sexta-feira, dezembro 18, 2009

Serra ou Dilma? A Escolha de Sofia



Rodrigo Constantino

“Tudo que é preciso para o triunfo do mal é que as pessoas de bem nada façam.” (Edmund Burke)

Aécio Neves pulou fora da corrida presidencial de 2010. Agora é praticamente oficial: José Serra e Dilma Rousseff são as duas opções viáveis nas próximas eleições. Em quem votar? Esse é um artigo que eu não gostaria de ter que escrever, mas me sinto na obrigação de fazê-lo. Afinal, o futuro da liberdade está em jogo, sob grande ameaça. Nenhuma das opções é atraente. Nenhum dos candidatos representa uma escolha decente para aqueles que defendem as liberdades individuais. Será que há necessidade de optar? Ou será que o voto nulo representa a única alternativa?

Tais questões me levaram à lembrança do excelente livro O Sonho de Cipião, de Iain Pears, uma leitura densa que desperta boas reflexões sobre o neoplatonismo. Quando a civilização está em xeque, até onde as pessoas de bem podem ir, na tentativa de salvá-la da barbárie completa? Nas palavras do autor: “Usamos os bárbaros para controlar a barbárie? Podemos explorá-los de modo que preservem os valores civilizados ao invés de destruí-los? Os antigos atenienses tinham razão ao dizerem que assumir qualquer lado é melhor do que não assumir nenhum?”

Permanecer na “torre de marfim”, preservando uma visão ideal de mundo, sem sujar as mãos com um voto infame, sem dúvida traz conforto. Manter a paz da consciência tem seus grandes benefícios individuais. Além disso, o voto nulo tem seu papel pragmático também: ele representa a única arma de protesto político contra todos que estão aí, contra o sistema podre atual. Somente no dia em que houver mais votos nulos do que votos em candidatos o recado das urnas será ouvido como um brado retumbante, alertando que é chegada a hora de mudanças estruturais. Os eleitos sempre abusam do respaldo das urnas, dos milhões de eleitores que deram seu aval ao programa de governo do vencedor, ainda que muitas vezes tal voto seja fruto do desespero, da escolha no “menos pior”.

Mas existem momentos tão delicados e extremos, onde o que resta das liberdades individuais está pendurado por um fio, que talvez essa postura idealista e de longo prazo não seja razoável. Será que não valeria a pena ter fechado o nariz e eliminado o Partido dos Trabalhadores Nacional-Socialista em 1933 na Alemanha, antes que Hitler pudesse chegar ao poder? Será que o fim de eliminar Hugo Chávez justificaria o meio deplorável de eleger um candidato horrível, mas menos louco e autoritário? São questões filosóficas complexas. Confesso ficar angustiado quando penso nisso.

Voltando à realidade brasileira, temos um verdadeiro monopólio da esquerda na política nacional. PT e PSDB cada vez mais se parecem. Ambos desejam mais governo. Ambos rejeitam o livre mercado, o direito de propriedade privada, o capitalismo liberal. Mas existem algumas diferenças importantes também. O PT tem mais ranço ideológico, mais sede pelo poder absoluto, mais disposição para adotar quaisquer meios – os mais abjetos – para tal meta. O PSDB parece ter mais limites éticos quanto a isso. O PT associou-se aos mais nefastos ditadores, defende abertamente grupos terroristas, carrega em seu âmago o DNA socialista. O PSDB não chega a tanto.

Além disso, há um fator relevante de curto prazo: o governo Lula aparelhou a máquina estatal toda, desde os três poderes, passando pelo Itamaraty, STF, Polícia Federal, as ONGs, as estatais, as agências reguladoras, tudo! O projeto de poder do PT é aquele seguido por Chávez na Venezuela, Evo Morales na Bolívia, Rafael Correa no Equador, enfim, todos os comparsas do Foro de São Paulo. Se o avanço rumo ao socialismo não foi maior no Brasil, isso se deve aos freios institucionais, mais sólidos aqui, e não ao desejo do próprio governo. A simbiose entre Estado e governo na gestão Lula foi enorme. O estrago será duradouro. Mas quanto antes for abortado, melhor será: haverá menos sofrimento no processo de ajuste.

Justamente por isso acredito que os liberais devem olhar para este aspecto fundamental, e ignorar um pouco as semelhanças entre Serra e Dilma. Sim, Serra tem forte viés autoritário, apresenta indícios fascistas em sua gestão no governo de São Paulo, deseja controlar a economia como um czar faria, estou de acordo com isso tudo. Serra representa um perigo para as liberdades, isso é fato. Mas uma continuação da gestão petista através de Dilma é um tiro certo rumo ao pior. Dilma é tão autoritária ou mais que Serra, com o agravante de ter sido uma terrorista na juventude comunista, lutando não contra a ditadura, mas sim por outra ainda pior, aquela existente em Cuba ainda hoje. Ela nunca se arrependeu de seu passado vergonhoso; pelo contrário, sente orgulho. Seu grupo Colina planejou diversos assaltos. Como anular o voto sabendo que esta senhora poderá ser nossa próxima presidente?! Como virar a cara sabendo que isso pode significar passos mais acelerados em direção ao socialismo “bolivariano”?

Entendo que para os defensores da liberdade individual, escolher entre Dilma e Serra é como uma escolha de Sofia: a derrota está anunciada antes mesmo da decisão. Mesmo o resultado “desejado” será uma vitória de Pirro. Algo como escolher entre um soco na cara ou no estômago. Mas situações extremas demandam medidas extremas, e infelizmente colocam certos valores puristas em xeque. Anular o voto, desta vez, pode significar o triunfo definitivo do mal. Em vez de soco na cara ou no estômago, podemos acabar com um tiro na nuca.

Dito isso, assumo que votarei em Serra, mas não sem antes tomar um Engov. Meu voto é anti-PT acima de qualquer coisa. Meu voto é contra o Lula, contra o Chávez, que já declarou abertamente apoio a Dilma. Meu voto não é a favor de Serra. E, no dia seguinte da eleição, já serei um crítico tão duro ao governo Serra como sou hoje ao governo Lula. Mas, antes é preciso retirar a corja que está no poder. Antes é preciso desarmar a quadrilha que tomou conta de Brasília. Ainda que depois ela seja substituída por outra parecida em muitos aspectos. Só o desaparelhamento de petistas do Estado já seria um ganho para a liberdade, ainda que momentâneo.

Respeito meus colegas liberais que discordam de mim e pretendem anular o voto. Mas espero ter sido convincente de que o momento pede um pacto temporário com a barbárie, como única chance de salvar o que resta da civilização – o que não é muito.

108 comentários:

Adamos Smithson disse...

Oh, que surpresa. Não precisava do joguinho "PSDB é comunista", "Ainda bem que o PFL tirou o liberal do nome", "Olha como o Arruda é bandido" pra chegar no final e dizer "tá bom, vou votar no Serra, no PSDB, no DEM", hehehe.

Disclaimer obrigatório: também vou votar no Serra, é óbvio.

Rodrigo Constantino disse...

Adamos, há ENORME diferença! Vc vota em Serra com prazer, orgulho, convicção. Eu voto por falta de alternativa, tenso, com Engov. E no dia seguinte já começo a criticar seu governo!

"I do not approve of any government, but I will tolerate one so long as the only other choice is another, worse government." (David Friedman)

Adamos Smithson disse...

Ah, é óbvio: estou à direita do Serra e do PSDB. Não tento me comparar ao PFL pois acho que trata-se de um partido sem posição político-econômica definida. Divide-se entre o ex-Arena coronelista do PFL do Nordeste e o PFL Twitteiro do Sudeste.

E sim: acho o Serra um excelente candidato e acredito que ele e o FHC sejam meus dois políticos brasileiros com expressão nacional preferidos. Você vê algum outro? (não estou me limitando aos dois candidatos e, por favor, não estou pedindo um discurso sobre como não deveriam existir políticos, pois eles existem e um vai ser eleito presidente. Sejamos objetivos.)

fejuncor disse...

Também entendo que o voto nulo favorece ao mau político na atual conjuntura do voto obrigatório. O ideal seria que o voto fosse facultativo.

Adamos Smithson disse...

O voto é facultativo. A única coisa obrigatória é o comparecimento ao local de votação. Nem isso é realmente obrigatório. Quem quiser aproveitar a praia de Domingo só precisa pagar uns R$ 2,00 de multa e tá tudo certo.

