uma ou outra empresa, o mercado SEMPRE decide pela aquela que oferece mais por menos.

Everardo, leia "Quem é John Galt" acho que vai ser muito proveitoso para a sua vida e voce provavelmente vai deixar de falar tanta besteira por aqui.

fejuncor disse...

O Ministério da Educação e o Ministério dos Esportes (argh!) já têm pessoal destinado a tratar desse assunto.

Não há razão para criar mais essa sinecura, a não ser que seja para garantir seus empregos para depois de 2010 caso percam a eleição, como citou a Consuelo acima.

Everardo disse...

Esses números não refletem a realidade. Os empregos públicos são todos formais. Os da iniciativa privada, não. Tem uma grande parte que corresponde à "baixa" no português. Os 79% que se lhes atribui são bem mais do que 95%, inferior, portanto, ao percentual de quase todos os paises industrializados.