Qual seria a diferença prática entre votar nulo/branco hoje ou deixar de votar num caso hipotético de tornar-se facultativo o voto?

DILMÃO38ÃO disse...

É positivo ver a oposição se mexer viabilizando a candidatura Serra, pois do jeito que as coisas andam o populismo e o assistencialismo do atual governo, pode nos levar a uma ditadura de esquerda, e isso seria o retrocesso político, como vemos em outras nações.

Paulo disse...

Compartilho da sua opinião, mas acho que ainda é cedo para pensar em eleições.

Tiago disse...

Sugestão: vote nulo no primeiro turno, deixe pra votar anti-PT no segundo apenas.

blog do reginaldo leitao disse...

....paixões a parte...o Brasil está melhor na fotografia hoje com Lula....viuvas da ditadura e do modelo entreguista é que se debatem na orfandade da dependência total e irrestrita dos vínculos viscerais, legado histórico das relações com os USA...precisamos evoluir como povo e nos abstrair desta visão imposta pela mídia sobre a dicotomia política no Brasil, senão permaneceremos com o antigo complexo de vira-latas....economia de livre mercado sempre será uma necessidade para os povos, desde que com regras iguais e justas para todos os membros....

abraços
reginaldoleitao

Beto disse...

Muito bom o texto Constantino, como de costume.

Parabéns!

Hanover disse...

Não sei o que fazer. Minha primeira resposta seria votar nulo.

Eu acho que quando o Serra entrou na política tinha lá certos princípios morais aceitáveis, mas como de praxe, foi corrompido pelo poder.

Já a Dilma, pra mim, esta totalmente corrompida. Agora certamente se o Serra entrar assumir a presidência o destino será o mesmo.

Ou seja, votando em Serra ganhamos mais um tempo. Essa seria a única vantagem que vejo.

Agora o Cristovão Buarque, será que ele não tem nenhuma chance mesmo?

Everardo disse...

Muita gente se surpreenderia com Serra. Ele sonha com o aparelho estatal montado pelo PT e iria usá-lo de forma muito mais autoritária. Se estrategicamente se posiciona como oposição, é por causa da configuração polarizada da maniqueísta política brasileira. Quando era presidente da UNE as suas propostas eram claríssimas. Quando Ministro da Saúde quebrou patentes de medicamentos (no que concordei) e possuia um programa de estatização completa da produção de mais de 80 medicamentos - exatamente o que constitui o filão dos laboratórios multinacionais. Muita gente terá (ou teria) saudades do Lula.

livemusic disse...

Digo não aos dois, obrigado!

ntsr disse...

Rodrigo, AS, fejuncor, sinceramente, as vezes eu acho vcs ingênuos.O brasil não tem jeito.Não tem.O problema não é serra nem dilma nem lula nem nada,mesmo se o psdb ganhar ele só fica no poder se for populista como o pt, o problema é o POVO mesmo, e isso NÃO é uma questão de educação
O negócio do povo brasileiro é futebol carnaval e cerveja, ele pensa como o lula, passou 8 anos sem fazer p* nenhuma, tinha tempo e dinheiro pra se formar em duas faculdades mas nao...pra que, sustentado pelo partido?
Nem se vc chegar e falar 'olha desgraçado eu PAGO tua faculdade' ele nao vai querer aprender a fazer nada de útil pra ninguém, a educação que ele vai escolher vai ser decorar o blablabla enfeitado de Noam Chowsky e cia, ficar choramingando pq as coisas nao caem do céu, se achando a vítima do mundo e uma engrenagem do sistema capitalista malvado
Então...concluindo...o negócio nao é depender da sorte e torcer pro menos ruim ganhar, o negócio é, quem puder, juntar dinheiro e ir abrir uma empresa e gerar empregos no chile.

ntsr disse...

E quem nao puder tem que aguentar até o dia que a lama bater no teto,como foi na URSS e como ta sendo na Venezuela, pq é só aí que algo vai mudar.

Rodrigo Ramiro disse...

Constantino, espero que o PSDB continue com seu norte modernizador como foi com Fernando Henrique e busque inspiração em ideais liberais e continue o trabalho interrompido por Lulla, modernizando nosso sistema, promovendo um movimento reformista, com reformas nas leis trabalhistas; reforma política e o volta da independência das agências reguladoras, independência de fato e de regra do Banco Central, fim do imposto sindical, e outras reduções de carga tributária; etc;

Vitor Fernando Pamplona disse...

Por falta de opção, eu voto na Marina :)

PedroAdãO disse...

Não confio no PSDB, na verdade. Não esqueço o que o PSDB fez na última eleição presidencial, rifando descaradamente Alckmin. Não esqueço o ridículo que o PSDB passou, a incompetência naquela campanha. E eles sabiam que lula ganhando, como ganhou, era mais uma pá de cal na democracia brasileira. Importaram-se? Não! Hoje o jogo é mais sutil, mais mineiro, mas não sinto que o PSDB esteja de algum modo preocupado com o futuro do país. São apenas vaidades e ambições individuais, no máximo de grupos, procurando ganhar o posto máximo da república.

Adamos Smithson disse...

ntsr, com esse discurso de "o problema é o povo que não consegue ver onque EU consigo ver", você soa preocupantemente parecido com todos os ditadoreszinhos que já vimos por aí.

Quem lê seu comentário pensa que o Brasil está numa trajetória decadente, seguindo os passos da URSS ou da Venezuela, mas isso é absurdo. O país está hoje melhor do que há 20 ou 30 anos atrás. Ainda tem muita coisa errada, sem dúvida, mas está melhor. Ora, se a situação está melhorando, não se pode falar em situação decadente, certo?

Quanto ao Chile... Você sabe que trata-se do regime legitimamente de esquerda mais duradouro do continente, né?

Rodrigo Ramiro disse...

Estou acompanhando aqui a sessão da comissão de infra-estrutura do na TV Senado enquanto programo num sistema aqui. Muita coisa pode ser feita fora do mundo ideal do liberalismo canônico. Vejo o quanto o Brasil pode ganhar em competitividade com uma infra-estrutura de transporte eficiente. E esse tipo de mudança se faz com atuação na política do mundo real. Partidos reformistas e grupos mais fortes que resistam a lobbys de grupos fisiológicos ligados a grupos oligárquicos e patrimonialistas ajudam muito na modernização e aumento da eficiência e competitividade do país. Eu acho que essa vertente reformista tem mais expressão na figura do José Serra do que no grupo que representa a situação.

Rodrigo Ramiro disse...

Constantino, seria legal se vc entrasse no www.formspring.me , tenho umas dúvidas que queria tirar contigo, outras pessoas devem ter perguntas construtivas que poderiam ficar disponíveis para outros lerem. Como você é um cara bem acessível online acho que o serviço tem a sua cara.

ntsr disse...

O chile esta em 11 lugar no ranking da heritage foundation, o brasil em 105.Pra mim, contanto que continue sendo o país com maior liberdade econômica da américa latina, nao ligo pros politicos se rotulando de esquerda, centro ou o que for

Já o brasil vem ganhando investment grade e tal, só que, essas agências não conhecem os políticos brasileiros de perto.Sinceramente, eu nao acho que a fome deles vai ter fim.Eles já querem impostos como os dos países escandinavos, quando isso não resolver nada eles vão querer mais ainda.E fora isso hoje em dia tem a industria do concurso, todo mundo querendo trabalhar pro governo.Todo mundo.Inclusive um monte vai nem por vocação, mas por falta de opção mesmo.E esse povo vai querer votar em quem faça mais concursos ainda.
Eu acho inevitável que chegue um ponto em que imposto seja metade do pib ou até mais.Quem é que vai criar empregos numa terra dessas?Eu nao.

André Barros Leal disse...

Sou um grande defensor da ideia do voto util. claro que se sabe que se o voto de um individuo fizese diferença este seria proibido. Mas em caso desta eleiçao, temos uma missão maior: Tirar a corja petista do governo.

Anular o voto, me desculpem os colegas libertarios, é a coisa mais estúpida a ser feita. Os beneficiarios do bolsa esmola votam e precisamos de cada um para colocar o lula no esquecimento.

Adamos Smithson disse...

ntsr, muito cuidado ao falar bem do Chile... você vai ser taxado de fascista-comunista-marxista-totalitarista-feudalista-mercantilista pelo grão representante do liberalismo no Brasil, o Rodrigo Constantino.

obs.: eu também acho o Chile um ótimo exemplo. É um país que conseguiu o que o Rodrigo parece achar impossível, um Estado que atua satisfatoriamente onde deve atuar, na correção de falhas de mercado e na oferta de serviços básicos como saúde e segurança alimentar. É um país não-anarco-capitalista que parece funcionar muito bem, o que nesse blog parece ser uma coisa que não existe. Não deve ser coincidência que o Serra tenha passado um bom tempo por lá, né?

Antonio disse...

Se nem o o Serra e a Dilma prestam, eu gostaria de saber (em nome de Deus) quem seria um bom governante para esse país??

ntsr disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Constantino disse...

Antonio, o bom governante é aquele que MENOS governa!

Por que vc acha que precisa tanto de um líder te dizendo o que fazer, controlando sua vida e a economia do país?

Eu hein!

Antonio disse...

Defendo a presença do governo no combate à desigualdade social. Isso sim depende exclusivamente de um governo. Se para isso ele tiver que regular, e não controlar, a economia que assim seja. E ninguém nunca me obrigou a fazer nada, a não ser pagar impostos e respeitar as leis, o que é, na minha opinião, um misto de obrigação e dever.

Rodrigo Constantino disse...

Antonio, além da premissa altamente questionável de que DEVERIA haver "igualdade social" (???), vc precisa explicar porque onde há mais governo, normalmente há MAIS desigualdade!

Ex: Brasília tem a maior renda per capita do país, de longe. O governo CONCENTRA renda. Mas a realidade incomoda os utópicos...

ricardo disse...

A escolha de Sofia redundou na culpa da escolha... A crueldade fascista força, produz o sentimento que aniquila o suposto mal menor... Penso ser o atual quadrante de tensão mais amena, embora compreenda a forte metáfora recorrida.

Antonio disse...

Isso não é totalmente verdade. O Brasil está conseguindo diminuir sim a desigualdade social entre as camadas mais pobres, principalmente depois de implementar o tão questionado e mal falado bolsa-família.
Vc acha questionável a necessidade de termos igualdade social ?

Rodrigo Constantino disse...

Antonio, vc não consegue refutar o fato, não é mesmo? Maior renda per capita do Brasil: Brasília! Viva a luta pela "igualdade social".

O que vc entende por isso, aliás? Igualdade MATERIAL? Todos com renda parecida? SOCIALISMO?

CLARO que eu não só questiono, como ABOMINO tal ideal. Seres humanos são diferentes em suas ambições, habilidades, esforços, sorte, vocação, tudo! Se temos belezas diferentes, alturas diferentes, profissões diferentes, por que diabos deveríamos ter RENDAS iguais???

Everardo disse...

É. Do ponto de vista do ideal utópico-liberal, não há certeza sobre quem mais dele se afasta, se Dilma ou se Serra. É, de fato, um a escolha penosa. Mas, eu pergunto: que tal o PSOL, o PSTU, o grande camaleão Roberto Freire? E agora tem o Skaff? Tá duro...

JOÃO MELO disse...

Rodrigo, boa noite!

2010 não será um ano "fácil" de viver politicamente. Que Brasil é este? De qualquer maneira, não necessariamente concordando com todos os seus pontos de vista, não sei se devo dizer que você escreve muito bem sobre política ou é sobre a "nossa" economia. Fato é que o seu texto sempre faz o leitor refletir. E isso é o que realmente importa. Parabéns e um ótimo 2010.

Abraço,
João Melo, direto da selva!

Mauricio disse...

Não há como votar no Serra....trata-se de um SOCIALISTA FABIANO !!!!!!!!!!!

Antonio disse...

Rodrigo,

Sim, socialismo mesmo. Mas não no sentido de fazer com que as pessoas tenham a mesma quantidade de dinheiro nas suas contas bancárias, mas no sentido de garantir o necessário para que todos sobreviverem com o mínimo de dignidade e conforto possível. Esse coletivismo eu acho válido.

Mauricio disse...

Nenhum dos candidatos representa uma escolha decente para aqueles que defendem as liberdades individuais. Será que há necessidade de optar? Ou será que o voto nulo representa a única alternativa?

De boa
Não li o resto do artigo.
Aposto que você escolhe Serra, e sim não li mesmo o resto antes de apostar isso, acredite você ou não.

Mauricio disse...

[i]Permanecer na “torre de marfim”, preservando uma visão ideal de mundo, sem sujar as mãos com um voto infame, sem dúvida traz conforto. Manter a paz da consciência tem seus grandes benefícios individuais. [/i]

Cada vez sua arrogância fica mais evidente, você apagará este post pois aqui denuncio: essa frase deixa ÓBVIO sua alienação para com o mundo, a ponto de ter certeza de que está tão certo que os "nojentos mortais" merecem que você desça de Asgard e venha dar uma de cristo ensinar os outros.

Mauricio disse...

Pronto, li.

Confirmado.

Constantino jura que a ditadura foi boa por que manteve o "Comunismo" (que nunca foi ameaça de verdade no Brasil") afastado.
Bom voto Constantino, eu também estou achando que o Serra ganha, e não vou reclamar.

fejuncor disse...

O brasileiro discutindo política chega a ser engraçado. Alguns traços característicos: A maioria só vê política nas eleições, não tem o mínimo conhecimento sobre organização política do Estado, não distingue entre os poderes e acha que o bom político é o que "faz". Existe até o slogan: "rouba mas faz".

E o brasileiro tem outra característica marcante: ele tende a votar "pra ganhar". Ele vota em quem está na frente na pesquisa. Curiosíssimo. Acho que é influência do jogo do bicho.

A ignorância quanto à teoria política, que deveria ser aprendida na escola, e o obscurantismo associado a ela, forma um "caldo" turvo onde as idéias afundam. O brasileiro se informa com quem o diverte e se diverte com quem tenta informá-lo. O resultado desta confusão toda, e da desinformação geral, é a classe política que aí está, que foi selecionada não pelo processo eleitoral, mas pelos interesses que se apoderaram da República - as opções são "conteúdos progamáticos" muito semelhantes.

Acaba-se nesta sinuca realmente "corrupto por corrupto, prefiro que mude de 4 em 4 anos". Mas não vou, por conta disto...

..dizer que vc não é liberal.

Paulo G. M. de Moura disse...

O dilema de Rodrigo Constantino é compartilhado por mim Paulo Moura, com uma diferença. Constantino se filia a um corrente dos liberais que não acredita que exista o aquecimento global, e que, no limite, entende que a humanidade pode manter o padrão de consumo e exploração da natureza em vigor até hoje. Assim, mesmo discordando em 99% do que pensa Marina Silva sobre a questão ambiental (a visão dela é fundamentalista religiosa e a minha pretende buscar amparo na Ciência) e outras questões ideológicas (ela é socialista e eu sou liberal), pretendo votar nela no primeiro turno pelo que ela representa e pelo debate que ela estimula. Minha posição visa estimular o compromisso dos candidatos, e do futuro presidente, com a agenda ambiental. Serra, visivelmente, age com inteligência estratégica na relação com Marina. Dilma é troglodita ambiental. Serra Também é, mas parece disposto a mudar seus pontos de vista sobre essa questão. No primeiro turno, o importante é não votar na candidatura petista. Meu voto em Marina somente mudaria na hipótese de Serra poder derrotar Dilma já no primeiro turno, e na hipótese de ele assumir compromisso claros com a agenda ambiental.

D disse...

Serra é AUTORITÁRIO assim por conta da lei antitabagismo? Não entendi tanto totalitarismo.

Aprendiz disse...

Se o PT continuar mais tempo, é inevitável que a ditadura se instale. Serra tem um ranço terrível, mas parece ser uma oportunidade para as forças democráticas se reagruparem. Corremos o risco de virarmos uma Venezuela ou um Moçambique. Portanto, o Constantino tem razão. Não vejo outra alternativa. Se Serra for eleito, teremos algum tempo para salvarmos as liberdades civis, inclusive a liberdade de expressão. Mas vai ser uma luta muito dura.

Talvez o momento decisivo já tenha passado, mas seremos o povo mais desprezível do mundo se nem tentarmos mudar o rumo dos acontecimentos.

papai disse...

O autor tem razão quando discorre sobre o perfil de ambos, porém discordo verticalmente da "solução" apresentada por ele. O tal do "voto útil" (votar em A para B não ganhar) é uma estupidez em nosso sistema eleitoral que prevê um segundo turno caso não se atinja maioria absoluta. No primeiro turno temos que votar em um candidato sério (e teremos nesse pleito) para que este candidato tenha chance de chegar ao 2º turno. Considerar que ele está derrotado pelo que as pesquisas apresentam é um erro crasso e nossa história recente tem exemplos disso com a eleição de Brizolla em 82 no RJ quando as pesquisas o davam em 3º lugar. Jamais votarei em Dilma e muito menos no Serra ... mesmo que ambos estejam no 2º turno... Não endoçarei o mandato (batendo na madeira) detes 2 terroristas, pois há uma luz aparecendo no fim do túnel que atende pelo nome de Marina; e se todos pensarem como o autor do texto abaixo ela jamais terá uma chance......

Aos que desejam esse bando de terroristas (uns com mais classe outros com menos) fora do governo que façam rodar esta mensagem.

José Augusto

Gonçalves disse...

O PSDB é a esquerda envergonhada.
O PT é a esquerda sem-vergonha!!

Sergio disse...

Discordo em absoluto do que estão dizendo sobre o Serra. Que me provem que tenha algum dia apoiado bandidos para cargos, levado vantagem pessoal explorando os cofres publicos, ou quaquer ato desonesto. Ele lutou contra os grandes laboratorios multinacionais para conseguir produzir medicamentos importantes aqui. Foi um dos fundadores do PSDB portanto não vai querer colocar seu proprio partido contra ele com atos contrarios à grande maioria dos seus integrantes ou transgredir os principios basicos do parido. Assim ele praticaria seu suicidio politico. Voto nulo é desrespeitar a principal instituição da republica democratica.

ntsr disse...

'uma corrente dos liberais que não acredita que exista o aquecimento global, e que, no limite, entende que a humanidade pode manter o padrão de consumo e exploração da natureza em vigor até hoje.'

bem lembrado, Paulo

Everardo disse...

O medo de que se instale no Brasil uma ditadura de esquerda através do voto chega a ser patético. Imagine-se uma ditadura instalada pelo voto direto de 50 milhões de pessoas (ou mais)!!! E a oposição derrotada, de esquerda também!!! E os democratas se armando para o terrorismo!!! Esquisito, não?

Paulo G. M. de Moura disse...

Hitler foi eleito Everardo. Esquisito?

Charlot disse...

Essa sua mãozinha no queixo tipo Chiquim Scarpa... sei não...
Certeza mesmo é a derrocada do PIG, do liberalismo e a volta de politicas em favor do povo.
É Dilma guerreira p/ presidente do Brasil !!!

Mauricio disse...

Serra é Gramscista....toda a sua formação é de esquerda....é só pesquisar....Serra é coletivista...ele não acredita no indivíduo...assim como o FHC...ele advoga A Terceira Via...que tem como mentor o sociologo britânico Anthony Giddens !!!!!!!!!!!

Elisio disse...

Rodrigo Constantino,

Por intermédio de uma mensagem que recebi (SERRA OU DILMA), vim conhecer um pouco o seu trabalho literário.
Longe de mim qualquer pretensão de questioná-lo, uma vez que não tenho nenhum livro publicado e escrevi meia dúzia de pseudo-artigos, lidos, se tanto, por uma dezena de pessoas pouco exigentes.
No entanto, dar-me-ei à petulância de comentar sobre o texto “Serra ou Dilma? A escolha de Sofia”.
O senhor, na introdução, cita Edmund Burke (“Tudo que é preciso para o triunfo do mal é que as pessoas de bem nada façam”). E por aí, iniciarei minhas considerações.
Uma frase solta, sem um contexto, ou pouco significa, ou significa “n” coisas. O que seria “nada fazer”? No Dicionário Aurélio, temos as seguintes definições, que podem explicar meu ponto de vista:

INÉRCIA
Do lat. inertia.]
S. f.
1. Falta de ação, de atividade; letargia, torpor.
(...)

OMISSÃO
[Do lat. omissione.]
S. f.
(...)
3. Ausência de ação; inércia.
4. Jur. Ato ou efeito de não fazer aquilo que moral ou juridicamente se devia fazer.

A frase de Burke, analisada sob a ótica do artigo, remete-nos à falsa idéia de que não votar, ou anular o voto seria um nada fazer, uma omissão covarde, uma falta de atitude, uma permissão ao continuísmo. Então, a decisão correta, de acordo com sua opinião, é “escolher o menos pior”! Mesmo que tal ação revolte o estômago. Pirro, citado pelo articulista, ao ver o trágico resultado de seu “êxito”, teria declarado: “Com mais vitórias como esta, estarei perdido.” É esta a “vitória” que desejamos? Para mim, pelo menos, não!
Também não se trata de uma “escolha de Sofia”, subtítulo que, a meu ver, foi infeliz. A escolha daquela mãe recaia entre seu filho ou sua filha, sem que houvesse a menor possibilidade de existir o “menos pior”!
Decidir por não escolher candidato algum, já que são todos ratos do mesmo esgoto, longe de ser omissão, é AÇÃO, é ATITUDE. Atitude de revolta, de cidadania e exercício de direitos democráticos. Democraticamente, voto é DIREITO, não OBRIGAÇÃO! Portanto, nem moral, nem juridicamente, somos obrigados a sufragar quem quer que seja. E, sobretudo na América do Sul, em verdade, pratica-se a “DEMOGOGIA”!
Anular o voto, por quaisquer meios, conforme o senhor mesmo afirma - de forma conflitante com sua decisão final - é “a única forma de protesto político contra todos que estão aí, contra o sistema podre atual.” Com tal atitude, o cidadão, não encabrestado pelas várias rédeas utilizadas pelos políticos - benesses fiscais, licitatórias, nomeatórias, esmolatórias, ... (se estas palavras não existem, acabei de criá-las) enfim, o cidadão, cônscio de seus direitos e obrigações, resgatará o verdadeiro dogma democrático, que, dentre outros aspectos, estabelece a liberdade do ato eleitoral e a soberania do povo.
Rodrigo Constantino, em toda a sua dissertação, o senhor compara PSDB com PT; Dilma com Serra. Então, se são iguais, onde estaria o “menos pior”?
Anular o voto significa dizer: não queremos mais ser enganados, esbulhados, acovardados, idiotizados! Não queremos mais promessas vãs, de acadêmicos, operários ou “perseguidos políticos”! Queremos integridade, honradez, respeito!
Não sei quais seriam as conseqüências de uma eleição com 50% ou mais de votos nulos. E diante dos diversos interesses de muitos – ricos ou pobres – dificilmente tal porcentagem será, algum dia, alcançada. Infelizmente, existem canalhas também fora da política (pelo menos diretamente). Assim como existem, ainda, os simplórios iludíveis.
Sei, no entanto, que, se tal hipótese ocorrer, a eleição será anulada e novo sufrágio será convocado, sem a presença de quaisquer candidatos que concorreram no primeiro pleito. A quem caberá a governança, durante tal período, não sei! O que disto resultará, também não sei! Mas acredito que esta sim seria a escolha “menos pior”.

EU DIGO NÃO AO VOTO!

Elisio Ferreira

Rodrigo Constantino disse...

Elisio,

Obrigado pelo seu comentário. Em primeiro lugar, o fato de eu ter lançado livros não quer dizer nada. Devemos focar nos argumentos em si.

A frase na epígrafe não foi uma condenação ao não-voto de forma geral, pois eu respeito essa postura, como deixei claro no artigo. Foi um chamado à ação NESSA eleição específica. Foi isso que tentei argumentar. Sim, o PT e o PSDB cada vez se parecem mais. Eu posso estar errado, mas acho que o avanço "bolivariano" do PT está em estágio muito perigoso, e somente nesse aspecto acho que anular o voto nas próximas eleições é um erro. Como disse também, eu respeito quem discorda e pretende anular o voto. Tenho alguns amigos com essa mentalidade. Mas tentei mostrar que o momento histórico pede uma "vitória de Pirro", pois a alternativa pode ser uma derrota completa da liberdade.

Era isso.

Abraços,

Rodrigo

Paulo G. M. de Moura disse...

Elisio, numa eleição com mais de 50% de votos nulos, o efeito é apenas político. Legalmente, elege-se aquele que fizer mais de 50% dos votos válidos. É o que di a lei. Mas, certamente, perante um mar de votos nulos, os políticos teriam que repensar suas práticas. Afinal, sem nossos votos ...

Elisio disse...

Paulo Moura
Agradeço sua atenção. Porém, não sei se você está totalmente certo, pois, ao que me parece - e já recebi mensagem (não encontrei, mas vou encontrar) com tal informação - havendo 50% + 1 votos inválidos, o pleito é anulado.
De qualquer forma, obrigado.
Elisio Ferreira

Elisio disse...

Rodrigo
Existe um outro detalhe: não existem apenas dois partidos, ou dois candidatos. Então, porque não o VOTO DE PROTESTO!?
Eu continuarei NÃO VOTANDO!
Elisio Ferreira

Paulo G. M. de Moura disse...

Elisio, sou cientista político e não advogado, mas lhe asseguro que, no caso de 50% + 1 de votos anulados, elege-se quem fizer a maioria dos votos válidos. Abs.

Paulo G. M. de Moura disse...

Prezados debatedores, considerem seriamente a possibilidade de Serra ir a governador de SP e de Aécio voltar ao páreo em abril. As projeções indicam que Dilma vai encostar em Serra e se isso correr ela ganha. Grarantir o governo de SP seria trunfo tucano e para Aécio, arriscar a Presidência e perder não é tão problemático quanto é para Serra. Aécio, entrando na eleição em abril, embaralha as cartas e zera o jogo, complicando a estratégia de Lula.

Paulo G. M. de Moura disse...

De fato Elisio, restam Ciro e Marina. Ciro é um Collor 2. Marina, em quem penso votar no primeiro turno, apesar de discordar em 99% do que ela pensa, pois também é de esquerda, produziria o mesmo efeito que Rodrigo quer com o voto contra o PT, com as vantagens, do meu ponto de vista, de tirar votos do PT e de agendar a temática ambiental na eleição. No primeiro tuno os votos não dados ao PT levam a eleição para o segundo turno. Somente aí se aplica o racicínio do "menos pior" que o Rodrigo, "desdesperado" usou para justificar seu voto em Serra já no primeiro turno. E talvez Serra nem concorra.

Elisio disse...

Paulo
Fui induzido a erro. Muito provavelmente por minha culpa, tendo em vista o encantamento que me causou ao ser informado que poderíamos ANULAR, pelo não votar, uma eleição.
Sua informação me fez pesquisar e acabei encontrando a decisão do Ministro Marco Aurélio Mello, que sepultou minha ilusão.
Obrigado pela informação, ainda que ela não me tenha sido agradável.

Elisio Ferreira

ntsr disse...

Charlot disse:
Essa sua mãozinha no queixo tipo Chiquim Scarpa... sei não...

Não precisa se esforçar, a gente já sabe que esse é o tipo de argumento que se espera da esquerda

Everardo disse...

Paulo G. de Moura, Fidel também é eleito. Pode-se contar inúmeros casos. Mas, você poderia explicar melhor quais as razôes que poderiam levar o Brasil a uma ditadura. Onde estariam as causas de tal tendência.

Paulo G. M. de Moura disse...

O projeto do PT é chavismo light. Lento e gradual. Como aqui não é a Venezuela e a sociedade resiste mais ao autoritarismo, o PT vai levando devagarinho. Tentou criar o conselho de jornalismo, não deu. Agora criou uma conferência nacional para fingir que o controle social de mídia é uma demanda social. É censura disfarçada apenas. O aparelhamento do Estado pelo partido de forma gradual através de estratégia gramsciana, já que a via leninista faliu, é outro exemplo. Isso dá uma tese, que não cabe aqui. Mas, não estou falando em tese. Fui petista e antes, trotskista. Trabalhei 3 anos no sindicato dos metelúrgicos do ABC entre 86 e 89 e conheci essa turma por dentro.

Contatando disse...

Caro Rodrigo
Não dá para comparar.
É necessário dar um fim a esse desgoverno do PT.
Serra é um governante honesto e competente.
Reinaldo Lealrophqua

Rodrigo Constantino disse...

Reinaldo,

Eu não concordo que Serra seja honesto e competente. Acho ele autoritário, arrogante, e com cabeça ruim em economia (Cepal). Mas é falta total de alternativa mesmo...

Alexandre disse...

Entre o Serra e a Dilma, meu voto seria para a Dilma, mas o problema e que votando nela, voto indiretamente no Tarso Genro, no Marco Aurélio Garcia, no Paulo Vanuchi...

Vou acabar tendo que votar no FDP do Serra!

Lucas Santos disse...

Isso chama-se terrorismo, esse drama que você faz para seus leitores, Rodrigo.

Detalhe: esperta sua tática de reivindicar os ícones do republicanismo para vir defender seu liberalismo doentio. Mas não cola. O republicanismo não aceita os golpes que os liberais tentam contra a democracia.

Em tudo que é atentado contra os direitos políticos, tem liberal no meio.

Carlos Lacerda no Brasil.
Micheletti em Honduras. Alguns exemplos.

O liberalismo, que nasceu da crítica aos dogmas, hoje é o próprio dogma.

Bento Peixoto disse...

Muito contundente o seu texto. Há 2 anos publiquei uma frase que previa a eleição do candidado de Lula. A frase continua lá, mas eu continuo torcendo para que ela se torne um grande furo n'água. Tbem votarei em Serra. Ou na Marina, não sei bem. Ainda. Bento Peixoto, 47, publicitário em Vitória, ES. www.MarketingProfissional.com

Susana disse...

Engraçado você falar que o Brasil caminha rumo ao "socialismo bolivariano" (!), sendo que todas as empresas atualmente têm lucro recorde; enquanto o resto do mundo está em recessão. Parece ser muito mais um ponto de vista emocional do que racional...

Beto disse...

Quando leio um artigo que tenta levar ou induzir minha opinião para um determinado pensamento, procuro sempre - ato contínuo - saber mais sobre o autor... Fiz isso e cheguei a conclusão de que a opinião acima é de um liberal que adota a idéia de que o mercado deve se regular pelas leis econômicas da livre iniciativa, da oferta e da procura e sem interferência do Estado.

Na minha modesta opinião, perigoso demais; Isso levaria o país a uma "guerra" de poderosos, onde os mais fortes trucidariam, sem piedade, ao mais fracos, e o povo seria manietado como gado, numa pseudo democracia, capitalista, selvagem e globalizada. Ele é, acima de tudo, contra o Estado regulador e/ou controlador.

Pois bem: Na hipótese (dele, Constantino) Serra representa o "menos ruim" e, por tal motivo, receberia seu voto, mesmo que para isso tenha que "tomar Engov".

Ora! Ora! O artigo dele, fede à manipulação velada em favor do Governador de São Paulo. Não existe, entre ambos candidatos citados, um menos ruim que o outro. São tantas as identificações de um com o outro que se colocados numa canga, puxariam o arado na mesma direção, sem qualquer desvio de rota.

Não sou à favor da idéia que ele tenta nos passar, por vários motivos, dentre eles:

1 - Se Serra é o menos ruim (entre os dois) por que ele não escolhe - e vota no primeiro turno - num menos ruim que Serra? Será por que Marina tem origem no PT? Ou será que é por que ele foi trucidado por Ciro Gomes naquele programa de debates realizado antes do Fórum da Liberdade XI ?

2 - A opinião (dele) de que o PSDB parece ter mais limite ético que o PT é uma opinião infantil e descabida. Por acaso não foi FHC, do PSDB, quem cometeu o primeiro estelionato eleitoral ao rasgar a constituição em benefício da própria reeleição? Aquilo não representou uma busca pelo poder à qualquer custo? E não foi por aquilo que hoje estamos ainda sob o governo de Lula, do PT, que adotou a idéia, embora fosse contra?

3 - Não sabe ele que Serra, do PSDB, também cometeu estelionato eleitoral, quando "abandonou" a prefeitura paulistana - embora, antes, tivesse jurado o contrário - só para satisfazer sua ânsia pelo poder a qualquer custo?

4 - Se ele não concorda com os candidatos do executivo, deveria, isto sim, estar mais voltado à eleição do Legislativo (Câmara e Senado), orientando a população que a melhor arma para se barrar os "embusteiros" é um legislativo de representatividade popular forte e coesa em torno dos preceitos éticos, morais e constitucionais.

Enfim, na verdade, menos ruim que Serra e Dilma existem muitos...Inclusive todos os demais candidatos ou pretensos candidatos que não foram citados por ele; Pelo menos até prova em contrário.

Tenho a esperança de que nenhum dos dois vá para o segundo turno...E que se um deles for, seja derrotado definitivamente por seu opositor. Vou votar neste sentido. E se, Deus nos livre, ambos forem para o segundo turno...Então serei adepto do voto nulo pois, entre morrer de soco na cara ou murro no estômago, acho melhor morrer de tiro na nuca...É mais rápido e sofre-se menos.

TERROR DO NORDESTE disse...

Nunca li tanta baboseira num artigo só.

Lia disse...

Maravilhosamente lúcida sua colocação, fico feliz que alguém pense exatamente como eu mas que tenha a felicidade de expor esse conflito e suas possiveis nefastas consequências a milhares e pessoas. Parabéns e obrigada por todos nós brasileiros que precisamos resolver esse impasse.
Lia Bueno Moretti
lia@esalq.usp.br

vitivinivda disse...

Sinceramente,apesar de concordar muito com o conteúdo do texto, não aceito esse pensamento de "não tem jeito", isso é que estimula ficarmos sempre sem opções.
Voto no PV, pois acredito na honestidadedo partido, no segundo turno, se confirmarem-se as duas pésimas opções, voto pelo desmantelamento da quadrilha PT...

Portando, vote num candidato decente no primeiro turno e no menos pior apenas no segundo turno...

Fátima disse...

Recebi por e-mail
" A ESCOLHA DE SOFIA "
Não deixe de Ler!
Dizia.

Bom lê-lo e sabê-lo existente.
Dilma jamais.
Serra sempre!

Parabéns!

shoo disse...

Até concordo com muita coisa no texto... Mas mesmo assim não consigo pensar em votar no Serra, os tempos de FHC foram pesados demais para mim, não quero repetição. Eu tomo um Engov e voto na Dilma!

Isadora Almeida disse...

Muito obrigada, pelo artigo,concordo com muita coisa que disse, confesso que pensava em votar nulo, mas vejo que não é a melhor coisa a se fazer, diante das analises que tenho feito.Tenho 17 anos, na época da eleição terei um ano a mais, logo não é opcional, mas como eu gostaria que o voto fosse facultativo. Pois não tenho vergonha, de falar que estou receiosa,mas espero que a "traduçao" do meu voto, seja algo de bom p/ o meu, o nosso país.

Dilma- continuaçao de um modelo medíocre de governar, mais preocupado com a aparência e fala populista do que com a sustentabilidade do nosso país.
Serra- Infelizmente não vejo nenhuma ligação deste candidato com os ideais do nosso povo.

Viva Verde disse...

Desculpe Rodrigo, mas acho que polarizar a campanha presidencial pode ser muito mais benéfico para o PT do que para o Brasil. Ainda que um pouco atrás, temos Marina Silva e Ciro Gomes como presidenciáveis e vc sequer mencionou os dois. Uma pesquisa do DataFolha publicada em 17 de abril mostra Marina Silva com 10% da preferência do eleitorado, na frente de Ciro, que aparece com 9%. Ainda que seja um percentual menor, os dois não deixaram de ser candidatos. Se você acha que tanto Dilma quanto Serra não são a solução dos problemas, porque então não mostrar outras opções? Eu acredito que a Marina Silva seja uma opção beeeemmm melhor que Dilma, Serra ou voto nulo.

Paulo G. M. de Moura disse...

Concordo. Marina tira votos de Dilma e ajuda a levar a eleição para o segundo turno. Além disso, força o debate da questão ambiental pelos demais candidatos. E tem fortes razões para não apoiar Dilma se não for ao segundo turno. Ela será o fiel da balança. Ciro está sendo fritado por Lula com ajuda do PSB.

RICK disse...

Também tenho que fazer a escolha de sofia, mas já que o Ciro Gomes não irá concorrer mais, serei obrigado a votar na Dilma, não pq seja Petista ou a favor dela (longe disto), mas para fazer o possível para que o Serra não seja eleito e o PSDB acabe com o País como vem fazendo com o estado de São Paulo a Mais de 10 anos. Voto contra todas as privatizações (leia-se "doação", já que as vendas foram financiadas com dinheiro do próprio governo ... ou seja, venderam as empresas e o pais não viu a cor do dinheiro, só o bolso deles é que viu) que o FHC começou a fazer no país. Qto a juventude da Candidata acho que faltou vc dizer que o SERRA TAMBÉM fazia a mesma coisa que ela, absolutamente a mesma coisa .... tudo farinha do mesmo saco. Venha morar em São Paulo antes de votar nele e saberá do que estou falando. Acabaram com as escolas públicas do estado, acabaram com a USP (sou funcionário da USP), acabaram com os dois bancos estaduais, e perdemos mais de 40% das grandes industrias para estados do norte e nordeste. Tem certeza que quer o PSDB de novo no governo federal ? Para Quê ? Para venderem para empresas internacionais tudo o que o FHC não deu tempo de vender ? Quer realmente retrogredir, depois do país ter alcançado as posições politicas, econômicas e institucionais dos ultimos anos, reconhecidas mundialmente ????
Pense bem amigo ... não sou a favor da Dilma, mas votarei nela por falta de opção, pois votaria até no Maluf se fosse preciso (ou no diabo) para não ver o SERRA vendendo nosso pais e enfiando o dinheiro nas fazendas dele !!!

Ricardo Rayol disse...

É por aí.

Só espero que o chapolim colorado se empenhe mesmo na campanha da dilma e afunde com ela de uma vez.

vania disse...

Ai, ai, ai...ao que me consta, o cenário dos presidenciáveis ainda não está definido, e, você, já está estimulando o voto em Serra, fazendo uma comparação com a "Escolha de Sofia"? Com o nível de alcance que os seus livros e artigos têm, deveria estar gastando seu tempo para informar à Sociedade Civil como EXIGIR de nossos futuros parlamentares que se comportem como nossos verdadeiros representantes, e deveria usar de seu espaço para orientar e fomentar junto aos seus leitores, e, aos que veiculam seus textos pela internet, informações mais didáticas de como se organizar, de forma ética e moral, para que independente de quem quer que seja o presidente, nossos legisladores, ou seja, o nosso parlamento, "parla" e "legisla", e, é muito mais poderoso, e, NOS REPRESENTA, de Fato. A questão toda é que escolhemos os nossos representantes, depois não cobramos deles que nos REPRESENTEM, e, nem cobramos que se reunam conosco antes de votarem ou proporem projetos de lei e, informar que são os únicos que conseguiriam brecar qualquer movimento anti-democrático ou prejudicial à liberdade de expressão, ação ou seja, à LIDERDADE. Rodrigo, seu espaço de mídia, é importante, tem alcance principalmente à camada mais joven, a voluntários que usam seus textos para informar trabalhadores, ribeirinhos, gente do interior, estudantes...pense nisto. Agora, discordo totalmente de sua opinião a respeito do PT...saia de onde está e vá ao interior do Norte e Nordeste do Brasil! Comprove a transformação gritante ocorrida no governo do PT. O Brasil não é só Sul e Sudeste.
Vânia Mara Leime Fernandes (vaniamleimefernandes)

Kelly Dabés disse...

Parabéns, Constantino, falou em nome dos liberais, democratas e amantes da Liberdade.

Sueli disse...

Li somente hoje este seu post, que me foi passado por e-mail. Procurei-o e encontrei seu blog. Que bom! Gostaria de saber sua opinião sobre Marina da Silva. Cada vez mais vejo pessoas dizendo que irão votar nela, justamente para não se sentirem no que você chama de "Escolha de Sofia". Obrigada e um abraço!

Anônimo disse...

Se todos que se recusam a votar em Dilma ou Serra pensassem em votar na Marina, esta ganharia em primeiro turno.
Eu sou + 1.

Anônimo disse...

Concordo com Anonimo, pois, por qual motivo ficar PRESO aos candidatos "conhecidos" se temos uma melhor opção?? temos que pensar em mudar!!! foi assim com o Lula: pensamos que iria resolver todos os nossos problemas, mas este foi obrigado a se render aos jogos politicos para sustentar o seu governo...o que nos decepcionou e muito...por que não, mesmo que aos poucos, tentar reverter a situação politica neste país?? meu voto é para a MARINA....

Marcia disse...

Engraçado, nas próximas eleições para presidente da república, que me lembre, não terão apenas dois candidatos. E ainda bem, não sou pop ou Maria vai com as outras. Não votarei em nenhum dos dois, pois não concordo com as idéias deles. Me interesso, sim, por política. E por isso, não votarei nem no pai dos ricos, nem na mãe dos pobre. Votarei na Marina Lima, a qual é, sim, uma candidata que confio. E diferentemente da maioria, não votarei nem em Serra só para não votar na Dilma. Tenho candidata, sim. Acredito nela e não mudo meu voto só por que um bando de Maria vai com as outras disse. Tenho os meus valores, acredito neles e os seguirei, doa a quem doer. Muito feio colocar Sofia no meio desta discussão ridícula. A comparação foi infeliz e irracional.

Márcia disse...

hahahahahahahahahaha. Marina Silva. Me tirou tanto do sério esta discussão ridícula, que escutando as músicas de Marina Lima, troquei o nome da minha candidata. Marina Silva na veia. Rídícula esta discussão e ainda por cima, citar a pobre coitada da Sofia, a qual sofreu mais um abuso com essa comparação ridícula.
Limitadas não são as suas opções, mas sim o seus conhecimento acerca dos candidatos. Ao invés de ficar fazendo esta propagando política barata, informe-se mais. Leia o que o pop não lê. Seja superior, saiba o que se passa no pop, mais saiba o que está além disso.

Rodrigo Constantino disse...

Márcia, leia este meu artigo:

http://rodrigoconstantino.blogspot.com/2009/08/marina-nao-me-engana.html

Mikelli disse...

sei que o artigo é antigo, mas acabei de receber uma versao dele por email que me deixou meio revoltada. Ao entrar no seu site, vi que o texto é muito melhor escrito e que algumas das minhas criticas foram respondidas no texto original. Na versao do email o texto ganhou tendencias digamos unilaterais...virou um email totalmente pro Serra, mas sem mostrar que vc tb tenta ver os erros desse candidato.

Apesar de nao concordar com seu texto original, fiquei realmente mais "aliviada" do que com o email. Nao sou a favor nem da Dilma, nem do Serra, mas se tem uma coisa que nao suporto sao criticas unilaterais, sem enxergar os erros de ambos os lados. Claro que vc exaltou os lados negativos da Dilma mais do que os do Serra, é seu texto, sua opiniao, seu meio legitimo de convencer o leitor.

Fica o meu aviso, de que seu texto esta sendo mandando por email, porem ele perde um pouco da elegancia com que vc escreveu.
abracos. Michelle

José Maria disse...

A atual "cultura da política partidária" é mentirosa.....traiçoeira.

Os políticos são todos iguais......Os partidos, então, nem se fala...Trabalhamos cinco meses e vinte e oito dias, por ano, só para pagar impostos...
É preciso, dizer mais???

POR ISSO, VOTO NULO NELES/NELAS desde presidente até deputado estadual....São eleitos para serem "assaltantes"....é só ver os "impostos"!!!....é preciso dizer, mais???

Um abraço!

Alejandro disse...

Rodrigo, gostaria que alguem me possa explicar porque o PSDB persiste nos mesmos candidatos em vez de oferecer alguem melhor. Sem dúvida que nesse maravilhoso pais deve haver pessoas capazes, honestas, trabalhadoras, inteligentes e muito bem preparadas para ser candidatos, o na realidade essas qualidades não são as proprias para um bom candidato à presinencia?, será que para ser candidato e ter possibilidades de eleição, as qualidades necessarias devem ser as opostas?, é uma pergunta de um argentino que gosta muito do Brasil e que não quer ver acontecer aqui o que acontece no meu pais já faz quase 20 anos....
Realmente espero que os brasileiros possam abrir seus olhos e decidir corretamente nessa proximas eleições. Não estraguem seu pais como fizeram argentinos, bolivianos, equatorianos e venezolanos.

Olivia disse...

Rodrigo, como hoje, 31 de julho de 2010 recebi uma mensagem com este teu texto vim conhecer o teu blog. Eu pensava como a maioria dos brasileiros: vou votar no Serra para ser contra a Dilma e o PT. Até que fiquei conhecendo a a candidata Marina Silva. "Ah! mas ela não vai ganhar..." não ganha mesmo, se as pessoas nem consideram que ela é candidata e continuam com a mesma cabeça que tinham como no tempo que só tínhamos candidatos da ARENA e MDB

NeuralStorm disse...

Compararam LULLA em relacao ao Brasil ao cancer em relacao aos humanos. Eu nao acho que 80% dos enfermos de cancer estejam contentes com o cancer. LULLA para o Brasil eh como o CRACK para o ser humano. Ficou melhor assim? Concordam comigo na comparacao? Um VICIADO em CRACK nega o mal que ele faz. Em alguns caso ate sabe que precisa sair do vicio, mas nao tem forcas para tal. Eu acredito que a popularidade de LULLA se deve ao fato do BRASIL estar VICIADO no populismo imposto por LULLA. Na dissimulacao de sua personalidade psicopata e em seu endeusamento.
A propaganda que LULLA e o PT fazem sobre si mesmo segue o modelo usado por HITLER da Alemanha NAZISTA. Inimigos imaginarios (imprensa, ELITES) ser perseguido, ser o salvador da nacao, ser o dono da verdade, NAO ERRAR NUNCA, criticar o passado, iludir a populacao. O Partido de HITLER era chamado National Socialist German Workers Party (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei) Partido Nacional dos TRABALHADORES ALEMAES. O PT NAZISTA e o PT do Brasil sao IDENTICOS. Nao se engane. Basta ver o numero de PELEGOS copiando e colando noticas aqui. Juventude LULLISTA a solta.
PTeta vota 13. No 13 so tem PTife. Voce vota 13? Voce eh PTeta ou PTife? CorruPTo em casa. Lembre-se: Todos confundem POLVO com LULLA. A diferenca eh que o POLVO nao mente e sabe das coisas... Ja LULLA nao sabe de nada e... PTeta eh PTeta mesmo.
"Contos de fadas nao ensinam as criancas que os dragoes existem. As criancas sabem que dragoes existem. Contos de fadas ensinam as criancas que dragoes podem ser mortos." G.K. Chesterton Parodias nao mostram as pessoas a verdade. Parodias possibilitam as pessoas pensar e a interpretar a realidade. Carlos Fabricio Fernandes Como funciona uma seita religiosa? O clero maior, PTralha, instrui o clero menor, PTifes, que sao responsaveis em repassar a palavra que deve ser dita a todos pelos PTetas, os fieis, convertidos e cegos ao resto do mundo mundano e profano que nos habitamos.

Anônimo disse...

Rodrigo, acho realmente uma pena que as discussões políticas no Brasil tenham esse âmbito maniqueísta e simplista, como se um candidato fosse do bem, e outro do mal. Discutir propostas de fato, analisar ideias, posturas etc está sempre fora de questão na discussão política no Brasil. Torcemos para candidatos como torcemos para times, o que é um absurdo. E, infelizmente, seu artigo no "tom PT é malvado, PSDB nem tanto" apenas contribuem para essa discussão rasa.

Jonascity disse...

Rodrigo,
Eu não voto nem em Serra nem na Dilma, mas eu vejo vários problemas sérios no seus argumentos. Aliás, me desculpe por ser tão direto, mas suas afirmações me pareceram muito taxativas, em um tom muito preconceituoso.
De qualquer forma, o mais importante que eu gostaria de te dizer é que existem questões que são públicas e só podem ser tratadas com medidas públicas. O homem vive há milênios em sociedade de forma que não há liberdade que não seja historicamente construída. Construída pelo homem e para todos os homens. Acho que é preciso compreender melhor esse significado filosófico do socialismo, que foi bastante mal aplicado pela esquerda e erroneamente criticado pela direita. Nesse sentido, a falha mais grave nos seus argumentos é essa concepção limitada de "liberdade individual". Com todo respeito, me parece bastante dogmática e mal fundamentada - chega a ser uma defesa religiosa da coisa. Pense um pouco e considere que tudo o que aprendemos e acreditamos é contruído socialmente, seja a sua própria fala, sua nacionalidade ou até a idéia de propriedade (privada ou coletiva). Tudo isso é criado na nossa interação com outros grupos sociais. Logo, pensar o indivíduo esquecendo que ele faz parte de um todo social é um erro grave.
Grande abraço!

Márcia disse...

Constantino,

Bom dia,

Nunca li um texto que retratasse de forma tão clara a dúvida na qual me encontro nesse momento, senti como se eu mesmo estive escrevendo esse texto, e se não se opor publicarei no meu blog, pois penso que temos a obrigação moral em divulgar esse dilema difícil e toda a ameaça á democracia que é eminente no governo PT, nunca votei no PT, nem sou PSDB, sou pelo Brasil e por isso minha "escolha de Sofia" será por Serra e também serei uma dura cobradora as promessas de campanha e de um país melhor!

Parabéns pelo texto coeso e objetivo!

Márcia

Girão disse...

Não é uma questão de Aécio ter “pulado fora”, meu caro.
É uma questão mais política e de pressão que, simplesmente, se ater ao fato dele ter deixado a candidatura.
O partido decidiu.
Perceba que não é uma ato de covardia, mas sim de deixar a cargo da coletividade partidária.
Ele, dentre os atuais candidatos, venceria de lavada.
Posição, indiscutivelmente, inevitável.

Anônimo disse...

Anápolis, 11 de agosto de 2010


Caros irmãos no Episcopado,


Suportem-me, que o menor dos irmãos lhes possa dirigir uma palavrinha amiga, mas angustiada de quem se prepara, temeroso, para partir.

Pelo amor de Deus! Estamos diante de uma situação humanamente
irreversível. A América Latina, outrora “Continente da Esperança”, como a saudava João Paulo II, hoje mergulha na ante-câmara do terrorismo vermelho, aliás, como prenunciava aos pastorinhos de Fátima a Senhora do Rosário.

Podem parecer, a essa altura, resquícios de uma idade de trevas, mas tudo acontece como se ouviu em dezembro de 1917 (“a Rússia comunista espalhará seus erros pelo mundo, com perseguições à Igreja, etc.”). Assusta-me a corrupção dentro da Igreja, o desmantelamento dos seminários, a maçonização de Cúrias e Movimentos.

Horroriza-me a frieza com que olhamos tal estado de coisas. Somos pastores ou cães voltados contra as ovelhas? Somos ou não, alem disso, cúmplices de uma política atéia empenhada em apagar os últimos traços da nossa vida cristã?

Perdoem-me, mas não poderia deixar de falar, sem me sentir infiel à minha consciência e à minha Igreja.

Parabéns a Dom Luiz Gonzaga Bergonzini e a Dom Henrique Soares da Costa.

In Xto et Matre,


Dom Manoel Pestana Filho
Bispo Emérito de Anápolis

Maurício disse...

Só uma pergunta aos que vão esperar só o segundo turno para votar no Serra: e se a Dilma for eleita logo no primeiro? PENSEM NISSO!

rafael disse...

Olá pessoas, não sou muito fã de politica, mas acho que o voto nulo poderia ajudar em algumas coisas:
Idpendente se PT ou PSDB, os nossos problemas sociais gritantes ainda persistem n nordeste do Brasil, ainda temos uma educção horrivel, e isso sem falar de infra estrutura. A grande questão disso tudo não é em votar em quem é menos pior , mas em o que fazer para melhorar o que temos em mãos. Será que anular não seria saída para acabar com certos monopólios que existem em ambos os lados dessas eleições. Se não a tendencia será termos cada vez mais tiriricas e similares manipulados pelos mesmos senhores de sempre.

Paulo G. M. de Moura disse...

Raciocínio a serviço de Dilma. Estás subestimando nossa inteligência?

Akemi disse...

Já que a indecisão entre Dilma e Serra é crucial... prq vc não pode analisar a possibilidade de termos Marina na presidência? Alguém sem um passado parecido c/ nenhum esses dois, alguém confiável sim, prq não?!!

Rubens Albuquerque disse...

Ah!!! Agora falta pouco para as eleições e tudo indica que a Marina Silva é a única que pode vencer a Dilma.

Nesse caso é melhor mudar de opinião é votar na melhor opção.

Marina Silva presidente para um Brasil decente.

Ana Day disse...

Recebi este post via email hoje e abri uma nota no Facebook onde o copiei, pois gostei bastante. Parabéns!

Leandro disse...

Notei que a "conversa" e o artigo do Sr. Rodrigo já vêm de longa data, embora tenha tomado conhecimento apenas hoje (08/10) por e-mail.
Li todos os posts e observei alguns comentários relevantes, além dos patéticos.
Hoje, já temos formado o "paredão" do 2º turno. E o dilema persiste. Muito se falou aqui sobre a Sra. Marina, ao ponto do visionário Sr. Paulo Moura adivinhar a importância que ela teria arrancando votos (não árvores) da Sra. Dilma, propiciando este 2º turno e sendo agora assediada pelos dois candidatos mais votados, sedentos por seus suculentos votos.
Apesar do DNA tucano (porém, disfarçado) deste artigo, o Sr. Rodrigo merece respeito por trazer à superfície o assunto. Como sou paranaense, concordei em muito com a exposição do paulista Sr. Rick: aqui no Paraná vimos o tucano Jaime Lerner dilacerar o patrimônio do Estado durante oito anos a ponto dos próprios legisladores estaduais de direita se unirem aos da esquerda para freiá-lo. Mais oito anos de governo do PMDB (Roberto Requião) foram necessários para sanear as empresas públicas que ainda restavam e tentar em vão retomar o controle das rodovias "loteadas" pelo tucano. Assim, foram-se 16 anos. Agora, o ex-prefeito tucano de Curitiba Beto Richa venceu no primeiro turno a disputa pelo governo, deixando o comando do município no decorrer do segundo mandato, que conseguiu sob promessas de cumpri-lo até o fim, assim como o Sr. Serra. Este é o PSDB fazendo tudo pelo poder, tanto aqui como em São Paulo, e com uma oposição medíocre na esfera Federal, mesmo depois de 8 anos para aprender.
Por outro lado, o Presidente Lula (não o PT) segue bem aceito. Quando ele entrou no governo havia o medo de ele ser comunista, dizia-se que deveríamos mudar e não manter os mesmos, que ele era do povo e para o povo iria governar, etc. Alguns dos dizeres hoje são concretos e outros, mais exagerados, não. O que ele fez foi apenas dar prosseguimento à tendência assitencialista em troca de voto iniciada pelo letrado Sr. FHC com o Bolsa Escola, Bolsa Alimentação e Vale Gás, unificando-os no Bolsa Família, com a mesmíssima finalidade do seu antecessor.
Bem, o que quero dizer-lhes é que não defendo nenhum deles, porque se estão na política, boas pessoas não são. Para serem bons, teriam que ser responsáveis e trabalhadores, como nós. Mas votar nulo, ou votar em A para B não ganhar, não resolve. O que falta ao nosso povo é educação, e se continuarmos votando assim isso nunca mudará.
O cerne da discussão é a baixa qualidade dos candidatos, e anular o voto, ou votar no menos ruim não adianta. Temos que subir o nível da disputa.
Então, se você que está lendo é politizado, estudado, bem intensionado, filie-se ou funde um partido político com os seus próximos igualmente bem-intensionados e melhore o nível das disputas. Na minha opinião a discução do voto não resolve, conseguiremos avanços somente melhorando os candidatos. Partidos Políticos não são propriedade privada de seus fundadores, são entidades públicas mantidas com fundos da união.
E aí sim, depois de elegermos bons representantes, ampliarmos com qualidade o sistema educacional e formarmos bons governantes. Garanto que ninguém mais digitará tanto como digitamos aqui, ponderando se votaremos nulo ou no menos pior.
Parece utópico, mas é possível.

Anônimo disse...

Muito obrigada Rodrigo! Estou repassando seu artigo para todos os meus contatos já pedindo desculpas por nem ter pedido autorização antes!!!!!!

Mieli disse...

Hoje já é dia 29 e me apavora pensar que ela possa vencer o 2º turno. Me apavora porque penso que nosso país estará sendo governado por alguém que até ontem não estava aqui e de uma hora para outra simplesmente surge como a "mãe de todos os brasileiros"!
Como todo respeito, a senhora não é minha mãe, nem nunca será, com a Graça do bom Deus! Minha mãe não tem um passado pelo sangue de outros, minha mãe não tem ficha criminal, minha mãe nunca defenderia o aborto, minha mãe é honesta e gosta de estar cercada por gente honesta como ela e para finalizar, minha mãe tem personalidade e nunca admitiria ser a guardiã da cadeira de outra pessoa.
E é por isso e tudo mais que estou apavorada. Sinceramente, apavorada!

Anônimo disse...

Curiosamente, a versão que circula por e-mail omite todos os trechos mais negativos com relação a Serra... Em vez de "Escolha de Sofia", virou um manifesto Pró-Serra.
A verdade é que os dois candidatos que restaram são muito parecidos, no discurso e na prática. Reduzem a população brasileira a um estereótipo de "povo" que não sabe decidir, e que deve ser tratado com paternalismo e uma boa dose de autoritarianismo.
Não importa quem ganha. O Brasil perde.